Ateus X Crentes
ola tudo bem?
Últimos assuntos
» BRASIL UM PAIS GOVERNADO POR LADRÕES
Sex Abr 20 2018, 10:34 por Admin

» Negado o hábeas corpus de Lula
Sex Abr 13 2018, 08:16 por Criaturo

» Giro Politico
Seg Abr 02 2018, 11:16 por Criaturo

» PUG II o pacifista bem intencionado!
Qua Mar 28 2018, 13:12 por Admin

» Perguntas ao NadaSei
Qui Mar 22 2018, 15:42 por Admin

» Questões irrelevantes que me tiram o sono?
Qua Mar 21 2018, 16:03 por Admin

» Videos engraçados!
Ter Mar 20 2018, 19:52 por Admin

» DIREITOS HUMANOS
Ter Mar 20 2018, 11:27 por Admin

» Greve dos funcionários municipais e reforma da previdência
Seg Mar 19 2018, 20:04 por Admin

» Certo ou Errado?
Sex Mar 02 2018, 18:59 por Criaturo

» Show de BURRICES do Clube Cético
Sex Fev 23 2018, 02:35 por Gigaview Gigabiba

» Mico número 1
Qua Fev 21 2018, 08:04 por Criaturo


Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:45





agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Existem dois conceitos que não consigo assimilar de jeito nenhum, eternidade e perfeição, rs.

Nós seríamos espíritos 'recém criados' (não todos) dentro dessa coisa chamada eternidade, rs


Então os espíritos podem ser efêmeros?


agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Então os espíritos podem ser efêmeros?

Até onde sei não, é dito imortal.


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Até onde sei não, é dito imortal.

Bom! Se eles foram criados imortais, então são eternos para frente e efêmeros para trás?
E o espírito-mor é eterno nos dois sentidos?

Post edited by Marcio on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Oi, Sônia. Eu quase ia me esquecendo de responder. Muitas mensagens, pouco tempo, uma coisa ou outra acaba passando despercebida.


salgueiro disse: O porém aqui Ayya é que o processo de construção está longe de terminado (nem sei se termina ou não), sei que ainda estou longe do que quer que seja. Olhar para trás é uma coisa à frente é outra.

Não me sinto ainda nesse limite.


Olhe bem para isso: Você SABE que está longe. Era sobre isso que falávamos. A gente procura o que não tem, ninguém iria empreender uma busca por algo que já possui. É por acreditar nisso – que algo nos falta – que colocamos em marcha o processo ilusório. Esse grande sonho, essa grande farsa precisa ser mantida – sabe-se lá por quais motivos – e somos nós que a mantemos, quando acreditamos.



salgueiro disse: Como conceito ok, o que é isso na prática? Melhor, como fazer isso? Desligar os filtros como? Usar somente o intuitivo?

Foi até bom eu ter demorado para te responder. Hoje, olhando o andamento do debate, vi em uma de suas respostas a seguinte declaração: “Quando fui estudar a doutrina percebi logo de cara que não poderia analisar nada usando o 'eu' como parâmetro”. É a mesma coisa. Deixar de usar seus parâmetros. Encare como uma crítica construtiva: noto que você os tem utilizado demais, em quase toda informação que lhe é direcionada. Eu ia até falar sobre isso quando o assunto era a meditação, mas resolvi não levar a coisa adiante.

TUDO o que você filtrar, por definição, estará reduzido a esse filtro. E a grande ironia, senão um paradoxo, é que qualquer um de nós aconselharia o outro a usar seus próprios filtros quando diante de informações novas, principalmente religiosas. A resposta para isso estaria nos limites do intelecto. Dentro desse limite, use-o; além desse limite, silencie-o. Esse não é um conselho que eu daria a qualquer pessoa.




agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Posso te garantir que nenhum de nós acredita em nada disso, e, veja só minha ousadia, estou falando em nome do Márcio e do Ayya, e mais importante, nenhum de nós jamais partiria de tais raciocínios para defender ou refutar qualquer coisa sobre a nossa realidade observável.

Você tem carta branca para falar em meu nome. Principalmente neste assunto em particular.




agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Bom! Se eles foram criados imortais, então são eternos para frente e efêmeros para trás?

Hummm, se eu entendi diria que recebem a imortalidade mas são crus


Marcio disse: E o espírito-mor é eterno nos dois sentidos?

Se está se referindo a Deus nem me dou ao trabalho de cogitar, rs

Post edited by salgueiro on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Olhe bem para isso: Você SABE que está longe. Era sobre isso que falávamos. A gente procura o que não tem, ninguém iria empreender uma busca por algo que já possui. É por acreditar nisso – que algo nos falta – que colocamos em marcha o processo ilusório. Esse grande sonho, essa grande farsa precisa ser mantida – sabe-se lá por quais motivos – e somos nós que a mantemos, quando acreditamos

Ayya sei que possuo 'tudo', que tudo está em mim, a construção a que me refiro é o selecionar e manter ou me livrar do entulho (aquilo que atrapalha). A diferença entre o que falamos está basicamente naquilo chamado ego que nem ao menos tenho certeza que se trata da mesma coisa.


Ayyavazhi disse: Encare como uma crítica construtiva: noto que você os tem utilizado demais, em quase toda informação que lhe é direcionada. Eu ia até falar sobre isso quando o assunto era a meditação, mas resolvi não levar a coisa adiante

Para quem trabalha a maior parte do tempo com o racional liberar os filtros é difícil com a doutrina consegui.
Meditar é uma impossibilidade técnica comigo, paro a mente e durmo no segundo seguinte.


Ayyavazhi disse: TUDO o que você filtrar, por definição, estará reduzido a esse filtro. E a grande ironia, senão um paradoxo, é que qualquer um de nós aconselharia o outro a usar seus próprios filtros quando diante de informações novas, principalmente religiosas. A resposta para isso estaria nos limites do intelecto. Dentro desse limite, use-o; além desse limite, silencie-o. Esse não é um conselho que eu daria a qualquer pessoa.

Passei muitos anos brecando o intuitivo mas de uns tempos para cá comecei a afrouxar o controle. Vamos ver.


agosto 2013 Sinalizar0
Galera, sem querer ser chato, acho que vocês estão fazendo uma abordagem infantil da questão da eternidade. Essa coisa de muitos mundos, muitos planetas, muitos universos, é de uma inocência quase trágica. O Sybok usou um numerozinho legal: 438 trilhões de vezes! É o mesmo que 438.000.000.000.000. Alguém consegue compreender um número desses? Se acha que consegue, meu parabéns, você é o iludido da semana. E o que significa esse número fabuloso, dentro desta conversa? Nada! É só um número finito frente à eternidade. E se acrescentássemos 438 trilhões de ZEROS ao número anterior? Alguém ainda acredita que pode compreender algo tão absurdo?

E, novamente, esse número inimaginável seria tão somente outro número finito diante do infinito. Aí vocês vem com essa conversa de “Existem muitos mundos para serem conhecidos. Diversão não falta”? Pelamordedeus.

Muito, muito, muito antes de chegar a isso nós já teríamos jogado a toalha. Estaríamos repetindo, não importa em quantas e quais configurações, bilhões, trilhões de ciclos de experimentações e sensações, sabendo que todos esses trilhões de ciclos continuariam a se repetir e se repetir e se repetir e... chega. Não existe lógica alguma nessa ideia de que podemos suportar isso, só porque são ciclos diferentes.

Vocês estão tentando estabelecer um propósito (o que só é válido como exercício especulativo) através dos valores da mente irrequieta e eternamente insatisfeita que conhecemos. Como disse o Sybok "Você imagina que isso seria tedioso e infernal, mas na verdade o silencio mental é a sensação mais prazerosa que existe e como dito, só mentes falantes sentem tédio”.

O tédio que vocês tentam driblar, criando distrações, seria apenas adiado. Mas o mais importante, senhores, é que esse tédio só existe na mente irrequieta. Se um cara como o Sybok consegue experimentar o silêncio, e compreendê-lo!, qual seria o alcance desse silêncio tão prazeroso em uma mente “superior”?




agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: O tédio que vocês tentam driblar, criando distrações, seria apenas adiado. Mas o mais importante, senhores, é que esse tédio só existe na mente irrequieta. Se um cara como o Sybok consegue experimentar o silêncio, e compreendê-lo!, qual seria o alcance desse silêncio tão prazeroso em uma mente “superior”?

É que o silêncio é tão tedioso! Rsrsrsrs!


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Ayya sei que possuo 'tudo', que tudo está em mim, a construção a que me refiro é o selecionar e manter ou me livrar do entulho (aquilo que atrapalha).

O entulho é uma droga, mesmo. Mas o lado bom disso tudo é que o entulho só existe enquanto o valorizamos. Como diria Richard Bach "Valorize suas limitações e por certo não se livrará delas". Você já aprendeu muita coisa. Está na hora de desaprender. Está na hora de abandonar tudo isso. Olhe para o sonho e você perceberá, com nitidez, que está dormindo.



salgueiro disse: A diferença entre o que falamos está basicamente naquilo chamado ego que nem ao menos tenho certeza que se trata da mesma coisa.

Não, minha linda, não falamos da mesma coisa. Quando você diz que seu ego está morrendo, tenha certeza de que não falamos da mesma coisa. Eu nunca duvidei que você está trabalhando determinados aspectos de sua mente, e vencendo essa luta. Eu não tenho razões para duvidar do que quer que seja que você esteja realizando. Mas o nome disso só pode ser ego se visto através da perspectiva da psicanálise. Aquela coisa freudiana e tal. O ego não é um emaranhado que precisa ser trabalhado para se atingir a unidade. Ele é tudo aquilo que precisa desaparecer. MORRER. Ele é tudo o que te mantém presa à ilusão. Olhe para você mesma. Observe e relembre tudo o que você já descobriu sobre si mesma. Depois diga: Eu não sou isso.

Estou quebrando minha promessa de não mais falar sobre ego. Fiquei muito tempo sem tocar nesse assunto e não pretendo torná-lo corriqueiro. Faço-o, hoje, por você. Não irei longe com isso.

Resumindo: O ego não é algo que deva ser trabalhado. Ele dever ser anulado. 



salgueiro disse: Para quem trabalha a maior parte do tempo com o racional liberar os filtros é difícil com a doutrina consegui.

Acho que eu já disse antes, a razão é sua maior amiga e é, também, sua maior inimiga. 



salgueiro disse: Meditar é uma impossibilidade técnica comigo, paro a mente e durmo no segundo seguinte.

Sim, e foi esse um dos aspectos em que você levou seus parâmetros pessoais ao extremo. Sua dificuldade com o exercício não desmerece o exercício. E ninguém nunca disse que era fácil. Falando de uma forma bem "lunga", o problema não está no exercício, está em você. E só você pode mudar isso.



salgueiro disse: Passei muitos anos brecando o intuitivo mas de uns tempos para cá comecei a afrouxar o controle. Vamos ver.

"Vamos ver" é muito bom. É isso mesmo que estou lhe pedindo.

Beijo.




agosto 2013 Sinalizar0
Silvana disse: Sim, vc já havia falado, peço desculpas, sou eu e minha mania de explicar... RS

Suas explicações não são inoportunas, Silvana. Não é esse o problema.



Silvana disse: Tirando as explicações chatas e acadêmicas que eu já pensei em recorrer para explicar o “comportamento” das tartaruguinhas. rs hahaha

Bem, o natural do ser humano é que tenhamos a necessidade de retornar, assim como as tartaruguinhas.


Foi uma pergunta retórica. Tenho certeza de que há um porquê. As tartaruguinhas serviram apenas para me ajudar a criar a imagem pretendida. Por mais que elas sigam algum plano natural perfeitamente estabelecido, não é precipitado deduzir que não possuem consciência do que estão fazendo (consciência como nós, humanos, teríamos ao fazer uma escolha). Neste caso, elas apenas fazem o que deve ser feito, independente de haver ou não consciência envolvida. Foi o paralelo que fiz com a busca espiritual humana.



Silvana disse: Ayya, alguns de nós já saíram do campo do intelecto para os experimentos, o problema é que para a maioria isso ainda é muito abstrato.

Você entendeu por que o ocultismo não desperta meu interesse? Assim como o espiritismo, vocês lidam com informações que dizem respeito a um funcionamento. A ciência faz o mesmo, ainda que seus métodos e seu escopo sejam outros. No fim, somos todos humanos exercendo nossa avidez natural por conhecimento.

Se nós trouxermos agora o conceito da Matrix para a conversa que estamos tendo, eu diria que todas essas áreas de conhecimento: religião, ocultismo, ciência, etc., estão dentro da Matrix. São aspectos distintos desse grande funcionamento; uns mais sutis, outros menos. Mas, todos, sem o poder de te oferecer a liberdade que supomos existir. “Conhecerás a Verdade e ela vos libertará” não diz respeito a escolher esta ou aquela doutrina, entre inúmeras existentes. Poderia resumir dizendo que diz respeito a abandonar todas, mas isso suscitaria muitas especulações.



Silvana disse: Seguindo no campo da investigação, vamos tentar responder, ok?!

Novamente, foram perguntas retóricas. Mas, já que você respondeu, o mais importante seria avaliar o quanto você acredita nessas respostas. Veja que em uma das respostas você diz que o Ser Supremo “deseja” que suas criações partilhem da mesma liberdade. Ninguém tem essa informação, Silvana. Podemos especular, é nosso direito, mas não temos acesso a esse tipo de informação. Não sabemos o que um possível Deus pensa ou deseja, e não conhecemos o propósito de nossa existência, além da incipiente tentativa de transformá-la em aprendizado, crescimento, evolução e afins.



Silvana disse: Realmente, fica complicado entender certas colocações, do tipo, Lázaro ressurgiu dos mortos, Elias foi elevado(mercabah), Jesus ressuscitou...

Parecem somente palavras estranhas e desconexas...


Não, não é complicado. São funcionamentos. E, como já dito, eles não me impressionam. 



Silvana disse: Porém se pararmos para pensar, toda a projeção na natureza, segue com a ideia de progresso, avanço, evolução, nada o é por acaso ou fica estagnado, pois a natureza segue com seu progresso independente se queremos ou não. Seria como recusar a evolução e os ciclos recusando assim o observável...

A evolução é tão real quanto o computador que estou utilizando para me comunicar com você. Tudo é real, palpável e observável. A observação produz conhecimento e o conhecimento nos alimenta.

A não ser que tudo isso seja ilusão...




agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Olhe para o sonho e você perceberá, com nitidez, que está dormindo.

Nem lembro direito o que é sonhar, rs. Desde a idade adulta não consigo acordar e lembrar de um sonho (pelo menos se tenho pesadelos também não lembro)


Ayyavazhi disse: Sim, e foi esse um dos aspectos em que você levou seus parâmetros pessoais ao extremo. Sua dificuldade com o exercício não desmerece o exercício. E ninguém nunca disse que era fácil. Falando de uma forma bem "lunga", o problema não está no exercício, está em você. E só você pode mudar isso.

Sem querer ser chata, eu tentei, tentei mesmo, não adianta mudar de horário, de lugar na casa, eu apago no segundo seguinte ao conseguir parar os pensamentos.


Ayyavazhi disse: "Vamos ver" é muito bom. É isso mesmo que estou lhe pedindo.

Beijo


Bjs


agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Sal, só posso fazer isso durante a minha vidinha, que deve durar algumas poucas dezenas de anos.

No caso de espíritos imortais há uma eternidade para se aprender. Logo, todos já deveriam ter aprendido.

De duas uma, ou os espíritos são efêmeros, ou a essência do espírito não é o aprendizado exatamente.


na verdade a origem das espécies humana perdem se no tempo, ja que foi incluído a eternidade, talvez o inicio foi bem anterior a "adão e eva" que tal considerarmos começo do ser humano partir de bactérias, impossível ? ou ainda por outras formas desconhecidas? talvez em outros mundos?
os espiritas veem o ser humano muito alem da efemeridade da carne e diante da eternidade as possibilidades tornam se infinitas.


agosto 2013 Sinalizar0
Silvana disse:
Pessoal, desculpem a intromissão...


Intrometa-se a vontade. A idéia é exatamente essa. (risos)


Silvana disse:
tentarei dar um exemplo que vivi com pessoa estimada no mundo espiritual



Silvana, o mais próximo de coisa sobrenatural que já me aconteceu, e me parece ainda muito, muito distante, foi um dia quando eu precisava de uma grana emprestada e um amigo, que há tempos não ia em casa, apareceu lá sem avisar, ficou mais do que o costume e emprestou. Talvez algum espírito tenha cochichado ao ouvido dele e ele, grande amigo, foi em meu auxílio. Talvez tenha sido apenas uma feliz coincidência...

O problema não é aceitar que você possa ter coisas que eu não tenho ou fazer coisas que eu não faço. O mundo está repleto de pessoas melhores e mais capazes que eu. E a vida continua.

Mas esse seu exemplo está tão longe da minha realidade que eu simplesmente não conseguiria discutir seus detalhes sem usar a palavra hospício. (risos)

Considerando minha nula experiência espiritual, você dizer que foi onde a amiga morta estava, conversou com ela, sabe onde ela encarnou agora... Não dá. É como afirmar que sua mãe a concebeu do Espírito Santo, você pode transformar água em vinho, multiplicar pães, ressuscitar mortos...

Se você fez mesmo tudo isso, e não tem um CID lá por volta do F20, pra mim você seria praticamente uma deusa. Talvez não "a deusa", mas uma bem grande. (risos)

Então eu vou ficar só pelos detalhes técnicos, já-já. Tente não se ofender. O objetivo não é esse.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:47





agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Sermos "feitos" de Deus não pressupõe que sejamos exatamente a "consciência divina" no sentido de identidade e "eu" divino, tanto que ele conserva sua própria consciência.

sim ! é por esta razão que "graças a Deus " existimos! somos uma parte da consciência dele que se fez ignorante de si mesmo para adquirir personalidade individualizada.


sybok disse: Na sua hipótese seriam preciso dois Deuses um para se manter como é e outro para se "auto iludir" fingindo ser outras bilhões de consciências,
sim , mas ainda faltou mencionar o deus mecânico , uma parte da consciência divina responsável por manter as leis físicas que regem e mantem o universo físico.


sybok disse:ou um Deus que consegue ao mesmo tempo se dividir em muitas consciências auto iludidas, muito embora ele ainda continuasse de modo contraditório onisciente e sabendo de tudo.
aí , não!


sybok disse: Se Deus continua sendo onisciente, como pode ser um auto iludido?
A Trindade Divina explica

então vamos por partes ?

Consciência Divina:
50% manteve-se onisciente
25% tornou-se ignorante(humanos)
25% mecânico (leis físicas)


sybok disse: Agora veja Criaturo, independente desse tipo de especulação sem nenhuma chance de ser falseada, isso em nada lida com a ilusão de separação citada, nem com o fato de que tal ilusão de separação será quebrada.

não penso que isso seja impossível mas , como ja observou a Silvana talvez estejamos falando a mesma coisa vendo por ângulos diferentes principalmente nesta questão da ilusão x divina x humana.

o ponto comum é ambos concordamos haver algum tipo de ilusão.
Sybok
pelo sua experiência em fatos observáveis, concluiu que existe uma ilusão de separação entre os seres e até da matéria e chamou isto de ego mecânico e pelo visto pela forma que defende ter esse conhecimento, tambem ja conseguiu elucidar o controle de tal ilusão.
eu não discordo que tal ilusão não poderá ser controlada ou anulada,nem que não exista uma natural tendencia para que isto ocorra.
o problema é que minhas especulações tendem ultrapassar barreiras que nos limitam a esse mundo, assim provavelmente no momento que estamos lendo isto, bilhões de mundo estão nascendo e outros se transformando por intermédio do deus mecânico, dentro desse processo interminável ja encontra-se seres que a muito ja se libertaram da ilusão do ego, assim como ainda temos seres humanos ainda no berçário da ignorância de si mesmos.

Criaturo
Ok! concordo que seja possível controlar o anular a ilusão do ego passando a sentimos uma unidade comum entre os seres e ainda mantermos a consciência do nosso ser"eu" e não ser o outro.

Mas a ilusão que me refiro ser eterna não é a causada pelo ego mecânico e sim a ilusão da ignorância divina em continuar achando que não somos Deus, pois logicamente no momento que voltarmos a ter esta consciência que de fato somos Deus, deixaremos de ser nós mesmos e todos voltarão a ser a consciência de um Único Deus.
Mas voltar ao estado da não criação faria de Deus uma contradição humana.

Veja que interessante, ETERNIDADE:

O tempo teve um inicio mas, não terá um fim!



Marcio disse: salgueiro disse: CRIATURO disse: dentro da eternidade o tempo não existe

Pois é, desconfio que seja isso

Na verdade, eternidade não significa muita coisa, é uma abstração. Igual à escuridão.

E tempo nada mais é do que "movimento" em todos os seus aspectos.


Se o Marcio estiver certo, só havia eternidade antes da criação onde Deus era Consciência sem ação , sem movimento.
O inicio do tempo, ação, movimento da consciência Deus deu-se a partir da sua divisão intencional (Big Bem), criando diferentes níveis de consciência em si mesmo, este desnível de consciência Divina criou ao mesmo tempo:

deus mecânico (ação, movimento, tempo)o inicio sem fim
deus humano (parte da consciência divina que tornou-se ignorante da sua própria identidade)
Deus Maior Consciência (eterno que existe desde sempre)

E novamente considerando o que o mestre Jesus ensinou: "O meu pai trabalha até agora e eu também).

a partir da criação esta ação tornou-se eterna e continua, assim neste exato momento Deus continua se dividindo criando novos seres, ou deuses temporais, ou seja partindo de um inicio que não terá um fim.

Isto daria uma idade a todos os seres vivos justificando o porque dos vários níveis de maturidades tornando a hipótese da reencarnação mais aceitável.

Post edited by CRIATURO on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: 50% manteve-se onisciente
25% tornou-se ignorante(humanos)
25% mecânico (leis físicas)


Se quiser ficar com raiva, fique.

Você estraga nossa conversa. E o exemplo acima nem é a pior de suas viagens.




agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: À menos que...(de repente me ocorreu algo aqui que tenho que pensar).

Prossiga...




agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse:
Se quiser ficar com raiva, fique.


Eu ia comentar também. Até as porcentagens?


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Vamos supor hipoteticamente que você está certo, que somos Deus auto iludido e dividido em muitas consciências.
Se fossemos misturar sua hipótese e considerá-la real e agora tratar da realidade observável, então eu diria que os "seres" que ele criou e nos quais ele se dividiu, tem uma capacidade de "união" maior com a consciência divina intacta, do que essa que hoje experimentamos.


diria mais, que alem dessa capacidade de unir-se existe uma tendencia natural do deus mecânico "empurrar" nós a partes humanas iludidas de Deus a tentarem voltar ao seu estado da união inicial antes da criação.
Mas que ao meu ver essa união "total", contraria a lógica da criação humana.
mas uma união "parcial" é desejável e possível.


sybok disse: Se fossemos misturar sua hipótese e considerá-la real e agora tratar da realidade observável, então eu diria que os "seres" que ele criou e nos quais ele se dividiu, tem uma capacidade de "união" maior com a consciência divina intacta, do que essa que hoje experimentamos.
Sim temos uma maior capacidade de união, porem o limite que separa essa capacidade de união é o ser "humano" não ser "Deus".



sybok disse: Existe um véu que aumenta a "separação" entre uma coisa e outra, criado pelo ego, essa ilusão será desfeita e as deuses divididos podem experimentar uma união maior com o Deus único, sem que necessariamente voltem a ser o Deus único.

exatamente é isto que eu penso


sybok disse: Por exemplo, hoje não compartilhamos pensamentos, nem sentimentos, nem ouvimos Deus, nos sentimos e nos percebemos completamente separados uns dos outros e do Deus maior.
Quebrando essa ilusão de separação, poderíamos compartilhar certos pensamentos e sentimentos, poderíamos perceber Deus em nós e poderíamos olhar o outro e percebê-los como uma extensão de nós mesmos.
Nada disso implicaria em "voltar ao Deus único".
E esse é o problema, quando eu falo sobre "quebrar a ilusão de separação entre nós e Deus", estou falando de uma coisa que não tem nada a ver com essa sua hipótese de "voltar a ser o Deus único". E não falo de algo hipotético, mas observável.


isto é o que eu estava dizendo desde o principio desta discussão sobre ilusão x união
Até ja havia citado dois exemplo de fatos observados uma dor pre parto compartilhada por mim e minha esposa, a dor no coração compartilhada por você e o seu tiú.
muito me estranha voce não te conseguido entender este nosso ponto de vista em comum antes.

ok também concordo que seja possível e desejável aumentarmos a consciência dessa união entre os seres e todo o universo, amplificando essa "Empatia" em comum, desde que sem perdermos a nossa identidade.
aleluia! finalmente conseguimos falar a mesma língua.


agosto 2013 Sinalizar0
Salgueiro disse:
Algumas crianças sim outra parte vai fazer questão de fazer do jeito delas. É por isso que perguntei se vc tinha filhos, rs.


Encontrei uma criança por aí, nove anos, e usei a coitadinha como cobaia.
Claro que nada pretendo provar citando uma criança apenas. Estou só contando um causo.

Perguntei a ela que tipo de promessa ela faria para que Deus curasse seu cachorrinho doente.
Defini promessa como "coisa muito difícil e/ou boa que você faria para mostrar a Deus o quanto você está feliz pela graça recebida e, também, para deixar Deus contente (isso vai ser interessante)".
Tentei não influenciar nas respostas. Não dei exemplos de promessas que as pessoas costumam fazer.

Respostas, em ordem cronológica.

"Obedecer meu pai e minha mãe."

"Eu ia rezar e agradecer bastante. Nunca ia esquecer."

"Como eu deixaria Deus contente, se ele já estaria contente por ter curado o cachorro e me ajudado?" (Pobre criança.)

"Cuidaria do meu cachorrinho, para que ele nunca mais ficasse doente."

"Levantaria meu braço e ficaria com ele bastante tempo levantado." (Acho que as idéias estavam acabando.)

Foram 4 promessas. Obedecer, agradecer, cuidar e levantar o braço. 75% de promessas não-idiotas? Parece bom.

Pedi uma nota de um (boazinha) a três (ótima). As três primeiras levaram nota máxima. A do braço, dois.

Pedi nota também para três promessas minhas, uma de cada vez. Em ordem, estudar, carregar um pesado cachorro de barro e alimentar cachorros de rua. As três receberam nota máxima.

Pedi para a criança escolher qual a melhor promessa entre as minhas.

"Estudar."

Então eu quase desisti da raça humana. Era pra ser alimentar o cachorro! Mas antes perguntei por quê.

"Por que se eu estudar bastante, vou ter um bom emprego e poderei alimentar os cachorros da rua. Não adianta eu prometer alimentar se eu não tiver condições."

Era pra escolher uma, mas...

Por fim, perguntei o que ela achava de carregar o cachorro pesado.

"Acho que Deus não iria gostar muito. Eu poderia me machucar e Deus não iria querer isso." (Essa ainda não conhece o Deus Criaturístico do Sadomasô, para o qual só é possível o prazer por meio da dor...)


agosto 2013 Sinalizar0
Inseto disse: Claro que nada pretendo provar citando uma criança apenas

Que bom!


Inseto disse: Estou só contando um causo

Causo lido, rs


agosto 2013 Sinalizar0
Salgueiro disse:
Causo lido, rs


Vou ver se acho mais crianças. RSRS


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: E esse é o problema, quando eu falo sobre "quebrar a ilusão de separação entre nós e Deus", estou falando de uma coisa que não tem nada a ver com essa sua hipótese de "voltar a ser o Deus único". E não falo de algo hipotético, mas observável.

apesar de concordar com a realidade dessa sua convicção, antipaticamente volto a chamar sua atenção que este tipo de fatos observáveis ainda não podem ser comprovado cientificamente, assim esse seu conhecimento ainda esta classificado no mesmo patamar das hipóteses espiritas.

Post edited by CRIATURO on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Se você vê uma mulher bonita, que é um pensamento divino, continua não podendo ser um escravo do desejo querendo transar com ela a qualquer custo, a ponto de estuprá-la.

sai fora "inseto" que este corpo não te pertence!


sybok disse: Nenhum sentimento e nenhum desejo é bom motor.
Imagens atraentes são para serem vistas, perfumes para serem sentidos, mas tudo é para ser usado por nós com auto controle e em liberdade, do contrario ao invés de usarmos dessas coisas, nos tornamos escravos delas.

Você pode usar as coisas, mas não pode depender delas.
Usar com desapego e sem ser escravo do desejo.


ok, isto é o certo e tambem o desejável! mas, o mesmo desejo que nos escraviza também liberta...ha..ha..ha..ha.ha
E sabe por que ? a nossa existência é fruto de um divino desequilíbrio intencional.
Deus tornou-se escravo ignorando uma parte de si mesmo, assim ele se transformou em humanos.
Podemos e devemos controlar o desejo mas, se acabássemos totalmente com nosso desejo, cometeríamos um auto suicido do nosso ser.
provavelmente Jesus ou veio em missão voluntaria para esse vale de lagrimas ou no máximo cedeu seu livre arbítrio a outra autoridade maior do que a sua vontade própria.
Mas de forma alguma o desejo de realizar sua própria vontade cessou,nem irá jamais cessar.
O ser pode ser coagido a agir provisóriamente contra o seu próprio desejo mas, nunca será obrigado a abrir mão deledefinitivamente, pois isso anularia a criação divina do ser"eu" e não ser Deus, ou qualquer outro ser.


sybok disse: Ele poderia ter dito "faço, logo existo", ou ainda "Ando, logo existo" e o argumento teria dado na mesma, pois se posso fazer algo, então eu realmente existo

Antes da criação o tempo , ação e movimentos não existiam mas, Deus ja existia desde sempre.
o sentimento é o principio da consciência e o desejo é o inicio da razão do ser "eu" e não o outro.


sybok disse:
A diferença obvia é que falar sobre raios é falar sobre aquilo que podemos observar diretamente.
O ego também é observável, assim como questões relativas a nossa própria mente, muito embora a observação seja mais pessoal e sem capacidade de "provar a terceiros", ainda assim estaríamos falando sobre algo observável.

A vida após a morte não é observável, assim como o "antes" de sermos criados também não é.
Sobre essas coisas só falamos hipoteticamente, não é possível construir teorias com base no não observável, nem pautar nossos raciocínios nisso.

ok nunca afirmei que minhas hipóteses sobre a criação eram na verdade teorias cientificas comprovadas,nem que eram verdades inegáveis baseadas em fatos observáveis.
não seja "malandro",pois quem afirma possuir fatos observáveis comprovando a verdade inegável da ilusão do ego, e é capaz de apresentar a teoria para uma iluminação humana é voce, seu fiel discípulo Ayya , seus mestres orientais e não eu, um feliz e assumido escravo do meu ego.

Justamente poderia me valer dos seus mesmo recursos para refutar a sua acusação que as minhas hipóteses espirituais como reencarnação, vida após a morte, manutenção da identidade,comunicação e ação dos espíritos neste mundo possam e devam ser consideradas uma Teoria de uma verdade inegável baseado em fatos observáveis, de psicografias, aparições,sonhos, previsões do futuro..etc
Mas fatos pessoais nunca poderão ser considerados como provas cientificas, pois tratam-se de coisas subjetivas ,mesmo quando compartilhadas por visões e experiências de outras pessoas "afins".
O valor para sua ideia da iluminação da consciência x ilusão do ego e para minhas idéias espirituais pós morte (doutrina Espirita Kardecista),embora que experiências próprias nos levam no intimo do nosso ser a acreditarmos serem verdadeiras, livre de pré conceitos ja enraizados deveríamos honestamente considera-las apenas como hipóteses ainda não comprováveis cientificamente.

Você não tem uma teoria, uma Verdade Inegável que afirma ter,ambos temos apenas hipóteses ainda não comprovadas cientificamente.



sybok disse: Não se deve negar a realidade visível em pró de hipóteses imaginadas, isso prejudica o funcionamento da razão e leva a uma serie de ilusões.

A unica realidade que esta sendo muito visível neste momento é a sua "crueldade" me chamando de lunático...magoei mesmo..sniff..sniff..
Deixe de ser convencido, a sua "realidade visível" ainda não representa a consciência da maioria, em outras palavras a sua realidade "visível", cientificamente ainda não esta tão visível assim, no mesmo patamar da doutrina espirita. é meu amigo meu ego ateu do Deus dos outros voltou com força total, quem mandou intiga-lo.
Ele funciona mais ou menos como um espelho.


sybok disse:
que separadas tornam-se inuteis
Engano seu, processadores em maquinas sem HD tem muita utilidade, são usados até em cartões de credito, o mesmo vale para HDs em computadores sem processador, usados somente para armazenas dados.


Hd é apenas um disco de memória, que sem um processador inserindo dados nela perde a função.
um processador sem programas operacionais instalados em memória externas não pode executar nenhuma instrução.
como disse processador e hd (memórias) em separados tornam tão inúteis quanto um ser sem memória não poderá saber mais nada, ou seja ficará inconsciente.
é impossível voce querer separar consciência do seus atributos, desejo, sentimentos,memória.


sybok disse: A consciência não ouve passivamente só pensamentos, ela observa imagens, sons, odores e faz isso muito melhor quando não está distraída por pensamentos.
A consciência não só não é inútil sem pensamentos falando o tempo todo, como funciona muito melhor assim, pois sobra mais "processamento" para lidar com as imagens, ou com os sons. Ela fica mais "concentrada" e por isso, mas acordada.

A memoria também não é usada o tempo todo, como toda ferramenta tem seu lugar e ora. Quando estamos transando ficamos muito melhor concentrados no ato em si, do que lembrando e acessando memorias sobre o vomito que limpamos ontem no banheiro.

São todas coisas distintas e que se relacionam melhor quando usadas na hora certa.
Se você não consegue olhar para si e enxergar as diferenças entre cada parte sua, como vai poder se aperfeiçoar e usar melhor cada uma de suas capacidades e ferramentas?
Que "evolução" você espera conseguir sem conhecer a própria mente?


voce afirma com conhecimento de causa fatos observáveis que eu ainda não experimentei, fica muito inconsistente apenas imaginar como seria existir sem pensar ? imagino que deva ser tão bom quanto ou melhor do que voce diz, porem para mim ainda fica muito difícil poder conceber como processaria tal coisa.
Sim consciência sem o pensamento pela forma que o concebemos? O máximo que eu posso chegar disso seria a intuição conhecimento sem raciocínio, mas apenas por relances e não da forma prolongada que você diz poder vivenciar sem pensar, apenas sentindo a união através da iluminação, que coisa bonita! não ?
Dentro da minha hipótese pós morte os seres já iluminados por esta "super empatia", possuem uma visão mais justa dos seres ainda escravizados usando isto como uma boa ferramenta de socorro aos seus pupilos.

respondendo a sua ultima pergunta:
"Que "evolução" você espera conseguir sem conhecer a própria mente?"

um cientista poderá usar a sua ciência para ajudar ou prejudicar um numero bem maior de pessoas, pois o seu conhecimento lhe dá esta autoridade.
Assim um simples criaturo criador de hipótese duvidosas não terá um grande conhecimento aliado as suas ações.
Mas então por que Deus teria criado cérebros de criaturos x cientistas ?
Certamente para manutenção da vida, formigas e homens têm a mesma importância dentro de um infinito universo, pois só quem é grande de verdade consegue ver todas as partes formando um único universo Deus.
por que me preocuparia com este tipo de conhecimento "iluminação", porque faria disto o principal sentido da minha vida?
Quando ja percebi que a vida tende sempre a me empurrar de volta a um maior nível da consciência Deus.
Deus não me criou um ser iluminado! Nem pediu para que eu mesmo me iluminasse!
Deus apenas observa qual será o meu novo desejo, sim o meu desejo é que apresenta o meu ser diante de Deus, meu mérito é desejar ser "eu" mesmo e não Deus.
Deus se manifestando em mim na sua consciência plena,não apresentaria em mim nenhum mérito, apenas uma "vaidade" um ego divino querendo aparecer em todas as suas criaturas.
O desejo a intenção de se querer fazer o bem ou o mal, não é apenas uma ilusão do ego, é uma parte de Deus desejando sentir-se livre na forma humana.
Assim, mesmo que você ilumine-se desfazendo essa a ilusão do ego, unindo-se a outras realidades,e a outros seres iluminados ou não, de forma alguma abrirá mão totalmente do seu ser, ou seja manterá o desejo que te identificará diante do Todo, todos e tudo.


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:48

 
sybok disse: E o que provar qualquer coisa a terceiros muda no fato de que qualquer um pode comprovar por só próprio.

te da autoridade de poder promover sua hipótese para teoria


sybok disse: A existência de uma ilusão criada pelo ego é observável a qualquer um, assim como o fato de que tais ilusões possam ser removidas, mas isso não é algo que eu possa tirar uma foto e postar aqui, é algo que está dentro de você e que você teria que ver por si próprio.
Isso significa que falo sobre o observável, não sobre o hipotético e não falseável, pode ser observado por mim, por você e por qualquer um que olhe dentro de si.


Como olhar dentro de si continua sendo subjetivo a interpretações pessoais, mesmo que verdadeiro seu conhecimento ainda sera classificado de hipotético


sybok disse: Por isso não misturo assuntos como esse com discussões hipotéticas sobre Deus e o universo, ou sobre o após a morte, ou sobre se somos "pensamentos" de Deus, pois nada disso tem necessariamente relação com essa questão e nada disso é observável.

mais uma vez insiste em advogar em causa própria: afirmando que suas observações pessoais estão disponíveis a todos, mas na pratica tornam-se quase impossível de serem comprovadas.
Assim sua causa é tão hipotética quanto qualquer fenômeno espirita e da mesma forma foram observados também por pessoas diferentes.


sybok disse: Fatos observáveis são fatos observáveis Criaturo, sejam eles de conhecimento cientifico ou não. A ciência tem uma metodologia de estudo do mundo natural e é um fazer coletivo, isso não significa que seja preciso o aval da ciência para que você e eu saibamos de diversos fatos inegáveis que observamos ao nosso redor ou em nós.
ok voce esta certo, agora só preciso que você me confirme que este seu conceito é valido para tornar da doutrina espirita também mais uma Verdade Inegável ? Baseada com nos depoimentos pessoais de fatos pessoais tambem observados por outros?


sybok disse: Se você tem a mente inquieta e não sabe separar uma discussão da outra a culpa não é minha.
Já disse que não acredito que somos pensamentos divinos, nem que somos Deus auto iludido, assim como já disse que a ilusão de separação a que me refiro não guarda nenhuma relação com a SUA hipótese de que somos Deus dividido.

sybok disse: Eliminar a ilusão de separação não nos torna o "Deus único", pois eu se quer me referi a essa sua hipótese, falei somente sobre um fato observável, nesse caso, uma ilusão criada pelo ego e que pode ser removida, resultado numa "união" que é completamente distinta desse seu entendimento de "voltar a ser Deus". Falei sobre eliminar a ilusão de separação, não sobre virar o Deus todo poderoso.


essa ideia hipotética que nossa consciência passa a ser ativa apenas quando os pensamento de Deus criam imagens nela lhe parecia boa, até eu apontar que ela manteria uma eterna ilusão humana, o que "aparentemente" contradiz a sua "teoria" da iluminação das consciências reunidas, a partir disso voce começou a "gritar" que esta sua ideia não passa de uma hipótese frente a sua verdade inegável da ilusão do ego.
Com tudo eu não discordo da sua teoria da iluminação, apenas a eterna ilusão a qual me refiro não é esta, que você afirma ser possível acabar, pois esta eu tambem compartilho da sua visão.(apenas pela fé).
A ilusão eterna a qual me refiro é de que todos eternamente desconhecerão Deus na sua plenitude, apenas em partes desiguais e nisto a sua união pela iluminação não contradiz minha hipótese.

concluindo estávamos falando de ilusões diferentes, dai a discordância aparente.


sybok disse: Você parte do fim, parte da sua própria crença na hipótese que imaginou, por isso não observa ou analisa o que foi dito de fato, você apenas tenta "refutar" isso por não se encaixar na sua hipótese.

bom o principal motivo desta aparente divergência o tempo todo foi eu estar me referindo a um tipo de ilusão e voce de outra.
Quanto tentar refutar a sua verdade inegável, voce deveria agradecer ao meu ego ateu, por especular a consistência da sua teoria da iluminação.
Da ultima vez lembra o que aconteceu, seu discípulo mais fiel Ayya, não aguentou meu ceticismo e acabou "espanando" e ainda hoje da indícios claros que o ego dele ainda não conseguiu superar minha "descrença", nos fatos observados por vocês.
assim haja iluminação para tanta escuridão nos egos!
A vida é cruel, nós somos cruéis.

Post edited by CRIATURO on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: ridiculo são suas criticas vazias mas , em breve estará disponivel um filme que tem tudo a ver com voce:
Percy e o mar dos monstros será em 3D não perca.


Bocejando...


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Galera, sem querer ser chato, acho que vocês estão fazendo uma abordagem infantil da questão da eternidade. Essa coisa de muitos mundos, muitos planetas, muitos universos, é de uma inocência quase trágica. O Sybok usou um numerozinho legal: 438 trilhões de vezes! É o mesmo que 438.000.000.000.000. Alguém consegue compreender um número desses? Se acha que consegue, meu parabéns, você é o iludido da semana. E o que significa esse número fabuloso, dentro desta conversa? Nada! É só um número finito frente à eternidade. E se acrescentássemos 438 trilhões de ZEROS ao número anterior? Alguém ainda acredita que pode compreender algo tão absurdo?

na verdade a Eternidade é uma idéia de tempo a parte do que temos como tempo. É um conceito humano que não influi no tempo da realidade. As coisas tem um tempo de vida, nada é tão eterno pelo que se vê. Tudo se transforma.

Post edited by Percival on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Sybok disse:
A existência de uma ilusão criada pelo ego é observável a qualquer um, assim como o fato de que tais ilusões possam ser removidas, mas isso não é algo que eu possa tirar uma foto e postar aqui, é algo que está dentro de você e que você teria que ver por si próprio.


Mas como você sabe que o que você vê significa o que você pensa que significa?

Eu já tive sonhos lúcidos. Em alguns, eu até mesmo sabia que estava sonhando e dali a pouco iria acordar. Na verdade pode ser que eu sonhei saber estar sonhando, mas é difícil encontrar a diferença. (risos)

Uma pessoa com tendências espiritualistas poderia ter um desses com um parente morto. Não vejo como ela distinguiria de uma manifestação mediúnica. Se em determinadas circunstâncias o cérebro produzisse essa espécie de "alucinação?" fora do sono, estaria explicada muita coisa.

Então você, seguindo uma série de práticas, alcança um estado alterado de consciência. Mas e se for só isso?

Entende? E se não houver ilusão, nem ego, etc. Só seu cérebro tocando uma música diferente?

Note que eu não estou afirmando. Só perguntando.


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Percival disse: na verdade a Eternidade é uma idéia de tempo a parte do que temos como tempo. É um conceito humano que não influi no tempo da realidade. As coisas tem um tempo de vida, nada é tão eterno pelo que eu vejo. Tudo se transforma.

Pode ser, Percival. Eu não faço a menor ideia do que seja tudo isso, e não faço afirmações sobre o que não conheço. Porém, nesse esforço lógico que estamos fazendo, mero exercício especulativo, não dá para considerar plausíveis as hipóteses aventadas, supondo-se, claro, que exista essa mente eterna. A eternidade gera paradoxos poderosos e cria problemas graves, que não podem ser resolvidos com gritos de "a vida é bela, o amor é lindo". (Tô brincando, pessoal).



Post edited by Ayyavazhi on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Percival disse: na verdade a Eternidade é uma idéia de tempo a parte do que temos como tempo. É um conceito humano que não influi no tempo da realidade. As coisas tem um tempo de vida, nada é tão eterno pelo que se vê. Tudo se transforma.

É só uma inferência lógica.

Se há coisas observáveis que duram por um determinado tempo, sendo: pouco tempo, médio tempo, muito tempo, muitíssimo tempo, etc., e usamos até a linguagem matemática para simbolizar isso, podemos inferir que poderiam existir coisas que duram para sempre, à partir de um início se estendendo para sempre, ou desde sempre.

Tempo é movimento, podemos especular uma espécie de oscilador eterno isolado.
Partículas isoladas, se nunca interagirem com nada, serão eternas.
A energia do vácuo quântico é algo que se especula como sendo eterna.
Mesmo no nosso mundo, nosso domínio, as coisas só parecem se transformar, a energia sempre se conserva, eterna.
Seja la o que for que seja o elemento mais fundamental que suporta a existência, tem que ser eterno.

Coisas ou informações não podem surgir do nada absoluto, logo se há coisas e informações, elas só podem existir à partir de um suporte fundamental eterno.

Nem é tão complicado assim de se entender.


agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Pode ser, Percival. Eu não faço a menor ideia do que seja tudo isso, e não faço afirmações sobre o que não conheço. Porém, nesse esforço lógico que estamos fazendo, mero exercício especulativo, não dá para considerar plausíveis as hipóteses aventadas, supondo-se, claro, que exista essa mente eterna. A eternidade gera paradoxos poderosos e cria problemas graves, que não podem ser resolvidos com gritos de "a vida é bela, o amor é lindo". (Tô brincando, pessoal).

Nem eu faço a menor idéia. Eu me esforço! Rsrsrs!

Talvez, porque não haja mentes eternas, só eventuais.
E nisso pode-se (deve-se)incluir também a mente-mor-divina.

Ou...se tais mentes existirem, suas memórias seriam resetadas a cada novo universo que estivesse à disposição.

Ambas as opções resolvem o paradoxo do acumulo-de-informação X eternidade.

Na verdade se trata disso uma quantidade absurdamente grande de informações geradas pelos muitos universos disponíveis, que não caberiam dentro de uma mente limitada. Sim, para ser um indivíduo mental entre muitos, há que se haver algum limite. Sãos os limites que definem as coisas, inclusive mentes.


agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Hummm! Não necessariamente. Talvez eu tenha um conceito diferente para isso que a maioria denomina de "deus".

chama seres vivos de sistemas e Deus de sistema principal


Marcio disse: Bom! Se eles foram criados imortais, então são eternos para frente e efêmeros para trás?
E o espírito-mor é eterno nos dois sentidos?


Deus antes da criação era apenas consciência sem ação, movimento, portanto o tempo para Deus não existia ele era desde sempre.

a partir da sua divisão criou em si mesmo vários níveis de consciências, causando um desequilíbrio intencional passando a gerar, ações ,movimento criando o tempo apenas para suas consciências menores, ou seja o tempo existe para o espirito a partir da sua criação para frente é a eternidade.
Resumindo para a maior parte da consciência divina o tempo não existe, pois sua existência é desde sempre, para nós consciências menores de Deus, o tempo começa a partir da nossa criação e perde-se na eternidade.
os espiritos são inexistentes para antes da sua criação e existentes a partir da criação efeito da ação, movimento e tempo Deus.



Ayyavazhi disse: Você tem carta branca para falar em meu nome. Principalmente neste assunto em particular.

nem precisava dizer isto né?


agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: É que o silêncio é tão tedioso! Rsrsrsrs!

sim! o paraiso do silencio deve ser mesmo infernal...ha.ha..ha.ha


agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: CRIATURO disse: 50% manteve-se onisciente
25% tornou-se ignorante(humanos)
25% mecânico (leis físicas)

Se quiser ficar com raiva, fique.

Você estraga nossa conversa. E o exemplo acima nem é a pior de suas viagens.

não leve tudo isso 100% na credulidade, essa proporção é só para ilustrar o conceito da ideia.
Fique a vontade para divergir que isso não me irrita,nem me ofende muiot pelo contrario.
Também espero que você consiga tolerar minhas divergências na boa, se não for possível paciência.


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Saudações Ayyavazhi

Saudações aos demais participantes


Ayyavazhi disse: Tenho certeza de que há um porquê. As tartaruguinhas serviram apenas para me ajudar a criar a imagem pretendida. Por mais que elas sigam algum plano natural perfeitamente estabelecido, não é precipitado deduzir que não possuem consciência do que estão fazendo (consciência como nós, humanos, teríamos ao fazer uma escolha)

Ayya, assim como falou, elas(tartaruguinhas) seguem somente os instintos naturais, registros do ponto de partida/volta, creio que na verdade todos temos essas “bússolas” instintivas.
Então é natural que elas façam sempre o mesmo fluxo, sem questionar, sem pestanejar, sem mudar a trajetória, para elas é tão simples, no final acho que será para todos tbm, o diferencial é que criamos nossas telas e tentamos “contar/avançar” no espaço que há entre nós e o “mar”.



Ayyavazhi disse: “Conhecerás a Verdade e ela vos libertará” não diz respeito a escolher esta ou aquela doutrina, entre inúmeras existentes. Poderia resumir dizendo que diz respeito a abandonar todas, mas isso suscitaria muitas especulações.


Sim, o “niilismo” e o retorno do “exílio” é uma prática comum para mim, porém, não posso deixar de apontar que “Liberdade não se resume em saber a verdade”...
É mais ou menos como vc falou para a Sal, se alguém que tentar meditar desconhece a importância de escutar o silêncio, talvez seja por simplesmente não ter aprendido a controlar a respiração, ficará disperso sem saber o “Gatilho inicial”...
Esvaziar não é um processo tão simples assim, requer treino e observância na própria respiração no próprio ritmo...



Ayyavazhi disse : Podemos especular, é nosso direito, mas não temos acesso a esse tipo de informação. Não sabemos o que um possível Deus pensa ou deseja, e não conhecemos o propósito de nossa existência, além da incipiente tentativa de transformá-la em aprendizado, crescimento, evolução e afins.

Ayya, entendo e concordo que somos muito arrogantes na prática desses exercícios de especulação, porém, imagine, se tens um tempo que é teu uma dádiva tua, por qual motivo renegarias seguir correndo para o mar?
O que isso te impediria de uma vez seguir tua intuição(id).



Ayyavazhi disse: A observação produz conhecimento e o conhecimento nos alimenta.

A não ser que tudo isso seja ilusão...




A palavra Ilusão para mim, não passa de um signo para os sentidos “entorpecidos”.
Assim como vc falou sobre os exemplos bíblicos que te dei, a ideia de ilusão pode ser somente mais um entrave para nos tornar mais longe do nosso observável.


Bom falar com vc.


Abraços fraternos a ti e a todos
Silvana
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:49

Post edited by Silvana on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Saudações Sybok

Saudações aos demais participantes



Sybok disse: Sim Silvana, definitivamente esse processo não se limita ao intelecto, mas entra no campo das nossas emoções de desejos.
O próprio apego que as pessoas tem as suas crenças mostra bem isso. As imagens que criamos do mundo conduzem em grande parte o nosso emocional, assim como são reflexo dele.


Sybok, isso para mim tem sido um dos maiores obstáculos/entraves, conseguir separar o reflexo da imagem, exatamente nessa ordem.

Te digo é um exercício e tanto...


Sybok disse: As coisas estão na verdade de ponta cabeça, o processo é praticamente o inverso do que percebemos.
É como quando uma roda com raios gira muito rápido em uma direção e isso cria a ilusão de que ela gira na direção oposta. A direção na qual realmente seguimos é na verdade oposta aquela "percebida" pelas pessoas.

Sybok, o esvaziamento que falas eu consigo entender, é como caminhar pelo “insólito” sem querer nenhuma alegoria/bagagem para essa viagem...

Menino, isso tem outro nome para a maioria, não seria mais como uma utopia?!


Abraços fraternos a ti e a todos
Silvana


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Saudações Criaturo

Saudações aos demais participantes


Criaturo disse: Beleza de exemplo pratico, Silvana fiquei impressionado com sua lucidez fora do corpo, tive uma experiência parecida porem bem abaixo do seu nível de lucidez, (...)

Criaturo, há movimentos meus no “mundo espiritual” que se eu falasse à maioria ficaria me achando uma ”lúcida” pronta para ser escritora de contos fantásticos... rs

É que vc e o pessoal daqui são simpáticos comigo, já passei por cada situação que nunca te contaria... rs

Esses momentos me custam algum esforço e perdas no campo fisiológico e emocional, é complicado para a maioria entender essas coisas, se eu mesma as vezes fico sem vontade nenhuma de falar sobre o assunto dessas minhas incursões no digamos: insólito...

Porém, te digo se tu és compelido a ir nesses locais, vá e não tenhas medo, pois não é legal deixar de desenvolver...


Abraços fraternos a ti e a todos
Silvana

Post edited by Silvana on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Saudações Salgueiro

Saudações aos demais participantes



Salgueiro citou: Silvana disse: Sal, se me permite tentarei dar um exemplo que vivi com pessoa estimada no mundo espiritual...


Salgueiro disse: À vontade.


Menina sempre simpática. 

Obrigada por sua acolhida desde o inicio.



Salgueiro citou: Silvana disse: Se vcs me perguntarem se ela mereceu o tempo em que esteve naquele lugar, digo que por mim ela não teria passado tempo nenhum lá, ela já havia sofrido em vida por seu ato, chorava e se penalizava pelo que havia feito, fez isso por anos a fio...


Salgueiro disse: É o entendimento do perdão, no caso a ela própria.


Seguindo o que o Sybok falou, esse local em que ela(minha amiga do exemplo anterior) ficou foi justamente para se esvaziar...


Abraços fraternos a ti e a todos
Silvana

Post edited by Silvana on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Se há coisas observáveis que duram por um determinado tempo, sendo: pouco tempo, médio tempo, muito tempo, muitíssimo tempo, etc., e usamos até a linguagem matemática para simbolizar isso, podemos inferir que poderiam existir coisas que duram para sempre, à partir de um início se estendendo para sempre, ou desde sempre.

O que indica que não é necessariamente eterno, o que for um acontecimento eterno são as mudanças.


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse:
apesar de concordar com a realidade dessa sua convicção, antipaticamente volto a chamar sua atenção que este tipo de fatos observáveis ainda não podem ser comprovado cientificamente, assim esse seu conhecimento ainda esta classificado no mesmo patamar das hipóteses espiritas.


Não, não está.
Existe uma grande diferença entre uma hipótese puramente racional e que dependa de fé por não ser falseável, e aquilo que pode ser observado e comprovado pessoalmente e que está inclusive sujeito ao estudo cientifico.

CRIATURO disse:
sybok disse:Ele poderia ter dito "faço, logo existo", ou ainda "Ando, logo existo" e o argumento teria dado na mesma, pois se posso fazer algo, então eu realmente existo
Antes da criação o tempo , ação e movimentos não existiam mas, Deus ja existia desde sempre.
o sentimento é o principio da consciência e o desejo é o inicio da razão do ser "eu" e não o outro.

Criaturo, isso não tem nada a ver com o assunto discutido por Descartes.
Ele não tentou explicar a origem da existência, mas dar uma prova da própria existência que lhe permitisse conhecer uma verdade inegável.
Ele também poderia ter dito: "mijo e cago, logo existo".
Percebe que o teor da discussão é outro?

O "Penso, logo existo" não é uma resposta a pergunta: "Qual a origem da existência?".
Ele é uma resposta a pergunta: "Posso provar que eu existo e ter isso como uma verdade inegável?".
Você está falando sobre algo não relacionado ao "penso, logo existo" de Descartes, está debatendo a orgiem da existência, que é um assunto diferente do debatido por Descartes quando criou tal sentença.

CRIATURO disse: Justamente poderia me valer dos seus mesmo recursos para refutar a sua acusação que as minhas hipóteses espirituais como reencarnação, vida após a morte, manutenção da identidade,comunicação e ação dos espíritos neste mundo possam e devam ser consideradas uma Teoria de uma verdade inegável baseado em fatos observáveis, de psicografias, aparições,sonhos, previsões do futuro..etc
Mas fatos pessoais nunca poderão ser considerados como provas cientificas, pois tratam-se de coisas subjetivas ,mesmo quando compartilhadas por visões e experiências de outras pessoas "afins".
O valor para sua ideia da iluminação da consciência x ilusão do ego e para minhas idéias espirituais pós morte (doutrina Espirita Kardecista),embora que experiências próprias nos levam no intimo do nosso ser a acreditarmos serem verdadeiras, livre de pré conceitos ja enraizados deveríamos honestamente considera-las apenas como hipóteses ainda não comprováveis cientificamente.


Não Criaturo.
O que você não percebe é que entre todas as coisas existem inúmeras diferenças.
A ciência começa trabalhando com hipóteses, DESDE que sujeitas a investigação factual e a observação.

O problema das suas hipóteses é serem 100% racionais e sem capacidade de investigação.
Não se pode investigar o "antes da existência e da criação humana", nem o "depois da morte".

Já isso que eu falo não é nem uma coisa nem outra, falo sobre um fato observável, não sobre uma hipótese 100% racional e falo sobre algo sujeito a investigação factual e acompanhamento cientifico, mas que por hora cientifico não teve tal estudo realizado.


CRIATURO disse: um processador sem programas operacionais instalados em memória externas não pode executar nenhuma instrução.
Dispositivos com processadores só precisam processar dados, não tem sempre necessidade de armazená-los, assim como dispositivos feitos para armazenar dados só tem isso como função e vem dela a sua utilidade.
CRIATURO disse: voce afirma com conhecimento de causa fatos observáveis que eu ainda não experimentei, fica muito inconsistente apenas imaginar como seria existir sem pensar ? imagino que deva ser tão bom quanto ou melhor do que voce diz, porem para mim ainda fica muito difícil poder conceber como processaria tal coisa.

A questão é que você não precisa ficar sem pensar para saber e poder perceber que pensamento, memoria e consciência são coisas distintas.
Você pode observar isso ao olhar para uma arvore cheia de folhas e notar que você não tem que pensar sobre cada uma delas.
O pensamento é essa vozinha que fala na nossa cabeça, ela não fala sobre cada folha da arvore, apenas "vemos" elas sem que o pensamento tenham qualquer participação nisso.

É só uma questão de ordenar melhor suas próprias ideias e observar melhor sua própria mente.
O mesmo vale para a memoria, não acessamos elas o tempo todo e ainda assim estamos sempre conscientes, e quando alguém perde a memoria, não perde a consciência.

O exemplo do processador e do HD também ilustram bem as diferenças entre tais funções e isso independe se você acha que essas coisas separadas são ou não uteis, o fato em discussão não é a utilidade, mas o fato de serem coisas DISTINTAS.


CRIATURO disse: O desejo a intenção de se querer fazer o bem ou o mal, não é apenas uma ilusão do ego, é uma parte de Deus desejando sentir-se livre na forma humana.
Você está iludido sobre isso.
CRIATURO disse: Como olhar dentro de si continua sendo subjetivo a interpretações pessoais, mesmo que verdadeiro seu conhecimento ainda sera classificado de hipotético
Fatos observáveis são simplesmente fatos. Observamos o Sol, isso é um fato.
A forma como tentamos "explicar" os fatos é que estão sujeitas a duvidas e partem de hipóteses e podem resultar em teorias.
É aqui que diferenciamos hipóteses puramente racionais e não falseáveis, daquelas que se baseiam em fatos e são falseáveis.

Agora, os fatos existem por si só, independente de nossas explicações.
Fatos como a ilusão e o ego são simplesmente fatos observáveis como o Sol, não hipóteses ou teorias.

CRIATURO disse: Assim sua causa é tão hipotética quanto qualquer fenômeno espirita e da mesma forma foram observados também por pessoas diferentes.
A diferença está na capacidade compartilhada de observação e investigação.

Existem também fatos observáveis não sujeitos a investigação, que seriam ainda uma outra categoria não discutida.
Por exemplo, se Deus aparece pra duas pessoas e mostra algo a elas, isso não estaria sujeito a investigação, seria o que se chama de "revelação".
Ainda um "revelação" não falseável, é algo que difere de hipóteses 100% racionais fruto do uso da "imaginação" pura, assim como difere das coisas observáveis e falseáveis.

Mas fica claro que você não parece entender as diferenças das coisas, você mistura tudo em "cientifico" e "não cientifico", sem perceber que existe o "filosófico", o "revelado", o "pessoalmente comprovado", etc...

CRIATURO disse: ok voce esta certo, agora só preciso que você me confirme que este seu conceito é valido para tornar da doutrina espirita também mais uma Verdade Inegável ? Baseada com nos depoimentos pessoais de fatos pessoais tambem observados por outros?

Qual o meio de verificação?
Como eu posso observar o mesmo que tais espiritas observaram, para comprovar pessoalmente que eles não estão confundindo as coisas?
A existência de um meio de verificação é o que diferencia uma coisa da outra.

No caso do "conhecimento" espirita ao qual você se refere, você ainda deveria separar o que são as hipóteses do que é conhecimento revelado.
Revelação tem que ser uma coisa diretamente vista por você e com meio de saber que tal coisa é mesmo um fato e não uma alucinação. (a dor do parto da sua esposa é um bom exemplo de "revelação", pois é um fato que você pode ter confirmado, mas que terceiros não tem meios de verificar)
Já as "hipóteses" puras são essas suas ai fruto somente da imaginação.


CRIATURO disse: bom o principal motivo desta aparente divergência o tempo todo foi eu estar me referindo a um tipo de ilusão e voce de outra.
Exato.

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Inseto disse: Mas como você sabe que o que você vê significa o que você pensa que significa?

Eu já tive sonhos lúcidos. Em alguns, eu até mesmo sabia que estava sonhando e dali a pouco iria acordar. Na verdade pode ser que eu sonhei saber estar sonhando, mas é difícil encontrar a diferença. (risos)

Uma pessoa com tendências espiritualistas poderia ter um desses com um parente morto. Não vejo como ela distinguiria de uma manifestação mediúnica. Se em determinadas circunstâncias o cérebro produzisse essa espécie de "alucinação?" fora do sono, estaria explicada muita coisa.


Não existe quase nada, além da própria existência, que um individuo sozinho possa saber ser real.
É por isso que o solipsismo é irrefutável e por isso que nenhum nós tem como saber se estamos realmente acordados ou somente dormindo.

Tomamos a existência dos outros por certa e tomamos nossa capacidade de ver as mesmas coisas, como parâmetro para distinguir o verdadeiro do falso.
Temos o Sol e a lua como fatos, por termos todos compartilhada a visão de tais objetos.
Então a confirmação alheia é o parâmetro que todos usamos para separar o que é real do que é alucinação.

Infelizmente nem tudo é objeto "externo", temos também objetos internos cuja investigação é um pouco mais complicada, mas ainda assim, por sermos semelhantes, usamos do mesmo parâmetro.
Todos podem sentir dores diversas, incluindo dor de cabeça, então sabemos que: "dores de cabeça são reais".
Todos podem "sonhar", então sabemos que "pessoas sonham".
Veja que aqui podemos até divergir na explicação.

Talvez para alguns, sonhos sejam "explicados" como universos paralelos, enquanto para outros a "explicação" mais obvia é de que são imagens falsas criadas pelo cérebro.

Ainda assim, os sonhos em si são fatos observáveis, independente de como explicamos tal fato.

Dito isso posso responder suas perguntas:


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:50


Inseto disse:
Então você, seguindo uma série de práticas, alcança um estado alterado de consciência. Mas e se for só isso?

Tal estado alterado de consciência é um fato observável e verificável.
Diferente de um sonho que todos por padrão já podem observar, esse estado precisa de certas praticas para ser atingido, mas muitos através de tais praticas atingem e confirmam que ele existe.

Então não só o fato deu observar tal estado me diz que ele existe, mas também tenho a confirmação alheia de pessoas dizendo o mesmo: "Pratiquei tal coisa e atingi tal estado".
A grande questão aqui é que esse estado é mais "desperto", ficamos mas acordados do que estamos agora, ficamos com maior capacidade mental.

Inseto disse:
Entende? E se não houver ilusão, nem ego, etc. Só seu cérebro tocando uma música diferente?

Veja que o que chamamos de "ego" é na verdade a razão.
Você pensa? Isso é o ego.
O ego é um fato que você pode observar pessoalmente nesse exato momento... basta "pensar".
Nós chamamos de ego mais especificamente a forma como o pensamento funciona agora, o fato de estarmos "pensando" o tempo todo sem nunca deixar a mente em silencio e sem pensamentos.

O fato que talvez você desconheça é a capacidade de suprimir o pensamento e ficar SEM pensar durante muito tempo, até mesmo dias inteiros.

Parte da ilusão você também pode ver agora mesmo, olhe para um crente e olhe para nossos antepassados caçando bruxas.
A ilusão a que nos referimos é essa, ela é objetiva e visível por qualquer um, o que você não pode ver e saber é a real intensidade e extensão dessa ilusão, e talvez não saiba que você mesmo está tão iludido quanto estavam os moradores de Salém que caçavam bruxas (ou talvez saiba racionalmente, mas sem entender a profundidade disso).

Ou seja, você pode ver mais facilmente a ilusão afetando a mente alheia, mas dificilmente poderá ver a própria ilusão.

Ao parar o pensamento e atingir esse outro estado isso se torna possível, o que significa ver melhor a intensidade e extensão da ilusão e ver não só a ilusão alheia, mas ver como ela afetava a sua própria mente. Quando você remove a própria ilusão, pode ver que estava iludido e o quanto.

Agora ok.
Como saber se não é o contrario? Se não nos iludimos ao atingir esse estado e nos enganamos achando que estávamos iludidos agora?
Só comparando os dois estados e confirmando com a percepção dos outros que fizeram o mesmo, comparando com o que os outros viram.

Quando duas pessoas tomam LSD tem alucinações diferentes e quando o efeito passa, as alucinações somem.
Quando duas pessoas atingem esse estado, observam as mesmas coisas e quando voltam ao estado de vigília, continuam sendo capazes de observar muito do que viram, simplesmente por agora saberem para onde olhar e o que procurar.

Ou seja, é um fazer de "observação" direta e também de confirmação da observação alheia.
Mas é andar na corda bamba, já que o número de pessoas observando isso é reduzido e pelo fato disso não ter ainda o devido escrutínio da ciência.
Eu por exemplo só tenho acesso a textos de defuntos falando sobre isso e o único humano vivo com quem já pude conversar sobre isso é o Ayya, tem ai uns vivos desconhecidos mundo a fora que também falam sobre o assunto, os criadores do filme Matrix são um bom exemplo, mas não os conheço nem tenho acesso a falar com eles.

Definitivamente não é como discutir sobre o Sol e a Lua, mas também não é como debater hipoteticamente sobre vida após a morte. É algo no meio do caminho.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Silvana disse: Criaturo, há movimentos meus no “mundo espiritual” que se eu falasse à maioria ficaria me achando uma ”lúcida” pronta para ser escritora de contos fantásticos... rs

É que vc e o pessoal daqui são simpáticos comigo, já passei por cada situação que nunca te contaria... rs


é uma pena sou todo ouvidos pra adquirir novos conhecimentos neste sentido oculto, quando sentir vontade podemos trocar idéias de um maneira privada aqui mesmo por MP.


Silvana disse: Porém, te digo se tu és compelido a ir nesses locais, vá e não tenhas medo, pois não é legal deixar de desenvolver...

normalmente só tenho sonhos mecânicos do tipo nada haver com nada,mas os que são mais lúcidos eu guardo a maioria na minha memória.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Veja que o que chamamos de "ego" é na verdade a razão.
Você pensa? Isso é o ego.


Caraca Sybok!! Espero que essa seja uma epifänia recente porque meus neurönios chegaram a temperatura máxima à toa.


agosto 2013 Sinalizar0
Silvana disse: Obrigada por sua acolhida desde o inicio

De nada menina


Silvana disse: Seguindo o que o Sybok falou, esse local em que ela(minha amiga do exemplo anterior) ficou foi justamente para se esvaziar...

Sim.


agosto 2013 Sinalizar0



sybok disse: Não, não está.
Existe uma grande diferença entre uma hipótese puramente racional e que dependa de fé por não ser falseável, e aquilo que pode ser observado e comprovado pessoalmente e que está inclusive sujeito ao estudo cientifico.


segundo essa sua afirmação os fatos espiritas observáveis também poderiam ser considerados como uma teoria ao invés de simples hipóteses baseadas apenas na fé.



sybok disse: Ele também poderia ter dito: "mijo e cago, logo existo".
Percebe que o teor da discussão é outro?


ele quis dizer que não ha seres onde não exista pensamentos, apenas existências


sybok disse: O que você não percebe é que entre todas as coisas existem inúmeras diferenças.
A ciência começa trabalhando com hipóteses, DESDE que sujeitas a investigação factual e a observação.

O problema das suas hipóteses é serem 100% racionais e sem capacidade de investigação.
Não se pode investigar o "antes da existência e da criação humana", nem o "depois da morte".

Já isso que eu falo não é nem uma coisa nem outra, falo sobre um fato observável, não sobre uma hipótese 100% racional e falo sobre algo sujeito a investigação factual e acompanhamento cientifico, mas que por hora cientifico não teve tal estudo realizado.

Vamos por os pingos nos i:
eu deixei bem claro que não estou comparando a sua "teoria da iluminação humana" não em relação minhas hipóteses e conjecturas a respeito da criação humana , fatos impossível de serem observados e comprovados na pratica.
Eu estou apontando para o fato de voce esta considerando a sua hipótese da iluminação humana, baseado nos seus fatos observáveis como se fosse um verdade inegável de um teoria ja comprovada.

E preconceituosamente querer rebaixar a Doutrina Espirita apenas a uma hipótese, sendo que ela se baseada nos mesmos moldes do seu argumentos prol teoria da iluminação, ou seja em fatos observáveis construindo uma verdade inegável da comunicação entre mortos e vivos ser possível de ser observada.
Assim a sua teoria da iluminação é tão provável quanto a verdade inegável da Doutrina Espirita, a qual você também deveria estar classificando como uma teoria e não uma mera especulação de afins.


sybok disse: CRIATURO disse: um processador sem programas operacionais instalados em memória externas não pode executar nenhuma instrução.
Dispositivos com processadores só precisam processar dados, não tem sempre necessidade de armazená-los, assim como dispositivos feitos para armazenar dados só tem isso como função e vem dela a sua utilidade.O exemplo do processador e do HD também ilustram bem as diferenças entre tais funções e isso independe se você acha que essas coisas separadas são ou não uteis, o fato em discussão não é a utilidade, mas o fato de serem coisas DISTINTAS

Neste seu exemplo do processador x memoria um foi feito para o outro, assim como memoria foi feita para consciência e separados elas perdem a função do conjunto e sozinhas tornam-se inúteis.
volto a insistir que ambos só trabalham em conjunto assim como espirito e matéria
a unica forma de você inserir dados com instruções em um processador é fazendo ele ler tais informações em algum tipo de memória, no caso dos microcomputadores Pc's instruções primarias como mensagens iniciais no vídeo são lidas nas memória Eprom, relógio real e configurações de Setup da maquina.
a próxima rotina todo o conteúdo da memória HD, ou seja o sistema operacional(Windows, android, mac , linux) instalado na maquina é transferido para outro tipo de memória volátil RAM , onde finalmente poderá ser lido e interpretado pelo processador que só então conseguirá executar os tais programas compatíveis com ele.
Perca essa memória e o processador fica inutilizável, perca o processador essas memórias ficaram ociosas.
Então querer usar esta comparação para apoiar a possibilidade da sua consciência (processador) conseguir funcionar sem a existência de memória neste caso não foi uma ideia muito lógica.
Provavelmente a sua lógica esta mais para o software do que para o hardware.


sybok disse: A questão é que você não precisa ficar sem pensar para saber e poder perceber que pensamento, memoria e consciência são coisas distintas.
Você pode observar isso ao olhar para uma arvore cheia de folhas e notar que você não tem que pensar sobre cada uma delas.


não é tão simples assim, existe uma diferença muito grande entre saber e ter consciência é algo maior que passa fazer parte do ser.
quem fuma sabe que isto é errado mas acredita que também é bom, quem deixa de fumar passou a conscientizar-se que fumar não é bom, Quem nasce não desejando fumar , é porque ja possui esta consciência no seu ser, que fumar não é bom .
E esta analogia é valida também para outros conceitos morais.
no caso da arvore consciência dela só pode ser valida para seres que possuem memórias da razão anterior a ela, ou seja uma fez feita a primeira ação o cérebro registra o processo todo na memória como uma sub rotina, a próxima vez que olhamos pra arvore ele automaticamente nos fornece a informação que aquilo é uma arvore, dispensando a necessidade de termos que raciocinar sempre a mesma coisa quando avistarmos uma arvore.
Sem a faculdade da memória seriamos retardados mentais ou seja para executarmos ações simples e repetitivas do dia dia como escovar os dentes, toda vez gastaríamos horas raciocinando todo o processo e principalmente o porque de termos que executar aquela ação.
Alem do instinto, por exemplo da ações involuntárias onde uma vez sentindo a presença do fogo sem precisarmos raciocinar o porque disto , basta algo quente se aproximar que o corpo ja possui o reflexo(raciocínio pré programado, condicionado, ou auto programado) de pular para longe.
Mas sem a primeira conscientização do perigo do calor teríamos retardado este reflexo condicionado.


sybok disse: É só uma questão de ordenar melhor suas próprias ideias e observar melhor sua própria mente.
O mesmo vale para a memoria, não acessamos elas o tempo todo e ainda assim estamos sempre conscientes, e quando alguém perde a memoria, não perde a consciência.

acredito que o cérebro físico sempre é obrigado a recorrer a memória,mas neste caso existem diferentes tipos de processo:
Sub rotinas (adultos), um pre raciocínio com um processo ja definido para executar alguma ação
Função: economizar tempo energia e poupar alguns neurônios.( escovar os dentes é um bom exemplo disso).
inserir nova informação(criança): o cérebro será obrigado a consultar vários elementos mais simples registrados na memória, a pasta , a escova, água
, movimentos necessários depois de muito tempo praticando o cérebro finalmente registrará todo esse processo na memória das sub rotinas, que da próxima vez sera executada automaticamente e não no passo a passo da primeira conscientização.

Acredito também existir a eterna memória da alma a partir do primeiro minuto da conscientização primeiro desejo do ser"eu", obviamente o grau de recordação é inversamente proporcional ao tempo da criação.
a memória da alma poderá estar pré programada a fornecer apenas informações necessárias a possibilitar a execução de missão de vida pre programada pelos espíritos responsáveis pela reencarnação,
Isto explicaria como crianças super dotadas conseguem apresentar um grau de conhecimento muito alem do seu tempo de vida na terra,e outras que afirmam ter lembranças de vidas passadas.

podemos ainda compartilhar de conhecimentos,memórias ou consciências, que não são nossas e sim induzidas externamente, a este tipo de consciência sem memória eu chamo de IIntuição: consciência sem raciocínio= ligação com mundo espiritual, ou no minimo acesso a memória pre reencarnação.


sybok disse: CRIATURO disse: O desejo a intenção de se querer fazer o bem ou o mal, não é apenas uma ilusão do ego, é uma parte de Deus desejando sentir-se livre na forma humana.
Você está iludido sobre isso.


ainda teremos certeza ou quase

....................continua


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: segundo essa sua afirmação os fatos espiritas observáveis também poderiam ser considerados como uma teoria ao invés de simples hipóteses baseadas apenas na fé.

Não, não poderiam por não existir meio de verificação.
Não estão por tanto sujeitos ao estudo.
O espiritismo lida com duas coisas, hipóteses puramente racionais e suposto conhecimento revelado, que mesmo quando são reais, não estão sujeitos a investigação.

Você pode conheces fatos através de revelação, mas não tem como fazer ciência com eles.
Isso significa que somente aqueles que receberam a revelação em primeira mão teriam conhecimento factual daquilo, o resto das pessoas só podem recorrer a crença em tais relatos que pode ser falsos.

Isso é diferente de qualquer coisa que você possa observar pessoalmente.


CRIATURO disse:
sybok disse:Ele também poderia ter dito: "mijo e cago, logo existo".
Percebe que o teor da discussão é outro?

ele quis dizer que não ha seres onde não exista pensamentos, apenas existências
Tá louco Criaturo? Ele não falou nada disso.

"Penso, logo existo", não é uma afirmação sobre a existência de seres, é só uma prova da própria existência dele.

Seria o mesmo que dizer: "Eu ando e falo, isso prova que eu existo, com isso posso ter certeza da minha própria existência".
Como dito, você está falando sobre algo desconexo.



CRIATURO disse: Eu estou apontando para o fato de voce esta considerando a sua hipótese da iluminação humana, baseado nos seus fatos observáveis como se fosse um verdade inegável de um teoria ja comprovada.

E preconceituosamente querer rebaixar a Doutrina Espirita apenas a uma hipótese, sendo que ela se baseada nos mesmos moldes do seu argumentos prol teoria da iluminação, ou seja em fatos observáveis construindo uma verdade inegável da comunicação entre mortos e vivos ser possível de ser observada.
Assim a sua teoria da iluminação é tão provável quanto a verdade inegável da Doutrina Espirita, a qual você também deveria estar classificando como uma teoria e não uma mera especulação de afins.

Não, não é Criaturo.
Primeiro que não fui eu quem começo a comparar uma coisa com a outra.

Eu falei sobre um fato observado e você tentou "refutar" tal fato observado com base nas suas hipóteses sobre como Deus nos criou.
Ou seja, não apresentei teoria nenhuma, só relatei um fato que você tentou negar com base em hipóteses sobre o que você acha que Deus é e que nós somos.

E não, a doutrina espirita como um todo faz afirmações inverificáveis.
Ela lida quando muito com conhecimento revelado e revelação não permite investigação, mesmo quando o fato revelado é real.
Eu não tratei de conhecimento revelado, mas de conhecimento observável e acessível a qualquer um.
Existe uma diferença entre uma coisa e outra.


CRIATURO disse: Neste seu exemplo do processador x memoria um foi feito para o outro, assim como memoria foi feita para consciência e separados elas perdem a função do conjunto e sozinhas tornam-se inúteis.

E eu volto a lhe dizer que você está enganado Criaturo, não importa se tais peças trabalhem juntas ou não, o fato é que são coisas distintas e é isso o que estávamos discutindo.
Por exemplo, computadores não dependem de processadores gráficos (UGPs), podem muito bem existir sem eles, muito embora UGPs sejam ferramentas uteis para fins específicos, são uma coisa distinta.

O mesmo ocorre com consciência, razão e memoria. E como já foi dito, funcionamos muito melhor quando a razão não tagarela o tempo todo.
A razão é como uma UGP, ela só é usada em momentos específicos e deve ficar quieta o resto do tempo, tanto quanto as UGPs ficam sem uso quando estamos lendo nossos emails.


CRIATURO disse: não é tão simples assim, existe uma diferença muito grande entre saber e ter consciência é algo maior que passa fazer parte do ser.
quem fuma sabe que isto é errado mas acredita que também é bom, quem deixa de fumar passou a conscientizar-se que fumar não é bom, Quem nasce não desejando fumar , é porque ja possui esta consciência no seu ser, que fumar não é bom .

Você está mais confuso do que eu poderia supor.
Agora você está misturando consciência com "entendimento" ou como você diz, "conscientização".
Estar consciente, não tem relação nenhuma com "conscientização" moral.

Estar consciente de algo Criaturo, é simplesmente "observar" algo, você não precisa "entender" o que observa nem moralizar o que vê.

Quando você vê seu mouse você está "ciente" dele.

CRIATURO disse:
no caso da arvore consciência dela só pode ser valida para seres que possuem memórias da razão anterior a ela, ou seja uma fez feita a primeira ação o cérebro registra o processo todo na memória como uma sub rotina, a próxima vez que olhamos pra arvore ele automaticamente nos fornece a informação que aquilo é uma arvore, dispensando a necessidade de termos que raciocinar sempre a mesma coisa quando avistarmos uma arvore.

Não, claro que não Criaturo.
Se fosse assim nunca poderíamos ver algo pela primeira vez.

Quando você vê uma arvore pela primeira vez, já fica "ciente" dela e de cada uma de suas folhas, não precisa "raciocinar" sobre elas, nem precisa "saber" que aquilo é uma arvore.

Você não entende se quer o que está sendo dito quanto eu digo "estar ciente" de algo, você mistura poder "observar" algo, com ter "entendimento" conceitual e moral sobre esse algo.

Como dito, você não ordena seus pensamentos, não separa conceitos e não busca se quer entender as diferenças entre essas funções.
A conversa fica impossível assim.
Você tem que no mínimo saber a diferença entre "ver" e "pensar".


CRIATURO disse: Isto explicaria como crianças super dotadas conseguem apresentar um grau de conhecimento muito alem do seu tempo de vida na terra,e outras que afirmam ter lembranças de vidas passadas.

podemos ainda compartilhar de conhecimentos,memórias ou consciências, que não são nossas e sim induzidas externamente, a este tipo de consciência sem memória eu chamo de IIntuição: consciência sem raciocínio= ligação com mundo espiritual, ou no minimo acesso a memória pre reencarnação.


Você não ordena os próprios conceitos e pensamentos, nem a ponto de entender a diferença entre ver e pensar, mas acha que pode imaginar e questionar sobre mundo espiritual e "memorias pré reencarnação".

É por isso que as vezes você se perde e viaja completamente na discussão e no que está sendo dito.

Você se apressa muito em querer "explicar" as coisas, e se dedica muito pouco a observá-las para tentar compreendê-las.


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Caraca Sybok!! Espero que essa seja uma epifänia recente porque meus neurönios chegaram a temperatura máxima à toa.

Não é nada diferente daquilo que vem sendo dito até agora, que o ego trata-se do atual funcionamento da nossa mente que tagarela o tempo todo sem controle.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:51





agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Não é nada diferente daquilo que vem sendo dito até agora, que o ego trata-se do atual funcionamento da nossa mente que tagarela o tempo todo sem controle.

Nada diferente? Sei.

Então matar o 'ego' seria matar a razão.


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Nada diferente? Sei.

Então matar o 'ego' seria matar a razão.


Seria matar o atual funcionamento dela.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Seria matar o atual funcionamento dela

Ok.


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
.
Post edited by CRIATURO on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Fatos observáveis são simplesmente fatos. Observamos o Sol, isso é um fato.
A forma como tentamos "explicar" os fatos é que estão sujeitas a duvidas e partem de hipóteses e podem resultar em teorias.
É aqui que diferenciamos hipóteses puramente racionais e não falseáveis, daquelas que se baseiam em fatos e são falseáveis.

Agora, os fatos existem por si só, independente de nossas explicações.
Fatos como a ilusão e o ego são simplesmente fatos observáveis como o Sol, não hipóteses ou teorias.


a nossa questão resumi-se a: eu não vejo o que isso defere para os fenômenos espiritas também observados, por que os seus fenômenos observados podem fazer da sua hipótese uma teoria comprovada e o fenômenos espíritas não ?Qual o motivo do seu pre conceito ? Os fatos observados que contraíram a sua crença voce desclassifica como falsos ?


sybok disse: Qual o meio de verificação?
Como eu posso observar o mesmo que tais espiritas observaram, para comprovar pessoalmente que eles não estão confundindo as coisas?
A existência de um meio de verificação é o que diferencia uma coisa da outra.

No caso do "conhecimento" espirita ao qual você se refere, você ainda deveria separar o que são as hipóteses do que é conhecimento revelado.
Revelação tem que ser uma coisa diretamente vista por você e com meio de saber que tal coisa é mesmo um fato e não uma alucinação. (a dor do parto da sua esposa é um bom exemplo de "revelação", pois é um fato que você pode ter confirmado, mas que terceiros não tem meios de verificar)
Já as "hipóteses" puras são essas suas ai fruto somente da imaginação.


da mesma forma que eu poderia também observar o mesmo que voce afirma conseguir ver, eu teria que virar uma especie de monge iniciado ao despego, até conseguir chegar a iluminação , né ?
Então para você observar fenômenos espiritas psicografia , vidência , intuição basta você começar crer e praticar, se te for permitido um dia voce conseguirá também ser iluminado por outro caminho que voce não crê ser ainda ser possível.
existem alguns centros espiritas que ensinam técnicas pra este tipo de desenvolvimento espiritual.


sybok disse: CRIATURO disse: segundo essa sua afirmação os fatos espiritas observáveis também poderiam ser considerados como uma teoria ao invés de simples hipóteses baseadas apenas na fé.

Não, não poderiam por não existir meio de verificação.
Não estão por tanto sujeitos ao estudo.
O espiritismo lida com duas coisas, hipóteses puramente racionais e suposto conhecimento revelado, que mesmo quando são reais, não estão sujeitos a investigação.

Isso é diferente de qualquer coisa que você possa observar pessoalmente.


se não me falha a memória, não foi voce que comentou que conheceu uma pessoa que conseguia ler a sua mente , tipo uma fusão ? Se não me engano era uma mulher que tenha esse poder, se não foi voce algum comentou isso.
bom voce e o seu tio, eu e minha esposa ja tivemos o prazer de podermos compartilhar a mesma dor fisica( ou espiritual vai saber), por isso sabemos que isto é possível, agora talvez desenvolvendo tecnicas de Empatia espiritual esse fenômeno pudesse ser repetido com uma maior frequência.
Existe uma ciência espiritual que ensina a captarmos memórias de espíritos deixadas em objetos e para desenvolver intuição.
Existem algumas escolas de iniciação que ensinam técnicas de desenvolvimento espiritual , meditação e até a ciência do mundo físico por uma visão mais espiritualizada, mas sempre o nosso preconceitos aliados a falta de vontade nos tornam limitados as portas do conhecimento.


sybok disse: ele quis dizer que não ha seres onde não exista pensamentos, apenas existências
Tá louco Criaturo? Ele não falou nada disso.

"Penso, logo existo", não é uma afirmação sobre a existência de seres, é só uma prova da própria existência dele.

Seria o mesmo que dizer: "Eu ando e falo, isso prova que eu existo, com isso posso ter certeza da minha própria existência".
Como dito, você está falando sobre algo desconexo.

hummm! pode ser! e mesmo que tente provar ao contrario sempre deixarei algum tipo de duvida, ô vida cruel!
Mas neste caso ele não falou nenhuma novidade, o problema é que você aceita a da possibilidade da existência de seres conscientes que não pensam (eu não...he...he..he.), na verdade quando voce se ilumina, seus pensamentos não desaparecem apenas tornam-se tão rápidos que dão impressão que estão parados.(essa foi boa heim ?), voce não deixa de pensar apenas passa a pensar em um outro estagio de consciência, talvez como nos sonhos que nos comunicamos apenas por uma especie de pensamento, isto faz parte da explicação de Xicó, não sei como isto foi só sei dizer que foi assim...
da mesma forma que não precisamos pensar para termos consciência de uma arvore, neste caso não precisamos racionar sobre algo que ja havia sido racionado anteriormente, ou seja a consciência sempre busca em algum tipo de memória referencia passadas para comparação das informações presentes, raciocínio e julgamento da realidade a qual tenta ficar consciênte, esta memória pode ser própria da vida atual, de vidas ,passadas ou ainda induzida externamente por outras consciências.


sybok disse: Eu falei sobre um fato observado e você tentou "refutar" tal fato observado com base nas suas hipóteses sobre como Deus nos criou.
Ou seja, não apresentei teoria nenhuma, só relatei um fato que você tentou negar com base em hipóteses sobre o que você acha que Deus é e que nós somos.


não tentei refutar sua teoria porque acho que ela é possível, soou como uma tentativa de refutação porque eu me referia a impossibilidade dos acabarem com a ilusão de serem homens passando a serem Deus, em quanto voce afirmava ser possível anulação de uma aparente individualidade do ego passando ao estagio de uma união universal, sem a perda da identidade própria.
Mas de certa forma independente das minhas crenças coniventes ou não, meu ego ateu sempre questionará e testará a consistências da fé alheia.
Lembra quando eu disse que voce havia desistido muito facil da sua convicção, pois é eu te dei um xeque mate onde, para não ser incoerente voce foio obrigado abdicar da sua verdade inegável e assumir a possibilidade de ser apenas mais uma ilusão do seu próprio ego.
percebi que voce ficou magoado e passou a me criticar duramente, mas faço isso penas para chamar atenção "que nada sei" tem razão e maturidade espiritual para poder reconhecer isso,caso bem diferente do seu discípulo que conflitado nos mesmo moldes espanou e ainda parece guardar magoas passadas, ô vida cruel.


sybok disse: O mesmo ocorre com consciência, razão e memoria. E como já foi dito, funcionamos muito melhor quando a razão não tagarela o tempo todo.

voce refere-se a um tipo especifico de razão, quando na verdade desliga uma e ativa outra como ja disse a luz que ilumina uma sala não tem potencia suficiente para poder iluminar a próxima, então para conhecer a próxima e acabar com a novas ilusões de la , voce terá que aprender ascender um luz interior mais potente:

resumindo a grande ilusão é achar que toda ilusão terá fim.

Post edited by CRIATURO on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Eu não tratei de conhecimento revelado, mas de conhecimento observável e acessível a qualquer um.
Existe uma diferença entre uma coisa e outra.


uma psicografia é tão observável e acessível ,quanto a sua iluminação do ego mecânico,basta você ter fé que isto seja possível e praticar muito.
continuo não vendo muita diferença.


sybok disse: Estar consciente de algo Criaturo, é simplesmente "observar" algo, você não precisa "entender" o que observa nem moralizar o que vê.

Quando você vê seu mouse você está "ciente" dele.


interessante foi eu quem disse que a consciência inicia-se a partir da percepção do sentido,sobre tudo do desejo de ser "eu".
é difícil querer visualizar consciência sem julgamentos de raciocínios


sybok disse: Quando você vê uma arvore pela primeira vez, já fica "ciente" dela e de cada uma de suas folhas, não precisa "raciocinar" sobre elas, nem precisa "saber" que aquilo é uma arvore.

isso depende do grau de memória e principalmente qual o grau de interesse que o individuo tenha em relação ao objeto visto, provavelmente se alguém visualizar um objeto que lhe é desconhecido e desinteressante, em breve tempo ele terá deletado ou então arquivado tal imagem nas casinhas mais distantes localizada dentro da sua memória, de tal forma que na maiorias dos casos em que rever o objeto afirmará ser o mesmo desconhecido por ele.
Da mesma forma quando nos é apresentado alguem muito desinteressante se no momento nossa atenção esta muito voltada para outro fator, muito provavelmente se dias depois nos for apresentado a mesma pessoa agimos inconsciente como se a estivéssemos vendo a pela primeira vez.
Mas o mais interessante é quando realmente nunca tenhamos visto alguem e ficamos com a sensação que ja nos conhecemos a muito tempo, quando ha simpatia isto é muito bom, caso contrario...deixa para la, coisa de memórias passadas quero dizer vidas.
Da mesma forma quando alguém dirigi e olha para frente com a consciência voltada para o que houve em um celular seu olhos informam o que esta vendo, mas mas a consciência parece ter desligado parcialmente o sentido da visão e se concentrado na audição e raciocínio na conversação.


sybok disse: Como dito, você não ordena seus pensamentos, não separa conceitos e não busca se quer entender as diferenças entre essas funções.
A conversa fica impossível assim.
Você tem que no mínimo saber a diferença entre "ver" e "pensar".

Se eu procurar começar a entender e ver como voce facilitaria mais ?
o problema é que temos cérebros e olhos diferentes, assim um Empatia de 100% é quase impossível.


sybok disse: Você se apressa muito em querer "explicar" as coisas, e se dedica muito pouco a observá-las para tentar compreendê-las.

olha vou seguir o seu conselho não por concordar com todos esses seus conceitos subjetivos, apenas por reconhecer que os meus também são falhos.


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Desculpem esse ímpio aqui. Eu devo estar devendo comentários ao Ayyavazhi, ao Sybok, ao Criaturo, à Sal, ao Percival, ao Erivelton. Ops! Erivelton não. Erivelton é do outro tópico.

Estou perdidinho!!!!

Post edited by Marcio on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: a nossa questão resumi-se a: eu não vejo o que isso defere para os fenômenos espiritas também observados, por que os seus fenômenos observados podem fazer da sua hipótese uma teoria comprovada e o fenômenos espíritas não ?Qual o motivo do seu pre conceito ? Os fatos observados que contraíram a sua crença voce desclassifica como falsos ?

Como já disse Criaturo, a diferença está na existência de meios de verificação.


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:52


CRIATURO disse: da mesma forma que eu poderia também observar o mesmo que voce afirma conseguir ver, eu teria que virar uma especie de monge iniciado ao despego, até conseguir chegar a iluminação , né ?

Para discutir física quântica ou para ver uma nebulosa sei lá onde, você também tem que passar anos estudando e muitas vezes precisa ter acesso a telescópios e aceleradores de milhões de dólares.

Dificuldade de investigação não importa, com tanto que exista um meio de verificação.
REVELAÇÃO e coisas que depende de FÉ, não estão sujeitas a investigação.


CRIATURO disse: Então para você observar fenômenos espiritas psicografia , vidência , intuição basta você começar crer e praticar, se te for permitido um dia voce conseguirá também ser iluminado por outro caminho que voce não crê ser ainda ser possível.
existem alguns centros espiritas que ensinam técnicas pra este tipo de desenvolvimento espiritual.

Se existe necessidade de crença então não está somente sujeito a verificação.
Idem se é necessario "permissão" de espíritos superiores.

Isso já mostra que falamos de coisas diferentes, uma vez que falo sobre o que pode ser verificado por qualquer ateu cético.


CRIATURO disse: se não me falha a memória, não foi voce que comentou que conheceu uma pessoa que conseguia ler a sua mente , tipo uma fusão ? Se não me engano era uma mulher que tenha esse poder, se não foi voce algum comentou isso.
bom voce e o seu tio, eu e minha esposa ja tivemos o prazer de podermos compartilhar a mesma dor fisica( ou espiritual vai saber), por isso sabemos que isto é possível, agora talvez desenvolvendo tecnicas de Empatia espiritual esse fenômeno pudesse ser repetido com uma maior frequência.
Existe uma ciência espiritual que ensina a captarmos memórias de espíritos deixadas em objetos e para desenvolver intuição.
Existem algumas escolas de iniciação que ensinam técnicas de desenvolvimento espiritual , meditação e até a ciência do mundo físico por uma visão mais espiritualizada, mas sempre o nosso preconceitos aliados a falta de vontade nos tornam limitados as portas do conhecimento.


Não, não fui eu e o que você tratou é assunto de conhecimento "revelado".
Revelação não permite verificação por qualquer um.
Idem coisas que dependem de uma "visão mais espiritual".

Outra coisa, existem técnicas que nos permitem ter sonhos lúcidos, isso torna a existência de sonhos lúcidos um fato verificavel, assim como é um fato a existência de técnicas que nos permitem provocar sonhos lúcidos.
Isso no entanto jamais tornaria um fato qualquer conclusão sobre a realidade dos objetos do sonhos em si, como sendo qualquer coisa além de um sonho.

Isso significa que por exemplo, mesmo que existissem técnicas onde qualquer ateu cético pudesse aprender a "ouvir vozes na própria cabeça", isso não provaria a comunicação com espíritos, pois ainda seria necessario um meio de provar que tais vozes não são somente alucinação.

Como dito, falamos sobre coisas distintas, você ainda precisa aprender a conceituar as coisas e entender as diferenças pertinentes entre elas.


CRIATURO disse: seus pensamentos não desaparecem apenas tornam-se tão rápidos que dão impressão que estão parados.(essa foi boa heim ?),
Não vou nem comentar essa asneira Criaturo...


CRIATURO disse: forma que não precisamos pensar para termos consciência de uma arvore, neste caso não precisamos racionar sobre algo que ja havia sido racionado anteriormente
Como dito, se fosse assim, você nunca seria capaz de ver nada novo, nada que nunca tivesse visto antes e raciocinado sobre.
Ver e raciocinar são coisas absolutamente distintas Criaturo.

Quando vimos uma arvore pela primeira vez, não tínhamos nenhuma memoria disso nem nenhum raciocínio guardado, ainda assim pudemos ver a arvore com cada uma de suas folhas.

Ver e pensar são processos diferentes.


CRIATURO disse: voce refere-se a um tipo especifico de razão, quando na verdade desliga uma e ativa outra como ja disse a luz que ilumina uma sala não tem potencia suficiente para poder iluminar a próxima, então para conhecer a próxima e acabar com a novas ilusões de la , voce terá que aprender ascender um luz interior mais potente:
Tipo especifico de razão?
Você continua misturando tudo. Não sabe nem a diferença entre memoria e razão e já está imaginando outros tipos de razão... Muita calma nessa hora Criaturo, que você já não está falando nada com nada.


CRIATURO disse: uma psicografia é tão observável e acessível ,quanto a sua iluminação do ego mecânico,basta você ter fé que isto seja possível e praticar muito.
continuo não vendo muita diferença.


Não, não é.
A necessidade de "fé" já mostra uma das grandes diferenças.

Agora descreva os passos ai para que eu possa comprovar a psicografia.
Essa é outra diferença.

Na psicográfica você só pode ter fé, não pode dar passos dizendo como alguém pode fazer para confirma-la.


CRIATURO disse:
sybok disse: Estar consciente de algo Criaturo, é simplesmente "observar" algo, você não precisa "entender" o que observa nem moralizar o que vê.
Quando você vê seu mouse você está "ciente" dele.

interessante foi eu quem disse que a consciência inicia-se a partir da percepção do sentido,sobre tudo do desejo de ser "eu".
é difícil querer visualizar consciência sem julgamentos de raciocínios


Criaturo, você não sabe a diferença entre consciência de razão, o que te faz pensar que sabe de onde a consciência se inicia?
Quem disse que sabe o que é o "eu"? E quem disse que a consciência inicia-se de um "desejo".
Desejos são atributos do ego e serão eliminados, não dão origem a nada além de sofrimento.


CRIATURO disse: isso depende do grau de memória e principalmente qual o grau de interesse que o individuo tenha em relação ao objeto visto, provavelmente se alguém visualizar um objeto que lhe é desconhecido e desinteressante, em breve tempo ele terá deletado ou então arquivado tal imagem nas casinhas mais distantes localizada dentro da sua memória, de tal forma que na maiorias dos casos em que rever o objeto afirmará ser o mesmo desconhecido por ele.

Veja sua confusão Criaturo.
Se o fulano vê um objeto e diz que ele é "desconhecido", então ele está ciente desse objeto mesmo sem saber o que ele é e mesmo sem nunca ter pensado sobre ele.

Não adianta você ficar ai dando voltas, pensamento não tem nada a ver com consciência.
Ver e raciocinar são coisas absolutamente distintas e realizadas por ferramentas distintas, como um processador e um HD.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Desculpem esse ímpio aqui. Eu devo estar devendo comentários ao Ayyavazhi, ao Sybok, ao Criaturo, à Sal, ao Percival, ao Erivelton. Ops! Erivelton não. Erivelton é do outro tópico.

Estou perdidinho!!!!

Não se preocupe, a essa altura estamos todos.

agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Não se preocupe, a essa altura estamos todos.

Ei !!! Agora que tö me achando, rs


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Estou perdidinho!!!!

poderia te ajudar penso que voce mora mais próximo da Crentolandia do que da Ateulandia

Post edited by CRIATURO on agosto 2013

  • Opções

CRIATURO Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Dificuldade de investigação não importa, com tanto que exista um meio de verificação.
REVELAÇÃO e coisas que depende de FÉ, não estão sujeitas a investigação.


Se o allan kardec pensasse assim não teria codificado a doutrina espirita


sybok disse: Se existe necessidade de crença então não está somente sujeito a verificação.
Idem se é necessario "permissão" de espíritos superiores.

Isso já mostra que falamos de coisas diferentes, uma vez que falo sobre o que pode ser verificado por qualquer ateu cético.


continua sendo parcial, para todo novo conhecimento precisamos ter fé que isso seja possivel, caso contrario nunca daremos o primeiro passo voluntariamente.
voce ainda não conseguiu justificar qual é a diferença entre passar anos tentando um contato espiritual praticando a psicografia e passar anos se dedicando a meditação para se atingir iluminação da consciência.
Ambas as coisas podem ser verificadas por qualquer pessoa basta ter fé e boa vontade,assim ambas devem ser classificadas com o mesmo grau de possibilidade e dificuldade .


sybok disse: Isso significa que por exemplo, mesmo que existissem técnicas onde qualquer ateu cético pudesse aprender a "ouvir vozes na própria cabeça", isso não provaria a comunicação com espíritos, pois ainda seria necessario um meio de provar que tais vozes não são somente alucinação.

Como dito, falamos sobre coisas distintas, você ainda precisa aprender a conceituar as coisas e entender as diferenças pertinentes entre elas.


interessante! mas, não é voce que prega a iluminação que cala as vozes (pensamentos)ou ilusões da sua "cabeça" ?


sybok disse: CRIATURO disse: seus pensamentos não desaparecem apenas tornam-se tão rápidos que dão impressão que estão parados.(essa foi boa heim ?),
Não vou nem comentar essa asneira Criaturo...


não tem nada de asneira nisto, asneira é voce dizer que sua consciência consegue olhar para uma arvore e que não precisa racionar para saber que é uma arvore, voce acha muito inteligente dizer que podemos ter consciência própria do mundo externo sem precisarmos raciocinar pra isso? pelo menos aqui no planeta terra o raciocínio ainda é necessário para se ter consciência de uma realidade visível a todos.
Mas voce não esta se referindo a realidade da grande maioria , não é verdade?
Seu conceitos de consciência iludida, ego, pensamentos escravizantes,mente, sentimentos tudo isso é baseado em fatos observáveis de uma verdade inegável conseguida apenas pelos seres ja "iluminados".
este é o motivo da nossa divergência enquanto eu sou só mais um escravo iludido pelo ego , voce ja é um mestre iluminado pela verdade e senhor do próprio ego.




sybok disse: CRIATURO disse: forma que não precisamos pensar para termos consciência de uma arvore, neste caso não precisamos racionar sobre algo que ja havia sido racionado anteriormente
Como dito, se fosse assim, você nunca seria capaz de ver nada novo, nada que nunca tivesse visto antes e raciocinado sobre.


tudo que é visto pela primeira vez ativa nossa consciência que passa a raciocinar e tentar entender sobre a nova realidade dessa existência , para isso ela compara informações ja registrada na memória passada, registrando nela este novo conhecimento adquirido.
Se considerarmos a eterna pluralidade da existências fica muito difícil distinguir o novo do ja conhecido.


sybok disse: Quando vimos uma arvore pela primeira vez, não tínhamos nenhuma memoria disso nem nenhum raciocínio guardado, ainda assim pudemos ver a arvore com cada uma de suas folhas.

Ver e pensar são processos diferentes.


estamos falando de consciência que é o julgamentos dos sentidos, ver não é estar consciente da existência é isto que nos diferencia dos animais, ou mesmo de consciências físicas ainda em desenvolvimento, um bebe vê objetos sem ter nenhuma consciência do que seja tais objetos.
analogamente um robô também é capaz de captar um imagem mas, se não tiver um processador para raciocinar tais informações, comparando do a com outras imagens acumuladas na sua memória, podemos dizer que a imagem captada tornou-se inconsciente para o robô e inútil para nós.


sybok disse: CRIATURO disse: voce refere-se a um tipo especifico de razão, quando na verdade desliga uma e ativa outra como ja disse a luz que ilumina uma sala não tem potencia suficiente para poder iluminar a próxima, então para conhecer a próxima e acabar com a novas ilusões de la , voce terá que aprender ascender um luz interior mais potente:
Tipo especifico de razão?
Você continua misturando tudo. Não sabe nem a diferença entre memoria e razão e já está imaginando outros tipos de razão... Muita calma nessa hora Criaturo, que você já não está falando nada com nada.

eu pensei que discutimos no âmbito dos conceitos filosóficos e subjetivos e não os convencionados pelo dicionario, ou então principalmente os convencionados pelo seu entendimento.
basta tentar diminuir um pouco da sua iluminação que ela passa a brilhar menos?
qual o problema em ter que admitir que a sua iluminação pode não ser a total nem a final, só porque afirma ter conseguido acender um fosforo em meio a escuridão do universo ja se considera um visionário do alem ?
Não digo que que não tenha sua luz própria mas, dai a dizer que ja possui potencia para iluminar qualquer dimensão não passa de uma verdadeira ilusão do seu ego que ainda não foi totalmente iluminada .


sybok disse: CRIATURO disse: uma psicografia é tão observável e acessível ,quanto a sua iluminação do ego mecânico,basta você ter fé que isto seja possível e praticar muito.
continuo não vendo muita diferença.

Não, não é.
A necessidade de "fé" já mostra uma das grandes diferenças.

Agora descreva os passos ai para que eu possa comprovar a psicografia.
Essa é outra diferença.

Na psicográfica você só pode ter fé, não pode dar passos dizendo como alguém pode fazer para confirma-la.


1) tenha fé que isso é possível (esta é a parte mais difícil abandonar pre conceitos enraizados a anos)
2) leia o livro dos médiuns
3) dirija-se até um centro espirita kardexista sério , que tal a confederção espirita perto de onde voce mora, faça um curso de 3 anos evangelização e praticas mediúnicas
4) disponha-se a praticar
5) se for menos incrédulo poderá ver e crer pessoalmente em testemunhos de pessoas que receberam mensagens psicografadas
como de um amigo meu quase ateu, que foi obrigado a viajar kms para levar sua irmã a Uberaba para conversar com chico Xavier, após sua sobrinha enquanto brincava ter caído de cima de uma lage e morrido sua irmã sentia-se culpada e queria conversar com ela.
Meu amigo mesmo descreditando em consideração ao sofrimento da irmã foi até minas, porem ambos não comentaram a ninguém sobre o que iriam fazer.
Chegaram la a noite, estava o salão cheio de gente apenas disseram que precisavam falar como Chico, sem dar maiores detalhes do porque , foram informados que todos que se encontravam la desejavam a mesma coisa que apenas sentassem no meio da multidão e que aguardassem pacientemente.
e assim ficaram até que alta horas da madrugada, alguém levantou na mesa em que o chico estava e disse: Esta presente aqui fulana de tal ?
Ao escutar o nome e sobre nome da sua irmã ser pronunciado ,meu amigo ficou admirado, enquanto chico psicografava ia dizendo a para irmã dele:
Sua filha fulana de tal, esta aqui acompanhada pela vó fulana de tal ela diz que a senhora não deve culapar-se por que aquilo não passou de um acidente que distraída enquanto brincava havia caído.
toda essa família é descendente de orientais, muito intrigado meu amigo foi pesquisar com os mais antigos quem seria aquela avó desconhecida, quando foi informado que tal pessoa era um tataravó.
assim é que o meu amigo japonês de quase ateu foi convertido para de quase ateu para espirita convicto.
Se céticos afirmarem , que isso não passou de informações vazadas e uma conspiração armada para iludir o meu amigo, ai é com cada um.
Se preferem ficar acreditando em fotos do chico ao lado de falsas incorporações, eu ponho minha fé em testemunhos de pessoas mais próximas do que de fofoqueiros desconhecidos.




sybok disse: Criaturo, você não sabe a diferença entre consciência de razão, o que te faz pensar que sabe de onde a consciência se inicia?
Quem disse que sabe o que é o "eu"? E quem disse que a consciência inicia-se de um "desejo".
Desejos são atributos do ego e serão eliminados, não dão origem a nada além de sofrimento.

parabens por essa conclusão inteligente pois
Exato! se o desejo é apenas um atributo ilusório do ego, é isso que pode estar justificando este seu desejo por uma "iluminação" dando sentido a razão desta sua vida.
uma ironia desapegar-se do mundo apegando-se a uma iluminação, parece mais coisa de um fanatismo religioso.
um vaga-lume possui luz própria capaz de iluminar apenas realidades proximas


sybok disse: Veja sua confusão Criaturo.
Se o fulano vê um objeto e diz que ele é "desconhecido", então ele está ciente desse objeto mesmo sem saber o que ele é e mesmo sem nunca ter pensado sobre ele.

Não adianta você ficar ai dando voltas, pensamento não tem nada a ver com consciência.
Ver e raciocinar são coisas absolutamente distintas e realizadas por ferramentas distintas, como um processador e um HD.


Vcoe confunde visão com consciência, o primeiro é um atributo do segundo, ou alguém que ainda não tenha uma consciência pode te algum tipo de visão ? que tal uma pedra que você considera como um ser existente?


obs: olhar para o interior e enxergar a luz própria é bem mais difícil que conseguir mostrar a verdade inegável da iluminação solar.

Post edited by CRIATURO on agosto 2013
«

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: Se o allan kardec pensasse assim não teria codificado a doutrina espirita

Que não tem nada de novo nem apresenta nenhum meio de investigação, se limita a afirmar coisas, muitas vezes mal informadas como nas evidentes "hipóteses" racistas que o tal Kardec deixou.

Kardec obviamente não tratou de nada revolucionário ali, fez uma releitura do cristianismo e obviamente de outras doutrinas espiritualistas da época e "filosofou" sobre isso.
Kardec está muito longe de ter "investigado" algo e atuado como religiosos como Buda, Lao Tsé, Cristo e outros.

Desculpe Criaturo, mas se Kardec não tivesse codificado a doutrina espirita, não faria muita falta e até evitaria algumas confusões.


CRIATURO disse: continua sendo parcial, para todo novo conhecimento precisamos ter fé que isso seja possivel, caso contrario nunca daremos o primeiro passo voluntariamente.
voce ainda não conseguiu justificar qual é a diferença entre passar anos tentando um contato espiritual praticando a psicografia e passar anos se dedicando a meditação para se atingir iluminação da consciência.
Ambas as coisas podem ser verificadas por qualquer pessoa basta ter fé e boa vontade,assim ambas devem ser classificadas com o mesmo grau de possibilidade e dificuldade .


Claro que não Criaturo. Tanto não demanda fé que eu fiz isso enquanto ateu.

E outra diferença obvia, além do fato de que não existem técnicas que possam ser seguidas por qualquer um, para se falar com espíritos, está no fato de que a hipótese espíritos por si só é sobrenatural.

Já atingir um estado distinto de consciência, não só lida com algo simples e que já se sabem reais (estado alterado de consciência), como existem técnicas para se fazer isso.
Cientistas inclusive já estudam isso e acompanham com equipamentos monges em meditação, já chegaram a comprovar certas afirmações, como o fato de que certas funções normalmente de controle involuntário, podem ser controladas voluntariamente.


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:52


CRIATURO disse: não tem nada de asneira nisto, asneira é voce dizer que sua consciência consegue olhar para uma arvore e qnão precisa racionar para saber que é uma arvore, voce acha muito inteligente dizer que podemos ter consciência própria do mundo externo sem precisarmos raciocinar pra isso? pelo menos aqui no planeta terra o raciocínio ainda é necessário para se ter consciência de uma realidade visível a todos.
Mas voce não esta se referindo a realidade da grande maioria , não é verdade?


Você viajou na maionese novamente.
Nunca disse que é possível "saber" que é uma arvore sem raciocinar.
Disse que podemos ficar conscientes da existência de arvores (ver arvores) sem pensar sobre elas, devido ao fato de que pensamento e consciência são coisas distintas, tanto quanto audição e visão.

E não Criaturo, como já disse, "raciocinar" não é preciso aqui para que possamos ver e ouvir as coisas.
O pensamento é outra função, nós não raciocinamos sobre tudo o que vemos e sentimos, o tempo todo nossa consciência é bombardeada por uma infinidade de objetos externos e internos do qual tomamos consciência, mas sem pensar minimamente sobre eles.

Nesse exato momento você está lendo isso e tem sua consciência bombardeada pelos sons e aromas ao seu redor, assim como pelas cores da tela, além de estar consciente de sentimentos internos, sem que você raciocine sobre nada disso.
Você está consciente de tudo isso nesse exato momento, mas só está raciocinando e pensando sobre esse texto escrito e sobre essas palavras especificas.

Como já disse Criaturo, se você não consegue entender a diferença entre "ver" e "pensar" fica difícil.
Você não só confunde essas duas coisas, como ainda mistura "consciência" com "conscientização moral", que é outra coisa que não tem nada a ver com o papo.

Pra ver uma arvore você nem ao menos precisa SABER o que ela é.
O tempo todo somos apresentados a objetos novos os quais não sabemos o que são.
Organize suas ideias Criaturo.

Ninguém vivo hoje raciocina sobre tudo o que vê, todos estamos o tempo todo conscientes de coisas sem pensar sobre elas.
A consciência é bombardeada por inúmeras coisas o tempo todo, mas nossa razão com seus pensamentos só lida com um objeto mental a cada vez, ignorando completamente todo o resto.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Organize suas ideias Criaturo.

releia o comentário porque eu ainda estava editando


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: 5) se for menos incrédulo poderá ver e crer pessoalmente em testemunhos de pessoas que receberam mensagens psicografadas

Ou seja, sem meios de investigação... é preciso FÉ.


CRIATURO disse:
releia o comentário porque eu ainda estava editando


Continua desorganizado e sem saber separar o que é consciência e razão.
Como dito o tempo todo estamos conscientes de uma infinidade de sons, odores, cores e sentimentos internos, além de estarmos conscientes dos nossos pensamentos, enquanto nossa consciência é bombardeada simultaneamente com tudo isso, nossa razão está lá somente com um pensamento de cada vez, sem precisar raciocinar sobre o resto (cores, odores, etc...)

Andamos pela rua pensando no que iremos comer quando chegar em casa, enquanto não pensamos em nada do que está ao nosso redor, mesmo assim estamos conscientes de tudo, do vento, das pessoas, dos buracos no caminho, dos carros, etc, e nossa razão não pensa sobre nada, só sobre o jantar.

É fácil ver isso Criaturo, você é que é muito teimoso em querer misturar conceitos e insistir no erro.

A consciência recebe simultaneamente dados de todos os sentidos e também da razão, os dados da visão, dos ouvidos, nariz, tato, etc, não passam pela razão, só pensamos nessas coisas SE escolhermos pensar sobre uma delas.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Sabe Sybok não posso avaliar o que seja a iluminação mas mesmo com uma alteração de consciëncia digamos mesmo que se consiga sair do estado de vigília ainda temos que lidar conosco , com quem somos, ou essa alteração também nos vira do avesso ocorrendo uma mudança dramática em nosso ser?

agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Kardec está muito longe de ter "investigado" algo e atuado como religiosos como Buda, Lao Tsé, Cristo e outros.

investigou os fenômenos coisa que o seu pre conceito , nunca vai te permitir fazer.


sybok disse: Desculpe Criaturo, mas se Kardec não tivesse codificado a doutrina espirita, não faria muita falta e até evitaria algumas confusões.

esta sua fé convicta na existência de um único caminho para iluminação o impede de ver outros caminhos possíveis.
Na nossa vida pratica iludidos ou não o que todos desejam é poder vivenciar um mundo mais agradável, compare quantos conhecedores da sua "verdade inegável", trabalham para construir este mundo melhor com os que tornaram se espiritas.
Voce lembra do seu sonho: "ou voce trabalha para eles, ou trabalha para mim ?"deveria refletir mais sobre isso com outros olhos.

Dentro de cada ser existe uma verdade oculta até para o próprio ser:
Você não gosta do mundo em que vive, é revoltado contra a sua vida e contra quem te criou assim.
Isso te leva a procura por outras realidades que lhe pareçam mais agradáveis ao ser.
Eu estou satisfeito com a vida do jeito que ela é com lagrimas e sorrisos, admiro as obras do criador e sou grato por todas elas, mesmo as que ainda não possuo maturidade para entender tenho fé que são necessárias a manutenção da vida, dentro da aceitação da realidade que vivo, procuro entender e tentar justificar a vida do jeito que ela é e não do jeito que eu gostaria que ela fosse.
E dentro dessa linha de convicção eu faço da vida como ela me foi concedida como a vida que eu gostaria de ter e sou grato por tudo isso.



sybok disse: Claro que não Criaturo. Tanto não demanda fé que eu fiz isso enquanto ateu.

se não tinha fé que isso era possível então por que se deu ao trabalho ?


sybok disse: E outra diferença obvia, além do fato de que não existem técnicas que possam ser seguidas por qualquer um, para se falar com espíritos, está no fato de que a hipótese espíritos por si só é sobrenatural.
a mesma que a sua, jejum e abstinência sexual.
drogas também são sobrenaturais

sybok disse: Já atingir um estado distinto de consciência, não só lida com algo simples e que já se sabem reais (estado alterado de consciência), como existem técnicas para se fazer isso.Ninguém vivo hoje raciocina sobre tudo o que vê, todos estamos o tempo todo conscientes de coisas sem pensar sobre elas.

talvez voce esteja se referindo as ações involuntárias controlada pelo sistema nervoso autônomo, como a respiração, circulação do sangue, reflexos involuntário, neste estado de inconsciência dos sinais enviados pelos elementos sensoriais do corpo de fato ainda parece haver outra forma de consciência.
Mas estar inconsciente é ver sem estar consciente do que se vê.
Inconsciência é quando mesmo que os seus sensores físicos estejam funcionando perfeitamente enviando ao cérebro informações sobre a nossa realidade física, a sua consciência esta desligada, inibida não consegue processar tais informações ficando inconsciente desta realidade.
ver não é estar consciente ! pessoas que dormem com os olhos aberto continuam enviando sinais de imagens externas para o cérebro, porem a sua consciência esta desligada, desconectada ou anida direcionada para o outras realidades, no máximo tais imagens ficarão gravadas na memória do inconsciente em stand by , para uma possível necessidade futura onde sera enviada para a memória do consciente.
alias na revista super interessante eles mostram estudos comprovados por tomografias computadorizadas que sob hipnose a cor azul sugestionada vermelha, formada se uma imagem vermelha na área do cérebro responsável pela interpretação de tal imagem.
Neste caso ver não é estar consciente da realidade, digamos que a hipnose inibi um julgamento real daquilo que se vê, distorcendo o sinal dos olhos enviados para o cérebro.


sybok disse:
Ou seja, sem meios de investigação... é preciso FÉ.


não, é preciso ter alguma fé para começar investigar algo.


sybok disse: Continua desorganizado e sem saber separar o que é consciência e razão.

quando voce se encontra no seu estado "iluminado" esta mais consciente ou esta perdendo a consciência desse mundo?
Sabemos que drogas causam ilusões que fazem as pessoas acreditarem que são capazes de voar, mas somente outros drogados poderão compartilhar da mesma visão.


sybok disse: enquanto nossa consciência é bombardeada simultaneamente com tudo isso, nossa razão está lá somente com um pensamento de cada vez, sem precisar raciocinar sobre o resto (cores, odores, etc...)

para o ser humano comum a realidade só passa existir no momento que sua consciência processa tais informações enviadas pelos inputs,mas ela não consegue processar e julgar todas essas informações simultaneamente normalmente se liga nas que julgar serem vitais a manutenção da sua própria existência.
Acredito que exista outra forma de consciências alem do cérebro, Jesus afirmou ter visto Natanael sentado de baixo de uma figueira muito alem da capacidade da sua visão fisica, ou seja de alguma forma a consciência da realidade cristã, estava alem de um corpo físico.
Se voce afirma que ver é estar consciente, como Jesus conseguiu ficar consciente do que Natanael fazia sem ter visto isto?
sera que Jesus conseguia manter a consciência em dois lugares simultaneamente ?
Se sim, ver não tem nada a ver com estar consciente.
alias num raro momento que em que perdia consciência deste mundo , apesar dos meus olhos e ouvidos terem sido desligados meus pensamentos e raciocínios continuaram muito conscientes


sybok disse: Andamos pela rua pensando no que iremos comer quando chegar em casa, enquanto não pensamos em nada do que está ao nosso redor, mesmo assim estamos conscientes de tudo, do vento, das pessoas, dos buracos no caminho, dos carros, etc, e nossa razão não pensa sobre nada, só sobre o jantar.
vai falar isso para os atropelados, os que caíram em bueiros, bateram o carro por causa do celular, ou seja consciência no estado normal ainda não conseguem atingir este seu grau de "percepção iluminada" unindo tudo, todos ao Todo.



sybok disse: A consciência recebe simultaneamente dados de todos os sentidos e também da razão, os dados da visão, dos ouvidos, nariz, tato, etc, não passam pela razão, só pensamos nessas coisas SE escolhermos pensar sobre uma delas.

enquanto estes dados não passarem pelo crivo da razão serão ignorados pela nossa consciência como se fossem inexistentes.


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Sabe Sybok não posso avaliar o que seja a iluminação mas mesmo com uma alteração de consciëncia digamos mesmo que se consiga sair do estado de vigília ainda temos que lidar conosco , com quem somos, ou essa alteração também nos vira do avesso ocorrendo uma mudança dramática em nosso ser?

Sal, eu também não sei avaliar o que é a iluminação, pois esse é um estagio que eu nunca atingi. Posso falar somente sobre o que é deixar a vigília e calar os pensamentos.
O fato é que nesse estado o que entendemos por "eu" se cala, mas até onde eu mesmo pude ver eu apenas "era" sem questionar a mim mesmo e sem julgar o mundo, mas continuava "sendo".

O problema é que no estagio que eu atingi, eu não podia mais "questionar" ao mesmo em que não pude verdadeiramente me "unir" ao todo, nem atingir certas transformações que eu pude vislumbrar momentaneamente, então não sei se descobriremos um outro "eu", um eu mais real, ou se ocorrerá outra coisa que não pode ser compreendida hoje.

Mas veja, sem questionamento não lidamos com nós mesmos como fazemos hoje, não pensamos, não julgamos, não desejamos. Não existe conflito interno nem bate papo consigo mesmo.
Não me pergunte como eu fazia escolhas nesse estado, não sei dizer, mas não era com a razão, eu não "pensava" então não existia o dilema "ir por aqui ou por lá". Eu simplesmente levantava e fazia as coisas sem raciocinar sobre elas.
Infelizmente o visto foi só a superfície de algo muito maior, mas quando voltei a pensar foi meio assustadora a ideia de ficar sem pensar novamente.


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: investigou os fenômenos coisa que o seu pre conceito , nunca vai te permitir fazer.
Desculpe Criaturo, mas por "investigar" eu não me referi a caras que fazem questionamento sobre coisas inverificáveis como espíritos ou como esses caras que acreditam em alienígenas do passado, etc...

Kardec "filosofou" sobre coisas, pesquisou textos e conversou com crentes, mas não investigou fatos observáveis nem olhou para dentro de si.
Por isso mesmo temos textos racistas como parte de sua "obra".


CRIATURO disse:
Eu estou satisfeito com a vida do jeito que ela é com lagrimas e sorrisos, admiro as obras do criador e sou grato por todas elas, mesmo as que ainda não possuo maturidade para entender tenho fé que são necessárias a manutenção da vida, dentro da aceitação da realidade que vivo, procuro entender e tentar justificar a vida do jeito que ela é e não do jeito que eu gostaria que ela fosse.

Vejo que você é um espirita apaixonado e que não gosta de críticas a sua fé.

"Se o desejo, que se aloja na raiz de toda a paixão humana, puder ser removido, aí então, morrerá esta paixão e desaparecerá, conseqüentemente, todo o sofrimento humano." - Buda.

Eu nunca liguei para minhas próprias crenças, pois o apego e a paixão turvam a razão e nos afastam da verdade.
Então não leve para o lado pessoal se não tenho tato ao atacar sua fé, isso não significa que eu não tenha respeito por você, muito pelo contrario é por te respeitar que não gosto de te ver iludido pela mentira.

Se você não questionar sua própria convicção, nunca vai perceber que se você realmente tivesse fé na obra de Deus, não precisaria criar desculpas para justificar as injustiças e contradições, aceitaria simplesmente de modo submisso a vontade do Criador, mesmo sem ser capaz de compreendê-lo.

Precisamos de fé no sentido de confiança em Deus, algo perfeitamente compatível com o ceticismo, não precisamos fé no sentido de crença em falsas explicações sobre a obra de Deus.


CRIATURO disse:
se não tinha fé que isso era possível então por que se deu ao trabalho ?

Eu buscava a verdade e já tinha percebido de modo subconsciente que uma ilusão cobria o mundo, muito embora na época ainda desconhecesse a intensidade dessa ilusão ou o significado dela. Na época eu não via isso como uma "ilusão", mas estava sismado de que alguma verdade se ocultava e poderia ser vista. Já tinha buscado por respostas na filosofia e na psicologia, mas sem encontrar explicação, quando me deparei com certos textos religiosos entendi a "teoria" por trás daquilo.

Isso ainda me atraiu devido ao fato de que eu já investigava minha mente usando drogas e achei bem interessante a ideia de um estado alterado de consciência como esse descrito, fiquei bem curioso em conhecer tal estado, tanto quanto fiquei curioso em tomar LSD. Queria conhecer o "efeito".

O fato é que conforme eu fui estudando religião eu simplesmente percebi que eu já vivia como um monge.
Eu era ateu, mas era celibatário, não ouvia musica desde os 13 anos e vivia afastado do resto da sociedade, sem baladas, sem amigos, etc...
Pra mim foi fácil, só precisei introduzir a meditação, pois as outras práticas já tinha naturalmente chegado a elas.


CRIATURO disse: Acredito que exista outra forma de consciências alem do cérebro,
Você ainda não sabe separar o pensamento do resto e está tentando imaginar outras consciências?

Dei um exemplo claro, mas você preferiu ignorar.
Diga ai Criaturo, o que você "acha" que é o pensamento?
Vou dizer ao que me refiro.
O pensamento é essa voz que fala na nossa cabeça, se pensamos "acho que vou comer um cachorro quente" esse é o único pensamento que temos no momento e ele se mostra literalmente como uma voz interior que "fala" dentro da nossa cabeça.
Isso significa que quando "vemos" algo, nenhuma voz "descreve" o que estamos vendo, continuamos somente com o pensamento "acho que vou comer um cachorro quente".

Descreva o que você acha que é o pensamento.


CRIATURO disse: enquanto estes dados não passarem pelo crivo da razão serão ignorados pela nossa consciência como se fossem inexistentes.

Se fosse assim não poderíamos ver nada novo, não enxergaríamos nada pela primeira vez.
E se fosse assim, você não poderia estar vendo a tela do seu PC agora, pois primeiro você VÊ as imagens, e só depois começa a raciocinar sobre o que está vendo.
Primeiro você fica ciente de algo, só depois é que questiona o objeto do qual tomou ciência.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Sybok não tem jeito de perguntar de forma delicada, a sensação que vc teve foi de estar 'robotizado'? Ou de um 'piloto automático'?

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Sybok não tem jeito de perguntar de forma delicada, a sensação que vc teve foi de estar 'robotizado'? Ou de um 'piloto automático'?

A sensação foi de estar mais vivo, livre e acordado do que nunca.
Foi o oposto do que você sugere, foi como se pela primeira vez na vida eu tivesse me libertado de um tipo de inteligencia artificial "mecânica" que antes me dominava.

É como se a razão fosse um "robô" nos dominando e com o silencio dela, eu tivesse me libertado. Claro que quando voltei a pensar, a razão questionou a própria ausência e ficou com medo de ser suprimida dessa forma.

O fato é que após essa experiencia passei a me sentir preso e robotizado por voltar a vigília.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Não me pergunte como eu fazia escolhas nesse estado, não sei dizer, mas não era com a razão, eu não "pensava" então não existia o dilema "ir por aqui ou por lá". Eu simplesmente levantava e fazia as coisas sem raciocinar sobre elas.

estava sonhando ?


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Foi o oposto do que você sugere, foi como se pela primeira vez na vida eu tivesse me libertado de um tipo de inteligencia artificial "mecânica" que antes me dominava.

Apesar de lembrar que vc já havia dito de se sentir mais vivo do que nunca isso entra em conflito no primeiro momento com essa sua fala


sybok disse: Mas veja, sem questionamento não lidamos com nós mesmos como fazemos hoje, não pensamos, não julgamos, não desejamos. Não existe conflito interno nem bate papo consigo mesmo.
Não me pergunte como eu fazia escolhas nesse estado, não sei dizer, mas não era com a razão, eu não "pensava" então não existia o dilema "ir por aqui ou por lá". Eu simplesmente levantava e fazia as coisas sem raciocinar sobre elas.



entende a dificuldade de compreender? Porque a impressão que dá é a da robotização.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:53





agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Kardec "filosofou" sobre coisas, pesquisou textos e conversou com crentes, mas não investigou fatos observáveis nem olhou para dentro de si.
Por isso mesmo temos textos racistas como parte de sua "obra".


ele conversou com médiuns ouviu o que eles tinham a dizer sobre o mundo espiritual e codificou a doutrina espirita.
Apenas pela D.E divergir da sua visão própria ou adotada de outros mestres, voce possui pre conceitos enraizados contra ela e ironicamente critica os do Kardec.
De fato ele publicou na revista espirita um artigo racista influenciado pela cultura da sua época afirmando que os negros selvagens não possuíam um cérebro capaz de abrigar espíritos evoluídos,mas ele tambem disse que tal fato não era um demérito pois considerando a pluralidade das existências, ele mesmo no passado ja tinha sido um selvagem.


sybok disse: Vejo que você é um espirita apaixonado e que não gosta de críticas a sua fé.

que nada! fique a vontade não sou partidarista extremo de nenhuma religião nem das minhas próprias hipóteses, apenas tenho uma certa afinidade com a DE, por reconhecer nela algumas verdades praticas , procuro ver o que de bom as religiões e crenças na pratica oferecem de bom.



sybok disse: Então não leve para o lado pessoal se não tenho tato ao atacar sua fé, isso não significa que eu não tenha respeito por você, muito pelo contrario é por te respeitar que não gosto de te ver iludido pela mentira.

eu agradeço e a reciproca é verdadeira, não divirjo das suas crenças parcialmente, não por te considerar apenas mais um iludido e sim para especular a consistência delas mas, todo conhecimento testado é motivo de contrariedades mas, também de uma maior reflexão. Alguns pontos da minha fé na espiritualidade de fato podem estar equivocados, iludido e deslumbrado mas, como poderia negar observações feitas antes de conhecer a D.E, que mais tarde só veio confirmar e esclarecer o que eu ja havia observado, na verdade quando vê algo e alguém mais sábio vem e confirma o que voce acredita ser o certo, voce sente afinidade de idéias.
Na verdade o nosso ser possui uma tendencia natural em seguir por um determinado caminho que poderá ser alterado ou não, depende da persistência e das consequências encontradas ao longo do caminho que cada um escolhe.
Mas o mal de toda crença sempre será o orgulho de acreditar-se o mais sábio.
Na verdade a minha divergência proposital tem o objetivo de especular a consistência da sua crenças entender mais e aprender alguma coisa com elas.

Vejo que com voce aconteceu a mesma coisa, embora por outro caminho da fé:



sybok disse: CRIATURO disse:
se não tinha fé que isso era possível então por que se deu ao trabalho ?
Eu buscava a verdade e já tinha percebido de modo subconsciente que uma ilusão cobria o mundo, muito embora na época ainda desconhecesse a intensidade dessa ilusão ou o significado dela. Na época eu não via isso como uma "ilusão", mas estava sismado de que alguma verdade se ocultava e poderia ser vista. Já tinha buscado por respostas na filosofia e na psicologia, mas sem encontrar explicação, quando me deparei com certos textos religiosos entendi a "teoria" por trás daquilo.

sybok disse:
O fato é que conforme eu fui estudando religião eu simplesmente percebi que eu já vivia como um monge.
Eu era ateu, mas era celibatário, não ouvia musica desde os 13 anos e vivia afastado do resto da sociedade, sem baladas, sem amigos, etc...
Pra mim foi fácil, só precisei introduzir a meditação, pois as outras práticas já tinha naturalmente chegado a elas.


um ateu estudando religião ? Ser antissociável faz parte da natureza do signo, sou muito seletivo nas minhas amizades por dispensar futilidades sociais e falsidades mas , sempre gostei de musica pois anima o meu ser, saia muito na noite na maior parte mesmo que solitário a procura da minha cara metade.
Atingindo o objetivo voltei ao estado normal da não sociabilidade.

olha ouve um tempo que entre a vigília e o sono eu me pegava em pensamentos desconexos, ai comecei a me ligar mais neste fenômeno, também crendo que havia algo em oculto ,mas com tempo passei a me preocupar apenas com minhas hipóteses.


sybok disse: "Se o desejo, que se aloja na raiz de toda a paixão humana, puder ser removido, aí então, morrerá esta paixão e desaparecerá, conseqüentemente, todo o sofrimento humano." - Buda.

"Se o desejo, que se aloja na raiz de toda a razão humana, puder ser removido, aí então, morrerá esta razão e desaparecerá, conseqüentemente, todo o sofrimento com os seres humano." - Criaturo.

ha...ha..ha..ha..ha....pontos de vista diferentes voce e o Buda que me perdoem.

Perca o seu desejo , que você sera qualquer coisa menos um ser humano , querer ser mais evoluído é natural, mas deixar de ser humano é impossível.


sybok disse: Se você não questionar sua própria convicção, nunca vai perceber que se você realmente tivesse fé na obra de Deus, não precisaria criar desculpas para justificar as injustiças e contradições, aceitaria simplesmente de modo submisso a vontade do Criador, mesmo sem ser capaz de compreendê-lo.
Do tipo "NadaSei" :
"não sei por que é assim mas, se Deus fez assim , isto é o certo"
muitas vezes tentando justificar minhas hipóteses me pego em contradições, tai um bom exercício tentar me auto refutar essa briga entre o ego crente e o ateu vai ser boa para acalmar o ego crente mas, no fim será como jogar xadrez consigo mesmo.
A sua visão consegue distinguir os sentimentos da razão, eu não.


sybok disse: Precisamos de fé no sentido de confiança em Deus, algo perfeitamente compatível com o ceticismo, não precisamos fé no sentido de crença em falsas explicações sobre a obra de Deus.
Faz parte da ignorância desejar defender Deus inventando mentiras.
a minha fé na existência de inteligencia fora do corpo nasceram de observações em fatos acontecidos na minha vida, talvez minha visão da razão de como, porque e por quem, possam estar deturpadas pelas minhas crenças ilusórias mas, tais fatos são reais e evidenciam a existência de tais inteligencias, seja ela Deus, deuses, ou homens desencarnados.


sybok disse: Isso ainda me atraiu devido ao fato de que eu já investigava minha mente usando drogas e achei bem interessante a ideia de um estado alterado de consciência como esse descrito, fiquei bem curioso em conhecer tal estado, tanto quanto fiquei curioso em tomar LSD. Queria conhecer o "efeito".
Tenho meus pre conceitos contra drogas



sybok disse: CRIATURO disse: Acredito que exista outra forma de consciências alem do cérebro,
Você ainda não sabe separar o pensamento do resto e está tentando imaginar outras consciências?


o problema que temos visões diferente e mesmo quando estamos falando a mesma coisa isto gera mal entendidos, se eu digo acreditar em inteligencias ou consciências fora da materia ,me refiro a seres espirituais, você ja considera que tudo seja material e fora da matéria não pode haver consciência ou inteligencia, como disse ainda estou tentando melhor entender sua visão da vida,.


sybok disse: Diga ai Criaturo, o que você "acha" que é o pensamento?

ainda não "pensei" sobre isso....he..he..he.he
Somos no minimo um ser dual, ou seja o mecânico formado pelo corpo e uma inteligencia espiritual tentando comandar o corpo a inteiração disso resulta na consciência do ser humano um bichinho muito complicado de se entender.
o pensamento puro seria a própria consciência espirito, que encarnado passa a sofrer uma maior ação da matéria capaz de promover alterações na sua consciência espiritual.
após o desencarne o espirito leva consigo as impressões sofridas enquanto esteve na matéria.
você considera o sentido da visão como sendo a própria consciência ?
um cego de nascença esta inconsciente da realidade que nos cerca ?
na sua visão consciência não raciocina ela apenas vê, sente e observa ?
pelo menos fora do corpo humano ela mantem o desejo de tomar decisões ?


sybok disse: CRIATURO disse: enquanto estes dados não passarem pelo crivo da razão serão ignorados pela nossa consciência como se fossem inexistentes.

Se fosse assim não poderíamos ver nada novo, não enxergaríamos nada pela primeira vez.
E se fosse assim, você não poderia estar vendo a tela do seu PC agora, pois primeiro você VÊ as imagens, e só depois começa a raciocinar sobre o que está vendo.
Primeiro você fica ciente de algo, só depois é que questiona o objeto do qual tomou ciência.


a consciência de algo da forma mais conhecida é o resultado do julgamento dando razão a interpretação de todos os sentidos , não apenas da visão.
Mas sendo um atributo do espirito em condições mais raras a visão da consciência espiritual pode ir alem dos limites dos olhos humanos, quando o corpo esta em um local um vidente consegue ver cenas em outro.
Pessoas em cirurgia apresentando estado de quase morte, com perdas dos sentindo ao voltarem conseguem descrever, todo processo cirúrgico e também quais eram os médicos que participam da cirurgia.
provando que a consciência esta acima dos simples sentidos do corpo.
Alguns casos relatam com precisão cenas ocorridas em outros ambientes do hospital, alguma descrevem também a presença de outros medico espirituais participando da cirurgia, tudo isso são relatos dos próprios médicos registrados em artigo e livros publicados mas, eu sei que tudo isso voce considera apenas como um ilusão provocada por drogas.


sybok disse: Primeiro você fica ciente de algo, só depois é que questiona o objeto do qual tomou ciência.

sentimento só é possível a seres conscientes e o desenvolvimento da razão forma a consciência do o ser" eu" e não ser o outro.

Post edited by CRIATURO on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Apesar de lembrar que vc já havia dito de se sentir mais vivo do que nunca isso entra em conflito no primeiro momento com essa sua fala
sybok disse: Mas veja, sem questionamento não lidamos com nós mesmos como fazemos hoje, não pensamos, não julgamos, não desejamos. Não existe conflito interno nem bate papo consigo mesmo.
Não me pergunte como eu fazia escolhas nesse estado, não sei dizer, mas não era com a razão, eu não "pensava" então não existia o dilema "ir por aqui ou por lá". Eu simplesmente levantava e fazia as coisas sem raciocinar sobre elas.


entende a dificuldade de compreender? Porque a impressão que dá é a da robotização.

Sim entendo, hoje nos confundimos com o ego, é por isso que sempre digo que é ELE quem faz escolhas e nos escraviza, e, como nos confundimos com ele, ao imaginar o que seria calá-lo, imaginamos que iriamos calar o nosso próprio "eu".

A realidade no entanto é oposta a isso, quando calamos essa voz pela primeira vez, nos libertamos pela primeira vez na vida e assim descobrimos que nós não somos o ego, descobrimos que esse é um falso "eu".

Infelizmente só calando ele para poder saber e entender de fato, por exemplo, hoje mesmo com o ego de volta, quando comparo os dois estados, sei claramente qual é o estado de "robotização", consigo inclusive entender "racionalmente" o motivo do ego nos deixar robotizados e sonolentos.
Digamos que hoje o meu próprio ego consegue se ver melhor e analisar a si próprio, conseguindo perceber a própria mecanicidade e como ele rouba atenção da consciência.

Isso significa que mesmo de volta a vigília eu percebo claramente que o outro estado era mais desperto e livre, o que mostra tal que "percepção" não era somente uma "viagem" daquele estado, ela ainda pode ser percebida hoje na vigília e compreendida racionalmente.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Sim entendo, hoje nos confundimos com o ego, é por isso que sempre digo que é ELE quem faz escolhas e nos escraviza, e, como nos confundimos com ele, ao imaginar o que seria calá-lo, imaginamos que iriamos calar o nosso próprio "eu".

Só consegui entender o que vc fala quando definiu o 'seu' ego como a razão, o 'meu' ego é outra coisa, rs. Estou sentada em cima do meu julgömetro tentando simplesmente entender o que vc descreve.


sybok disse: A realidade no entanto é oposta a isso, quando calamos essa voz pela primeira vez, nos libertamos pela primeira vez na vida e assim descobrimos que nós não somos o ego, descobrimos que esse é um falso "eu".

Isso é como tirar a própria identidade então a menos que passe pela experiëncia é impossível de se imaginar.


sybok disse: Digamos que hoje o meu próprio ego consegue se ver melhor e analisar a si próprio, conseguindo perceber a própria mecanicidade e como ele rouba atenção da consciência.

A pergunta que fica é quem é vc afinal? Quando se despe da razão.


sybok disse: Isso significa que mesmo de volta a vigília eu percebo claramente que o outro estado era mais desperto e livre, o que mostra tal que "percepção" não era somente uma "viagem" daquele estado, ela ainda pode ser percebida hoje na vigília e compreendida racionalmente

Fica a pergunta, como se funciona nesse estado?


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: ele conversou com médiuns ouviu o que eles tinham a dizer sobre o mundo espiritual e codificou a doutrina espirita.
Ou seja, ele se limitou a "questionar com a imaginação" os RELATOS possivelmente falsos de coisas que ele próprio não OBSERVOU diretamente.

Essa é a diferença entre ele e um Lao Tsé, que falava sobre aquilo que ele mesmo tinha observado e que além de tudo, nos aponta o dedo para que não precisemos "acreditar" no relato dele, nos aponta para onde olhar para que nós também possamos observar diretamente o que ele descreve.


CRIATURO disse: De fato ele publicou na revista espirita um artigo racista influenciado pela cultura da sua época afirmando que os negros selvagens não possuíam um cérebro capaz de abrigar espíritos evoluídos,mas ele tambem disse que tal fato não era um demérito pois considerando a pluralidade das existências, ele mesmo no passado ja tinha sido um selvagem.
O que mostra que ele falava abobrinha baseado em "hipóteses" puramente racionais e que NÃO CORRESPONDIAM AOS FATOS.

Essa é a diferença entre falar sobre hipóteses fruto da imaginação pura, ou falar sobre fatos observáveis.


CRIATURO disse: DE, por reconhecer nela algumas verdades praticas
Deixa eu falar uma coisa sobre a DE, mas que se aplica a qualquer religião, até mesmo ao conhecimento cientifico, devido aos nossos próprios filtros mentais.
A verdade que a DE mostra não é diferente daquela que você pode ver naqueles espelhos de parque de diversão que nos deixam gordos ou magros. Você tem uma deformação da verdade ali, pode mudar seu próprio ponto de vista e ver a "deformação" mudar, mas nunca vai encontrar a verdade como ela realmente é, olhando para "espelho" nenhum.

Não existe verdade que possa ser lida em texto nenhum, nem questionada com a razão pura.

O grande problema do espiritismo comparado a outras religiões é que ele não tem metodologia de investigação nenhuma, a doutrina se limita a masturbação mental sobre verdades que só podem ser analisadas com a razão pura, por pessoas que nunca viram tais verdades pessoalmente, o que significa que na imaginação dessas pessoas, elas sempre "imaginam" tudo de modo distorcido, pois tentam imaginar aquilo que nunca viram de fato pessoalmente.

O espiritismo tem um foco na parte secundaria da religião enquanto a verdade que pode ser vista acaba ficando renegada. Ele tem o cristianismo de suporte, mas o próprio cristianismo quando comparado a religiões orientais, já sofre do mesmo problema.
Muita enfase no secundário enquanto renegam o principal.

Por exemplo, o cristianismo católico ainda possui a reza do terço, que é uma forma de meditação, mas isso fica renegado entre evangélicos e mesmo entre católicos, enquanto enfatizam muito bobagens como a caridade e a "fé" em Cristo como nosso salvador, como se a mera crença em Cristo fosse nos salvar. O espiritismo agrava isso.

O espiritismo lida com verdades secundarias que NÃO PODEM SER ENTENDIDAS de fato por quem se limita a ler textos e raciocinar.
Religião é sobre VER, é sobre lidar com fatos e não com textos e hipóteses racionais, é sobre ver pessoalmente e não sobre acreditar no relato de quem viu.


CRIATURO disse: Alguns pontos da minha fé na espiritualidade de fato podem estar equivocados, iludido e deslumbrado mas, como poderia negar observações feitas antes de conhecer a D.E, que mais tarde só veio confirmar e esclarecer o que eu ja havia observado, na verdade quando vê algo e alguém mais sábio vem e confirma o que voce acredita ser o certo, voce sente afinidade de idéias.

Ou apenas "caricatos" Criaturo.
A verdade se mostra as pessoas em vários níveis, ela começa se mostrando como uma caricatura, é o individuo quem tem que entender que ele possui um filtro e que tudo o que ele vê no exterior, é na verdade uma criação da própria mente dele, no sentido que ele projeta parte de si no mundo.
Mas ele não "cria" esse mundo, a projeção só ocorre no mundo pessoal, mais especificamente em como o individuo "vê" e "interpreta" o mundo.
É preciso remover esse "ruido" criado pelas nossas próprias projeções, para podermos ver a realidade com mais clareza e sem tantas distorções.

Somos nós quem criamos as distorções no tal espelho, sempre vemos a verdade, mas de modo distorcido.

Entenda, eu não estou dizendo que a imagem que você vê é falsa, estou dizendo que se você olhar direito vai perceber que a verdade que você vê pode mudar de forma, pois tudo o que vemos é um reflexo distorcido da realidade, mas podemos "endireitar" o espelho para aprender a reduzir tais deformações, para ver a verdade mais próxima daquilo que ela realmente é.


CRIATURO disse: Faz parte da ignorância desejar defender Deus inventando mentiras.
O problema é que com isso você reduz Deus aos teus próprios conceitos humanos e limitados.

Por exemplo, pra você a vida é boa e iremos rir e chorar eternamente, assim como vê o "desejo" como uma virtude e um bom motor humano.
A conclusão logica disso é que Deus nos fez para sofrermos a eternidade inteira e nos fez escravos do desejo.

Você desconhece coisas da realidade e se quer aceita a hipótese de que Deus não se limita ao que você julga correto.
Pra você sofrer a eternidade toda está bom, pra você isso é "rir e chorar" como parte da vida. Mas isso é um conceito RACIONAL seu. Você chegou a essa conclusão usando da razão pura.
Deus não precisa necessariamente concordar com você.

Buda não concordava e como um bom religioso que fala sobre aquilo que ele OBSERVOU, ele dizia que o sofrimento pode ser superado por uma mente calma, que não arde com o fogo dos desejos, e, como todo bom religioso, ele não se limitou a afirmar isso e pedir para acreditarmos em tal relato, ele disse que isso é um fato observável e indicou para onde poderíamos olhar para comprovar isso e o que deveríamos fazer.
Eu fiz e comprovei.

O fato aqui é Criaturo, que Deus não é um Deus de sofrimento, que nos quer rindo e chorando por toda a eternidade, ao menos não nesse sentido que você acredita.
Deus nos fez com capacidade de sermos mentalmente fortes o suficiente para superar esse sofrimento que você acredita que será eterno.

Sem perceber você limitou Deus e a criação aos seus conceitos e descreve um Deus que nos faz eternos sofredores, mas tal descrição pode ser vista hoje como falsa, por quem olhar para a própria mente e perceber a orgiem do sofrimento e como eliminá-lo de dentro de si.
Talvez você desconheça isso e ache tais conceitos estranhos, mas não pense que a realidade se limita as suas hipóteses.
Nós não conhecemos as vontades e caminhos de Deus e ele e sua criação, não se limitam as hipóteses humanas, pois nossas hipóteses são sempre bem infantis.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse:
sybok disse: Diga ai Criaturo, o que você "acha" que é o pensamento?
ainda não "pensei" sobre isso....he..he..he.he
Somos no minimo um ser dual, ou seja o mecânico formado pelo corpo e uma inteligencia espiritual tentando comandar o corpo a inteiração disso resulta na consciência do ser humano um bichinho muito complicado de se entender.
o pensamento puro seria a própria consciência espirito, que encarnado passa a sofrer uma maior ação da matéria capaz de promover alterações na sua consciência espiritual.
após o desencarne o espirito leva consigo as impressões sofridas enquanto esteve na matéria.
você considera o sentido da visão como sendo a própria consciência ?
um cego de nascença esta inconsciente da realidade que nos cerca ?
na sua visão consciência não raciocina ela apenas vê, sente e observa ?
pelo menos fora do corpo humano ela mantem o desejo de tomar decisões ?



Tá vendo Criaturo, eu te perguntei sobre o visível, sobre aquilo que podemos observar e você veio com achismos sobre o inescrutável e sobre espíritos.

Eu não perguntei do que você acha que o pensamento é feito em ultima instancia, nem sobre o que é a matéria inescrutável no seu intimo.
Perguntei sobre como funciona a sua própria mente, pois você possui uma mente e pode OBSERVAR seu funcionamento.
Perguntei mais precisamente o que é o ato de pensar, quando você "pensa" o que é que você faz?

Você fala mentalmente.
Isso é o pensamento, é a nossa voz mental.

Qualquer um pode observar o próprio pensamento e pode ver que existe uma diferença entre pensar e entre ver uma arvore.
Você perde o foco do visível e tenta conjecturar sobre o inescrutável.

Vou tentar novamente.

Tente analisar o visível e o simples, sem se confundir com a complexidade do funcionamento conjunto dessas coisas, nem se distrair com o que elas podem ser em ultima instancia. Eu não preciso saber o que é a "matéria" da qual meus órgãos são feitos, para saber que exite diferença entre meu coração e meu rim.

Ver uma arvore é diferente de ouvir um som?
Para ouvir uma musica eu não preciso "ver uma arvore".
Para ver uma arvore eu não preciso "ouvir nenhum som".
Isso mostra que são coisas distintas.

Eu também não preciso ver ou ouvir para poder "pensar", para pensar posso fechar meus olhos em um quarto silencioso a apenas começo a "falar mentalmente".
É isso que é o pensamento, é essa "voz" mental.
Não perguntei do que ele é feito, nem de onde vem, só falei sobre a evidente diferença que existe entre pensar, ver e ouvir.

Para ver um arvore eu não preciso "falar mentalmente" sobre ela, não preciso "pensar" sobre cada folha da arvore. Eu posso olhar uma arvore e vê-la, enquanto "penso" sobre meu café da manhã.
Isso mostra a diferença entre o pensamento e a visão, mostra que podemos ver objetos sem "pensar" sobre eles.

Já a consciência é quem recebe essas informações dos sentidos e da razão.
Quando "vemos" simultaneamente nos tornamos "conscientes" do que vemos, não é possível "ver" sem estar "consciente" do que vemos.
O mesmo ocorre quando pensamos, ao menos durante a vigília, não é possível "pensar", sem estar "consciente" do pensamento.
Podemos no entanto estar conscientes sem ver, podemos estar conscientes somente pensando e ouvindo, mas de olhos fechados.
Podemos também estar conscientes vendo e ouvindo, mas sem pensar, pois pensamento e consciência são coisas diferentes, tanto quanto consciência e visão.

Para estar conscientes não precisamos "falar mentalmente", não precisamos pensar, tanto quanto não precisamos estar de olhos abertos vendo as coisas.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:54

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Só consegui entender o que vc fala quando definiu o 'seu' ego como a razão, o 'meu' ego é outra coisa, rs. Estou sentada em cima do meu julgömetro tentando simplesmente entender o que vc descreve.

É que você parece definir o ego de um modo mais Freudiano, como se parte de nossos julgamentos fossem mais "egoístas" e superficiais, e, como se outros julgamentos fossem mais bem interiorizados e questionados, sendo fruto mais profundo do nosso "eu".

Quando eu falo sobre "ego" falo sobre a razão em si, me refiro tanto aos pensamentos superficiais, quanto aos mais interiorizados, mas admito que existe diferença entre um tipo de pensamento e outro. O segundo tipo vem de um "ego" que não está assim tão "solto", mas também é parte do ego.

Eu não trabalho com um conceito de "eu" por desconhecer isso, só posso apontar o falso "eu", não o verdadeiro.

salgueiro disse: Isso é como tirar a própria identidade então a menos que passe pela experiëncia é impossível de se imaginar.

Exatamente, é como descobrir que aquilo que consideramos a vida todo como sendo nossa identidade, não é aquilo que somos de fato, mas somente um tipo de "casca" na qual nossa mente estava presa.
É algo impossível de se compreender antes de ver pessoalmente e sempre "imaginamos" errado a realidade disso.

Ao menos eu, quando lia sobre isso, sempre imaginava algo mais "mistico" e "misterioso" do que realmente é, na verdade é um processo bem natural e diferente de tudo o que eu tinha imaginado. É só outro estado mental.
É mais semelhante com "acordar", ou sair subitamente de uma grande bebedeira.
Você atinge um estado mental distinto, mas continua aqui no mesmo mundo. Um bêbado não tem alucinações e vê o mesmo mundo que nós, mas a "mente" dele percebe as coisas de um modo diferente.
A diferença então nesse sentido de ver a realidade é sutil, ela é intensa no nível de concentração que atingimos e em como percebemos cada detalhe da realidade e na nossa noção interna de "eu".


salgueiro disse: A pergunta que fica é quem é vc afinal? Quando se despe da razão.
Não saberia responder a isso.
O que posso dizer é que não somos nossa visão, tanto quanto não somos nossa razão.
Ambas são ferramentas mecânicas do corpo.


salgueiro disse:
Fica a pergunta, como se funciona nesse estado?

É a pergunta definitiva, quem somos nós de fato?
Existe um eu?

Não saberia responder a isso e tudo é possível.
Nesse estado eu suprimi o falso "eu", mas sem questionamentos, não existiu a pergunta "quem sou", eu apenas "era" e não tenho como explicar isso.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: É que você parece definir o ego de um modo mais Freudiano, como se parte de nossos julgamentos fossem mais "egoístas" e superficiais, e, como se outros julgamentos fossem mais bem interiorizados e questionados, sendo fruto mais profundo do nosso "eu"

Sei lá se está ligado ao que o Dr Monstrinho produziu, faz parte do meu aprendizado sobre mim mesma e os outros da espécie, é aquele negócio das facetas.


sybok disse: Eu não trabalho com um conceito de "eu" por desconhecer isso, só posso apontar o falso "eu", não o verdadeiro.

Eu falo mas não nesse momento, rs.


sybok disse: É algo impossível de se compreender antes de ver pessoalmente e sempre "imaginamos" errado a realidade disso

Conheço os limites da imaginação, prefiro fatos e se possível vividos por mim mesma quando não por vezes a parametrização ajuda. Estou fazendo essa colocação por acreditar que se pode chegar ao mesmo ponto por caminhos diferentes.


sybok disse: Ao menos eu, quando lia sobre isso, sempre imaginava algo mais "mistico" e "misterioso" do que realmente é, na verdade é um processo bem natural e diferente de tudo o que eu tinha imaginado. É só outro estado mental.

Um talvez é que esse estado possa ser alcançado de forma paulatina. Não sei.


sybok disse: Não saberia responder a isso.
O que posso dizer é que não somos nossa visão, tanto quanto não somos nossa razão.
Ambas são ferramentas mecânicas do corpo


Até aqui tudo bem, está de acordo com o que penso


sybok disse: É a pergunta definitiva, quem somos nós de fato?
Existe um eu?

Não saberia responder a isso e tudo é possível.
Nesse estado eu suprimi o falso "eu", mas sem questionamentos, não existiu a pergunta "quem sou", eu apenas "era" e não tenho como explicar isso.


Até onde entendi a partir do momento que a razão cessa o questionamento também acaba então ser sem saber como se é faz parte e desculpe mas tenho dúvidas se o falso 'eu' foi verdadeiramente suprimido ou não foi percebido pela falta da razão em ação.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Essa é a diferença entre ele e um Lao Tsé, que falava sobre aquilo que ele mesmo tinha observado e que além de tudo, nos aponta o dedo para que não precisemos "acreditar" no relato dele, nos aponta para onde olhar para que nós também possamos observar diretamente o que ele descreve.

entendo algumas escolas de iniciação tambem adotam esse método,mas me diga uma coisa a vida é real, ou voce encara a vida como se fosse uma ilusão ?


sybok disse: O que mostra que ele falava abobrinha baseado em "hipóteses" puramente racionais e que NÃO CORRESPONDIAM AOS FATOS.

Essa é a diferença entre falar sobre hipóteses fruto da imaginação pura, ou falar sobre fatos observáveis.


e como chegou nesta certeza ?


sybok disse: Você tem uma deformação da verdade ali, pode mudar seu próprio ponto de vista e ver a "deformação" mudar, mas nunca vai encontrar a verdade como ela realmente é, olhando para "espelho" nenhum.

Religião = crença na continuação da vida após a morte ela não é formada só por hipóteses escritas em um livro, ela é formada pela observações de fenômenos como, aparições de pessoas ja falecidas, sonhos proféticos, intuições, previsões e mais recentemente a psicografias.
Voce ja possui uma certeza enraizada de que não existe um mundo espiritual,nem espíritos nem vida após a morte do corpo fisico, por isso se nega a aceitar esta possibilidade de que a morte não seja mais do que a continuação da vida atual, sem muita alterações milagrosas .
Assim é natural ver a DE como mais uma ilusão das consciências humanas.
Se entendi mais ou menos a sua visão materialista quando o cérebro para de funcionar o que sobra é uma consciência como uma tela em branco inativa até encontrar matérias que possam imprimir novas realidades nela.
sinceramente eu ainda não consegui ver nesta sua explicação uma lógica aceitável capaz de justificar a nossa existência?
Penso que você conseguiu alcançar um estado de consciência capaz de perceber uma vida mais intensa, com sentidos mais apurados capaz de proporcionar uma sensação de unidade com o todo e com todos.
Mas isso não significa que seja um estado permanente a ser alcançado e sim temporário, ou sinda apenas um próximo estagio, também não significa que todos terão que passar por ele, nem que não exista outras realidades ainda desconhecidas.
esse estado que você afirma ter conhecido seria o estagio final, ou seja o ultimo estado da consciência a ser alcançado?



sybok disse: Essa é a diferença entre falar sobre hipóteses fruto da imaginação pura, ou falar sobre fatos observáveis.

o problema é o seguinte você só considera fatos observáveis e verdades inegáveis aquilo que você vê e preconceituosamente conceitua como ilusão os fatos observados pelos outros, voce fala bem do que conhece e mal do que desconhece.
A sua experiência criou a sua crença, e dos outros a crença alheias .
vou te dar alguns fatos reais repetidos de pessoas conhecidas, porem não registrados:

Previsão da Própria Morte:

1) Um adolescente disse que seu pai chamou a tia dele e pediu que ela prometesse que iria ficar responsável por seus filhos, era pintor caiu com a escada e morreu.
2) uma senhora idosa reuniu todos os seus filhos e começou descrever o comportamento de todos, recomendando que um tomasse conta do outro moreu logo apos a reunião sentada assistindo tv.
3) a vizinha de uma amiga minha tocou a campainha do apartamento dela e disse: "eu vim aqui para voce me maquiar, porque daqui a pouco eu vou morrer e quando vierem buscar o meu corpo eu quero estar bonita."
Minha amiga estranhou ,mais atendeu o pedido dela que agradeceu, se recolheu e morreu mesmo.
4) uma mãe de um colega meu me disse em um dia "fui viajar para MG para ir morrer perto dos meus parentes mas, como eles me mandaram de volta eu vou morrer aqui mesmo. Morreu no outro dia.
Comentando isto com um parente dela de minas ele me confirmou que ela ja teria previsto a própria morte la em MG.
Todas essa pessoas inclusive eu estávamos iludidos ?
Porque voce acha que eu deveria desprezar experiências vivenciadas por mim ?
E olha que eu teria muitas outras para contar ,mas apenas para quem tiver ouvido para ouvir.


sybok disse: O espiritismo lida com verdades secundarias que NÃO PODEM SER ENTENDIDAS de fato por quem se limita a ler textos e raciocinar.

o que impede de haver um mundo espiritual tão real quanto o nosso e que exista uma comunicação possível entre eles ?
Oras a existência de um mundo espiritual é tão possível quanto esse, o grau de dificuldade de existência seria o mesmo, de onde saiu o mundo material também saiu o mundo espiritual, ou ainda tudo é uma só coisa Deus separado apenas por diferentes níveis de consciências sintonizando realidades diferentes.


sybok disse: Mas ele não "cria" esse mundo, a projeção só ocorre no mundo pessoal, mais especificamente em como o individuo "vê" e "interpreta" o mundo.
É preciso remover esse "ruido" criado pelas nossas próprias projeções, para podermos ver a realidade com mais clareza e sem tantas distorções.


somos todos esquizofrênicos ?


sybok disse: Entenda, eu não estou dizendo que a imagem que você vê é falsa, estou dizendo que se você olhar direito vai perceber que a verdade que você vê pode mudar de forma, pois tudo o que vemos é um reflexo distorcido da realidade, mas podemos "endireitar" o espelho para aprender a reduzir tais deformações, para ver a verdade mais próxima daquilo que ela realmente é.

voce é budista ?


................minhas energias se foram então até a manhã!


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: entendo algumas escolas de iniciação tambem adotam esse método,mas me diga uma coisa a vida é real, ou voce encara a vida como se fosse uma ilusão ?

Depende do que você quer dizer com isso.
Em certo sentido não conheço realidade, somente ilusão e se existe algo por detrás da ilusão fica oculto por ela, se isso nos é acessível ou não também não sei, mas isso não significa que seja a vida seja "falsa", ela é real, mas ela nos ilude, somos iludidos sobre o que achamos que a vida é.

A vida é real e a realidade na qual vivemos não acessamos, pois nossa mente distorce essa realidade criando uma ilusão pessoal e outra social/coletiva.

CRIATURO disse:
sybok disse que mostra que ele falava abobrinha baseado em "hipóteses" puramente racionais e que NÃO CORRESPONDIAM AOS FATOS.
Essa é a diferença entre falar sobre hipóteses fruto da imaginação pura, ou falar sobre fatos observáveis.

e como chegou nesta certeza ?
Se ele publicou textos racistas que obviamente sabemos hoje que está incorretos, isso mostra que ele não falou sobre fatos, mas sim questionou coisas com a razão pura e levado pelos achismos da época falou abobrinha.

Ou você acredita que negros são espíritos inferiores e não podem encarnar em corpos de brancos?


CRIATURO disse: Religião = crença na continuação da vida após a morte ela não é formada só por hipóteses escritas em um livro, ela é formada pela observações de fenômenos como, aparições de pessoas ja falecidas, sonhos proféticos, intuições, previsões e mais recentemente a psicografias.
Masturbação mental com base na razão ou em conhecimento revelado são parte secundaria da religião.

A parte principal está na investigação pessoal de fatos através das práticas ensinadas em tais religiões como fundamental a "salvação", "libertação", "evolução" ou seja lá como for que coloquem isso em cada religião.


CRIATURO disse: Voce ja possui uma certeza enraizada de que não existe um mundo espiritual,nem espíritos nem vida após a morte do corpo fisico, por isso se nega a aceitar esta possibilidade de que a morte não seja mais do que a continuação da vida atual, sem muita alterações milagrosas .
Assim é natural ver a DE como mais uma ilusão das consciências humanas.

Você se engana, não disse que essa parte da DE é uma ilusão, disse tão somente que a forma como vocês espiritas imaginam isso tudo SEMPRE será ilusória, pois vocês estão questionando um suposto mundo espiritual o qual nunca viram e por tanto, sempre vão falhar em entender o que é isso de fato.

Eu não me oponho a existência de um mundo espiritual, não acredito é que exista diferença entre um mundo espiritual e um mundo material, não sou dualista de achar que exista oposição entre matéria e espirito.
Pra mim o que você entende por "espiritual" pode ser igualzinho a isso aqui.

A diferença é que eu sei que se existe um outro mundo ele é irrelevante, pois é inescrutável, e sei também que ninguém muda ou evolui só por acreditar que exista um.
Pra que crer no improvável não visto, se já temos tanto trabalho para tentar ver e entender aquilo que nos é acessível hoje?
Pra que ficar viajando na imaginação sobre mundos espirituais do qual eu nada posso saber, se eu posso olhar para dentro de mim mesmo e aprender muito mais sobre os fatos?

O que eu ganho acreditando num mundo espiritual ou acreditando em qualquer coisa que eu mesmo não tenha visto?
Isso vai me levar ao reino dos céus?
Vai me permitir se um com Deus?
Vai me levar a salvação ou libertação?
Vai me tornar menos iludido?


CRIATURO disse: sinceramente eu ainda não consegui ver nesta sua explicação uma lógica aceitável capaz de justificar a nossa existência?

E quem te disse que no mundo existe qualquer coisa que justifique nossa existência?
Você acha que o espiritismo a justifica?


CRIATURO disse: esse estado que você afirma ter conhecido seria o estagio final, ou seja o ultimo estado da consciência a ser alcançado?
Quem tenta explicar a existência é você Criaturo, não eu.
Não sei se isso é um "estagio" dentro de muitos ou outra coisa qualquer, não sei a razão de já não nascermos assim, nem a razão de precisarmos passar por tanta dificuldade só para descobrir que estamos em um estado de transe.

Não sei a razão de nada, só sei que existe a vigília, que é um tipo de transe, e existe esse outro estado muito mais desperto.
Não sei nada sobre o antes da vida, nem sobre o depois, não sei nada sobre as razões de Deus, nem tenho a crença de que um dia saberei.


CRIATURO disse: o problema é o seguinte você só considera fatos observáveis e verdades inegáveis aquilo que você vê e preconceituosamente conceitua como ilusão os fatos observados pelos outros, voce fala bem do que conhece e mal do que desconhece.
A sua experiência criou a sua crença, e dos outros a crença alheias .

Não Criaturo, eu apenas separo fatos observáveis da crença no relato de terceiros ou do testemunho próprio sobre o que não se pode saber ao certo, assim como separo o que é relevante, do que não é.
A sua própria lista que vem a seguir ilustra bem essa diferença.


CRIATURO disse:
1) Um adolescente disse que seu pai chamou a tia dele e pediu que ela prometesse que iria ficar responsável por seus filhos, era pintor caiu com a escada e morreu.
2) uma senhora idosa reuniu todos os seus filhos e começou descrever o comportamento de todos, recomendando que um tomasse conta do outro moreu logo apos a reunião sentada assistindo tv.
3) a vizinha de uma amiga minha tocou a campainha do apartamento dela e disse: "eu vim aqui para voce me maquiar, porque daqui a pouco eu vou morrer e quando vierem buscar o meu corpo eu quero estar bonita."
Minha amiga estranhou ,mais atendeu o pedido dela que agradeceu, se recolheu e morreu mesmo.
4) uma mãe de um colega meu me disse em um dia "fui viajar para MG para ir morrer perto dos meus parentes mas, como eles me mandaram de volta eu vou morrer aqui mesmo. Morreu no outro dia.
Comentando isto com um parente dela de minas ele me confirmou que ela ja teria previsto a própria morte la em MG.
Todas essa pessoas inclusive eu estávamos iludidos ?

Você teve alguma premonição?
Você testemunhou esses fatos?
Eles tem algum relevância real para te levar a libertação/união com Deus/evolução espiritual?

Como acreditar em coisas ajuda qualquer um a evoluir Criaturo?
De que adianta do ponto de vista da PRATICA religiosa, acreditar em relatos alheios?
Quem disse que tais pessoas não interpretaram errado o que viram ou acham que viram?
Pra cada relato legitimo que te leve a uma crença verdadeira, você vai crer em um relato falso que te levará a uma crença na mentira.
A crença tem muito mais potencial para nos atrapalhar do que para no ajudar.

Esse é um dos problemas com o espiritismo, se basear em questionamentos sobre relatos alheios ou em coisas que dependem sempre exclusivamente de crença, como a própria existência de um mundo espiritual, pois isso sempre poderá ser explicado de outro modo.
O mais importante é, que relevância isso tem do ponto de vista da pratica?
Isso só leva as pessoas a ficarem construindo na imaginação teorias tolas para tentar explicar o sentido da vida, ou o que a vida era antes e o que será depois.

Todas essas teorias estão fadadas a estarem erradas e são inúteis do ponto de vista da pratica religiosa e do AUTOCONHECIMENTO, que é o que nos permite o que você chama de evolução espiritual.


CRIATURO disse: o que impede de haver um mundo espiritual tão real quanto o nosso e que exista uma comunicação possível entre eles ?
Nada impede que exista e nada impede que não exista, no entanto, muita coisa nos impede de saber se existe ou não. Coisas como mundo espiritual não podem ser conhecidas de fato, são coisas nas quais só podemos crer ou descrer, e por isso são irrelevantes para a pratica religiosa.

Quem disse que o que você acredita ser comunicação com o mundo espiritual não é comunicação com outra coisa?
Você já se comunicou com o mundo espiritual, ou só "acredita" em quem diz poder se comunicar com ele?
Quem disse que essas pessoas não estão enganadas e que esses que se dizem "espíritos" não são outra coisa e não estão mentindo?

O fato é que como dito isso é irrelevante.

CRIATURO disse:
voce é budista ?


Não Criaturo, sou sem religião, não sou budista, cristão, hinduísta, taoista, nada, mas já estudei todas essas religiões.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Por exemplo, pra você a vida é boa e iremos rir e chorar eternamente, assim como vê o "desejo" como uma virtude e um bom motor humano.
A conclusão logica disso é que Deus nos fez para sofrermos a eternidade inteira e nos fez escravos do desejo.


do seu ponto de vista pessimista sim mas, do meu existe um equilíbrio necessário entre o sofrimento e o prazer.
alem do mais eu não disse que o nível atual da ignorância e do sofrimento não regrida, pois o progresso também é eterno, assim sempre teremos o que aprender e para isso o desejo é necessario para formação do ser eu e não ser todos.


sybok disse: Você desconhece coisas da realidade e se quer aceita a hipótese de que Deus não se limita ao que você julga correto.

Sim desconheço por isso mesmo não saio afirmando que a realidade dos outros não passem de ilusões, é claro que eu tenho duvidas e você ?


sybok disse: Pra você sofrer a eternidade toda está bom, pra você isso é "rir e chorar" como parte da vida. Mas isso é um conceito RACIONAL seu. Você chegou a essa conclusão usando da razão pura.
Deus não precisa necessariamente concordar com você.



vejo a vida como uma semente sem uma interatividade social ela perece, então é jogada na escuridão da terra e dela retira seus nutrientes e lá "deseja" sair a procurar pela luz, cresce a o ponto de servir de abrigo e sustento para outros seres, cumprindo sua função transforma-se novamente em semente e o ciclo recomeça.
Acredito que em quanto criaturas, embora aja um tendencia lógica em diminuir sempre haverá um grau de ignorância por consequência também de um descontentamento ao qual conhecemos por sofrimento.
talvez isso não passe de uma visão "pessimista, masoquista ou ainda conformista"
Mas pensar que Deus podendo nos ter criado no paraíso eterno , primeiro nos tenha mandado para sofrermos na terra seria a visão de um sadismo divino, a não ser que seja necessário de entrarmos no paraíso conhecermos o inferno da terra mas, paraíso eterno é coisa de religiosos tradicionais.
Voce parte do principio que somos um imã maldito atraindo sujeiras que devemos aprender a ir descartando até encontramos nosso verdadeiro eu.
Eu penso que somos um imã inteligente que por força de vontade podemos atrair coisas boas e ruins, por isso uns andam pesados e outros mais leves e o sentindo da vida esta em perceber isso.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:55





agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Deus nos fez com capacidade de sermos mentalmente fortes o suficiente para superar esse sofrimento que você acredita que será eterno.

eterno sim, porem em graus variados


sybok disse: Sem perceber você limitou Deus e a criação aos seus conceitos e descreve um Deus que nos faz eternos sofredores, mas tal descrição pode ser vista hoje como falsa, por quem olhar para a própria mente e perceber a orgiem do sofrimento e como eliminá-lo de dentro de si.

voce diz que o sofrimento deixara de existir apenas em outro mundo , né?
Isto significa que o desejo cessa quando todos se sentirem satisfeitos ?
observando a natureza humana é difícil de acreditar
voce olhou para dentro de si e conseguiu ver o seu paraíso ?
E por que acha que este paraíso sera permanente?


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: voce diz que o sofrimento deixara de existir apenas em outro mundo , né?
Isto significa que o desejo cessa quando todos se sentirem satisfeitos ?
observando a natureza humana é difícil de acreditar
voce olhou para dentro de si e conseguiu ver o seu paraíso ?


Existem dois pontos onde eu e o Sybok não concordamos. Apenas dois. Um deles vou deixar para abordar em outra postagem. O outro, pode ser visto neste tópico, em toda sua riqueza de detalhes, com destaque para a notabilíssima paciência do caro amigo. Eu não dou murro em ponta de faca, e essa é uma das poucas coisas que eu teria a ensinar a alguém com tal sabedoria.




agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Existem dois pontos onde eu e o Sybok não concordamos. Apenas dois. Um deles vou deixar para abordar em outra postagem.

veja lá oque ira dizer para depois não se arrepender, voce pode acabar magoando o seu mestre.


Ayyavazhi disse: O outro, pode ser visto neste tópico, em toda sua riqueza de detalhes, com destaque para a notabilíssima paciência do caro amigo.

voce deveria é seguir o exemplo do seu mestre, apesar de você ainda não ter atingindo o nível dele , eu consigo aprender algumas coisas também com você.
o problema é que voces aprenderam falar a mesma lingua na mesma escola, com os mesmos mestres, enquanto eu ainda não fiz o mesmo curso, então vou me virando como posso, seja mais tolerante.

Post edited by CRIATURO on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: o problema é que voces aprenderam falar a mesma lingua na mesma escola, com os mesmos mestres, enquanto eu ainda não fiz o mesmo curso, então vou me virando como posso, seja mais tolerante.

Eu o Sybok seguimos caminhos absolutamente diferentes. Na "escola" que ele aprendeu eu não fiz nem matrícula. Falamos a mesma língua porque temos a mesma aversão a viver iludidos.



Post edited by Ayyavazhi on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse:
sybok disse: Sem perceber você limitou Deus e a criação aos seus conceitos e descreve um Deus que nos faz eternos sofredores, mas tal descrição pode ser vista hoje como falsa, por quem olhar para a própria mente e perceber a orgiem do sofrimento e como eliminá-lo de dentro de si.
voce diz que o sofrimento deixara de existir apenas em outro mundo , né?
Claro que não Criaturo.
Já lhe disse que quem gosta de especular sobre o antes e sobre o depois é você, eu só falo sobre o hoje, sobre o aqui e agora e sobre o que pode ser visto, entendido e conquistado aqui e agora.

Isso que você chama de sofrimento é o resultado de sermos fracotes sem controle sobre a própria mente, e deixarmos o ego bancar o coitadinho e se "sentir" sofredor.
Sofremos quando temos nossos "desejos" e expectativas frustrados ou não atendidos, sofremos quando temos algum de nossos quereres negados ou contrariados.
Sem desejo sem sofrimento, com uma mente silenciosa não há desejo e por tanto não há mais esse tipo de sofrimento.

Esse fato é algo com o qual muitos religiosos já se depararam, falam sobre tal fato e não pedem por "crença" nisso, explicam do que se trata e nos apontam para onde olhar e o que fazer para constatar tal fato que nos é visível e acessível aqui, nessa vida e nesse mundo.

CRIATURO disse:
Isto significa que o desejo cessa quando todos se sentirem satisfeitos?

Não, o desejo cessa quando você parar de querer se sentir satisfeito.
CRIATURO disse:
voce olhou para dentro de si e conseguiu ver o seu paraíso ?

Prefiro o termo paz interior.
CRIATURO disse:
E por que acha que este paraíso sera permanente?

Nunca disse que seria, mas acho estranho que após o sujeito aprender a ler, que ele volte a ser analfabeto.
Se o sujeito aprende o que em sua mente é a origem do sofrimento, fica difícil achar que ele vá sofrer novamente.

Você pode conjecturar que talvez ele esqueça tudo o que sabe e blá, blá, blá, mas o fato é que isso vai contra a sua teoria de que vamos "rir e chorar" e que a vida é assim.
Você não sabe o que a vida é, nem sabe a razão do sofrimento, nem sabe se iremos de fato "rir e chorar" indefinidamente.
O fato que pode ser visto hoje, é que o ser humano hoje tem a capacidade de entender a própria mente o suficiente para aprender a não chorar, identificando a origem do sofrimento/tristeza e arrancando isso de dentro de si.

Se em outras vidas sofreremos por outras razões isso ninguém sabe, ninguém pode dizer.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Eu também não preciso ver ou ouvir para poder "pensar", para pensar posso fechar meus olhos em um quarto silencioso a apenas começo a "falar mentalmente".
É isso que é o pensamento, é essa "voz" mental.
Não perguntei do que ele é feito, nem de onde vem, só falei sobre a evidente diferença que existe entre pensar, ver e ouvir.


Olha! Isso que você denomina de pensamentos é a representação do que se vê na forma de símbolos gráficos e fonéticos da linguagem que aprendemos.
Assim, as tenras crianças que ainda não aprenderam nenhuma simbologia para descrever as coisas do mundo, apenas sentem da forma que você descreve como seja o tal estado de iluminação.
É apenas uma forma de ver as coisas sem interpreta-las ou traduzi-las para alguma forma de linguagem pensada.
Nada de extraordinário, apenas nos remete à uma forma primitiva de pensar. Assim como fazíamos quando éramos crianças de colo. Ou da mesma forma que alguns animais não humanos fazem.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Para estar conscientes

sybok me passa os links que você me recomendou ler onde você defende ser viável se achar Deus de forma racional , pois eu os perdi e por estes dias vou ter um tempo para ler.
Abraços


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Em certo sentido não conheço realidade, somente ilusão e se existe algo por detrás da ilusão fica oculto por ela, se isso nos é acessível ou não também não sei, mas isso não significa que seja a vida seja "falsa", ela é real, mas ela nos ilude, somos iludidos sobre o que achamos que a vida é.

A vida é real e a realidade na qual vivemos não acessamos, pois nossa mente distorce essa realidade criando uma ilusão pessoal e outra social/coletiva.


vamos tentar uma maior entendimento, quando falar besteiras me corrija:
Pratica
voce estudou os pensamentos de alguns mestres, teve fé na palavras deles e comprovou na pratica que eram verdadeiras no sentido em que existe uma mecânica nos pensamentos, que causa uma certa ilusão da realidade conhecida, onde em um estado mais consciente consegue interagir mais com a matéria e com os seres vivos, despertando os sentidos.

1) é notório a limitação dos sentidos o que implica na possibilidade de ilusões
2) observo que antes do sono mantenho meus pensamentos ordenados mas, próximo de dormir noto que meus pensamentos ficam desconexos, sonhando este estado permanece oscilando entre pensamentos inteligentes e os desconexos como se o subconsciente estivesse tentando criar uma realidade para satisfazer a necessidade do meu estado emocional.
3) Assim concordo na possibilidade de haver mesmo a ilusão a qual voce diz existir

Hipóteses

4)Qual é o objetivo da sua vida atual ?
Qual é a sua visão da vida após a morte?
5)Continuará havendo consciência de outras realidades, mundos e seres ?6)Estará liberto permanentemente da atual ilusão humana ?
7)Manterá a memória desta vida?
8)Voce acha que antes dessa vida não existíamos ?
9)Ok a maioria participa de uma ilusão coletiva pessoal mas, quando todos participam da mesma ilusão ela passa a ser a realidade aceita.
Mas ja que voce demonstra estar insatisfeito com ilusão da vida qual a maioria compartilha apontaria o seu dedo para qual caminho ?
10) o que ocorre com as pessoas que morreram na escravidão da ilusão?
11) sou movido pelo desejo alem de achar que são eles que me identificam como ser individual, perder o desejo não seria perder a identidade?
Se liberto da ilusão todos passarem a sentir-se unidos e desprovidos da vontade isso não fará seres contemplativos sem o desejo de ação?


  • Opções

CRIATURO Membro
agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Ou você acredita que negros são espíritos inferiores e não podem encarnar em corpos de brancos?

o fato de Kardec ter se equivocado quanto a ao racismo, não desvalida toda obra dele, seja mais justo.


sybok disse: Masturbação mental com base na razão ou em conhecimento revelado são parte secundaria da religião.

A parte principal está na investigação pessoal de fatos através das práticas ensinadas em tais religiões como fundamental a "salvação", "libertação", "evolução" ou seja lá como for que coloquem isso em cada religião.


mas,o que leva a existência da crenças justamente são as revelações mas a maioria das praticas religiosas resumem se a "pedir" muito e trabalhar pouco.


sybok disse: Eu não me oponho a existência de um mundo espiritual, não acredito é que exista diferença entre um mundo espiritual e um mundo material, não sou dualista de achar que exista oposição entre matéria e espirito.
Pra mim o que você entende por "espiritual" pode ser igualzinho a isso aqui.


mas foi isso que disse veja:


sybok disse: a morte não seja mais do que a continuação da vida atual, sem muita alterações milagrosas .



sybok disse: A diferença é que eu sei que se existe um outro mundo ele é irrelevante, pois é inescrutável, e sei também que ninguém muda ou evolui só por acreditar que exista um.

para mim a continuação da vida é que da todo o sentido a ela.
pessoas evoluem quando desejam ser melhores e passam agir neste sentido, pois mesmo que errem ainda estarão no caminho certo.


sybok disse: Você se engana, não disse que essa parte da DE é uma ilusão, disse tão somente que a forma como vocês espiritas imaginam isso tudo SEMPRE será ilusória, pois vocês estão questionando um suposto mundo espiritual o qual nunca viram e por tanto, sempre vão falhar em entender o que é isso de fato.

se pessoas morrem e continuam mantendo suas identidades, afinidades e ilusões terrenas , então o mundo espiritual é muito parecido com o terreno, mas veja que também o grau de ilusão também varia de acordo com a consciência alcançada por cada individuo.



sybok disse: Pra que ficar viajando na imaginação sobre mundos espirituais do qual eu nada posso saber, se eu posso olhar para dentro de mim mesmo e aprender muito mais sobre os fatos?

ficar viajando é muito mais fácil, quando olho para mim só vejo pensamentos preocupados com as ilusões da minha vida.
Alem do mais e se for a consciência que cria ilusões de acordo com sua afinidades, tipo a força do pensamento?
Neste caso o mundo espiritual iludido ou não, para mim sera de acordo com as minhas afinidades.


sybok disse: O que eu ganho acreditando num mundo espiritual ou acreditando em qualquer coisa que eu mesmo não tenha visto?
Isso vai me levar ao reino dos céus?
Vai me permitir se um com Deus?
Vai me levar a salvação ou libertação?
Vai me tornar menos iludido?


Acreditar na continuação da vida é o que da sentido a vida.
isso tambem pode te proporcionar um desapego egoístico a essa vida.


sybok disse: E quem te disse que no mundo existe qualquer coisa que justifique nossa existência?
Você acha que o espiritismo a justifica?


Sim, Deus justifica!
o espiritismo mostra a possibilidade da eternidade do ser isto também mostra um sentido a existência.


sybok disse: Não sei nada sobre o antes da vida, nem sobre o depois, não sei nada sobre as razões de Deus, nem tenho a crença de que um dia saberei.

assim concorda que ignorância que causa o sofrimento será eterna.
E oque tem a dizer sobre a "iluminação" ?


sybok disse: Você teve alguma premonição?
Você testemunhou esses fatos?
Eles tem algum relevância real para te levar a libertação/união com Deus/evolução espiritual?


uma vez sonhava em cores que uma casa pegava fogo, ao sai na rua vi em um bairro distante uma casa que realmente estava em chamas, não me venha dizer que enquanto dormia ouvi corpo de bombeiros, ou sentia o cheiro da fumaça pois isto não aconteceu.
Na pratica só aumentam minha fé em Deus e na possibilidade da continuação da vida que é o que realmente nos interessa.




sybok disse: Como acreditar em coisas ajuda qualquer um a evoluir Criaturo?

pode incentivar a ver a vida como uma grande sociedade


sybok disse: Quem disse que tais pessoas não interpretaram errado o que viram ou acham que viram?

é possível.


sybok disse: Esse é um dos problemas com o espiritismo, se basear em questionamentos sobre relatos alheios ou em coisas que dependem sempre exclusivamente de crença, como a própria existência de um mundo espiritual, pois isso sempre poderá ser explicado de outro modo.
O mais importante é, que relevância isso tem do ponto de vista da pratica?
Isso só leva as pessoas a ficarem construindo na imaginação teorias tolas para tentar explicar o sentido da vida, ou o que a vida era antes e o que será depois.


ja te informei que alguns centros espiritas sérios como a Federação Espirita de São Paulo possuem curso de desenvolvimentos mediúnicos.
Alem do mais temos o conhecimento pratico e o revelado que pode ser aproximado ao da realidade futura.


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:56


sybok disse: Quem disse que o que você acredita ser comunicação com o mundo espiritual não é comunicação com outra coisa?
Você já se comunicou com o mundo espiritual, ou só "acredita" em quem diz poder se comunicar com ele?
Quem disse que essas pessoas não estão enganadas e que esses que se dizem "espíritos" não são outra coisa e não estão mentindo?

O fato é que como dito isso é irrelevante.


sim pode ser esquizofrenia ou outra coisa.
Só posso dizer que minhas preces foram atendidas quase de imediato e por uma maneira desagradável, embora tenha sido exatamente a lição que na forma que eu havia pedido minutos antes.
Também ja presenciei a prece de outra pessoas ser atendida na hora.

o problema que em se tratando de inteligencias não controláveis, esses fenômenos não podem ser repetidos por isso sempre ficará a semente da duvidas, sendo a principal ser uma "coincidência ou não ?"
Saber que não estamos sozinhos nem deserdados da vida é muito relevante


sybok disse: Não Criaturo, sou sem religião, não sou budista, cristão, hinduísta, taoista, nada, mas já estudei todas essas religiões.

esta a um passo da loucura ou da iluminação ? he...he..he..he.he


sybok disse: Sem desejo sem sofrimento, com uma mente silenciosa não há desejo e por tanto não há mais esse tipo de sofrimento.
vamos ao que interessa ?
e o prazer?

sybok disse: CRIATURO disse:
E por que acha que este paraíso sera permanente?

sybok disse: Nunca disse que seria, mas acho estranho que após o sujeito aprender a ler, que ele volte a ser analfabeto.
Se o sujeito aprende o que em sua mente é a origem do sofrimento, fica difícil achar que ele vá sofrer novamente.

ok,mas a leitura não desperta desejo por novos conhecimentos ?
Se o paraíso não é permanente então, isto implica na eternidade do sofrimento causado pela ignorância, que em compensação nos dá o prazer do conhecimento saciando a curiosidade que move o ser.


sybok disse: Você não sabe o que a vida é, nem sabe a razão do sofrimento, nem sabe se iremos de fato "rir e chorar" indefinidamente.

observando a insaciável natureza do ser humano, penso que ser algum conhecerá Deus na sua essência, é isto que de alguma forma no tornará eternos insatisfeitos, pois nunca seremos completos por que nos falta a parte Deus.

«

agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse:
Olha! Isso que você denomina de pensamentos é a representação do que se vê na forma de símbolos gráficos e fonéticos da linguagem que aprendemos.
Assim, as tenras crianças que ainda não aprenderam nenhuma simbologia para descrever as coisas do mundo, apenas sentem da forma que você descreve como seja o tal estado de iluminação.
É apenas uma forma de ver as coisas sem interpreta-las ou traduzi-las para alguma forma de linguagem pensada.
Nada de extraordinário, apenas nos remete à uma forma primitiva de pensar. Assim como fazíamos quando éramos crianças de colo. Ou da mesma forma que alguns animais não humanos fazem.


eu ja havia dado este dois exemplos a ele de bebes e de animais ao avistarem algo não estarem conscientes daquilo que vêem no sentido de não raciocinarem a razão das coisas.
O sybok considera a consciência a propriedade dos sentidos sem a necessidade de interpretações.


agosto 2013 Sinalizar0
A pergunta número 1 para mim (óbvio que tem uma penca, rs) é como se vive sem a razão? Sem pensar, raciocinar?

agosto 2013 Sinalizar0
O Sybok acredita que a maioria dos nossos pensamentos são mecânicos produzidos pelos corpo e soam como palavras ruidosas dento da mente e quando silenciados a consciência fica mais esperta sem precisar fazer uso do raciocínio .
Bom só de olhar para algumas pessoas ja deduzimos o que elas estão pensando, através da intuição sabemos sem precisar fazer uso da razão.
provavelmente começamos a pensar a partir da consciência e não paramos mais, até que da uma descansadinha não seria nada mal mas tenho muita dificuldade para parar de pensar, até dormindo continuo raciocinando.
Uma das raras vezes que consegui perder os sentidos ou a consciência deste mundo, minha consciência continuou raciocinando e sentido a temperatura da realidade a qual se encontrava, que era muito agradável bem diferente daqui, infelizmente só me deixaram curtir esse bom momento de paz, por alguns minutos para mim 30 min, para os que estavam aqui apenas uns 3 min.


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: O Sybok acredita que a maioria dos nossos pensamentos são mecânicos produzidos pelos corpo e soam como palavras ruidosas dento da mente e quando silenciados a consciência fica mais esperta sem precisar fazer uso do raciocínio

Eu consegui entender o que ele quis dizer Criaturo, é que consciëncia para mim é construção, se eu parasse de pensar hoje seria um projeto inacabado. Minhas interpretações são totalmente diferentes do Sybok e não vejo como hoje alguém conseguiria viver sem pensar. Com uma consciëncia construída até entendo que isso possa ser feito (não tenho a menor idéia se algum dia ela possa estar pronta, haja planetas, rs) pois vejo a razão como um instrumento, um selecionador digamos assim.


CRIATURO disse: Bom só de olhar para algumas pessoas ja deduzimos o que elas estão pensando, através da intuição sabemos sem precisar fazer uso da razão

Pensando e sentindo (olha a empatia aí, rs)


CRIATURO disse: provavelmente começamos a pensar a partir da consciência e não paramos mais, até que da uma descansadinha não seria nada mal mas tenho muita dificuldade para parar de pensar, até dormindo continuo raciocinando.

Como já disse vejo a consciëncia como construção a partir da razão. Adoraria meditar só que é só eu parar os pensamentos que durmo e um sono sem lembranças, dormir para mim é literalmente apagar.


CRIATURO disse: Uma das raras vezes que consegui perder os sentidos ou a consciência deste mundo, minha consciência continuou raciocinando e sentido a temperatura da realidade a qual se encontrava, que era muito agradável bem diferente daqui, infelizmente só me deixaram curtir esse bom momento de paz, por alguns minutos para mim 30 min, para os que estavam aqui apenas uns 3 min.

As duas vezes que desmaiei, apaguei, rs.


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Minhas interpretações são totalmente diferentes do Sybok e não vejo como hoje alguém conseguiria viver sem pensar.

Essa confusão existe porque nos acostumamos a confundir os processos mentais, como se fossem uma e a mesma coisa. Razão, pensamento, consciência, são elementos diferentes, embora até possamos usar de licença poética para tomar um pelo outro.

Suprimir os pensamentos e a razão não significa perder a consciência. Pelo contrário, sua consciência se aguça, se liberta da tagarelice mental que afeta a todos nós. Estar consciente de algo é um processo muito superior a conhecer essa mesma coisa através dos meios rudimentares que estamos habituados a empregar. O Sybok tem sido perfeito na tarefa de descrever o impossível. Tente desligar o julgômetro e talvez você o ouça com mais clareza.

Vou usar com você um argumento que já usei diversas vezes com os ateus: A descrição de um fato NÃO É o fato. É impossível que você compreenda o que é essa consciência sem a experimentar e nada do que o Sybok diga, por mais eloqüente que seja, irá mudar isso. Mas você pode diminuir a distância que (aparentemente) a separa desse entendimento se fizer aquele exercício que conversamos dias atrás.




agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Nada de extraordinário, apenas nos remete à uma forma primitiva de pensar. Assim como fazíamos quando éramos crianças de colo. Ou da mesma forma que alguns animais não humanos fazem.

Márcio,

Imagine que você nunca viu um carro vermelho, mas apenas sabe de sua existência. No dia em que você se deparasse com um, sua mente iria entrar em um processo automático de associação daquilo que estava sendo visto, com as informações que você possuía sobre o objeto observado. Você concluiria: Isto é um carro vermelho. Neste exemplo, você utilizou o pensamento, o raciocínio (que fez a associação), usou palavras (símbolos), memória, tudo enfim, para estar consciente do objeto à sua frente.

Mas este exemplo é qualquer coisa muito distante de sua realidade. Você dirige todos os dias e está habituado a ver carros vermelhos. Mas você não pensa (não precisa): “Estou vendo um carro vermelho”. Ele está ali, na sua frente ou ao seu lado, e existe uma consciência imediata de sua presença sem a necessidade de empregar qualquer processo mental para chegar a essa compreensão. A mente faz isso naturalmente com objetos e situações que ela já conhece e que não precisam mais ser racionalizados. Eventualmente você irá interferir nesse processo automático e elaborar algum pensamento, mas será por um motivo diverso, e não por necessidade de conhecer ou estar consciente daquilo.

Por esse mesmo motivo, o que o Sybok descreveu não pode ser comparado ao estágio infantil de consciência. Suprimir os pensamentos não é suprimir a consciência. E trata-se de uma condição muito mais complexa do que essa analogia que eu criei a título de demonstração. É muito mais do que olhar um carro vermelho e saber (sem pensar) que aquilo é um carro vermelho.




agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Suprimir os pensamentos e a razão não significa perder a consciência.

Também acho que não.


Ayyavazhi disse: Estar consciente de algo é um processo muito superior a conhecer essa mesma coisa através dos meios rudimentares que estamos habituados a empregar.

Não quero fazer juízo de valor, até porque podemos chamar de consciëncia coisas diferentes, vide o longo debate sobre o assunto.


Ayyavazhi disse: Tente desligar o julgômetro e talvez você o ouça com mais clareza.

Ele está desligado, não confunda falta de entendimento com ele.


Ayyavazhi disse: É impossível que você compreenda o que é essa consciência sem a experimentar e nada do que o Sybok diga, por mais eloqüente que seja, irá mudar isso.

Dito por vc, rs


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Ele está desligado, não confunda falta de entendimento com ele.

Você empregou esse termo (julgômetro) e eu apenas o repeti. Em outro momento, falamos sobre os filtros e eu argumentei que os filtros são, também, uma forma de reduzir a informação recebida. Estou fazendo a mesma associação e isso não se trata de falta de entendimento.



salgueiro disse: Dito por vc, rs

Não, isso foi dito por pessoas bem mais preparadas do que eu. O fato de eu compreender porque tem que ser assim, é mero detalhe. Mas o que eu disse me parece fazer algum sentido: A descrição de um fato não é o fato. A descrição é uma representação do que vimos, e está limitada por nossa capacidade lógica (que não é a mesma coisa que consciência). Você, por seu lado, vai processar essa descrição com o seu acervo lógico, aumentando a margem de erro entre o que foi observado e o que se está discutindo. Quando eu disse que você nunca irá compreender sem experimentar, espero que você saiba que estava me referindo a qualquer pessoa e não a você especificamente. Não é uma deficiência sua, é uma condição que atinge a todos nós.

Eu tenho consciência de algumas coisas que não posso descrever. Por isso nem tento. Iria ficar apenas criando arremedos e recebendo de volta toda sorte de impressões e interpretações. O Sybok está tirando leite de pedra, mas nem essa fartura didática irá realizar essa proeza. Prova disso está aqui mesmo, neste tópico. Todo mundo está dizendo alguma coisa que entendeu ou que acha que é, mesmo que nunca tenham estado onde ele foi.



Post edited by Ayyavazhi on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Minhas interpretações são totalmente diferentes do Sybok e não vejo como hoje alguém conseguiria viver sem pensar.

provavelmente exista outra forma de consciência a um passo a frente dos nossos pensamentos, tipo "Quando voce ia fazer eu ja vinha com ele pronto"


agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Você empregou esse termo (julgômetro) e eu apenas o repeti. Em outro momento, falamos sobre os filtros e eu argumentei que os filtros são, também, uma forma de reduzir a informação recebida. Estou fazendo a mesma associação e isso não se trata de falta de entendimento.

Filtros são uma coisa julgömetro outra Ayya, podem ser redutores mas de formas diferentes. A falta de entendimento existe, não passei pela experiëncia.


Ayyavazhi disse: Mas o que eu disse me parece fazer algum sentido: A descrição de um fato não é o fato

Minhas interações com espíritos deixam isso muito claro, não dá para passar a experiëncia.


Ayyavazhi disse: Quando eu disse que você nunca irá compreender sem experimentar, espero que você saiba que estava me referindo a qualquer pessoa e não a você especificamente. Não é uma deficiência sua, é uma condição que atinge a todos nós

Eu sei Ayya.


Ayyavazhi disse: Todo mundo está dizendo alguma coisa que entendeu ou que acha que é, mesmo que nunca tenham estado onde ele foi

Isso é natural.


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: provavelmente exista outra forma de consciência a um passo a frente dos nossos pensamentos, tipo "Quando voce ia fazer eu ja vinha com ele pronto"

Talvez seja por utilizarmos um termo, 'consciëncia', falando de coisas diferentes. Já tive um ou dois momentos 'consciëncia' pura totalmente diferentes do dele.


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Sybok/Salgueiro

comentei que o estado em que voce julga ter parado de pensar, poderia ser sua razão numa velocidade mais alta.
amenizando digamos que minha idéia foi considerada bobinha.
Mas veja que eu tenho um ótimo reflexo pra salvar objetos que caem ao chão, qual o tempo que um objeto gasta para percorrer 80 cm em queda livre?provavelmente milésimos de segundos mas, antes que ele encontre o chão o meu pé ja estará la entre eles, é assim que ja consegui salvar muitos copos de vidros e outros objetos.
A questão é que:
1) não ha tempo para racionar
2) calcular
3) nem enxergar
4) irracionalmente o pé é deslocado exatamente para o local em que o objeto irá cair, incrivelmente chegando la primeiro que o copo.
para mim intuição é um tipo de consciência instantânea, que dispensa os sentidos, pensamento e raciocínios, sabe e pronto.

Post edited by CRIATURO on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Olha! Isso que você denomina de pensamentos é a representação do que se vê na forma de símbolos gráficos e fonéticos da linguagem que aprendemos.
Assim, as tenras crianças que ainda não aprenderam nenhuma simbologia para descrever as coisas do mundo, apenas sentem da forma que você descreve como seja o tal estado de iluminação.
É apenas uma forma de ver as coisas sem interpreta-las ou traduzi-las para alguma forma de linguagem pensada.
Nada de extraordinário, apenas nos remete à uma forma primitiva de pensar. Assim como fazíamos quando éramos crianças de colo. Ou da mesma forma que alguns animais não humanos fazem.


Não estou certo de que crianças que ainda não falam, não tenham algum tipo de ruido mental próprio da idade.
Provavelmente suas pequenas mentes estão o tempo todo tentando "raciocinar" o mundo ao redor delas. Talvez a razão humana nessa época esteja em um tipo de "boot", tentando iniciar a si própria.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:57





agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
emmcri disse:
sybok me passa os links que você me recomendou ler onde você defende ser viável se achar Deus de forma racional , pois eu os perdi e por estes dias vou ter um tempo para ler.
Abraços



Siga pelas quatro verdades, depois pelo caminho óctuplo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Quatro_Nobres_Verdades
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nobre_Caminho_%C3%93ctuplo
Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: para mim intuição é um tipo de consciência instantânea, que dispensa os sentidos, pensamento e raciocínios, sabe e pronto.

Sim, mas será a intuição consciëncia? É um rolo Criaturo.


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: vamos tentar uma maior entendimento, quando falar besteiras me corrija:
Pratica
voce estudou os pensamentos de alguns mestres, teve fé na palavras deles e comprovou na pratica que eram verdadeiras no sentido em que existe uma mecânica nos pensamentos, que causa uma certa ilusão da realidade conhecida, onde em um estado mais consciente consegue interagir mais com a matéria e com os seres vivos, despertando os sentidos.


Não tive fé em nada.

Entendi a lógica filosófica por trás de um relato coerente que não pede por crença, mas que vem acompanhado de uma meio de verificar a realidade do relato.
Fiquei curioso e decidi verificar, para saber se eles estavam certos ou errado.


CRIATURO disse:
1) é notório a limitação dos sentidos o que implica na possibilidade de ilusões


A ilusão mental humana é largamente conhecida hoje, sem necessidade de pratica nenhuma, basta olhar o delírio esquerdista, olhar a ilusão nas nações islâmicas, nas nações keynesianistas e olhar nossos antepassados caçando bruxas.

Isso não é uma "possibilidade", é um fato visível por qualquer um.
A questão religiosa aqui, não é se a ilusão existe ou não, ela é um fato visível a todos, mas sim em saber qual a INTENSIDADE dessa ilusão e se existem meios de nos descortinar dela.

Então não é se existe "possibilidade" da mente causar ilusão, mas se é real o relato religioso de que essa ilusão é muito maior do que as pessoas podem imaginar e se é verdade que existe um meio de ver melhor o tamanho da ilusão, se libertando dela.


CRIATURO disse: 2) observo que antes do sono mantenho meus pensamentos ordenados mas, próximo de dormir noto que meus pensamentos ficam desconexos, sonhando este estado permanece oscilando entre pensamentos inteligentes e os desconexos como se o subconsciente estivesse tentando criar uma realidade para satisfazer a necessidade do meu estado emocional.

Isso mostra bem a "mecanicidade" do pensamento, quanto mais "conscientes" ou "despertos", mais coerentes e ordenados os pensamentos ficam, quanto mais sonolentos e distraídos, mais incoerentes eles se tornam.


CRIATURO disse: 3) Assim concordo na possibilidade de haver mesmo a ilusão a qual voce diz existir

Como dito, isso é um fato que você mesmo pode ver ainda hoje.
A "possibilidade" com a qual você deve concordar, é que talvez essa ilusão visível a qualquer um, seja MUITO maior do que você possa imaginar.


CRIATURO disse: 4)Qual é o objetivo da sua vida atual?
Ir levando a vida sem ter desejos.
CRIATURO disse: Qual é a sua visão da vida após a morte?
Não tenho nenhuma visão formada, acho que tudo é possível.
CRIATURO disse: 5)Continuará havendo consciência de outras realidades, mundos e seres ?
Talvez sim, talvez não.
Isso é inescrutável.

CRIATURO disse: 6)Estará liberto permanentemente da atual ilusão humana ?
A morte não liberta ninguém de nada.
Caso alguém atinja a iluminação em vida, também não sei o que acontece, budistas falam sobre se tornar o oceano e se libertar do ciclo de renascimento e morte.

Talvez Criaturo, voltemos a ser Deus e o individuo desapareça, pondo fim a atual brincadeira de Deus como esse individuo que sou e dai ele pode simplesmente criar um outro individuo e se auto-iludir achando que é ele, e mais uma vez "brincar" até voltar a si novamente.

Essa é uma adaptação da sua teoria de que somos Deus auto-iludidos, se somos ele, então somos uma coisa falsa e não precisamos existir como indivíduos para sempre, podemos simplesmente voltar a ser Deus, depois Deus vai e se ilude como outra coisa que não nós.
Se só o que existe é ele, então não tem ninguém "nascendo" ou "morrendo", é só Deus brincando, e, sendo assim, o individuo é irrelevante, assim como qualquer conceito de eternidade do ponto de vista individual.
A eternidade é só para Deus, não pra nós, pois somos somente uma ilusão.

Tudo é possível.

CRIATURO disse: 7)Manterá a memória desta vida?
Não sei Criaturo, mas pense comigo:

Se reencarnamos e essa é uma de nossas vidas, não temos memória das nossas vidas anteriores, é de supor que também não venhamos a ter na próxima vida, memoria dessa vida aqui.

Como isso passaria a ocorrer após a iluminação? Não sei, como dito falam que isso interrompe o ciclo de nascimento e morte.

Agora vejamos Criaturo.
Vamos pensar sobre "memoria".
Você acha que manter memorias é importante para Deus?
Você acha que isso é o que te define?
Você não só não lembra de suas outras vidas, se é que elas existem, você não lembra dos seus outros dias vividos aqui mesmo nessa vida!

Tente lembrar o que você durante todo o dia 21 de janeiro de 1997.
Depois tente lembrar de um dia antes e um dia depois.
Pegue um dia que se passou a dez anos atrás, do qual você lembre de alguma cena, depois tente voltar a um momento antes da cena que você se lembra, ou a um momento depois.
Tente lembrar o que comeu, com quem conversou, o que disse a sua mãe e pai e no que pensava.

Você não lembra de nada disso.
Nem dessa sua vidinha hoje você se lembra de verdade, lembra-se somente de flashs e de acontecimentos muito específicos.


CRIATURO disse: 8)Voce acha que antes dessa vida não existíamos ?

Como já disse não sei, se for apostar, aposto que já existíamos antes, mas quem disse que essa não pode ser a nossa primeira vida?
Temos que passar a existir em algum momento não é verdade?
Talvez seja nossa primeira vida! Talvez seja nossa primeira e única!
Depois de morrer voltamos a ser Deus e ele brinca de ser outra coisa que não o Criaturo e o Sybok.


CRIATURO disse: 9)Ok a maioria participa de uma ilusão coletiva pessoal mas, quando todos participam da mesma ilusão ela passa a ser a realidade aceita.
Se fosse assim então os nazistas teriam razão sobre os Judeus, essa era a "ilusão" coletiva com a qual a maioria concordava na época naquela nação.
A concordância alheia com um delírio, não faz do delírio coletivo uma realidade Criaturo.

Ilusão é por definição aquilo que não tem realidade, é aquilo cuja forma real não corresponde a forma percebida.
A ilusão ser parcialmente coletiva, não muda o fato da forma real, não ser igual a forma percebida.

CRIATURO disse: Mas ja que voce demonstra estar insatisfeito com ilusão da vida qual a maioria compartilha apontaria o seu dedo para qual caminho ?
O ceticismo, o celibato, o jejum, a meditação e qualquer meio que possa levar a mente a despertar, o que significa levar a mente a não mais desejar.
CRIATURO disse: 10) o que ocorre com as pessoas que morreram na escravidão da ilusão?
Não sei.

Os budistas acreditam que continuamos presos ao ciclo de renascimento e morte.
Ou seja, esse mundo descrito por vocês espiritas, com seres reencarnando, seria o ciclo de encarceramento dos espíritos iludidos, que morrem sem atingir a iluminação.

Atingindo a iluminação cessaria o clico de reencarnação.


CRIATURO disse: 11) sou movido pelo desejo alem de achar que são eles que me identificam como ser individual, perder o desejo não seria perder a identidade?
Não, não seria.
Você somente perderia a ilusão de que sua identidade é esse falso eu que tanto deseja, e descobriria que você não é o seus desejos.

CRIATURO disse: Se liberto da ilusão todos passarem a sentir-se unidos e desprovidos da vontade isso não fará seres contemplativos sem o desejo de ação?
Não Criaturo, só passaremos a nos mover e agir, sem nos iludirmos achando que somos o agente da ação, mas sabendo que a vida se desenrola através de nós, como as ondas se movendo na água.

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: A pergunta número 1 para mim (óbvio que tem uma penca, rs) é como se vive sem a razão? Sem pensar, raciocinar?

Isso pra mim também ainda é um mistério.
Eu mesmo não acho que a razão seja completamente abandonada, acho que enquanto ferramenta matemática ela é útil, só não precisa ficar ligada o tempo todo.
Pra mim ainda precisamos aprender a ligar e desligar a razão com controle total, para usá-la somente quando precisamos fazer cálculos e questionar coisas.

Mas para andar pela praia, para comer, fazer sexo, tomar banho, etc, não precisamos dela "pensando" o tempo todo. Não precisamos da razão pra nada disso, pois ela rouba atenção, rouba MUITA atenção, isso remove o sabor da comida, o prazer do sexo, do dia na praia, remove a delicia que é sentir a água quente durante um belo banho, etc.

Pensar e fazer outras coisas junto, é com assistir TV e estudar ao mesmo tempo, uma coisa tira a atenção da outra e deveríamos fazer uma coisa de cada vez.

Agora, é "possível" que com a razão quieta em um nível mais profundo, tenhamos entendimento direto, sem necessidade de raciocínio, mas não estou certo disso.
Como disse não atingi iluminação nenhuma, só calei a razão um tempo.

O fato aqui relatado é somente o de que não precisamos da razão para andar ou para tocar nosso dia a dia, não é ela quem precisa fazer as "escolhas" cotidianas.
Podemos andar de lá pra cá e escolher coisas sem ela. A razão na verdade não é nosso "eu", não é o agente real das escolhas e não é a nossa identidade.
Só achamos que é, por que ela fica ligada o tempo todo e assim se convenceu de que quem faz isso tudo é ela, quando na verdade não é bem assim.

Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: Sybok/Salgueiro

comentei que o estado em que voce julga ter parado de pensar, poderia ser sua razão numa velocidade mais alta.
amenizando digamos que minha idéia foi considerada bobinha.
Mas veja que eu tenho um ótimo reflexo pra salvar objetos que caem ao chão, qual o tempo que um objeto gasta para percorrer 80 cm em queda livre?provavelmente milésimos de segundos mas, antes que ele encontre o chão o meu pé ja estará la entre eles, é assim que ja consegui salvar muitos copos de vidros e outros objetos.
A questão é que:
1) não ha tempo para racionar
2) calcular
3) nem enxergar
4) irracionalmente o pé é deslocado exatamente para o local em que o objeto irá cair, incrivelmente chegando la primeiro que o copo.
para mim intuição é um tipo de consciência instantânea, que dispensa os sentidos, pensamento e raciocínios, sabe e pronto.


Muito bem Criaturo.
Você citou algo muito pertinente a discussão.
Tai um excelente exemplo de escolha por reflexo, sem necessidade de questionamento.

Essa sua distinção das coisas agora foi muito mais inteligente.


Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Eu tenho consciência de algumas coisas que não posso descrever. Por isso nem tento. Iria ficar apenas criando arremedos e recebendo de volta toda sorte de impressões e interpretações. O Sybok está tirando leite de pedra, mas nem essa fartura didática irá realizar essa proeza. Prova disso está aqui mesmo, neste tópico. Todo mundo está dizendo alguma coisa que entendeu ou que acha que é, mesmo que nunca tenham estado onde ele foi.
São os limites da razão e da filosofia.
Sem a observação direta dos fatos a comunicação se torna muito difícil, pois é a tentativa de descrever um objeto abstrato para quem nunca o viu.

É como tentar descrever para cegos de nascença o que são as cores, ou para surdos o que são os sons. Dá até pra fazer algumas analogias, dizendo que o azul é como o gelo e o vermelho como o fogo, mas a imagem mental criada nunca será realmente o azul ou o vermelho.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Eu mesmo não acho que a razão seja completamente abandonada, acho que enquanto ferramenta matemática ela é útil, só não precisa ficar ligada o tempo todo.

Sempre gostei de pensar, analisar e entender. Com a idade de tanto fazë-lo vc acaba aprendendo a deixar a mente vazia e naturalmente acaba ficando 'seletivo' no que dedicar seus neurönios.


sybok disse: Pra mim ainda precisamos aprender a ligar e desligar a razão com controle total, para usá-la somente quando precisamos fazer cálculos e questionar coisas.

Não tenho o controle total (quem dera!!) mas já consigo me recusar a pensar, rs.


sybok disse: Mas para andar pela praia, para comer, fazer sexo, tomar banho, etc, não precisamos dela "pensando" o tempo todo. Não precisamos da razão pra nada disso, pois ela rouba atenção, rouba MUITA atenção, isso remove o sabor da comida, o prazer do sexo, do dia na praia, remove a delicia que é sentir a água quente durante um belo banho, etc.

Chamo isso de maturidade, rs. Saber curtir o momento e aproveitá-lo ao máximo.


sybok disse: Agora, é "possível" que com a razão quieta em um nível mais profundo, tenhamos entendimento direto, sem necessidade de raciocínio, mas não estou certo disso.

Entendimento direto pode ser resultado de muitas coisas além de uma mente calada Sybok.


sybok disse: O fato aqui relatado é somente o de que não precisamos da razão para andar ou para tocar nosso dia a dia, não é ela quem precisa fazer as "escolhas" cotidianas

Depende do 'cotidiano', no meu tenho sim que pensar, rs.


sybok disse: A razão na verdade não é nosso "eu", não é o agente real das escolhas e não é a nossa identidade.

Não, não é nóis mas é o instrumento para construirmos o 'eu'. Fazendo uso da razão a probabilidade de se fazer 'boas' escolhas aumenta exponencialmente.


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Sim, mas será a intuição consciëncia? É um rolo Criaturo.
difici...muito difici
sendo criaturas nascidas a partir da ignorância absoluta todo conhecimento é adquirido externo ao ser, considerando uma memória eterna consultamos conhecimentos antigos como referencia para julgarmos os novos.
Mas ainda podemos compartilhar do conhecimento de consciências mais maduras direta ou indiretamente por indução da intuição.
Assim é que existe a possibilidade de acessarmos um conhecimento universal.


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: difici...muito difici
sendo criaturas nascidas a partir da ignorância absoluta todo conhecimento é adquirido externo ao ser, considerando uma memória eterna consultamos conhecimentos antigos como referencia para julgarmos os novos.
Mas ainda podemos compartilhar do conhecimento de consciências mais maduras direta ou indiretamente por indução da intuição.
Assim é que existe a possibilidade de acessarmos um conhecimento universal



Hummm, é isso só fazendo um adendo, acredito que o conhecimento intuitivo já está em nós, nascemos com ele. Não uso o termo intuitivo para a transmissão de conhecimento dos espíritos para nós, acaba virando salada, rs
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:58





agosto 2013 Sinalizar0
não existe esta transmissão de pensamentos ?

agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: não existe esta transmissão de pensamentos ?

Existe sim, eu é que não uso o termo intuitivo para ela. Tá mais para cochicho, rs


agosto 2013 Sinalizar0
esqueci que voce tem essas intimidades

agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: esqueci que voce tem essas intimidades

É só aprender a se ouvir, quando é vc e quando não é, rs. Com o tempo e a prática dá para discernir direitinho.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Não tive fé em nada.

Entendi a lógica filosófica por trás de um relato coerente que não pede por crença, mas que vem acompanhado de uma meio de verificar a realidade do relato.
Fiquei curioso e decidi verificar, para saber se eles estavam certos ou errado.


teve sim acreditando que isso era possível é que pode comprovar pessoalmente


sybok disse: A ilusão mental humana é largamente conhecida hoje, sem necessidade de pratica nenhuma, basta olhar o delírio esquerdista, olhar a ilusão nas nações islâmicas,

me referi mais a ilusão dos sentidos fisicos e não da moral humana


sybok disse: Isso mostra bem a "mecanicidade" do pensamento, quanto mais "conscientes" ou "despertos", mais coerentes e ordenados os pensamentos ficam, quanto mais sonolentos e distraídos, mais incoerentes eles se tornam.

quanto mais desconectados estiverem nossos sentidos deste mundo, mas conectada estará nossa consciência em outras realidades, penso que a consciência definitivamente desconectada desse corpo, ainda mantenha todos os 5 sentidos conhecidos e talvez adquira outros estados de lucidez desconhecidos, como você mesmo afirma ter experimentado.


sybok disse: Como dito, isso é um fato que você mesmo pode ver ainda hoje.
A "possibilidade" com a qual você deve concordar, é que talvez essa ilusão visível a qualquer um, seja MUITO maior do que você possa imaginar.


vamos ver, descreva o processo.


sybok disse: CRIATURO disse: 4)Qual é o objetivo da sua vida atual?
Ir levando a vida sem ter desejos.


fala sério! sinto muito mas, ao levantar ja realizou o primeiro desejo.
observe que a própria vida o convida a ter desejos, vai querer dizer não a vida ? impossível!


sybok disse: CRIATURO disse: Qual é a sua visão da vida após a morte?
Não tenho nenhuma visão formada, acho que tudo é possível.


sensato,mas com certeza deve ter suas idéias quantos essas possibilidades? uma delas é de que não podem haver consciências fora da matéria.
A consciência fica desprovida da ação própria?
Esquece -se de quem foi no corpo físico?
Volta habitar outro corpo humano ?
especule ai o seu mundo melhor é de grátis, sem compromisso com a realidade.....he.he.he.he



sybok disse: A morte não liberta ninguém de nada.
Caso alguém atinja a iluminação em vida, também não sei o que acontece, budistas falam sobre se tornar o oceano e se libertar do ciclo de renascimento e morte.


o que seria isso, atingir a iluminação em vida ?


sybok disse: Talvez Criaturo, voltemos a ser Deus e o individuo desapareça, pondo fim a atual brincadeira de Deus como esse individuo que sou e dai ele pode simplesmente criar um outro individuo e se auto-iludir achando que é ele, e mais uma vez "brincar" até voltar a si novamente.

divina lógica redundante.
Sou um ser possessivo principalmente quanto a minha personalidade é um apego danado, talvez nem morto eu queira desgrudar dela, lutarei até o ultimo "eu".
Isso me incomoda : "o homem é como o vento não sabe de onde veio nem para onde esta indo ", pois me incomoda a ideia de ter tido outras vidas que nunca mais terei acesso a elas, por exemplo que tenha deixado no passado seres e afetos ao quais perderam-se no tempo mas admitindo que as transformações sejam necessárias temos que dar ouvidos a musica do Lulu Santos "....nada do que foi sera de novo do jeito que ja foi um dia, como uma onda no mar, num indo e vindo infinito, nenhuma sera igual a outra".
Viajando no barco do progresso, gostaria de levar amigos de um longínquo passado, mesmo que disfarçados por "mascaras e roupas novas" , certamente poderia reconhece-los por suas afinidades e desafetos.
Chegará o dia em que a vida transformará desafetos em uma sociedade afim, então passaremos a viajar no barco da felicidade até criarmos novos desafetos.
isso me faria mais sentido do que "existir por existir" nascendo e morrendo aleatória mente como bolhas dentro de uma sopa, uma ao lado da outra saindo e voltando para o todo, seriamos o infinito e ao mesmo tempo "ninguém".


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: É só aprender a se ouvir, quando é vc e quando não é, rs. Com o tempo e a prática dá para discernir direitinho.

isto é o que sybok tabem diz, facim ..facim...basta olhar que ta la.


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: isto é o que sybok tabem diz, facim ..facim...basta olhar que ta la.

De fácil não tem nada. Primeiro vc tem que se descobrir (auto conhecimento) e não é um processo agradável para depois discernir se o cochicho é seu ou não.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Se reencarnamos e essa é uma de nossas vidas, não temos memória das nossas vidas anteriores, é de supor que também não venhamos a ter na próxima vida, memoria dessa vida aqui.

diz a DE que o espirito(consciência) livre da ilusão da carne poderá ter acesso as vidas anteriores.
A reencarnação seria o processo em que o espirito volta a ser infantil e se desenvolverá com o novo cérebro, trazendo com ele traços da sua personalidade passada.
Seria isso a explicar uma evidente demonstração de personalidade a partir da fala e os dons natos.


sybok disse: Você acha que manter memorias é importante para Deus?
Você acha que isso é o que te define?


o que me define são meus desejos


sybok disse: Você não só não lembra de suas outras vidas, se é que elas existem, você não lembra dos seus outros dias vividos aqui mesmo nessa vida!

memória não é o coração que você precisa usar a todo momento, ela fica stand by, tambem temos o acesso facilitado conforme a importância que demos ao fato.
Ja não lembro qual o foi o meu comentário anterior, mas sou capaz de lembrar de fatos acontecidos quando tinha apenas 2 anos, se hipnose (ou sonhos) for verdadeira pessoas podem lembrar de fatos acontecidos enquanto se formavam no útero materno, ou até em vidas passadas.


sybok disse: Você não lembra de nada disso.

posso não lembrar de tudo mas, sei que minha vida não iniciou ontem


sybok disse: Como já disse não sei, se for apostar, aposto que já existíamos antes, mas quem disse que essa não pode ser a nossa primeira vida?

o bom senso, você realmente acha que todo o seu conhecimento foi adquirido nos seus poucos anos de vida? E não estará iludido quanto ao limite dele?
observe o inicio de uma vida infantil e logo perceberá um espirito adulto ali tentando se reencontrar.
Então nesse processo de desenvolvimento "para aprendermos desenvolver a mão esquerda é necessário esquecermos que ja possuímos a direita ."
Dentro do Todo não existe um vácuo divino da não existência Deus, quando você retira partes de si mesmo é imediatamente preenchido por outras.


sybok disse: Talvez seja nossa primeira vida! Talvez seja nossa primeira e única!
é possível mas, não creio prefiro acreditar que a energia que anima o meu ser venha evoluindo junto com todas as espécies de seres viventes por bilhões de anos.


sybok disse: Depois de morrer voltamos a ser Deus e ele brinca de ser outra coisa que não o Criaturo e o Sybok.

para mim essa brincadeira então não terá mais graça


sybok disse: Talvez seja nossa primeira vida! Talvez seja nossa primeira e única!
Depois de morrer voltamos a ser Deus e ele brinca de ser outra coisa que não o Criaturo e o Sybok.


a inteligencia esta na criatividade de ser muitos e distintos.


sybok disse: A concordância alheia com um delírio, não faz do delírio coletivo uma realidade Criaturo.

quando o coletivo participa do mesmo delírio vivenciam a mesma realidade relativa.




sybok disse: CRIATURO disse: Mas ja que voce demonstra estar insatisfeito com ilusão da vida qual a maioria compartilha apontaria o seu dedo para qual caminho ?
O ceticismo, o celibato, o jejum, a meditação e qualquer meio que possa levar a mente a despertar, o que significa levar a mente a não mais desejar.


por que não disse logo! Vou começar já!

Não desejando este tipo de vida! ha..ha..ha..ha.ha



sybok disse: RIATURO disse: 11) sou movido pelo desejo alem de achar que são eles que me identificam como ser individual, perder o desejo não seria perder a identidade?
Não, não seria.
Você somente perderia a ilusão de que sua identidade é esse falso eu que tanto deseja, e descobriria que você não é o seus desejos.


Voce consegue se ver sem desejos ?
voce consegue viver sem desejos ?


sybok disse: Não Criaturo, só passaremos a nos mover e agir, sem nos iludirmos achando que somos o agente da ação, mas sabendo que a vida se desenrola através de nós, como as ondas se movendo na água.

...nada do que foi será de novo como ja foi um dia ...tudo...passa...tudo sempre passará a vida como ondas... num indo e vindo infinito....


sybok disse:
comentei que o estado em que voce julga ter parado de pensar, poderia ser sua razão numa velocidade mais alta.
amenizando digamos que minha idéia foi considerada bobinha.
Mas veja que eu tenho um ótimo reflexo pra salvar objetos que caem ao chão, qual o tempo que um objeto gasta para percorrer 80 cm em queda livre?provavelmente milésimos de segundos mas, antes que ele encontre o chão o meu pé ja estará la entre eles, é assim que ja consegui salvar muitos copos de vidros e outros objetos.
A questão é que:
1) não ha tempo para racionar
2) calcular
3) nem enxergar
4) irracionalmente o pé é deslocado exatamente para o local em que o objeto irá cair, incrivelmente chegando la primeiro que o copo.
para mim intuição é um tipo de consciência instantânea, que dispensa os sentidos, pensamento e raciocínios, sabe e pronto.

Muito bem Criaturo.
Você citou algo muito pertinente a discussão.
Tai um excelente exemplo de escolha por reflexo, sem necessidade de questionamento.

Essa sua distinção das coisas agora foi muito mais inteligente.


aleluia! do inferno ao céu em algumas paginas, pois eu ja havia feito a mesma hipótese e voce havia classificada como uma asneira,mas sabe como é né,sou brasileiro.....

«

agosto 2013 Sinalizar0
Salgueiro,

Sei que você segue a Doutrins Espírita. Estou terminando de ler "O Evangelho segundo o espiritismo", e estou folheando "O livro dos espíritos" (este, bem mais difícil). Continuo respeitando a caridade e outros pontos positivos desta doutrina, mas continuo cético quanto à reencernação/vida depois da morte. Talvez você possa me ajudar:
- suponhamos que exista uma alma imortal, então o que realmente acontece após a morte? Esta alma vai direto para o Paraíso, se a pessoa foi boa toda a vida, ou direto para o Inferno, se foi má? Ou, como creem os catôlicos, se os pecados não foram o suficiente para ir para o Inferno, mas impedem ir direto para o Paraíso, a alma passa uma temporada no Purgatório? Ou ainda, a alma entra imediatamente num ciclo eterno de mortes e renascimentos? Ou fica no modo "stand by", aguardando o Dia do Juízo (acho que os adventistas crêem nisto)?
Não seria mais razoável permancermos céticos e críticos sobre a possibilidade de uma vida após a morte? É certo, tememos a morte e não gostamos da ideia de não existirmos um dia; mas será que acreditar muito numa coisa torna essa, necessariamente, verdade?


agosto 2013 Sinalizar0
Aza, eu não acho, imagino, desejo, eu tenho 99% de certeza de que não 'morremos', o 1% restante é caso eu seja doida e ainda não tenha me dado conta, rs.

Segundo a doutrina ao morremos o espírito vai para o local em que se afiniza. Não existe céu, inferno ou purgatório. Só locais que espíritos afins se reúnem.


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Aza, eu não acho, imagino, desejo, eu tenho 99% de certeza de que não 'morremos', o 1% restante é caso eu seja doida e ainda não tenha me dado conta, rs.
esquizofrenia ?

agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: esquizofrenia ?

Vamos ver, tenho 54 anos, só entrei em hospitais como visita afora duas cirurgias, amígdalas e cesárea, rs, nunca usei drogas e raramente bebi nos últimos trinta anos.


agosto 2013 Sinalizar0
mordeu a isca mas, não chegou a revelar o segredo..he...he..he..he

agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: mordeu a isca mas, não chegou a revelar o segredo..he...he..he..he

Não tem segredo Criaturo, de forma consciente nunca pedi para me provarem nada nem tinha interesse no assunto que eu achava que era pura crendice, ó céus!, que era papo de gente ignorante.


agosto 2013 Sinalizar0
o que te da 99% de certeza ?

agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: o que te da 99% de certeza ?

Uma penca de eventos diferentes, levei uns quinze anos até jogar a toalha e entrar para o 'time dos ignorantes', rs


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: CRIATURO disse: o que te da 99% de certeza ?
Uma penca de eventos diferentes, levei uns quinze anos até jogar a toalha e entrar para o 'time dos ignorantes', rs


Epifania. Talvez, Criaturo, pessoas profundamente religiosas, mas NÃO FANÁTICAS, como a querida Sal e o emmcri, tenham tido alguma epifania, alguma sensação de estarem em sintonia com o "divino". Só porque eu NUNCA tive uma experiência dessas, não tenho o direito de zombar deles. Ah, que inveja... Enfim, SOU ateu e VOU MORRER ateu.


agosto 2013 Sinalizar0
Azathoth disse: Epifania. Talvez, Criaturo, pessoas profundamente religiosas, mas NÃO FANÁTICAS, como a querida Sal e o emmcri, tenham tido alguma epifania, alguma sensação de estarem em sintonia com o "divino". Só porque eu NUNCA tive uma experiência dessas, não tenho o direito de zombar deles. Ah, que inveja... Enfim, SOU ateu e VOU MORRER ateu


Caraca Aza !! Tö me sentindo a 'beata', rs, sou não, rs. Se quiser um termo que seja religiosidade que é diferente de ser religiosa.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 08:59





agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Caraca Aza !! Tö me sentindo a 'beata', rs, sou não, rs. Se quiser um termo que seja religiosidade que é diferente de ser religiosa.

Sim. Imagino que você tenha um bom motivo para crer na doutrina espírita; algo aconteceu em sua vida que te deu uma CERTEZA, e eu não tenho o direito de zombar disso. Mas vou retificar o termo...


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse:
sybok disse: Não tive fé em nada.

Entendi a lógica filosófica por trás de um relato coerente que não pede por crença, mas que vem acompanhado de uma meio de verificar a realidade do relato.
Fiquei curioso e decidi verificar, para saber se eles estavam certos ou errado.

teve sim acreditando que isso era possível é que pode comprovar pessoalmente

Como disse, não "acreditei" que era possível, verifiquei para ver se era ou não real.

Entenda Criaturo, se um MEIO DE VERIFICAÇÃO é apresentado, a fé se faz desnecessária.
Se eu digo: "Em algum lugar em outro mundo existe um sapo azul magico que pode realizar nossos desejos".
Essa é uma afirmação que depende de fé, pois não pode ser verificada.

Já se eu digo: "Naquela balde ali tem um sapo azul".
Bem, ninguém precisa acreditar em nada, pode simplesmente ir até o balde para conferir se é verdade ou não.

Essa é a diferença básica entre uma coisa e outra.


CRIATURO disse: sybok disse: A ilusão mental humana é largamente conhecida hoje, sem necessidade de pratica nenhuma, basta olhar o delírio esquerdista, olhar a ilusão nas nações islâmicas,


me referi mais a ilusão dos sentidos fisicos e não da moral humana

É tudo a mesma coisa Criaturo.


CRIATURO disse: quanto mais desconectados estiverem nossos sentidos deste mundo, mas conectada estará nossa consciência em outras realidades, penso que a consciência definitivamente desconectada desse corpo, ainda mantenha todos os 5 sentidos conhecidos e talvez adquira outros estados de lucidez desconhecidos, como você mesmo afirma ter experimentado.
Ninguém falou sobre "desconectar" nada "desse mundo" Criaturo.
Mais uma vez você está chagando a conclusões erradas sobre o que foi dito, mas que ninguém de fato sugeriu.

Eu falei sobre nos tirar de um meio sono, um tipo de "transe" que nos deixa DISTRAÍDOS e que por tanto no tira o contato com nossos sentidos.
Justamente por isso ao "despertar", nossos sentidos ficam ainda mais apurados.


CRIATURO disse: fala sério! sinto muito mas, ao levantar ja realizou o primeiro desejo.
observe que a própria vida o convida a ter desejos, vai querer dizer não a vida ? impossível!

Não ter desejos não significa inação.
A própria vida nos obriga a nos movermos e a trabalhar, não precisamos "desejar" as coisas para nos mover.
E depois, quem disse que para fazer qualquer coisa é preciso "desejo"?
Você pode fazer qualquer coisa, desde que não tenha APEGO a elas.

Não ter desejos não significa não comer um chocolate, significa comer se a vida lhe ofertar um, mas sem desejar que a vida lhe oferte qualquer coisa.
É aceitar o que vier.

Só que para ATINGIR a capacidade de viver assim, com REAL desapego, parte do processo está em negar a si próprio tudo o que desejar, vem dai praticas TEMPORÁRIAS como o jejum o celibato, etc...


CRIATURO disse: sensato,mas com certeza deve ter suas idéias quantos essas possibilidades? uma delas é de que não podem haver consciências fora da matéria.
A consciência fica desprovida da ação própria?
Esquece -se de quem foi no corpo físico?
Volta habitar outro corpo humano ?
especule ai o seu mundo melhor é de grátis, sem compromisso com a realidade.....he.he.he.he


Não sei, não sei e não sei Criaturo.
Posso no máximo imaginar que existam outras vidas iguais a essa.
Não imagino nenhum tipo de "transição" entre uma vida e outra, até onde sei Deus pode nos levar dessa vida para a próxima com a mesma facilidade com a qual saímos de um sonho para outro e de um sonho para a vida real.

Para onde vai sua consciência quando deixa o sonho, antes de você acordar?
Até onde sei saímos do mundo dos sonhos direto para esse aqui.
Não existe então necessidade de um mundo espiritual que sirva de passagem entre uma coisa e outra, nem de deixar a consciência sem um corpo.

CRIATURO disse: o que seria isso, atingir a iluminação em vida ?
É a única forma que existe de se atingir a iluminação Criaturo.
Um monge em vida leva sua mente até o estado desperto e pronto, atingiu a iluminação.
Ninguém se ilumina depois de morrer, só vivos podem praticar meditação, jejum, etc...
Mortos só podem apodrecer e ser comidos pelos vermes.



CRIATURO disse: divina lógica redundante.
Sou um ser possessivo principalmente quanto a minha personalidade é um apego danado, talvez nem morto eu queira desgrudar dela, lutarei até o ultimo "eu".
(...)
isso me faria mais sentido do que "existir por existir" nascendo e morrendo aleatória mente como bolhas dentro de uma sopa, uma ao lado da outra saindo e voltando para o todo, seriamos o infinito e ao mesmo tempo "ninguém".

Bem-vindo a realidade, a vida não faz sentido, seja você um ateu ou um teísta.
Você pode criar falsas explicações que lhe deem um sentido que não resite a analise dos fatos, e pode acreditar piamente isso para se sentir confortável, mas o fato é que a vida não tem sentido, seja ela finita ou eterna.

Somo nós que gostamos de dar sentido a ela.
A vida não precisa disso, ela apenas é o que é (seja lá o que for).


agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: sybok disse: A razão na verdade não é nosso "eu", não é o agente real das escolhas e não é a nossa identidade.

Não, não é nóis mas é o instrumento para construirmos o 'eu'. Fazendo uso da razão a probabilidade de se fazer 'boas' escolhas aumenta exponencialmente.

Não quando a ferramenta é mal utilizada e quando quem a usa não sabe controlá-la direito.

Pessoas que lidam com a bolsa de valores muitas vezes recorrem a programas que fazem "caculos" probabilísticos e analises de risco.
Esses programas são puramente mecânicos, são somente guias que servem para fazer "consultas" de certas variáveis, mas no fim não é o programa quem deve tomar a decisão final, ele no máximo pode dar uma "sugestão" sobre os riscos.

A razão é mais ou menos assim, ela faz cálculos e da sugestões, ouvir o que ela tem a dizer e levar isso em conta, é diferente de se confundir com ela, ligar o piloto automático e deixá-la decidir tudo sozinha.

Uma ferramenta é só uma ferramenta, não se pode confundi-la com qualquer coisa além disso.


agosto 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse:
o que me define são meus desejos

O que te escraviza são seus desejos.
Você só acha que isso é o que te define, por não saber quem é de fato.


CRIATURO disse: Ja não lembro qual o foi o meu comentário anterior, mas sou capaz de lembrar de fatos acontecidos quando tinha apenas 2 anos, se hipnose (ou sonhos) for verdadeira pessoas podem lembrar de fatos acontecidos enquanto se formavam no útero materno, ou até em vidas passadas.
O fato permanece, mesmo DESSA vida, tudo o que lembramos são somente flashs.
Muito (a maior parte)do que vivemos NESSA vida já se foi e já não nos lembramos mais.



CRIATURO disse:
sybok disse: Como já disse não sei, se for apostar, aposto que já existíamos antes, mas quem disse que essa não pode ser a nossa primeira vida?
o bom senso, você realmente acha que todo o seu conhecimento foi adquirido nos seus poucos anos de vida? E não estará iludido quanto ao limite dele?
observe o inicio de uma vida infantil e logo perceberá um espirito adulto ali tentando se reencontrar.

Ou você está subestimando a capacidade de Deus.

Se ele desejou DIVERSIDADE, não precisa nos fazer "evoluir" lentamente de insetos a humanos, pode simplesmente ter nos criado já como somos.

E sim, é perfeitamente viável que nós humanos nunca tenhamos sido nada além de humanos e que essa seja nossa primeira vida.
Isso inclusive explicaria muito bem o fato de Deus nos ter colocado em um corpo mecânico com um falso eu mecânico que atua como uma forma de inteligencia artificial.
Aprendemos por imitação, nos confundindo com esse falso eu até nos libertarmos dele.

Então as capacidades que você julga como sendo "todo esse conhecimento adquirido em poucos anos de vida", são simples funções pré programadas nesse eu mecânico.


CRIATURO disse: quando o coletivo participa do mesmo delírio vivenciam a mesma realidade relativa.
Não Criaturo, apenas vivenciam a crença delirante na mesma ilusão, assim como os nazistas, marxistas e os nossos antepassados caçadores de bruxas.
A crença deles não fez a realidade mudar, só por eles acreditarem nessas asneiras todas juntos.


CRIATURO disse: Voce consegue se ver sem desejos ?
Sim, já matei a grande maioria deles, poucos restaram e já estão na mira.
CRIATURO disse: voce consegue viver sem desejos ?
Já consigo viver sem a maioria deles, espero conseguir matar todos.


CRIATURO disse:
aleluia! do inferno ao céu em algumas paginas, pois eu ja havia feito a mesma hipótese e voce havia classificada como uma asneira,mas sabe como é né,sou brasileiro.....


A diferença é que antes você não soube separar as coisas e falou sobre "pensamentos ultra rápidos a ponto de não percebê-los" enquanto que agora você separou as coisas e deu um bom exemplo de reflexo, onde agimos SEM pensar sobre isso.


agosto 2013 Sinalizar0
sybok disse: Não quando a ferramenta é mal utilizada e quando quem a usa não sabe controlá-la direito

Mas quando bem utilizada é um primor e como qualquer outra 'coisa' deve ser desenvolvida e refinada.


sybok disse: A razão é mais ou menos assim, ela faz cálculos e da sugestões, ouvir o que ela tem a dizer e levar isso em conta, é diferente de se confundir com ela, ligar o piloto automático e deixá-la decidir tudo sozinha.

Não dá para se confundir com ela Sybok, nós somos a soma de partes complexas, sem o auto conhecimento, o instrumento razão perde muito do seu potencial ou eficácia.


agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Mas quando bem utilizada é um primor e como qualquer outra 'coisa' deve ser desenvolvida e refinada.

Nosso mundo tem um funcionamento e esse funcionamento deve ser respeitado. Vivemos, agimos, fazemos escolhas, e cada passo que damos já nasce atrelado às suas conseqüências. A partir daí, aprendemos a empregar melhor nossos recursos intelectuais, selecionando o que queremos dar ao mundo e o que esperamos receber de volta. Nesse sentido, a razão deve ser bem utilizada e é uma ferramenta imprescindível para o exercício da vida; apenas viver.

A razão que conhecemos, no entanto, inobstante nos sirva tanto e tão bem aos fins a que se destina, tem seus limites. Digo que ela é limitadíssima, rudimentar, primitiva. A razão não pode conhecer nada além daquilo que está delimitado pela mente humana. Nossa compreensão está envolvida por essa bolha ilusória, não importa se material ou espiritual, em que vivemos, e é dentro dessa bolha que ela se “desenvolve”.

Quando você consegue calar o vulcão chamado mente, você percebe que existe outra forma de consciência, diferente da razão. É uma consciência que não precisa medir, analisar, comparar, inferir, lembrar ou fazer qualquer outra forma de verificação para compreender. Ela apenas sabe, apenas conhece. E estou plenamente ciente do quanto minhas palavras estão equivocadas. Eu mesmo já alertei, tantas vezes, que isso não cabe em uma descrição. Estou, portanto, fazendo o que eu sei que não está ao meu alcance.

Como o Sybok costuma dizer, apontamos em uma direção. É só o que podemos fazer. 



salgueiro disse: Não dá para se confundir com ela Sybok, nós somos a soma de partes complexas, sem o auto conhecimento, o instrumento razão perde muito do seu potencial ou eficácia.

Minha linda, eu acho que você não vai abandonar essa ideia tão cedo. Mas vou deixar a semente nesse solo que eu sei que é fértil.

Nós não somos isso. Não somos a soma de partes e, sequer, somos partes. Você está olhando o personagem. Você o observa há muito tempo e o conhece cada vez melhor, e isso sempre é bom. Eu exercito o autoconhecimento desde que me entendo por gente. Mas, desde 1992, quando tive minha experiência com essa coisinha que chamo de EGO, nunca mais confundi um com o outro. Foi um divisor de águas. Eu posso não saber o que eu sou, mas sei, com certeza, o que eu não sou.

Não somos algo em construção, como você costuma dizer. O que você tem feito, esse tempo todo, é uma remoção. Não podemos juntar várias partes de uma ilusão e formar uma realidade. Toda essa complexidade que você percebe irá desaparecer. Não existe outro caminho, embora você possa realizar essa tarefa por meios diversos. Sei que minha didática não é muito boa, mas o Sybok tem dito a mesma coisa, com a maestria de sempre. Há uma frase dele, inclusive, onde ele diz (mais ou menos) que só é possível encontrar Deus quando se elimina o ego.

Essa ideia de evolução, de crescimento espiritual, é tão ilusória quanto qualquer outra concepção que possamos elaborar a partir dos limites de nossa razão. Quando você acredita que o objetivo da vida é deixar de ser um Charles Manson para se tornar uma Madre Tereza, você está acreditando que devemos largar um personagem para ser outro. Não. Todos são indesejados. Todos devem ser abandonados. É claro que, no processo de remoção do entulho, nos aproximamos cada vez mais desse conceito de bondade que cunhamos e, como eu sempre digo, isso é uma conseqüência e não um objetivo. Enquanto for um objetivo, você estará presa à ilusão e buscando por ela.



Post edited by Ayyavazhi on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: É uma consciência que não precisa medir, analisar, comparar, inferir, lembrar ou fazer qualquer outra forma de verificação para compreender. Ela apenas sabe, apenas conhece.

Aaah ! Aqui talvez esteja a questão, até onde percebo vc vë como algo pronto e completo e eu não, fica claro para mim isso por raros momentos em que ela 'assumiu o controle' (ö dificuldade para colocar em palavras), rs.


Ayyavazhi disse: Minha linda, eu acho que você não vai abandonar essa ideia tão cedo

Não tenho o porque fazer isso (por favor não leve a mal) a menos aconteça algum tipo de epifania.


Ayyavazhi disse: Quando você acredita que o objetivo da vida é deixar de ser um Charles Manson para se tornar uma Madre Tereza, você está acreditando que devemos largar um personagem para ser outro

Não acredito nisso Ayya, essa é uma forma simplificada de ver, apesar de tanto eu citar o Bem como caminho possa levar a essa conclusão.

Post edited by salgueiro on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Não dá para se confundir com ela Sybok, nós somos a soma de partes complexas, sem o auto conhecimento, o instrumento razão perde muito do seu potencial ou eficácia.
salgueiro disse:
Aaah ! Aqui talvez esteja a questão, até onde percebo vc vë como algo pronto e completo e eu não, fica claro para mim isso por raros momentos em que ela 'assumiu o controle' (ö dificuldade para colocar em palavras), rs.


Eu acho que na verdade aqui são duas questões distintas.

A razão é útil, mas talvez seja como um útil andador para bebes.
É nisso que o Ayya mais aposta.
Ele trata a razão como um andador, algo que faremos uso até aprendermos a andar sem ele, onde poderemos a "entender" sem analisar e julgar como fazemos com a razão.

Como eu só pude calar a razão, mas sem atingir uma capacidade de entendimento matemático direto capaz de substituí-la, então não estou tão certo disso.
Eu sei que é possível calá-la e sei que poderia ter ido mais "fundo" e tive vislumbres momentâneos de coisas e funções da mente adormecidas, mas nenhuma delas capaz de substituir a razão, então considero três hipóteses:

1 - A razão possui um substituto de entendimento direto e será eliminada.
2 - A razão tem uma função única e deve ser controlada, devemos aprender a ligar e desligar a ferramenta com total controle.
3 - É possível o entendimento direto, mas a razão ainda tem sua característica "imaginativa" única, então continuaria sendo usada em paralelo.

Não sabemos.
O fato é que não somos a razão.

O problema é que isso ainda se mistura a questão do "eu".
Quando você diz coisas como "somos a soma de partes complexas", você não percebe que se somos feitos de partes, então não existe um "eu" a ser encontrado, pois esse "eu" seria um conceito abstrato, tudo o que podemos apontar a existência são das "partes".

Não é que exista um "eu" pronto Salgueiro, que esta aprisionado, ou um "eu" a ser construído de certas partes, provavelmente não existe um "eu" nem pronto, nem a ser construído, tudo é somente um processo, a vida se manifestando em varias formas.

Você acha que é você quem se constrói através de "escolhas" de um "eu", e quando falamos que não existe esse "eu", você erroneamente imagina então um "eu" pronto por de trás disso que chamamos eu ilusório.
Não trabalhamos com uma noção de "eu", na verdade é a vida quem nos fez como somos, e, essa vida, não parece nos ter dotado de um "eu" no sentido como estamos acostumados a imaginar.
Não temos um "eu" pronto e escravizado pelo ego, nem estamos construindo um "eu" através de questionamentos, vivencia e memorias.

Vivemos um processo de despertar com um falso eu, num processo que nos foi imposto pela vida e que segue em direção a remoção dessas falsas noções de "eu", segue em direção ao nosso esvaziamento, removendo nossas crenças e desejos, culminando no desaparecimento da noção de "eu".

Como é "ser" sem um "eu", essa é a questão que ninguém aqui saberia dizer, mas é a direção em que a vida parece seguir.
Mas veja bem, estou dizendo é que já não temos um "eu", só vamos nos livrar da ilusão de que temos um.

Existe um "algo", somos a vida manifesta, mas estamos irremediavelmente unidos com tudo o que nos cerca a tal ponto que não é possível a existência de um "eu" como estamos acostumados a imaginar, nem liberdade para o mesmo tipo de "escolhas" que pensamos fazer.

A própria discussão filosófica sobre o livre arbítrio já indica isso, com aquela velha discussão sobre determinismo e indeterminismo e a analogia da "roleta" na cabeça.


Post edited by sybok on agosto 2013
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:02


sybok disse: Não ter desejos não significa inação.
ação não significa desejo ?
Coisas se movem ou pelo desejo próprio ou pelo dos outros, o que não se move pelo desejo humano se move pelo desejo de outra inteligencia.



sybok disse: E depois, quem disse que para fazer qualquer coisa é preciso "desejo"?
Você pode fazer qualquer coisa, desde que não tenha APEGO a elas.


eu posso fazer qualquer coisa desde que eu tenha tenha desejo de realizar tal coisa.
desejo = vontade = ação
Você deseja controlar seus pensamentos mecânicos, então esta APEGADO a esse desejo ?


sybok disse: Não ter desejos não significa não comer um chocolate, significa comer se a vida lhe ofertar um, mas sem desejar que a vida lhe oferte qualquer coisa.
É aceitar o que vier.

orgulho ? Do tipo não precisarei pagar por algo que eu não desejei?
ou uma sacanagem ? nascer desejando para depois ter que aprender não mais desejar?
Criados viciados com a função de largarmos o vicio?

Bom! eu "desejo" ser um iluminado ou um iludido materialista vivendo e aceitando a vida do jeito que ela vier, quando deixamos de desejar somos conformistas.

Fica difícil desassociar o "ser" do "desejo", algum nível de desejo é necessário para dar existência ao ser, pois ainda somos incompletos.

"desapego total ao ser = inexistência do ser"


sybok disse: Só que para ATINGIR a capacidade de viver assim, com REAL desapego, parte do processo está em negar a si próprio tudo o que desejar, vem dai praticas TEMPORÁRIAS como o jejum o celibato, etc..

Se Deus te fez assim, você estará tentando contrariar uma obra de Deus.
Se você se fez assim estará sendo ilógico.


sybok disse: É a única forma que existe de se atingir a iluminação Criaturo.
Um monge em vida leva sua mente até o estado desperto e pronto, atingiu a iluminação.
Ninguém se ilumina depois de morrer, só vivos podem praticar meditação, jejum, etc...
Mortos só podem apodrecer e ser comidos pelos vermes.


quando diz ter alcançado o estado de consciência capaz de controlar seus pensamentos e sentir-se uno como universo, considera isso a "iluminação" ?
é por isso que o ayya te chama de mestre ?
o monge que ateou fogo no próprio corpo atingiu a iluminação ?


sybok disse:Bem-vindo a realidade, a vida não faz sentido, seja você um ateu ou um teísta. Somo nós que gostamos de dar sentido a ela.
A vida não precisa disso, ela apenas é o que é (seja lá o que for).


ja que é assim essa sua visão dentro da vida também não faz o menor sentido.
E você apenas se ilude acreditando que descobriu algo que faça sentindo, acho melhor você despegar dessa ideia.

gostaria de também poder dizer "Bem-vindo a realidade",mas como você mesmo diz todos nós somos iludidos.


sybok disse: Ninguém se ilumina depois de morrer, só vivos podem praticar meditação, jejum, etc...
Mortos só podem apodrecer e ser comidos pelos vermes.


fala-se como se a morte representasse o fim do ser, ou uma inatividade ?

Post edited by CRIATURO on setembro 2013

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: fala-se como se a morte representasse o fim do ser, ou uma inatividade ?

Acho que na hipótese dele, a mente fica em completo standby sem o suporte corporal e cerebral.
Ela só poderia se "iluminar", (acho que isso significa, saber quem ela é de fato) só por meio de alguns mecanismos específicos do corpo, sendo o mais relevante para isso, a consciência.

Você cogita que a mente sem o corpo funcionaria ainda como se tivesse um outro corpo, em outra dimensão. E assim iria galgando degraus por meio de uma evolução moral até atingir o topo, que seria a "iluminação".

Eu acho que a mente sem o corpo, ficaria presa na solidão de uma realidade sem inputs. E isso significaria que ela estaria ciente dela mesma. Seria no caso a tal "iluminação". Realidade solitária.

Post edited by Marcio on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: só se deu ao trabalho de verificar "por ter acreditado" na possibilidade desta hipótese ser verdadeira, caso contrario estaria ignorante a esse respeito.

Entender a logica da coisa e ficar curioso em investigar, não guarda nenhuma relação com crença.
Muitos ateus céticos adoram "verificar" coisas, só para provar sua falsidade e confirmar que são falsas como eles já achavam que seriam.


CRIATURO disse:
sybok disse: Já se eu digo: "Naquela balde ali tem um sapo azul".
Bem, ninguém precisa acreditar em nada, pode simplesmente ir até o balde para conferir se é verdade ou não.

coisas subjetivas implica em interpretações divergentes e algumas ilusórias.
Sim, só que um sapo azul dentro de um balde é algo bem objetivo, assim como as coisas da qual trato.
Por isso faço sempre questão de diferenciar isso de qualquer conhecimento revelado ou coisas como "mundo espiritual" e "espíritos", que sempre podem ter explicações alternativas.

Uma coisa é aquilo que todos podem ver a analisar, outra é quilo que só alguns podem ver e cujas conclusões não podem ser falseadas.
Por exemplo, é possível saber se um estado mental é realmente mais desperto que o outro, níveis de "distração" e "concentração" estão sujeitos a investigação objetiva, tanto quanto o nível de atenção de um bêbado e de uma pessoa sóbria podem ser comparados.
Já uma comunicação espiritual através de uma carta psicografada não tem prova objetiva, pois sempre podem ser explicadas de outro modo, por exemplo, como sendo enviadas na verdade por alienígenas que nos espionam. Seria uma explicação tão "possível" e tão fantástica como "espíritos desencarnados".
A escolha entre uma hipótese e outra não está sujeita a prova, o que significa que a conclusão sempre vai depender de crença.

Existe o subjetivo e existe o objetivo, existe a hipótese sujeita a prova e existe a que depende de crença. Não convém misturar uma coisa com a outra.


CRIATURO disse:
uma coisa é não possuir visão microscópica ou macroscópica, outra é ser favorável ao holocausto.

O problema é que pessoas não são simplesmente "a favor" do holocausto, tudo começa com uma distorção sobre a realidade percebida, onde grupos de pessoas são vistos como sendo os vilões e a causa do mal, enquanto o outro se percebe como "bom" e lutando pelos próprios direitos e contra a maldade alheia.

O mesmo fenômeno que nos impede de perceber a nós mesmos de modo adequado, nos impede de perceber o outro como ele realmente é, assim como nos impede de analisar a realidade como ela é.
Vemos caricaturas de nós, dos outros e do mundo, e, reagimos a tais caricaturas.

Um nazista é uma pessoa comum, como um socialista e como alguém que justifica o sofrimento da vitima como culpa dela mesma e que vê as pessoas como crianças influenciáveis por jogos e que precisam ser protegidas de si próprias pelo estado baba que deve proibir e regular tais atividades.
Não se pense moralmente superior a nazistas nem diga "dessa água não beberei", pois a ilusão que se abateu sobre eles é a mesma que esta presente no mundo e se abate sobre todos nós.

Grande parte do que movia a maioria dos nazistas era medo e desejo de sobreviver. Eles não se sentiam responsáveis, só estavam a cumprir ordens.

CRIATURO disse: ação não significa desejo ?
Coisas se movem ou pelo desejo próprio ou pelo dos outros, o que não se move pelo desejo humano se move pelo desejo de outra inteligencia.

Por isso tanto se fala sobre a ilusão desse falso "eu".
Não temos uma identidade, não existe um "eu" que seja realmente o autor da ação, existe uma processo ambíguo, onde de um lado a vida se move através de nós e do outro a maquina corpórea mecanicamente faz escolhas através de causa e feito.

Da onde vem o "desejo" da maquina humana?
Vem de fora, ela deseja o que vê, o que ouvê, o que toca, e, faz isso de modo mecânico, são as coisas que desencadeiam reações químicas em no corpo e ele se move em resposta a elas.
Não existe liberdade nesse processo, é só causa e efeito, é mecânico.
Então entenda que não existe "desejo próprio", o desejo é sempre mecânico e é um processo anterior a você, ele vem de fora.
Quando você se move escravizado por um desejo, você se move "pelo desejo dos outros", pois o desejo não é seu, ele nasce fora de você.

Por outro lado libertos da identificação com o falso eu, não somos obrigados a nos mover só por que um objeto externo nos causou uma reação química e uma sensação.
Devemos nos mover levado por outra coisa, pela parte viva, não pela mecânica de causa e efeito que é a orgiem do desejo.

Agora, essa outra coisa, essa parte "viva", é que é a origem da ação, mas ela não é um eu como entendemos isso hoje.


CRIATURO disse: eu posso fazer qualquer coisa desde que eu tenha tenha desejo de realizar tal coisa.
desejo = vontade = ação

Ação não depende de desejo, pode ocorrer em resposta a ele, mas não existe desejo próprio, o desejo é sempre resultado de um processo mecânico, é o efeito que tem uma causa externa a você.

Agir em função de desejos é ser escravizado por uma força externa.
Você pensa que é você quem deseja, somente por estar iludido por um falso eu.
É por isso que se fala em libertação.
Conheceis a verdade e ela vos libertará. A ilusão é a tal "viga" que temos nos olhos e que nos impede de conhecer a verdade e nos libertar da escravidão na qual nos encontramos.

Eu te garanto que quem peca não é livre, mas sim escravo do pecado.
E te garanto que quando você deseja a mulher do teu irmão, mesmo que só em pensamento, quando você deseja as coisas que vê, já pecou!
O pecado está no desejo, não no ato em si.

Quem deseja em pensamento já peca e sendo assim, é escravo do pecado.
Não é isso que Cristo afirma?


CRIATURO disse: orgulho ? Do tipo não precisarei pagar por algo que eu não desejei?
ou uma sacanagem ? nascer desejando para depois ter que aprender não mais desejar?
Criados viciados com a função de largarmos o vicio?

Vá reclamar com Deus, não comigo.
Não fui eu quem fiz o mundo, só estou apontando o dedo para uma coisa a ser observada.
Se você gosta ou não do que vê e se acha isso justo ou injusto, isso não é comigo.

Como dito, a obra de Deus está cheia de coisas que não entendemos e que não achamos justas.

Agora, é fato ou não que Cristo diz que o pecado está no pensamento?
Se Deus nos fez com desejos tão fortes pelas garotas, mesmo as casadas, e se só o desejo por elas em pensamento, ainda que nenhuma ação seja feita, já é considerado "pecado", a culpa não é minha.

Você não gosta de observar a realidade Criaturo, por que ela te desagrada, mas quem disse que a realidade tem que ser como você acha que seria mais justo?
Se Deus te fez com desejos que são ditos "pecados", paciência, essa é a vida.
Não precisa te parecer agradável ou justa, para ser real.


CRIATURO disse: quando diz ter alcançado o estado de consciência capaz de controlar seus pensamentos e sentir-se uno como universo, considera isso a "iluminação" ?
Não eu não atingi a iluminação.
Foi apenas um vislumbre.

Atingir a iluminação seria te conseguido me manter naquele estado e ido ainda mais fundo.
Um vislumbre é como uma amostra grátis, onde acordamos por um breve período e depois retornamos ao sono profundo.
Se a iluminação é como um filme, eu apenas assisti ao trailer desse filme, vi algumas cenas e sei do que se trata a trama, mas não vi o filme completo.

CRIATURO disse: o monge que ateou fogo no próprio corpo atingiu a iluminação ?
Provavelmente não, mas isso só ele poderia saber.
Como eu vou saber o que se passa na mente alheia?


CRIATURO disse:
ja que é assim essa sua visão dentro da vida também não faz o menor sentido.

E quem disse que eu tento explicar a vida ou dar qualquer "sentido" a ela?

Eu apenas descrevo o que é visível.
Nascemos em um mundo injusto, cheio de doenças, com guerras, com um Deus que se esconde e em meio a uma ilusão gigantesca, enquanto ficamos em um tipo de transe vivendo escravizados pro desejos, com a possibilidade de praticar certas coisas, ver a ilusão com toda sua intensidade e despertar desse transe.

Isso não explica nada, e não tenta dar "sentido" a nada, apenas descreve o que é, descreve o que pode ser visto.
Dizer que o céu é azul, não explica a vida, nem da sentido a ela.

É você quem tenta dar sentido a vida e entender a razão das coisas, eu já desisti disso faz tempo.


CRIATURO disse: fala-se como se a morte representasse o fim do ser, ou uma inatividade ?

Tanto faz, as duas coisas são possíveis.
O fato é, a iluminação é para os vivos e só pode ser atingida em vida.


setembro 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Acho que na hipótese dele, a mente fica em completo standby sem o suporte corporal e cerebral.
Ela só poderia se "iluminar", (acho que isso significa, saber quem ela é de fato) só por meio de alguns mecanismos específicos do corpo, sendo o mais relevante para isso, a consciência.


Exato, em especial por eu não encontrar nenhuma "essência" nossa que pudesse funcionar sem um corpo.
Somos feitos de partes, somos ao menos parcialmente maquinas e dependemos da maquina corporal para "ser", o que significa que se existe uma parte nossa (uma alma) que não seja exatamente fruto do corpo, ela provavelmente não funciona sem um, precisa estar em um corpo para estar ativa.

Essa é minha hipótese.


setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: CRIATURO disse:
o que me define são meus desejos
O que te escraviza são seus desejos.
Você só acha que isso é o que te define, por não saber quem é de fato.

Esta questão do desejo para mim ainda é uma incógnita penso que somos movidos por desejos próprios e alheios, porem não devemos nos apegar ao frutos deles.
não sei quem sou nem o que sou e acredito que nunca entenderei isto 100%.
E voce ?


sybok disse: O fato permanece, mesmo DESSA vida, tudo o que lembramos são somente flashs.
Muito (a maior parte)do que vivemos NESSA vida já se foi e já não nos lembramos mais.

temos uma ordem de importância, fatos marcantes mesmo que muito antigos são lembrados mais facilmente do que outros recentes de menor importância.
Eu não lembro de todas palavras ou fatos só os mais marcantes isto também acontecem com os sonhos.


sybok disse: Ou você está subestimando a capacidade de Deus.

Se ele desejou DIVERSIDADE, não precisa nos fazer "evoluir" lentamente de insetos a humanos, pode simplesmente ter nos criado já como somos.


e perder a graça de sermos crianças ignorantes, aprender brincando da prazer.
seguindo a sua lógica contraditória ele deveria nos ter criado anjos, ou então nos ter feito idênticos a ele, nada seria melhor do que ser Deus ?

Para o homem o melhor é ser Deus mas, para Deus o melhor é ser homem.


sybok disse: E sim, é perfeitamente viável que nós humanos nunca tenhamos sido nada além de humanos e que essa seja nossa primeira vida.

creio que não, pois são visíveis as personalidades natas, alem do mais gosto da ideia de poder ter criado a minha própria personalidade do que ter sido divinamente "presenteado".


sybok disse: Aprendemos por imitação, nos confundindo com esse falso eu até nos libertarmos dele.
i ?



sybok disse: Então as capacidades que você julga como sendo "todo esse conhecimento adquirido em poucos anos de vida", são simples funções pré programadas nesse eu mecânico.

"eu robô" ?


sybok disse: CRIATURO disse: quando o coletivo participa do mesmo delírio vivenciam a mesma realidade relativa.
Não Criaturo, apenas vivenciam a crença delirante na mesma ilusão, assim como os nazistas, marxistas e os nossos antepassados caçadores de bruxas.
A crença deles não fez a realidade mudar, só por eles acreditarem nessas asneiras todas juntos.


refiro-me a ilusão sensorial e não a moral, por exemplo nossa visão não mostra a realidade da vida microscópica, e todos concordam que estão vendo as coisas como realmente elas são, imagine voce que no futuro óculos nos deem uma nano visão, certamente teremos uma visão mais aproximada da realidade.



sybok disse: CRIATURO disse: Voce consegue se ver sem desejos ?
Sim, já matei a grande maioria deles, poucos restaram e já estão na mira.

mas ficará apegado ao desejo de eliminar o ego, talvez até a morte.
alias não é o apego a esse desejo que te move ?


Ayyavazhi disse: É uma consciência que não precisa medir, analisar, comparar, inferir, lembrar ou fazer qualquer outra forma de verificação para compreender.

talvez isto seja o desejo do filho pródigo querendo retornar a casa do Pai


salgueiro disse: Ayyavazhi disse: É uma consciência que não precisa medir, analisar, comparar, inferir, lembrar ou fazer qualquer outra forma de verificação para compreender. Ela apenas sabe, apenas conhece.

Aaah ! Aqui talvez esteja a questão, até onde percebo vc vë como algo pronto e completo e eu não, fica claro para mim isso por raros momentos em que ela 'assumiu o controle' (ö dificuldade para colocar em palavras), rs.


interessante que nascemos crianças catadoras de entulhos,mas só de entulhos ?


sybok disse: É nisso que o Ayya mais aposta.
Ele trata a razão como um andador, algo que faremos uso até aprendermos a andar sem ele, onde poderemos a "entender" sem analisar e julgar como fazemos com a razão.



aposto que após aprendermos andar sem ele, ainda sim continuaremos eternos dependentes de Algo ,pois não somos seres completos e nunca seremos.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:02





setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: interessante que nascemos crianças catadoras de entulhos,mas só de entulhos ?

Não entendi Criaturo


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: CRIATURO disse: interessante que nascemos crianças catadoras de entulhos,mas só de entulhos ?

Não entendi Criaturo


eles alegam que nascemos prontos porem vamos colhendo ilusões que precisamos descartar.
Mas, como crianças podem nascer prontas ?
E o mundo só nos oferece lixo ?

Post edited by CRIATURO on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: eles alegam que nascemos prontos porem vamos colhendo ilusões que precisamos descartar

Não Criaturo, eles não sabem o que está por trás do véu. A ilusão já está aí, segundo eles.


CRIATURO disse: Mas, como crianças podem nascer prontas ?
E o mundo só nos oferece lixo ?


Se não sabem o que está por trás do véu não dá para fazer afirmações sobre adultos e muito menos sobre crianças.

O mundo nos oferece ilusão.


setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: Esta questão do desejo para mim ainda é uma incógnita penso que somos movidos por desejos próprios e alheios, porem não devemos nos apegar ao frutos deles.
não sei quem sou nem o que sou e acredito que nunca entenderei isto 100%.
E voce ?

Eu acho que por hora não temos como saber o que ou quem somos, mas temos como saber o que e quem nós NÃO somos.

Qualquer um que já tenha lutado contra os próprios desejos e contra o próprio ego, percebe rapidamente que nós não temos controle sobre essas coisas.

Se continuamos desejando algo, mesmo quando decidimos conscientemente não desejar tal coisa, fica evidente o fato de que não estamos no controle deles e são não somos nós quem controlamos nossos próprios desejos, então não somos nós o agente que "deseja livremente" o que "quer" desejar.
Se não estamos no controle de nossos desejos, então são eles que nos controlam.

Isso fica ainda mais evidente quando percebemos após algum esforço, que temos a capacidade de não nos mover por desejos e também a capacidade de assumir o controle e até mesmo de eliminar o desejo.


CRIATURO disse: temos uma ordem de importância, fatos marcantes mesmo que muito antigos são lembrados mais facilmente do que outros recentes de menor importância.
Eu não lembro de todas palavras ou fatos só os mais marcantes isto também acontecem com os sonhos.

E "quem" escolhe o que é mais ou menos marcante?

O fato Criaturo, é que independente disso, vivemos o momento presente, somos somente o agora e mesmo nesse momento não acessamos nossas completamente lembranças, quanod o fazemos, acessamos uma memoria de cada vez, não temos toda a nossa "biografia" em memorias carregada na mente a todo instante, e, ainda que tivéssemos, tal biografia não passaria de "flashs".

O fato é, não existe um "eu".
A cada instante temos uma criatura diferente concentrada no momento presente e que age levada por reflexos e impulsos, pelos sentimentos e pelos pensamentos do momento presente.

Não somos seres coerentes, somos algo distinto a cada momento e temos MUITAS personalidades que trocamos durante um dia mais facilmente do que trocamos de roupa.


CRIATURO disse:
sybok disse: sybok disse: Ou você está subestimando a capacidade de Deus.

Se ele desejou DIVERSIDADE, não precisa nos fazer "evoluir" lentamente de insetos a humanos, pode simplesmente ter nos criado já como somos.

e perder a graça de sermos crianças ignorantes, aprender brincando da prazer.
seguindo a sua lógica contraditória ele deveria nos ter criado anjos, ou então nos ter feito idênticos a ele, nada seria melhor do que ser Deus ?

Para o homem o melhor é ser Deus mas, para Deus o melhor é ser homem.

Se tudo se limita ao que Deus acha melhor PRA ELE, não precisa nos fazer "crescer" como você afirma.

Ele pode nos ter feito como já somos e ter feito outros seres para serem "eternas crianças", do ponto de vista DELE (Deus), ele estaria experimentando ambas as coisas.

Se tudo se limita a Deus viver experiencias, ele não precisa criar nenhum sistema onde o individuo em si importe, basta criar diversidade de seres que serão eternamente como projetados desde o principio, e, Deus poderá "ser" cada um deles por toda a eternidade.

Você continua tentando entender o que não pode ser entendido: As razões de Deus.


CRIATURO disse:
Sybok disse:
E sim, é perfeitamente viável que nós humanos nunca tenhamos sido nada além de humanos e que essa seja nossa primeira vida.

creio que não, pois são visíveis as personalidades natas, alem do mais gosto da ideia de poder ter criado a minha própria personalidade do que ter sido divinamente "presenteado".

O que você "prefere" é irrelevante, o fato é que é perfeitamente viável que nunca tenhamos tido outra vida. A personalidade nata não muda isso, muito pelo contrario, como dito a personalidade é mecânica, vem junto com o corpo.
Se o corpo é o "hardware" a personalidade é simplesmente o "software". Nada nisso indica qualquer necessidade de que já tenhamos sido qualquer outra coisa.


CRIATURO disse: mas ficará apegado ao desejo de eliminar o ego, talvez até a morte.
alias não é o apego a esse desejo que te move ?

Já disse que mesmo esse desejo deve ser eliminado e isso já está em curso a algum tempo.


CRIATURO disse: aposto que após aprendermos andar sem ele, ainda sim continuaremos eternos dependentes de Algo ,pois não somos seres completos e nunca seremos.
É obvio, já que somos feito de coisas e se quer temos algo que possa ser chamado "eu", pois estamos "unidos" ao todo.
A única exigência aqui é em fazer a união, removendo o véu ilusório que nos separa mentalmente do todo.

Quem acredita em evolução e em construir uma identidade independente é você, não eu.
Falei sobre união e sobre o fato da nossa mente "individual" atual ser como um andador, não falei sobre ser independente ou "completo" de modo algum, falei o contrario, disse que se quer existe um "eu" para se completar ou se construir.


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Se não sabem o que está por trás do véu não dá para fazer afirmações sobre adultos e muito menos sobre crianças.

O mundo nos oferece ilusão.


Exato e enfatizo o seguinte.

Conhecer a "verdade" por trás da ilusão é algo que eu e o Ayya discutimos e temos visões distintas, ele ainda espera receber respostas, eu sou mais pessimista, aposto que nenhuma resposta será dada, aposto que uma de nossas obrigações é parar de fazer certas perguntas e deixar a vida nos levar.

A ilusão é imensa, como uma névoa muito intensa que não nos deixa ver nada, nos deixa totalmente cegos sobre tudo o que nos cerca, mas é uma névoa que cria "miragens" que parecem realidades completas.
Nesse sentido quando estamos "adormecidos" acreditamos nas miragens e por pensarmos que tais miragens são reais, não vemos a "névoa ", achamos que estamos vendo o mundo real.
Dai alguns vem e dizem: "Mas você não está vendo o mundo real, tudo é ilusão!"
A maioria não entende o tamanho disso, nem o que querem dizer com "tudo é ilusão".

Quando começamos a perceber a ilusão e lutamos para despertar, vemos parte da ilusão, mas ainda achamos que estamos vendo o mundo e que "algumas coisas" são ilusões e distorções, mas que precisamos "aprender" mais, ou "evoluir", "crescer"...
Quando despertamos pela primeira vez, descobrimos que só existe névoa por todos os lados e que nenhum centímetro da realidade é perceptível.

Não pensem então que quando falamos sobre "ilusão", estamos dizendo que VOCÊS estão iludidos e que nós conhecemos a verdade.
Estamos tão cegos quanto qualquer um aqui, a pequena diferença é que a maioria ainda acredita nas miragens, acham que estão vendo a realidade, enquanto nós sabemos que aquilo é só mais névoa.
Eu não tomo a ilusão pela verdade, ainda que não possa ver a verdade, sei quando estou olhando somente uma ilusão.

Nesse sentido "não se iludir" ou "eliminar ilusões", não significa saber a verdade, significa somente saber quando está olhando uma ilusão, sem tomá-la por qualquer coisa além de ilusão.

O Ayya ainda espera que talvez a névoa se dissipe, eu aposto na ideia de que o nevoeiro nunca vai passar, já estou me acostumando a ideia de que essa nevoa pode ser a vida em si.

Post edited by sybok on setembro 2013

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: CRIATURO disse: (1)eles alegam que nascemos prontos porem vamos colhendo ilusões que precisamos descartar

Não Criaturo, eles não sabem o que está por trás do véu. A ilusão já está aí, segundo eles.
CRIATURO disse: Mas, como crianças podem nascer prontas ?
E o mundo só nos oferece lixo ?

Se não sabem o que está por trás do véu não dá para fazer afirmações sobre adultos e muito menos sobre crianças.

O mundo nos oferece ilusão.

Ayyavazhi disse: Quando você consegue calar o vulcão chamado mente, você percebe que existe outra forma de consciência, diferente da razão. É uma consciência que não precisa medir, analisar, comparar, inferir, lembrar ou fazer qualquer outra forma de verificação para compreender. (1)Ela apenas sabe, apenas conhece.
Ayyavazhi disse(1)Não somos algo em construção, como você costuma dizer. O que você tem feito, esse tempo todo, é uma remoção.
Ayyavazhi disse: de ser um Charles Manson para se tornar uma Madre Tereza, você está acreditando que devemos largar um personagem para ser outro. Não. Todos são indesejados. Todos devem ser abandonados. É claro que, no processo de remoção do entulho
salgueiro disse: Ayyavazhi disse: É uma consciência que não precisa medir, analisar, comparar, inferir, lembrar ou fazer qualquer outra forma de verificação para compreender. Ela apenas sabe, apenas conhece.

Aaah ! Aqui talvez esteja a questão, até onde percebo vc vë como algo pronto e completo e eu não,

sybok disse: Não é que exista um "eu" pronto Salgueiro, que esta aprisionado, ou um "eu" a ser construído de certas partes, provavelmente não existe um "eu" nem pronto, nem a ser construído, tudo é somente um processo, a vida se manifestando em varias formas.
sybok disse: Não temos um "eu" pronto e escravizado pelo ego, nem estamos construindo um "eu" através de questionamentos, vivencia e memorias.
vago muito ...vago....difici...muito difici....
Post edited by CRIATURO on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
Criaturo, sem ter tido a experiëncia que os outros tiveram é claro que a minha interpretação dos fatos é diferente da deles (eles também não tiveram as minhas, rs)

Quando concordei com a analogia do escultor sei que estava falando de coisas diferentes. O entulho para mim são nossos 'defeitos' ou nossas facetas contraditórias, aquilo que parece serem personalidades mas não são, é só um emaranhado complexo de sentimentos, instintos... e que o aprendizado é construir uma unidade ao ir desemaranhando e descartando aquilo que não vale a pena, o entulho.


setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Quando despertamos pela primeira vez, descobrimos que só existe névoa por todos os lados e que nenhum centímetro da realidade é perceptível.

Segundo o espiritismo cada passo dado aqui é quase 'milagroso' por causa da densidade, é como se fössemos travados a cada milímetro.


setembro 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Cada vez mais, aquela ideia inicial de preservação da identidade se enfraquece. Talvez, antes que eu suponha essa resposta me seja dada.

um animal "irracional" não consegue reconhecer-se, mas consegue reconhecer o outro ?


Ayyavazhi disse: Desligue a britadeira e você perceberá um mundo de sons ao seu redor.

percepção e razão são coisas distintas, ou seria a mesma coisa apresentando-se em formas diversas ?


salgueiro disse: Continuo acreditando por saber que essa individualidade é dinämica, estamos em processo de mudanças o tempo todo

Sim somando e subtraindo,,,nada do que foi sera de novo como ja foi um dia.....tudo passa, tudo sempre passará como uma onda no mar num indo e vindo infinito.


sybok disse: heheheheh
Eu tenho três dessas pastas e todas estão lotadas!


ta na hora de ampliar a sua HD ou então delete o que não lhe serve mais.


sybok disse: O Fernando Silva é quem sempre diz que temos o livre arbítrio de formigas num tronco descendo o rio.

Elas decidiram subir neste tronco.


sybok disse: A vida nos precede, somos criados por um processo muito maior do que nós e que nos antecede em essência, toda "parte" nossa é feita e controlada por algo "externo" a "nós".
Deus


sybok disse: Como poderíamos estar "nos construindo" ou construindo um "eu", se atualmente não somos?
Essas forças também seriam um processo anterior, sejam elas vivas ou mecânicas, se não temos um "eu", não podemos ser "nós" a estar construindo um.


diria que fomos criados seres incompletos na eterna e natural procura da parte que nos falta Deus, é isso que nos move.


sybok disse: O discurso de que não existe um eu contraria a nossa própria percepção.

foi isso que eu quis dizer : Quando todos vivenciam a mesma ilusão ela passa a ser uma realidade relativa,
Não passamos de peixes num aquário e eu não como meus irmãos....he..he..he...he....he

filosofias e ideias subjetivas a parte, vamos a pratica:
Quando perdi os sentidos deste mundo, mantive uma percepção de temperatura agradável ao contrario a da sala onde o meu corpo se encontrava, quando recobrei os sentindo me lembrei perfeitamente dos meus pensamentos enquanto inconsciente é isto que acredito que acontecerá quando eu morrer.


setembro 2013 Sinalizar0
Marcio disse: Acho que na hipótese dele, a mente fica em completo standby sem o suporte corporal e cerebral.

começou ateu, virou monge e agora "evangélico" a espera da ressuscitação ?


Marcio disse: Você cogita que a mente sem o corpo funcionaria ainda como se tivesse um outro corpo, em outra dimensão.

sim, dimensão não, consciência sintonizada em outras realidades, imagine a consciência capaz de captar infinitas realidades, porem ela precisa ser ajustada para cada uma.
De vez em quando entra apenas alguns ruídos de outras realidades, então essas consciências são tratadas como loucas, perturbadas, esquizofrênicas, iludidas.
Veja que em um mesmo local pessoas diferente podem estar com suas consciências sintonizadas em realidades diferentes a exemplo dos autistas.


Marcio disse: E assim iria galgando degraus por meio de uma evolução moral até atingir o topo, que seria a "iluminação".

a ideia de iluminação é coisa de monges, eu considero que somos seres incompletos a na eterna procura pelo nosso complemento Deus, repare que eu disse eterna procura.
Se fomos criados ignorante, Deus não pode ter se equivocado, portanto quando alguém disser: "Eu sei Tudo" só estará justificando essa hipótese.



Marcio disse: Eu acho que a mente sem o corpo, ficaria presa na solidão de uma realidade sem inputs. E isso significaria que ela estaria ciente dela mesma. Seria no caso a tal "iluminação". Realidade solitária.

penso que não, pois quando perdi os sentidos deste mundo, mantive a razão, a percepção de luz e temperaturas onde me encontrava, também mantive a memória desse estado a qual me faz acreditar que ao morrermos não ficamos inativos.
Esse papo de descanso eterno é coisa de evangélicos preguiçosos..ha.ha.ha.ha


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: coisas subjetivas implica em interpretações divergentes e algumas ilusórias.
Sim, só que um sapo azul dentro de um balde é algo bem objetivo, assim como as coisas da qual trato.
Por isso faço sempre questão de diferenciar isso de qualquer conhecimento revelado ou coisas como "mundo espiritual" e "espíritos", que sempre podem ter explicações alternativas.



he..he..he..he.
um sapo azul dentro da sua mente ainda é algo subjetivo a interpretação sua e a dos outros.


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:03


sybok disse: Uma coisa é aquilo que todos podem ver a analisar, outra é quilo que só alguns podem ver e cujas conclusões não podem ser falseadas.

todos concordam que o amor existe mas , ninguém pode garantir que ele seja igual para todos.


sybok disse: Por exemplo, é possível saber se um estado mental é realmente mais desperto que o outro, níveis de "distração" e "concentração" estão sujeitos a investigação objetiva, tanto quanto o nível de atenção de um bêbado e de uma pessoa sóbria podem ser comparados.

quando você se encontra no estado de iluminação, todos podem observar o seu estado mais esperto ?
"Moses alimentou nosso pais com pão do céus no deserto, e voce que prova nos da para que possamos acreditar na sua iluminação ? Não basta apontar para céu quando conseguimos ver apenas nuvens.


sybok disse: Já uma comunicação espiritual através de uma carta psicografada não tem prova objetiva, pois sempre podem ser explicadas de outro modo, por exemplo, como sendo enviadas na verdade por alienígenas que nos espionam. Seria uma explicação tão "possível" e tão fantástica como "espíritos desencarnados".
A escolha entre uma hipótese e outra não está sujeita a prova, o que significa que a conclusão sempre vai depender de crença.


ainda estou esperando por suas provas objetivas ?
da mesma forma a iluminação poderia ser uma espécie de contato imediatos?
a continuação da vida é tão possível quanto a existência atual dela


sybok disse: O problema é que pessoas não são simplesmente "a favor" do holocausto, tudo começa com uma distorção sobre a realidade percebida, onde grupos de pessoas são vistos como sendo os vilões e a causa do mal, enquanto o outro se percebe como "bom" e lutando pelos próprios direitos e contra a maldade alheia.

hipocrisia egoísta, os nossos animais que o digam.


sybok disse: O mesmo fenômeno que nos impede de perceber a nós mesmos de modo adequado, nos impede de perceber o outro como ele realmente é, assim como nos impede de analisar a realidade como ela é.
Vemos caricaturas de nós, dos outros e do mundo, e, reagimos a tais caricaturas.


bonito,mas na pratica percebemos sim alguns dos nossos erros e também os dos outros, compreender não é permitir nem justificar.


sybok disse: Um nazista é uma pessoa comum, como um socialista e como alguém que justifica o sofrimento da vitima como culpa dela mesma e que vê as pessoas como crianças influenciáveis por jogos e que precisam ser protegidas de si próprias pelo estado baba que deve proibir e regular tais atividades.
Não se pense moralmente superior a nazistas nem diga "dessa água não beberei", pois a ilusão que se abateu sobre eles é a mesma que esta presente no mundo e se abate sobre todos nós.


captei uma identificação pessoal.
Sua visão moral é muito generosa, certamente quando alguém promove o sofrimento alheio conscientemente ou não esta sofrendo de uma espécie de ilusão.
E talvez seja mais fácil eu conseguir corrigir uma ilusão minha do que nos outros.
Sua visão das pessoas é muito generosa todos nós não passamos de inocentes viajando juntos no barco da vida chamado ilusão.
Mas então para que servem os pais, os professores, o juizo, e as dificuldades encontradas na vida ? Se a vida não passa de uma grande ilusão nada do que fizermos mudará isso? Aha! Captei!
Todos devem virar monges!


sybok disse: Grande parte do que movia a maioria dos nazistas era medo e desejo de sobreviver. Eles não se sentiam responsáveis, só estavam a cumprir ordens.
mande-me fazer o que eu desejo e sera atendido e bem compreendido.
hipocrisia de quem procura prazer a custa do sofrimento alheio, isto sim é ilusão da lei de Gerson.


sybok disse: Por isso tanto se fala sobre a ilusão desse falso "eu".
Não temos uma identidade, não existe um "eu" que seja realmente o autor da ação, existe uma processo ambíguo, onde de um lado a vida se move através de nós e do outro a maquina corpórea mecanicamente faz escolhas através de causa e feito.


do jeito que voce fala da impressão que fui colocado em um corpo de robô autônomo conduzindo todos os meus pensamentos e ações, então só me resta esperar o tal robô humano "desejar" auto desligar-se apertando a chave push-boton off-ego.
Depois para não me tornar um ser inútil continuarei agindo sem desejos, ou seguirei o mestre Morpheu , distribuindo pilulas vermelhas.
obs. acho que agora meu ego-ateu pegou pesado.


sybok disse: Da onde vem o "desejo" da maquina humana?
Vem de fora, ela deseja o que vê, o que ouvê, o que toca, e, faz isso de modo mecânico, são as coisas que desencadeiam reações químicas em no corpo e ele se move em resposta a elas.


Tudo vem de Deus.
Mas, se consideramos a existência a partir deste corpo de fato a consciência vem dele.
Mas, por que não podemos admitir a possibilidade da consciência anteceder ao corpo ?


sybok disse: Quando você se move escravizado por um desejo, você se move "pelo desejo dos outros", pois o desejo não é seu, ele nasce fora de você.Por outro lado libertos da identificação com o falso eu, não somos obrigados a nos mover só por que um objeto externo nos causou uma reação química e uma sensação.

Se decidir me libertar do falso eu, este desejo é de fato meu ou fui movido pelos desejo de outros ?
Alcançada a iluminação como poderemos existir sem vontade ?



sybok disse: Por outro lado libertos da identificação com o falso eu, não somos obrigados a nos mover só por que um objeto externo nos causou uma reação química e uma sensação.
Devemos nos mover levado por outra coisa, pela parte viva, não pela mecânica de causa e efeito que é a orgiem do desejo.

Agora, essa outra coisa, essa parte "viva", é que é a origem da ação, mas ela não é um eu como entendemos isso hoje.


finalmente eu acho que to começando a entender melhor a hipótese da "lagarta" rumo a borboleta (pois ela pode ter vencido a gravidade da terra,mas suas asas ainda não poderá lhe apresentar o universo),então continuo vendo isso apenas como a saída para uma ilusão maior ainda, isto justificaria o iluminado dizer: "agora sim descobri que não conheço Tudo e nunca irei conhece-lo."

Existe maior sabedoria do que saber reconhecer-se um eterno ignorante ?


sybok disse: Ação não depende de desejo, pode ocorrer em resposta a ele, mas não existe desejo próprio, o desejo é sempre resultado de um processo mecânico, é o efeito que tem uma causa externa a você.

Agir em função de desejos é ser escravizado por uma força externa.


Lutar contra a natureza é sair de uma ilusão e entrar em outra.


sybok disse: O pecado está no desejo, não no ato em si.
por que o desejo é que forma a personalidade e a ação é só uma consequência?



sybok disse: Agora, é fato ou não que Cristo diz que o pecado está no pensamento?
Se Deus nos fez com desejos tão fortes pelas garotas, mesmo as casadas, e se só o desejo por elas em pensamento, ainda que nenhuma ação seja feita, já é considerado "pecado", a culpa não é minha.

Se não somos culpados pelo que pensamos, então pensamentos não podem ser considerados pecados, então vai reclamar com Jesus por ter ensinado tal coisa.
mas, isso seria o pecado original ?


sybok disse: Se Deus te fez com desejos que são ditos "pecados", paciência, essa é a vida.
Não precisa te parecer agradável ou justa, para ser real.


o que constrói nossa realidade são ações e não pensamentos

Post edited by CRIATURO on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: o que constrói nossa realidade são ações e não pensamentos




setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Agora, é fato ou não que Cristo diz que o pecado está no pensamento?

sim ,mas tambem repudiou as más ações, sejam elas mecânicas, intencionais ou não, ao meu ver são responsáveis pela maior parte do sofrimento humano.
Nem sempre a verdade liberta, quando ainda falta o desejo.


sybok disse: CRIATURO disse: fala-se como se a morte representasse o fim do ser, ou uma inatividade ?

Tanto faz, as duas coisas são possíveis.
O fato é, a iluminação é para os vivos e só pode ser atingida em vida.


então porque dedica sua vida por nada ?
Talvez o que voce chame de iluminação, não passe de um vaga-lume.


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: vago muito ...vago....difici...muito difici....

Não é "vago", é um fato difícil de se perceber, mas um fato.
Procuro um "eu" e aponte qualquer coisa como sendo isso, que fica claro, mesmo do ponto de vista cientifico e filosófico, que isso é uma ilusão, são sempre "partes" feitas de algo externo.

Conhece o dilema de determinismo X indeterminismo?
De onde vem as "escolhas"?
Como dito, temos o livre arbítrio de formigas em um tronco descendo o rio.


CRIATURO disse:
sybok disse Fernando Silva é quem sempre diz que temos o livre arbítrio de formigas num tronco descendo o rio.
Elas decidiram subir neste tronco.
E "decidiram" com base em que?
Qual é o agente de "decisão"?
Foi um emaranhado de sinapses reagindo através de causa e efeito determinística ou com base em algum principio quântico de aleatoriedade?
Nos dois casos o agente de "escolha" é determinado por algo externo a nós e não é possível achar um agente de escolha livre.

Post edited by sybok on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Se continuamos desejando algo, mesmo quando decidimos conscientemente não desejar tal coisa, fica evidente o fato de que não estamos no controle deles e são não somos nós quem controlamos nossos próprios desejos, então não somos nós o agente que "deseja livremente" o que "quer" desejar.

pelo que entendi quem deseja é o eu mecânico, até que nós resolvermos dizer não, tipo cigarros.
eu vejo isto de outra forma sabemos que matar para consumir outros seres é errado e só vamos parar de fazer isso quando realmente adquirimos consciência de que não devemos ser egoístas.
Não é aprendendo controlar os desejos que formamos nossa personalidade ?
Talvez os desejos sejam produtos do nosso eu eternamente em formação.


sybok disse: Isso fica ainda mais evidente quando percebemos após algum esforço, que temos a capacidade de não nos mover por desejos e também a capacidade de assumir o controle e até mesmo de eliminar o desejo.

sim


setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse:
diria que fomos criados seres incompletos na eterna e natural procura da parte que nos falta Deus, é isso que nos move.


Então não movemos a nós mesmos e não há um "eu" a ser encontrado.


CRIATURO disse: foi isso que eu quis dizer : Quando todos vivenciam a mesma ilusão ela passa a ser uma realidade relativa,
Não passamos de peixes num aquário e eu não como meus irmãos....he..he..he...he....he


Ilusão continua sendo somente ilusão. Nosso antepassados achavam que a terra era plana, isso nunca mudou os fatos.
E mais, isso não muda o fato de que não só desde sempre algumas pessoas percebem a ilusão como tal, como é essa ilusão a orgiem do nazismo e de todo o resto da caca que o ser humano faz no mundo, e provavelmente somos todos obrigados a inevitavelmente nos dar conta disso um dia, ao menos é o que os "Cristos" afirmam.
Remover a "viga" que temos nos olhos e "alcançar o reino dos céus".


CRIATURO disse: filosofias e ideias subjetivas a parte, vamos a pratica:
Quando perdi os sentidos deste mundo, mantive uma percepção de temperatura agradável ao contrario a da sala onde o meu corpo se encontrava, quando recobrei os sentindo me lembrei perfeitamente dos meus pensamentos enquanto inconsciente é isto que acredito que acontecerá quando eu morrer.


Existem diferentes coisas Criaturo, ou você perdeu consciência do mundo EXTERNO, mas manteve consciência de si, o que é diferente de estar "inconsciente", ou você entrou num estado de sono REM, que é algum tipo de semi consciência.
Nada disso indica que você vivenciou qualquer coisa análoga a morte ou a uma existência sem um corpo.


setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse:
todos concordam que o amor existe mas , ninguém pode garantir que ele seja igual para todos.


Assim como ninguém pode garantir que todos vemos as cores do mesmo modo, ou ouvimos os sons da mesma maneira.
Nossa capacidade de distorcer fatos objetivos, não torna tais fatos automaticamente subjetivos.


CRIATURO disse: quando você se encontra no estado de iluminação, todos podem observar o seu estado mais esperto ?
Todos podem observar a própria mente, pensamentos e sentimentos são, por exemplo, fatos conhecidos por todos e o funcionamento da mente está sujeito inclusive a investigação cientifica.
Estados de atenção são objetivos, estão sujeitos a testes de todo tipo.

Compare a coordenação motora e a capacidade matemática de um bêbado e de uma pessoa sóbria que você vai ter sua resposta.
A diferença pode ser evidenciada de modo simples através de testes diversos e além disso, qualquer um pode beber e ver a diferença entre uma coisa e outra.


CRIATURO disse: ainda estou esperando por suas provas objetivas ?
da mesma forma a iluminação poderia ser uma espécie de contato imediatos?

Não, claro que não.
A iluminação não lida afirmações como "são mensagens de espíritos" que possam ser explicadas de outro modo e não estão sujeitas a ser falseadas.
Como dito a iluminação é somente um outro estado mental, um fato objetivo e verificável por qualquer um, algo que pode tanto ser verificado pessoalmente, quanto evidenciado por meio testes ou mesmo de equipamentos que mostrem que o individuo não está na vigília.
É inclusive possível diferenciar por equipamentos alguém acordado de alguém dormindo, também é possível diferenciar quando estão dormindo sem sonhar e quando estão sonhando.

Percebe que tal fato não traz nenhum juízo de valor ou afirmações não verificáveis como "são espíritos".
A única afirmação questionável é a de que esse é um estado mais "lucido" que a vigília, mas isso testes podem mostrar, ou seja, é mais uma vez uma afirmação sujeita a investigação e que pode ser FALSEADA, diferente da hipótese "espíritos".


CRIATURO disse: captei uma identificação pessoal.
Sua visão moral é muito generosa, certamente quando alguém promove o sofrimento alheio conscientemente ou não esta sofrendo de uma espécie de ilusão.
E talvez seja mais fácil eu conseguir corrigir uma ilusão minha do que nos outros.
Sua visão das pessoas é muito generosa todos nós não passamos de inocentes viajando juntos no barco da vida chamado ilusão.
Mas então para que servem os pais, os professores, o juizo, e as dificuldades encontradas na vida ? Se a vida não passa de uma grande ilusão nada do que fizermos mudará isso? Aha! Captei!
Todos devem virar monges!


Isso já foi explicado, todos sempre temos o potencial de lutar contra tal processo e sim, todos podemos ser monges e lutar para nos livrarmos de tal ilusão, o que não permite tirar nossa responsabilidade pela ação praticada, nem pelo desejo não dominado.


CRIATURO disse: do jeito que voce fala da impressão que fui colocado em um corpo de robô autônomo conduzindo todos os meus pensamentos e ações, então só me resta esperar o tal robô humano "desejar" auto desligar-se apertando a chave push-boton off-ego.
E é, E é!
"Deixe que os mortos enterrem os mortos", disse Cristo se referindo aos "vivos" na vida cotidiana.

O ser humano comum está mais para um zumbi, do que para um ente verdadeiramente consciente e vivo.
Nos pensamos muito superiores a formigas, que não passam de pequenos robozinhos sem livre arbítrio, cada uma feita para uma função especifica, mas na verdade não somos.

Nesse sentido a vida é só um "potencial", dormimos sem vida presos a uma maquina que se move sozinha e temos o potencial para acordar e viver.
Quem se agarrar a vida, perder-la-á , quem dela desistir, acha-la-á.
Não temos vida real, somente potencial para nos tornarmos de fato vivos.


CRIATURO disse:
sybok disse: Da onde vem o "desejo" da maquina humana?
Vem de fora, ela deseja o que vê, o que ouvê, o que toca, e, faz isso de modo mecânico, são as coisas que desencadeiam reações químicas em no corpo e ele se move em resposta a elas.

Tudo vem de Deus.
Mas, se consideramos a existência a partir deste corpo de fato a consciência vem dele.


Então nos movemos escravizados pelos desejos de Deus.
Novamente você não resolve o problema da inexistência de um "eu".
Dizer que nos movemos por "desejarmos" é fácil, difícil é explicar de onde vem o desejo e "quem" é que deseja e como.
Quem se debate sobre esse tema e INVESTIGA de fato a questão, logo descobre que o desejo tem origem externa e não deveria ser nosso motor, e, mais importante, não precisa ser nosso motor, podemos nos mover SEM tais desejos.


CRIATURO disse: Mas, por que não podemos admitir a possibilidade da consciência anteceder ao corpo ?
E no que isso muda a questão? É só mais uma hipótese não verificável irrelevante para o tema.
CRIATURO disse: Se decidir me libertar do falso eu, este desejo é de fato meu ou fui movido pelos desejo de outros ?
Alcançada a iluminação como poderemos existir sem vontade ?


Não existe um eu, por tanto, é somente o mesmo processo da vida se movendo através de você.
Você não escolheu sem humano, homem, brasileiro, não escolheu se quer estar vivo e provavelmente não vai escolher poder continuar iludido ou despertar.
Isso está mais para um processo, é como um cozimento, quando você estiver no ponto o processo vai se manifestar independente da sua vontade.
Só que esse processo pode ser mais rápido ou demorado de acordo com fatores referentes ao próprio ego e ao apego que ele tem pela ilusão.

O processo é parte do todo que interage com a parte, sendo a forma como tal interação se da, que parece determinar o andar da carroça.

CRIATURO disse: Lutar contra a natureza é sair de uma ilusão e entrar em outra.
Tal processo é parte da natureza e é uma criação dela, não nossa.
Não há uma "luta contra a natureza", apenas um processo no qual estamos inevitavelmente imersos. A natureza te fez com desejos e te obriga a lidar com eles até eliminá-los.
Não pense que você tem "escolha", como dito, você nem tem um "eu" para escolher qualquer coisa.


CRIATURO disse: por que o desejo é que forma a personalidade e a ação é só uma consequência?
O desejo é o motor da ação, você mesmo disse que nos movemos quando desejamos.


CRIATURO disse: Se não somos culpados pelo que pensamos, então pensamentos não podem ser considerados pecados, então vai reclamar com Jesus por ter ensinado tal coisa.
mas, isso seria o pecado original ?


Sim, o desejo é basicamente o pecado original.
Já nascemos pecadores, por que já nascemos desejos.
É claro que o termo "pecado" é somente uma distorção humana com base na moralidade, mas esse "problema" não deixa de ser real, só por conta dessa interpretação moral errônea.


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:04


CRIATURO disse: o que constrói nossa realidade são ações e não pensamentos
Não existe ação sem apego e desejo, nem ação que não seja antecedida por um pensamento.
Quando cultivamos desejos, mesmo que só em pensamento, não estamos lutando contra o processo, estamos pecando quando deveríamos estar lutando CONTRA o pecado.
Isso por si só é um pecado segundo Cristo, pois devemos nos arrepender e não mais pecar.
A luta contra o pecado original é nossa obrigação, se cultivamos isso desejos, mesmo que só em pensamento, falhamos com nosso dever, pois é desse mesmo processo de cultivar pecados em pensamento, que surgem os outros desejos que terminam sendo concretizados em ação.
E como dito, a ação não é o único problema, a inação e a omissão quando frutos do mesmo processo mental, também são igualmente problemas, tanto quanto a ação em si.

Desejos são o que move uma roda que atira raios.
Se você através dos desejos gira uma manivela que faz a roda funcionar, ainda que nem todas as vezes que você gire a manivela, os raios saltem e deem choques em alguém, ainda assim é o ato de girar a manivela que da inicio a tudo.
Girar a manivela é errado, mesmo quando os raios não atingem ninguém, pois o pecado está em dar movimento a roda em si e não somente quando um ou outro raio atinge alguém.


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: E "quem" escolhe o que é mais ou menos marcante?

esse negócio de ser dual é um saco.
Toda merda que "eu" decidir fazer , posso por a culpa no meu corpo ?


sybok disse: não temos toda a nossa "biografia" em memorias carregada na mente a todo instante, e, ainda que tivéssemos, tal biografia não passaria de "flashs".

regressão de vidas passadas é mais uma ilusão?


sybok disse: A cada instante temos uma criatura diferente concentrada no momento presente e que age levada por reflexos e impulsos, pelos sentimentos e pelos pensamentos do momento presente.
e se voce estiver equivocado, se consciente ou inconscientemente buscarmos referencias em memórias passadas para poder tomar decisões atuais ?
o fato é que se não tivemos um passado dificilmente teremos um futuro.
Com o Jesus ensinou: "não sabemos onde viemos nem para onde vamos"
Imagino voce questionando cristo: "Sr. se os nossos pensamentos e desejos são um presente divino, rejeita-los não seria um pecado maior do que satisfaze-los ?" he...he..he..he...he.. oh vida cruel!



sybok disse: Não somos seres coerentes, somos algo distinto a cada momento e temos MUITAS personalidades que trocamos durante um dia mais facilmente do que trocamos de roupa.

a mesmice é um tédio


sybok disse: Se tudo se limita ao que Deus acha melhor PRA ELE, não precisa nos fazer "crescer" como você afirma.

Deus não compactua de conceitos humanos ele consegue ser tudo ao mesmo tempo, quanto ao crescimento basta observar a natureza é mecânica crescente.


sybok disse: Ele pode nos ter feito como já somos e ter feito outros seres para serem "eternas crianças", do ponto de vista DELE (Deus), ele estaria experimentando ambas as coisas.

Deus ja esta pronto e não pode criar o que ja existe, ou o que ele ja é, então modifica partes de si mesmo em forma de eternas crianças, filhos pródigos.
podemos nos modificarmos ,mas deixarmos de ser é impossível



sybok disse: Se tudo se limita a Deus viver experiencias, ele não precisa criar nenhum sistema onde o individuo em si importe, basta criar diversidade de seres que serão eternamente como projetados desde o principio, e, Deus poderá "ser" cada um deles por toda a eternidade.

Você continua tentando entender o que não pode ser entendido: As razões de Deus.

A importancia de cada individuo se da na composição do Todo Deus
e a visível personalidade de cada animal, de cada ser humano mostra qual é a vontade do criador.


sybok disse: O que você "prefere" é irrelevante, o fato é que é perfeitamente viável que nunca tenhamos tido outra vida.

desejar ser responsável pela minha personalidade para mim é totalmente relevante e seria irresponsabilidade querer transferir todos os meus desejos a Deus.
Somos a parte inconsciente de Deus, é isso que possibilita liberdade e personalidade.


sybok disse: A personalidade nata não muda isso, muito pelo contrario, como dito a personalidade é mecânica, vem junto com o corpo.

se a sua personalidade é isso, quando perder o corpo vai ser o que?


sybok disse: Se o corpo é o "hardware" a personalidade é simplesmente o "software".

ok,mas sabemos que a construção do hardware não implica no surgimento do software, uma maquina sem software ou com um perturbado torna-se burra ou incoerente.


sybok disse: Se o corpo é o "hardware" a personalidade é simplesmente o "software". Nada nisso indica qualquer necessidade de que já tenhamos sido qualquer outra coisa.

o software troca de maquina assim como trocamos de roupas, porem para um melhor rendimento deve haver um equilíbrio de capacidades entre eles.


sybok disse: CRIATURO disse: mas ficará apegado ao desejo de eliminar o ego, talvez até a morte.
alias não é o apego a esse desejo que te move ?
Já disse que mesmo esse desejo deve ser eliminado e isso já está em curso a algum tempo.


"ser ou não ou não ser eis a questão" dedicou uma vida toda a iluminação e agora diz que esse desejo deve ser eliminado ?


sybok disse: É obvio, já que somos feito de coisas e se quer temos algo que possa ser chamado "eu", pois estamos "unidos" ao todo.
A única exigência aqui é em fazer a união, removendo o véu ilusório que nos separa mentalmente do todo.


a ignorância nata é também própria ela que forma o nosso eu e consegue nos "separar" da maior consciência Deus, porque voltar ao estado inicial?
É natural o filho pródigo, desejar voltar para o Pai e se o Pai consentiu no desejo do filho querer aprender a caminhar com sua próprias pernas, se aceitar o filho de volta viverão felizes para sempre e the end ?
Talvez Deus realiza no homem a sua vontade em poder acertar e errar, assim a ignorância humana é divina e como tudo na criação pode ser transformada mas, nunca poderá ser anulada.
Segundo sua hipótese o pai cria no filho uma vontade enorme de comer doces,depois o coloca no "paraíso" dos doces e diz: "Se pensar em comer apenas um dos menorzinho ja terá desrespeitado a minha vontade.", pois a voce só cabe a obrigação de rejeitar a minha vontade!...ha...ha..ha..ha..ha
Santa contradição Mosaica! Sybok!
sua hipótese diz que não passamos de pensamentos e desejos divinos, mas que se pensarmos e desejamos estaremos pecando?
Se Deus não queria que usássemos o nosso corpo então porque nos deu ele, só para descobrirmos que não podemos usa-lo, ou para aprendermos o que podemos e não podemos fazer? Se nos deu a "atividade" no corpo por que você busca pela "inatividade" com a morte dele ? Descanso eterno é coisa de gente preguiçosa.
Muito provavelmente a morte não seja nenhum processo de transformação milagrosa, dando continuação ao trabalho, prazer, ignorância e sofrimento e pensar diferente disso é querer acreditar a volta para o paraíso, ou então no descanso no final da existência.



sybok disse: Quem acredita em evolução e em construir uma identidade independente é você, não eu.

Voce considera a iluminação uma evolução a ser alcançada?


sybok disse: Quem acredita em evolução e em construir uma identidade independente é você, não eu.
Falei sobre união e sobre o fato da nossa mente "individual" atual ser como um andador, não falei sobre ser independente ou "completo" de modo algum, falei o contrario, disse que se quer existe um "eu" para se completar ou se construir.


Voce não esta satisfeito com sua vida atual e vê na iluminação uma porta de salvação, com tudo o que te move é exatamente o desejo de querer evoluir para o segundo estagio de consciência, quando conseguir chegar la, começará a reclamar do sistema atual e recomeçará todo o processo na formação do seu eu, somos todos eternos insatisfeitos a procura do paraíso perdido conhecido como Deus.

Post edited by CRIATURO on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Você continua tentando entender o que não pode ser entendido: As razões de Deus.

Se não pode ser entendida então nunca estaremos prontos.


sybok disse: aposto que nenhuma resposta será dada, aposto que uma de nossas obrigações é parar de fazer certas perguntas e deixar a vida nos levar.O Ayya ainda espera que talvez a névoa se dissipe, eu aposto na ideia de que o nevoeiro nunca vai passar, já estou me acostumando a ideia de que essa nevoa pode ser a vida em si.

pensamento de formigas flutuando em um tronco e a construção dos nossos navios como ficam ? aposto na eternidade de perguntas e respostas, quando conseguiremos enxergar que ja estamos vivenciando a eternidade e que Deus não criou menos do que o melhor.


sybok disse: Dai alguns vem e dizem: "Mas você não está vendo o mundo real, tudo é ilusão!"
A maioria não entende o tamanho disso, nem o que querem dizer com "tudo é ilusão".

existem imagens realidades de baixa resolução, Hd e full HD quando voce sintoniza uma delas ela passa a ser sua realidade consciente, somos receptores channel-single podendo captar apenas uma realidade por vez.
Provavelmente essa sua iluminação neste mundo seja apenas um estado temporário, ou seja voce só consegue sintonizar outro estado de consciência momentaneamente.
Talvez ocorra a mesma coisa com os médiuns espiritas e videntes.


setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: videntes.

Da próxima vez que eu tropeçar em um essa vai ser a minha pergunta.


setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Quando concordei com a analogia do escultor sei que estava falando de coisas diferentes. O entulho para mim são nossos 'defeitos' ou nossas facetas contraditórias, aquilo que parece serem personalidades mas não são, é só um emaranhado complexo de sentimentos, instintos... e que o aprendizado é construir uma unidade ao ir desemaranhando e descartando aquilo que não vale a pena, o entulho.

eles dizem que o próprio corpo é um entulho gerador de lixos(pensamento, ilusões) que ambos devam ser descartados.
e fato de você querer peneirar suas ilusões não te fará ver nenhum tesouro escondido dentro de você, só conseguirá encontrar mais ilusões apontando para novos "desejos".





setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Não é "vago", é um fato difícil de se perceber, mas um fato.
Procuro um "eu" e aponte qualquer coisa como sendo isso, que fica claro, mesmo do ponto de vista cientifico e filosófico, que isso é uma ilusão, são sempre "partes" feitas de algo externo.

Frankstein ainda tinha sua personalidade

nascemos dos desejos divinos e continuamos sendo eles, veja que Deus pode desejar continuamente sem repetir nenhum desejo, embora todos os desejos tenham sua origem na mesma fonte Deus, todos possuam uma identificação que lhe são próprias, ou seja desejos e pensamentos podem ser semelhantes, porem nunca serão idênticos.


sybok disse: Conhece o dilema de determinismo X indeterminismo?
De onde vem as "escolhas"?
Como dito, temos o livre arbítrio de formigas em um tronco descendo o rio.


não conheço,mas conheço barcos navegáveis e não venha dizer que nascemos com uma bussola divina ultrapassada que só aponta para ilusões .


sybok disse: Nos dois casos o agente de "escolha" é determinado por algo externo a nós e não é possível achar um agente de escolha livre.

da forma robotizada que voce coloca tudo é ilusão, é mais fácil assumirmos que somos ninguém.
logo ninguém é responsável por nada.( a um passo da loucura...ha..ha..ha.ha)


setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: eles dizem que o próprio corpo é um entulho gerador de lixos(pensamento, ilusões) que ambos devam ser descartados

Ops, não é bem assim que é dito, rs.


CRIATURO disse: e fato de você querer peneirar suas ilusões não te fará ver nenhum tesouro escondido dentro de você, só conseguirá encontrar mais ilusões apontando para novos "desejos".

Vejo as coisas de forma diferente Criaturo. E tesouro escondido não tem mesmo, rs.

No que vc vai desemaranhando o 'desejar' vai diminuindo mesmo, faz parte do processo e a lucidez vai cada vez mais aumentando.


setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: CRIATURO disse:
diria que fomos criados seres incompletos na eterna e natural procura da parte que nos falta Deus, é isso que nos move.

Então não movemos a nós mesmos e não há um "eu" a ser encontrado.


essa redundância na lógica da criação se da ao fato de sermos dual humanos e Deus ao mesmo tempo, fica difícil conseguir separar distinguindo o agente da ação, Deus age em nós e nós agimos nele porque "Eu e o Pai somos um".
Dentro do todo Deus quando um se mexe o outro sente e também se mexe.
Chame de "eu" tudo aquilo que não possa ser encontrado 100% idêntico


sybok disse: "Cristos" afirmam.
Remover a "viga" que temos nos olhos e "alcançar o reino dos céus".


isso não significa deixar de existir desejos apenas que mudaremos os desejos ou de ilusões como você queira.
Se a terra é uma ilusão o céu é a continuação dela


sybok disse: Existem diferentes coisas Criaturo, ou você perdeu consciência do mundo EXTERNO, mas manteve consciência de si, o que é diferente de estar "inconsciente", ou você entrou num estado de sono REM, que é algum tipo de semi consciência.
Nada disso indica que você vivenciou qualquer coisa análoga a morte ou a uma existência sem um corpo.


mantive a razão nos pensamentos, a visão em uma luz branca e a sensação de temperatura agradável, assim como você se tivesse a chance de ter permanecido mais tempo neste estado com certeza poderia ter levantado um pouco mais o véu,mas foi só eu pensar na possibilidade do meu espirito estar fora do corpo ou ainda que tivesse morrido, voltei a consciência da dura realidade sem tempo para maiores especulações,mais cheio de esperança na possibilidade da continuação da vida.
Talvez sempre seremos nós mesmos modificados pelas ações do tempo .
Não sou mais parte da criança inocente que já fui um dia,mas partes delas ainda continuam fazendo partes do meu ser, principalmente a alegria de viver, mesmo que agora mais carrancudo eu ainda consigo dar boas risadas, ilusão ou não rir ainda é muito bom, rir das ironias da vida é uma ironia, maior ainda.


sybok disse: Nossa capacidade de distorcer fatos objetivos, não torna tais fatos automaticamente subjetivos.

subjetivos a interpretações pessoais e coletivas


sybok disse: CRIATURO disse: quando você se encontra no estado de iluminação, todos podem observar o seu estado mais esperto ?
Todos podem observar a própria mente, pensamentos e sentimentos são, por exemplo, fatos conhecidos por todos e o funcionamento da mente está sujeito inclusive a investigação cientifica.
Estados de atenção são objetivos, estão sujeitos a testes de todo tipo.


não temos como afirmar nem mensurar que as sua obervações são exatamente iguais as dos outros, assim continuam sendo subjetivas as interpretações


sybok disse: Compare a coordenação motora e a capacidade matemática de um bêbado e de uma pessoa sóbria que você vai ter sua resposta.
A diferença pode ser evidenciada de modo simples através de testes diversos e além disso, qualquer um pode beber e ver a diferença entre uma coisa e outra.


no caso da sua iluminação como ela poderia ser testada ?


sybok disse: Não, claro que não.
A iluminação não lida afirmações como "são mensagens de espíritos" que possam ser explicadas de outro modo e não estão sujeitas a ser falseadas.


se eu fosse um evangélico diria que você esta sendo enganado pelo diabo, que esta tentando te desviar do caminho da salvação, ciando ilusões dentro da sua cabeça mas, ainda pode ser salvo arrependa-se depositando o seu dizimo na minha conta.....ha.ha..ha..ha.ha


sybok disse: É inclusive possível diferenciar por equipamentos alguém acordado de alguém dormindo, também é possível diferenciar quando estão dormindo sem sonhar e quando estão sonhando.

fizeram uns testes com tipo encefalograma em um monge em estado de meditação e comprovaram um estado alterado no cérebro.


sybok disse: Isso já foi explicado, todos sempre temos o potencial de lutar contra tal processo e sim, todos podemos ser monges e lutar para nos livrarmos de tal ilusão, o que não permite tirar nossa responsabilidade pela ação praticada, nem pelo desejo não dominado.

Quando voce afirma que os desejos não são nossos e sim de Deus, então não podemos ser condenado por não "podermos" conte-los e viva a impunidade garantida pela falta de personalidade!



sybok disse: Nos pensamos muito superiores a formigas, que não passam de pequenos robozinhos sem livre arbítrio, cada uma feita para uma função especifica, mas na verdade não somos.

todas ela possuem um "eu" , ou voce pode encontrar entre elas algumas que seja apenas uma sombra da outra.


sybok disse: Não temos vida real, somente potencial para nos tornarmos de fato vivos.

esse papo de mortos se iludindo pensando que vivem, e alguns querendo viver "morrendo",me lembra os poucos evangélicos que se consideram os eleitos para o reino dos céus, o fariseus que diziam que de Nazaré não podia sair nenhum profeta e por ai segue o orgulho.


sybok disse: Então nos movemos escravizados pelos desejos de Deus.
Novamente você não resolve o problema da inexistência de um "eu".
Dizer que nos movemos por "desejarmos" é fácil, difícil é explicar de onde vem o desejo e "quem" é que deseja e como.
Quem se debate sobre esse tema e INVESTIGA de fato a questão, logo descobre que o desejo tem origem externa e não deveria ser nosso motor, e, mais importante, não precisa ser nosso motor, podemos nos mover SEM tais desejos.


nosso "eu" é formado por cada desejo divino, pois nenhum desejo pode ser 100% igual ao outro e no seu caso querer impedir que os desejos de Deus deixem de se manifestar "TOTALMENTE" através de voce é querer matar Deus... (esta escrito amaras Deus sobre todas as coisas)...então cuidado! irmão Sybok! eu ja te avisei que esta ideia esta sendo plantada na sua cabeça pelo diabo! E o panelão ja ta fervendo! ha...ha.ha.ha.ha


sybok disse: CRIATURO disse: Mas, por que não podemos admitir a possibilidade da consciência anteceder ao corpo ?
E no que isso muda a questão? É só mais uma hipótese não verificável irrelevante para o tema.


muda nisto:
CRIATURO disse: Se decidir me libertar do falso eu, este desejo é de fato meu ou fui movido pelos desejo de outros ?
Alcançada a iluminação como poderemos existir sem vontade ?

Você não escolheu sem humano, homem, brasileiro, não escolheu se quer estar vivo e provavelmente não vai escolher poder continuar iludido ou despertar.


poderia sim ter escolhido antes de ter nascido


Isso está mais para um processo, é como um cozimento, quando você estiver no ponto o processo vai se manifestar independente da sua vontade.
Só que esse processo pode ser mais rápido ou demorado de acordo com fatores referentes ao próprio ego e ao apego que ele tem pela ilusão.
O processo é parte do todo que interage com a parte, sendo a forma como tal interação se da, que parece determinar o andar da carroça.

se o processo for valido apenas para essa vida então muitos perecerão nas suas ilusões ?

«


setembro 2013 Sinalizar0[/quote]
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:05


sybok disse: CRIATURO disse: Lutar contra a natureza é sair de uma ilusão e entrar em outra.
Tal processo é parte da natureza e é uma criação dela, não nossa.
Não há uma "luta contra a natureza", apenas um processo no qual estamos inevitavelmente imersos. A natureza te fez com desejos e te obriga a lidar com eles até eliminá-los.


se ela nos deu desejos tentar elimina-los "totalmente" não passa de mais um desejo impossível.


sybok disse: O desejo é o motor da ação, você mesmo disse que nos movemos quando desejamos.

exato desejo e personalidade tudo a ver.


sybok disse: Sim, o desejo é basicamente o pecado original.
Já nascemos pecadores, por que já nascemos desejos.


só se foi pelo desejo do Adão em ter dado um picote na Eva, como disse Deus põe o doce na mão da criança e a pune por ter comido ?


sybok disse: Sim, o desejo é basicamente o pecado original.
Já nascemos pecadores, por que já nascemos desejos.
É claro que o termo "pecado" é somente uma distorção humana com base na moralidade, mas esse "problema" não deixa de ser real, só por conta dessa interpretação moral errônea.


essa é um idéia furada,nascemos ignorantes e incompletos


sybok disse: Não existe ação sem apego e desejo, nem ação que não seja antecedida por um pensamento.

no principio existe ações mecânicas, ja esqueceu do deus mecânico?
alem do mais sua hipótese diz que eliminaremos todos os pensamentos e passaremos a seres conscientes sem ações.


sybok disse: Não existe ação sem apego e desejo, nem ação que não seja antecedida por um pensamento.
Quando cultivamos desejos, mesmo que só em pensamento, não estamos lutando contra o processo, estamos pecando quando deveríamos estar lutando CONTRA o pecado.
Isso por si só é um pecado segundo Cristo, pois devemos nos arrepender e não mais pecar.
A luta contra o pecado original é nossa obrigação, se cultivamos isso desejos, mesmo que só em pensamento, falhamos com nosso dever, pois é desse mesmo processo de cultivar pecados em pensamento, que surgem os outros desejos que terminam sendo concretizados em ação.


irmão Sybok ja pode abrir sua igreja.
pensamentos e desejos são naturalmente divinos e nisto não ha pecado algum, estamos aqui apenas para aprender o que podemos ou não fazer com eles.
Eu creio que voce esta equivocado "pensando" que pode "desejar" acabar com "todos" pensamentos e desejos.
Penso que até para Deus exista alguns limites por exemplo Deus poder criar outro Deus idêntico a ele ?
Se coe afiram que os nossos pensamentos e desejos não são nossos e sim de Deus, porque pensa que pode anula-los totalmente, assim voce vai acabar espantando os seus futuros dizimistas.



sybok disse: E como dito, a ação não é o único problema, a inação e a omissão quando frutos do mesmo processo mental, também são igualmente problemas, tanto quanto a ação em si.

"Fazer ou não fazer eis a questão"


sybok disse: Desejos são o que move uma roda que atira raios.
Se você através dos desejos gira uma manivela que faz a roda funcionar, ainda que nem todas as vezes que você gire a manivela, os raios saltem e deem choques em alguém, ainda assim é o ato de girar a manivela que da inicio a tudo.
Girar a manivela é errado, mesmo quando os raios não atingem ninguém, pois o pecado está em dar movimento a roda em si e não somente quando um ou outro raio atinge alguém.


eu gostava mais da sua "rodinha de espinhos" onde cobaias humanas são postas por Deus, se sentirem o desejo de andar ela fere quem esta dentro e fora da roda e eu achando que era apenas uma oportunidade para exercitar hamster.


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
Saudações Criaturo / Saudações Sybok

Saudações aos demais participantes


sybok disse: O que você "prefere" é irrelevante, o fato é que é perfeitamente viável que nunca tenhamos tido outra vida.

Criaturo responde: Somos a parte inconsciente de Deus, é isso que possibilita liberdade e personalidade.



Senhores, uma parte por favor...

Sim, perfeitamente viável que sejamos finitos em nossa existência tbm efêmera no espírito.

Porém, já tive a oportunidade de observar estados de inconsciência e retornos a consciência, e o observável é que quando a pessoa volta ela não deixou de ser ela mesma, somente perdeu sua conexão, como se tivesse em outro estado de consciência.

Hoje começo a pensar não ser da falta de consciência que padecia, mas antes talvez da falta de presença no espírito que já estava viajando... Se desprendendo.

Daí sempre me ocorria que quando voltava se não sofria? E se sofria, como as vezes me parecia, talvez seria por desejar mais a inconsciência na verdadeira liberdade do não existir...

Isso muitas vezes me tirava o sono(me arrasava)...
Esses que escolhem esses desafios, são muito corajosos.
Caem no completo insólito na existência do insólito no TODO...

Senhores,
sempre que venho ler o que vcs dois escrevem me deparo com labirintos(interessantes)...
Vcs dois andam me dando certo “desconforto” do bem(reflito muito no debate de vcs) nos labirintos de suas discussões...


Abraços fraternos aos dois
Abraços fraternos a todos.
Silvana

Post edited by Silvana on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: CRIATURO disse: videntes.

Da próxima vez que eu tropeçar em um essa vai ser a minha pergunta.


perguntas é o que me sobram,mas qual vai ser a sua e para quem ?


salgueiro disse: CRIATURO disse: eles dizem que o próprio corpo é um entulho gerador de lixos(pensamento, ilusões) que ambos devam ser descartados

Ops, não é bem assim que é dito, rs.


e como seria na versão Acadêmicos da Salgueiro....he...he...he ..desculpe mas, não resisti se for espanar a culpa é do Percival


salgueiro disse: Vejo as coisas de forma diferente Criaturo. E tesouro escondido não tem mesmo, rs.

No que vc vai desemaranhando o 'desejar' vai diminuindo mesmo, faz parte do processo e a lucidez vai cada vez mais aumentando.


não diga isso, pois "onde estiver o teu coração estará também o seu tesouro"

A sabedoria esta em saber descartarmos entulhos e aprendermos recolhermos apenas os bons tesouros ?


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
Silvana disse: Saudações Criaturo / Saudações Sybok

Saudações aos demais participantes
sybok disse: O que você "prefere" é irrelevante, o fato é que é perfeitamente viável que nunca tenhamos tido outra vida.

Criaturo responde: Somos a parte inconsciente de Deus, é isso que possibilita liberdade e personalidade.


Senhores, uma parte por favor...


saudações coisa nenhuma, o que voce fez com nosso amigo Inseto ? O "coitadinho" desapareceu !
alias voces desapareceram juntos !

Post edited by CRIATURO on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
Silvana disse: Porém, já tive a oportunidade de observar estados de inconsciência e retornos a consciência, e o observável é que quando a pessoa volta ela não deixou de ser ela mesma, somente perdeu sua conexão, como se tivesse em outro estado de consciência.

ta confuso ?? foi voltou depois perdeu a conexão?????


Silvana disse: Hoje começo a pensar não ser da falta de consciência que padecia, mas antes talvez da falta de presença no espírito que já estava viajando... Se desprendendo.

Daí sempre me ocorria que quando voltava se não sofria? E se sofria, como as vezes me parecia, talvez seria por desejar mais a inconsciência na verdadeira liberdade do não existir...


uma unica vez em que consegui perder todos os sentidos do ambiente que o meu corpo se encontrava , continuei com pelo menos dois sentidos do local em que a minha consciência ou espirito se encontrava: A visão de uma Luz branca muito forte e a sensação do meu corpo esta em pé flutuando paz , silencio e uma temperatura agradabilíssima e mantive minha razão pensando onde me encontrava, quando pensei sera que morri , voltei.
Eu tava curtindo, mas foi só começar especular o ambiente e fui puxado de volta, sacanagem quando eu ja tava começando a gostar da brincadeira.
Quem é que estando a beira do paraíso desejaria voltar para o sofrimento ?
Não acredito uma vez criado o ser ele possa se auto anular, pode desejar manter-se por algum tempo na inanição,mas logo desejara agir e ser novamente, pois esse desejo é naturalmente divino.


Silvana disse: Senhores,
sempre que venho ler o que vcs dois escrevem me deparo com labirintos(interessantes)...
Vcs dois andam me dando certo “desconforto” do bem(reflito muito no debate de vcs) nos labirintos de suas discussões...


Aleluia irmão Sybok vejo aqui a possibilidade de pelo menos uma dizimista da nossa igreja....ha..ha..ha.ha...ha

Silvana você é muito bem vinda a participar e nos brindar com um pouco do seu ser.
obs. mas liberte o isentinho ele chato mas é divertido, ou será que foi o diabo que vampirizou até a alma dele oh dó!


setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: perguntas é o que me sobram,mas qual vai ser a sua e para quem ?

Tenho o péssimo hábito de não ser invasiva, rs, mas gostaria de perguntar a um vidente em que estado mental ele está ao ver espíritos.


CRIATURO disse: não diga isso, pois "onde estiver o teu coração estará também o seu tesouro"

Nós não somos fáceis, rs.


CRIATURO disse: A sabedoria esta em saber descartarmos entulhos e aprendermos recolhermos apenas os bons tesouros ?

Sim. E construir uma unidade decente, o verdadeiro 'eu' ou seja lá qual nome se queira usar, rs.


setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: essa redundância na lógica da criação se da ao fato de sermos dual humanos e Deus ao mesmo tempo, fica difícil conseguir separar distinguindo o agente da ação, Deus age em nós e nós agimos nele porque "Eu e o Pai somos um".
Dentro do todo Deus quando um se mexe o outro sente e também se mexe.
Chame de "eu" tudo aquilo que não possa ser encontrado 100% idêntico


Você continua confuso e sem conseguir apontar um "eu".
Se estamos unidos ao todo, eis a impossibilidade de identificar tal "eu", o que significa somente confirmar que tal coisa, ao menos como hoje é entendida, não passa de ilusão.

Aponte um "eu" ou pare de afirmar que isso existe.


CRIATURO disse: isso não significa deixar de existir desejos apenas que mudaremos os desejos ou de ilusões como você queira.
Se a terra é uma ilusão o céu é a continuação dela


Sei, sei, você sabe como é o céu, conhece as intenções de Deus e todo o resto...
Sinto desapontá-lo, mas os desejos obrigatoriamente serão eliminados.


CRIATURO disse: não temos como afirmar nem mensurar que as sua obervações são exatamente iguais as dos outros, assim continuam sendo subjetivas as interpretações

O que pode ser visto é por definição objetivo, ainda que esteja sujeito a discussão.
As pessoas podem olhar a lua e discutir sobre o que ela é, e, durante muito tempo, afirmaram todo tipo de coisa, isso não muda o fato de que a lua é um objeto observável, por tanto, algo OBJETIVO e não resumível a opinião pessoal.

Subjetivo é o oposto de objetivo (objetivo: claro, direto;
subjetivo: passivo de interpretação pessoal, indireto)

Subjetivo é a opinião pessoal de cada individuo à respeito de algo ou alguém. Não existe um padrão de definição para esta opinião variando de pessoa para pessoa, sofrendo influências por cultura, religião, politica, região geográfica, instrução, conhecimentos.

Sentimento: subjetivo - cada um sente de uma forma
Gosto: subjetivo - cada um tem um gosto particular
Opinião: subjetivo - cada individuo tem um ponto de vista à respeito de algo.
Modo de agir : subjetivo - pois cada individuo age de forma muito particular em relação a situações e pessoas, ...


CRIATURO disse: no caso da sua iluminação como ela poderia ser testada ?
Com testes de atenção, EEGs, tomografia, etc...
Da mesma forma que testamos outros estados mentais e os investigamos.
O instituto do sono está cheio de coisas para isso.


CRIATURO disse: Quando voce afirma que os desejos não são nossos e sim de Deus, então não podemos ser condenado por não "podermos" conte-los e viva a impunidade garantida pela falta de personalidade!
Quem diz isso é você, não eu.
Eu disse que nossos desejos são originados fora de nós, por reações em cadeia resultado do que o nosso corpo vê e sente, assim como por seu ego mecânico.


CRIATURO disse: todas ela possuem um "eu" , ou voce pode encontrar entre elas algumas que seja apenas uma sombra da outra.
Formigas são robozinhos e eu não preciso encontrar uam formiga controlando a outra, todas elas são controladas pelas leis mecânicas do universo que nos cerca, assim como nós.

Como dito, se existe um "eu", então aponte onde ele se encontra.


CRIATURO disse: esse papo de mortos se iludindo pensando que vivem, e alguns querendo viver "morrendo",me lembra os poucos evangélicos que se consideram os eleitos para o reino dos céus, o fariseus que diziam que de Nazaré não podia sair nenhum profeta e por ai segue o orgulho.
Se você acha que Cristo está errado, ai sim vejo orgulho e arrogância.
Você acha mesmo que sabe mais do que ele que era "um" com Deus e fazia tudo segundo o pai mandava?


CRIATURO disse:
Sybok disse: Tal processo é parte da natureza e é uma criação dela, não nossa.
Não há uma "luta contra a natureza", apenas um processo no qual estamos inevitavelmente imersos. A natureza te fez com desejos e te obriga a lidar com eles até eliminá-los.

se ela nos deu desejos tentar elimina-los "totalmente" não passa de mais um desejo impossível.
Não se ela nos deu tanto os desejos quanto a obrigação de eliminá-los.
É através desse processo que a natureza te da vida.
Você começa como um robozinho escravizado pelos desejos com obrigação de eliminar os desejos que hoje são seu motor mecânico, para que possa se mover não mecanicamente, mas verdadeiramente vivo.

Você não entender como o processo funciona e se iludir achando que pode viver desejando, não muda os fatos.


CRIATURO disse: nosso "eu" é formado por cada desejo divino, ois nenhum desejo pode ser 100% igual ao outro e no seu caso querer impedir que os desejos de Deus deixem de se manifestar "TOTALMENTE" através de voce é querer matar Deus.
Não, não é.
Primeiro por não termos um "eu", segundo por ser Deus quem fez a vida como ela é, e nessa vida amigo, os desejos foram feitos para serem eliminados.


CRIATURO disse: no principio existe ações mecânicas, ja esqueceu do deus mecânico?
alem do mais sua hipótese diz que eliminaremos todos os pensamentos e passaremos a seres conscientes sem ações.


Nunca disse isso.
Disse que deixaremos de nos identificar como os AUTORES da ação, justamente por que iremos perceber que NÃO TEMOS UM EU, o que significa que nossos atos não mais irão gerar o que você entende por consequências karmicas.


CRIATURO disse: Penso que até para Deus exista alguns limites por exemplo Deus poder criar outro Deus idêntico a ele ?
Sim Criaturo, você pensa que pode conhecer até os limites de Deus...


CRIATURO disse: pensamentos e desejos são naturalmente divinos e nisto não ha pecado algum, estamos aqui apenas para aprender o que podemos ou não fazer com eles.
Isso é o oposto do que Cristo afirma e do que pode ser VISTO por qualquer um que já tenha identificado a origem dos desejos o como eles nos escravizam e nos levam a sofrer.

Mateus 5:
27 "Vocês ouviram o que foi dito: 'Não adulterarás'.
28 Mas eu digo: Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração.


setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: CRIATURO disse: perguntas é o que me sobram,mas qual vai ser a sua e para quem ?

Tenho o péssimo hábito de não ser invasiva, rs, mas gostaria de perguntar a um vidente em que estado mental ele está ao ver espíritos.


ta no meu ser invasivo, mas tenho que ter desconfiômetro apesar de ser bem discreto.
Mas voce mesmo não esta habilitada a responder esta pergunta, ou ainda gostaria de conhecer uma segunda opinião.



setembro 2013 Sinalizar0
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:06

CRIATURO disse: ta no meu ser invasivo, mas tenho que ter desconfiômetro apesar de ser bem discreto.
Mas voce mesmo não esta habilitada a responder esta pergunta, ou ainda gostaria de conhecer uma segunda opinião.


As pessoas ficam à vontade comigo porque sabem que nunca faço 'perguntas', me contam o que querem sabendo que vou respeitar o limite daquilo que querem contar.

Não sou vidente Criaturo então a pergunta vem da minha ignoräncia.


setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Você continua confuso e sem conseguir apontar um "eu".
Se estamos unidos ao todo, eis a impossibilidade de identificar tal "eu", o que significa somente confirmar que tal coisa, ao menos como hoje é entendida, não passa de ilusão.

Aponte um "eu" ou pare de afirmar que isso existe.


ok! last go!

se voce não é um "eu" então é um ninguém, ou é Deus ?
Se não é um individuo é um conjunto ?

De fato Tudo é um único Deus nada pode ser individualizado ou a parte dele.
Mas Deus pode se manifestar infinitamente de "formas diferentes", como "cada" uma dessas formas não será igual a outra , podemos classifica-las cada uma como um "eu diferente"


sybok disse: Aponte um "eu" ou pare de afirmar que isso existe.

eu existo e não vou negar a mim mesmo só porque você fez uma interpretação radical extremista de um ensinamento cristão.
Você realmente "deseja" anular-se ?
Qual é a maior ilusão : "acreditar-se morto ou vivo? ", "acreditar-se alguém ou ninguém ? "


setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Não sou vidente Criaturo então a pergunta vem da minha ignoräncia.

eu pensei que você possuísse mediunidade de vidência e que disso vinha a sua fé.


setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: eu pensei que você possuísse mediunidade de vidência e que disso vinha a sua fé.

Não tenho fé em relação a espíritos, eles me provaram que existem, que são fatos, mesmo sem ser vidente. Caso eu o fosse não teria levado tantos anos para derrubar o meu ceticismo e o meu preconceito.


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Sei, sei, você sabe como é o céu, conhece as intenções de Deus e todo o resto...
Sinto desapontá-lo, mas os desejos obrigatoriamente serão eliminados.


mas, só por que voce deseja isso?..he..he..he.he


sybok disse:
Sei, sei, você sabe como é o céu, conhece as intenções de Deus e todo o resto...


ja percebi que não existem milagres instantâneos nem gratuitos, pois o processo é lento, Nenhum caminho pode ser mais difícil do que um interminável é este o que Jesus ensina a percorrermos.


sybok disse: O que pode ser visto é por definição objetivo, ainda que esteja sujeito a discussão.

tipo sonhos ?


sybok disse: Subjetivo é a opinião pessoal de cada individuo à respeito de algo ou alguém. Não existe um padrão de definição para esta opinião variando de pessoa para pessoa, sofrendo influências por cultura, religião, politica, região geográfica, instrução, conhecimentos.

seus fato observáveis se enquadram aqui


sybok disse: O instituto do sono está cheio de coisas para isso.

Ao lado da Casa DBanha ?


sybok disse: CRIATURO disse: Quando voce afirma que os desejos não são nossos e sim de Deus, então não podemos ser condenado por não "podermos" conte-los e viva a impunidade garantida pela falta de personalidade!
Quem diz isso é você, não eu.
Eu disse que nossos desejos são originados fora de nós, por reações em cadeia resultado do que o nosso corpo vê e sente, assim como por seu ego mecânico.


quando diz que somos uma maquina divina geradora de pensamento ilusórios e por consequência de desejos, tenta transferir responsabilidades das nossas ações a Deus a ponto de querer matar o eu divino dentro de você, dizendo que ele é ilusório.
Você esta sendo tentado e iludido pelo diabo cuidado que o caldeirão continua fervendo.

Post edited by CRIATURO on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Não tenho fé em relação a espíritos, eles me provaram que existem, que são fatos, mesmo sem ser vidente. Caso eu o fosse não teria levado tantos anos para derrubar o meu ceticismo e o meu preconceito.

BELEZA!


setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Se você acha que Cristo está errado, ai sim vejo orgulho e arrogância.
Você acha mesmo que sabe mais do que ele que era "um" com Deus e fazia tudo segundo o pai mandava?


é saudável manter um certo nível de ceticismo quanto a originalidade dos ensinamentos cristão haja vista aparentes contradições, erros de traduções e manipulações intencionais.
Alem do mais sua interpretação pode estar equivocada mas, ja esta convicto da sua certeza?


sybok disse: se ela nos deu desejos tentar elimina-los "totalmente" não passa de mais um desejo impossível.
Não se ela nos deu tanto os desejos quanto a obrigação de eliminá-los.


Quando se tem personalidade definida tornamos senhores de nós mesmo, quando o desejo é pessoal ninguém poderá altera-lo a não ser nós mesmos.


sybok disse: É através desse processo que a natureza te da vida.

da vida individualizando seres e não unindo seres


sybok disse: Você começa como um robozinho escravizado pelos desejos com obrigação de eliminar os desejos que hoje são seu motor mecânico, para que possa se mover não mecanicamente, mas verdadeiramente vivo.

como mover-se sem desejar ? em um dos meus sonhos mais lúcidos me encontrava no alto de uma viga , quando desejei descer meu corpo flutuou para baixo.


sybok disse: Primeiro por não termos um "eu", segundo por ser Deus quem fez a vida como ela é, e nessa vida amigo, os desejos foram feitos para serem eliminados.

Só por que você deseja isso ?
então "desejar ou não desejar eis a questão"
Como seria isso, desejar não mais desejar ?



sybok disse: CRIATURO disse: no principio existe ações mecânicas, ja esqueceu do deus mecânico?
alem do mais sua hipótese diz que eliminaremos todos os pensamentos e passaremos a seres conscientes sem ações.

Nunca disse isso.
Disse que deixaremos de nos identificar como os AUTORES da ação, justamente por que iremos perceber que NÃO TEMOS UM EU, o que significa que nossos atos não mais irão gerar o que você entende por consequências karmicas.


e aquela conversa de nos tornamos uma tela em branco a espera de estímulos externos?
Alem do mais sua hipótese torna-se redundante voltaríamos de onde partimos, ou seja sairemos de escravos da ilusão, para sermos um ninguém sem vontade própria.


sybok disse: 27 "Vocês ouviram o que foi dito: 'Não adulterarás'.
28 Mas eu digo: Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração.


é natural pensarmos e desejarmos e estamos aqui exatamente para aprendermos dar vazão aos bons pensamentos e reprimir os maus.

aprendendo separar o joio do trigo não será necessário queimar"todo o campo" dado pelo Sr. Deus."

sua hipótese contraria a natureza do ser, você esta sendo tentado pelo diabo ele te mostrou uma pequena luz e te convenceu ser ela a luz total divina.

Ninguém tem mérito algum em pertencer ao Todo mas, sim em se fazer diferente do Todo e de todos


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse:
sybok disse: Subjetivo é a opinião pessoal de cada individuo à respeito de algo ou alguém. Não existe um padrão de definição para esta opinião variando de pessoa para pessoa, sofrendo influências por cultura, religião, politica, região geográfica, instrução, conhecimentos.
seus fato observáveis se enquadram aqui
Meus fatos observáveis, justamente por serem observáveis, não estão sujeitos a opinião variando de pessoa pra pessoa, nem sofrem influencia por cultura ou região geográfica, tanto que Buda (índia), Lao Tsé (China) e Cristo (Israel), falam sobre a MESA coisa.

Você esta confundindo os SEUS questionamentos subjetivos frutos do uso da razão pura, na tentativa de entender um relato sobre algo que você NÃO observou, com os fatos em si.
Nesse caso Criaturo, só a SUA opinião varia somente por ser subjetiva, devido ao fato de que você não observou tais fatos objetivos.


CRIATURO disse: se voce não é um "eu" então é um ninguém, ou é Deus ?
Se não é um individuo é um conjunto ?

De fato Tudo é um único Deus nada pode ser individualizado ou a parte dele.
Mas Deus pode se manifestar infinitamente de "formas diferentes", como "cada" uma dessas formas não será igual a outra , podemos classifica-las cada uma como um "eu diferente"

Nós não sabemos do que somos feitos, nem sabemos quem somos.
A sua ilusão é achar que conhece a si próprio e tomar por certa a existência de um "eu". Qualquer um que investigue isso e tente se conhecer melhor. não vai encontrar nada que possa ser apontado como isso, nem uma separação entre o indivíduo e o todo.

Você pode classificar tudo arbitrariamente da forma que quiser, pode classificar cada célula do corpo humano como uma forma de vida "diferente e independente", mas tais classificações arbitrarias NÃO resolvem o problema da ausência de um eu.

A vida nos antecede e nós não sabemos apontar o que nos mantém e nos permite mover, podemos apontar no máximo motores mecânicos que podem ser eliminados, sem que isso no faça desaparecer, mostrando que eles não são os reais agentes que nos tornam "existentes", são no máximo motores que nos controlam somente se permitirmos.


CRIATURO disse: eu existo e não vou negar a mim mesmo só porque você fez uma interpretação radical extremista de um ensinamento cristão.
Você realmente "deseja" anular-se ?
Qual é a maior ilusão : "acreditar-se morto ou vivo? ", "acreditar-se alguém ou ninguém ? "

Todos existirmos, não significa que saibamos quem ou o que somos, nem que sejamos "indivíduos" com existência própria, capazes de se descolar do resto, e, manter e mover a nós mesmos.

A maior ilusão é acreditar-se realmente vivo e possuidor de um "eu".

E não existe nada de "radical" ou "extremista" em reconhecer o que Cristo diz com clareza, especialmente vindo de quem deu o exemplo do tipo de sacrifício necessário e disse: "Carregue tua própria Cruz e ME SIGA".
"Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á".

É você quem quer se iludir e busca vida fácil Criaturo.
Cristo diz que o pecado está no pensamento e desejo, já postei o trecho aqui: "Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração".
Também já postei os trechos onde ele afirma com todas as letras a necessidade de praticas de controle do desejo e da anulação de si, como o celibato e o jejum.
Mas você se acha mais esperto que defendo todas essas coisas, como "boas e necessárias" para você.

Não sou eu quem dou nenhuma interpretação radical, é você quem faz questão de ignorar o que está escrito claramente, para continuar sem praticar religião.
Olhe todas as religiões do mundo e verá que não só Cristo ensina tais praticas, assim como os padres católicos as ensinam, mas também o mesmo ocorre no Budismo, Hinduísmo, Taoismo, etc...

O problema é que você gosta de vida fácil e se acha mais esperto do que o próprio Cristo, seria ao menos mais sensato admitir que você discorda dele, do que tentar taxar isso de interpretação "extremista". Isso é tentar tapar o Sol com a peneira, pois contraria o que está escrito e o que se pode evidenciar em qualquer igreja do mundo.

Post edited by sybok on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: é saudável manter um certo nível de ceticismo quanto a originalidade dos ensinamentos cristão haja vista aparentes contradições, erros de traduções e manipulações intencionais.
Alem do mais sua interpretação pode estar equivocada mas, ja esta convicto da sua certeza?

Mas não é saudável ignorar o que é dito claramente só por que te desagrada.

Que ateus discordem de Cristo e o considerem um imbecil, vá lá, eu até entendo, mas que alguém diga que ele era um com Deus e queria recortar e colar suas palavras, achando ser capaz de corrigi-lo e "descartar" seus erros, ai já é um salto e tanto.

Ou Cristo era um cara comum sem nenhuma relevância e dizia um monte de bobagens e por tanto o cristianismo e seus ensinamentos são irrelevantes, ou ele era um mestre e é melhor ter mais atenção ao que ele diz.

Cristo diz:

Cristo disse:27 "Vocês ouviram o que foi dito: 'Não adulterarás'.
28 Mas eu digo: Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração.

Você diz:
CRIATURO disse:
é natural pensarmos e desejarmos e estamos aqui exatamente para aprendermos dar vazão aos bons pensamentos e reprimir os maus.
sua hipótese contraria a natureza do ser, você esta sendo tentado pelo diabo ele te mostrou uma pequena luz e te convenceu ser ela a luz total divina.


Uma coisa contraria a outra, ou você está errado, ou Cristo está errado.
O que você está fazendo não é "interpretar", é negar o que está escrito claramente.

Você considera o desejo bom e natural, mas Cristo a firma que isso é o que cristão entendem como PECADO!
Você está somente tentando negar isso, por não concordar com Cristo. É mais honesto dizer logo que discorda dele.

CRIATURO disse:
Sybok disse: Nunca disse isso.
Disse que deixaremos de nos identificar como os AUTORES da ação, justamente por que iremos perceber que NÃO TEMOS UM EU, o que significa que nossos atos não mais irão gerar o que você entende por consequências karmicas.

e aquela conversa de nos tornamos uma tela em branco a espera de estímulos externos?
Também nuca disse isso.
A conversa sobre a tela em branco eram especulações hipotéticas sobre o que a consciência em si pode já ser hoje, uma tela em branco recebendo projeções sobre ela.
Isso não tem nada a ver com esse assunto.


setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
Criaturo disse: Você realmente "deseja" anular-se ?

Se alguém quer vir após Mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, dia após dia, e siga-Me [Lc 9, 23]

Disse-lhes, pois, Jesus: Quando levantardes o Filho do homem, então conhecereis que EU SOU, e que nada faço por mim mesmo; mas isto falo como meu Pai me ensinou.
aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada.

João 8:28-29

Como dito, hoje seu motor são os desejos e você vive a ilusão de "separação", mas precisa se tornar "um com Deus", assim como Cristo era "um com Deus", lembrando que nós ainda NÃO REALIZAMOS ESSA UNIÃO e ela precisa ser realizada segundo Cristo:

E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós.
João 17:11

(como você vê, Cristo pensa diferente da sua hipótese sobre "eternos iludidos" e "voltar a ser Deus").

Basicamente trocaremos o motor dos desejos, por Deus como motor. Continua não existindo aqui um "eu" separado do resto.

Post edited by sybok on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
Silvana disse: Porém, já tive a oportunidade de observar estados de inconsciência e retornos a consciência, e o observável é que quando a pessoa volta ela não deixou de ser ela mesma, somente perdeu sua conexão, como se tivesse em outro estado de consciência.

Hoje começo a pensar não ser da falta de consciência que padecia, mas antes talvez da falta de presença no espírito que já estava viajando... Se desprendendo.

Daí sempre me ocorria que quando voltava se não sofria? E se sofria, como as vezes me parecia, talvez seria por desejar mais a inconsciência na verdadeira liberdade do não existir...


Oi Silvana, eu também acredito que não sejamos "finitos" no sentido carnal de que morremos junto com o corpo, mas de fato não tenho certeza do ponto de vista "espiritual" se existe algum tipo de "identidade" permanente.
O problema é que só podemos conjecturar qualquer coisa e qualquer experiência vivida, sempre pode ser explicada de outro modo.

Eu, por exemplo, tenho muitos sonhos lúcidos que outros considerariam viagens astrais, onde me vejo "saindo" do corpo e começo a flutuar por ai.
Eu interpreto tais experiências como simples sonhos, pois se foram outra coisa, não é possível falsear, sempre dependeria de crença numa explicação alternativa.



setembro 2013 Sinalizar0
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:07


sybok disse: E não existe nada de "radical" ou "extremista" em reconhecer o que Cristo diz com clareza, especialmente vindo de quem deu o exemplo do tipo de sacrifício necessário e disse: "Carregue tua própria Cruz e ME SIGA".

E disse muito bem: "Carregue a sua cruz e não a minha", talvez a nossa maior cruz seja a tal da ilusão que você tanto repudia e tenta livrar-se dela como se fosse um fardo pesado de espinhos.
Neste caso voce pretende seguir Jesus de mãos vazias ?


sybok disse: É você quem quer se iludir e busca vida fácil Criaturo.

se alega que ilusões são causas de sofrimentos não pode considerar essa vida a mais facil, antes uma pesada cruz a ser carregada.


sybok disse: Cristo diz que o pecado está no pensamento e desejo, já postei o trecho aqui: "Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração".

pensar é inevitável o pecado é querer continuar desejando


sybok disse: Também já postei os trechos onde ele afirma com todas as letras a necessidade de praticas de controle do desejo e da anulação de si, como o celibato e o jejum.

o problema é o extremismo, eu também concordo que devemos aprender a controlar nossos desejos e alguns tipo de pensamentos devam ser evitados, porem voce quer matar sua natureza radicalmente.


sybok disse: O problema é que você gosta de vida fácil e se acha mais esperto do que o próprio Cristo, seria ao menos mais sensato admitir que você discorda dele, do que tentar taxar isso de interpretação "extremista". Isso é tentar tapar o Sol com a peneira, pois contraria o que está escrito e o que se pode evidenciar em qualquer igreja do mundo.

ja comecei rever meus conceitos quanto aos meus desejos, mas pode acreditar que ninguém consegue andar sem ter que carregar algum tipo de cruz.
Mas desejar querer levar a mais pesada também não passa de um desejo do Ego.


setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: E disse muito bem: "Carregue a sua cruz e não a minha",

Criaturo, se assim fosse, ele teria dito algo como: "Que cada um carregue seus próprio fardo".
A analogia com a "cruz" e depois o SIGA-ME, deixa clara a analogia.

Cristo é o símbolo máximo de submissão a vontade de Deus e de jornada difícil e sofrida em busca da união como ele, alguém que aguenta todo tipo de tormento, é tentado de todas as formas, MAS RESISTE a todas as tentações e que da a própria vida para fazer a vontade de Deus.
Some isso a todo o resto dos ensinamentos e fica claro que não existe extremismo algum da minha parte. É só o que Cristo ensina.


setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: A sua ilusão é achar que conhece a si próprio e tomar por certa a existência de um "eu". Qualquer um que investigue isso e tente se conhecer melhor. não vai encontrar nada que possa ser apontado como isso, nem uma separação entre o indivíduo e o todo.

Esse 'eu'' pode sim ser formado. Não sei como vcs nasceram mas eu nunca tive trocentas facetas nem personagens nem personalidades. E esse trabalho de formação ou coesão é perceptível o resultado.


setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse:
Esse 'eu'' pode sim ser formado. Não sei como vcs nasceram mas eu nunca tive trocentas facetas nem personagens nem personalidades. E esse trabalho de formação ou coesão é perceptível o resultado.

Coesão no que? Na formação de personagens?
Como dito eu não vejo formação de nada, vejo muitas personagens que usamos em momentos distintos e um amadurecimento no sentido da remoção de certezas e "entulhos", mas a construção de algo realmente não vejo.
Na vida nós crescemos formando uma historia pessoal, uma identidade e uma identificação com essa identidade, mas isso é justamente uma personagem que não sobrevive ao questionamento de sua realidade, pois se mostra como coleção em "camadas" de coisas externas, como desejos, sentimentos irracionais, crenças, etc...


setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Coesão no que? Na formação de personagens?

Coloquei como informação Sybok, se quiser pensar sobre ok se não tudo bem.


setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Coloquei como informação Sybok, se quiser pensar sobre ok se não tudo bem.
Sim Salgueiro, eu já pensei sobre isso e não vejo o que você está dizendo.
Onde esse algo se forma? São nossas lembranças, nossos desejos e pensamentos?

Não encontro nada na mente que possa se formar dessa forma, vejo camadas de coisas que em geral são removidas ou naturalmente descartadas, como nossas memorias e crenças.


setembro 2013 Sinalizar0
É interessante isso, eu venho trabalhando com toda essa complexidade e formando uma unidade, ela é visível para mim.

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
Vc não vë por não acreditar que os personagens ou personalidades façam parte do seu 'eu', por acreditar que em algum momento vai se livrar delas.

Entendo o processo pelo qual vc se dispös a passar e tenho idéia de qual o resultado a que vai chegar só que em determinado momento vai perceber que não é o suficiente pois não lidou com boa parte dos seus sentimentos e emoções.

É como nascéssemos com um quebra-cabeças com direito a peças sobrando eou duplicadas e cada peça tivesse agregado a ela sentimentos diversos, eu chamo a isso de facetas e é o que nos torna complexos. Montar esse quebra-cabeças é a finalidade. E sim, ao longo da montagem vc vai aprendendo a lidar com os desejos e com o apego só que isso é parte do processo não o processo todo, sob a minha ótica e daquilo que vivencio é claro, rs.

Post edited by salgueiro on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: É interessante isso, eu venho trabalhando com toda essa complexidade e formando uma unidade, ela é visível para mim.
Sal, somos "existentes", afinal, estamos aqui certo?
O problema não é a existência de "algo", estamos passando por um processo e ele tem algum objetivo, inclusive de nos "mudar/ensinar/evoluir" ou seja lá como você entenda isso.

Se não fosse assim não precisaríamos meditar ou nos livrar do ego, já nasceríamos sem isso.

O problema não está na nossa existência ou num processo que nos modifica, mas tão somente em apontar algo que possa ser considerado um "eu" como entendemos isso hoje.

Você fala sobre "facetas" e sobre montar um quebra-cabeça, mas o fato é que olhando cada peça separadamente, não somos nenhuma delas, ao menos não temos como apontar nenhuma delas como sendo nosso "eu".
Mais do que isso, ao analisar cada peças podemos ver que são resultado de um processo mecânico controlado por forças naturais que nos transcendem.

Olhando todas as peças em conjunto e como hoje funcionam juntas, temos um processo mecânico onde somos controlados por pensamentos, sentimentos e desejos, onde de modo ilusório nos julgamos no controle e fazendo escolhas, até o dia em que se consegue calar o ego e perceber que o processo de "escolhas" era falso, mecânico e não era feito por "nós" de fato.
O funcionamento disso se mostra inadequado, ainda assim existe "algo" indefinido que pode dizer não a ser controlado por essas coisas e não precisa ser controlado por elas.
Ainda assim isso também tem que ser feito de algo que nos transcende e esse "algo" que pode dizer não ao ego, não é um "eu" como entendemos isso hoje através do ego.

Nós não criamos nada disso, não somos nenhuma dessas peças, não escolhemos passar por tal processo, nem decidimos como deveremos nos "montar" e colocar tais peças para funcionar.
Muito pelo contrario, parte do processo está justamente em se livrar dessa ilusão de "eu" e de separação do resto.
Não somos independentes do resto e nem fizemos a nós mesmos, somos o que a vida fez de nós, somos como ela queria e seguimos a jornada como ela determina.

Esse agente de "escolha" que chamamos de "eu" é falso, somos inevitavelmente controlados por forças naturais que nos transcendem e vivemos num universos já formatado e com escolhas limitadas.

Somo "algo", mas não um "eu" como nos pensamos hoje e esse agente de escolha não existe individualmente, é parte de algo maior. Não somos nem inexistentes ou completamente robotizados, nem indivíduos livres, somos "parte" unida e inseparável de algo maior que nos transcende é por isso que não se pode apontar um "eu".

Hoje nossa menta funciona erroneamente em termos de "nós" e "não nós", em "somos" ou "não somos", em "eu" e "não eu", ou "eu e o outro".
É ai que está a ilusão, pois na realidade não existe tanta distinção entre uma coisa e outra, pois não existe separação entre nós e o resto.

Por acaso eu sou qualquer uma de minhas células ou elas são indivíduos separados de mim? Mentalmente o mesmo dilema se repete.


setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Entendo o processo pelo qual vc se dispös a passar e tenho idéia de qual o resultado a que vai chegar só que em determinado momento vai perceber que não é o suficiente pois não lidou com boa parte dos seus sentimentos e emoções.
Sal, para se conseguir viver sem realizar os desejos é preciso muito mais conhecimento sobre os próprios sentimentos, do que fazendo o contrario, especialmente por que não se deixa de sentir ou lidar com qualquer coisa, só por que não se vivencia ou se realiza o desejo.

Tente fazer jejum um dia e veja se você deixa de "lidar" com a fome, ou se pelo contrario, você vai ter que lidar com ela de um modo muito mais intenso do que jamais lidou.
Mate sua fome e não precisará lidar com ela, coma e ela se vai.
Mantenha o jejum e ela fica presente, prolongue e ela grita mais alto e se faz mais presente e visivel do que nunca, faça isso "concentrada" na sensação, sem outras distrações como amigos e festas, e se permita viver sem ser controlada por essa sensação, e vai poder conhecer melhor a si mesma e o que te move.

Negar os próprios desejos é lidar com eles, significa amplificar seus gritos e mantê-los presente e perto o suficiente para olhar e entender de onde vem e como controlá-los.

Se deixe "levar" por emoções e sensações, divirta-se distraída pelos prazeres sensoriais e pelo mundo, e vai ser levada adormecida e sem concentração sobre os processos que te movem, sem precisar "lidar" de fato com essas coisas.

No mundo as pessoas pouco "lidam" com as emoções, elas ao contrario são "levadas" por elas, justamente por não saberem "lidar" com nada.


setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: O problema não é a existência de "algo", estamos passando por um processo e ele tem algum objetivo, inclusive de nos "mudar/ensinar/evoluir" ou seja lá como você entenda isso

O processo é claro.


sybok disse: Se não fosse assim não precisaríamos meditar ou nos livrar do ego, já nasceríamos sem isso.

Não sei se é necessário ou indispensável, sei dos benefícios da meditação apesar de ter uma trava a tradicional agora matar a minha razão só Jesus em pessoa para me convencer disso.


sybok disse: O problema não está na nossa existência ou num processo que nos modifica, mas tão somente em apontar algo que possa ser considerado um "eu" como entendemos isso hoje

Eu posso Sybok e é essa informação que estou passando para vc.


sybok disse: Você fala sobre "facetas" e sobre montar um quebra-cabeça, mas o fato é que olhando cada peça separadamente, não somos nenhuma delas, ao menos não temos como apontar nenhuma delas como sendo nosso "eu".

Eu tenho, a vida vive me pondo em teste para ver a 'estabilidade da construção' ou o que subestimei ou apontando o que é o próximo passo.


sybok disse: Mais do que isso, ao analisar cada peças podemos ver que são resultado de um processo mecânico controlado por forças naturais que nos transcendem.

Enxergo perfeitamente as 'forças naturais que nos transcedem' mas as peças fazem parte de nós sim, gostemos ou não delas.


sybok disse: Olhando todas as peças em conjunto e como hoje funcionam juntas, temos um processo mecânico onde somos controlados por pensamentos, sentimentos e desejos, onde de modo ilusório nos julgamos no controle e fazendo escolhas, até o dia em que se consegue calar o ego e perceber que o processo de "escolhas" era falso, mecânico e não era feito por "nós" de fato

Aqui não tenho como refutar de forma objetiva, não sei o que vc sentiu nem até onde foi a experiëncia ou se te deu subsídios para projetar algo, estou tentando passar para vc a minha experiëncia, a de alguém que leva esse papo à sério.


sybok disse: O funcionamento disso se mostra inadequado, ainda assim existe "algo" indefinido que pode dizer não a ser controlado por essas coisas e não precisa ser controlado por elas.

É desse algo que estou falando, ele é construído, não vem pronto por isso é pouco percebido.


sybok disse: Ainda assim isso também tem que ser feito de algo que nos transcende e esse "algo" que pode dizer não ao ego, não é um "eu" como entendemos isso hoje através do ego.

Seria fácil se fosse algo transcendente (por favor, não se ofenda com a colocação) mas não é.
É fruto de uma luta titänica interior.


sybok disse: Não somos independentes do resto e nem fizemos a nós mesmos, somos o que a vida fez de nós, somos como ela queria e seguimos a jornada como ela determina.

Mas não mesmo.


sybok disse: Esse agente de "escolha" que chamamos de "eu" é falso, somos inevitavelmente controlados por forças naturais que nos transcendem e vivemos num universos já formatado e com escolhas limitadas.

Ele não é 'falso' e sim rudimentar. Temos escolhas sim, limitadas ao que nos propomos.


pg41


setembro 2013 Sinalizar0
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:08


sybok disse: Sal, para se conseguir viver sem realizar os desejos é preciso muito mais conhecimento sobre os próprios sentimentos, do que fazendo o contrario, especialmente por que não se deixa de sentir ou lidar com qualquer coisa, só por que não se vivencia ou se realiza o desejo.

Sou uma solitária, por temperamento, então entendo perfeitamente o que vc quer dizer mas sei que é no contato com outras pessoas ou com a 'vida' que estão os grandes testes. Dentro de casa é moleza, apesar do telefone, rs.


sybok disse: Tente fazer jejum um dia e veja se você deixa de "lidar" com a fome, ou se pelo contrario, você vai ter que lidar com ela de um modo muito mais intenso do que jamais lidou.

Se eu quiser fico dias sem comer, já fiquei trës.


sybok disse: Negar os próprios desejos é lidar com eles, significa amplificar seus gritos e mantê-los presente e perto o suficiente para olhar e entender de onde vem e como controlá-los.

Nunca tive grandes dificuldades de lidar com desejos, meu calcanhar de Aquiles é o apego à algumas pessoas.


sybok disse: Se deixe "levar" por emoções e sensações, divirta-se distraída pelos prazeres sensoriais e pelo mundo, e vai ser levada adormecida e sem concentração sobre os processos que te movem, sem precisar "lidar" de fato com essas coisas

Estou dando boas risadas aqui meu querido, essa descrição nada tem a ver comigo.
Eu lido com tudo isso há trinta anos e conforme o tempo foi passando cada vez de forma mais séria. Como já disse antes comecei essa jornada simplesmente buscando desenvolver o autocontrole e me livrar do gënio ruim.


sybok disse: No mundo as pessoas pouco "lidam" com as emoções, elas ao contrario são "levadas" por elas, justamente por não saberem "lidar" com nada.

Eu sei, só não é o meu caso

setembro 2013 Sinalizar0
Sybok, eu gostaria que vc entendesse que em momento nenhum estou tentando desmerecer o que vc faz, estou tentando te mostrar que talvez vc esteja buscando um atalho que talvez não encurte o 'caminho' tanto quanto imagina e que o que para alguns é quase uma tortura para outros nem tanto, as pessoas são muito diferentes com dificuldades e facilidades diferentes.

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Sou uma solitária, por temperamento, então entendo perfeitamente o que vc quer dizer mas sei que é no contato com outras pessoas ou com a 'vida' que estão os grandes testes.
E existe como ficar "fora" da vida?
Não correr atrás dos sonhos cotidianos, nem usufruir do resto das distrações do mundo, não tira ninguém do mundo, só tira a mente das mesmas distrações que povoam a mente alheia, removendo a atenção delas do mundo real.

Abandonam-se as distrações mentais, para aliviar a mente e justamente permiti-la maior concentração no mundo e em si.
salgueiro disse:
Eu sei, só não é o meu caso
E eu não disse que era Salgueiro, só expliquei que tais praticas são o oposto do que sugeriu.

Elas nos obrigam a lidar com os sentimentos ao invés de simplesmente nos deixamos levar por eles.

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Eu posso Sybok e é essa informação que estou passando para vc.

Mas você teria como apontar para essa parte e dizer "Somos isso"?
Até onde eu mesmo procurei, nada encontrei, pensei ser meus pensamentos, minhas escolhas racionais que hoje se veem como um "eu", mas isso já pude ver calado e continuei sendo, mesmo sem isso.

São nossos desejos e vontades como pensa o Criaturo?
Isso eu também já pude encarar de frente e vejo que posso mudar tais desejos e vontades e não tê-los como motor.

Já cogitei que fossem minhas memorias, mas vejo que não esta o tempo todo na mente, minha biografia, e do que lembro de minha vida, dessa vidinha aqui mesmo, são somente flashs.

Um "eu" significaria uma coisa independente, com vida própria e capaz de se auto manter. Não vejo nada parecido com isso no nosso mundo onde tudo é "parte" de algo maior e construído por forças que estão muito além das partes.


salgueiro disse: Eu tenho, a vida vive me pondo em teste para ver a 'estabilidade da construção' ou o que subestimei ou apontando o que é o próximo passo.
Mas é a construção de "algo" ou de um "eu".
Talvez você esteja tomando uma coisa pela outra.
salgueiro disse: Enxergo perfeitamente as 'forças naturais que nos transcedem' mas as peças fazem parte de nós sim, gostemos ou não delas.
Mas não nos definem nem resultam em um "eu" real.
São só coisas mecânicas, sensações físicas e questionamentos que não nos servem de motor, nem fazem de nós mais "eus", muito pelo contrario, obedecer a tais coisas está mais para ser "robotizado".

E esse "algo" que está sendo construído, como você parece perceber, não pode ser dominado por sentimentos e desejos, precisa estar no controle deles, ainda que faça parte da vida "sentir" e ter prazeres.
A questão é, o que é esse "algo"?
salgueiro disse: É desse algo que estou falando, ele é construído, não vem pronto por isso é pouco percebido.
Construído por quem?
Se ele ainda não existe, ou não está pronto, então não está sendo construído por nós.
Como então falar sobre um "eu" se ainda não somos?
Percebe que existe uma ambiguidade nesse processo?

Se é a vida ou Deus quem da forma a isso e decide como deve ser, como podemos falar sobre um "eu" e sobre "escolhas"?


salgueiro disse: Seria fácil se fosse algo transcendente (por favor, não se ofenda com a colocação) mas não é.
É fruto de uma luta titänica interior.
Luta no interior de "quem"?
Se somos um amontoado de células com pensamentos e sentimentos mecânicos que seguem leis naturais e se tal criatura foi feita assim sem escolha e trava tal luta por determinação alheia, falar sobre ser uma luta "interior" não parece ajudar muito.

Qual a razão de tal luta?
salgueiro disse: Ele não é 'falso' e sim rudimentar. Temos escolhas sim, limitadas ao que nos propomos.
A razão é certamente um falso eu e pode ser calada, e o que faz escolhas por detrás delas não parece ser um "eu" como entendemos isso hoje, pois não existe de modo independente, está "unido" ao resto.

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: E existe como ficar "fora" da vida?
Não correr atrás dos sonhos cotidianos, nem usufruir do resto das distrações do mundo, não tira ninguém do mundo, só tira a mente das mesmas distrações que povoam a mente alheia, removendo a atenção delas do mundo real.

Abandonam-se as distrações mentais, para aliviar a mente e justamente permiti-la maior concentração no mundo e em si

Sei do que estou falando por ter vivido os dois tipos de experiëncias, são totalmente diferentes, quando vc está exposto a 'vida' e as pessoas, facetas ainda não percebidas vem à tona. É por isso que sempre me refiro ao emaranhado delas no nosso interior. Não adianta vc se isolar para focar somente em parte de si.


sybok disse: Elas nos obrigam a lidar com os sentimentos ao invés de simplesmente nos deixamos levar por eles

Isso é basicamente desenvolver o autocontrole e pode ter certeza que pode ser feito sem um isolamento maior, eu consegui (aqui estou com um sorriso de orelha a orelha, rs).
Só não esqueça que é necessário autoconhecimento e sem contato humano fica muito mais difícil. São as pessoas e situações de vida que mexem conosco, que trazem à tona quem somos.

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Mas você teria como apontar para essa parte e dizer "Somos isso"?
Até onde eu mesmo procurei, nada encontrei, pensei ser meus pensamentos, minhas escolhas racionais que hoje se veem como um "eu", mas isso já pude ver calado e continuei sendo, mesmo sem isso

Rapaz, colocar em palavras para quem não tem o dom é difícil e também por ser complexo, é um somatório, além de ter consciëncia que ainda estou em processo.


sybok disse: São nossos desejos e vontades como pensa o Criaturo?
Isso eu também já pude encarar de frente e vejo que posso mudar tais desejos e vontades e não tê-los como motor.

Não, não são pelo contrário, ao 'construir' boa parte dos nossos desejos e vontades vão desaparecendo, vão sendo sentidos como bobagens.


sybok disse: Já cogitei que fossem minhas memorias, mas vejo que não esta o tempo todo na mente, minha biografia, e do que lembro de minha vida, dessa vidinha aqui mesmo, são somente flashs.

Não necessariamente, se vc perceber elas valem pelo que nos tornaram tanto que normalmente elas se atem ao que marca.


sybok disse: Um "eu" significaria uma coisa independente, com vida própria e capaz de se auto manter. Não vejo nada parecido com isso no nosso mundo onde tudo é "parte" de algo maior e construído por forças que estão muito além das partes.

Eu já tenho parte construída então, caraca, 'eu sou'. Essas forças são vistas de forma diferente por nós, aqui a leitura espírita me ajudou muito a entender.


sybok disse: Mas é a construção de "algo" ou de um "eu".
Talvez você esteja tomando uma coisa pela outra

Até onde percebo o 'algo' está ligado a construção do 'eu', como estivessem em dois níveis, um mais 'confuso' (o eu), o outro já 'limpo' sem ruídos mas incompleto (algo).


sybok disse: Mas não nos definem nem resultam em um "eu" real.
São só coisas mecânicas, sensações físicas e questionamentos que não nos servem de motor, nem fazem de nós mais "eus", muito pelo contrario, obedecer a tais coisas está mais para ser "robotizado".

Não nos definem enquanto embaralhadas. É a razão tomando as rédeas desse furdunço e construindo um 'eu' ao selecionar o que fica e descartando o que não vale. O 'boss' é a razão. E nunca, jamais ficar a mercë desse furdunço.

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: E esse "algo" que está sendo construído, como você parece perceber, não pode ser dominado por sentimentos e desejos, precisa estar no controle deles, ainda que faça parte da vida "sentir" e ter prazeres.
A questão é, o que é esse "algo"?

Do 'eu' eu sei já do 'algo' só tive vislumbres, gostei do que percebi ou senti, rs.


sybok disse: Construído por quem?
Se ele ainda não existe, ou não está pronto, então não está sendo construído por nós.
Como então falar sobre um "eu" se ainda não somos?
Percebe que existe uma ambiguidade nesse processo?

É construído pelo indivíduo ou mais comumente pela vida agindo no indivíduo. Cada um tem o seu material para a construção e opta se vai por bem (indivíduo) ou vai por mal(vida).

É questão de etapas e não de ambiguidade.


sybok disse: Se é a vida ou Deus quem da forma a isso e decide como deve ser, como podemos falar sobre um "eu" e sobre "escolhas"

Realmente não viemos a passeio. Como a vida me fez mãe de gëmeos uso muito a analogia da digital dos gëmeos idënticos, então apesar de podermos 'acabar' muito parecidos acredito que sempre (pelo menos enquanto durar) teremos as pequenas diferenças que nos individualizam e que os 'eus' seriam diferentes. Nossas escolhas são reduzidíssimas a meu ver apesar de existirem.

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Luta no interior de "quem"?

No nosso, ö! acha que é fácil o desemaranhar, selecionar e descartar.


sybok disse: Se somos um amontoado de células com pensamentos e sentimentos mecânicos que seguem leis naturais e se tal criatura foi feita assim sem escolha e trava tal luta por determinação alheia, falar sobre ser uma luta "interior" não parece ajudar muito.

Vc nos enxerga muito mais mecänicos do que eu.


sybok disse: Qual a razão de tal luta?

Desenvolvermos um 'eu', nos iluminar, se livrar da cruz...


sybok disse: A razão é certamente um falso eu e pode ser calada, e o que faz escolhas por detrás delas não parece ser um "eu" como entendemos isso hoje, pois não existe de modo independente, está "unido" ao resto.

Nananinanão. Conforme vc vai formando o 'eu' é perceptível a independëncia do resto, vc vai ganhando integridade, e as escolhas sendo feita por ele. A razão pode ser calada mas é o instrumento para realizar a tarefa. Provavelmente quando a tarefa acabar seu uso vai ficar restrita a outras coisas.

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse:
Nananinanão. Conforme vc vai formando o 'eu' é perceptível a independëncia do resto, vc vai ganhando integridade, e as escolhas sendo feita por ele. A razão pode ser calada mas é o instrumento para realizar a tarefa. Provavelmente quando a tarefa acabar seu uso vai ficar restrita a outras coisas.
Ou talvez você esteja confundindo o ego com um "eu" real.

Duas coisas já procurei e não encontrei, uma foi "a verdade" por trás da ilusão, outra foi um "eu" por trás do ego. Tudo o que pude até hoje foi observar a nevoa e ver a ilusão como ilusão, assim como tudo o que pude até hoje foi ver o que o "eu" não é, reconhecendo um falso "eu".
Tanto a verdade quanto um eu são possibilidades, é um assunto discutível e podem existir ou não, mas eu tomaria cuidado em achar que qualquer coisa associada a razão e suas escolhas é o "eu", pois está justamente na razão o tal do "ego" que a maioria das pessoas pensa ser um "eu".

Se existe uma verdade ou um eu, na minha opinião isso é algo para ser investigado e procurado fora do estado de vigília. Acho muito pouco provável que possamos hoje identificar qualquer verdade ou eu, enquanto estivermos nesse transe profundo que é a vigília.
Nem mesmo quem já despertou por um breve período, não pode após voltar a dormir, achar que sabe diferenciar realidade da ilusão ou o ego de outra coisa, tão profundo é o estado de sono que nos encontramos e tão intensas são as distorções e ilusões que esse estado cria.
O ego adormecido perceber a si próprio e saber que ele existe, é uma coisa, mas poder estar adormecido, com o ego falando e no controle do corpo, mas achar que pode diferenciar nesse estado o ego de um verdadeiro eu, não me parece condizente com nossa realidade.

Só posso recomendar cautela para quem acredite que tenha encontrado qualquer coisa durante a vigília. Talvez você tenha tido o vislumbre de algo, mas para poder "definir" e entender realmente esse algo, assim como diferenciá-lo do ego, seria preciso mais do que o simples uso da razão em nosso estado atual.

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Ou talvez você esteja confundindo o ego com um "eu" real

Não tem jeito, aqui vamos divergir, rs


sybok disse: Só posso recomendar cautela para quem acredite que tenha encontrado qualquer coisa durante a vigília

Caminhos diferentes, natural.

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Sei do que estou falando por ter vivido os dois tipos de experiëncias, são totalmente diferentes, quando vc está exposto a 'vida' e as pessoas, facetas ainda não percebidas vem à tona. É por isso que sempre me refiro ao emaranhado delas no nosso interior. Não adianta vc se isolar para focar somente em parte de si.
salgueiro disse:
Isso é basicamente desenvolver o autocontrole e pode ter certeza que pode ser feito sem um isolamento maior, eu consegui (aqui estou com um sorriso de orelha a orelha, rs).
Só não esqueça que é necessário autoconhecimento e sem contato humano fica muito mais difícil. São as pessoas e situações de vida que mexem conosco, que trazem à tona quem somos.

Eu deixei esse post para ser respondido com mais calma, pois ele deixa evidente que estamos falando de coisas diferentes.

Você fala sobre amadurecimento e sobre autoconhecimento intelectual.
Não é isso que um monge faz, quando falo sobre controlar desejos e conhecer a própria mente, não estou falando sobre o mesmo tipo de coisa que você.
Falo sobre ser capaz de controlar o fluxo de pensamentos, podendo calá-lo, falo sobre controlar a mente a ponto de poder levá-la a outro estado mental.

Você tem suas vivencias e aprendizados na vida, mas quando olha um monge, você acha que o processo que ele busca é análogo ao que você passa e que ele também poderia aprender o que aprende, como você, sem precisar se isolar.
É impossível parar completamente a mente, sem abandonar a vida, pois para isso é preciso remover tudo o que a movimenta, cada pensamento, algo impossível em meio ao trabalho, casamento e a qualquer objetivo de vida.
O único desejo de um monge deve ser o de não ter desejos e até esse desejo precisa ser no fim eliminado, pois todo e qualquer desejo, pensamento e sentimento, movimenta a mente e não permite a ela parar.

Vou recorrer a uma analogia para tentar explicar o quão diferentes são as coisas que você faz, para o que um monge faz.

Imagine três músicos:
Um pianista aprendiz sem muito talento, um pianista profissional de sucesso, e, um pianista que é afinador e fabricante de pianos.

Você é uma pianista profissional, eu sou um afinador e fabricante.
Quando conversamos falamos sobre "ter controle do instrumento" e sobre "tirar sons do piano que ninguém nunca tirou antes".
Pode parecer que estamos falando sobre a mesma coisa, mas não estamos.

Um pianista aprendiz não tem controle do instrumento e tira sons ruins, seria como um sujeito que não "toca" bem a própria mente e se mete em enrascadas levado pelo "ciúmes" ou outro tipo de bobagem.
Uma pianista profissional como você, sabe "tocar" a própria mente muito melhor do que isso e tem maturidade para não ser tão sem controle do seu próprio "instrumento".
Você pode tocar lindas musicas com sua mente como ela é, e, na vida, pode ir a inúmeros concertos e ouvir infinitas musicas ao tocar junto com uma orquestra.
Quando você olha para um pianista afinador enfiado numa sala com o piano aberto, sem tocar as musicas que você tanto aprecia, você acha que ele não pode dessa forma ouvir toda a variedade de musicas que você pode ouvir indo a concentos, tanto tocando, quanto ouvindo outros músicos tocarem.

Então você conversa com o afinador e diz: "Lá fora você vai poder ouvir uma variedade de sons muito maior, não tem como ouvir as mesmas musicas sem estar junto de outros músicos em uma orquestra, as musicas que um piano solo podem tocar, não são as mesmas que podemos tocar e conhecer em uma orquestra com muitos instrumentos".

Acontece que um afinador não está tentando "tocar" musicas com seu piano, ele está tentando criar um instrumento novo.
O que você faz e busca como pianista profissional, não é o mesmo que um monge faz e busca como afinador de pianos.
O pianista afinador é o cara que descobriu que abrindo o piano, tratando a madeira, puxando as cordas em uma tensão exata, ele pode criar ali um instrumento novo, que emite sons tão diferentes quanto um piano de um cravo.

O afinador então diz: "Estou tentando aprender sobre o piano, para tirar dele sons impossíveis de serem tocados com o piano como ele é hoje".
Não se trata de melhorar a prática na escala e desenvolver técnicas para tocar musicas mais complexas, como faz um pianista profissional, trata-se de mudar a afinação do piano para extrair sons que pianista profissional nenhum pode extrair, somente "tocando" o piano. O afinador não está preocupado em tocar piano bem e tirar "musicas novas" nele, ele essencialmente está concentrado em construir um instrumento novo.

Pra fazer isso não é preciso conhecer uma infinidade de musicas, o piano tem basicamente sete notas e o afinador precisa é entender como as cordas e a madeira trabalham juntas para criar essas sete notas simples.
O afinador jamais vai aprender isso indo a concertos e tocando com outros músicos, a única forma de conseguir isso é se enfiando num quarto sem distrações, abrindo o piano para estudá-lo por dentro, não para aprender a tocar melhor como o pianista que estuda concentrado no ritmo e no sentimento da musica que lhe toca a alma, mas para entender como ele funciona em suas entranhas mecânicas, na ligação entre a corda e a madeira e nos sons brutos das sete notas simples que a corda emite quando o marte bate nela.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:09


salgueiro disse: Vc nos enxerga muito mais mecânicos do que eu.
É por que você não investigou a sua própria mente, seus pensamentos, sentimentos e desejos, do mesmo modo que eu. A função do monge é lidar com o entendimento do funcionamento mecânico da mente, podendo ligar e desligar pensamento e entendendo os mecanismos do sentimento e do desejo.
Somo um algo "dentro" (não gosto do termo dentro) de uma maquina carnal.
Nosso corpo não é nada além de uma peça mecânica, mas esse corpo mecânico possui um "software" que é essencialmente mecânico também, nossa mente é esse software com seus pensamentos, sentimentos e desejos.
A razão é puramente mecânica e fruto do corpo.

As pessoas tendem a confundir os mecanismos da mente que são meros reflexos da carne, com nossa alma viva.
Nossa "alma" não é visivel, não é ela que vemos quando olhamos a mente, não é com ela que aprendemos a lidar, mas com o corpo e seus mecanismos.
A alma não aprende sobre si, mas sobre o corpo, sobre o veiculo mecânico que ela tenta "dirigir".

Espero que a analogia com o piano clarifique isso também.
Você está observando na musica a existência de uma "consciência" por trás dela, mas você ouve a musica sem saber de onde ela vem.
Você percebe na musica que é tocada, a existência de uma inteligencia, mas você não está olhando de fato o piano que toca essa musica, para ver que ele é um equipamento puramente mecânico e que aparentemente toca sozinho.

Quem olha o piano percebe que não tem ali nada além de mecanismos, basicamente martelos batendo em cordas que emitem sons por meio de "mecanismos".
Olhando o piano percebe-se que ele parece tocar sozinho, sem um pianista, movido por algo magico e indefinível, um "algo", mas não um "eu" visivel.
Olhando o piano não é possível ver ali nada além de suas peças mecânicas e embora algo vivo claramente o esteja tocando o piano, não tem nenhum pianista sentado a frente dele, o piano aparentemente toca sozinho, levado na verdade por outro tipo de força que não pode ser vista.

Você está ouvindo a musica sem olhar o piano, percebendo a existência de uma inteligencia a tocar tal musica, mas sem perceber que a cadeira a frente do piano esta vazia e que esse musico misterioso se encontra em outro lugar, ele parece transcender o piano.
Post edited by sybok on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: As pessoas tendem a confundir os mecanismos da mente que são meros reflexos da carne, com nossa alma viva.
Nossa "alma" não é visivel, não é ela que vemos quando olhamos a mente, não é com ela que aprendemos a lidar, mas com o corpo e seus mecanismos.
A alma não aprende sobre si, mas sobre o corpo, sobre o veiculo mecânico que ela tenta "dirigir"

Estou a todo custo evitando falar sobre a 'alma viva' porque aí mesmo é que vamos divergir, rs.
Tenho todo um cenário montado dessas interações, corpo, mente e alma se verdadeiro ou não não sei, é a minha 'aposta' a partir de tudo que aprendi e vi.

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Estou a todo custo evitando falar sobre a 'alma viva' porque aí mesmo é que vamos divergir, rs.

mansinha ou não mansinha eis a questão ?

setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: mansinha ou não mansinha eis a questão ?

Mansinha, rs, conheço os limites desse diálogo e sempre prefiro ficar no diálogo.
Mas sim, a mansinha é 'terrível', rs.

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Não tem jeito, aqui vamos divergir, rs

Vocês sempre irão divergir, enquanto isto não for compreendido:


Quando conversamos falamos sobre "ter controle do instrumento" e sobre "tirar sons do piano que ninguém nunca tirou antes". Pode parecer que estamos falando sobre a mesma coisa, mas não estamos.



salgueiro disse: Caminhos diferentes, natural.

Os caminhos podem ser diferentes, mas não o destino.

Eu conheci pessoas que, trilhando cada uma o seu caminho, chegaram ao mesmo lugar. Não consigo imaginar diferenças mais gritantes do que minha vida e a do Sybok. Ele, um cara que estudou profundamente as religiões (e fazia isso ainda quando era ateu), pratica meditação com seriedade, leva uma existência quase monástica, pois até o celibato adotou, entre outras austeridades. Tornou-se teísta por conta de toda essa experiência, e mantém os mesmos hábitos. Eu... eu sou um mundano. Mais à toa, impossível.

Eu vou dizer o que posso concluir de tudo o que li aqui: A ilusão, para você, ainda é um conceito, não algo que você viu, experimentou. E enquanto isso não acontecer, nada há que justifique este debate.




setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Aponte um "eu" ou pare de afirmar que isso existe.

Ja apontei EU é "tudo aquilo que não possa ser encontrado outro 100% idêntico", por exemplo você.
Digamos que um "Eu" seja Deus após a criação se manifestando em infinitas formas.


sybok disse: Disse que deixaremos de nos identificar como os AUTORES da ação, justamente por que iremos perceber que NÃO TEMOS UM EU, o que significa que nossos atos não mais irão gerar o que você entende por consequências karmicas.

passaremos a ser irresponsáveis pelas nossas ações ?

setembro 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Os caminhos podem ser diferentes, mas não o destino

E se vc perceber eu nunca disse algo diferente disso.


Ayyavazhi disse: Eu conheci pessoas que, trilhando cada uma o seu caminho, chegaram ao mesmo lugar. Não consigo imaginar diferenças mais gritantes do que minha vida e a do Sybok. Ele, um cara que estudou profundamente as religiões (e fazia isso ainda quando era ateu), pratica meditação com seriedade, leva uma existência quase monástica, pois até o celibato adotou, entre outras austeridades. Tornou-se teísta por conta de toda essa experiência, e mantém os mesmos hábitos. Eu... eu sou um mundano. Mais à toa, impossível.

Quando eu avalio um caminho sempre penso nos bilhões de 'almas vivas' no planeta Ayya.


Ayyavazhi disse: E enquanto isso não acontecer, nada há que justifique este debate

Partilhar experiëncias é sempre válido na minha opinião.

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Cristo disse:27 "Vocês ouviram o que foi dito: 'Não adulterarás'.
28 Mas eu digo: Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração.
Você diz:
CRIATURO disse:
é natural pensarmos e desejarmos e estamos aqui exatamente para aprendermos dar vazão aos bons pensamentos e reprimir os maus.
sua hipótese contraria a natureza do ser, você esta sendo tentado pelo diabo ele te mostrou uma pequena luz e te convenceu ser ela a luz total divina.

Uma coisa contraria a outra, ou você está errado, ou Cristo está errado.
O que você está fazendo não é "interpretar", é negar o que está escrito claramente.

Você considera o desejo bom e natural, mas Cristo a firma que isso é o que cristão entendem como PECADO!
Você está somente tentando negar isso, por não concordar com Cristo. É mais honesto dizer logo que discorda dele.

não nego que devemos "vigiar" nosso pensamentos principalmente antes deles virarem uma ação daninha,mas você radicaliza querendo anular "todo "seu desejo, te falta personalidade pior que isto você deseja anula-la.
Vejo como natural sentir-se atraído por outra mulher, pensando em ficar mais próximo dela mas, dai a passar alimentar o desejo pelo adultério ha uma distancia enorme a qual temos a obrigação de evitarmos.
Pensamento, desejo e ações devem andar juntos a razão da vida.


sybok disse: Se alguém quer vir após Mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, dia após dia, e siga-Me

Negar o bem estar próprio sacrificando sua vida pelo bem estar dos outros, de fato se todos fossem cristão verdadeiramente seguindo este ensinamento, ha muito teríamos construído uma sociedade melhor.
E pessoas diferentes seguem por caminhos diferentes, logo carregaram cruzes diferentes muito conforme suas afinidades pessoais.


sybok disse: E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós.
João 17:11

Jesus firmou que o reino dele não era deste mundo e que ele tinha vindo do céu, ou seja Jesus sabia que tinha vindo de um mundo espiritual e que em breve voltaria para lá.



Post edited by CRIATURO on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Cristo é o símbolo máximo de submissão a vontade de Deus e de jornada difícil e sofrida em busca da união como ele, alguém que aguenta todo tipo de tormento, é tentado de todas as formas, MAS RESISTE a todas as tentações e que da a própria vida para fazer a vontade de Deus.
Some isso a todo o resto dos ensinamentos e fica claro que não existe extremismo algum da minha parte. É só o que Cristo ensina.

de ateu a cristão radical é o puro extremismo, bem próprio da personalidade de pessoas sérias e decididas, mas os meios também possuem sua importância pelos caminhos.

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Hoje nossa menta funciona erroneamente em termos de "nós" e "não nós", em "somos" ou "não somos", em "eu" e "não eu", ou "eu e o outro".
É ai que está a ilusão, pois na realidade não existe tanta distinção entre uma coisa e outra, pois não existe separação entre nós e o resto.

se Deus criou esta ilusão da individualidade por que voce acha que pode acabar com ela e por que acha que este é o caminho a ser seguido?
Vejo a sua pós iluminação como uma busca pelo paraíso contemplativo, para não dizer inativo.
tem certeza que após sua iluminação cessará os desejos naturais, e como sabe que os pensamentos cessaram 100% ?
em alguns casos esporádicos embora consiga pensar sincronizadamente com pessoas afins, e até mesmo ja ter compartilhado da mesma dor física, em momento algum perdi a individualidade do meu eu.
essa pratica me faz pensar que se esse estado de dualidade torna-se permanente, continuarei possuindo um "eu", ou seja a dualidade não pode ser um estado constante nem total.

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: e se permita viver sem ser controlada por essa sensação, e vai poder conhecer melhor a si mesma e o que te move.

Negar os próprios desejos é lidar com eles, significa amplificar seus gritos e mantê-los presente e perto o suficiente para olhar e entender de onde vem e como controlá-los.

analogia
fome = desejo
se eu mato a fome ela morre mas, em breve renasce assim somos eternos escravos do desejo de comer iludidos pelo sentimento de fome.

Jesus: "seus pais comeram do maná de Moisés no deserto e morreram escravos do pecado., eu sou o verdadeiro pão que desceu do céu, quem comer da minha carne (doutrina) nunca mais terá fome, Eu sou a água da fonte da vida quem beber dela nunca mais terá sede."

Pela fé podemos entender que de fato algumas necessidades mundanas serão passageiras para os iluminados, por exemplo de um viciado que conseguir libertar-se das suas ilusões terrena sejam elas físicas ou morais,mas sabemos que este processo é muito lento e que no mundo todo daria para se contar nos "dedos" o numero de iluminados definitivos libertos dos seus vícios ilusórios.

por um outro lado a fome é algo natural que causa o desejo de comer e por consequência tem função de nos mover a ação.
Se você não consegue livrar-se do desejo de se alimentar aqui, por que acredita que após a iluminação conseguirá livrar-se de desejos bem mais intrínsecos ao ser, os morais e os pessoais e que ainda este novo estado será algo definitivo?
É fato de que pelo menos neste mundo a natureza aceita as modificações humanas, porem sem alterar a sua essência natural e primordial.

Mudanças radicais no sentido de contrariar a natureza, por exemplo privando-se do alimento que mantem a vida ativa, apenas para conseguir provar que esta no controle da própria natureza dos desejos, não passe de um orgulho próprio.
Pagando o preço de uma inatividade desejada ou não.


sybok disse: Negar os próprios desejos é lidar com eles, significa amplificar seus gritos e mantê-los presente e perto o suficiente para olhar e entender de onde vem e como controlá-los.
Controlar desejos é nossa obrigação, mas não extermina-los 100% pois isso ao contrario da iluminação ,significaria anulação total do ser.

que tal apagar um ser , para iluminar ninguém ?
iluminar-se é perder a identidade, isto não esta mais para uma obscuridade do ser ?
Quando você ilumina-se tornar-se uno perdendo a consciência de si mesmo ?

setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: Ja apontei EU é "tudo aquilo que não possa ser encontrado outro 100% idêntico", por exemplo você.
Digamos que um "Eu" seja Deus após a criação se manifestando em infinitas formas.

Nenhuma de minhas células podem ser encontradas 100% idênticas, ainda assim elas se movem para onde eu determino e não para onde elas gostariam.
São todas únicas, mas nenhuma delas possui um "eu", elas são somente parte de algo maior.

Ou seja, sua definição não procede.


CRIATURO disse:
passaremos a ser irresponsáveis pelas nossas ações ?
Não Criaturo, passaremo a saber que as ações não são nossas, não seremos mais seus autores.

setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: não nego que devemos "vigiar" nosso pensamentos principalmente antes deles virarem uma ação daninha,mas você radicaliza querendo anular "todo "seu desejo,
Como explicado, segundo Cristo o pecado não está somente na ação, aquele que peca somente em PENSAMENTO, já pecou.

Se você acha isso tudo natural e bom, essa é sua opinião, mas o fato é que ela é contraria ao que Cristo ensina.
CRIATURO disse: Negar o bem estar próprio sacrificando sua vida pelo bem estar dos outros, de fato se todos fossem cristão verdadeiramente seguindo este ensinamento, ha muito teríamos construído uma sociedade melhor.

Nagar a si mesmo não trata só de caridade ou coisa do tipo, se assim fosse Cristo não teria ensinado o jejum e o celibato.
Nem teria dito coisas como: "nada faço por mim mesmo; mas isto falo como meu Pai me ensinou.
E aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada."


CRIATURO disse: E pessoas diferentes seguem por caminhos diferentes, logo carregaram cruzes diferentes muito conforme suas afinidades pessoais.
Cristo não falou sobre outros fardos ou caminhos, deu o exemplo e mandou SEGUI-LO.
CRIATURO disse: Jesus firmou que o reino dele não era deste mundo e que ele tinha vindo do céu, ou seja Jesus sabia que tinha vindo de um mundo espiritual e que em breve voltaria para lá.
Cristo nunca falou sobre mundo espiritual.

E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o reino de Deus, respondeu-lhes, e disse: O reino de Deus não vem com aparência exterior.
Nem dirão: Ei-lo aqui, ou: Ei-lo ali; porque eis que o reino de Deus está dentro de vós.

Lucas 17:20-21


setembro 2013 Sinalizar0
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qui Dez 14 2017, 09:10


CRIATURO disse:
de ateu a cristão radical é o puro extremismo, bem próprio da personalidade de pessoas sérias e decididas, mas os meios também possuem sua importância pelos caminhos.

Criaturo, você pode considerar o cristianismo radical, como ateus consideram, e, pode considerar que os ensinamentos de Cristo eram radicais, pois ele ensina o ascetismo, ou seja, o isolamento, jejum, celibato, etc...
Agora dizer que minha "interpretação" do cristianismo é radical, só porque você não concorda com os ensinamentos de Cristo, ai já é apelação.

Se você vê o cristianismo como radical e não pretende segui-lo, ótimo, mas isso não é "interpretação", o cristianismo é isso ai, você goste ou não disso.

Se acha que isso é só minha visão coloque ai as praticas ascéticas do cristianismo e faça uma enquete entre os ateus.
O Cristianismo nos ensina a nos anular-nos. "Se alguém quer vir após Mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, dia após dia, e siga-Me [Lc 9, 23]".

Agora, isso não é "radical" é o que Buda chama de o caminho do meio, radical são as praticas de seitas hinduístas que defendem o autoflagelo e jejuns até a morte.

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
Sybok uma das coisas que ainda não consegui compreender qual seria a expectativa depois da iluminação em relação ao karma, automaticamente vc estaria livre dele fazendo o que fizesse ou nesse estado de consciëncia não se "erra"?
Post edited by salgueiro on setembro 2013

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: se Deus criou esta ilusão da individualidade por que voce acha que pode acabar com ela e por que acha que este é o caminho a ser seguido?

Porque é o que Cristo e outros ensinam e é o que pode ser visto por qualquer um que já tenha removido o véu por um segundo e visto o falso eu como o que ele é, um FALSO eu.


E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste,para que sejam um, assim como nós.
João 17:11


O falso eu é o resultado dessa nossa atual falta de união com Deus, mas é eliminado quando nos tornamos "um" assim como Cristo era um.
Post edited by sybok on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Sybok uma das coisas que ainda não consegui compreender qual seria a expectativa depois da iluminação em relação ao karma, automaticamente vc estaria livre dele fazendo o que fizesse ou nesse estado de consciëncia não se erra?

Segundo Budistas com a iluminação cessa o renascimento e morte, e, nos tornamos "o oceano" como eles colocam.
Sem a identificação do individuo com a ação não existe mais karma, porque não existe mais um "eu" que se possa dizer autor da ação.

Do ponto de vista Cristão isso parece mais claro, é a realização da união com Deus.

Segundo Cristo: "nada faço por mim mesmo; mas isto falo como meu Pai me ensinou.
E aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada."

Ao que tudo indica é Deus quem passa a agir através de nós, passamos a ser "um" com ele e não mais sujeitos ao karma (não existe mais ação), pois passa a não mais existir distinção entre nossos atos e os atos de Deus. Fazemos o que deve ser feito.

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: É fato de que pelo menos neste mundo a natureza aceita as modificações humanas, porem sem alterar a sua essência natural e primordial.

Mudanças radicais no sentido de contrariar a natureza, por exemplo privando-se do alimento que mantem a vida ativa, apenas para conseguir provar que esta no controle da própria natureza dos desejos, não passe de um orgulho próprio.
Pagando o preço de uma inatividade desejada ou não.
Se assim fosse não seriam todos os ensinamentos voltados ao ascetismo, ao jejum, celibato, etc...
O ser humano naturalmente tem desejos (pecado original) e foi nos dada a obrigação de nos libertarmos deles.

A naturalidade do processo não muda o fato de que a determinação e objetivo, segundo ensinado por todas essas doutrinas, é justamente a de fazer a transição e se libertar dessas forças mecânicas naturais.

Entenda assim, todos os outros animais são mortos-vivos, basicamente maquinas mecânicas movidas por desejos e instintos.
O ser humano é a forma de transição entre o mecânico e o vivo, estamos aqui para passar do mecânico, para o vivo.

Somos movidos como os outros animais pelas forças mecânicas (desejos, instintos, sentimentos, pensamentos), mas temos a obrigação de buscar a vida e a libertação dessas forças mecânicas.

Estamos aqui para realizar a saída do ciclo de nascimento e morte e a passagem para a vida eterna. Conheceis a verdade e ela vos libertará.

Você pode continuar movido pelos desejos naturais, mas vai continuar naturalmente preso a roda no nascimento e morte, reencarnando e esquecendo o que viveu.
Um dia vai ter que realizar a passagem e pra isso terá obrigatoriamente que dominar os desejos e negar-se a si mesmo.


CRIATURO disse: Controlar desejos é nossa obrigação, mas não extermina-los 100% pois isso ao contrario da iluminação ,significaria anulação total do ser.
Sua afirmação é infundada, você não sabe o que resulta na anulação total do ser, nem saber o que são os desejos.
Post edited by sybok on setembro 2013

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Fazemos o que deve ser feito.

Desculpe a curiosidade, mas mesmo um assassinato digamos assim ou qualquer ato mau
O que está por trás dessa pergunta é, será que para se atingir esse estágio (a iluminação) não seria necessário um determinado estágio na etapa vigília?
Post edited by salgueiro on setembro 2013

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse:
Desculpe a curiosidade, mas mesmo um assassinato digamos assim ou qualquer ato mau
O que está por trás dessa pergunta é, será que para se atingir esse estágio (a iluminação) não seria necessário um determinado estágio na etapa vigília?
Bom, lembrando que eu estou somente especulando sobre o que eu penso ter entendido intelectualmente lendo sobre um estado que eu na verdade desconheço, imagino que sim, mesmo assassinatos não poderiam gerar karma, mas provavelmente só seriam praticados se essa fosse a coisa certa a se fazer no momento.

Quanto ao "estágio" na vigília, não sei se entendi sua pergunta, mas o ser humano já começa a vida na vigília e se não me engano eu mesmo já mencionei que não podemos atingir a iluminação muito rápido sob risco de na verdade acabarmos sendo "queimados" ou invés de "iluminados".

A vigília não é só um estado que nos obriga a aprender a controlar o corpo, ela é uma imposição que nos ajuda a aceitar a vida em si, nos mantendo distraídos enquanto vamos lentamente "cozinhando" até ficar no "ponto".
Do contrario não aceitamos a vida, nossa mente não suporta a realidade e não concordamos com os planos de Deus, que são loucura aos nossos olhos.

A vigília não é só um tipo de "acidente" fruto do lado mecânico da vida, fomos colocados nesse estado de transe propositalmente.
Post edited by sybok on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: sybok disse: Não somos independentes do resto e nem fizemos a nós mesmos, somos o que a vida fez de nós, somos como ela queria e seguimos a jornada como ela determina.

Mas não mesmo.

tambem penso que não somos apenas frutos de uma imposição divina discriminatória a revelia.
Gosto da ideia de "ser" livre, ao menos para pensar e desejar alem da mecânica imposta.

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Quanto ao "estágio" na vigília, não sei se entendi sua pergunta

Estou especulando que para se sair do estado de vigília seria necessário ter pré requisitos em termos do bem X mal.

setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: tambem penso que não somos apenas frutos de uma imposição divina discriminatória a revelia.
Gosto da ideia de "ser" livre, ao menos para pensar e desejar alem da mecânica imposta

Sei que somos apesar dos 'limites'.

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Se eu quiser fico dias sem comer, já fiquei trës.
e qual foi a moral da reflexão ?



salgueiro disse: sybok disse: Se deixe "levar" por emoções e sensações, divirta-se distraída pelos prazeres sensoriais e pelo mundo, e vai ser levada adormecida e sem concentração sobre os processos que te movem, sem precisar "lidar" de fato com essas coisas

alcançada a iluminação, perdida o conhecimento dessas sensações, sua consciência passa a sintonizar outra realidade, no entanto ainda a realidade passada continuará existindo para consciências "iludidas", ou ainda sintonizada nelas.


sybok disse: E existe como ficar "fora" da vida?
Não correr atrás dos sonhos cotidianos, nem usufruir do resto das distrações do mundo, não tira ninguém do mundo, só tira a mente das mesmas distrações que povoam a mente alheia, removendo a atenção delas do mundo real.

Abandonam-se as distrações mentais, para aliviar a mente e justamente permiti-la maior concentração no mundo e em si.

responda , como voce pretende se desconectar ?


sybok disse: São nossos desejos e vontades como pensa o Criaturo?
Isso eu também já pude encarar de frente e vejo que posso mudar tais desejos e vontades e não tê-los como motor.

sim você pode sentir o desejo de mudar ou controlar seus desejos,mas nunca ira parar de desejar algo.
lógica redundante:

Desejar não mais desejar
e querer desejar pela ultima vez seria deixar de ser, ao meu ver impossível.


sybok disse: Já cogitei que fossem minhas memorias, mas vejo que não esta o tempo todo na mente, minha biografia, e do que lembro de minha vida, dessa vidinha aqui mesmo, são somente flashs.

imaginemos a possibilidade de um memória eterna a partir da consciência do nosso ser, a mente não conseguiria vivenciar ao mesmo tempo memórias de diversas vidas mas, poderíamos buscar nos arquivos da nossa alma experiência passadas como referencias para decisões atuais.
Mas isso implicaria em uma Eterna formação do ser eu, por isso nada do quer foi sera de novo do jeito que ja foi um dia.
Só conservamos a sensação de sermos sempre nós, como num sonho nos vemos fazendo naturalmente coisas que certamente repugnaríamos hoje em dia, isso significa que aquele "eu" do passado ja não existe mais no estagio atual que a nossa consciência se encontra.
Não passamos de eternas crianças, quanto maior amadurecimento maior sera nossa compreensão da vida como um todo.
Talvez essa sua iluminação seria desapegar-se dos desejos passados sejam eles intenções boas ou más, devemos procurar nossos complementos no presente.
Somos formados pelo passado, vivemos o presente ja construindo o futuro.
Devemos esquecer o nosso eu passado para vivermos plenamente o nosso eu de hoje

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Sybok uma das coisas que ainda não consegui compreender qual seria a expectativa depois da iluminação em relação ao karma, automaticamente vc estaria livre dele fazendo o que fizesse ou nesse estado de consciëncia não se "erra"?

A pergunta não foi para mim, mas, como fui a primeira pessoa, neste fórum, a dizer que Cristo poderia até matar e não criar um karma, vou responder. Se você juntar tudo o que já foi dito sobre isso, terá a imagem completa.

Não há um ‘eu’ agindo. Não existe ego por trás da ação, logo, não pode haver karma. Isso é a mesma coisa que o não-agir, dito pelo Sybok. Não-agir é diferente de não fazer nada. Você continua a fazer as coisas que precisam ser feitas, que fazem parte de sua vida, mas sem identificação com essa ação. Um observador não é responsável pela ação que presencia; do mesmo modo, livre do ego, você atua como um observador de sua própria ação. Ela não lhe pertence, com também não lhe pertencem seus resultados.

Claro que o exemplo da morte é tão somente uma forma de levar o argumento ao extremo, para mostrar a força da não-ação. Necessariamente, não sairemos por aí matando pessoas. Teria que haver uma razão para isso e, mais do que nunca, nesse estágio de consciência, não faríamos o que não fosse necessário fazer. Lembrando, sempre, que a ação não é nossa.

O erro, por outro lado, será sempre um conceito humano. Errar ou acertar não faz parte de nossa verdadeira natureza. Somente o personagem pode errar ou acertar.



Post edited by Ayyavazhi on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
salgueiro disse: Estou especulando que para se sair do estado de vigília seria necessário ter pré requisitos em termos do bem X mal.

Necessariamente, não. O bem é preferível ao mal (do ponto de vista humano), mas não é imprescindível em nossa religação. Existem diversas formas de conseguir isso, mesmo atropelando todas as noções de bem que conhecemos e pregamos.




setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: Do contrario não aceitamos a vida, nossa mente não suporta a realidade

Aqui está toda a explicação para recebermos ensinamentos primários, como já cansei de alertar.




setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: A vigília não é só um tipo de "acidente" fruto do lado mecânico da vida, fomos colocados nesse estado de transe propositalmente.

Sim. E é nesse estado de transe (literalmente) que nos julgamos livres...



Post edited by Ayyavazhi on setembro 2013

setembro 2013 edited setembro 2013 Sinalizar0
CRIATURO disse: salgueiro disse: Se eu quiser fico dias sem comer, já fiquei trës.
e qual foi a moral da reflexão ?

hahaha, moral não tem nenhuma Criaturo, não fiz de propósito, sou assim, passo períodos sem fome e tenho que me obrigar a comer. Na verdade, tive que aprender a comer comida porque minha preferëncia sempre foi de líquidos.

Usei esse meu exemplo para demonstrar ao Sybok que o que para alguns é um tormento para outros não.
Post edited by salgueiro on setembro 2013

setembro 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Necessariamente, não. O bem é preferível ao mal (do ponto de vista humano), mas não é imprescindível em nossa religação. Existem diversas formas de conseguir isso, mesmo atropelando todas as noções de bem que conhecemos e pregamos

Talvez depois de mais umas 250 reencarnações isso entre na minha cabeça, agora sem chance. Se tem uma coisa que já nasci foi com essa noção (do bem e do mal)

setembro 2013 Sinalizar0
Ayyavazhi disse: Se você juntar tudo o que já foi dito sobre isso, terá a imagem completa

Sim agora já entendi.

setembro 2013 Sinalizar0
sybok disse: CRIATURO disse: Ja apontei EU é "tudo aquilo que não possa ser encontrado outro 100% idêntico", por exemplo você.
Digamos que um "Eu" seja Deus após a criação se manifestando em infinitas formas.

Nenhuma de minhas células podem ser encontradas 100% idênticas, ainda assim elas se movem para onde eu determino e não para onde elas gostariam.
São todas únicas, mas nenhuma delas possui um "eu", elas são somente parte de algo maior.

Ou seja, sua definição não procede.

deduzo que o nobre amigo esteja definindo "eu" como "vontade própria"
no principio do ser considero um "eu" como algo que não possua uma cópia de 100%, por exemplo uma dessas células.
Nesse estagio você esta correto ao afirmar que ela não passe de um ser mecânico,mas no estagio seguinte eis que surge o seu "vilão" o desejo pela ação intencional aqui inicia-se o ensaio na formação do "eu".
No próximo estagio o desejo incita o aparecimento da razão e esta nos guia até a humanidade, concretizando de vez o nascimento do nosso "eu" na eterna busca pelo seu complemento Deus.


sybok disse: CRIATURO disse:
passaremos a ser irresponsáveis pelas nossas ações ?
Não Criaturo, passaremo a saber que as ações não são nossas, não seremos mais seus autores.

não sei se posso considerar isso como uma "humildade" ou como uma falta de vergonha ? he...he..he..he.he
Antigamente tudo era culpa do diabo, mas agora você diz que tudo é culpa de Deus ?
porque Deus criaria marionetes ? Isso não seria muita falta de criatividade?
Somos nós que por enquanto não sabemos como criar outros "Eus", assim criamos apenas maquinas.



sybok disse: CRIATURO disse: não nego que devemos "vigiar" nosso pensamentos principalmente antes deles virarem uma ação daninha,mas você radicaliza querendo anular "todo "seu desejo,
Como explicado, segundo Cristo o pecado não está somente na ação, aquele que peca somente em PENSAMENTO, já pecou.

Se você acha isso tudo natural e bom, essa é sua opinião, mas o fato é que ela é contraria ao que Cristo ensina.

estranho é você afirmar que os nossos pensamentos são de Deus e que manifesta-los são um pecado e o correto é iluminar-se para poder anula-los ?
Contradição do tipo vulcana e neste caso pecamos na velocidade do pensamento.


sybok disse: Nagar a si mesmo não trata só de caridade ou coisa do tipo, se assim fosse Cristo não teria ensinado o jejum e o celibato.

então por que afirma que a caridade não faça parte do caminho que conduz a iluminação, nem pode aproximar o homem de Deus ?
sermão, pão e peixes foi a receita usada para ensinar.


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1571
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum