Ateus X Crentes
ola tudo bem?
Últimos assuntos
» Giro Politico
Ontem à(s) 21:26 por Criaturo

» Videos engraçados!
Ter Jun 12 2018, 18:57 por Admin

» Existe Rombo ou Roubo da Previdência?
Dom Jun 10 2018, 19:34 por Admin

» BRASIL UM PAIS GOVERNADO POR LADRÕES
Dom Jun 10 2018, 17:43 por Admin

» O dia em que o Brasil parou!
Seg Maio 28 2018, 12:58 por Admin

» Questões irrelevantes que me tiram o sono?
Qui Maio 24 2018, 18:10 por Admin

» Perguntas ao NadaSei
Ter Maio 22 2018, 10:47 por Admin

» Barraco Céticos
Sex Maio 18 2018, 08:12 por Criaturo

» Negado o hábeas corpus de Lula
Sex Abr 13 2018, 08:16 por Criaturo

» PUG II o pacifista bem intencionado!
Qua Mar 28 2018, 13:12 por Admin

» DIREITOS HUMANOS
Ter Mar 20 2018, 11:27 por Admin

» Greve dos funcionários municipais e reforma da previdência
Seg Mar 19 2018, 20:04 por Admin


Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:02

·  Percival Membro
julho 2013 0
Snif.
·  Azathoth Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Isto me lembra certa canção, que marcou uma época entre o movimento evangélico:
Xô Satanas

Asa de Águia

Eu era um bêbado
Que vivia drogado,
Hoje estou curado
Encontrei Jesus!
Encontrei Jesus!
Encontrei Jesus!

Na casa do Senhor
Não existe satanás

Xô satanás!
Xô satanás!

Eu tava na vida,
Quase a me perder,
A minha tentação
Foi amar você,
Com tanta loucura
Eu não aguento mais

Xô satanás!
Xô satanás!
Xô satanás!
Xô satanás!
Como diria o Criaturo: he...he...he...he...
Post edited by Azathoth on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 0
Fernando_Silva disse: E não pode, de jeito nenhum, blasfemar contra o Espírito Santo. O Pai e o Filho, tudo bem, tem perdão, mas o fantasminha? Já era.

A blasfêmia contra o Espírito Santo só pode ser cometida na presença de Jesus no Planeta ,depois ei coloco um link explicando isso.


Fernando_Silva disse: Mas, é claro, esta é apenas a sua crença: a de que basta acreditar em que Jesus é o salvador.

Certamente.
A minha e a de muitos cristãos no planeta , mas claro que é fé .
·  emmcri Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Mas não podemos esquecer de avisar os mais de 4 bilhões de seres humanos que não são seguidores do cristianismo.

Não sou Deus, mas a Bíblia também ensina que os homens serão julgados por suas obras .
Fernando_Silva disse: Estão condenados, que pena...

Esta sentença é sua não a coloque na mão de Deus .
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Azathoth disse:
O homem TEM uma alma ou É uma alma? Talvez os espíritas estejam distorcendo alguns conceitos de outras crenças, como o fizeram com doutrinas socráticas e pré-socráticas. Da mesma forma, se o espirito reencarna após a morte, o que são as fotografias de fantasmas e ectoplasmas? Volto a dizer, ainda não terminei a leitura de "O Evangelho Segundo o Espiritismo" e nem "O Livro dos Espíritos", mas estou ficando sem vontade de acabar.

da forma como voce fala parece que nem começou a ler, o homem é um conjunto materia e espirito, cpu e software
quando o corpo deixa de funcionar a cosnciencia espirito começa a despertar em outro mundo, o tempo deste processo varia conforme as pessoas e o tempo para poder voltar a reencarnar tambem, pessoas muito apegadas a este mundo podem virar fantamas, almas penadas ou conforme a perversidade até demonios obstinados na pratica do mal e principalmente o da vingança
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Não sou Deus, mas a Bíblia também ensina que os homens serão julgados por suas obras .

Certo, mas, você já parou para pensar sobre o que os outros livros sagrados ensinam?
emmcri disse: Esta sentença é sua não a coloque na mão de Deus .

Perdoe-me a sinceridade: No exato momento em que você diz que Jesus é a salvação, você está automaticamente condenando todos os não cristãos. É uma lógica simples.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Certo, mas, você já parou para pensar sobre o que os outros livros sagrados ensinam?
 
Ayyavazhi disse: Perdoe-me a sinceridade: No exato momento em que você diz que Jesus é a salvação, você está automaticamente condenando todos os não cristãos. É uma lógica simples.

Não não estou pois a fé vem pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus , como Deus vai condenar quem nunca ouviu a palavra dele ?
Repito a Bíblia afirma que os homens serão julgados pelas suas obras.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
emmcri disse:
Repito a Bíblia afirma que os homens serão julgados pelas suas obras.
A Bíblia é apenas mais um livro entre milhões, com o agravante de que nem sabemos por quem foi escrita. Realmente, só pela fé, mesmo...
·  Inseto Membro
julho 2013 0
emmcri disse:
Não não estou pois a fé vem pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus , como Deus vai condenar quem nunca ouviu a palavra dele ?

Comigo ocorreu completamente o contrário.
Quanto mais eu ouvia, mais duvidava. Até que cheguei ao ponto atual: não acredito em mais nada.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Não não estou pois a fé vem pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus , como Deus vai condenar quem nunca ouviu a palavra dele ?

Eu sei que é insensatez continuar, mas vamos esticar isso um pouquinho.

Em primeiro lugar, você nunca ouviu a palavra de Deus. Você ouve, sim, com frequência, a palavra do padre, do pastor, do sacerdote de sua igreja. É essa palavra que você segue. São as ideias desse sacerdote que você aceita como verdade, pois, se entrar na igreja ao lado, ouvirá palavras diferentes baseadas na MESMA bíblia. Você escolheu uma igreja em detrimento de centenas de outras que seguem a mesma vertente religiosa (para não mencionar as outras religiões) e está apenas fazendo uma aposta. Já que para você isso é tão importante, só posso dizer "boa sorte em suas apostas". A probabilidade de erro é muito grande.


emmcri disse: Repito a Bíblia afirma que os homens serão julgados pelas suas obras.

Repito, outros livros sagrados (alguns, bem mais antigos que a bíblia) afirmam coisas diferentes e você está ignorando completamente esses ensinamentos. Como eu disse, é uma aposta, mas agora ela se tornou maior. Não se trata mais de encontrar a "igreja certa" dentro do cristianismo; trata-se de encontrar a religião e o deus certo dentre de milhões de opções. Se qualquer um deles estiver certo e você errado...
·  1500 Comentários sorted by Votes Date Added
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Inseto disse: Quanto mais eu ouvia, mais duvidava. Até que cheguei ao ponto atual: não acredito em mais nada.

Eu tinha uns onze ou doze anos quando adquiri um exemplar de A Origem das Espécies. Imediatamente entendi que a versão bíblica da criação não era verdadeira. Como algo tão evidente, acessível a uma criança, pode escapar à razão de um adulto? É incrível, mas essa é nossa realidade; é como funciona a mente humana.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Eu sei que é insensatez continuar, mas vamos esticar isso um pouquinho.

Em primeiro lugar, você nunca ouviu a palavra de Deus. Você ouve, sim, com frequência, a palavra do padre, do pastor, do sacerdote de sua igreja. É essa palavra que você segue. São as ideias desse sacerdote que você aceita como verdade, pois, se entrar na igreja ao lado, ouvirá palavras diferentes baseadas na MESMA bíblia. Você escolheu uma igreja em detrimento de centenas de outras que seguem a mesma vertente religiosa (para não mencionar as outras religiões) e está apenas fazendo uma aposta. Já que para você isso é tão importante, só posso dizer "boa sorte em suas apostas". A probabilidade de erro é muito grande.
 
Ayyavazhi disse: Repito, outros livros sagrados (alguns, bem mais antigos que a bíblia) afirmam coisas diferentes e você está ignorando completamente esses ensinamentos. Como eu disse, é uma aposta, mas agora ela se tornou maior. Não se trata mais de encontrar a "igreja certa" dentro do cristianismo; trata-se de encontrar a religião e o deus certo dentre de milhões de opções. Se qualquer um deles estiver certo e você errado...


Cara como você mesmo acha como debate é infrutífero, como troca de experiências não.
Se você acompanha minhas postagens, sabe que não defendo que se ache Deus pela razão, o uso seco de minha razão me leva ao ateísmo.
Só que a minha fé não vem sem nenhum uso da razão, vem de experiências não explicáveis a luz da razão e não são uma ou duas não, são muitas.
Pesa o fato destas experiências se darem com Jesus e não com ala, ou bumba ou outro raio de deus .
Quando entrei pela primeira vez na Igreja vi as pessoas e achei um bando de lunáticos,fanáticos e otários que davam dízimo para um espertalhão, não fosse uma série de acontecimentos e eu nunca mais entraria numa igreja evangélica.
Não coloco essas experiências aqui pois não quero ser um chato, sempre detestei crentes chatos.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
emmcri disse: Não coloco essas experiências aqui pois não quero ser um chato, sempre detestei crentes chatos.
Além do quê, elas só têm valor para você - e um valor relativo, pois você mesmo deveria admitir que pode ter interpretado errado o que viu ou sentiu. Se sua religião fosse outra, teria entendido como um contacto com o deus dessa outra religião.

E, como já discutimos aqui, foram apenas sensações e não ideias, eu suponho, caso contrário você teria recebido novos argumentos para nos apresentar, mas 2 mil anos de cristianismo não trouxeram nada de convincente.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Cara como você mesmo acha como debate é infrutífero, como troca de experiências não.
Se você acompanha minhas postagens, sabe que não defendo que se ache Deus pela razão, o uso seco de minha razão me leva ao ateísmo.

E você teme isso? O que seria pior, ser ateu ou acreditar no deus “errado”? Eu prefiro não acreditar em nada a acreditar numa mentira. A própria multiplicidade de interpretações e versões para um mesmo ensinamento deveria nos alertar de que algo está errado. Se isso não for suficiente para nos tornar ateus, que pelo menos nos inspire a ter cautela na hora de eleger a fé uma conselheira melhor que a razão.
emmcri disse: Só que a minha fé não vem sem nenhum uso da razão, vem de experiências não explicáveis a luz da razão e não são uma ou duas não, são muitas.
Pesa o fato destas experiências se darem com Jesus e não com ala, ou bumba ou outro raio de deus .

Nós já falamos sobre isso. Toda e qualquer experiência que você tenha, de natureza mística ou sobrenatural, será compreendida e processada por sua mente cristã. Você não cresceu em uma cultura budista ou hindu, por exemplo; sua mente não foi moldada e impregnada pelos valores de outras religiões, que não o cristianismo. É isso que você conhece e é assim que você expressa sua espiritualidade. Tudo o que lhe acontecer, será traduzido como uma experiência cristã, mesmo que não seja.
emmcri disse: Quando entrei pela primeira vez na Igreja vi as pessoas e achei um bando de lunáticos, fanáticos e otários que davam dízimo para um espertalhão, não fosse uma série de acontecimentos e eu nunca mais entraria numa igreja evangélica.
Não coloco essas experiências aqui pois não quero ser um chato, sempre detestei crentes chatos.

Suas experiências podem ser verdadeiras. Só você as conhece o suficiente e só você pode dar a elas o devido valor. Questione apenas a necessidade da igreja evangélica nesse processo. O que você vivenciou, aconteceu por causa de sua igreja ou apesar de sua igreja? Não tenha medo de encontrar essa resposta.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Fernando_Silva disse: Se sua religião fosse outra, teria entendido como um contacto com o deus dessa outra religião.

Exato.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: E você teme isso? O que seria pior, ser ateu ou acreditar no deus “errado”? Eu prefiro não acreditar em nada a acreditar numa mentira. A própria multiplicidade de interpretações e versões para um mesmo ensinamento deveria nos alertar de que algo está errado. Se isso não for suficiente para nos tornar ateus, que pelo menos nos inspire a ter cautela na hora de eleger a fé uma conselheira melhor que a razão.
Primeiramente não temo nada, visto que já estive ateu por duas vezes e agora seria muito mais fácil ser ateu pois estou afastado da Igreja por não estar tendo uma conduta condizente com o Cristianismo.Cara as coisas que aconteceram comigo foram com Jesus , existem pessoas que tem experiências com jesus em países de cultuta não cristã, o mais sério é que eu já tinha me considerado um cristão (católico ) e estava no tempo agnóstico.


Ayyavazhi disse: Nós já falamos sobre isso. Toda e qualquer experiência que você tenha, de natureza mística ou sobrenatural, será compreendida e processada por sua mente cristã. Você não cresceu em uma cultura budista ou hindu, por exemplo; sua mente não foi moldada e impregnada pelos valores de outras religiões, que não o cristianismoPorque o cristianismo tem a Bíblia como regra de fé e condura e esta te ensina a não deixar de congregar
É isso que você conhece e é assim que você expressa sua espiritualidade. Tudo o que lhe acontecer, será traduzido como uma experiência cristã, mesmo que não seja.
Como já disse pessoas criadas em outras religiões com outras culturas se tornam cristãos por semelhantes experiEncias.


Ayyavazhi disse: Suas experiências podem ser verdadeiras. Só você as conhece o suficiente e só você pode dar a elas o devido valor. Questione apenas a necessidade da igreja evangélica nesse processo. O que você vivenciou, aconteceu por causa de sua igreja ou apesar de sua igreja? Não tenha medo de encontrar essa resposta.

Porque o cristianismo tem a Bíblia como regra de fé e conduta e esta te ensina a não deixar de congregar


Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Fernando_Silva disse: Se sua religião fosse outra, teria entendido como um contacto com o deus dessa outra religião.


Exato.


Errado , a minha experiência foi com Jesus , logo tenho que acreditar em Jesus , não em ala , bumba ou monã
·  Inseto Membro
julho 2013 0
Hoje tive uma experiência interessante.
Sonhei que:
1. Tinha saído de casa com o zíper da calça aberto;
2. Minha mãe tinha se candidatado a Vereadora: coitada da velha;
3. O Fernando tinha me dado a maior bronca, dizendo que eu provoco os outros aqui e depois fico de mimimi quando revidam (isso nem é verdade).

E não é que inexplicável, inconsciente e misticamente, saí mesmo de casa com o zíper aberto?
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Inseto disse: Hoje tive uma experiência interessante.
Sonhei que:
1. Tinha saído de casa com o zíper da calça aberto;
2. Minha mãe tinha se candidatado a Vereadora: coitada da velha;
3. O Fernando tinha me dado a maior bronca, dizendo que eu provoco os outros aqui e depois fico de mimimi quando revidam (isso nem é verdade).

E não é que inexplicável, inconsciente e misticamente, saí mesmo de casa com o zíper aberto?

Converse com sua mãe sobre a candidatura dela. Não deixe que ela se filie ao PT.

E aguarde pela bronca do Fernando...


·  Inseto Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse:
Converse com sua mãe sobre a candidatura dela. Não deixe que ela se filie ao PT.

Precisaremos ir mais longe, essa foi uma profecia velada.

Minha mãe está morta.

PS - Não se desculpe: não me incomoda nada brincar com minha defunta velhinha. Inclusive porque, se ela estiver vendo lá em algum lugar, e talvez não esteja, há de achar graça.
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
emmcri disse: Primeiramente não temo nada, visto que já estive ateu por duas vezes e agora seria muito mais fácil ser ateu pois estou afastado da Igreja por não estar tendo uma conduta condizente com o Cristianismo.Cara as coisas que aconteceram comigo foram com Jesus , existem pessoas que tem experiências com jesus em países de cultuta não cristã, o mais sério é que eu já tinha me considerado um cristão (católico ) e estava no tempo agnóstico.

Assim como também existem pessoas em culturas cristãs que tem experiencias com Krishna, aqui mesmo no Brasil, no estado de São Paulo, você pode conhecer meia duzia deles, onde suas experiencias com Krishna foram tão intensas que eles abandonaram a vida mundana e acabaram indo morar em Nova Gokula dedicando suas vidas ao caminho até o todo, também chamado de Brahma-Vishnu-Shiva, ou simplesmente Deus.

http://www.novagokula.com.br/




avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:03

Percebe que se Deus nos quer no caminho até ele, Cristo jamais poderia ser o único caminho num mundo com tantas culturas não cristãs e tantas fés distintas?
Post edited by sybok on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Primeiramente não temo nada, visto que já estive ateu por duas vezes e agora seria muito mais fácil ser ateu pois estou afastado da Igreja por não estar tendo uma conduta condizente com o Cristianismo.Cara as coisas que aconteceram comigo foram com Jesus , existem pessoas que tem experi~encias com jesus em países de cultuta não cristã, o mais sério é que eu já tinha me considerado um cristão (católico ) e estava no tempo agnóstico.

Conduta condizente? O cristianismo é uma colcha de retalhos. Cada nova religião que surge, avoca para si a verdade cristã e anuncia a salvação. As outras designações, claro, estão erradas. Pergunte-se por que você deixou de ser católico, por exemplo. O que é ter uma conduta condizente com o cristianismo? Você conhece alguém que tenha tal conduta?
emmcri disse: Como já disse pessoas criadas em outras religiões com outras culturas se tornam cristãos por semelhantes experiEncias.

Desculpe-me, Edson, mas isso é uma bobagem. Cristãos também se convertem a outras religiões e isso não significa nada. Em qualquer lugar/situação/condição existente no mundo haverá pessoas migrando para outros lugares/situações/condições opostas. Muitos cristãos com quem eu conversei alimentam essa crença tola de que a “palavra de deus” – leia-se, Bíblia – chegará a todas as pessoas, permitindo que elas façam a escolha correta. Isso não é verdade; jamais vai acontecer e, se acontecesse, seria a maior de todas as injustiças divinas de que se tem notícia. Com todo o respeito que tenho pela figura de Jesus Cristo, o cristianismo é só outra criação humana, nem mais nem menos especial do que as demais religiões.
emmcri disse: Porque o cristianismo tem a Bíblia como regra de fé e conduta e esta te ensina a não deixar de congregar

Você é livre para congregar, dar o dízimo ou seguir qualquer outro preceito estabelecido por sua religião. Bilhões de pessoas fazem o mesmo: seguem seus ritos, seus dogmas, seus livros sagrados, seus deuses. Não há nada de divino aí, mas você é livre para fazê-lo.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Errado , a minha experiência foi com Jesus , logo tenho que acreditar em Jesus , não em ala , bumba ou monã

Há uma diferença entre negar e duvidar. Observe que eu nunca disse que você não teve experiências com Jesus, e sempre deixei bem claro que só você sabe o que vivenciou. Por simples bom senso (e alguma experiência), eu me mantenho cético, e isso não é negação. Quanto à natureza de suas experiências, reais ou não, é esperado que tenham acontecido dentro de uma vertente cristã, pois essa é sua religião e sua forma de lidar com a espiritualidade. Mesmo assim podem acontecer, como exemplificou o Sybok, experiências com outras manifestações da divindade. São exceções dentro da regra, nem por isso uma impossibilidade.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Inseto disse: PS - Não se desculpe:

Não posso. Preciso me desculpar. Em minha defesa, posso apenas dizer que sua postagem dava a entender o contrário. Mesmo assim, perdoe-me pela brincadeira.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
sybok disse: Percebe que se Deus nos quer no caminho até ele, Cristo jamais poderia ser o único caminho num mundo com tantas culturas não cristãs e tantas fés distintas?

É até bastante coerente que, se há nisso um propósito, ele seja diversificado de tal maneira que todas as culturas existentes sejam atingidas. Onde os braços de Cristo não alcançam, outros farão o trabalho.

Eu não vejo mal algum em ser cristão. Particularmente, acho que Cristo é um ótimo exemplo a ser seguido. O que me incomoda (e muito) é o tal do "Só Jesus salva". Um elitismo perverso que a religião tem imunidade para praticar. Deus me livre...
·  Marcio Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: Percebe que se Deus nos quer no caminho até ele, Cristo jamais poderia ser o único caminho num mundo com tantas culturas não cristãs e tantas fés distintas?

Aí é que está uma coisa que vocês parecem não perceber. Não importa se é um deus ou um anti-deus que nos queira impor algum caminho. Ambos são imposições, são vontades tirânicas, os caminhos deles, são deles, simples assim.
Nós, as mentes, temos que fazer o NOSSO caminho, a busca é pelo NOSSO caminho, e não pelos caminhos oferecidos por deuses do bem e do mal.

Nenhum deus é verdadeiramente isento se desejar violar o maior bem que uma mente pode ter que é a LIBERDADE. Liberdade de simplesmente ser, sem ter que optar apenas pelos dois caminhos oferecidos.
Não é isso, não mesmo. Bom, eu acho que não isso, é bobo demais pra ser real.

"...não importa se você faz um pacto com um deus ou um demônio, no final sempre será a sua alma (liberdade) que será perdida, corrompida..."

O melhor caminho não é o do Jeová ou do lúcifer. O melhor caminho é aquele que cada um constrói para si.
Post edited by Marcio on julho 2013
·  Marcio Membro
julho 2013 0
E Edson! Para você pensar:
Qual a melhor estratégia que um demônio inteligente poderia usar para "capturar" um alma humana?
·  Inseto Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse:
Não posso. Preciso me desculpar. Em minha defesa, posso apenas dizer que sua postagem dava a entender o contrário. Mesmo assim, perdoe-me pela brincadeira.


Quanto mais não fosse, por isso mesmo eram desnecessárias: como você iria saber? (risos)

Além, realmente não me incomoda. Se minha mãe e eu brincávamos e ríamos antes, por que não haveríamos de fazê-lo agora?

Segundo penso, seria uma imperdoável desonra a sua memória se eu só me lembrasse dela com tristeza, como se sua morte suplantasse tudo que ela fez durante a vida.

De todo modo, desculpas aceitas.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: Assim como também existem pessoas em culturas cristãs que tem experiencias com Krishna, aqui mesmo no Brasil, no estado de São Paulo, você pode conhecer meia duzia deles, onde suas experiencias com Krishna foram tão intensas que eles abandonaram a vida mundana e acabaram indo morar em Nova Gokula dedicando suas vidas ao caminho até o todo, também chamado de Brahma-Vishnu-Shiva, ou simplesmente Deus.
Ayyavazhi disse: Desculpe-me, Edson, mas isso é uma bobagem. Cristãos também se convertem a outras religiões e isso não significa nada. Em qualquer lugar/situação/condição existente no mundo haverá pessoas migrando para outros lugares/situações/condições opostas.
Ayyavazhi disse: Desculpe-me, Edson, mas isso é uma bobagem. Cristãos também se convertem a outras religiões e isso não significa nada. Em qualquer lugar/situação/condição existente no mundo haverá pessoas migrando para outros lugares/situações/condições opostas. Muitos cristãos com quem eu conversei alimentam essa crença tola de que a “palavra de deus” – leia-se, Bíblia – chegará a todas as pessoas, permitindo que elas façam a escolha correta. Isso não é verdade; jamais vai acontecer e, se acontecesse, seria a maior de todas as injustiças divinas de que se tem notícia. Com todo o respeito que tenho pela figura de Jesus Cristo, o cristianismo é só outra criação humana, nem mais nem menos especial do que as demais religiões.



E daí ??
Eu estava mostrando pra você que o fato de eu ter Jesus como Deus não tem haver com eu ter sido criado em uma cultura cristã.
Se você perceber sua postagem só reforça a minha defesa, ou seja que a cultura não é necessariamente determinante na questão.


Ayyavazhi disse: Você é livre para congregar, dar o dízimo ou seguir qualquer outro preceito estabelecido por sua religião. Bilhões de pessoas fazem o mesmo: seguem seus ritos, seus dogmas, seus livros sagrados, seus deuses. Não há nada de divino aí, mas você é livre para fazê-lo.

Certamente.
Ayyavazhi disse: Há uma diferença entre negar e duvidar. Observe que eu nunca disse que você não teve experiências com Jesus, e sempre deixei bem claro que só você sabe o que vivenciou.

100 % correto.


Ayyavazhi disse: Quanto à natureza de suas experiências, reais ou não, é esperado que tenham acontecido dentro de uma vertente cristã, pois essa é sua religião e sua forma de lidar com a espiritualidade. Mesmo assim podem acontecer, como exemplificou o Sybok, experiências com outras manifestações da divindade. São exceções dentro da regra, nem por isso uma impossibilidade.

Já respondido .




Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 0
Marcio disse: E Edson! Para você pensar:
Qual a melhor estratégia que um demônio inteligente poderia usar para "capturar" um alma humana?

Fingir que não existe com ateus e fingir ser Deus com crentes.
·  emmcri Membro
julho 2013 0
sybok disse: Assim como também existem pessoas em culturas cristãs que tem experiencias com Krishna, aqui mesmo no Brasil, no estado de São Paulo, você pode conhecer meia duzia deles, onde suas experiencias com Krishna foram tão intensas que eles abandonaram a vida mundana e acabaram indo morar em Nova Gokula dedicando suas vidas ao caminho até o todo, também chamado de Brahma-Vishnu-Shiva, ou simplesmente Deus.

Embora tenha uma opinião a respeito não acho apropriado comentar experiência dos outros.
·  emmcri Membro
julho 2013 0
sybok disse: Percebe que se Deus nos quer no caminho até ele, Cristo jamais poderia ser o único caminho num mundo com tantas culturas não cristãs e tantas fés distintas?

Cara já escrevi , não entendo Deus.
Não sei porque vai mandar tantas pessoas pro quinto dos infernos só porque não creram nele, não sei o que há de tão especial na fé para ele,em suma não entendo bulufas de Deus, mas ele já me provou que existe e eu não tenho como me defender disso.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Marcio disse: Aí é que está uma coisa que vocês parecem não perceber. Não importa se é um deus ou um anti-deus que nos queira impor algum caminho. Ambos são imposições, são vontades tirânicas, os caminhos deles, são deles, simples assim.
Nós, as mentes, temos que fazer o NOSSO caminho, a busca é pelo NOSSO caminho, e não pelos caminhos oferecidos por deuses do bem e do mal.

Não se trata de perceber ou não perceber, Marcio. A questão é: Ter ou não ter opção. Só poderíamos fazer tais escolhas em um universo cuja configuração não suportasse a existência de um Deus. Um Deus, supondo-se o Criador, tem também o poder de determinar que regras suas criaturas irão seguir, gostem ou não. Do muito pouco que aprendi, até agora, pude inferir que o religare não é uma opção.
Post edited by Ayyavazhi on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Se você perceber sua postagem só reforça a minha defesa, ou seja que a cultura não é necessariamente determinante na questão.

A cultura é absolutamente determinante nesse caso. O que eu mostrei foram as exceções da regra e toda regra as tem. Se assim não fosse, não existiriam países ditos católicos, muçulmanos, protestantes, etc. Em cada lugar do mundo haveria representatividade equivalente entre as religiões. Fiéis de cada uma delas se espalhariam pelo mundo em proporções suficientes para obstar a construção de conceitos como “a cultura hindu”, “a cultura islâmica”, entre muitas outras, que caracterizam determinada região do mundo.

Minha postagem não reforça sua causa nem por acidente. Você entendeu assim, o que não significa ser verdadeiro. Olhe ao seu redor. O mundo está aí, nos mostrando todos os dias o poder da cultura. Uma criança nasce e se desenvolve sendo bombardeada com os conceitos de determinada religião; torna-se um adulto eivado de fé e de certezas, e você acha que a cultura não é determinante? Acha que, se tivesse nascido sob os cinzéis da cultura muçulmana, seria um cristão e renegaria todos os ensinamentos incutidos pela sociedade à sua volta? Pense sobre isso, Edson. Pergunte a si mesmo por que o Brasil é um país cristão (esmagadoramente cristão), enquanto o Irã é uma república islâmica. Descubra se a cultura não tem nada a ver com isso.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Não sei porque vai mandar tantas pessoas pro quinto dos infernos só porque não creram nele

Não vai.
emmcri disse: não sei o que há de tão especial na fé para ele

Praticamente nada.
emmcri disse: mas ele já me provou que existe e eu não tenho como me defender disso.

E onde a existência de Deus poderia validar esse ou aquele livro sagrado, essa ou aquela religião? Se Ele provou a você que existe, Ele provou apenas isso. O resto não passa de dedução e crença.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Inseto disse: Segundo penso, seria uma imperdoável desonra a sua memória se eu só me lembrasse dela com tristeza, como se sua morte suplantasse tudo que ela fez durante a vida.

Atitude correta e louvável. Uma honra que nossos pais e mães merecem.
·  emmcri Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: A cultura é absolutamente determinante nesse caso. O que eu mostrei foram as exceções da regra e toda regra as tem. Se assim não fosse, não existiriam países ditos católicos, muçulmanos, protestantes, etc. Em cada lugar do mundo haveria representatividade equivalente entre as religiões. Fiéis de cada uma delas se espalhariam pelo mundo em proporções suficientes para obstar a construção de conceitos como “a cultura hindu”, “a cultura islâmica”, entre muitas outras, que caracterizam determinada região do mundo.

Amigo a questão é a segunte eu quando falo defendo MINHA fé.
Estou falando de minha pessoas e afirmo a cultura NADA TEVE HAVER com minha conversão. (na verdade a minha cultura depõe contra, acreditava em intercessão de Maria, santos, purgatório,etc...) .
Não entrei no mérito de ser uma exceção, mas veja que pessoas criadas na Macumba se tornam cristãos, no Islamismo, budismo etc... e não acho que seja apenas exceção, o número de pessoas é bastante significativo, tanto mudando pra um lado como para o outro.


Ayyavazhi disse: Minha postagem não reforça sua causa nem por acidente. Você entendeu assim, o que não significa ser verdadeiro. Olhe ao seu redor. O mundo está aí, nos mostrando todos os dias o poder da cultura. Uma criança nasce e se desenvolve sendo bombardeada com os conceitos de determinada religião; torna-se um adulto eivado de fé e de certezas, e você acha que a cultura não é determinante? Acha que, se tivesse nascido sob os cinzéis da cultura muçulmana, seria um cristão e renegaria todos os ensinamentos incutidos pela sociedade à sua volta? Pense sobre isso, Edson. Pergunte a si mesmo por que o Brasil é um país cristão (esmagadoramente cristão), enquanto o Irã é uma república islâmica. Descubra se a cultura não tem nada a ver com isso.


Fosse a cultura tão determinante não haveriam tantas conversões de um lado para o outro, não digo que não haja influência no casos de outras pessoas , mas estou falando de MINHAS EXPERIÊNCIAS e elas eu posso falar e você certamente não entende mais disso do que eu .
Ou você me conhece mais do que eu mesmo? És vidente ? rsrsrs


·  emmcri Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Não vai.
Ayyavazhi disse: Praticamente nada.


Cara você é Deus ???
Ayyavazhi disse: E onde a existência de Deus poderia validar esse ou aquele livro sagrado, essa ou aquela religião? Se Ele provou a você que existe, Ele provou apenas isso. O resto não passa de dedução e crença.

E onde foi que eu disse que validava pra alguém que não eu ???
De onde foi que você tirou isso ???
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Será o Benedito ou será o irmão dele?
Eu não estou afirmando que algum livro ou alguma coisa, valide Deus ou seja validado por ele, a não ser para mim mesmo.
Não, não tenho explicações a dar sobre Deus, só sei que ele existe e ele me provou isso, não posso ignorar acontecimentos/fatos que se passaram comigo várias vezes e por muito tempo, até hoje estas coisas ainda acontecem.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  Marcio Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Não se trata de perceber ou não perceber, Marcio.

Se trata de perceber que quaisquer direcionamentos para o bem ou o mal, serão imposições.
Impor algo viola a liberdade e não isenta o bem tanto quanto o mal.
Ayyavazhi disse: A questão é: Ter ou não ter opção. Só poderíamos fazer tais escolhas em um universo cuja configuração não suportasse a existência de um Deus.

Olhe o Universo corrente! Não há nada nele que indique a existência de um deus bom ou um deus mal. É uma configuração totalmente amoral.
Retire as mentes humanas do cenário, mesmo para as mentes não humanas do reino animal não se vê manifestação alguma de algum deus, e aparentemente isso não é um complicador para eles.
Só as mentes humanas parecem suportar configurações divinas, isso nos aponta para algo facilmente dedutível.


Ayyavazhi disse: Um Deus, supondo-se o Criador, tem também o poder de determinar que regras suas criaturas irão seguir, gostem ou não.

Certamente, mas isso não parece ocorrer no universo sem humanos. De novo, isso é uma pista importante.

Entretanto se supormos esse deus aí, vemos que ele deu às criaturas a capacidade de gostar ou não de suas determinações. Ora! Deu liberdade para que então? Se não podemos usa-la plenamente?
Ayyavazhi disse: Do muito pouco que aprendi, até agora, pude inferir que o religare não é uma opção.


Não é opção por ser imposição ou por ser irrelevante?

Suspeito que esses deuses todos são mentes também. Só que de outro domínio.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:04

·  1500 Comentários sorted by Votes Date Added
·  Marcio Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Não não tenho explicações a dar sobre Deus, só sei que ele existe e ele me provou isso, não posso ignorar acontecimentos/fatos que se passaram comigo várias vezes e por muito tempo, até hoje estas coisas ainda acontecem.

Pois é Edson. Agora quem garante à você, sem nenhuma penumbra de dúvidas que esse deus que lhe tem empatia não é uma mente ardilosa que sabe como lhe conquistar a alma, sua liberdade?
Lembra da pergunta que lhe fiz acima?
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 edited julho 2013 0
emmcri disse:
Cara já escrevi , não entendo Deus.
Não sei porque vai mandar tantas pessoas pro quinto dos infernos só porque não creram nele, não sei o que há de tão especial na fé para ele,em suma não entendo bulufas de Deus, mas ele já me provou que existe e eu não tenho como me defender disso.
Ele pode ter lhe provado que existe e que é o deus cristão, mas ... confirmou que a Bíblia está valendo? Toda ela? E lhe disse qual a interpretação correta em cada caso?

Tudo bem, do seu ponto de vista, o deus cristão está confirmado, mas o que você vai fazer a respeito quando surgirem dúvidas e controvérsias? Esse deus vai lhe aparecer a cada vez para lhe orientar?

Para explicar, por exemplo, por que ele cria tanta gente que ele já sabe que vai para o inferno? Só porque não tem fé?



Post edited by Fernando_Silva on julho 2013
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
emmcri disse:
Marcio escreveu:
E Edson! Para você pensar:
Qual a melhor estratégia que um demônio inteligente poderia usar para "capturar" um alma humana?
Fingir que não existe com ateus e fingir ser Deus com crentes.
O deus que se manifestou a você apresentou algum atestado ou documento de identidade para provar que era quem ele dizia ser?
·  Azathoth Membro
julho 2013 0
Fernando_Silva disse: O deus que se manifestou a você apresentou algum atestado ou documento de identidade para provar que era quem ele dizia ser?

Exato!
Existem tantas religiões diferentes, com visões diferentes de Deus, céu e inferno, ordenação de mulheres e etc. Qual dessas é a verdadeira?
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Cara você é Deus ???

Quando eu era criança (pois não é necessário ser adulto para perceber o óbvio), ficava com muita raiva quando, numa discussão qualquer, a outra parte dizia: “Você só quer ter razão”. E ele estava querendo o quê, quando retrucava cada afirmação minha? A regra que vale para um, vale para o outro. Vamos entender o que está acontecendo aqui:

1 – Você diz que Deus vai mandar gente para o inferno;

2 – Eu digo que não vai.

3 – Minha afirmação iguala todos os homens, sejam cristãos, budistas, satanistas ou ateus, já que NINGUÉM irá para o inferno. Mas essa é uma afirmação arrogante. Estou tentando ser Deus.

4 – Sua afirmação, segregacionista, salvaguarda os crentes que tiveram o privilégio de conhecer a religião certa e condena os demais. Milagrosamente, essa afirmação, a despeito de representar bem a humildade cristã, não é semelhante à outra (a minha), não possui as mesmas características. Os crentes, representantes de Deus na terra, podem dizer o que Ele faz ou deixa de fazer, o que Ele gosta ou deixa de gostar.

Iludir a si mesmo não é crime, Emmcri. Portanto, use e abuse do seu direito de fazer isso. Mas, em um debate, tenha a preocupação de não empregar argumentos que anulem seus próprios argumentos. Se eu não sou Deus, você também não é. Se eu não posso dizer que ninguém irá para o inferno, você também não pode dizer o contrário.
emmcri disse: E onde foi que eu disse que validava pra alguém que não eu ???
De onde foi que você tirou isso ???

E onde foi que eu falei em mais alguém, além de você? De onde foi que você tirou isso?

É óbvio que essas ideias são válidas para você e era com você que eu estava falando. Não me lembro de ter arrolado a congregação inteira. Já me considero por demais pretensioso debatendo com UM crente. Coloquemos uma pedra no assunto. Não há nada aqui que nos sirva.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Fosse a cultura tão determinante não haveriam tantas conversões de um lado para o outro, não digo que não haja influência no casos de outras pessoas , mas estou falando de MINHAS EXPERIÊNCIAS e elas eu posso falar e você certamente não entende mais disso do que eu .
Ou você me conhece mais do que eu mesmo? És vidente ? rsrsrs

A cultura é determinante. Mas se você não está pronto para aceitar algo tão evidente, eu não estou pronto para esta conversa. O pouco que já falei, basta (para mim). Quanto à vidência, ela só é necessária onde a observação não pode perscrutar. Não foi preciso vidência, por exemplo, para fazer a ressalva que fiz, na primeira postagem: “Eu sei que é insensatez continuar”. Viu? Um pouco de experiência nos dá certezas antes só creditadas às cartas e bolas de cristal.

Encerro meus argumentos. Continuar, deixou de ser mera insensatez...
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Se trata de perceber que quaisquer direcionamentos para o bem ou o mal, serão imposições. Impor algo viola a liberdade e não isenta o bem tanto quanto o mal.

Não sou o defensor do bem, neste fórum. Tenho dito sempre que bem e mal são duas faces de uma mesma moeda e sem valor algum no processo de religare. Acredito que fazemos a opção pelo bem, naturalmente, mas não o tomo por objetivo. Quanto à violação da liberdade, se for assim mesmo, bem, o que você pode fazer, além de não gostar?
Marcio disse: Olhe o Universo corrente! Não há nada nele que indique a existência de um deus bom ou um deus mal. É uma configuração totalmente amoral.
Retire as mentes humanas do cenário, mesmo para as mentes não humanas do reino animal não se vê manifestação alguma de algum deus, e aparentemente isso não é um complicador para eles.
Só as mentes humanas parecem suportar configurações divinas, isso nos aponta para algo facilmente dedutível.

Não tão rápido. Deduções fáceis e, neste caso, precipitadas, comprometem sua singular sabedoria. Veja que eu não disse que a configuração do Universo aponta para a existência de um Deus, mas, tão somente, que não impede essa existência. Meu teísmo não nasceu dessa observação e nem é relevante, neste momento, adentrar esse particular. Perceber a existência de Deus pode parecer, aos mais desavisados, um elemento de consolo, um facilitador. Penso que é justamente o contrário, pois precisamos conciliar esse Deus com um Universo amoral, onde o mal tem tanta ou mais força do que o bem. A resposta mais simples nem sempre é a verdadeira, e é essa resposta que eu busco.
Marcio disse: Certamente, mas isso não parece ocorrer no universo sem humanos. De novo, isso é uma pista importante.

Entretanto se supormos esse deus aí, vemos que ele deu às criaturas a capacidade de gostar ou não de suas determinações. Ora! Deu liberdade para que então? Se não podemos usa-la plenamente?

Em um universo sem humanos podem existir as mesmas leis, as mesmas regras. Apenas não haveria uma consciência capaz de percebê-las e analisá-las.

Sim, podemos não gostar de Suas determinações, podemos discordar de todo o funcionamento, mesmo sem qualquer poder para mudar a realidade, seja ela qual for. É só o que podemos fazer e essa liberdade mínima pode ter propósitos inimagináveis, estejamos conscientes disso ou não. A liberdade plena não é um pré-requisito para a concretização de um possível propósito.
Marcio disse: Não é opção por ser imposição ou por ser irrelevante?

Suspeito que esses deuses todos são mentes também. Só que de outro domínio.

Não é opção por ser imposição.

Eu já pensei muito sobre isso. Do alto de minha micro perspectiva, conclui exatamente o que você acaba de conjecturar. Depois, julguei mais sensato voltar à velha e boa segurança do “não sei”.
·  sybok Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Nós, as mentes, temos que fazer o NOSSO caminho, a busca é pelo NOSSO caminho, e não pelos caminhos oferecidos por deuses do bem e do mal.

Nenhum deus é verdadeiramente isento se desejar violar o maior bem que uma mente pode ter que é a LIBERDADE. Liberdade de simplesmente ser, sem ter que optar apenas pelos dois caminhos oferecidos.
Não é isso, não mesmo. Bom, eu acho que não isso, é bobo demais pra ser real.
E que liberdade temos sendo criaturas feitas como fomos feitos?
Não escolhemos existir, em especial na forma como existimos. Nossa forma já determina uma série de coisas devido as limitações do corpo e mente que nos foram impostos.

Se um ser nos quer existindo, ao nos fazer como somos, já nos impôs um caminho.
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
emmcri disse: Cara já escrevi , não entendo Deus.
Não sei porque vai mandar tantas pessoas pro quinto dos infernos só porque não creram nele, não sei o que há de tão especial na fé para ele,em suma não entendo bulufas de Deus, mas ele já me provou que existe e eu não tenho como me defender disso.
Crer ou não em Deus, não tem nenhuma relação em crer em interpretações bíblicas especificas, como a de que Jesus Cristo É Deus e que ele é o ÚNICO caminho e que quem não crer nele vai ser atirado ao inferno.

Vejamos a seguir onde esta seu erro:
emmcri disse:
sybok disse: Assim como também existem pessoas em culturas cristãs que tem experiencias com Krishna, aqui mesmo no Brasil, no estado de São Paulo, você pode conhecer meia duzia deles, onde suas experiencias com Krishna foram tão intensas que eles abandonaram a vida mundana e acabaram indo morar em Nova Gokula dedicando suas vidas ao caminho até o todo, também chamado de Brahma-Vishnu-Shiva, ou simplesmente Deus.

Embora tenha uma opinião a respeito não acho apropriado comentar experiência dos outros.
E se a sua opinião estiver errada?
Quem disse que a experiencia deles não pode ser tão real quanto a sua?

O seu primeiro erro é confundir Cristo com Deus.
Cristo dizia ser "um" com Deus, mas a unidade de que Cristo trata é outra e nela também orava para que todos nós pudéssemos nos tornar "um" com ele:
João 17:19-23
E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade.
E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela tua palavra hão de crer em mim;
Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.
E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um.
Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim.

Krishna era "um" com Deus, assim como Siddhartha Gautama "Buda", Lao Tsé e Jesus Cristo eram "um" com Deus, sendo os ensinamentos de TODOS ELES, receitas sobre como TODOS NÓS podemos igualmente nos tornar "um" com Deus, como Cristo desejava.

Você já parou pra pensar que embora Deus exista, as suas ideias religiosas sobre quem ele é e sobre como chegar a ele, possam estar incorretas?
Já parou para pensar que Krishna pode ser "um" com Deus, tanto quanto Cristo?
Já parou para pensar que Krishna e Cristo falam sobre o MESMO Deus e eram "um" com o MESMO Deus, ambos apresentando o caminho de como chegar até ele?
Post edited by sybok on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse:
Não se trata de perceber ou não perceber, Marcio. A questão é: Ter ou não ter opção. Só poderíamos fazer tais escolhas em um universo cuja configuração não suportasse a existência de um Deus. Um Deus, supondo-se o Criador, tem também o poder de determinar que regras suas criaturas irão seguir, gostem ou não. Do muito pouco que aprendi, até agora, pude inferir que o religare não é uma opção.

Exato, é uma imposição tanto quanto o nosso corpo, nossa mente e o resto da realidade a nossa volta.
·  Marcio Membro
julho 2013 0
sybok disse: E que liberdade temos sendo criaturas feitas como fomos feitos?
Não escolhemos existir, em especial na forma como existimos. Nossa forma já determina uma série de coisas devido as limitações do corpo e mente que nos foram impostos.

Se um ser nos quer existindo, ao nos fazer como somos, já nos impôs um caminho.

Olha, você raciocina de um ponto de vista do domínio material, o palco de atuações. Eu sempre argumento do ponto de vista de uma mente eterna, o ator que habita a carne.
Veja que não há uma mente maior criadora de tudo e que determinou tudo para as outras menores que supostamente criou. (é uma afirmação hipotética, claro.)
Cada mente escolheu estar atuando dentro de um domínio onde justamente as limitações propiciam as sensações.

Não há um deus que escolheu e criou. A opção pelas limitações é pessoal, individual.
Entende que eu estou contestando a idéia de um deus maior, o centro de tudo, a baliza norteadora de tudo? Tal coisa me parece sem propósito num cenário mais fundamental.
·  sybok Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Será o Benedito ou será o irmão dele?
Eu não estou afirmando que algum livro ou alguma coisa, valide Deus ou seja validado por ele, a não ser para mim mesmo.
Não, não tenho explicações a dar sobre Deus, só sei que ele existe e ele me provou isso, não posso ignorar acontecimentos/fatos que se passaram comigo várias vezes e por muito tempo, até hoje estas coisas ainda acontecem.
Leia novamente o que o Ayyavazhi disse e vai perceber que ele não contesta a sua experiencia, nem diz que sua fé se baseia em um livro, ele somente te diz que Deus existir e isso ter ficado provado para você por uma experiencia, só te prova a existência de Deus, não o resto das crenças que você carrega sobre ele, sobre a biblia ou sobre outros livros sagrados.
Ayyavazhi disse:
emmcri disse: mas ele já me provou que existe e eu não tenho como me defender disso.

E onde a existência de Deus poderia validar esse ou aquele livro sagrado, essa ou aquela religião? Se Ele provou a você que existe, Ele provou apenas isso. O resto não passa de dedução e crença.

Saber que Deus existe, por isso ter sido provado a você, não valida o resto da suas crenças, não prova que outras religiões sejam falsas e só o cristianismo legitimo, nem que Deus deseje que as pessoas "creiam" em Cristo e que essa é a única forma de salvação, não prova que a bíblia está certa e o corão errado, etc...

Em sua, Deus ter te provado que existe, só te permite saber da existência de Deus, isso nem de longe prova que a sua interpretação da bíblia e do cristianismo sejam corretas e as outras fés falsas.
·  Marcio Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Não sou o defensor do bem, neste fórum. Tenho dito sempre que bem e mal são duas faces de uma mesma moeda e sem valor algum no processo de religare. Acredito que fazemos a opção pelo bem, naturalmente, mas não o tomo por objetivo. Quanto à violação da liberdade, se for assim mesmo, bem, o que você pode fazer, além de não gostar?

Entre o bem e o mal há um leque de opções, um mar para navegar, atuar. Isso só é válido no domínio das limitações. O bem e o mal só existem onde há limitações.
Eu posso não gostar da forma que escolhi atuar, posso, mesmo tendo escolhido, a coisa toda se torna meio que imprevisível. Há outras atuações entrelaçadas e isso leva à muitos outros resultados sensoriais.
Ayyavazhi disse: Não tão rápido. Deduções fáceis e, neste caso, precipitadas, comprometem sua singular sabedoria. Veja que eu não disse que a configuração do Universo aponta para a existência de um Deus, mas, tão somente, que não impede essa existência.

Eu não sei, acho que nessa altura do meu viver acabei descobrindo que as coisas na verdade não são tão complicadas, cansei de raciocinar difícil. A simplicidade é tão escancarada que singularmente acaba passando desapercebida para quem acha que deve ser complicado.
A configuração do universo só serve à quem vai atuar nele. Um deus maior, com a maior e melhor mente, pode ficar fora dessa equação. Percebemos sim que há uma gama de mentes individuais. Mas nenhuma que possa ser a mente de todas as mentes. Ela é desnecessária por se encerrar em si mesma.
Ayyavazhi disse: Meu teísmo não nasceu dessa observação e nem é relevante, neste momento, adentrar esse particular. Perceber a existência de Deus pode parecer, aos mais desavisados, um elemento de consolo, um facilitador. Penso que é justamente o contrário, pois precisamos conciliar esse Deus com um Universo amoral, onde o mal tem tanta ou mais força do que o bem. A resposta mais simples nem sempre é a verdadeira, e é essa resposta que eu busco.

Seu teísmo é fruto da sua procura, da sua atuação. A resposta mais complicada é a mesma que a mais simples, só está encoberta por devaneios em demasia.
Acho que a resposta mais precisa está dentro de você mesmo. O resto é cenário, papel de fundo, outras atuações.
Eu parei de procurar lá fora, agora me voltei para mim mesmo, e gosto do que estou descobrindo.
Ayyavazhi disse: Em um universo sem humanos podem existir as mesmas leis, as mesmas regras. Apenas não haveria uma consciência capaz de percebê-las e analisá-las.

Eu quis dizer que não parece haver uma "mão" divina atuando no curso do universo, independente de haver ou não uma consciência para percebe-lo.
As ditas leis e regras mecânicas universais atuam por sí só. Nós só escolhemos estar no meio disso tudo. Não por razões e imposições de outrem, mas por nós mesmos.
Ayyavazhi disse: Sim, podemos não gostar de Suas determinações, podemos discordar de todo o funcionamento, mesmo sem qualquer poder para mudar a realidade, seja ela qual for. É só o que podemos fazer e essa liberdade mínima pode ter propósitos inimagináveis, estejamos conscientes disso ou não. A liberdade plena não é um pré-requisito para a concretização de um possível propósito.

Veja que eu estou querendo justamente dizer que estamos aqui porque em algum momento de nossas existências escolhemos estar, nós optamos por viver essas limitações com o simples e elegante propósito de podermos sentir.
Eu estou querendo dizer que não houve imposições de nenhum deus ou ordenador maior, uma mente assim não deve existir pelo simples fato de que num domínio de mentes eternas não faz sentido que uma em particular consiga ter o domínio das outras.
Ayyavazhi disse: Não é opção por ser imposição.

Eu já pensei muito sobre isso. Do alto de minha micro perspectiva, conclui exatamente o que você acaba de conjecturar. Depois, julguei mais sensato voltar à velha e boa segurança do “não sei”.

É opção, sempre será, cada mente é dona de si e nenhuma outra mente tem a capacidade de impor nada à outra, isso do ponto de vista do domínio puro das mentes.

Sobre os deuses que intuímos? Bem, eles também fazem parte da encenação! Cada encenação em grupo gera uma espécie de cultura local com todas as suas características.
·  Marcio Membro
julho 2013 0
sybok disse: Ayyavazhi disse:
Não se trata de perceber ou não perceber, Marcio. A questão é: Ter ou não ter opção. Só poderíamos fazer tais escolhas em um universo cuja configuração não suportasse a existência de um Deus. Um Deus, supondo-se o Criador, tem também o poder de determinar que regras suas criaturas irão seguir, gostem ou não. Do muito pouco que aprendi, até agora, pude inferir que o religare não é uma opção.

Exato, é uma imposição tanto quanto o nosso corpo, nossa mente e o resto da realidade a nossa volta.

Se consideramos que as mentes são eternas, indestrutíveis.
Será sempre uma escolha, uma opção por atuar num palco habitando uma máquina de carne limitada. Para simplesmente sentir.

Faça uma experiência mental. Tente imaginar sua mente sem seu corpo, sem os sentidos, sem os inputs, só a mente e mais nada. Sem respiração, sem calor, frio, dor, sem uma coceirinha sequer.
Eu fiz isso, é bastante aterrador, eu desejei voltar rapidinho à minha máquina geradora de sensações.


Agora, eu imagino que vocês (Sybok e Ayyavazhi) acreditam que as mentes são meros processos físicos que ocorrem no corpo mortal que está interagindo num universo, tudo fruto de um criador com algum propósito obscuro, inalcançável à nossa capacidade racional.
É possível, mas é o pior dos cenários.
E é assim que a ciência nos pôde dizer até agora, excluindo o agente criador.
Mas veja que a ciência também nos diz que tudo que existe é feito de algo indestrutível, e que as coisas apenas mudam de configuração gerando a interpretação de destruição ou construção. Isso por sí só deve indicar alguma coisa.
·  Leandro_ Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Emmcri disse: mas ele já me provou que existe e eu não tenho como me defender disso.

Posso saber como Deus provou a você que existe?
Post edited by Leandro_ on julho 2013
·  Marcio Membro
julho 2013 0
lepiso74 disse: Emmcri disse: mas ele já me provou que existe e eu não tenho como me defender disso.

Posso saber como Deus provou a você que existe?

Ou se não é algum deus do mal lhe iludindo?
·  Azathoth Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Mais contradições do espiritismo:
(do Site da Sociedade Espírita Brasileira, eu acho!)

97 - As contradições que se notam, com bastante freqüência, na linguagem dos Espíritos, podem espantar apenas aqueles que não têm da ciência espírita senão um conhecimento incompleto. Elas são a conseqüência da própria natureza dos Espíritos que, quando falam, não sabem as coisas senão em razão de seu adiantamento, e das quais alguns podem saber menos que certos homens. Sobre uma multidão de pontos, eles não podem emitir senão sua opinião pessoal, que pode ser mais ou menos justa, e conservar o reflexo dos preconceitos terrestres dos quais não estão despojados. Outros fazem os próprios sistemas sobre o que não conhecem ainda, particularmente no que tange às questões científicas e à origem das coisas. Não há, pois, nada de surpreendente em que não estejam sempre de acordo.
PERCEBA O ABSURDO: alguns espíritos podem saber menos que certos homens, então como ter certeza da exatidão/veracidade das "revelações"?Serão TODAS as "psicografias" autênticas e honestas?Eu duvido muito...

98 - Espanta-se em encontrar comunicações contraditórias assinadas com o mesmo nome. Só os Espíritos inferiores podem ter, segundo as circunstâncias, uma linguagem diferente, pois os Espíritos superiores jamais se contradizem. Quem esteja pouco iniciado nos mistérios do mundo espiritual, sabe com que facilidade certos Espíritos se adornam de nomes emprestados para darem mais crédito às suas palavras; pode-se disso concluir, com certeza, que se duas comunicações radicalmente contraditórias quanto ao fundo do pensamento, levam o mesmo nome respeitável, uma das duas é necessariamente apócrifa.
Então tá: uma das afirmações dever ser verdadeira e a outra deve ser falsa? Ms qual delas?Aquela que o esírito afirmou que é verdadeira? Ou a que o médium acha que é verdadeira?

99 - Dois meios podem servir para fixar as idéias sobre as questões duvidosas: o primeiro é submeter as comunicações ao controle severo da razão, do bom senso e da lógica. É uma recomendação que fazem todos os bons Espíritos, e que procuram não fazer os Espíritos enganadores que sabem muito bem não poder senão perder com um exame sério e, por isso, evitam a discussão e querem ser acreditados sob palavra.
Sem comentários...
Post edited by Azathoth on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Marcio disse: Se consideramos que as mentes são eternas, indestrutíveis.
Será sempre uma escolha, uma opção por atuar num palco habitando uma máquina de carne limitada. Para simplesmente sentir.

Faça uma experiência mental. Tente imaginar sua mente sem seu corpo, sem os sentidos, sem os inputs, só a mente e mais nada. Sem respiração, sem calor, frio, dor, sem uma coceirinha sequer.
Eu fiz isso, é bastante aterrador, eu desejei voltar rapidinho à minha máquina geradora de sensações.


Pois é Marcio, na verdade a existência em si é aterradora, especialmente quando eterna.
Vamos supor por um instante que Deus se fragmentou em muitas consciências e que de certo modo somos ele, então nós, consciências menores, não lembramos da escolha que fizemos de dos fragmentar e experienciar a vida como num jogo de RPG onde toda a realidade é "relativa", e somos interpretes brincando no palco da vida.
Do nosso ponto de vista isso não muda muita coisa, só nos faz menos reais do que gostamos de nos imaginar, mas a personagem não tem opção, não tem escolha real de estar aqui numa realidade já com regras definidas.

A verdade Márcio, é que se você forçar bem o raciocínio para viajar na maionese sobre o tema, como fez imaginando como seria viver sem sentir, vai descobrir que a eternidade é muito tempo, e, para nossas mentes, não parece existir nenhum tipo de existência realmente aceitável. Pelo menos eu já viajei na maionese muito tempo pensando sobre isso e não consegui encontrar nenhum tipo de existência suportável e que não se mostre "aterradora" em algum nível, especialmente quando procuramos ater nosso raciocínio em imaginar com base naquilo que já podemos ver hoje e sem negar o que existe ao nosso redor.

Viver eternamente "esquecendo" quem fomos no passado, vivendo vidas momentâneas de "personagens" é uma visão terrível para mim, assim como é imaginar uma eternidade lembrando da minha mãe que provavelmente nunca mais verei, ou de tantas pessoas com quem compartilhamos momentos mas que na eternidade inevitavelmente se vão pra longe de nós.
Não posso imaginar uma vida de prazeres eternos, ou uma vida eterna seja lá como for. Esquecer também não soluciona o problema, só me torna um drogado meio morto, que vive certos momentos e morre em seguida, despertando meio sonolento em outro personagem, como quando transito de sonho em sonho durante a noite.

Justamente por isso acredito que parte do nosso processo seja de aprendizado sobre como viver, para remover o desnecessário e nos obrigar a aceitar o inevitável.

Depois de muito pensar e pastar, cheguei a conclusão de que definitivamente não estamos prontos para a vida, nossas mentes são grandes o suficiente para enxergar dilemas grandiosos sobre a vida, mas muito pequenas para poder solucionar esses dilemas.
Isso me leva a achar que só com uma mente diferente da nossa o problema pode se resolver.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:05

·  Azathoth Membro
julho 2013 0
sybok disse: Depois de muito pensar e pastar, cheguei a conclusão de que definitivamente não estamos prontos para a vida, nossas mentes são grandes o suficiente para enxergar dilemas grandiosos sobre a vida, mas muito pequenas para poder solucionar esses dilemas. Isso me leva a achar que só com uma mente diferente da nossa o problema pode se resolver.
Perfeito, Sybok. Simplesmente perfeito. A mente humana é incapaz de encontrar todas as respostas para o dilema da existência (quem somos? de onde viemos? existe um sentido/propósito para a vida?), e talvez TODAS as religiões tradicionais falhem, miseravelmente, em fornecer as respostas. Talvez cada um de nós deva encontrar sua resposta...
·  Percival Membro
julho 2013 0
Azathoth disse: Talvez cada um de nós deva encontrar sua resposta...

Muito melhor assim.
·  DeiseGarcia Membro
julho 2013 0
sybok disse: Pois é Deise, quando isso é encarado assim, a teoria é "plausível", infelizmente a maioria dos espiritas faz uma leitura diferente desses conceitos e tenta colocar em tudo um conceito de perfeição e justiça infalível, onde Deu não permite que nada "injusto" como uma criança sendo estuprada, possa existir.
Espiritas então passam a afirmar que tudo o que ocorre com essas crianças é "justo", pois elas numa vida passada fizeram algo terrível para merecer isso e agora estão somente pagando pelo próprio crime.

Todo o debate foi travado para demonstrar que essa leitura de espiritas como o Criaturo, que insistem em culpar a vitima, não é plausível e se choca entre outras coisas, com o livre arbítrio.

Bem, não li todo o tópico e estou respondendo être de passage, mas não é difícil entender que muitas respostas são de "orelhada". Todas as religiões são objeto de estudo e classificar o bem ou o mau apenas porque 'ouviu falar' acaba por deturpar todas elas.

A DE não escapa a isto e os conceitos formulados são mais objeto de riso do que de seriedade!




·  DeiseGarcia Membro
julho 2013 0
Azathoth disse: Isto me lembra certa canção, que marcou uma época entre o movimento evangélico:
Xô Satanas

Asa de Águia

Eu era um bêbado
Que vivia drogado,
Hoje estou curado
Encontrei Jesus!
Encontrei Jesus!
Encontrei Jesus!

Na casa do Senhor
Não existe satanás

Xô satanás!
Xô satanás!

Eu tava na vida,
Quase a me perder,
A minha tentação
Foi amar você,
Com tanta loucura
Eu não aguento mais

Xô satanás!
Xô satanás!
Xô satanás!
Xô satanás!
Como diria o Criaturo: he...he...he...he...

Ahhhh - isto é marchinha de carnaval e todos os anos ela toca e eu danço, tem outras quer ver?

Olha a cabeleira do Zezé, será que ele é
Será que ele é
Bichaaaaaaaaa
**************************************************

Mais outra:

Você pensa que cachaça é água
Cachaça não é água não
Cachaça vem do alambique
E água vem do ribeirão
*****************************

Olha essa aqui:

Trocaram o coração da minha sogra
Botaram o coração do jacaré
Sabe o que aconteceu?
A velha se mandou e o jacaré morreu!
********************************

Demais né?





·  DeiseGarcia Membro
julho 2013 0
Inseto disse: Hoje tive uma experiência interessante.
Sonhei que:
1. Tinha saído de casa com o zíper da calça aberto;
2. Minha mãe tinha se candidatado a Vereadora: coitada da velha;
3. O Fernando tinha me dado a maior bronca, dizendo que eu provoco os outros aqui e depois fico de mimimi quando revidam (isso nem é verdade).

E não é que inexplicável, inconsciente e misticamente, saí mesmo de casa com o zíper aberto?

Talvez você seja morador dos estados situados ao nordeste porque dai pra baixo você não esqueceria de suspender o ziper. Com o frio que tem feito por aqui seu bilau não teria ficado tão exposto assim!
·  Azathoth Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
DeiseGarcia disse:
Bem, não li todo o tópico e estou respondendo être de passage, mas não é difícil entender que muitas respostas são de "orelhada". Todas as religiões são objeto de estudo e classificar o bem ou o mau apenas porque 'ouviu falar' acaba por deturpar todas elas.
A DE não escapa a isto e os conceitos formulados são mais objeto de riso do que de seriedade!

Concordo!

Para acreditarmos em alma/espírito/reencarnação, primeiramente precisaríamos ter algumas perguntas respondidas:
1) a vida eterna é possível?
2) a vida eterna é necessária?
3) existe vida depois da morte?
4) de que tipo é essa vida?
Pessoalmente, acredito que todo organismo vivo acaba por morrer algum dia, seja uma bactéria, ser humano, tartaruga gigante ou sequoia. Talvez aquela história da telomerase explique melhor. Da mesma forma, muita coisa importante tem duração finita (educar uma criança, fazer uma faculdade, namorar, participar de uma campanha eleitoral), portanto a vida humana NÃO PRECISA ser eterna para fazer sentido. Talvez devamos permanecer agnósticos acerca da existência da alma.
Contudo, SE existe uma alma, o que acontece depois da morte?Vamos direto para o céu ou para o inferno?Ficamos em modo "stand by" esperando o Dia do Juízo?Ou entramos num infinito ciclo de mortes e renascimentos? Acredito que as religiões tradiconais NÃO TÊM a resposta, e nem a doutria espírita...
Post edited by Azathoth on julho 2013
·  DeiseGarcia Membro
julho 2013 0
Azathoth disse: Concordo!

Para acreditarmos em alma/espírito/reencarnação, primeiramente precisaríamos ter algumas perguntas respondidas:
1) a vida eterna é possível?

Sim!

2) a vida eterna é necessária?

Sim!

3) existe vida depois da morte?

Sim!

4) de que tipo é essa vida?

Espiritual!


Pessoalmente, acredito que todo organismo vivo acaba por morrer algum dia, seja uma bactéria, ser humano, tartaruga gigante ou sequoia. Talvez aquela história da telomerase explique melhor. Da mesma forma, muita coisa importante tem duração finita (educar uma criança, fazer uma faculdade, namorar, participar de uma campanha eleitoral), portanto a vida humana NÃO PRECISA ser eterna para fazer sentido. Talvez devamos permanecer agnósticos acerca da existência da alma.
Contudo, SE existe uma alma, o que acontece depois da morte?Vamos direto para o céu ou para o inferno?Ficamos em modo "stand by" esperando o Dia do Juízo?Ou entramos num infinito ciclo de mortes e renascimentos? Acredito que as religiões tradiconais NÃO TÊM a resposta, e nem a doutria espírita...

Efetivamente todo organismo vivo morre. Mas no caso do homem existe o espírito que é imortal!

Na verdade não entendo bem as religiões católica e evangélica pois me parece que eles acreditam que o espírito é independente do corpo. Quando morremos o espírito é punido pelo mal que o corpo praticou.

Na DE aprendemos que somos espíritos encarnados ou desencarnados. Quando morremos, na qualidade de espírito e sendo responsável por todos nossos atos, temos oportunidade de avaliar melhor onde fracassamos ou acertamos porque fora da matéria temos mais sutileza de julgamento dos nossos atos. Não vamos para o céu ou inferno, mas ficamos aguardando oportunidade para nova encarnação.

Se consideramos que o espírito é imortal, infinito também é o ciclo de mortes e reencarnação, porquanto nunca aprendemos tudo ainda que tendo oportunidade de muitas vidas. Porém, quando o espírito se torna elevado ele pode continuar atuando sem a necessidade de encarnar.


·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Entre o bem e o mal há um leque de opções, um mar para navegar, atuar. Isso só é válido no domínio das limitações. O bem e o mal só existem onde há limitações.

Eu posso não gostar da forma que escolhi atuar, posso, mesmo tendo escolhido, a coisa toda se torna meio que imprevisível. Há outras atuações entrelaçadas e isso leva à muitos outros resultados sensoriais.

Até aí, concordo com tudo.
Marcio disse: Eu não sei, acho que nessa altura do meu viver acabei descobrindo que as coisas na verdade não são tão complicadas, cansei de raciocinar difícil. A simplicidade é tão escancarada que singularmente acaba passando desapercebida para quem acha que deve ser complicado.

Não procuro respostas complicadas. Sou o tipo de cara que não gosta de mistificações, esoterismos, gnosticismos, iniciados, ascensionados (independente do número de raios), chamas brancas e violetas, etc. Já escapei de mais escolas iniciáticas do que posso lembrar. Convites nunca faltaram. Essas coisas me dão alergia. Não consigo ser mais simples do que isso. No entanto, como eu disse, a resposta simples nem sempre é a verdadeira, e não cabe a mim fazer escolhas. Isso é prerrogativa de crentes.

Dou um passo de cada vez e, se o próximo passo me parecer difícil, não posso mudar o que preciso fazer, posso apenas mudar minha atitude e aceitação. Se eu escolher a resposta mais simples, a mais agradável, ou a mais complexa e desafiadora, estarei fazendo exatamente isso: escolhendo. Não posso comprometer meu aprendizado, criaturizando o processo.
Marcio disse: A configuração do universo só serve à quem vai atuar nele. Um deus maior, com a maior e melhor mente, pode ficar fora dessa equação. Percebemos sim que há uma gama de mentes individuais. Mas nenhuma que possa ser a mente de todas as mentes. Ela é desnecessária por se encerrar em si mesma.

Duas coisas: 1 – Não perceber a existência dessa “mente maior” pode significar qualquer coisa, até mesmo que nossa percepção é precária. Mas não obsta sua existência. 2 – O conhecimento exigido para determinarmos a necessidade ou não dessa mente, não está ao nosso alcance. Mesmo você, que já demonstrou sua capacidade cognitiva, não tem esse conhecimento. Nós, mentes menores, podemos brincar com as possibilidades, mas não podemos enxergar todas as variáveis possíveis, a ponto de eliminar essa ou aquela configuração.
Marcio disse: Seu teísmo é fruto da sua procura, da sua atuação. A resposta mais complicada é a mesma que a mais simples, só está encoberta por devaneios em demasia.

Repetindo, eu não procuro por respostas complicadas, mesmo que as encontre, vez ou outra. Entenda, Marcio, eu não faço escolhas. Não aprovo a atitude crente, ao escolher respostas confortadoras, por que iria agir exatamente assim, e escolher as mais simples? Você está me julgando precipitadamente, principalmente quanto aos devaneios.
Marcio disse: Acho que a resposta mais precisa está dentro de você mesmo. O resto é cenário, papel de fundo, outras atuações.
Eu parei de procurar lá fora, agora me voltei para mim mesmo, e gosto do que estou descobrindo.

Então, agora, estamos falando o mesmo idioma. Continue...
Marcio disse: Eu quis dizer que não parece haver uma "mão" divina atuando no curso do universo, independente de haver ou não uma consciência para percebe-lo. As ditas leis e regras mecânicas universais atuam por sí só. Nós só escolhemos estar no meio disso tudo. Não por razões e imposições de outrem, mas por nós mesmos.

Como possibilidade, eu aceito. Mas não se trata de uma verdade conhecida. O que parece ser uma resposta simples, traz consigo uma infinidade de implicações. Pense em todas as configurações necessárias para tornar esse cenário possível, e me diga se encontrou alguma “simples”. Não basta encontrar a simplicidade para uma única resposta e desconsiderar todas as outras, que viriam em sua esteira. Pense sobre essas mentes menores, sua origem, sua existência, como se organizaram, como fazem suas escolhas, por que as fazem, como gerenciam todo o processo, como interagem com outros seres viventes, elas aprendem? Evoluem? Então são incompletas? Se não são, por que precisam experimentar?

Posso passar o resto da noite elaborando perguntas. Isso não é necessidade de complicar, é necessidade de aprender. Quando procuro entender minha própria existência e a existência de Deus, não me contento com emplastos e tento não me distrair. Dou um passo de cada vez, como já dito, mas o próximo passo jamais deixará de ser um objetivo.
Marcio disse: Veja que eu estou querendo justamente dizer que estamos aqui porque em algum momento de nossas existências escolhemos estar, nós optamos por viver essas limitações com o simples e elegante propósito de podermos sentir.

Novamente, plausível. Mas isso não explica quem somos nós. Certamente não somos os personagens criados para o propósito de experimentar. Então, a resposta simples, talvez elegante, continua incompleta. Não é apenas uma bobagem que possamos ignorar, mas a maior de todas questões nessa hipótese que você formulou. Quem está escolhendo? Quem está experimentando?
Marcio disse: Eu estou querendo dizer que não houve imposições de nenhum deus ou ordenador maior, uma mente assim não deve existir pelo simples fato de que num domínio de mentes eternas não faz sentido que uma em particular consiga ter o domínio das outras.

Não faz sentido para quem? Para a mente menor? E o que ela toma por lógico é suficiente para medir o todo?
Marcio disse: É opção, sempre será, cada mente é dona de si e nenhuma outra mente tem a capacidade de impor nada à outra, isso do ponto de vista do domínio puro das mentes.

O domínio puro das mentes, a despeito de todas as interrogações que produz, não é, repito, uma verdade conhecida. Pode ser uma teoria coerente, algo a se examinar, mas não algo que possa ser tomado como uma verdade absoluta, a não ser que você tenha visto algo que eu ainda não vislumbrei nem a sombra. Também uma possibilidade.
Marcio disse: Sobre os deuses que intuímos? Bem, eles também fazem parte da encenação! Cada encenação em grupo gera uma espécie de cultura local com todas as suas características.

Pensamento ateu. Certo ou errado, já o ouvi sob diversas roupagens. Se você me permite, vou me abster de entrar nesse assunto. Não obstante meu respeito por você, esse é um tema com o qual já gastei muitas páginas, debatendo com outros colegas neste fórum. Não tenho mais ânimo para falar sobre isso.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Faça uma experiência mental. Tente imaginar sua mente sem seu corpo, sem os sentidos, sem os inputs, só a mente e mais nada. Sem respiração, sem calor, frio, dor, sem uma coceirinha sequer.
Eu fiz isso, é bastante aterrador, eu desejei voltar rapidinho à minha máquina geradora de sensações.

Marcio, eu faço experimentos desde a mais remota infância. Antes de saber que eu era gente, já brincava com minha mente. Isso que você fez é excelente. Não importa se é aterrador, continue...
Marcio disse: Agora, eu imagino que vocês (Sybok e Ayyavazhi) acreditam que as mentes são meros processos físicos que ocorrem no corpo mortal que está interagindo num universo, tudo fruto de um criador com algum propósito obscuro, inalcançável à nossa capacidade racional.

Essa definição de mente é mais apropriada a um materialista (no bom sentido), com seus conceitos de sinapses e processos eletroquímicos. A parte física da mente, o cérebro, é a tela em branco onde a arte é produzida. Ele não contém a mente, apenas permite sua manifestação. Quanto aos propósitos inalcançáveis à nossa capacidade racional, você não é o primeiro e nem será o último a tratar isso como crença. É um direito que nunca vou lhe negar.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Azathoth disse: Elas são a conseqüência da própria natureza dos Espíritos que, quando falam, não sabem as coisas senão em razão de seu adiantamento, e das quais alguns podem saber menos que certos homens.

Isso é o que se pode chamar de notícia bombástica. Eu jamais poderia imaginar...
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Azathoth disse: 2) a vida eterna é necessária?
DeiseGarcia disse: Sim!

Por que?


·  Marcio Membro
julho 2013 0
DeiseGarcia disse: Porém, quando o espírito se torna elevado ele pode continuar atuando sem a necessidade de encarnar.

Quando todos os espíritos se tornarem elevados, eles vão fazer o que exatamente?
·  1500 Comentários sorted by Votes Date Added
·  Marcio Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Não procuro respostas complicadas. Sou o tipo de cara que não gosta de mistificações, esoterismos, gnosticismos, iniciados, ascensionados (independente do número de raios), chamas brancas e violetas, etc. Já escapei de mais escolas iniciáticas do que posso lembrar. Convites nunca faltaram. Essas coisas me dão alergia. Não consigo ser mais simples do que isso.

Idem!
Ayyavazhi disse: No entanto, como eu disse, a resposta simples nem sempre é a verdadeira, e não cabe a mim fazer escolhas. Isso é prerrogativa de crentes.

Todas as coisas são construídas a partir de bases simples. Quando nos aprofundamos vamos nos aproximando automaticamente dessas bases. É um fluir inexorável para quem não se desvia do fluxo, não fazendo escolhas que são apenas desvios.


Ayyavazhi disse: Dou um passo de cada vez e, se o próximo passo me parecer difícil, não posso mudar o que preciso fazer, posso apenas mudar minha atitude e aceitação. Se eu escolher a resposta mais simples, a mais agradável, ou a mais complexa e desafiadora, estarei fazendo exatamente isso: escolhendo. Não posso comprometer meu aprendizado, criaturizando o processo.

É como se deixar levar pelo fluxo, as respostas devem vir encadeadas, umas se encaixam nas outras.
Eu não quis dizer que escolhi as respostas simples, ou as complicadas, eu apenas percebí que as simples parecem ser as mais fáceis de compreensão, sem ruídos desnecessários.
No meu caso elas estão fluindo, não são escolhas minhas (enquanto ser humano inserido num cenário social) por empatia.
Eu não penso que é um aprendizado, é só uma constatação daquilo que sou, e por tabela, do que somos.
Ayyavazhi disse: Duas coisas: 1 – Não perceber a existência dessa “mente maior” pode significar qualquer coisa, até mesmo que nossa percepção é precária. Mas não obsta sua existência.

Há uma razão bem sólida para não haver uma "mente maior" (Uso a palavra mente, semelhante a mente cerebral, por falta de outra que possa descrever com precisão aquilo que cada um de nós é no domínio mais fundamental), a mente fundamental não pode ser quantificada, nenhuma pode ter poder sobre a outra, a não ser no domínio das configurações do cenário.
Ayyavazhi disse: 2 – O conhecimento exigido para determinarmos a necessidade ou não dessa mente, não está ao nosso alcance. Mesmo você, que já demonstrou sua capacidade cognitiva, não tem esse conhecimento. Nós, mentes menores, podemos brincar com as possibilidades, mas não podemos enxergar todas as variáveis possíveis, a ponto de eliminar essa ou aquela configuração.

Aí é que está. Enquanto mente fundamental, eu SEI exatamente o que sou. No cenário esse conhecimento está "desligado" para que minha escolha seja satisfeita.
A necessidade maior de todos nós é bem definida, e é a razão de estarmos nesse estado no cenário corrente.
Veja que essa necessidade é decorrente de uma propriedade primal da existência fundamental, a eternidade.
Veja que nesse caso, existência e eternidade são sinônimos.
Ayyavazhi disse: Repetindo, eu não procuro por respostas complicadas, mesmo que as encontre, vez ou outra. Entenda, Marcio, eu não faço escolhas. Não aprovo a atitude crente, ao escolher respostas confortadoras, por que iria agir exatamente assim, e escolher as mais simples? Você está me julgando precipitadamente, principalmente quanto aos devaneios.

Quando me referí ao teísmo seu, não o relacionei a nenhum dos deuses intuídos exclusivamente à partir do cenário onde atuamos. Nenhum desses deuses sequer chega perto de explicar minimamente o que há por trás da "cortina".
A palavra "deus" e sua definição não se presta para conceituar aquilo que eu gostaria de explicar.
Ainda assim eu acho que talvez sua interpretação da realidade esteja "contaminada" um bocadinho pelo conceito genérico da palavra "deus".
Eu não atribuí os devaneios à você em particular. Só quis dizer que eles apenas complicam algo que na verdade pode ser bem simples.
Ayyavazhi disse: Pense sobre essas mentes menores, sua origem, sua existência, como se organizaram, como fazem suas escolhas, por que as fazem, como gerenciam todo o processo, como interagem com outros seres viventes, elas aprendem? Evoluem? Então são incompletas? Se não são, por que precisam experimentar?

Acho que não há "mentes menores", porque justamente não há uma "mente maior". Isso que eu estou tentando explicar.
Não há uma origem, são eternas, são existências. E elas só querem "fugir" da eternidade criando a ilusão da efemeridade. Pense nas implicações disso e verá que tudo se encaixa.
Ayyavazhi disse: Quando procuro entender minha própria existência e a existência de Deus ...

Ambos não são a mesma coisa? (esqueça aqui o conceito usual da palavra "deus", por favor!)
Se entendendo, automaticamente entenderá a existência.
Ayyavazhi disse: Novamente, plausível. Mas isso não explica quem somos nós. Certamente não somos os personagens criados para o propósito de experimentar. Então, a resposta simples, talvez elegante, continua incompleta. Não é apenas uma bobagem que possamos ignorar, mas a maior de todas questões nessa hipótese que você formulou. Quem está escolhendo? Quem está experimentando?

Mas a resposta é tão óbvia de tão simples que é.
Nós e nós.
Por que? Pra "fugir" da eternidade que nos é inerente enquanto existências.
Ayyavazhi disse: Não faz sentido para quem? Para a mente menor? E o que ela toma por lógico é suficiente para medir o todo?

Só há mentes existentes. Não se pode quantifica-las.


Ayyavazhi disse: O domínio puro das mentes, a despeito de todas as interrogações que produz, não é, repito, uma verdade conhecida. Pode ser uma teoria coerente, algo a se examinar, mas não algo que possa ser tomado como uma verdade absoluta, a não ser que você tenha visto algo que eu ainda não vislumbrei nem a sombra. Também uma possibilidade.

Olha! Na verdade, eu posso estar apenas criando uma explicação para me satisfazer, ainda que não seja o mais lindo dos cenários. Pode ser apenas uma ilusão minha, assim como quaisquer outras de qualquer pessoa desse planeta.
Mas o que eu vislumbrei é que isso não tem a menor importância, pois na minha hipótese isso também é suportado. Já que nesse domínio onde vivemos, tudo é ilusão, encenação.
Nunca nenhuma mente será capaz de provar indubitavelmente às outras que a sua hipótese é a verdadeira. A dúvida aqui faz parte do jogo, também.
Ayyavazhi disse: Pensamento ateu. Certo ou errado, já o ouvi sob diversas roupagens. Se você me permite, vou me abster de entrar nesse assunto. Não obstante meu respeito por você, esse é um tema com o qual já gastei muitas páginas, debatendo com outros colegas neste fórum. Não tenho mais ânimo para falar sobre isso.

Os deuses que mencionei são os cantados em prosas e versos pelas várias sociedades e que geraram e geram toda uma gama de crenças. Esses fazem parte do cenário apenas.
Ayyavazhi disse: Marcio, eu faço experimentos desde a mais remota infância. Antes de saber que eu era gente, já brincava com minha mente. Isso que você fez é excelente. Não importa se é aterrador, continue...

É bastante aterrador se imaginar sem os sentidos, sem o corpo, sem os inputs. A mente apenas é a coisa mais solitária que consigo imaginar. Pense como deve ser isso pela eternidade.
Por isso é que os outros domínios existem.
Ayyavazhi disse: Essa definição de mente é mais apropriada a um materialista (no bom sentido), com seus conceitos de sinapses e processos eletroquímicos. A parte física da mente, o cérebro, é a tela em branco onde a arte é produzida. Ele não contém a mente, apenas permite sua manifestação. Quanto aos propósitos inalcançáveis à nossa capacidade racional, você não é o primeiro e nem será o último a tratar isso como crença. É um direito que nunca vou lhe negar.

Olha! A palavra "mente" para mim se refere à uma existência que sente, que é e sabe que é. E como tal, precisa "habitar" uma configuração orgânica para poder ter as sensações num cenário que possui limitações que propiciem as tais.

Há dois elementos distintos aí, porém inseparáveis: A mente e o suporte.
A mente modula o suporte.


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:06

...
Post edited by Marcio on julho 2013
·  Marcio Membro
julho 2013 0
sybok disse: Pois é Marcio, na verdade a existência em si é aterradora, especialmente quando eterna.

É absolutamente aterradora porque é uma solidão eterna.
Pense na existência apenas como mente, sem nenhum input vindo dos sentidos que há na máquina orgânica transitando num cenário de possibilidades sensoriais.
sybok disse: Vamos supor por um instante que Deus se fragmentou em muitas consciências e que de certo modo somos ele, então nós, consciências menores, não lembramos da escolha que fizemos de dos fragmentar e experienciar a vida como num jogo de RPG onde toda a realidade é "relativa", e somos interpretes brincando no palco da vida.

A necessidade de estar no cenário não é brincar exatamente. É a única forma que as mentes tem para sentirem, para interagirem. Para acabar com a solidão eterna aterradora.
sybok disse: Do nosso ponto de vista isso não muda muita coisa, só nos faz menos reais do que gostamos de nos imaginar, mas a personagem não tem opção, não tem escolha real de estar aqui numa realidade já com regras definidas.

Apenas uma mente solitária não tem escolhas. Quando ela se insere numa realidade que lhe dá inputs sensoriais e pode interagir dentro de um cenário que lhe dá certas possibilidades, seria como uma libertação da cruel realidade da existência eterna solitária.

Veja que são justamente as regras limitantes que fixam um dos possíveis cenários.
Coisas ilimitadas não parecem ser capazes de fixar bons cenários sensoriais.
sybok disse: A verdade Márcio, é que se você forçar bem o raciocínio para viajar na maionese sobre o tema, como fez imaginando como seria viver sem sentir, vai descobrir que a eternidade é muito tempo, e, para nossas mentes, não parece existir nenhum tipo de existência realmente aceitável.

Pois é isso. Ser apenas uma mente, sem as possibilidades que geram inputs sensoriais, pela eternidade, é algo que me parece inaceitável, sem nenhuma dinâmica, é como estar "morto" e mesmo assim existindo.
sybok disse: Pelo menos eu já viajei na maionese muito tempo pensando sobre isso e não consegui encontrar nenhum tipo de existência suportável e que não se mostre "aterradora" em algum nível, especialmente quando procuramos ater nosso raciocínio em imaginar com base naquilo que já podemos ver hoje e sem negar o que existe ao nosso redor.

Mas a existência se torna suportável exatamente no nosso nível de percepção, no domínio do cenário onde estamos inseridos, seguindo absorvendo dados sensoriais e também gerando-os.
sybok disse: Viver eternamente "esquecendo" quem fomos no passado, vivendo vidas momentâneas de "personagens" é uma visão terrível para mim, assim como é imaginar uma eternidade lembrando da minha mãe que provavelmente nunca mais verei, ou de tantas pessoas com quem compartilhamos momentos mas que na eternidade inevitavelmente se vão pra longe de nós.

Entre as duas, quais você escolheria "viver"?
No nível da percepção da eternidade você saberia que todos os seres com quem interagiu em um dos seus "atos" eram também mentes atuando.
Nesse domínio mais fundamental você ficaria só de novo, você e suas lembranças sensoriais.
Acho que iria querer voltar para outro "ato", em outra parte do cenário, ou em outro cenário.
sybok disse: Não posso imaginar uma vida de prazeres eternos, ou uma vida eterna seja lá como for. Esquecer também não soluciona o problema, só me torna um drogado meio morto, que vive certos momentos e morre em seguida, despertando meio sonolento em outro personagem, como quando transito de sonho em sonho durante a noite.

A analogia não está muito correta.
Mentes por essência se alimentam de informações, onde elas poderiam se alimentar senão num cenário que é capaz de gerar dados sensoriais?
sybok disse: Justamente por isso acredito que parte do nosso processo seja de aprendizado sobre como viver, para remover o desnecessário e nos obrigar a aceitar o inevitável.

Depois que aprendemos e aceitamos o inevitável o dinamismo se encerra?
Isso remete à finitude de possibilidades e nos lança de novo num domínio eterno de nada para sentir, ou ser.
sybok disse: Depois de muito pensar e pastar, cheguei a conclusão de que definitivamente não estamos prontos para a vida, nossas mentes são grandes o suficiente para enxergar dilemas grandiosos sobre a vida, mas muito pequenas para poder solucionar esses dilemas.
Isso me leva a achar que só com uma mente diferente da nossa o problema pode se resolver.

Veja que quando a mente começa a chegar perto do grande dilema, de solucionar o grande dilema, ela deveria se "calar". Pois isso quebraria o encanto, e ela teria que retornar ao "casulo".
Isso é pessoal, é algo consigo mesmo.
A maioria das outras mentes gostam de estar inseridas no cenário gerador de possibilidades, ninguém quer que o encanto se quebre pois escolheram estar nele.
A defesa é a dúvida que sempre fica por mais bem construída que tenha sido a hipótese para o grande dilema da existência.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Marcio disse: Pois é Edson. Agora quem garante à você, sem nenhuma penumbra de dúvidas que esse deus que lhe tem empatia não é uma mente ardilosa que sabe como lhe conquistar a alma, sua liberdade?
Lembra da pergunta que lhe fiz acima?
O ateísmo é uma consequência em mim, não uma militância sistemática.

Sim é uma possibilidade que eu esteja sendo enganado,daí a eu desconsiderar as provas que ele me deu as tratando como como falsas ou não existentes vai muita distância.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Fernando_Silva disse: Ele pode ter lhe provado que existe e que é o deus cristão, mas ... confirmou que a Bíblia está valendo? Toda ela? E lhe disse qual a interpretação correta em cada caso?

Tudo bem, do seu ponto de vista, o deus cristão está confirmado, mas o que você vai fazer a respeito quando surgirem dúvidas e controvérsias? Esse deus vai lhe aparecer a cada vez para lhe orientar?

Para explicar, por exemplo, por que ele cria tanta gente que ele já sabe que vai para o inferno? Só porque não tem fé?

A respeito da Bíblia já me mostrou muitas coisas,outras ainda não.
Sim,Deus já me orientou muitas vezes, falando em meu coração e muitas vezes apontando a Bíblia .
Quanto a ele já saber é uma situação complicada sim, muito complicada .
Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Fernando_Silva disse: O deus que se manifestou a você apresentou algum atestado ou documento de identidade para provar que era quem ele dizia ser?
 
Azathoth disse: Exato!
Existem tantas religiões diferentes, com visões diferentes de Deus, céu e inferno, ordenação de mulheres e etc. Qual dessas é a verdadeira?

Como já disse o Deus que se apresentou pra mim foi Jesus, se outro ser está se fingindo de Jesus já falei a respeito
Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Iludir a si mesmo não é crime, Emmcri. Portanto, use e abuse do seu direito de fazer isso. Mas, em um debate, tenha a preocupação de não empregar argumentos que anulem seus próprios argumentos. Se eu não sou Deus, você também não é. Se eu não posso dizer que ninguém irá para o inferno, você também não pode dizer o contrário.

Será o Benedito ?
Eu não estou debatendo, já falei que estou trocando experiências,você fala das suas e eu das minhas e é só isso. Não estou se quer debatendo se Deus existe ou não , na verdade ao observar as coisas como elas acontecem eu sou quase um ateu. O que sustenta minha fé são acontecimentos na minha vida e só isso.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: E onde foi que eu falei em mais alguém, além de você? De onde foi que você tirou isso?

Do fato de você estar em um fórum.
Ayyavazhi disse
É óbvio que essas ideias são válidas para você e era com você que eu estava falando. Não me lembro de ter arrolado a congregação inteira. Já me considero por demais pretensioso debatendo com UM crente. Coloquemos uma pedra no assunto. Não há nada aqui que nos sirva.


Ok.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: A cultura é determinante. Mas se você não está pronto para aceitar algo tão evidente, eu não estou pronto para esta conversa. O pouco que já falei, basta (para mim). Quanto à vidência, ela só é necessária onde a observação não pode perscrutar. Não foi preciso vidência, por exemplo, para fazer a ressalva que fiz, na primeira postagem: “Eu sei que é insensatez continuar”. Viu? Um pouco de experiência nos dá certezas antes só creditadas às cartas e bolas de cristal.

Encerro meus argumentos. Continuar, deixou de ser mera insensatez...

Cara...resumindo... eu só acredito em Deus,por experiências da vida,se você quer debater procure outra pessoa, pois o que posso compartilhar são experiências pessoais e sei que só servem para mim, não provam nada para outros.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Espero que fique claro pra todos que eu não acho o ateísmo uma coisa irracional como muitos Teístas , ao contrário considero demasiadamente racional o ateísmo.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse

Crer ou não em Deus, não tem nenhuma relação em crer em interpretações bíblicas especificas, como a de que Jesus Cristo É Deus e que ele é o ÚNICO caminho e que quem não crer nele vai ser atirado ao inferno.






Concordo 100% há quem consiga interpretar na Bíblia que todo crente tem que ser rico , ou o contrário pobre ,ou tantos raios mais de interpretação , a Bíblia é um livro e está aberto a várias interpretações.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Quando todos os espíritos se tornarem elevados, eles vão fazer o que exatamente?

Para o alto e avante sempre
Ayya disse: Não posso comprometer meu aprendizado, criaturizando o processo.

ta patolando ? timidez não abre portas.
Marcio disse: Aí é que está. Enquanto mente fundamental, eu SEI exatamente o que sou.

e voce seria exatamente o que ?
Marcio disse: Não há uma origem, são eternas, são existências. E elas só querem "fugir" da eternidade criando a ilusão da efemeridade. Pense nas implicações disso e verá que tudo se encaixa.

ateismo ?
Marcio disse: Ayyavazhi disse: Novamente, plausível. Mas isso não explica quem somos nós. Certamente não somos os personagens criados para o propósito de experimentar.

é o que tudo indica.
Marcio disse: Nunca nenhuma mente será capaz de provar indubitavelmente às outras que a sua hipótese é a verdadeira. A dúvida aqui faz parte do jogo, também.

precisamos conversar a respeito de convicção.
Marcio disse:
Olha! A palavra "mente" para mim se refere à uma existência que sente, que é e sabe que é. E como tal, precisa "habitar" uma configuração orgânica para poder ter as sensações num cenário que possui limitações que propiciem as tais.

alma ?

desculpe-me por ter pego o bonde andando,mas voce ja postou sua teoria ? estes comentários são referentes a sua hipótese ?
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
DeiseGarcia disse: sybok disse: Pois é Deise, quando isso é encarado assim, a teoria é "plausível", infelizmente a maioria dos espiritas faz uma leitura diferente desses conceitos e tenta colocar em tudo um conceito de perfeição e justiça infalível, onde Deu não permite que nada "injusto" como uma criança sendo estuprada, possa existir.
Espiritas então passam a afirmar que tudo o que ocorre com essas crianças é "justo", pois elas numa vida passada fizeram algo terrível para merecer isso e agora estão somente pagando pelo próprio crime.

Todo o debate foi travado para demonstrar que essa leitura de espiritas como o Criaturo, que insistem em culpar a vitima, não é plausível e se choca entre outras coisas, com o livre arbítrio.

eu disse que Deus criou a vida e a mantem sob regime de liberdade, assim quem procura pela pratica de justiças são sua criaturas e não Deus, isto explica as injustiças.
Azathoth disse: portanto a vida humana NÃO PRECISA ser eterna para fazer sentido. Talvez devamos permanecer agnósticos acerca da existência da alma.

viver a espera de uma breve inexistência é que tira o sentido de se viver, mas concordo que algumas coisas devem continuar sendo ocultas provisoriamente.
Azathoth disse: Contudo, SE existe uma alma, o que acontece depois da morte?Vamos direto para o céu ou para o inferno?Ficamos em modo "stand by" esperando o Dia do Juízo?Ou entramos num infinito ciclo de mortes e renascimentos? Acredito que as religiões tradiconais NÃO TÊM a resposta, e nem a doutria espírita...

na transição a conscientização varia conforme as pessoas rapido para uns e mais lenta para outros, como disse Jesus onde estiver o seu coração estará tambem o seu tesouro, consciências tranquilas ficarão em paz e as culpadas atormentadas pelo remorso, quem cultivou amigos colhera amizade, quem cultivou inimigos colherá inimizades.
a continuação da vida não opera milagres lagrimas e sorrisos serão eternos.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: E se a sua opinião estiver errada?

Significa que ela esta errada. É uma hipótese sim,embora eu não creia nela.
sybok disse:
Quem disse que a experiencia deles não pode ser tão real quanto a sua?
Não tenho nada a dizer sobre experiência dos outros.
sybok disse: O seu primeiro erro é confundir Cristo com Deus.
Cristo dizia ser "um" com Deus, mas a unidade de que Cristo trata é outra e nela também orava para que todos nós pudéssemos nos tornar "um" com ele:

Meu erro ??? Porque a sua interpretação é que é a correta ???
Arrogante isso amigo.
Na minha interpretação e repito minha interpretação , ele foi morto justamente por ter dito ser Deus .Falaram mostra-nos o Pai que nos basta e ele respondeu quem vê a mim vê o Pai, os Judeus o condenaram também por isso.
sybok disse: Krishna era "um" com Deus, assim como Siddhartha Gautama "Buda", Lao Tsé e Jesus Cristo eram "um" com Deus, sendo os ensinamentos de TODOS ELES, receitas sobre como TODOS NÓS podemos igualmente nos tornar "um" com Deus, como Cristo desejava.

Isso é a sua fé e eu respeito embora discorde.
sybok disse: Você já parou pra pensar que embora Deus exista, as suas ideias religiosas sobre quem ele é e sobre como chegar a ele, possam estar incorretas?

Sim.
sybok disse: Já parou para pensar que Krishna e Cristo falam sobre o MESMO Deus e eram "um" com o MESMO Deus, ambos apresentando o caminho de como chegar até ele?

Isso é a sua fé e eu respeito embora discorde.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Azathoth disse: 0 AzathothAzathoth julho 19 Denunciar
Postagens: 425Membro

Fernando_Silva disse: O deus que se manifestou a você apresentou algum atestado ou documento de identidade para provar que era quem ele dizia ser?


Exato!
Existem tantas religiões diferentes, com visões diferentes de Deus, céu e inferno, ordenação de mulheres e etc. Qual dessas é a verdadeira?

O Deus que se mostrou a mim se mostrou em uma igreja evangélica e também atravéz da Bíblia , impossível achar que é outro Deus, seja ele Buba ,thor,zeus, exu, etc..
Se pode ser um me enganando como já disse, é uma possibilidade na qual não creio.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 0
sybok disse: Leia novamente o que o Ayyavazhi disse e vai perceber que ele não contesta a sua experiencia, nem diz que sua fé se baseia em um livro, ele somente te diz que Deus existir e isso ter ficado provado para você por uma experiencia, só te prova a existência de Deus, não o resto das crenças que você carrega sobre ele, sobre a biblia ou sobre outros livros sagrados.

Como já disse minha experiência foi dentro de uma igreja evangélica e tendo como sustentação a Bíblia, interpretar que foi outro Deus , não teria lógica.
·  Azathoth Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Como já disse minha experiência foi dentro de uma igreja evangélica e tendo como sustentação a Bíblia, interpretar que foi outro Deus , não teria lógica.

Emmcri,

Sua experiência pessoal com Deus, em uma igreja cristã, consolidou a fé neste Deus cristão. Se você tivesse nascido no Afeganistão, e fosse muçulmano, provavelmente sua experiência pessoal com Alá, numa mesquita, consolidaria sua fé, do mesmo modo que seria caso você nacesse em Israel e tivesse uma experiência pessoal com D'us numa sinagoga. As diferentes culturas e civilizações me levam a crer que NÃO foi eus quem criou o homem à Sua imagem e semelhança, ms que o homem criou Deus. Para mim, Deus é um fenômeno sociocultural, como a música, a pintura, a escultura, a filosofia e etc. NÃO é a verdade absoluta e muito menos o Criador do universo. Só nos resta respeitar a sua posição pessoal, sem no entanto considerá-la como prova CABAL da existência de um Deus e de que nós, ateus, estamos todos errados.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Azathoth disse: Emmcri,

Sua experiência pessoal com Deus, em uma igreja cristã, consolidou a fé neste Deus cristão. Se você tivesse nascido no Afeganistão, e fosse muçulmano, provavelmente sua experiência pessoal com Alá, numa mesquita, consolidaria sua fé, do mesmo modo que seria caso você nacesse em Israel e tivesse uma experiência pessoal com D'us numa sinagoga. As diferentes culturas e civilizações me levam a crer que NÃO foi eus quem criou o homem à Sua imagem e semelhança, ms que o homem criou Deus. Para mim, Deus é um fenômeno sociocultural, como a música, a pintura, a escultura, a filosofia e etc. NÃO é a verdade absoluta e muito menos o Criador do universo. Só nos resta respeitar a sua posição pessoal, sem no entanto considerá-la como prova CABAL da existência de um Deus e de que nós, ateus, estamos todos errados.

Quase nada a acrescentar em seu sóbrio comentário , só destaco que estive em templos católicos,espíritas,budistas,universlistas,espiritualistas,etc.. e não tive contato com Deus nenhum.
Mas contunua não sendo prova nenhuma a não ser para mim.
E respeito tremendamente a sua posição ateísta , como já disse é racional.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  Marcio Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Sim é uma possibilidade que eu esteja sendo enganado,daí a eu desconsiderar as provas que ele me deu as tratando como como falsas ou não existentes vai muita distância.

O ardil está em lhe dar provas convincentes. Ele "ferra" com sua vida de um jeito sutil, o suficiente para você clamar por ajuda, aí ele lhe ajuda um pouco e ...!

Não seria mais prudente manter uma segura distância dessas coisa obscuras?
Por precaução não se deveria compactuar com seres mais poderosos que nós. Se puder-se fazer isso, claro.

Bobagens minhas Edson! Esquece.
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
emmcri disse: Concordo 100% há quem consiga interpretar na Bíblia que todo crente tem que ser rico , ou o contrário pobre ,ou tantos raios mais de interpretação , a Bíblia é um livro e está aberto a várias interpretações.
Que valor tem um livro que pode ser interpretado do jeito que cada um quiser, levando a "certezas" opostas e excludentes?
·  Marcio Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: Marcio disse: Quando todos os espíritos se tornarem elevados, eles vão fazer o que exatamente?




Para o alto e avante sempre

Quando se chega ao topo faz-se o que? Desce?
CRIATURO disse: e voce seria exatamente o que ?

Ué!? Eu sou eu! "Penso, logo existo!"
CRIATURO disse: Marcio disse: Não há uma origem, são eternas, são existências. E elas só querem "fugir" da eternidade criando a ilusão da efemeridade. Pense nas implicações disso e verá que tudo se encaixa.




ateismo ?

Ou teísmo, qualquer coisa para ter a ilusão da efemeridade.
CRIATURO disse: Marcio disse: Ayyavazhi disse: Novamente, plausível. Mas isso não explica quem somos nós. Certamente não somos os personagens criados para o propósito de experimentar.





é o que tudo indica.

Acho que aqui, no domínio das possibilidades, somos personagens experimentando, sentindo.
CRIATURO disse: Marcio disse: Nunca nenhuma mente será capaz de provar indubitavelmente às outras que a sua hipótese é a verdadeira. A dúvida aqui faz parte do jogo, também.





precisamos conversar a respeito de convicção.

Você acredita sem sombras de dúvidas na minha hipótese?


CRIATURO disse: Marcio disse:
Olha! A palavra "mente" para mim se refere à uma existência que sente, que é e sabe que é. E como tal, precisa "habitar" uma configuração orgânica para poder ter as sensações num cenário que possui limitações que propiciem as tais.




alma ?

Dê o nome que quiser! Mas procure entender o que significa.
CRIATURO disse: desculpe-me por ter pego o bonde andando,mas voce ja postou sua teoria ? estes comentários são referentes a sua hipótese ?

Não postei nada especificamente sobre a minha hipótese. Nem sei se vou fazer isso, na verdade eu sinto que estou divagando demais, saindo fora do fluxo lógico.


·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Quando se chega ao topo faz-se o que? Desce?

não existem um topos nem abismos tudo isso não passa de estágios temporários de consciências.
Marcio disse: Ué!? Eu sou eu! "Penso, logo existo!"

voce é voce uma flor é uma flor mas não foi isso o que eu perguntei e "sinto logo existo!"
Marcio disse: Marcio disse: Não há uma origem, são eternas, são existências. E elas só querem "fugir" da eternidade criando a ilusão da efemeridade. Pense nas implicações disso e verá que tudo se encaixa.


ateismo ?

Ou teísmo, qualquer coisa para ter a ilusão da efemeridade.

e de onde veio essa sua certeza da eternidade das existências ?
Marcio disse: precisamos conversar a respeito de convicção.

Você acredita sem sombras de dúvidas na minha hipótese?

ta maluco? quem precisa ademosntrar ter convicção nela é voce, eu nem entendo direito a sua visão da vida, as vezes voce me parece teísta, embora disfarçado por termos técnicos descreve analogias espiritualizadas quando comento voce desconversa afirmando ser ateu ?
Marcio disse: CRIATURO disse: Marcio disse:
Olha! A palavra "mente" para mim se refere à uma existência que sente, que é e sabe que é. E como tal, precisa "habitar" uma configuração orgânica para poder ter as sensações num cenário que possui limitações que propiciem as tais.

alma ?

Dê o nome que quiser! Mas procure entender o que significa.

não disse ?
Marcio disse: Não postei nada especificamente sobre a minha hipótese. Nem sei se vou fazer isso, na verdade eu sinto que estou divagando demais, saindo fora do fluxo lógico.

não seja um estraga prazeres, meu ego ateu esta louco para poder voltar a se manifestar, da ultima vezes o ayya não aguentou a pressão e espanou diante do meu personagem ateu...he..he..he..he
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Em um universo sem humanos podem existir as mesmas leis, as mesmas regras. Apenas não haveria uma consciência capaz de percebê-las e analisá-las.

sem consciências sem existências, pois algo só pode existir para alguém sem a existência de um único ser consciente o nada torna-se uma realidade.
Post edited by CRIATURO on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse:
sem consciências sem existências, pois algo só pode existir para alguém sem a existência de um único ser consciente o nada torna-se uma realidade.

Não Criaturo, sem consciências não existe PERCEPÇÃO da realidade, mas a realidade continua existindo independente disso.
Coisas não precisam existir PARA ALGUÉM, podem somente existir por si próprias independente de não serem percebidas por ninguém.

Como já foi dito, você está mudando o significado da palavra existência.
·  Azathoth Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: Não Criaturo, sem consciências não existe PERCEPÇÃO da realidade, mas a realidade continua existindo independente disso.
Coisas não precisam existir PARA ALGUÉM, podem somente existir por si próprias independente de não serem percebidas por ninguém.

Exato!

Uma pedra, um iceberg, um pinheiro não têm consciência da própria existência, portanto NÃO EXISTEM? Concordo com o Sybok, as coisas podem existir POR SI PRÓPRIAS, independente da existência de um observador consciente.

Post edited by Azathoth on julho 2013
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:06

·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Marcio disse:
A necessidade de estar no cenário não é brincar exatamente. É a única forma que as mentes tem para sentirem, para interagirem. Para acabar com a solidão eterna aterradora.

Só perceba que sem "inputs" também não existe sentimento de solidão ou medo frente a tal tipo de existência.

Uma consciência sem causa que se percebesse existente, estaria mesmo diante de uma tela em branco na qual poderia desenhar qualquer coisa.
É sempre possivel criticar qualquer desenho feito e questionar a razão de outra coisa não ter sido desenhada, mas a alternativa a critica de qualquer escolha feita, seria manter a tela em branco, só nela existe "liberdade" criativa de fato.

Um Deus desenhando qualquer realidade que seja (ou ainda seres diversos fazendo isso juntos), elimina uma serie de liberdades e traça um cenário e uma peça a ser "encenada" como já definido pelo "autor/diretor".

Entendo no entanto a sua hipótese de ilusão eterna como alternativa a volta do conhecimento do ser solitário e sem sentimentos. Só não acho que para os indivíduos isso seja menos assustador do que a solidão seria para Deus, nem acho que não possam existir alternativas mais sensatas do que a nossa ilusão especifica.
Ou talvez nesse ponto seja como no filme Matrix, onde versões melhores da ilusão, com menos distrações e problemas, não enganavam suficientemente os seres humanos e esses tentavam despertar do "paraíso" falso criado pelas maquinas.

Isso é sempre uma hipótese e eu já imaginei hipóteses diferentes, mas com o mesmo resultado prático.
Só vejo ai o problema na questão de que qualquer sentimento pode ser controlado, um ser forte e dono de si, não se deixa levar por sentimentos, sejam os desejos, seja o medo eu o que for.
Mesmo nós humanos temos que aprender sobre isso, não me parece que uma mente superior a nossa pudesse agir em função de uma necessidade de "fugir" de algo.
Post edited by sybok on julho 2013
·  Marcio Membro
julho 2013 0
sybok disse: Só perceba que sem "inputs" também não existe sentimento de solidão ou medo frente a tal tipo de existência.

Depende do que eu e você entendemos ser uma mente.
Pra mim a mente possui certas propriedades, dentre elas a memória e essencialmente a percepção de si mesma. É um sistema fechado em princípio que se expande ao se conectar com um sistema nervoso cheio de sensores. Sem os inputs vindos do sistema nervoso percebemos que ela fica fechada em si mesma.
sybok disse: Uma consciência sem causa que se percebesse existente, estaria mesmo diante de uma tela em branco na qual poderia desenhar qualquer coisa.
Sim. Concordo em parte. Mas acho que ela talvez não pudesse desenhar. Existem outras mentes e elas compartilham um cenário comum.
De duas uma, ou elas desenharam o cenário em consenso ou o cenário foi desenhado por outro sistema.
sybok disse: É sempre possivel criticar qualquer desenho feito e questionar a razão de outra coisa não ter sido desenhada, mas a alternativa a critica de qualquer escolha feita, seria manter a tela em branco, só nela existe "liberdade" criativa de fato.

Se o desenho foi feito por livre escolha, seja qual for, da forma que se quiser, será sempre fruto de uma liberdade criativa, independente do resultado. A tela em branco é um "nada" apenas.
Mas veja que "desenhar" na tela é "output". "Outputs" geralmente são respostas à "inputs" quer seja internos ou externos.
E ainda há o fato de haverem muitas outras mentes que compartilham um cenário único.
sybok disse: Um Deus desenhando qualquer realidade que seja (ou ainda seres diversos fazendo isso juntos), elimina uma serie de liberdades e traça um cenário e uma peça a ser "encenada" como já definido pelo "autor/diretor".

Não há problemas em se delimitar um cenário. É isso que justamente fixa uma realidade/palco. O sistema define o cenário apenas, na verdade não é como uma peça com tudo definido, todas as falas, todas as ações, isso seria determinismo puro. Não é isso, é como um jogo, as mentes jogam sem seguir um script, elas são livres para atuar dentro dos limites estabelecidos. Isso gera uma gama enorme de sensações.
Você gosta de video-games, quando o usuário mergulha na trama ele praticamente se esquece de quem é e do mundo ao redor. Imagina se o console estivesse conectado ao sistema nervoso e enviasse todas as sensações geradas na ação do personagem.
sybok disse: Entendo no entanto a sua hipótese de ilusão eterna como alternativa a volta do conhecimento do ser solitário e sem sentimentos. Só não acho que para os indivíduos isso seja menos assustador do que a solidão seria para Deus, nem acho que não possam existir alternativas mais sensatas do que a nossa ilusão especifica.
Ou talvez nesse ponto seja como no filme Matrix, onde versões melhores da ilusão, com menos distrações e problemas, não enganavam suficientemente os seres humanos e esses tentavam despertar do "paraíso" falso criado pelas maquinas.

Sem o jogo das ilusões só restaria a mente fechada e suas lembranças como sombras diáfanas e insatisfatórias.
Acho que quando estamos no jogo, nos esquecemos evidentemente do quanto é aterrador (Ou enfadonho mesmo)a realidade sem o jogo. Em certo ponto o jogo também pode se tornar chato e acabamos querendo outra realidade, outra partida em outro cenário. Sei la, as possibilidades são infinitas.
sybok disse: Isso é sempre uma hipótese e eu já imaginei hipóteses diferentes, mas com o mesmo resultado prático.
Só vejo ai o problema na questão de que qualquer sentimento pode ser controlado, um ser forte e dono de si, não se deixa levar por sentimentos, sejam os desejos, seja o medo eu o que for.

Por mais forte que seja a mente, ela não pode fugir dela mesma. Do fato de que sem "inputs" ela não "cresce", não se forma, não tem identidade.
Lembre-se que não são todas as mentes iguais. São personalidades.
sybok disse: Mesmo nós humanos temos que aprender sobre isso, não me parece que uma mente superior a nossa pudesse agir em função de uma necessidade de "fugir" de algo.

Talvez simplesmente não haja uma mente superior.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: Não Criaturo, sem consciências não existe PERCEPÇÃO da realidade, mas a realidade continua existindo independente disso.

exato sem nenhuma percepção, não ha existência.
existência , percepção e consciências estão atreladas.
esta sua lógica humana terminaria junto com a anulação de todas consciências, algo só pode existir para alguém ou para alguma consciência.
me de um exemplo de algo existente que voce não tenha nenhuma consciência ?
Post edited by CRIATURO on julho 2013
·  Marcio Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: não existem um topos nem abismos tudo isso não passa de estágios temporários de consciências.

Ué!? Você vive falando em evolução no sentido de se chegar ao topo da bondade e moral elevada. Quando todas as criaturas chegarem lá, vão fazer o que exatamente, involuir?
CRIATURO disse: voce é voce uma flor é uma flor mas não foi isso o que eu perguntei e "sinto logo existo!"

A única certeza que resta é que eu sou eu, existo, sinto, o restante pode ser só uma ilusão.
CRIATURO disse: e de onde veio essa sua certeza da eternidade das existências ?

A existência é eterna pelo simples fato de existir. As coisas parecem mudar de configuração apenas, a energia sempre se conserva.
Eu gostaria imensamente que a mente consciente pudesse ser eterna também, algo que não se dissolvesse na mudança do cenário.


CRIATURO disse: ta maluco? quem precisa ademosntrar ter convicção nela é voce, eu nem entendo direito a sua visão da vida, as vezes voce me parece teísta, embora disfarçado por termos técnicos descreve analogias espiritualizadas quando comento voce desconversa afirmando ser ateu ?

Eu não acredito que aquilo que eu formulei como hipótese seja verdadeiro, não sem provas. Acredito sim que é uma boa hipótese, e só.
Talvez seja só uma forma de me enganar, uma fuga da efemeridade. O legal é posso estar certo.
Não tenho nada a perder formulando conjecturas.
CRIATURO disse: não disse ?

Hahahahahahahahaha! Alma, espírito. Se a mente for eterna, sobreviver ao holocausto da carne. Poderia ter esses nomes aí, mas nem de longe estaria necessariamente atrelada às doutrinas que criaram tais termos.
CRIATURO disse: não seja um estraga prazeres, meu ego ateu esta louco para poder voltar a se manifestar, da ultima vezes o ayya não aguentou a pressão e espanou diante do meu personagem ateu...he..he..he..he

Não ando em dias bons. Sinto que também estou perdendo o encadeamento racional. Quanto mais longe se vai com as idéias, mais se complica. Eu tenho bom senso pra perceber isso.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Azathoth disse: Uma pedra, um iceberg, um pinheiro não têm consciência da própria existência, portanto NÃO EXISTEM? Concordo com o Sybok, as coisas podem existir POR SI PRÓPRIAS, independente da existência de um observador consciente.

me de algum exemplo de algo existente o qual não temos a minima consciência ?
como algo pode existir para ninguém ?
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: Uma consciência sem causa que se percebesse existente, estaria mesmo diante de uma tela em branco na qual poderia desenhar qualquer coisa.
Deus
sybok disse:É sempre possivel criticar qualquer desenho feito e questionar a razão de outra coisa não ter sido desenhada, mas a alternativa a critica de qualquer escolha feita, seria manter a tela em branco, só nela existe "liberdade" criativa de fato.

isso é o que defende minha teoria do Deus atrelado a própria responsabilidade pela sua criação.
Deus só possuía o total livre arbítrio antes da criação, ou seja a sua tela vazia.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: Um Deus desenhando qualquer realidade que seja (ou ainda seres diversos fazendo isso juntos), elimina uma serie de liberdades e traça um cenário e uma peça a ser "encenada" como já definido pelo "autor/diretor".

discordo, a maior perda de liberdade no caso da criação ,seria a divina e não a humana como você acredita.
antes de ser pai eu era bem mais livre e irresponsável, agora minha liberdade esta atrelada a minha consciência em manter o bem comum da minha família.
não somos maquinas programadas para o trágico ridículo desapegue-se desse seus deus escravagista e sádico.
sybok disse: Entendo no entanto a sua hipótese de ilusão eterna como alternativa a volta do conhecimento do ser solitário e sem sentimentos. Só não acho que para os indivíduos isso seja menos assustador do que a solidão seria para Deus, nem acho que não possam existir alternativas mais sensatas do que a nossa ilusão especifica.

sem chance! A criação humana não seria fruto de uma carência afetiva de Deus, assim como Deus tambem não é apenas fruto de uma carência afetiva humana, penso que Deus e homem são complementos mais necessários e menos emocionais.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Depende do que eu e você entendemos ser uma mente.
Pra mim a mente possui certas propriedades, dentre elas a memória e essencialmente a percepção de si mesma. É um sistema fechado em princípio que se expande ao se conectar com um sistema nervoso cheio de sensores. Sem os inputs vindos do sistema nervoso percebemos que ela fica fechada em si mesma.

isso implica na existência de mentes desconectadas com sistemas nervosos ?
como seria isso ficar isolada em si mesmo ?
Marcio disse: Mas veja que "desenhar" na tela é "output". "Outputs" geralmente são respostas à "inputs" quer seja internos ou externos.

como um input pode ser interno ? se isto representa a conexão com alguma informação externa?
Marcio disse: Não há problemas em se delimitar um cenário. É isso que justamente fixa uma realidade/palco. O sistema define o cenário apenas, na verdade não é como uma peça com tudo definido, todas as falas, todas as ações, isso seria determinismo puro.

concordo
Marcio disse: Em certo ponto o jogo também pode se tornar chato e acabamos querendo outra realidade, outra partida em outro cenário. Sei la, as possibilidades são infinitas.

isto graças a morte do corpo
Marcio disse: Talvez simplesmente não haja uma mente superior.

talvez a mentes inferiores são apenas ilusões da mente superior
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Marcio disse:
Ué!? Você vive falando em evolução no sentido de se chegar ao topo da bondade e moral elevada. Quando todas as criaturas chegarem lá, vão fazer o que exatamente, involuir?

esta ilusão humana é que sustenta o prazer de viver, por isso não podendo acabar a ignorância deve ser eterna.
Marcio disse: A existência é eterna pelo simples fato de existir.

se voce não for eterno como pode afirmar que as existências são eternas ?
Marcio disse: CRIATURO disse: voce é voce uma flor é uma flor mas não foi isso o que eu perguntei e "sinto logo existo!"

A única certeza que resta é que eu sou eu, existo, sinto, o restante pode ser só uma ilusão.

certo não podemos sentir algo inexistente,mesmo que as informações estejam sendo interpretadas equivocadamente elas são reais isto tambem é valido para nossa interpretação de Deus.
Marcio disse: A existência é eterna pelo simples fato de existir. As coisas parecem mudar de configuração apenas, a energia sempre se conserva.
Eu gostaria imensamente que a mente consciente pudesse ser eterna também, algo que não se dissolvesse na mudança do cenário.

nisto consiste o sentido da vida e a minha fé.
Marcio disse:
Não ando em dias bons. Sinto que também estou perdendo o encadeamento racional. Quanto mais longe se vai com as idéias, mais se complica. Eu tenho bom senso pra perceber isso.
entendo, isso é comum a todos nós, então estimo melhores dias e pensamentos mais otimistas.
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
emmcri disse: Meu erro ??? Porque a sua interpretação é que é a correta ???
Arrogante isso amigo.
Na minha interpretação e repito minha interpretação , ele foi morto justamente por ter dito ser Deus .Falaram mostra-nos o Pai que nos basta e ele respondeu quem vê a mim vê o Pai, os Judeus o condenaram também por isso.

Não existe arrogância em apontar um erro de interpretação Emmcri.
A sua interpretação se choca com o texto bíblico e contraria o que está sendo dito ali.

Se alguém escrevem "Jabuticabas parecem uvas, mas não são uvas", não é possivel sustentar a interpretação de que jabuticabas são uvas, já que isso contrario o que o texto diz.

Eu citei uma passagem que contraria a sua interpretação e evidência o seu erro.
Pra que Jesus ora e pede a Deus para que todos sejamos "um" com ele, assim como ele e Deus são um, se ele é Deus como você afirma?
Se não existe distinção entre Cristo e Deus, ele não precisa orar para ninguém, estaria só fazendo cena e falando sozinho.
Porque quando estava para morrer na Cruz ele diz: "Oh pai por que me abandonastes?"
O Diabo tenta o próprio Deus no deserto? Acaso o diabo tem poder sobre Deus?

Existem dezenas de passagens bíblicas que contrariam essa sua interpretação e é possivel apontar cada uma delas na bíblia.
emmcri disse:
sybok disse: Krishna era "um" com Deus, assim como Siddhartha Gautama "Buda", Lao Tsé e Jesus Cristo eram "um" com Deus, sendo os ensinamentos de TODOS ELES, receitas sobre como TODOS NÓS podemos igualmente nos tornar "um" com Deus, como Cristo desejava.


Isso é a sua fé e eu respeito embora discorde.

Não Emmcri, isso não é uma "fé" minha e "discordar" sem razão não é muito sensato, é a reprodução do comportamento crente e da teimosia em abandonar os próprios erros.

Eu te apresentei uma outra leitura e uma outra hipótese, uma que é plausível e condizente com o que Cristo diz na bíblia.

Caberia agora a você raciocinar sobre o assunto e se for para discordar, o fazer com base na razão e nos fatos, não na simples manutenção automática e defensiva das suas próprias crenças.
O "diabo" é o pai da mentira e nossa mente adora se iludir nas mentiras reconfortantes dele.
A mente é quem "mente" pra gente Emmcri, nosso dever é VIGIAR para não cair nas mentiras dela.
emmcri disse:
sybok disse:Já parou para pensar que Krishna e Cristo falam sobre o MESMO Deus e eram "um" com o MESMO Deus, ambos apresentando o caminho de como chegar até ele?


Isso é a sua fé e eu respeito embora discorde.

Idem ao que disse antes.
emmcri disse:
sybok disse: Leia novamente o que o Ayyavazhi disse e vai perceber que ele não contesta a sua experiencia, nem diz que sua fé se baseia em um livro, ele somente te diz que Deus existir e isso ter ficado provado para você por uma experiencia, só te prova a existência de Deus, não o resto das crenças que você carrega sobre ele, sobre a biblia ou sobre outros livros sagrados.
Como já disse minha experiência foi dentro de uma igreja evangélica e tendo como sustentação a Bíblia, interpretar que foi outro Deus , não teria lógica.

Terá lógica quando você perceber que talvez esse "outro" Deus seja o "mesmo Deus", ou que ambos os "deuses" não passem de distorções baseadas no Deus real, que permanece oculto a ambos os lados, devido as crenças que carregam e distorcem a realidade de Deus.

Deus existir não prova que ele é como você acha que ele é, assim como não prova as suas interpretações bíblicas, nem a falsidade de outros livros sagrados de outras religiões.
Post edited by sybok on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0

Marcio,

Certamente você já ouviu a expressão: “Rico não é aquele que tem muito, mas aquele que precisa de pouco”. Se observarmos a trajetória humana, veremos que muitos sábios que nos visitaram corroboraram essa ideia, através do exemplo de uma vida livre de ostentações. Não precisamos recuar no tempo; hoje mesmo, se quisermos procurar a sabedoria, não será em palácios cobertos de tapeçarias e ouro que a iremos encontrar. Mais fácil seria encontrá-la em trajes humildes, em moradias despojadas, em meio a desapegos e renúncias.

Quanto mais sábia e menos carente não seria uma mente eterna? (Estou analisando sua proposta).

Eu sempre insisto na tecla de que existe uma perspectiva humana, e que essa perspectiva não pode ser empregada para medir o todo. Quando você fez seu experimento, que lhe pareceu aterrador, lembre-se que você estava só, e tudo lhe pareceu extremamente solitário. Solidão eterna. No domínio puro das mentes, tal não ocorreria. Nem consigo imaginar quais seriam as possibilidades ao alcance dessas mentes, que escolheram vivenciar o drama da existência humana com o propósito de sentir, experimentar. Não posso conceber que aprisionar-se nas limitadas possibilidades humanas seja a única forma de fugir à imutável eternidade. Nem a melhor.

Mentes eternas podem experimentar qualquer coisa. E podem interagir com todas as outras mentes. Não há solidão, não pode ser uma existência estagnada. Por que fazer uma escolha tão dramática? Mesmo que isso fosse necessário, a configuração humana é a única possibilidade? Você experimentou algo aterrador, fazendo uso exclusivo da mente. Não havia qualquer outro elemento, do universo humano, envolvido. Existe um limite para essas possibilidades?

Pensei em fazer algumas perguntas, cujas respostas não parecem fazer sentido em um domínio puro de mentes. Mas desisti. É uma abordagem tola. Você também pode fazer mil perguntas sobre Deus e eu não saberia responder nenhuma. O que estou tentando mostrar é que, sem ser absurda, essa teoria precisa de alguma robustez, antes de se tornar mais plausível que o próprio ateísmo.

Não considero essencial a existência de uma mente maior, um Deus. Também não tenho necessidade de eliminar essa configuração como uma possibilidade, talvez até mais razoável do que sua não existência. É fundamental desarmar-se de todas as necessidades, quando fazemos essas incursões. Qualquer contaminação, para um lado ou para o outro, levará a resultados falsos, por mais reais que eles nos pareçam.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:07

·  Percival Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse:
Não considero essencial a existência de uma mente maior, um Deus. Também não tenho necessidade de eliminar essa configuração como uma possibilidade, talvez até mais razoável do que sua não existência. É fundamental desarmar-se de todas as necessidades, quando fazemos essas incursões. Qualquer contaminação, para um lado ou para o outro, levará a resultados falsos, por mais reais que eles nos pareçam.

Senão essa possibilidade estaria contaminada pela humanidade.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Ainda assim eu acho que talvez sua interpretação da realidade esteja "contaminada" um bocadinho pelo conceito genérico da palavra "deus".

Sim, é muito provável. Por isso o ateísmo é uma base melhor. Minha única defesa é manter-me alerta. Conhecer a si mesmo ajuda e eu tenho alguma experiência nessa área.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Percival disse: Senão essa possibilidade estaria contaminada pela humanidade.

Mas está! Completamente contaminada.



·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Marcio disse:
Ayyavazhi disse: Quando procuro entender minha própria existência e a existência de Deus ...

Ambos não são a mesma coisa? (esqueça aqui o conceito usual da palavra "deus", por favor!)

É como eu disse antes, Marcio: Não adianta encontrar uma resposta simples e ignorar tudo o que ela implica. Eu não vou tentar refutar essa ideia. E nem quero. Apenas penso que não estamos prontos para ela.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: se você quer debater procure outra pessoa

E você conseguiu não perceber que eu já fiz isso?
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: Se não existe distinção entre Cristo e Deus, ele não precisa orar para ninguém, estaria só fazendo cena e falando sozinho.
Porque quando estava para morrer na Cruz ele diz: "Oh pai por que me abandonastes?"
O Diabo tenta o próprio Deus no deserto? Acaso o diabo tem poder sobre Deus?

exato isso seria o mesmo que afirmar ser jesus um esquizofrênico, alem do mais ele mesmo afirmou "o Pai ainda é maior do que eu"
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: O Diabo tenta o próprio Deus no deserto? Acaso o diabo tem poder sobre Deus?

Jesus jejuou para ser tentado pela sua própria consciência ou se preferir pelo seu eu mecanico, mas talvez tenha tambem sido tentado pelo alguns espíritos do mal oportunista.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Marcio,

Certamente você já ouviu a expressão: “Rico não é aquele que tem muito, mas aquele que precisa de pouco”. Se observarmos a trajetória humana, veremos que muitos sábios que nos visitaram corroboraram essa ideia, através do exemplo de uma vida livre de ostentações. Não precisamos recuar no tempo; hoje mesmo, se quisermos procurar a sabedoria, não será em palácios cobertos de tapeçarias e ouro que a iremos encontrar. Mais fácil seria encontrá-la em trajes humildes, em moradias despojadas, em meio a desapegos e renúncias.

prezados amigos muito obstinado na pratica da generosidade encontro-me muito disposto a ajuda-los a se livrarem dos seus bens materiais, estou aceitando varios tipos de doações , dentre elas, carros, jóias e dinheiro este ultimo poderá ser depositado na minha conta em forma de doação para me isentar do imposto de renda e não precisam me agradecer por isto, fazer oque eu sou assim mesmo, né ?
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Quando você fez seu experimento, que lhe pareceu aterrador, lembre-se que você estava só, e tudo lhe pareceu extremamente solitário. Solidão eterna.

oh Marcio! conte ai sua experiência ?
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
CRIATURO disse:
sybok disse: Não Criaturo, sem consciências não existe PERCEPÇÃO da realidade, mas a realidade continua existindo independente disso.

exato sem nenhuma percepção, não ha existência.
Como exato?
Eu disse o oposto do que você falou, nós discordamos, não concordamos...
CRIATURO disse:
existência , percepção e consciências estão atreladas.
Sim, estão atreladas mas somente no ponto em que a PERCEPÇÃO depende da EXISTÊNCIA, você está invertendo a logica e afirmando que a existência depende da percepção, o que não faz nenhum sentido.

Coisas podem existir sem que ninguém as perceba, vemos isso o tempo todo a cada momento em que apontamos um telescópio para o céu e descobrimos algo novo e que ninguém nunca tinha visto antes.

As coisas existem por si só, independente de serem ou não serem percebidas por alguém.
CRIATURO disse:
esta sua lógica humana terminaria junto com a anulação de todas consciências, algo só pode existir para alguém ou para alguma consciência.
Não Criaturo, as coisas existem por si só e não em função da percepção alheia.

O meteoro que matou os dinossauros existia apesar de nenhum ser vivo na época poder percebe-lo, e ele era tão real que eliminou da face da terra grande parte das consciências que aqui viviam percebendo outras coisas, mas não o meteoro que as eliminou.

Sabemos disso olhando os vestígios deixados por tudo o que existiu antes mesmos de nós existirmos e antes que nós pudéssemos perceber a existência dessas coisas que existiam, mesmo que ninguém as pudesse perceber.
CRIATURO disse:
me de um exemplo de algo existente que voce não tenha nenhuma consciência ?
Existem uma série de corpos celestes que eu desconheço completamente, assim como tanto eu quanto você, desconhecemos cada átomo que forma o seu figado, ainda assim, independente da nossa falta de percepção desses átomos individuais, eles existem e te mantem vivo.
Post edited by sybok on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Depende do que eu e você entendemos ser uma mente.
Pra mim a mente possui certas propriedades, dentre elas a memória e essencialmente a percepção de si mesma. É um sistema fechado em princípio que se expande ao se conectar com um sistema nervoso cheio de sensores. Sem os inputs vindos do sistema nervoso percebemos que ela fica fechada em si mesma.
Sim, mas qual a razão dessa mente gerar sentimentos internos de desprazer pela própria existência?
Na ausência de inputs externos e contato com forças externas gerando sensações, fica dificil imagina a razão da mente produzir por si só insatisfação consigo mesma.

Ao imaginar uma mente com capacidade de criar uma realidade externa capaz de resultar em inputs agradáveis a si própria, não tenho como imaginar algo sem o conhecimento de si suficiente para controlar ao próprios sentimentos.
Marcio disse: Sim. Concordo em parte. Mas acho que ela talvez não pudesse desenhar. Existem outras mentes e elas compartilham um cenário comum.
De duas uma, ou elas desenharam o cenário em consenso ou o cenário foi desenhado por outro sistema.

Sim, o que eu quis dizer é que do nosso ponto de vista, seja lá qual for o caso, não temos liberdade de escolha sobre como as coisas são.
Temos um jogo pronto e só somos livres para jogar o jogo segundo as regras já definidas e que não foram criadas por nós "personagens".
Marcio disse: Sem o jogo das ilusões só restaria a mente fechada e suas lembranças como sombras diáfanas e insatisfatórias.
Acho que quando estamos no jogo, nos esquecemos evidentemente do quanto é aterrador (Ou enfadonho mesmo)a realidade sem o jogo. Em certo ponto o jogo também pode se tornar chato e acabamos querendo outra realidade, outra partida em outro cenário. Sei la, as possibilidades são infinitas.

Sim Márcio, é uma possibilidade, a vida como um jogo.
A questão então teria que girar em torno de se é possivel trocar de jogo e a na razão do jogo em si poder se tornar para alguns tão aterrador quanto a realidade sem o jogo que você descreve.
Acho que esse é o ponto mais fundamental, se o jogo tem a função que você diz, ele não está cumprindo com a função para o qual foi criado, ao menos não para alguns indivíduos.

Talvez seja um bug na programação.
Marcio disse: Por mais forte que seja a mente, ela não pode fugir dela mesma. Do fato de que sem "inputs" ela não "cresce", não se forma, não tem identidade.
Lembre-se que não são todas as mentes iguais. São personalidades.
Ainda assim "crescer" e "fugir dela mesma" são desejos e como tal estão sujeitos a ser controlados tanto quanto o desejo sexual ou qualquer outro desejo.

Só mentes inquietas não estão satisfeitas consigo mesmas, nós humanos podemos aprender a abandonar os desejos e a conter a mente insatisfeita, para que ela se acalme e se torne plena e satisfeita independentemente de ter ou não "desejos" satisfeitos.
Podemos ensinar a mente a simplesmente não ter desejos e se manter calma.

É nesse ponto que a tal necessidade devido a insatisfação não me convence, afinal você está falando com um celibatário que passou anos calando os próprios desejos e buscando plenitude sem necessidade de satisfação sensorial e que já experimentou algumas doses disso que me fizeram ver que isso é de fato possivel.
Marcio disse:
Talvez simplesmente não haja uma mente superior.
Esse é outro ponto com o qual eu não posso concordar, pois já lidei com coisas que são humanamente impossíveis e que dependem ao menos de uma mente um pouco maior que a nossa, mesmo que ao invés de Deus fossem aliens ou maquinas escravagistas, ou ainda nós mesmos.

Veja que na sua própria hipótese precisaríamos de algum tipo de de conhecimento superior ao nosso próprio para criar esse "jogo", seria preciso no minimo que nós mesmos enquanto seres reais, tivéssemos um capacidade superior a que temos aqui dentro do jogo, onde nossas mentes seriam mais "limitadas".

Não consigo no entanto conceber qualquer hipótese onde nós mesmos iguais ao que somos nesse momento, com a mesma capacidade mental, pudéssemos orquestrar tal ilusão e essa "realidade" que nos cerca.
Em especial devido ao fato de que mesmo entre humanos existem diferentes "usos" e "aproveitamentos" dessa capacidade cerebral e eu mesmos já fiz usos distintos dessa capacidade ao longo da vida. Mesmo humanos já possuem capacidade maior do que a normalmente utilizada.
·  sybok Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: exato isso seria o mesmo que afirmar ser jesus um esquizofrênico, alem do mais ele mesmo afirmou "o Pai ainda é maior do que eu"

Pois é, existem duzias de passagens que refutam a noção de que Cristo é Deus no sentido geralmente adotado por católicos e evangélicos.
A noção no entanto de "união" entre o pai e o filho através de um conceito análogo ao espirito santo, onde Deus está em nós, mas nem sempre estamos nele, embora possamos nos unir a ele como ele está unido a nós, bem ai não existe contrariedade a tais passagens bíblicas.

Cristo pode continuar dizendo "Quem vê a mim vê ao pai", pois mesmo que exista distinção entre ele e Deus, eles são unidos.
CRIATURO disse:
sybok disse: O Diabo tenta o próprio Deus no deserto? Acaso o diabo tem poder sobre Deus?

Jesus jejuou para ser tentado pela sua própria consciência ou se preferir pelo seu eu mecanico, mas talvez tenha tambem sido tentado pelo alguns espíritos do mal oportunista.

Ambas as interpretações são possíveis, mas pra isso é necessários que Cristo não seja Deus como afirmam católicos e evangélicos.

Se Cristo é Deus, não faz sentido o diabo tenta-lo mostrando a gloria de reinos inteiros e dizendo que poderiam ser dele, bastando para isso que Cristo o adorasse.
Como pode o diabo oferecer dar Reinos ao próprio criador do universo?
Como pode ele exigir que Deus o adore?
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
sybok disse: Não consigo no entanto conceber qualquer hipótese onde nós mesmos iguais ao que somos nesse momento, com a mesma capacidade mental, pudéssemos orquestrar tal ilusão e essa "realidade" que nos cerca.

Acho que a proposta do Marcio trata de uma mente com mais poderes do que a limitada capacidade mental que conhecemos. Quando essa mente aceita (ou procura) viver a experiência humana, ela sofre nesse momento as limitações características do personagem. Nós seríamos essas super mentes, mas ansiosos por experimentar, mesmo que sujeitos às estreitas possibilidades humanas. Neste cenário, um Deus seria desnecessário. Não é uma teoria absurda, mas talvez produza mais lacunas do que as poucas que ela preenche. Eu sempre prefiro não teorizar muito quanto à existência.
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Acho que a proposta do Marcio trata de uma mente com mais poderes do que a limitada capacidade mental que conhecemos. Quando essa mente aceita (ou procura) viver a experiência humana, ela sofre nesse momento as limitações características do personagem. Nós seríamos essas super mentes, mas ansiosos por experimentar, mesmo que sujeitos às estreitas possibilidades humanas. Neste cenário, um Deus seria desnecessário. Não é uma teoria absurda, mas talvez produza mais lacunas do que as poucas que ela preenche. Eu sempre prefiro não teorizar muito quanto à existência.

Sim, teoricamente um Deus não seria necessario, mas uma mente maior seria, mesmo que fossemos nós mesmos. Esse é o maior problema nessa hipótese, imaginar mentes ainda maiores do que a nossa com necessidade de fugir de si mesmas, sendo inquietas e desejosas a tal ponto de "depender" de viver em ilusão, para fugir da dor de existir numa vida enfadonha.
Post edited by sybok on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
sybok disse: Sim, teoricamente um Deus não seria necessario, mas uma mente maior seria, mesmo que fossemos nós mesmos. Esse é o maior problema nessa hipótese, imaginar mentes ainda maiores do que a nossa com necessidade de fugir de si mesmas, sendo inquietas e desejosas a tal ponto de "depender" de viver em ilusão, para fugir da dor de existir numa vida enfadonha.

O problema com o "enfadonha", é que esse é um sentimento nosso, fruto de nossa existência limitada. Já que estamos tentando colocar lógica nessa questão (e não deveríamos), talvez não faça sentido supor que super mentes estejam sujeitas a essas inquietudes.
·  Marcio Membro
julho 2013 0
O problema é que eu não consigo encontrar as palavras exatas para descrever algo que está fora da nossa realidade.
Todas as nossas palavras e a semântica delas servem apenas para descrever o domínio do "jogo" e tudo o que está nele.
Então tenho que utilizar aquelas que mais se aproximam daquilo que quero explicar.
Palavras tais como: "mente", "sentimentos", "enfadonho", "cenário", "jogo", etc, pertencem ao domínio em que estamos inseridos agora, onde está acontecendo esse debate interessante.
Me perdoem pela falta de fluidez.

Acho que eu deveria fazer um resumo explicando alguns conceitos que utilizo antes de prosseguir lhes respondendo.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Marcio disse: O problema é que eu não consigo encontrar as palavras exatas para descrever algo que está fora da nossa realidade.
Todas as nossas palavras e a semântica delas servem apenas para descrever o domínio do "jogo" e tudo o que está nele.

Fique tranquilo. Acho que ninguém, neste fórum, tem insistido mais do que eu na afirmação de que a realidade não pode ser descrita através de palavras. Eu sei exatamente qual o seu problema, neste momento. Como eu sempre repito, temos que tentar entender além do que foi dito.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: Não existe arrogância em apontar um erro de interpretação Emmcri.
A sua interpretação se choca com o texto bíblico e contraria o que está sendo dito ali.
Você pode no máximo crer nisto .
Minha interpretação é igual a de milhões de pessoas no planeta incluindo filósofos e teólogos,lembrando que isso em nada a torna válida ou não.
sybok disse: Se alguém escrevem "Jabuticabas parecem uvas, mas não são uvas", não é possivel sustentar a interpretação de que jabuticabas são uvas, já que isso contrario o que o texto diz.

Só que a Bíblia não cabe esta comparação.
sybok disse: Eu citei uma passagem que contraria a sua interpretação e evidência o seu erro.

Uma passagem isolada da Bíblia é = 0
poderia citar um monte de de passagens que Jesus se assume como o Deus "Eu Sou" o próprio Jeová encarnado, o Verbo que se fez carne, ma não vou fazer isso, pois debater questões de crença é discutir sexo dos anjos.


sybok disse: Não Emmcri, isso não é uma "fé" minha e "discordar" sem razão não é muito sensato, é a reprodução do comportamento crente e da teimosia em abandonar os próprios erros.
Eu te apresentei uma outra leitura e uma outra hipótese, uma que é plausível e condizente com o que Cristo diz na bíblia.
Será o Benedito que você não percebe que você é tão crente e literal quando te convém ? Quando essa literalidade advoga a sua fé?
Porque não és literal quando jesus diz "eu sou o caminho a verdade e a vida".
Você advoga vários caminhos, vários deuses, que seriam o deus, ou eu não entendi você ?


sybok disse: Caberia agora a você raciocinar sobre o assunto e se for para discordar, o fazer com base na razão e nos fatos, não na simples manutenção automática e defensiva das suas próprias crenças.

Raciocinar em questões de fé ?
Fé é o contrário da razão é a "certeza de coisas que se esperam e convicção de fatos que não se veem" , onde há razão nisso ?


sybok disse: O "diabo" é o pai da mentira e nossa mente adora se iludir nas mentiras reconfortantes dele.

Você acredita no diabo ?
sybok disse: A mente é quem "mente" pra gente Emmcri, nosso dever é VIGIAR para não cair nas mentiras dela.

Afinal é o diabo que é o diabo ou nossa mente que é o diabo ?
Aí você não é literal não ? Porque ?


sybok disse: Idem ao que disse antes.

Eu o mesmo.


sybok disse: Terá lógica quando você perceber que talvez esse "outro" Deus seja o "mesmo Deus", ou que ambos os "deuses" não passem de distorções baseadas no Deus real, que permanece oculto a ambos os lados, devido as crenças que carregam e distorcem a realidade de Deus.

Será o Benedito ou será o irmão dele ??Você não percebe que esta é a sua crença e só isso e nada de racional há aqui?? E eu é que estou cegado pela minha fé ... meu Deus...


sybok disse: Deus existir não prova que ele é como você acha que ele é, assim como não prova as suas interpretações bíblicas, nem a falsidade de outros livros sagrados de outras religiões.

Certamente , nem as minhas e nem a suas interpretações , nem a de ninguém.

sybok, Deus é um "artigo" de fé .
Deus não é natural é supernatural ,sobrenatural , não adianta tentar conciliar Deus com nosso limitado intelecto.
Neste debate (existência de Deus X não existência de Deus) tenho que admitir que o Ateus saem milhares de quilômetros a frente de Crentes .
Abraços.
Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: E você conseguiu não perceber que eu já fiz isso?

Desistiu...é compreensível...
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Desistiu...é compreensível...

Absolutamente compreensível.
·  emmcri Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Absolutamente compreensível.


·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: Como exato?
Eu disse o oposto do que você falou, nós discordamos, não concordamos...

ops! um equivoco, nesta eu dei uma vacilada.
sybok disse: você está invertendo a logica e afirmando que a existência depende da percepção, o que não faz nenhum sentido.

se voce considerar que ainda exista alguma consciência da existência isso de fato torna-se ilógico, mas considerando uma total inexistência de todas consciências é lógico que toda existência tornará sem sentido algum!
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
emmcri disse: Uma passagem isolada da Bíblia é = 0
poderia citar um monte de de passagens que Jesus se assume como o Deus "Eu Sou" o próprio Jeová encarnado, o Verbo que se fez carne, ma não vou fazer isso, pois debater questões de crença é discutir sexo dos anjos.

Se a interpretação contraria o que a própria biblia diz, então está errada ou fora de contexto.
Você pode citar qualquer parte onde Cristo diz ser o verbo e o que mais for, que isso não contraria a interpretação de "unidade" entre Cristo e Deus, muito pelo contrario, isso apenas corrobora o ponto.
emmcri disse: Raciocinar em questões de fé ?
Fé é o contrário da razão é a "certeza de coisas que se esperam e convicção de fatos que não se veem" , onde há razão nisso ?

Eis o problema de todo crente.
Como ter fé se a fé não é direcionada a verdade, mas se pauta na mentira?
Ter fé na mentira não é nada bom.

Para ter fé na palavra de Deus, é preciso querer interpretar corretamente e ouvir a VERDADEIRA palavra de Deus, não uma distorção qualquer, do contrario sua fé é colocada não na palavra de Deus, mas em uma mentira qualquer.

Ter fé na mentira e no engano é ter fé no pai da mentira.
Não se presta ao serviço de Deus quem se apega a mentira e foge da verdade como o diabo da cruz.

As únicas formas de se chegar verdadeira palavra de Deus e se livrar das distorções e mentiras sempre travestidas como sendo a palavra dele, são através da pratica dos ensinamentos e do uso da razão.
Raciocinar para compreender o que é ensinado e dito, pois se nos foi dito o foi justamente para que pudéssemos compreender e por em pratica, é parte do dever de todo cristão.

A fé na verdade necessita de entendimento e discernimento entre o que é verdade e o que é mentira, pra isso temos a razão.
emmcri disse: Afinal é o diabo que é o diabo ou nossa mente que é o diabo ?
Aí você não é literal não ? Porque ?

O diabo é o funcionamento da mente e dos sistemas humanos, é a origem do erro, da mentira e da ilusão, não é um "ser" real, mas uma analogia a um processo que existe dentro e fora de nós.
emmcri disse: Será o Benedito que você não percebe que você é tão crente e literal quando te convém ? Quando essa literalidade advoga a sua fé?
Porque não és literal quando jesus diz "eu sou o caminho a verdade e a vida".
Você advoga vários caminhos, vários deuses, que seriam o deus, ou eu não entendi você ?
Você não entendeu.

Eu cheguei a Deus e não foi através do cristianismo, muito embora após me tornar teísta (pois era ateu quando comecei a estudar religião e cheguei a Deus) também estudei o cristianismo e encontrei em Cristo mais do mesmo, o que ele diz e o caminho que ele mostra não é novo, é uma variação das mesmas coisas que caras como Krishna na India e Lao Tsé na China já diziam e ensinavam.

Todos falam sobre o mesmo Deus e apresentam O MESMO CAMINHO até ele, muito embora cada um tenha um "método" de ensino e faça uso de analogias e historinhas diferentes.

Em grandes religiões como Cristianismo, Budismo, Hinduísmo e Taoismo, existem caras como Cristo, que são "um" com Deus e ensinam o caminho para que sejamos todos "um" com Deus assim como eles eram.

E não Emmcri, religião NÃO é matéria de fé, é a metodologia cristã que se apega a fé, no budismo, por exemplo, o caminho é bem mais racional e a fé é praticamente desprezada.
Ou seja, o que eu estou dizendo é que da mesma forma que matemáticos, sejam eles chineses ou brasileiros, quando falam sobre matemática falam sobre a mesma matemática, caras como Cristo e Lao Tsé quando falam sobre Deus estão falando sobre o mesmo Deus e ensinam basicamente o mesmo caminho até ele.

Pra vocês cristãos, Cristo era único e especial, mas isso não é verdade, por exemplo, se formos usar as definições do budismo Cristo era só um Buda, mais um dentre outros Budas que já existiram, sendo que todos nós podemos nos tornar budas.
Buda é um titulo usado para descrever alguém que atingiu a iluminação, ou em linguagem cristã, alguém que se uniu a Deus como Cristo e está no reino dos céus.

Na sua crença Cristo é o único caminho, mas você não conhece os "outros" caminhos, nem o que ensinam os outros Budas, para saber se eles não estão na verdade é ensinando o mesmo que Cristo.

Por isso questionamos suas crenças, por que você tem por certo coisas que não são tão certas quanto pensa e que não guardam de fato nenhuma relação com o fato de Deus existir e de você ter descoberto isso através de uma experiencia numa igreja cristã.
Post edited by sybok on julho 2013
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
emmcri disse: poderia citar um monte de de passagens que Jesus se assume como o Deus "Eu Sou" o próprio Jeová encarnado, o Verbo que se fez carne, ma não vou fazer isso, pois debater questões de crença é discutir sexo dos anjos.
Você pode citar um monte de passagens que diz alguma coisa e ignorar o monte de passagens que diz o contrário.
emmcri disse: Porque não és literal quando jesus diz "eu sou o caminho a verdade e a vida".
Krishna disse algo parecido. Também disse: "Ninguém vai ao Pai senão por mim" e "Eu sou o início, o fim e o meio".
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
sybok disse: o que ele diz e o caminho que ele mostra não é novo, é uma variação das mesmas coisas que caras como Krishna na India e Lao Tsé na China já diziam e ensinavam.

Todos falam sobre o mesmo Deus e apresentam O MESMO CAMINHO até ele, muito embora cada um tenha um "método" de ensino e faça uso de analogias e historinhas diferentes.

O que, em minha opinião, confere autoridade a esse ensinamento, já que todos os grandes mestres disseram a mesma coisa. Lamentável é quando o troço desce para o nível humano, onde cada um interpreta do jeito que gosta e acha que está com a verdade.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: Coisas podem existir sem que ninguém as perceba, vemos isso o tempo todo a cada momento em que apontamos um telescópio para o céu e descobrimos algo novo e que ninguém nunca tinha visto antes.

algo só passa a existir a partir da primeira consciência da sua existência.
Sem a existência de alguma consciência não podemos afirmar haver existência alguma.
sybok disse: As coisas existem por si só, independente de serem ou não serem percebidas por alguém.

a existência é produto da consciência e ambas estão atreladas
sybok disse: O meteoro que matou os dinossauros existia apesar de nenhum ser vivo na época poder percebe-lo, e ele era tão real que eliminou da face da terra grande parte das consciências que aqui viviam percebendo outras coisas, mas não o meteoro que as eliminou.

ok enquanto existirem outras consciências da existência do meteoro, ele certamente continuará existindo, elimine todas consciências referentes ao meteoro então ele deixará de existir e não haverá mais ninguém: sybok, marcio e aza para dizer ao contrario.
Sem nenhuma consciência, sem nenhuma existência, isso é lógico.
sybok disse: Sabemos disso olhando os vestígios deixados por tudo o que existiu antes mesmos de nós existirmos e antes que nós pudéssemos perceber a existência dessas coisas que existiam, mesmo que ninguém as pudesse perceber.

voce saberia me informar com precisão o inicio da sua consciência ?
sybok disse: Existem uma série de corpos celestes que eu desconheço completamente,

então como voce pode estar utilizando-se de um código grafico conhecido para descrever
algo totalmente desconhecido ?
isto só é possível pois o conceito da existência de corpos celestes ja fazem parte da sua consciência.
eu peço a voce é que me de algum exemplo de algo existente que ainda de alguma forma não faça parte da sua consciência, vamos lá fale da existência de algo que voce não tenha nenhuma consciência?
A consciência é tudo, sem consciência sem existência isto é lógico!
Um Deus inconsciente é um deus inexistente.
sybok disse: tanto eu quanto você, desconhecemos cada átomo que forma o seu figado, ainda assim, independente da nossa falta de percepção desses átomos individuais, eles existem e te mantem vivo.
eles passaram a existir a partir da consciência de Alguém, antes disso não existiam,
a percepção não é filha da irracionalidade casada com o acaso, ela é uma herança genética de uma maior consciência dividida, da mesma forma uma maquina criada pelo homem só poderá herdar partes da consciência dele,mas pelo bem da evolução em alguns casos por força do desejo e da providencia, uma maior consciência da alma tambem consegue transferir para uma menor consciência física do corpo, lampejos da sua maior consciência que normalmente em estado inconsciente leva ao homem criar maquinas capazes de perceberem coisas que antes lhe eram ocultas a sua própria percepção.
Talvez no futuro a própria consciência alma consiga induzir na consciência fisica uma forma tambem fisica dele poder reconhece-la, tipo um raio-x das almas.
Algo mais solido do que a foto kirlian da aura.
Post edited by CRIATURO on julho 2013
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: Ao imaginar uma mente com capacidade de criar uma realidade externa capaz de resultar em inputs agradáveis a si própria, não tenho como imaginar algo sem o conhecimento de si suficiente para controlar ao próprios sentimentos.

não existe o externo tudo é fruto de uma unica consciência dividida, mas entenda esse "dividida" não como separada e sim como manifestada em níveis diferentes, por exemplo Deus sendo uma linha infinita em forma de circulo em algumas regiões um maior volume de linha poderá produzir formas mais consistentes e em outros pontos com menor volume a continuação dessa linha poderá formar figuras menores,mas no entanto essas infinitas e variáveis manifestações de figuras estão ligadas e são formadas por uma unica linha existente Deus, de forma não existir algo mais fora desse circulo ja que ele preenche o todo Deus.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: Cristo pode continuar dizendo "Quem vê a mim vê ao pai", pois mesmo que exista distinção entre ele e Deus, eles são unidos.

quando Felipe disse a Jesus mostra nos o Pai e isto nos basta ele respondeu: "Felipe a tanto tempo aqui estou com voces e ainda não me reconheceram."

Não creio que Jesus tenha insinuado ser Deus e sim o criador da raça humana, desta forma ele de fato é Pai de Felipe sem ser por isso Deus o criador de todo universo.

"desde o começo dos tempos eu vos tenho ajuntado como a galinha faz com seu pintinhos"
"ele veio pára os seus,mas os seus não o reconheceram"
sybok disse: Se Cristo é Deus, não faz sentido o diabo tenta-lo mostrando a gloria de reinos inteiros e dizendo que poderiam ser dele, bastando para isso que Cristo o adorasse.
Como pode o diabo oferecer dar Reinos ao próprio criador do universo?
Como pode ele exigir que Deus o adore?


exato! Jesus sabendo que iria passar por difícil provação, for para o deserto fazer um pré teste nas piores condições humanas a da fome, apos jejuar por 40 dias a fome começou a falar mais alto : "voce tem poder transforme estas pedras em pão e coma, livre-se deste sofrimento inutil!"
"com a sua capacidade voce pode reinar sobre este mundo,por que sacrificar-se por um povo cruel e ingrato ?"
"desista da tua missão que mesmo assim Deus ordenará que seus anjos te guardem"
"poderia eu orar a Deus e ele enviaria exércitos de anjos para me defender"
"nenhum pode sobre mim teria se la do alto não tivessem te concedido tal autoridade"
Nada na terra seriamos, se la do alto não nos fosse concedido, uma família, inteligencia, saudê,aptidões e oportunidades, ferramentas emprestadas temporariamente exclusivas para desenvolverem o nosso desejo em praticar o bem e que logo teremos que prestar contas a nossa própria consciência, aos que ja tiverem méritos mais lhe serão acrescentados, pra os que apenas pensam possuir alguma coisa, até o que eles pensam ser suas propriedades lhe serão tiradas e dados alguém mais merecedor.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:08

·  salgueiro Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Fernando_Silva disse: "Eu sou o início, o fim e o meio".

Gita do Raul Seixas e Paulo Coelho é baseada no Bhagavad Gita
Post edited by salgueiro on julho 2013
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
salgueiro disse:
Gita do Raul Seixas e Paulo Coelho é baseada no Bhagavad Gita

essa musica é bem legal quando passamos a entender a profundidade das idéias
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
salgueiro disse:
Gita do Raul Seixas e Paulo Coelho é baseada no Bhagavad Gita
Eu catei as frases no Gita e achei várias.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
e qual sua opinião sobre a letra da musica ?
·  Azathoth Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Silvana,

Oeguei o texto abaixo num site budista, onde afirma que NÃO EXISTE uma alma imortal:
Um certo Rei Milinda inquiriu o Arahat Nāgasena sobre a Alma.

Rei: “Nagasena, há uma alma? Ela é o principio vivo interior que vê formas através do olho, ouve com o ouvido, sente odores com o nariz, sabores com a língua, sente objetos com o corpo e percebe objetos mentais com a mente, assim como nós aqui sentados olhamos através de qualquer janela?
Nāgasena: “Ó Rei, é graças aos olhos e às formas que surge a visão e surgem contato, sensação, percepção, pensamento, abstração, senso de vitalidade, atenção e assim por diante. Cada um surge no momento em que o anterior se esvai. Uma sucessão similar surge quando os outros órgãos dos sentidos são estimulados. Esses fenômenos não se combinam indiscriminadamente, mas sim relacionados ao órgão do sentido correspondente. Então, não há alma interior.”
Rei: “Estes três, Nāgasena, percepção, razão e a Alma que existem em um ser são totalmente diferentes ou são a mesma coisa em essência, diferindo apenas na sua manifestação?”
Nāgasena: “Ó, Rei, o reconhecimento é a marca da percepção, e a discriminação é a marca da razão, e não existe Alma em um ser.”
Rei: “Mas se não há Alma em um ser, então como é, ou o que é, aquilo que vê formas com os olhos, ouve sons com o ouvido etc?”
Nāgasena: “Se houvesse uma alma (distinta do corpo) que fizesse todas essas coisas, então se a porta dos olhos for fechada ou os olhos arrancados da órbita, ela poderia então esticar sua cabeça para fora, digamos, através de uma abertura maior e, com maior alcance, ver formas com mais clareza que antes? Uma pessoa poderia ouvir melhor os sons se suas orelhas fossem arrancadas ou sentir melhor os cheiros se o nariz fosse cortado, ou com a língua arrancada ela poderia sentir melhor os sabores, ou sentir melhor
o toque se o corpo fosse destruído?”
Rei: “Certamente não, Senhor!”
Nāgasena: “Então, ó Rei, não pode haver Alma dentro do corpo.”

Peraí... se NÃO há uma alma, o que diabos reencarna, para expiar as culpas segundo a "inexorável lei do carma"?
Post edited by Azathoth on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Azathoth disse: Oeguei o texto abaixo num site budista, onde afirma que NÃO EXISTE uma alma imortal:
Um certo Rei Milinda inquiriu o Arahat Nāgasena sobre a Alma.

Peraí... se NÃO há uma alma, o que diabos reencarna, para expiar as culpas segundo a "inexorável lei do carma"?

Aza a sua duvida na verdade não faz sentido do ponto de vista budista, ela se baseia numa noção errônea do conceito de Carma ocidental, que difere do Karma oriental. Reencarnação também não é exatamente algo que exista no Budismo, que fala sobre algo ligeiramente distinto, o renascimento.

No Budismo eles trabalham com um conceito chamado Anatta ou Anatman, que é uma negação do conceito Hinduísta de Atman ou Atma, que pode ser entendido como tendo o mesmo sentido do conceito de alma imortal que temos aqui no ocidente.

Antes de prosseguir eu gostaria de dizer que esse assunto é controverso entre diferentes seitas budistas, mas o que eu entendi do assunto após algum estudo, é que o budismo original busca a simplicidade e aparentemente seu criador (o primeiro Buda) vendo certas confusões do povo interpretando o Hinduísmo cheio de Deuses e onde a alma se divide em sete corpos, criou uma religião simples, que não menciona Deus e nega a existência de uma alma imortal. Ainda assim o budismo não é ateu, nem nega a existência de uma continuidade do ser, ele apenas nega uma substancia "pronta", um "eu" permanente e o substitui por um principio mutante.

O anatta significa basicamente "não-eu", dizendo que não existe um "eu" imutável, estando tudo nos seres em constante movimento e mutação.
O anatta no entanto aceita a existência de tendencias mentais, talvez possam ser descritas como um tipo de "energia", que permanece após a morte do corpo e pode ser transmutada em um novo ser, que carrega certas tendencias mentais do ser que deixou de existir com a destruição do corpo. Alguns até acham que tais tendencias poderiam se transformar em mais de um ser, indo parar em dois indivíduos distintos.

Então são essas tendencias mentais que "renascem".
O Budismo fala sobre renascimento, não sobre reencarnação, é também um assunto controverso, mas existem diferenças nos conceitos justamente devido a inexistência de uma alma imortal.

Quanto ao karma, o conceito oriental não tem nada a ver com a baboseira conhecida no ocidente em especial através do espiritismo.
O karma no Hinduímo, Budismo e Jainismo tem outro sentido e se associa as leis naturais do nosso mundo ilusório (o Samsara) a lei é conhecida como Dharma, Dhamma ou Darma e está associada a questão do karma, que é uma das leis do Dharma.

Resumindo e definindo, eu diria que se o karma é uma lei, o Dharma seria o código penal em si, onde todas as leis estão descritas sendo o karma apenas uma delas.

Eu não vou me alongar tentando explicar o que o karma é, vou apenas dizer o que ele NÃO é.
O karma não fala exatamente sobre justiça, predestinação, nem nada do tipo, nem fala sobre os efeitos de um ato, serem sempre colhidos por quem criou esse ato.

É possível falar sobre Karma coletivo, onde uma ação cria um efeito e onde TODOS na sociedade estão sujeitos a esse efeito, tenham sido eles os autores da ação ou não.
Isso significa que se VOCÊ realiza uma ação que cria karma, EU posso sofrer o resultado desse karma, posso até RESGATAR esse karma e anular seus efeitos (sim, uma pessoa pode sofrer pelo karma de outra, pode também resgatar o karma gerado por outra pessoa), enquanto você pode, se tiver alguma sorte, fugir das consequências do karma criado por você.
O problema é que você em geral vai continuar agindo desse mesmo modo, o que significa que vai continuar gerando outros karmas iguais a esse, o que também significa que dificilmente pode fugir sempre do resultados karmico de seus próprios atos.
O karma então não "expia culpas", ele é apenas o resultado criado por uma ação, seja ela boa ou ruim.

Em poucas palavras apenas entenda que o Karma NÃO é o Carma.
O conceito ocidental que se ouve por aqui é apenas uma distorção do karma.
Post edited by sybok on julho 2013
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Azathoth disse: “Se houvesse uma alma (distinta do corpo) que fizesse todas essas coisas, então se a porta dos olhos for fechada ou os olhos arrancados da órbita, ela poderia então esticar sua cabeça para fora, digamos, através de uma abertura maior e, com maior alcance, ver formas com mais clareza que antes?

não é isso que ocorre quando o corpo dorme ?
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
CRIATURO disse: e qual sua opinião sobre a letra da musica ?
Não significa nada fora da fé. Vazia.
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
"Vede a Verdade, e ela te libertará"
João? Não. Buda, há 2600 anos.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: Quanto ao karma, o conceito oriental não tem nada a ver com a baboseira conhecida no ocidente em especial através do espiritismo.

pegou pesado heim ?
sybok disse: O karma no Hinduímo, Budismo e Jainismo tem outro sentido

seria oque então um antigo partidarismo politico ?
sybok disse: estudei o cristianismo e encontrei em Cristo mais do mesmo, o que ele diz e o caminho que ele mostra não é novo, é uma variação das mesmas coisas que caras como Krishna na India e Lao Tsé na China já diziam e ensinavam.

e quantos deles ensinaram na pratica sendo transpassados por uma lança perdoaram e ainda continuaram desejando o bem para os seus carrascos ? é meu amigo entre falar e fazer existe uma grande diferença e nisto consiste a diferença entre jesus e os outros mestres.
De fato ha muitos pastores e poucos trabalhadores.
sybok disse: é que o budismo original busca a simplicidade

possuo uma visão bem simplista quanto a continuação da existência do ser "eu":
um dia voce começa sonhar e cada vez mais começa a a recobrar a lucidez de quem é , onde esta e o que voce esta fazendo lá, se quando tentar acordar não conseguir mais , voce perceberá que morreu,mas continuará sendo voce mesmo, "Simples assim" e de onde parou poderá continuar seguindo,mas agora em outro local.
sybok disse:
É possível falar sobre Karma coletivo, onde uma ação cria um efeito e onde TODOS na sociedade estão sujeitos a esse efeito, tenham sido eles os autores da ação ou não.

poderia ser:
Hebreus foram escravizados no Egito por longos anos,mas ao serem libertos, mataram mulheres velhos e crianças usando o nome de Deus em vão, apenas para roubarem terras.
Reencanados como judeus na Alemanha, foram roubados , saqueados e também trucidados pelos nazistas.
E ainda hoje colhem os frutos da suas guerras santas ?


sybok disse: É possível falar sobre Karma coletivo, onde uma ação cria um efeito e onde TODOS na sociedade estão sujeitos a esse efeito, tenham sido eles os autores da ação ou não.

então qual o local mais adequado para um antigo carrasco hebreu reencarnar a não ser odiado pelos países vizinhos a israel, quem planta ódio não conseguirá colher amor, a não ser o de Jesus na cruz.
De fato nascemos onde necessitamos aprender algo, seja no âmbito familiar, profissional, ou nacional.
Alem do mais espíritos semelhantes se atraem naturalmente pelas suas afinidades.
sybok disse: enquanto você pode, se tiver alguma sorte, fugir das consequências do karma criado por você.

quem possui fé na sorte não possui fé na razão Deus
sybok disse: Em poucas palavras apenas entenda que o Karma NÃO é o Carma.

Sim existe uma grande diferença o Karma é burro e mecânico, o Carma é o resultado de uma tentativa de justiça de seres inteligentes.

Então muita carma nesta hora...ha.ha..ha.ha
Post edited by CRIATURO on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: pegou pesado heim ?

Não.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Não

hahaha, nada como a honestidade, na boa.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Verdadeira aula, Sybok. É sempre um prazer (e um aprendizado) ler suas ótimas explanações.
sybok disse: Eu não vou me alongar tentando explicar o que o karma é, vou apenas dizer o que ele NÃO é.

Isso é muito parecido com uma postagem minha, tempos atrás, quando eu disse que não iria tentar explicar o que o karma é, mas sim o que ele não é: Causa e efeito!
sybok disse: Resumindo e definindo, eu diria que se o karma é uma lei, o Dharma seria o código penal em si, onde todas as leis estão descritas sendo o karma apenas uma delas.

Exato. Nas conversas que já tive com espíritas, nunca vi nenhuma referência a nada que se pareça com o Dharma. Acho que não existe tal conceito no espiritismo. Eles trabalharam uma única ideia, além de a reduzir. Falando nisso, criei uma teoria; veja se faz sentido: Imaginei a possibilidade de que esse ensinamento tenha sido minimizado, a ponto de caber no horizonte cognitivo de todos os seguidores da DE. Nesse caso, como não poderia deixar de ser, nivela-se por baixo. Prejuízo para as mentes mais capacitadas, que acabam comprando uma ideia equivocada e incompleta.

Escolhas...
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: hahaha, nada como a honestidade, na boa.

Talvez um dia eu me anime a (tentar) demonstrar o quanto uma religião é uma escolha limitante. Se eu tiver essa conversa com você, não veja como perseguição, mas como uma atitude seletiva de minha parte. Eu não tentaria onde não vale a pena.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Talvez um dia eu me anime a (tentar) demonstrar o quanto uma religião é uma escolha limitante. Se eu tiver essa conversa com você, não veja como perseguição, mas como uma atitude seletiva de minha parte. Eu não tentaria onde não vale a pena

Armadilhas existem em todos os caminhos, o não ter uma religião oficial também pode ser uma caso a pessoa se fixe numa única visão, se limitar é uma escolha.

Discutir a 'minha' religião não é 'perseguição' e sim um outro olhar sobre um assunto como já disse um montão de vezes ela está aí para isso mesmo.
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 edited julho 2013 0
CRIATURO disse: e quantos deles ensinaram na pratica sendo transpassados por uma lança perdoaram e ainda continuaram desejando o bem para os seus carrascos ? é meu amigo entre falar e fazer existe uma grande diferença e nisto consiste a diferença entre jesus e os outros mestres.
Cada religião tem algumas idiotices originais e exclusivas. Isto, é claro, supondo-se que essa frase tivesse mesmo sido dita.


Post edited by Fernando_Silva on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Armadilhas existem em todos os caminhos, o não ter uma religião oficial também pode ser uma caso a pessoa se fixe numa única visão, se limitar é uma escolha.

Analise, mesmo que superficialmente, o conhecimento adquirido pelo Sybok, ao estudar profundamente as maiores e mais importantes religiões, e perceba o quanto é limitante.
salgueiro disse: Discutir a 'minha' religião não é 'perseguição' e sim um outro olhar sobre um assunto como já disse um montão de vezes ela está aí para isso mesmo.

Sônia, cultivar uma atitude razoavelmente flexível em relação à sua religião não será suficiente para a proposta que tenho em mente. O nível de desapego necessário confunde-se mais com a liberdade que você acredita ineficiente. Talvez eu faça isso. Talvez inicie essa discussão. Se o fizer, será movido muito mais por curiosidade do que por minha fé nos resultados.


·  salgueiro Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Analise, mesmo que superficialmente, o conhecimento adquirido pelo Sybok, ao estudar profundamente as maiores e mais importantes religiões, e perceba o quanto é limitante.

Mas é isso Ayya, apesar de não poder usar o termo profundamente (religião é chato pacas) já fiz isso.
Ayyavazhi disse: Sônia, cultivar uma atitude razoavelmente flexível em relação à sua religião não será suficiente para a proposta que tenho em mente.

Só depois que sair da sua mente é que posso ter uma idéia do que propõe.
Ayyavazhi disse: O nível de desapego necessário confunde-se mais com a liberdade que você acredita ineficiente.

O uso do termo 'desapego' já mostra uma linha, uma direção, rs
Ayyavazhi disse: Talvez eu faça isso. Talvez inicie essa discussão. Se o fizer, será movido muito mais por curiosidade do que por minha fé nos resultados.

Faça se o desejar, só cuidado com os esteriótipos, o bicho-homem é sempre mais complexo do que se apercebe a primeira vista.
Post edited by salgueiro on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Mas é isso Ayya, apesar de não poder usar o termo profundamente (religião é chato pacas) já fiz isso.

Usar o Sybok como exemplo foi minha estratégia para demonstrar que não era limitante.
salgueiro disse: O uso do termo 'desapego' já mostra uma linha, uma direção, rs

Necessariamente, não. Vejo na crença algo mais abrangente do que meramente pertencer ou não a uma religião. Por isso digo (apesar do vespeiro) que existem ateus crentes. Aliás, muitos. O grande problema, nesse caso, é o cuidado que temos com essas crenças. Damos demasiada importância às próprias convicções e, se são contrariadas, reagimos. Na maioria das vezes essas reações são puros atos de fé. Dispenso muita atenção a essas armadilhas da mente, para não cair no mesmo erro que aponto, ou alerto, nos outros. É difícil romper com conceitos arraigados, principalmente se estão conosco há muito tempo. Acho que essa disponibilidade está ao alcance de todos, se o esforço correto for feito. O problema é que eu não sei que esforço é esse. O que eu conheço, serve apenas para mim e creio que cada um deve encontrar seus próprios meios de conquistar essa liberdade.
salgueiro disse: Faça se o desejar, só cuidado com os esteriótipos, o bicho-homem é sempre mais complexo do que se apercebe a primeira vista.

No meu caso, e com aquela habitual preocupação em não parecer arrogante, acho que a expressão "primeira vista" não me faz justiça.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Usar o Sybok como exemplo foi minha estratégia para demonstrar que não era limitante.

Ayya, conhecimento é ótimo só que a cereja do bolo é o que vc faz com ele e isso na verdade está intimamente ligado a quem se é.
Ayyavazhi disse: Vejo na crença algo mais abrangente do que meramente pertencer ou não a uma religião. Por isso digo (apesar do vespeiro) que existem ateus crentes. Aliás, muitos.

É vero, rs.
Ayyavazhi disse: O grande problema, nesse caso, é o cuidado que temos com essas crenças. Damos demasiada importância às próprias convicções e, se são contrariadas, reagimos


O que sempre acaba falando mais alto é a personalidade não a crença, aquele que se acha dono da verdade não gosta de ser contestado ou assistir sua verdade ser desconstruída total ou parcialmente.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:09

·  sybok Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse:
e quantos deles ensinaram na pratica sendo transpassados por uma lança perdoaram e ainda continuaram desejando o bem para os seus carrascos ? é meu amigo entre falar e fazer existe uma grande diferença e nisto consiste a diferença entre jesus e os outros mestres.
De fato ha muitos pastores e poucos trabalhadores.

Existem varias historias de diversos Budas perdoando seus carrascos e aqueles que tentam matá-los.
Muito mais do que no Cristianismo, já que no budismo com a historia de VÁRIOS Budas, não de um só como no cristianismo.

O Buda Shakyamuni, por exemplo, perdoou o próprio primo que tentou matá-lo varias vezes, assim como um famoso bandido que após tentar matá-lo, virou seu discípulo.
Existe ainda a historia de dois monges que foram feitos prisioneiros durante muito tempo, torturados e humilhados de toda forma.
Após se reencontrarem muitos anos depois, já libertos, um deles que havia se iluminado perguntou ao outro se ele já tinha perdoado seus carrascos. Diante da resposta negativa do monge, que pergunta ao Buda como poderia ele perdoar tais pessoas depois de tudo que fizeram contra eles, o Buda então diz que sendo assim o monge ainda é prisioneiro.

Eu poderia citar aqui varia historias, mas acho um tanto inútil.
Deixo você com um link para uma historia contada pelo Osho e intitulada "O tapa na cara do Buda".
http://minesbastos.com/muito-mais/nova-era/o-tapa-na-cara-de-buda-osho/

Como se vê o perdoar e "dar a outra face" não é nenhuma novidade de Cristo, já era ensinado por outros Budas antes dele.
CRIATURO disse:
sybok disse:
É possível falar sobre Karma coletivo, onde uma ação cria um efeito e onde TODOS na sociedade estão sujeitos a esse efeito, tenham sido eles os autores da ação ou não.
poderia ser:
Hebreus foram escravizados no Egito por longos anos,mas ao serem libertos, mataram mulheres velhos e crianças usando o nome de Deus em vão, apenas para roubarem terras.
Reencanados como judeus na Alemanha, foram roubados , saqueados e também trucidados pelos nazistas.
E ainda hoje colhem os frutos da suas guerras santas ?
Não, não poderia ser como isso.
Eu falei sobre OUTRAS pessoas sofrendo pelo karma gerado, não sobre AS MESMAS pessoas pagando pelo que cometeram.

Pra usar do exemplo do nazismo, os Nazistas criaram um karma ao agir como agiram e TODA a sociedade pagou por isso com os efeitos da segunda guerra causada pelos nazistas, assim como os Judeus, inocentes que eram, foram vitimados pelos atos dos nazistas.

E não, o "povo Judeu" não paga hoje pelo que fez no passado, não é assim que o karma funciona e não existe esse ente abstrato o "povo".

Hoje você e eu pagamos pelo karma dos nossos antepassados, que no Brasil fizeram luta armada, que resultou em uma ditadura e com a queda resultou no nosso sistema politico atual.
Nós sofremos as consequências dos atos deles e estamos sujeito ao resultado karmico desses atos e temos uma responsabilidade própria frete a isso, quando agimos no mundo e damos nossa contribuição, ou quando nos omitimos não "agindo".
CRIATURO disse: então qual o local mais adequado para um antigo carrasco hebreu reencarnar a não ser odiado pelos países vizinhos a israel, quem planta ódio não conseguirá colher amor,
Isso que você descreve é uma ideia e um conceito sem relação com o karma e que não existe de fato.
Pessoas boas e sem nenhum karma no passado podem nascer em Israel hoje, seja Judeu, Palestino ou filho de imigrante de qualquer nação, até Brasileiro, que nasce lá ou aqui e simplesmente acabam morando lá por uma escolha de seus pais de ir morar lá.
CRIATURO disse:
quem possui fé na sorte não possui fé na razão Deus

Quem possui fé no determinismo não deixa espaço para o livre arbítrio.
CRIATURO disse:
Sim existe uma grande diferença o Karma é burro e mecânico, o Carma é o resultado de uma tentativa de justiça de seres inteligentes.
A diferença entre o karma e o carma, é que o karma é uma coisa real da qual você nada sabe sobre, enquanto o carma é um delírio sem realidade no qual você acredita.

Percebe que você está criticando o karma, sem nem ao menos saber o que é isso?
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Isso é muito parecido com uma postagem minha, tempos atrás, quando eu disse que não iria tentar explicar o que o karma é, mas sim o que ele não é: Causa e efeito!

Pois é, o conceito espirita original se quer cita a palavra "carma", eles falam sobre a lei da causalidade, onde por contato com o conceito oriental de karma, as pessoas acabam identificando uma coisa com a outra, achando que são semelhantes.

No conceito oriental falam sobre karma como ação, também discutem o fato de que toda ação causa seus efeitos, mas isso em nada se parece com a lei da causalidade espirita e sobre como eles enxergam a tal causa e efeito.
E volto a repetir, olhando o conceito da lei da causalidade como a principio descrito na doutrina espirita, ele não é totalmente incoerente e até é "plausível", muito embora seja algo distinto do karma.

O problema está numa interpretação especifica dessa lei da causalidade e na confusão que se faz dela com o karma.

A questão do karma no oriente não está tanto relacionada aos efeitos gerados pela ação, mas ao apego do autor a própria ação. O Karma na verdade é a ação em si, a palavra karma significa ação, e, NÃO pretende descrever seus efeitos. Se continuamos agindo, continuamos produzindo karma, pois o karma é a ação, as palavras são implemente sinônimos. Seria como eu ficar aqui repetindo que "action" é ação.
Esse é o karma oriental, a ação e o fato da pessoa continuar agindo, não a questão secundaria dos "resultados" que essas ações tem.
Post edited by sybok on julho 2013
·  Percival Membro
julho 2013 0
sybok disse: A questão do karma no oriente não está tanto relacionada aos efeitos gerados pela ação, mas ao apego do autor a própria ação. O Karma na verdade é a ação em si, a palavra karma significa ação, e, pretende descrever seus efeitos. Se continuamos agindo, continuamos produzindo karma, pois o karma é a ação, as palavras são implemente sinônimos. Seria como eu ficar aqui repetindo que "action" é ação.
Esse é o karma oriental, a ação e o fato da pessoa continuar agindo, não a questão secundaria dos "resultados" que essas ações tem.

Isso aí.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: hahaha, nada como a honestidade, na boa.

mas o que é isto ? uma conspiração teísta ? serei obrigado a incorporar o meu personagem ateu de novo ?
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Fernando_Silva disse: CRIATURO disse: e quantos deles ensinaram na pratica sendo transpassados por uma lança perdoaram e ainda continuaram desejando o bem para os seus carrascos ? é meu amigo entre falar e fazer existe uma grande diferença e nisto consiste a diferença entre jesus e os outros mestres.
Cada religião tem algumas idiotices originais e exclusivas. Isto, é claro, supondo-se essa frase tivesse mesmo sido dita.
Esta sua colocação justifica bem o porque deixou de ser cristão e optou por ser ateu.
se voce vê no perdão idiotice , qual seria o seu conceito a respeito da vingança ?
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: mas o que é isto ? uma conspiração teísta ? serei obrigado a incorporar o meu personagem ateu de novo ?

Vou explicar procë. O Ayya sempre se referiu a doutrina com luvas de pelica e agora fala, digamos, de forma mais livre, rs.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: e quantos deles ensinaram na pratica sendo transpassados por uma lança perdoaram e ainda continuaram desejando o bem para os seus carrascos ? é meu amigo entre falar e fazer existe uma grande diferença e nisto consiste a diferença entre jesus e os outros mestres.
De fato ha muitos pastores e poucos trabalhadores.

Eu procuro evitar desgastes desnecessários, ignorando sandices que pessoas como você escrevem. Mas, no seu caso, sempre é preciso abrir uma exceção.

Não foi você mesmo que disse, mais de uma vez, que Jesus era um entre bilhões? Agora, na hora de compará-lo a outros mestres, Ele surge tão especial que supera até mesmo Krishna, um Poorna Avatar (corrija-me se eu estiver errado, Sybok).

Ou seja, de acordo com sua inigualável inteligência, Krishna é inferior a um sujeito qualquer, que se conta aos bilhões. Brilhante, Criaturo. Eu já disse, e repito: Você não é um cara sério.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Vou explicar procë. O Ayya sempre se referiu a doutrina com luvas de pelica e agora fala, digamos, de forma mais livre, rs.

É como eu disse, Sônia, ando terrivelmente impaciente. O problema não é a Doutrina, são os doutrinados.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
sybok disse: E volto a repetir, olhando o conceito da lei da causalidade como a principio descrito na doutrina espirita, ele não é totalmente incoerente e até é "plausível", muito embora seja algo distinto do karma.

Sim, eu penso o mesmo (já falamos sobre isso por e-mail, lembra?). Dentro de um certo princípio de funcionamento, é coerente e plausível. Como eu não me contento com certos princípios de funcionamento, acabo entrando em rota de colisão com os seguidores de Kardec, que tendem a extrapolar a importância desses ensinamentos.
sybok disse: A questão do karma no oriente não está tanto relacionada aos efeitos gerados pela ação, mas ao apego do autor a própria ação.

Exato, e graças a esse apego (que, neste caso, eu traduziria também por identificação) é possível agir e não produzir karma algum. Não digo que essa possibilidade esteja ao alcance do "homem comum", mas é relevante, dentro do conhecimento do karma, compreender esse funcionamento. Uma ação sem apego, sem identificação, é algo que não se vê relacionado ao conceito ocidental: o carma.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: Existem varias historias de diversos Budas perdoando seus carrascos e aqueles que tentam matá-los.
sybok disse: Como se vê o perdoar e "dar a outra face" não é nenhuma novidade de Cristo, já era ensinado por outros Budas antes dele
Jesus não perdoou apenas ofensores foi alem perdoando os que lhe tiraram a vida desejando o bem, pagando mal com amor puro e desapegado.
Existem outros espíritos evoluídos e provavelmente acima de Jesus,mas ele é o mestre e talvez até o criador da raça humana.
sybok disse: E não, o "povo Judeu" não paga hoje pelo que fez no passado, não é assim que o karma funciona e não existe esse ente abstrato o "povo".
então esta passagem do AT não tem nada haver com a realidade:
"eu sou o deus de israel e faço justiça até a terceira e quarta geração ( ou seria reencarnação ? )"
sybok disse: Hoje você e eu pagamos pelo karma dos nossos antepassados, que no Brasil fizeram luta armada, que resultou em uma ditadura e com a queda resultou no nosso sistema politico atual.

mais justo pensar que nossos antepassados eramos0 nós mesmos em vidas passadas, e colhemos no presente o que nós mesmos plantamos no passado.
sybok disse: Pessoas boas e sem nenhum karma no passado podem nascer em Israel hoje, seja Judeu, Palestino ou filho de imigrante de qualquer nação, até Brasileiro, que nasce lá ou aqui e simplesmente acabam morando lá por uma escolha de seus pais de ir morar lá.
creio mais que seres inteligentes por razões desconhecidas determinam onde, quando e em que situação nasceremos, como ja disse quem acredita no acaso da sorte despreza a razão Deus.
sybok disse: Pessoas boas e sem nenhum karma

Hitler nasceu com cara de inocente anjo
sybok disse: A diferença entre o karma e o carma, é que o karma é uma coisa real da qual você nada sabe sobre, enquanto o carma é um delírio sem realidade no qual você acredita.

voce esta tentando redescobrir a roda observando novamente o formato da lua, onde esta a novidade da lei mecânica da ação e reação ?
·  Percival Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Eu procuro evitar desgastes desnecessários, ignorando sandices que pessoas como você escrevem. Mas, no seu caso, sempre é preciso abrir uma exceção.

Não foi você mesmo que disse, mais de uma vez, que Jesus era um entre bilhões? Agora, na hora de compará-lo a outros mestres, Ele surge tão especial que supera até mesmo Krishna, um Poorna Avatar (corrija-me se eu estiver errado, Sybok).

Ou seja, de acordo com sua inigualável inteligência, Krishna é inferior a um sujeito qualquer, que se conta aos bilhões. Brilhante, Criaturo. Eu já disse, e repito: Você não é um cara sério.

Ele nunca foi um cara sério. Aí você replica as sandices dele e ele começa a papagaiar.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Eu procuro evitar desgastes desnecessários, ignorando sandices que pessoas como você escrevem. Mas, no seu caso, sempre é preciso abrir uma exceção.

sua generosidade me ensina muito
Ayyavazhi disse: Ou seja, de acordo com sua inigualável inteligência, Krishna é inferior a um sujeito qualquer, que se conta aos bilhões. Brilhante, Criaturo. Eu já disse, e repito: Você não é um cara sério.
nunca disse que krisna ou Jesus são os últimos nem que ja são os primeiros
minha visão transcende os limites terrenos onde imagino deuses criadores e não um unico Deus Criador.
assim como existe bilhões de seres inferiores a nós, provavelmente existem uma infinidade de seres acima.
E Jesus não pode ser excluído desta condição de criatura e ao mesmo tempo tambem ja estando na condição de um deus criador (talvez o da raça humana).

Jesus: "todo aquele que se instruir na verdade sera igual ao seu mestre e obras maiores do que esta que faço , faram tambem"

por favor não tente deturpar minhas palavras
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Percival disse: Ele nunca foi um cara sério. Aí você replica as sandices dele e ele começa a papagaiar.

e voce continua bancando o apresentador do "qual é o seu talento".
·  salgueiro Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: É como eu disse, Sônia, ando terrivelmente impaciente. O problema não é a Doutrina, são os doutrinados

Nem se precisa de uma 'bola de cristal' para perceber, é visível. Nem são os doutrinados, é o momento, um passo a trás dois a frente.
Post edited by salgueiro on julho 2013
·  Percival Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: e voce continua bancando o apresentador do "qual é o seu talento".



Quem dera que eu fosse realmente ele, ao menos seria bonito .
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
CRIATURO disse: Jesus não perdoou apenas ofensores foi alem perdoando os que lhe tiraram a vida desejando o bem, pagando mal com amor puro e desapegado.
Nada diferente dos Budas perdoando aqueles que os encarceraram, torturaram e atentaram contra suas vidas.
CRIATURO disse:
Existem outros espíritos evoluídos e provavelmente acima de Jesus,mas ele é o mestre e talvez até o criador da raça humana
Criador da raça humana Criaturo? De onde você tirou isso?
CRIATURO disse: então esta passagem do AT não tem nada haver com a realidade:
"eu sou o deus de israel e faço justiça até a terceira e quarta geração ( ou seria reencarnação ? )"

Não, não tem nada com a realidade, muito menos com o carma, em especial devido a essa passagem NÃO se referir a fazer "justiça" a culpados reencarnados, mas sim a noção barbara antiga de um Deus FDP punindo não os culpados, mas os descendentes dos culpados, punindo o filho, neto e bisneto, pelos crimes do pai/avô/bisavô.

Você não está se quer "interpretando" aqui, está entendendo o que quer entender e tirando referencias a reencarnação, numa passagem que não trata dela, na tentativa de corroborar suas crenças.

Se bem me lembro a única passagem na biblia que poderia ser interpretada como fazendo referencia a algum tipo de reencarnação, é aquele em que Cristo diz que Elias já voltou, mas o povo não o reconheceu, na qual ele se referia a João Batista.
No AT acho que não existe referencia nenhuma com tal teor.
CRIATURO disse: mais justo pensar que nossos antepassados eramos0 nós mesmos em vidas passadas, e colhemos no presente o que nós mesmos plantamos no passado.

Não Criaturo, como já vimos esse raciocínio leva a conclusões contraditórias e ilógicas, sendo incompatível com o livre arbítrio.
CRIATURO disse: creio mais que seres inteligentes por razões desconhecidas determinam onde, quando e em que situação nasceremos, como ja disse quem acredita no acaso da sorte despreza a razão Deus.

Como vimos esse destino além de ilógico, já que não é possivel explicar os primeiros crimes ocorridos antes de qualquer pessoa ter um karma, é determinista e incompatível com o livre arbítrio.

Só você ainda não entendeu isso, por que não quis entender.
CRIATURO disse: voce esta tentando redescobrir a roda observando novamente o formato da lua, onde esta a novidade da lei mecânica da ação e reação ?

Quem fala sobre ação e reação, causa e efeito, são vocês espiritas.

O Karma oriental como já foi dito pelo Ayya, não é causa e efeito, ele lida com a ação em si e o apego a ação, com a identificação do individuo como sendo o autor do próprio ato.
O conceito visa justamente nos ensinar o desapego a nossos próprios atos e a não nos identificarmos com sendo seus autores, de modo a fugir do karma, ao fugirmos da ação em si.
Com o desapego nos tornamos o rio e já não existe mais um "eu" que possa ser considerado o autor de qualquer ação, desse modo nenhum ato nosso, seja bom ou ruim, gera karma, pois os atos já não são mais nossos, não são praticados por um "eu" que se pensa autor desses atos.

Infelizmente isso está um pouquinho além do que você pode compreender. O "não-agir" é um dos conceitos taoistas mais dificeis de se entender, de fato impossível de faze-lo usando a razão pura.

Quando você atinge o "não-agir" (que não guarda nenhuma relação com a inação e a omissão), seu atos não geram mais karma.
Como se vê a discussão do karma não gira minimamente em torno das "consequências" dos atos, mas sim na questão do apego e da identificação com a ação.
Post edited by sybok on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Exato, e graças a esse apego (que, neste caso, eu traduziria também por identificação) é possível agir e não produzir karma algum. Não digo que essa possibilidade esteja ao alcance do "homem comum", mas é relevante, dentro do conhecimento do karma, compreender esse funcionamento. Uma ação sem apego, sem identificação, é algo que não se vê relacionado ao conceito ocidental: o carma.

Agir sem produzir karma é o que no Taoismo chamam de "não-agir", "não-fazer" ou ainda "não-ação". Para evitar confusão com conceitos como omissão e inação, eles costumam tratar o conceito como "agir através do não-agir".
Lao Tsé falava muito sobre isso sem nunca mencionar termos como "karma".
Uma das coisas que gosto na religião comparada é isso cara, encontrar os mesmos conceitos sendo abordados por diferentes mestres, o que demonstra uma concordância naquilo que estão observando e tentando descrever.
A não identificação com a ação é a chave do não-agir.

O conceito ocidental de carma, se quer gira em torno do desapego ou busca um meio de fugir do carma, ele trabalha é com as consequências dos atos incentivando boas ações, o que só poderia levar ao acumulo de carma bom, algo que de nada resolve o problema de se gerar carma.
São conceitos muito diferentes. Não sei quem foi que associou a lei da causalidade ao termo carma... certamente foi alguém que não entendia nada do assunto.
Post edited by sybok on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: por favor não tente deturpar minhas palavras

Nunca será necessário.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Nem são os doutrinados, é o momento, um passo a trás dois a frente.

Deve haver algum propósito em tudo isso, embora eu nunca tenha conseguido encontrar um, ou conhecido alguém, além do Criaturo, que o tenha conseguido. Se eu tivesse essa capacidade de autoilusão, talvez tudo ficasse mais fácil. O fato, real e inescapável, é que a estupidez humana é insuportável.

Sobre aquela conversa que estamos ensaiando, poderíamos começar tentando responder a excelente questão proposta pelo Percival: Por que não existe um "Alcorão segundo o Espiritismo"? Daria um bom nome para o tópico.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
sybok disse: O conceito visa justamente nos ensinar o desapego a nossos próprios atos e a não nos identificarmos com sendo seus autores, de modo a fugir do karma, ao fugirmos da ação em si.
Com o desapego nos tornamos o rio e já não existe mais um "eu" que possa ser considerado o autor de qualquer ação, desse modo nenhum ato nosso, seja bom ou ruim, gera karma, pois os atos já não são mais nossos, não são praticados por um "eu" que se pensa autor desses atos.

Infelizmente isso está um pouquinho além do que você pode compreender. O "não-agir" é um dos conceitos taoistas mais dificeis de se entender, de fato impossível de faze-lo usando a razão pura.

Quando você atinge o "não-agir" (que não guarda nenhuma relação com a inação e a omissão), seu atos não geram mais karma.
Como se vê a discussão do karma não gira minimamente em torno das "consequências" dos atos, mas sim na questão do apego e da identificação com a ação.

Quem já me conhece como forista, deve saber que não costumo quotar postagem inteiras. Neste caso, faço uma exceção.

Uma palavra: Perfeito.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
sybok disse: A não identificação com a ação é a chave do não-agir.

O conceito ocidental de carma, se quer gira em torno do desapego ou busca um meio de fugir do carma, ele trabalha é com as consequências dos atos incentivando boas ações, o que só poderia levar ao acumulo de carma bom, algo que de nada resolve o problema de se gerar carma.

Eu poderia estar, agora, lendo um livro escrito por um grande mestre, um ser de fato consciente. E encontraria nesse livro ensinamentos desse nível...
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse:
Eu poderia estar, agora, lendo um livro escrito por um grande mestre, um ser de fato consciente. E encontraria nesse livro ensinamentos desse nível...

Claro que encontraria, foram dos livros desses grandes mestres que eu tirei esses ensinamentos, muito embora a capacidade de compreender de fato o significado desses conceitos só mesmo com muita prática.

Acho que você iria gostar do Tao Te king, como os conceitos que você tem mais contato parecem ser a moda budistas/hinduístas, acho que ficaria encantado com a linguagem taoista e com a forma meio poética dos versos.
A minha única queixa que tenho do Tao Te King é ser tão pequeno, adoraria que ele fosse do tamanho da biblia cristã ou ainda maior.
Post edited by sybok on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
sybok disse: Claro que encontraria, foram dos livros desses grandes mestres que eu tirei esses ensinamentos,

Sim, conheço sua dedicação à leitura e à pesquisa. O grande diferencial, meu amigo, é que você fez esses estudos e COMPREENDEU. Tente imaginar quantas pessoas tiveram contato com o não-agir e interpretaram que não deveriam fazer nada. Só para ficar em um exemplo.
sybok disse: Acho que você iria gostar do Tao Te king, como os conceitos que você tem mais contato parecem ser a moda budistas/hinduístas

Quase certeza de que comprei esse livro. Ou um livro com esse título. Mas nunca li. Tenho essa atração por comprar livros, mas, no caso da religião, nunca desenvolvi curiosidade suficiente para lê-los. Minha relação com a religião é algo muito difícil de ser explicada. Sei apenas que jamais vou fazer o que você fez.

Não importa que caminhos tomamos, você conquistou meu respeito desde a primeira postagem do NadaSei.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Percival disse:
Quem dera que eu fosse realmente ele, ao menos seria bonito

o cara é chato pra dedéu, só entra com comentários desnecessários e inconvinientes
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse:
Eu poderia citar aqui varia historias, mas acho um tanto inútil.
Deixo você com um link para uma historia contada pelo Osho e intitulada "O tapa na cara do Buda".
http://minesbastos.com/muito-mais/nova-era/o-tapa-na-cara-de-buda-osho/

muito bonita esta historia do Buda,onde a vitima perdoa o agressor e ele se arrepende,mas na pratica normalmente a moral da historia continua sendo a cristã as pessoas batem na sua cara e a seguir te colocam na cruz.
um jovem se encontrava em um bar teve um desentendimento com outro rapaz acompanhado por mais quatro amigos, ao sair do bar foi perseguido pelos cinco homens que passaram a espanca-lo na cara, pelas imagens é possivel perceber que a vitima sequer levanta o braço para se defender, ao cair foi espancado até a morte pelos cinco homens, a vitima era deficiente fisica e não possuía os movimentos dos membros superiores.
Se for como voce diz que não existe a lei do carma na tentativas inteligentes de se fazer justiça através dos mortos, pelo menos após a morte eu espero que exista na consciências dessas pessoas um tribunal e um juiz ao qual todos nós respeitamos muito, nós mesmos sem a mascara da hipocrisia humana.


agora veja o que buda pensa a respeito do homem que lhe bateu na cara:

Ele não bateu em mim; ele bateu nessa noção, nessa idéia a meu respeito; porque ele não me conhece, como ele pode me ofender? As pessoas devem ter falado alguma coisa a meu respeito, que “aquele homem é um ateu, um homem perigoso, que tira as pessoas do bom caminho, um revolucionário, um corruptor”. Ele deve ter ouvido algo sobre mim e formou um conceito, uma idéia. Ele bateu nessa idéia.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: CRIATURO disse:
Existem outros espíritos evoluídos e provavelmente acima de Jesus,mas ele é o mestre e talvez até o criador da raça humana
Criador da raça humana Criaturo? De onde você tirou isso?

"no principio era o verbo e sem ele nada do que existe se fez, ele veio pra o que eram seus ,mas os seus não o reconheceram."
"Antes de abraão ser eu ja existia, desde o principio eu vos tenho ajuntado debaixo das minhas asas como a galinha faz com seus pitinhos."
disse Felipe a Jesus,mestre mostra nos o Pai e isto basta: disse jesus "Felipe, estando eu a tanto tempo com voces ainda não me reconheceram, então como diz mostra nos ao Pai ? " "quem vê ao filho vê tambem ao Pai (eu acho que literalmente jesus é o nosso pai criador da raça humana).
E por isso venho ele a nos ensinar e não outro, amor de pai se sacrificando por seus filhos.
sybok disse: Você não está se quer "interpretando" aqui, está entendendo o que quer entender e tirando referencias a reencarnação, numa passagem que não trata dela, na tentativa de corroborar suas crenças.

e essa de Jó quanto a sua inocência: "me considero integro, porem não considero a eternidade da minha alma ?
sybok disse: Se bem me lembro a única passagem na biblia que poderia ser interpretada como fazendo referencia a algum tipo de reencarnação, é aquele em que Cristo diz que Elias já voltou, mas o povo não o reconheceu, na qual ele se referia a João Batista.
No AT acho que não existe referencia nenhuma com tal teor.

como não:

REENCARNAÇÃO
DO PROFETA ELIAS
COMO JOÃO BATISTA

Concordância BÍBLICA: 2 REIS
7 Ele perguntou-lhes: Qual aparência do homem que vos veio ao encontro e vos falou tais palavras ?
8 Eles responderam: era homem vestido de pêlos, com lombo cingido de um cinto de couro. Então disse ele: É Elias, o tesbita.
A PROFECIA DA REENCARNAÇÃO DE ELIAS EM MALAQUIAS 4
5 Eis que eu vos enviarei o profeta Elias (Ninguém que seja parecido com ele, ou que fará a sua missão, mas sim o próprio profeta Elias ), antes que venha o grande e terrível dia do Senhor.
Depois de muitos séculos a profecia se cumpriu em LC 1.13 Disse-lhe, porém o anjo: Zacarias não temas, porque a tua oração foi ouvida; e a tua mulher Isabel te dará um filho a quem darás o nome de JOÃO.
17 E irá adiante dele no espírito e poder de ELIAS....

MT 3
1 Naqueles dias apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia....
5 Usava João vestes de pêlos de camelo, e um cinto de couro, a sua alimentação era gafanhotos e mel silvestre.

Nestas passagem podemos observar que o profeta Elias ao nascer de novo como profeta João Batista manteve alguma lembrança da sua vida passada, não esquecendo a sua antiga função de profeta, nem das roupas que gostava de usar: “ Vestes de pêlos e um cinto de couro “, isto prova que ao reencarnarmos esquecemos muitas coisas, mas nunca o que realmente somos e principalmente daquilo que gostamos de fazer, ou seja ganhamos um corpo novo, mas o nosso espírito continua sendo o mesmo de onde paramos. Para que não fique duvidas que o profeta Elias reencarnou mesmo como o profeta João Batista, Jesus confirmou isso em:
MT 11 JESUS DA TESTEMUNHO DE JOÃO
Aqui Jesus vai dizer para os que tem “ ouvido para ouvir” quem é o profeta João Batista.
14 E se o quereis reconhecer, ele mesmo é Elias, que estava para vir, quem tiver ouvidos ouça.

MT 17 A VINDA DE ELIAS
12 Eu porém, vos declaro que Elias venho e não o reconheceram, antes fizeram com ele tudo quanto quiseram.
Então os discípulos entenderam que lhes falara de João Batista.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: CRIATURO disse: creio mais que seres inteligentes por razões desconhecidas determinam onde, quando e em que situação nasceremos, como ja disse quem acredita no acaso da sorte despreza a razão Deus.

Como vimos esse destino além de ilógico, já que não é possivel explicar os primeiros crimes ocorridos antes de qualquer pessoa ter um karma, é determinista e incompatível com o livre arbítrio.

Só você ainda não entendeu isso, por que não quis entender.
eu não entendo direito a sua visão da vida após a morte,mas penso que trata-se da continuação desta e tanto la quanto aqui não existem grandes diferenças nem milagres instantâneos de uma sabedoria gratuita.
Por tanto aquilo que conheço por carma não passa de tentativas de justiças humanas feitas neste mundo e tambem no por vir,aguarde....he..he..he..he.he....que talvez voce poderá a ver alguma lógica nisto.
Aqui nossos responsáveis terrenos pai e mãe assumem a responsabilidade por nossa evolução muitas vezes acreditando-se mais experientes nos impondo a vontade deles subjugando o nosso livre arbítrio, por exemplo ao querer determinar o nosso futuro profissional nos direcionando para algum tipo de formação especifica conforme a vontade deles.
Mas o fato de um pai planejar que seu filho seja um politico não impedirá que ele venha ser um monge budista.
Assim creio que antes de reencarnarmos nossos pais "espirituais" tambem determine um plano conforme o entendimento deles o melhor caminho para nossa evolução,mas de forma alguma somos escravizados por esse plano espiritual e podemos optar por andar por outros caminhos que não foram planejados por eles, mas considerando que eles são mais experientes normalmente quando isso acontece os resultados não são os melhores, caso contrario sairemos da condição de aprendizes entraremos na posição de mestres, se bem que esta posição Criadores e criaturas são possíveis ao mesmo tempo, tipo pai, filho e netos formam a grande família universal.
Post edited by CRIATURO on julho 2013
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
CRIATURO disse:

Esta sua colocação justifica bem o porque deixou de ser cristão e optou por ser ateu.
se voce vê no perdão idiotice , qual seria o seu conceito a respeito da vingança ?
Há crimes que não podem ser perdoados e quem dá a outra face é um idiota.
Nenhuma civilização sobreviverá se todos forem bonzinhos com quem lhes faz mal e, se o ladrão lhes tomar o casaco, derem também a camisa.

Frase idiota de livro barato de auto-ajuda.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: O conceito visa justamente nos ensinar o desapego a nossos próprios atos e a não nos identificarmos com sendo seus autores, de modo a fugir do karma, ao fugirmos da ação em si.

o desapego a ação não seria algo irracional ?
sybok disse: Com o desapego nos tornamos o rio e já não existe mais um "eu" que possa ser considerado o autor de qualquer ação, desse modo nenhum ato nosso, seja bom ou ruim, gera karma, pois os atos já não são mais nossos, não são praticados por um "eu" que se pensa autor desses atos.

começas a incitar meu ego ateu,neste caso a crença no Karma nos torna irresponsáveis por nosso atos ?
Seria o karma uma ideia criando em nós um personagem irresponsável e livre de compromissos conscientes em assumir reações causadas por suas ações ?
sybok disse: Infelizmente isso está um pouquinho além do que você pode compreender. O "não-agir" é um dos conceitos taoistas mais dificeis de se entender, de fato impossível de faze-lo usando a razão pura.

não passo de um ignorante metido a filosofo que faz questão de agir e reagir sempre passivo ou não.
sybok disse: Quando você atinge o "não-agir" (que não guarda nenhuma relação com a inação e a omissão), seu atos não geram mais karma.

fale mais sobre o não agir
sybok disse: Como se vê a discussão do karma não gira minimamente em torno das "consequências" dos atos, mas sim na questão do apego e da identificação com a ação.

penso que as consequências que mantem a vida ou não, portanto não podem e não devem ser desprezadas, também não acho muito coerente criar um eu mecânico e coloca-lo como testa de ferro frente nossas responsabilidades.

·  CRIATURO Membro
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:10

julho 2013 0
Fernando_Silva disse: Há crimes que não podem ser perdoados e quem dá a outra face é um idiota.
Nenhuma civilização sobreviverá se todos forem bonzinhos com quem lhes faz mal e, se o ladrão lhes tomar o casaco, derem também a camisa.

Frase idiota de livro barato de auto-ajuda.

visão limitada de um ser crente na sua morte eterna, do tipo "ja que ficarei por pouco aproveitarei o máximo possível, não na sabedoria que perderei com o corpo e sim com os prazeres que o corpo me proporciona enquanto viver."
entendo como perdoar é abandonar o sentimento do desejo de fazer o outro sofrer, mas entender que erramos é nossa obrigação é para isso que todos nós estamos aqui.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
sybok disse: O conceito ocidental de carma, se quer gira em torno do desapego ou busca um meio de fugir do carma, ele trabalha é com as consequências dos atos incentivando boas ações, o que só poderia levar ao acumulo de carma bom, algo que de nada resolve o problema de se gerar carma.
São conceitos muito diferentes. Não sei quem foi que associou a lei da causalidade ao termo carma... certamente foi alguém que não entendia nada do assunto.

Depende de como se vë Sybok, quem percebe que a natureza humana não dá saltos pode sim traduzir o karma oriental para o ocidental dessa forma, uma simplificação, um primeiro passo. Por que? Por respeitar as etapas do processo, o primeiro passo é se livrar do carma ruim, e fazendo um adendo aqui acredito sim que existe uma primordial razão para a busca do Bem como modo de vida apesar de entender perfeitamente o sentido do desapego em toda e qualquer ação.

Não são conceitos diferentes na essëncia.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
sybok disse: Uma das coisas que gosto na religião comparada é isso cara, encontrar os mesmos conceitos sendo abordados por diferentes mestres, o que demonstra uma concordância naquilo que estão observando e tentando descrever.

Também acredito que a busca é por aí, e um tantinho mais ampliada na verdade, rs
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: Uma das coisas que gosto na religião comparada é isso cara, encontrar os mesmos conceitos sendo abordados por diferentes mestres, o que demonstra uma concordância naquilo que estão observando e tentando descrever.

escolas de iniciados egípcios ensinam coisas semelhantes ao kardecismo frances
Ayyavazhi disse: O fato, real e inescapável, é que a estupidez humana é insuportável.

calma! que esta sua visão negativista pode lhe ser deprimente portanto muito perigosa.
Ayyavazhi disse:
Quem já me conhece como forista, deve saber que não costumo quotar postagem inteiras. Neste caso, faço uma exceção.

Uma palavra: Perfeito.

mais do mesmo.
Ayyavazhi disse: Sim, conheço sua dedicação à leitura e à pesquisa. O grande diferencial, meu amigo, é que você fez esses estudos e COMPREENDEU. Tente imaginar quantas pessoas tiveram contato com o não-agir e interpretaram que não deveriam fazer nada. Só para ficar em um exemplo.

temos os adventistas
Ayyavazhi disse: Não importa que caminhos tomamos, você conquistou meu respeito desde a primeira postagem do NadaSei.

vou trocar de nick para TudoSei, que tal ?
Post edited by CRIATURO on julho 2013
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Deve haver algum propósito em tudo isso, embora eu nunca tenha conseguido encontrar um, ou conhecido alguém, além do Criaturo, que o tenha conseguido. Se eu tivesse essa capacidade de autoilusão, talvez tudo ficasse mais fácil. O fato, real e inescapável, é que a estupidez humana é insuportável.

Como o meu caminho espirirtual é basicamente conectado ao entendimento do ser humano com uma ajuda do que compreendo das religiões fica mais fácil entender pelo menos parte do imbróglio. E Ayya, todos nós somos estúpidos só muda a grandeza da coisa.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Sobre aquela conversa que estamos ensaiando, poderíamos começar tentando responder a excelente questão proposta pelo Percival: Por que não existe um "Alcorão segundo o Espiritismo"? Daria um bom nome para o tópico

O Evangelho segundo o Espiritismo traduz, a luz da existëncia do espírito, algumas partes do evangelho da Bíblia, não a Bíblia inteira.

Em algum lugar da Bíblia é dito que o Consolador virá, pois bem o Consolador seria a doutrina espírita. Será que isso é dito no Alcorão?
·  Azathoth Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: O Evangelho segundo o Espiritismo traduz, a luz da existëncia do espírito, algumas partes do evangelho da Bíblia, não a Bíblia inteira.
Em algum lugar da Bíblia é dito que o Consolador virá, pois bem o Consolador seria a doutrina espírita. Será que isso é dito no Alcorão?

Sim, o "Evangelho segundo o Espiritismo", que não terminei de ler, baseia-se apenas numa parte do Novo Testamento. E me parece que NÃO HÁ um Consolador no Alcorão.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: o desapego a ação não seria algo irracional ?

Vou meter minha colher, rs. Não, seria a ação natural, o conhecido Bem pelo Bem, sem que a pessoa se sinta como 'o' cara por të-la feito, sem alimentar o ego. Poderia dizer que seria o ápice do desenvolvimento da consciëncia ou do espírito como queira.
·  1500 Comentários sorted by Votes Date Added
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Não são conceitos diferentes na essëncia.

Vejo muita diferença, Sônia. Principalmente na noção de justiça que foi atrelada ao conceito ocidental. Essa distorção não corrompe apenas o princípio kármico, mas afeta toda a nossa percepção da existência. Existência, essa, que não compreendemos, mesmo sem a ajuda de ideias equivocadas.

Esse conceito de justiça plantou uma ideia de que vivemos em um mundo perfeito, onde nada acontece senão dentro de propósitos e leis perfeitas e justas. Os desdobramentos e consequências desse erro, nós já conhecemos.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Em algum lugar da Bíblia é dito que o Consolador virá, pois bem o Consolador seria a doutrina espírita. Será que isso é dito no Alcorão?

Bem, então isso afasta qualquer possibilidade de que eu tenha sido injusto em meus comentários. Mas eu não gostaria de poluir este tópico, mais do que já está. Proponho um tópico novo.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Depende de como se vë Sybok, quem percebe que a natureza humana não dá saltos pode sim traduzir o karma oriental para o ocidental dessa forma, uma simplificação, um primeiro passo. Por que? Por respeitar as etapas do processo, o primeiro passo é se livrar do carma ruim, e fazendo um adendo aqui acredito sim que existe uma primordial razão para a busca do Bem como modo de vida apesar de entender perfeitamente o sentido do desapego em toda e qualquer ação.

Eu sempre fico curioso sobre como você oscila entre a fé e a razão. Esse pensamento aí em cima está muito bom. Muito coerente e racional. O que você está dizendo, em outras palavras, é o mesmo que eu já disse outras vezes: o espiritismo trabalha com ensinamentos primários.

Mas, no momento em que chamei seis de meia dúzia, sua fé irá reagir. Ou não?
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Vejo muita diferença, Sônia. Principalmente na noção de justiça que foi atrelada ao conceito ocidental. Essa distorção não corrompe apenas o princípio kármico, mas afeta toda a nossa percepção da existência. Existência, essa, que não compreendemos, mesmo sem a ajuda de ideias equivocadas.

Carma sendo visto como ações más ou ruins gera isso tudo? No
Ayyavazhi disse: Esse conceito de justiça plantou uma ideia de que vivemos em um mundo perfeito, onde nada acontece senão dentro de propósitos e leis perfeitas e justas. Os desdobramentos e consequências desse erro, nós já conhecemos.

O conceito de justiça nem de longe está atrelado ao carma, isso nem foi mencionado na codificação, é moderno.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: salgueiro disse: Em algum lugar da Bíblia é dito que o Consolador virá, pois bem o Consolador seria a doutrina espírita. Será que isso é dito no Alcorão?


Bem, então isso afasta qualquer possibilidade de que eu tenha sido injusto em meus comentários. Mas eu não gostaria de poluir este tópico, mais do que já está. Proponho um tópico novo.

Honestamente, nem consigo entender essa sua colocação. Existe uma razão para a associação entre o evangelho cristão ter uma 'tradução' espírita, a que coloquei acima e não tenho a menor idéia do por que fazer isso com o Alcorão. Não entendo.
·  salgueiro Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Eu sempre fico curioso sobre como você oscila entre a fé e a razão.

O lado razão é o prepoderante mas essa sou eu, rs.
Ayyavazhi disse: O que você está dizendo, em outras palavras, é o mesmo que eu já disse outras vezes: o espiritismo trabalha com ensinamentos primários.

E eu sempre disse que é 'uma janela para o conhecimento'. Sei exatamente onde piso Ayya,

Ayyavazhi disse: Mas, no momento em que chamei seis de meia dúzia, sua fé irá reagir. Ou não?[/quote]

Como sempre disse para vc, não sou uma pessoa de fé, pelo menos fé religiosa, nem entendo muito isso até por ter barreiras racionais fortes contra determinadas necessidades que até onde percebo essa fé religiosa impõe. Sendo assim dificilmente reajo por fé.
Post edited by salgueiro on julho 2013
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
CRIATURO disse:
visão limitada de um ser crente na sua morte eterna, do tipo "ja que ficarei por pouco aproveitarei o máximo possível, não na sabedoria que perderei com o corpo e sim com os prazeres que o corpo me proporciona enquanto viver."
entendo como perdoar é abandonar o sentimento do desejo de fazer o outro sofrer, mas entender que erramos é nossa obrigação é para isso que todos nós estamos aqui.
Um monte de conclusões erradas, mas não adianta insistir com certas pessoas, ainda mais aquelas que se iludem com uma mitologia que elas próprias criaram.
·  Azathoth Membro
julho 2013 0
sybok disse: É possível falar sobre Karma coletivo, onde uma ação cria um efeito e onde TODOS na sociedade estão sujeitos a esse efeito, tenham sido eles os autores da ação ou não. Isso significa que se VOCÊ realiza uma ação que cria karma, EU posso sofrer o resultado desse karma, posso até RESGATAR esse karma e anular seus efeitos (sim, uma pessoa pode sofrer pelo karma de outra, pode também resgatar o karma gerado por outra pessoa), enquanto você pode, se tiver alguma sorte, fugir das consequências do karma criado por você. O problema é que você em geral vai continuar agindo desse mesmo modo, o que significa que vai continuar gerando outros karmas iguais a esse, o que também significa que dificilmente pode fugir sempre do resultados karmico de seus próprios atos. O karma então não "expia culpas", ele é apenas o resultado criado por uma ação, seja ela boa ou ruim. Em poucas palavras apenas entenda que o Karma NÃO é o Carma. O conceito ocidental que se ouve por aqui é apenas uma distorção do karma.

Sybok,

Obrigado pelo esclarecimento, vejo agora que eu tinha uma visão errônea do Karma. Quanto aos atos perdurarem bem depois da Morte, não acho nada absurdo, lembro de uma fase do imperador romano Marcus Aurelius, em "Gladiador": Nossos atos ecoam pela eternidade. Eu concordo, pois Thomas Alva Edison inventou a lâmpada elétrica, morreu faz muito tempo e a lâmpada elétrica está aí até os dias de hoje. O descobridor da vacina contra poliomielite já morreu, mas sua descoberta salvou - e salva - milhões de crianças. Pena que o mesmo vale para Hitler e o nazismo, Marx e o marxismo... Preciso estudar um pouco mais sobre o budismo. Mas fico feliz de saber que a doutrina de Sidarta Gautama NÃO ENDOSSA um Deus centreal ou pessoal, muito menos uma alma imortal!
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
salgueiro disse: CRIATURO disse: o desapego a ação não seria algo irracional ?

Vou meter minha colher, rs. Não, seria a ação natural, o conhecido Bem pelo Bem, sem que a pessoa se sinta como 'o' cara por të-la feito, sem alimentar o ego. Poderia dizer que seria o ápice do desenvolvimento da consciëncia ou do espírito como queira.

isto seria o ideal cristão,mas me parece eles pregam a pratica desapegada tambem para ações negativas, se não me engano o Ayya ja chegou a dizer que mesmo se Jesus praticasse uma má ação por ser desapegada ele não contrairia nenhum carma negativo.
e o Sybok ou o ayya ou ainda ambos ja tentaram defender que tanto faz ser uma freira ou um criminoso que tudo isso não passa de personagens causados pela ilusão do ego, de forma que isto não implica em carma algum.

o animal pratica ações despegadas mesmo quando causa o prazer ou sofrimento dos outros.
Post edited by CRIATURO on julho 2013
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: mas me parece eles pregam a pratica desapegada tambem para ações negativas, se não me engano o Ayya ja chegou a dizer que mesmo se Jesus praticasse uma má ação por ser desapegada ele não contrairia nenhum carma negativo.
e o Sybok ou o ayya ou ainda ambos ja tentaram defender que tanto faz ser uma freira ou um criminoso que tudo isso não passa de personagens causados pela ilusão do ego, de forma que isto não implica em carma algum.

Dessa forma, só esperando o posicionamento de um deles caso desejem. A minha compreensão é diferente disso.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Esse conceito de justiça plantou uma ideia de que vivemos em um mundo perfeito, onde nada acontece senão dentro de propósitos e leis perfeitas e justas. Os desdobramentos e consequências desse erro, nós já conhecemos.

isso não passa de uma má interpretação do carma, quem foi que disse que carma representa a justiça perfeita de Deus ?
O carma não passa de uma tentativa da justiça humana,portanto passível de erros.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: O conceito de justiça nem de longe está atrelado ao carma, isso nem foi mencionado na codificação, é moderno.

então o que estaria atrelado ao carma, o aprendizado ?
·  salgueiro Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
CRIATURO disse: então o que estaria atrelado ao carma, o aprendizado ?

Até onde sei o sentido ocidental do carma seria o de más ações e não de simplemente ação Então estaria ligado ao aprendizado, a meu ver, rs

Já vi muitas vezes usado como sinönimo de destino, isso por não espíritas.
Post edited by salgueiro on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
CRIATURO disse: muito bonita esta historia do Buda,onde a vitima perdoa o agressor e ele se arrepende,mas na pratica normalmente a moral da historia continua sendo a cristã as pessoas batem na sua cara e a seguir te colocam na cruz.

É o mesmo ensinamento de dar a outra face de Jesus. Só isso.
Como dito, nada de novo ou único, Buda, Lao Tsé, Krishna e Cristo falavam as mesmas coisas, assim como outros tantos mestres não citados.
Esse é o ponto.
CRIATURO disse: Se for como voce diz que não existe a lei do carma na tentativas inteligentes de se fazer justiça através dos mortos, pelo menos após a morte eu espero que exista na consciências dessas pessoas um tribunal e um juiz ao qual todos nós respeitamos muito, nós mesmos sem a mascara da hipocrisia humana.

Lei do carma como a descrita por você não existe mesmo.
O que existem são injustiças e vitimas inocentes, assim como consequências a que estão sujeitos os culpados, o que não faz as vitimas inocentes desaparecerem ou deixarem de ser inocentes vitimados.
O que não existe é uma perfeição determinista capaz de resolver magicamente todos os problemas da existência do mal no mundo.
CRIATURO disse: agora veja o que buda pensa a respeito do homem que lhe bateu na cara:

Ele não bateu em mim; ele bateu nessa noção, nessa idéia a meu respeito; porque ele não me conhece, como ele pode me ofender? As pessoas devem ter falado alguma coisa a meu respeito, que “aquele homem é um ateu, um homem perigoso, que tira as pessoas do bom caminho, um revolucionário, um corruptor”. Ele deve ter ouvido algo sobre mim e formou um conceito, uma idéia. Ele bateu nessa idéia.

E?
Está certo ele, o agressor bateu numa projeção de sua própria mente.
CRIATURO disse: quem vê ao filho vê também ao Pai

Sua interpretação força a barra tanto quanto a de que Cristo é Deus.
Quem vê ao filho vê também ao pai com o qual ele é "um", trata-se tão somente da mesma unidade já descrita entre Cristo e Deus, esse mesmo Deus que aparentemente só se manifesta através de seus filhos e nunca através de uma forma própria.

Os discipulados não pediram para ver o ser que os "criou", tanto quanto não pediram para ver o próprio pai que forneceu o esperma sem o qual não existiriam.
Quando se referiram ao "pai" falavam sobre Deus, a resposta de Cristo é por tanto sobre Deus e não sobre um ser qualquer que tenha criado a raça humana.
CRIATURO disse: e essa de Jó quanto a sua inocência: "me considero integro, porem não considero a eternidade da minha alma ?
Eternidade da alma nada tem de necessário com reencarnação.
Se eu morro e meu espirito imortal vai pro céu ou pro inferno, não preciso reencarnar.

No judaísmo existe o conceito de transmigração da alma, mas isso é parte do ramo "mistico" do judaísmo, o pessoal ai das cabalas e do Zohar.
No entanto no AT (Torá para os Judeus), não existe base para sustentar a reencarnação.

O mesmo vale para os cristãos no que se refere a crença nesse conceito, mas como dito, no novo testamento existe o caso de João Batista, esse sim pode ser interpretado como uma referencia a tal conceito.
CRIATURO disse:
sybok disse: Se bem me lembro a única passagem na biblia que poderia ser interpretada como fazendo referencia a algum tipo de reencarnação, é aquele em que Cristo diz que Elias já voltou, mas o povo não o reconheceu, na qual ele se referia a João Batista.
No AT acho que não existe referencia nenhuma com tal teor.

como não:

REENCARNAÇÃO
DO PROFETA ELIAS
COMO JOÃO BATISTA

(...) É Elias, o tesbita.
(...) mulher Isabel te dará um filho a quem darás o nome de JOÃO.
17 E irá adiante dele no espírito e poder de ELIAS....
(...)
Nestas passagem podemos observar que o profeta Elias ao nascer de novo como profeta João Batista

Foi justamente o que eu disse, no novo testamento temos como única referencia possível de se interpretar como mencionando a reencarnação, o caso de Elias retornando como João Batista.
No antigo testamento no entanto, até onde me lembro não existe nada parecido e muito embora o AT fale sobre Elias, é só no novo testamento e no caso de João Batista, que fazem qualquer referencia a ligação entre os dois, dando margem a falar sobre reencarnação.
CRIATURO disse: Por tanto aquilo que conheço por carma não passa de tentativas de justiças humanas feitas neste mundo e tambem no por vir,aguarde....he..he..he..he.he....que talvez voce poderá a ver alguma lógica nisto.
A lei da causalidade espirita, que nada tem de parecido com o karma, é hipoteticamente possível quando interpretada de outro modo, mas não quando interpretada como você a interpreta, dando um sentido contraditório de perfeição onde é impossível fazer vitimas inocentes e onde tudo o que sofremos é resultado não dos atos dos outros, mas dos nossos próprios atos.

Post edited by sybok on julho 2013
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:10

·  sybok Membro
julho 2013 0
Fernando_Silva disse: Há crimes que não podem ser perdoados e quem dá a outra face é um idiota.
Nenhuma civilização sobreviverá se todos forem bonzinhos com quem lhes faz mal e, se o ladrão lhes tomar o casaco, derem também a camisa.

Frase idiota de livro barato de auto-ajuda.
A interpretação do ensinamento é que costuma ser piegas e imbecil.
Cristo ainda diz que se alguém nos obriga a andar uma milha, devemos andar duas com ele.

O contexto desses ensinamento, no entanto, é que é distorcido.
Na logica com a qual trabalham esses mestres, somos todos escravos, mas antes de sermos escravos de forças externas, somos escravos dos mecanismos internos de nossa própria mente.

Dar a outra face, não tem muita relação com ser bonzinho com os outros, como o significado de "perdoar" ganha entre cristãos, se for olhar o post que fiz ao Criaturo e reparar nas palavra do Buda, ou no conto dos ex-prisioneiros, onde o que perdoou seus carcereiros diz ao que não perdoou, que então ele continua "prisioneiro" deles, isso tudo gira em torno não da situação externa em si, mas das questões mentais do individuo.

O rancor é uma força mental escravagista como qualquer desejo e apego.
O ensinamento é de libertação mental e só isso.
·  sybok Membro
julho 2013 0
salgueiro disse:
Depende de como se vë Sybok, quem percebe que a natureza humana não dá saltos pode sim traduzir o karma oriental para o ocidental dessa forma, uma simplificação, um primeiro passo. Por que? Por respeitar as etapas do processo, o primeiro passo é se livrar do carma ruim,
O problema Sal, é que o conceito de Karma no oriente, visa focar o sujeito na ação e no agente da ação, nas nas consequências e nas vitimas, como o conceito ocidental faz.
Acabasse tratando dua assunto completamente distinto.
salgueiro disse:
e fazendo um adendo aqui acredito sim que existe uma primordial razão para a busca do Bem como modo de vida apesar de entender perfeitamente o sentido do desapego em toda e qualquer ação.

Não são conceitos diferentes na essëncia.
Sim é claro que existe Salgueiro, mas essa não é exatamente a função da pratica religiosa, em especial devido ao fato de que um ser humano podre não consegue buscar o bem comum se focando no mundo lá fora.
Aqui sujeitos buscando "perfeição" e "justiça social" já mataram milhões e escravizaram bilhões.

A prática religiosa fala de autoaperfeiçoamento, nos manda esquecer César e dar a ele o que pede, para nos concentrarmos a dar a Deus o que ele pede, nosso autoaperfeiçoamento.
As pessoas ficam falando em bem comum sem entender que o mundo é mero reflexo daquilo que somos e o foco do individuo, deve ser sempre em aprender e mudar a si próprio.

E mais as praticas religiosas não procuram dar uma receita de bolo sobre como devemos viver, não são uma filosofia de vida sobre a forma correta de viver.
Eles nos ensinam a forma ERRADA de viver, mas a forma que nos permite aprendizado sobre nós mesmos.

É como a questão de dar a outra face e se fazer o menor de todos os homens. Quem já pois isso em prática sabe o que acontece, as pessoas a nossa volta se fazem gigantes e é ai que pisam mais ainda na gente.
Na verdade, o correto é o sujeito saber se impor, saber crescer e diminuir no momento correto segundo o tamanho do outro, sempre se colocando no mesmo nível.

A questão é: Como sabemos o tamanho correto? Ninguém nunca sabe, sempre acham que sabem e sempre erram. Mas podemos aprender nos fazendo pequenos e sendo pisados, assim deixamos os erros dos gigantes se mostrarem bem visíveis para nós. Assim podemos aprender através do erro deles.

Religião é isso, sempre se aplica a nós, ao nosso aprendizado, a nossa mudança e a sermos mentalmente fortes e controlados. O resto será consequência daquilo que nos tornaremos, esse é o único caminho para o bem comum, para uma sociedade onde as pessoas conhecem a si próprias e não buscam o mal alheio levadas por ganancia, ciumes, medo, raiva ou o que seja.
·  sybok Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: e o Sybok ou o ayya ou ainda ambos ja tentaram defender que tanto faz ser uma freira ou um criminoso que tudo isso não passa de personagens causados pela ilusão do ego, de forma que isto não implica em carma algum.
Dizemos é o OPOSTO disso, que tanto ser freira quanto ser criminoso, resulta em karma.
No primeiro caso em karma bom e no segundo caso em karma ruim.
E não, nunca dissemos que tanto faz ser uma freira ou um criminoso, dizemos apenas que nenhuma das duas coisas leva a libertação.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
sybok disse: O problema Sal, é que o conceito de Karma no oriente, visa focar o sujeito na ação e no agente da ação, nas nas consequências e nas vitimas, como o conceito ocidental faz.
Acabasse tratando dua assunto completamente distinto.

As más ações tem um sujeito, certo? É nesse sujeito que o foco está, então não é tão distinto assim. Seria como olhar o mesmo de trás para frente, rs.
sybok disse: Sim é claro que existe Salgueiro, mas essa não é exatamente a função da pratica religiosa, em especial devido ao fato de que um ser humano podre não consegue buscar o bem comum se focando no mundo lá fora.

Para se realizar o auto-aperfeiçoamento necessitamos de bases, de um norte e o Bem é essa base.
sybok disse: A prática religiosa fala de autoaperfeiçoamento, nos manda esquecer César e dar a ele o que pede, para nos concentrarmos a dar a Deus o que ele pede, nosso autoaperfeiçoamento.

Correto, mas jamais se esquecendo que se vive no mundo de César. Já larguei muito livro de lado onde se insinuava que devemos viver como espírito enquanto 'vivos'. Afffe!!
sybok disse: As pessoas ficam falando em bem comum sem entender que o mundo é mero reflexo daquilo que somos e o foco do individuo, deve ser sempre em aprender e mudar a si próprio

Alguém mais esperto que eu já disse 'queres mudar o mundo? Muda a ti mesmo'
sybok disse: E mais as praticas religiosas não procuram dar uma receita de bolo sobre como devemos viver, não são uma filosofia de vida sobre a forma correta de viver.
Eles nos ensinam a forma ERRADA de viver, mas a forma que nos permite aprendizado sobre nós mesmos.

Hummm, mais ou menos, receita de bolo não tem mesmo, é só ver o número de religiões que existem para perceber que o trabalho é complexo mas existem direcionamentos sim. Difícil é por em prática, rs
sybok disse: É como a questão de dar a outra face e se fazer o menor de todos os homens. Quem já pois isso em prática sabe o que acontece, as pessoas a nossa volta se fazem gigantes e é ai que pisam mais ainda na gente.

Bem, do jeito que entendo o dar a outra face, é procurar retribuir o mal recebido com o bem, nesse ponto sempre coloco o meu adendo que é, o bem possível dentro das circunstäncias.
sybok disse: Religião é isso, sempre se aplica a nós, ao nosso aprendizado, a nossa mudança e a sermos mentalmente fortes e controlados. O resto será consequência daquilo que nos tornaremos, esse é o único caminho para o bem comum, para uma sociedade onde as pessoas conhecem a si próprias e não buscam o mal alheio levadas por ganancia, ciumes, medo, raiva ou o que seja.

É isso.
·  DeiseGarcia Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Por que?

Isto é o mesmo que perguntar porque o oxigênio é necessário a manutenção da vida. Quando Deus deu o sopro da vida a humanidade passamos a ser espíritos eterno como Ele. Porque precisamos do oxigênio para viver e ele se torna desnecessário após a morte ninguém poderá responder.
Post edited by DeiseGarcia on julho 2013
·  DeiseGarcia Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Quando todos os espíritos se tornarem elevados, eles vão fazer o que exatamente?

Ajudar na evolução. Os espíritas acreditam que os espíritos elevados não tem mais encarnação por espiação, porém podem encarnar para cumprir uma missão, como foi o caso do Cristo.

Por aqui, por muitas vezes observei entendimento errôneo sobre a morte do Cristo colocando seu flagelo como espiação. Na verdade ele cumpriu uma missão e por estar entre os "involuidos" ficou sujeito a morte segundo o julgamento e aplicação da lei da sua época.
·  DeiseGarcia Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Idem!



Ayyavazhi disse: No entanto, como eu disse, a resposta simples nem sempre é a verdadeira, e não cabe a mim fazer escolhas. Isso é prerrogativa de crentes.

Não necessariamente. A resposta simples só tem poder de convencer aqueles que já foram convencidos por outras circunstâncias. Mas a resposta simples também tem que se coadunar com aquilo que lhe vai no coração.

Cada um vive seu momento evolutivo. Existe um velho adágio que diz 'todos os caminhos levam a Deus'.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: isso não passa de uma má interpretação do carma, quem foi que disse que carma representa a justiça perfeita de Deus ?
O carma não passa de uma tentativa da justiça humana,portanto passível de erros.

E de que forma você acha que isso poderia ser uma boa coisa a se revelar? Depois de tudo o que já foi dito sobre o 'carma' de vocês, incluindo as habituais defesas de quem não suporta estar errado, você vem dizer que esse troço é uma TENTATIVA de justiça, HUMANA, e passível de erros?

Sua "boa interpretação" só torna mais criminosa a atitude de culpar a vítima, como é de praxe em quem acredita nas bobagens que ouve.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Carma sendo visto como ações más ou ruins gera isso tudo?

Você se atrasa dez minutos para um compromisso e depois descobre que esse atraso salvou sua vida. Nós não conseguimos prever as consequências de uma parada para um cafezinho; quantos desdobramentos poderiam advir de uma ideia errada? Eu penso, sim, que a crença em uma ilusão pode comprometer toda a nossa percepção da existência.
salgueiro disse: O conceito de justiça nem de longe está atrelado ao carma, isso nem foi mencionado na codificação, é moderno.

Então a codificação é como a bíblia, cada um interpreta do jeito que quiser?
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Honestamente, nem consigo entender essa sua colocação. Existe uma razão para a associação entre o evangelho cristão ter uma 'tradução' espírita, a que coloquei acima e não tenho a menor idéia do por que fazer isso com o Alcorão. Não entendo.

A briga "Alcorão X Bíblia" ou "Qualquer-outro-livro-sagrado X Bíblia", eu vou deixar para outra hora. Vamos falar no consolador.

Dei uma olhadinha no santo google e descobri que o número de espíritas no planeta se aproxima de sete milhões de pessoas. Então, a bíblia anunciou um consolador para as minorias? Os outros bilhões de seres humanos não merecem a mesma deferência? Em que aspecto essa ideia se difere da afirmação de outros crentes, ao anunciarem que suas religiões são as 'certas'?
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: É o mesmo ensinamento de dar a outra face de Jesus. Só isso.
Como dito, nada de novo ou único, Buda, Lao Tsé, Krishna e Cristo falavam as mesmas coisas, assim como outros tantos mestres não citados.
Esse é o ponto.

Jesus foi alem ensinando na pratica que devemos dar mais que a outra face, devemos dar a nossa vida pelo outro, ta lembrado: "quem tentar conservar sua vida ira perde-la quem se doar ao outro ira´recupera-la com abundancia, porque não existe amor maior do que este."
sybok disse: O que existem são injustiças e vitimas inocentes, assim como consequências a que estão sujeitos os culpados, o que não faz as vitimas inocentes desaparecerem ou deixarem de ser inocentes vitimados.

nem todos são vitimas nem inocente e voce tambem não esta com essa "pureza" toda, apenas tenta acusar Deus de ser injusto.
sybok disse: O que não existe é uma perfeição determinista capaz de resolver magicamente todos os problemas da existência do mal no mundo.

óbvio
sybok disse: E?
Está certo ele, o agressor bateu numa projeção de sua própria mente.

não! bateram no Buda porque pensaram que ele era um ateu, segundo o Buda : é um ateu, um homem perigoso, que tira as pessoas do bom caminho, um revolucionário, um corruptor”
sybok disse: CRIATURO disse: e essa de Jó quanto a sua inocência: "me considero integro, porem não considero a eternidade da minha alma ?
Eternidade da alma nada tem de necessário com reencarnação.
Se eu morro e meu espirito imortal vai pro céu ou pro inferno, não preciso reencarnar.

No judaísmo existe o conceito de transmigração da alma, mas isso é parte do ramo "mistico" do judaísmo, o pessoal ai das cabalas e do Zohar.
No entanto no AT (Torá para os Judeus), não existe base para sustentar a reencarnação.

Jó afirma ser inocente porem desconhece a eternidade de sua alma , ou seja nesta vida atual ele se considera integro mas, desconhece as ações passadas da sua alma, antes desta vida,mas não sabia que voce tinha esta visão de céu e inferno.
sybok disse: Foi justamente o que eu disse, no novo testamento temos como única referencia possível de se interpretar como mencionando a reencarnação, o caso de Elias retornando como João Batista.

um exemplo para cada possibilidade para os que tem ouvidos, ja ta de bom tamanho , né?
AT: médium de Endor incorporar espirito do profeta Samuel.
NT: Jesus conversa com os espíritos de Elias e Moisés no moente da transfiguração com testemunhas dos seus discípulos.
Quanto a crença dos judeus eles citavam a reencarnação como ressuscitação:
"quem dizem os judeus serem o filho do homem, dizem ser joão batista ou alguns dos antigos profetas ressuscitado." todos sabiam que jesus era filho de josé e maria e não uma múmia de milhares de anos ressuscitada, ou se achavam que João havia ressuscitado com cara de Jesus isso para mim é reencarnação ou no minimo incorporação.
sybok disse: A lei da causalidade espirita, que nada tem de parecido com o karma, é hipoteticamente possível quando interpretada de outro modo, mas não quando interpretada como você a interpreta,

ok então como ela seria possível ?
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Você se atrasa dez minutos para um compromisso e depois descobre que esse atraso salvou sua vida. Nós não conseguimos prever as consequências de uma parada para um cafezinho; quantos desdobramentos poderiam advir de uma ideia errada? Eu penso, sim, que a crença em uma ilusão pode comprometer toda a nossa percepção da existência

Entendo bem o cuidado só que quando esse chega ao ponto do preciosismo se torna um entrave. Por que? Simples, ninguém escapa de seus filtros, gostos, afinidades, repulsas e por aí vai então em algum momento a auto-ilusão acontece, a interpretação 'errada' vai acontecer, sempre acho melhor ficar de olho em si mesmo, é mais produtivo, rs
Ayyavazhi disse: Então a codificação é como a bíblia, cada um interpreta do jeito que quiser?

De novo, carma não existe na doutrina espírita.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: isto seria o ideal cristão,mas me parece eles pregam a pratica desapegada tambem para ações negativas, se não me engano o Ayya ja chegou a dizer que mesmo se Jesus praticasse uma má ação por ser desapegada ele não contrairia nenhum carma negativo.

É o mesmo princípio do "não-agir", explicado pelo Sybok. Mas faria mais sentido explicar a uma porta.
·  Percival Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: o cara é chato pra dedéu, só entra com comentários desnecessários e inconvinientes

Aí seria você. =>
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Dei uma olhadinha no santo google e descobri que o número de espíritas no planeta se aproxima de sete milhões de pessoas. Então, a bíblia anunciou um consolador para as minorias? Os outros bilhões de seres humanos não merecem a mesma deferência? Em que aspecto essa ideia se difere da afirmação de outros crentes, ao anunciarem que suas religiões são as 'certas'?

Que doideira é essa Ayya? Por que as pessoas seriam obrigadas a abraçar a doutrina como o Consolador, melhor dizendo por que os cristãos teriam obrigação de abraçá-la? Ela joga por terra boa parte dos conceitos católicos e protestantes, na verdade muda tudo, rs.

Ela existe, taí para quem quiser xeretar.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Entendo bem o cuidado só que quando esse chega ao ponto do preciosismo se torna um entrave. Por que? Simples, ninguém escapa de seus filtros, gostos, afinidades, repulsas e por aí vai então em algum momento a auto-ilusão acontece, a interpretação 'errada' vai acontecer, sempre acho melhor ficar de olho em si mesmo, é mais produtivo, rs

Nós estamos falando de nossa luta constante por compreender a verdade. Acho que não é o melhor momento para fazer concessões. Temos que ser preciosos nessa busca.
salgueiro disse: De novo, carma não existe na doutrina espírita.

Sim, isso eu já entendi. Acontece que TODOS os espíritas com quem já conversei, neste fórum e fora dele, falam em carma. Se isso não vem da codificação, vem de onde? De novo, interpretam como querem?
·  1500 Comentários sorted by Votes Date Added
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Que doideira é essa Ayya? Por que as pessoas seriam obrigadas a abraçar a doutrina como o Consolador, melhor dizendo por que os cristãos teriam obrigação de abraçá-la? Ela joga por terra boa parte dos conceitos católicos e protestantes, na verdade muda tudo, rs.

Ela existe, taí para quem quiser xeretar.


Você não está olhando a questão como deveria. Ela está aí para quem quiser xeretar? Então, uma mulher muçulmana, nascida e criada sob a opressão daquela religião altamente machista, tem a opção de, lá nos confins da aldeia onde vive, estudar a codificação e conhecer o consolador prometido? A pergunta não foi respondida: A bíblia, a palavra de Deus, prometeu um consolador para minorias?
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:11

·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
DeiseGarcia disse: Isto é o mesmo que perguntar porque o oxigênio é necessário a manutenção da vida. Quando Deus deu o sopro da vida a humanidade passamos a ser espíritos eterno como Ele. Porque precisamos do oxigênio para viver e ele se torna desnecessário após a morte ninguém poderá responder.

Não. Muito diferente. Você disse que a vida eterna é necessária e eu perguntei por que. Se Deus determinou que suas criaturas seriam eternas, isso não é necessidade, é imposição. Falar que é ou deixa de ser necessário, é falar no propósito da existência e, tal conhecimento, nunca conheci alguém sério que o tenha.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
DeiseGarcia disse: A resposta simples só tem poder de convencer aqueles que já foram convencidos por outras circunstâncias. Mas a resposta simples também tem que se coadunar com aquilo que lhe vai no coração.

De novo, não. A resposta, simples ou não, tem que se coadunar com a verdade. Apenas. O que se passa em seu coração só interessa a você e não necessariamente está correto. Eu nem imagino o que se passa no coração de um serial killer, e não creio que ele possa encontrar boas respostas.
·  Percival Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse:
Sim, isso eu já entendi. Acontece que TODOS os espíritas com quem já conversei, neste fórum e fora dele, falam em carma. Se isso não vem da codificação, vem de onde? De novo, interpretam como querem?

BINGO!


·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Você não está olhando a questão como deveria. Ela está aí para quem quiser xeretar? Então, uma mulher muçulmana, nascida e criada sob a opressão daquela religião altamente machista, tem a opção de, lá nos confins da aldeia onde vive, estudar a codificação e conhecer o consolador prometido? A pergunta não foi respondida: A bíblia, a palavra de Deus, prometeu um consolador para minorias?

hahaha, pelasbarbasdoprofeta, vc acha que algum dia os caras que esperam receber de mão beijada um monte de virgens para o seu desfrute vão permitir que a idéia espírita entre em seus redutos. O 'mundo' acaba antes disso acontecer, rs

Por mais que eu esteja na onda linda da JMJ, nem com a volta do Mestre Jesus ele conseguiria o prodígio.



·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: hahaha, pelasbarbasdoprofeta, vc acha que algum dia os caras que esperam receber de mão beijada um monte de virgens para o seu desfrute vão permitir que a idéia espírita entre em seus redutos. O 'mundo' acaba antes disso acontecer, rs

Por mais que eu esteja na onda linda da JMJ, nem com a volta do Mestre Jesus ele conseguiria o prodígio.

Meu Deus. Você não me respondeu nada. Eu mesmo disse isso. Foi exatamente o que eu disse: que essas pessoas NUNCA terão acesso aos ensinamentos da codificação, por mais que exista, entre eles, algum descontente.

Você não me respondeu coisa alguma, Sal. Minha pergunta continua sem resposta: Você acredita que um livro sagrado, a palavra de Deus, prometeu um consolador para poucos?

Se você diz a ideia espírita não irá entrar naquele reduto, você está me dizendo que a religião prometida à humanidade não é para todos. Ou foi prometido apenas aos cristãos? Por que? Nossa religião é melhor do que a deles?
·  Marcio Membro
julho 2013 0
DeiseGarcia disse: Marcio disse: Quando todos os espíritos se tornarem elevados, eles vão fazer o que exatamente?



Ajudar na evolução. Os espíritas acreditam que os espíritos elevados não tem mais encarnação por espiação, porém podem encarnar para cumprir uma missão, como foi o caso do Cristo.

Bom. Eu perguntei o que fariam os espíritos quando TODOS se tornarem elevados.
Já que a linha mestra do espiritismo é essa, irem ao encontro da "elevação", seja lá o que for isso.
Suponho que em algum momento da eternidade TODOS chegarão lá.
"E aí galera! O que vamos fazer agora?"
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Nós estamos falando de nossa luta constante por compreender a verdade. Acho que não é o melhor momento para fazer concessões. Temos que ser preciosos nessa busca.

Não estou me referindo a fazer concessões, estou falando sobre o foco em suas próprias armadilhas internas.
Ayyavazhi disse: Sim, isso eu já entendi. Acontece que TODOS os espíritas com quem já conversei, neste fórum e fora dele, falam em carma. Se isso não vem da codificação, vem de onde? De novo, interpretam como querem?

E deve ter falado também com pessoas de outras religiões que também usam o termo, muitos católicos o usam como sinönimo de destino por aqui.

Vem com a chegada do budismo. E disseminada por eles
·  Percival Membro
julho 2013 0
Karma:

Karma ou carma significa ação em sânscrito, e é um termo vindo da religião budista, hinduísta e jainista, adotado posteriormente também pelo espiritismo. Na física, essa palavra é equivalente a lei: "Para toda ação existe uma reação de força equivalente em sentido contrário".

Ou seja, para cada ação que um indivíduo pratica vai haver uma reação, dependendo da religião o sentido da palavra pode ser diferente, mas usualmente é relacionada a ação e suas conseqüências. A lei do Karma é aquela lei que ajusta o efeito a sua causa, ou seja, todo o bem ou mal que tenhamos feito numa vida virá trazer-nos consequências boas ou más para esta vida ou próximas existências. A lei do Karma é imodificável, e é conhecida em várias religiões como “justiça celestial”.

No budismo, karma é usada para mostrar a importância de desenvolver atitudes e intenções corretas.

Significado de Destino

s.m. A fatalidade a que estariam sujeitas todas as pessoas e todas as coisas do mundo.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Não estou me referindo a fazer concessões, estou falando sobre o foco em suas próprias armadilhas internas.

Vou pular essa parte. A observação dessas armadilhas internas deverá ser suficiente.
salgueiro disse: E deve ter falado também com pessoas de outras religiões que também usam o termo, muitos católicos o usam como sinönimo de destino por aqui.

Vem com a chegada do budismo. E disseminada por eles

Podemos deixar isso de lado. Não importa, neste momento, o pensamento de outros religiosos. O que está me deixando muito curioso (desde o dia em que você disse que a codificação não falava em carma) é por que os espíritas incorporaram uma ideia que não lhes foi transmitida pela codificação? E como a deturparam tanto? Isso deve ter uma origem, um motivo. A coisa ficou tão truncada que dizem até que o carma pode ser escolhido. O 'carma', talvez.
·  Percival Membro
julho 2013 0

http://www.salves.com.br/karma.htm

A Lei do Karma





flame.gif (21280 bytes)


Para se definir karma devemos primeiro saber o que o karma não é. Geralmente as pessoas confundem esse conceito ligando-o muito à um uso causal. Normalmente as pessoas falam resignadamente sobre uma situação em particular e fazem uso da idéia de Karma para se reconciliarem com ela. Quando as pessoas falam de Karma desta maneira, subentende-se que Karma é um veículo de escape assumindo todas as características de uma crença em predestinação, ou destino. E com certeza este não é o significado correto de Karma.

Em um nível mais fundamental, a Lei do Karma nos ensina que certos tipos de ação nos leva inevitavelmente à resultados similares. Se fazemos algo beneficente, cedo ou tarde obteremos um resultado beneficente, e se fazemos algo danoso nós inevitavelmente obteremos um resultado danoso. Isto é o que queremos dizer, no Budismo, quando nos referimos que certas causas nos trazemos efeitos particulares que são similares na natureza àquelas causas.

No ensinamento Budista, a lei do karma, diz somente isto: 'para todo evento que ocorre, seguirá um outro evento cuja existência foi causada pelo primeiro, e este segundo evento poderá ser agradável ou desagradável se a sua causa foi benfazeja ou não.' Um evento benfazejo é aquele que não é acompanhado por cobiça, resistência ou ilusão; um evento incorreto é aquele que é acompanhado por uma dessas coisas. (Eventos não são corretos por si só, mas eles são chamados assim somente em virtude dos eventos mentais que ocorrem com eles.)

Logo, a Lei do Karma prega que responsabilidade para as ações incorretas nasce da pessoa que os comete. O Karma não está condicionado à crença na reencarnação, mas sim, é parte daquela doutrina. Você não tem que acreditar em vidas prévias para aceitar o Karma.

Karma significa 'ação'. Literalmente, alguma coisa 'que inicia um movimento 'em algum tempo no passado' tem um efeito em algum outro tempo. Portanto, Karma pode surgir de nossa vida atual tanto quanto de uma outra passada.


drop.gif (2235 bytes)


O Karma é freqüentemente pintado com alguma coisa negativa ou 'ruim', mas pode ser também positivo e 'bom'. Na verdade Karma é neutro. karma é um constante equilíbrio de forças entre nós mesmos e o mundo em que vivemos. É um sistema dinâmico, auto-ajustável no qual existe um feedback constante de acordo com a maneira com a qual nós aceitamos ou recusamos nossas experiências a cada momento. Nossa reação e atitudes diante da experiência é mais importante que a própria experiência.

Os termos "bom karma" e "mau karma" são usados no Budismo não no sentido de "bem e mal", e sim num sentido de (kushala) inteligente, habilidoso, beneficente e (akushala) não inteligente, inábil e prejudicial. Portanto as ações são beneficentes quando elas são benéficas para a própria pessoa e para os outros, e conseqüentemente são motivadas não pela ignorância, apego e aversão mas, por sabedoria, renúncia ou desapego, e amor e compaixão. Portanto karma é uma ação intencional, consciente, deliberada e voluntária.

Para as ações sem intenção, tais como caminhar,dormir, respirar, não existem conseqüências morais, portanto elas constituem um karma neutro. As ações prejudiciais que devem ser evitadas estão relacionadas com as chamadas três portas da ação -- que são: corpo, mente e voz. Existem três ações prejudiciais do corpo, quatro da voz e três da mente. As três ações prejudiciais do corpo são (1) matar, (2) roubar e (3) comportamento sexual impróprio. As quatro ações prejudiciais da voz são (4) mentir, (5) discurso cruel, (6) calúnia e (7) fofoca maliciosa. As três ações prejudiciais da mente são ( avareza, (9) raiva e (10) ilusão. Evitando-se estas dez ações prejudiciais nós poderemos evitar as suas conseqüências similares.

Ações insalubres produzem resultados insalubres na forma de sofrimento, considerando que ações saudáveis resultam em efeitos saudáveis, ou felicidade. Os efeitos de ações são semelhantes às suas causas.

Toda causa tem seu efeito. Porém, deve haver condições sob as quais as ações são executadas.

As condições que determinam a força ou peso do Karma aplicam ao sujeito e ao objeto da ação. Além disso, há cinco condições que modificam a força de Karma:

1. ação persistente, repetida

2. ação feita com grande intenção e determinação

3. ação feita sem pesar

4. ação feita para esses que possuem qualidades extraordinárias

5. ação feita para esses que têm beneficiado alguém no passado.

Embora Budismo enfatize o Karma, ele rejeita o destino. A pessoa deveria fazer boas ações o tempo todo, e deixar que todas as condições boas surjam de forma que:

1. uma retribuição má tem pouca chance para vir a um efeito

2. uma retribuição boa fica mais significante para aumentar nossas vidas em felicidade e bem estar.

Pessoas que vêm o Karma com uma coisa fixa ou um destino irrevogável jamais terão suas vida alteradas. Tudo que elas terão que fazer seria seguir o plano traçado para elas e assim elas estarão alinhadas com seus Karmas. Por outro lado, as pessoas que vêm o Karma como algo fluído, se desenvolvendo o tempo todo, descobrirão sempre uma nova maneira para responder em vez de agir cegamente sempre da velha maneira. Isso significa que esta pessoa é responsável para criar novas situações em vez de lidar com o 'velho karma' de outras vidas.


ommanipadmehung.gif (34055 bytes)


Vamos tomar como exemplo uma série de eventos. Uma sensação desagradável acontece. Um pensamento surge que a origem desta sensação desagradável foi uma pessoa. (Este pensamento é uma ilusão; logo qualquer ação baseada nele será incorreta). Um pensamento surge que alguns dessas sensações desagradáveis vieram da mesma pessoa. (Este pensamento é uma outra ilusão). Isto é seguido por uma decisão incontrolável de dizer palavras que produzirão uma sensação desagradável na qual é percebida como se fosse uma pessoa. (Esta decisão é um ato de hostilidade. De todos os eventos descritos até agora, somente este é chamado de karma) Palavras são cuidadosamente escolhidas na esperança de que quando elas forem ouvidas, causarão dor. As palavras são pronunciadas altas. (Esta é a execução da decisão de ser hostil. Isto também pode ser classificado como um tipo de karma, apesar de tecnicamente ser um depois-do-karma). Existe uma sensação visual da sobrancelhas enrugada e a boca caída nos cantos. O pensamento surge que a outra pessoa foi afetada. O pensamento surge que o sentimento da outra pessoa foi ferido. Existe uma sensação agradável de sucesso ao perceber que a pessoa foi ofendida verbalmente. Eventualmente (talvez muito depois) exista uma sensação desagradável de arrependimento, talvez tomando a forma de um sensação de medo que o inimigo possa retaliar, ou talvez tomando a forma de remorso por ter agido impetuosamente, como uma criança imatura, na esperança de que ninguém vá se lembrar dessa ação. (Este arrependimento ou medo é o desagradável amadurecimento do karma, a decisão incorreta de infligir dor através das palavras).


ommani.gif (31428 bytes)


Se não existe nenhuma pessoa, então não existe o eu e o outro. Não existe distinção entre a dor na qual existe uma consciência sensorial direta ( que convencionalmente chamada de "a própria dor") e a dor conhecida por inferência (convencionalmente chamada de "a dor do outro"). Tanto a dor conhecida direta ou indiretamente, existe uma tendência a cultivá-la. Se alegria é conhecida direta ou indiretamente, pode existir tanto uma necessidade para rejeitá-la quanto para cultivá-la. No modo popular, a necessidade para rejeitar a dor e cultivar toda alegria é conhecida como ser ético ou habilidoso ou (se preferir) bom. A necessidade para se cultivar a dor e rejeitar a alegria é conhecido como sendo inapto, sem ética ou mau.

Ser totalmente ético dizem ser impossível para aqueles que fazem uma distinção entre si - mesmo e o outro e mostra preferência sobre o si - mesmo percebido sobre o outro percebido.

Se todos nós pusermos os ensinamentos de Buda em prática, não há nenhuma dúvida que nós alcançaremos seus benefícios. Se nós buscamos evitar prejudicar os outros, se nós tentamos nosso melhor para ajudar os outros quando possível, se nós aprendemos a estar atentos, se nós aprendemos a desenvolver nossa habilidade de concentração, se nós cultivamos a sabedoria através do estudo, consideração cuidadosa, e meditação, não há nenhuma dúvida que o Dharma nos beneficiará. Nos conduzirá à felicidade e prosperidade primeiro nesta vida e depois nas próximas. Eventualmente, nos conduzirá a meta da liberação final, a felicidade suprema do nirvana.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:14

·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Meu Deus. Você não me respondeu nada. Eu mesmo disse isso. Foi exatamente o que eu disse: que essas pessoas NUNCA terão acesso aos ensinamentos da codificação, por mais que exista, entre eles, algum descontente

Ué, se a resposta já está embutida no enunciado ...
Ayyavazhi disse: Você não me respondeu coisa alguma, Sal. Minha pergunta continua sem resposta: Você acredita que um livro sagrado, a palavra de Deus, prometeu um consolador para poucos?

Talvez vc esteja fazendo a pergunta certa a pessoa errada, rs. Eu não acredito que a Bíblia seja a palavra de Deus muito menos um livro sagrado. Não sei se o dito Consolador é mesmo a doutrina espírita ou não. Não confunda quando eu estou somente discorrendo sobre ela das minhas opiniões sobre ela.
Ayyavazhi disse: Se você diz a ideia espírita não irá entrar naquele reduto, você está me dizendo que a religião prometida à humanidade não é para todos. Ou foi prometido apenas aos cristãos? Por que? Nossa religião é melhor do que a deles?

Não Ayya, o que estou dizendo é que a idéia espírita contraria os conceitos islämicos como o exemplo claro das 72 virgens. Vc acha que algum mulçumano vai abrir mão delas de mão beijada? Acha fácil mudar uma mentalidade, conceitos arraigados?

O espiritismo não fez o menor sucesso com os cristãos nem com os protestantes , vai fazer com os muçulmanos?
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: Religião é isso, sempre se aplica a nós, ao nosso aprendizado, a nossa mudança e a sermos mentalmente fortes e controlados. O resto será consequência daquilo que nos tornaremos, esse é o único caminho para o bem comum, para uma sociedade onde as pessoas conhecem a si próprias e não buscam o mal alheio levadas por ganancia, ciumes, medo, raiva ou o que seja.

falou bem,mas religiões tambem tem o mérito de resgatar ovelhas perdidas da sociedade e nisto temos que ser justos e imparciais.
sybok disse: CRIATURO disse: e o Sybok ou o ayya ou ainda ambos ja tentaram defender que tanto faz ser uma freira ou um criminoso que tudo isso não passa de personagens causados pela ilusão do ego, de forma que isto não implica em carma algum.
Dizemos é o OPOSTO disso, que tanto ser freira quanto ser criminoso, resulta em karma.
No primeiro caso em karma bom e no segundo caso em karma ruim.
E não, nunca dissemos que tanto faz ser uma freira ou um criminoso, dizemos apenas que nenhuma das duas coisas leva a libertação.

eu disse "Carma" individuo planta e colhe os frutos das suas ações e não o "karma" coletivo onde todos colhem resultados das ações alheias, gerando injustiças individuais.
não leva a libertação da escravidão de que ? um suposto eu mecânico ?
o que a maioria deseja de fato é um mundo melhor e neste caso um verdadeiro religioso esta muito a frente de qualquer marginal.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Podemos deixar isso de lado. Não importa, neste momento, o pensamento de outros religiosos. O que está me deixando muito curioso (desde o dia em que você disse que a codificação não falava em carma) é por que os espíritas incorporaram uma ideia que não lhes foi transmitida pela codificação? E como a deturparam tanto? Isso deve ter uma origem, um motivo. A coisa ficou tão truncada que dizem até que o carma pode ser escolhido. O 'carma', talvez.

Não conheço a 'história' do carma então não posso detalhar.

Agora que o carma possa ser escolhido para mim é novidade, rs
·  Percival Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Não conheço a 'história' do carma então não posso detalhar.

Eu postei aqui. Ainda postei a diferença entre Karma e Destino.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
salgueiro disse: Ué, se a resposta já está embutida no enunciado ...

O enunciado tinha a única intenção de demonstrar a falha no argumento. Se o remédio não pode chegar ao doente, o doente é uma vítima dessa impossibilidade.
salgueiro disse: Talvez vc esteja fazendo a pergunta certa a pessoa errada, rs. Eu não acredito que a Bíblia seja a palavra de Deus muito menos um livro sagrado. Não sei se o dito Consolador é mesmo a doutrina espírita ou não. Não confunda quando eu estou somente discorrendo sobre ela das minhas opiniões sobre ela.

Não estou confundindo. Você disse que a bíblia falava em um consolador e que esse consolador era a DE. Se você não acredita nisso, essa informação acabou de chegar e reforça sua primeira afirmação: "Eu não acredito que a bíblia seja a palavra de Deus muito menos um livro sagrado". Até aí, tudo bem. Mas você segue uma doutrina que achou por bem produzir um "Evangelho segundo o Espiritismo". Perdoe-me, mas não compreendo isso. Para mim, só faria sentido se a bíblia fosse um livro sagrado ou, pelo menos, eu acreditasse nisso.
salgueiro disse: O espiritismo não fez o menor sucesso com os cristãos nem com os protestantes , vai fazer com os muçulmanos?

Não pretendo que ele faça sucesso entre os muçulmanos. Meu único foco é nessa ideia do consolador prometido. O que estou tentando demonstrar é que esse consolador veio para meia dúzia de pessoas. Você já disse que não acredita nisso, e esse era o único argumento que evitaria toda a discussão. Resta saber por que você é espírita, mas não estou pedindo essa resposta. Você sabe os seus motivos. Continue atenta às armadilhas. Comprovar que o espírito existe não referenda o espiritismo.
Post edited by Ayyavazhi on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Agora que o carma possa ser escolhido para mim é novidade, rs

Isso já foi dito por diversos espíritas, neste fórum, desde os tempos do Videomaker.

Como eu disse, talvez o 'carma' possa ser uma escolha, não o karma. A única escolha possível, no funcionamento kármico, como bem explicou o Sybok, é o "não-agir".
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: CRIATURO disse: isso não passa de uma má interpretação do carma, quem foi que disse que carma representa a justiça perfeita de Deus ?
O carma não passa de uma tentativa da justiça humana,portanto passível de erros.

E de que forma você acha que isso poderia ser uma boa coisa a se revelar?

como voce diz: a verdade não esta ai para ser agradável,mas ainda assim é melhor a existência de uma "tentativa de justiça" do que nenhum juízo.
Mas o que é pior acreditar no carma individual de colher o que se planta, ou acreditar que a causa de boas e más ações não passa de uma ilusão do personagem ego, portanto individualmente sem juizo de valores, apenas no Karma de reações coletivas?
Ayyavazhi disse:
Depois de tudo o que já foi dito sobre o 'carma' de vocês, incluindo as habituais defesas de quem não suporta estar errado, você vem dizer que esse troço é uma TENTATIVA de justiça, HUMANA, e passível de erros?

E dai ? defendo que a continuação da vida seja semelhante a justiça que tentamos praticar aqui, é melhor uma meia justiça tentando manter a ordem do que uma total liberdade irracional, pois isto faz parte da evolução humana.
Ayyavazhi disse:Sua "boa interpretação" só torna mais criminosa a atitude de culpar a vítima, como é de praxe em quem acredita nas bobagens que ouve.

sim disse um advogado do diabo: "Todos nós somos vitimas inocentes e só Deus é o culpado."
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: É o mesmo princípio do "não-agir", explicado pelo Sybok. Mas faria mais sentido explicar a uma porta.

intolerante.
Percival disse: CRIATURO disse: o cara é chato pra dedéu, só entra com comentários desnecessários e inconvinientes

Aí seria você. =>

não sou tão egoísta, Então é nóis na fita
·  Percival Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
CRIATURO disse: não sou tão egoísta

Egoísta? Você que deveria aprender lições de generosidade com a Rarity:




E lutar conta a discórdia que há em você.


Post edited by Percival on julho 2013
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
Criaturo, o único benefício que vejo em sua presença neste fórum, é que estou cada vez mais desinteressado nesses debates. Talvez, de onde parecia mais improvável, eu receba um favor valioso.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: O enunciado tinha a única intenção de demonstrar a falha no argumento. Se o remédio não pode chegar ao doente, o doente é uma vítima dessa impossibilidade.

Eu não estava argumentando, estava disponibilizando informação.
Ayyavazhi disse: Não estou confundindo. Você disse que a bíblia falava em um consolador e que esse consolador era a DE. Se você não acredita nisso, essa informação acabou de chegar e reforça sua primeira afirmação: "Eu não acredito que a bíblia seja a palavra de Deus muito menos um livro sagrado. Até aí, tudo bem. Mas você segue uma doutrina que achou por bem produzir um "Evangelho segundo o Espiritismo". Perdoe-me, mas não compreendo isso. Para mim, só faria sentido se a bíblia fosse um livro sagrado ou, pelo menos, eu acreditasse nisso.

Ayya, eu dou um imenso valor a bons ensinamentos venham eles de onde vierem só não tenho o gene da fanzoca, a necessidade de reverenciar seja lá o que for, de alçar aquilo que aprendo para poder me alçar junto e ser 'a' cara. Acho isso infantilidade, pelo menos nesse aspecto já cresci.
Ayyavazhi disse: Não pretendo que ele faça sucesso entre os muçulmanos. Meu único foco é nessa ideia do consolador prometido. O que estou tentando demonstrar é que esse consolador veio para meia dúzia de pessoas. Você já disse que não acredita nisso, e esse era o único argumento que evitaria toda a discussão. Resta saber por que você é espírita, mas não estou pedindo essa resposta. Você sabe os seus motivos. Continue atenta às armadilhas. Comprovar que o espírito existe não referenda o espiritismo

Ayya, entendo perfeitamente as razões pelas quais a doutrina não fez muito sucesso, rs.

Sou espírita porque até onde o meu entendimento alcança, a doutrina está repleta de bons ensinamentos e é mais completa, adorei o pouco que conheci do budismo mas ele é limitado abarcando somente um lado da vida, a corpórea.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Você não me respondeu coisa alguma, Sal. Minha pergunta continua sem resposta: Você acredita que um livro sagrado, a palavra de Deus, prometeu um consolador para poucos?
com licença !
não! só para os que tiverem "ouvidos para ouvir" como disse Jesus aos seu discípulos: " vou morrer e ainda tenho muito a ensinar,mas voces ainda não estão preparados para entenderem e aceitarem estas verdades, mas enviarei um espirito da verdade que lhe ensinará todas as cousas."
"Elias ja veio e não o reconheceram, antes fizeram tudo com ele (joão Batista), mas eu digo que de fato ele voltará e restaura todas as coisas."
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Marcio disse: Suponho que em algum momento da eternidade TODOS chegarão lá.
"E aí galera! O que vamos fazer agora?"

que tal sair do estagio criatura e passarmos para o estagio criadores ?
Jesus: "todo aquele que se instruir na verdade, farão obras maiores do que esta." "eu e Pai somos um (ou unos) tudo que o pai faz o filho pode fazer semelhante.
E ai gostou desse infinito leque de possibilidades humanas ?
·  Percival Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: não! só para os que tiverem "ouvidos para ouvir"




CRIATURO disse: " como disse Jesus aos seu discípulos: " vou morrer e ainda tenho muito a ensinar






CRIATURO disse: voces ainda não estão preparados







CRIATURO disse: mas enviarei um espirito da verdade que lhe ensinará todas as cousas.

Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Ayya, entendo perfeitamente as razões pelas quais a doutrina não fez muito sucesso

Não sou contra a doutrina, mais do que seria contra qualquer outra religião. Pelo contrário, se eu tivesse o poder de extirpar a religião do mundo, o espiritismo seria uma das últimas de minha lista. O grande diferencial, entre nós dois, é que você acha que existem bons ensinamentos nessa religião.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Percival disse: Karma:

aleluia irmão
·  Percival Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: aleluia irmão

Perdeu a virgindade?
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Criaturo, o único benefício que vejo em sua presença neste fórum, é que estou cada vez mais desinteressado nesses debates. Talvez, de onde parecia mais improvável, eu receba um favor valioso.

não se iluda! eu não estou disposto alimentar esse seu ego mimado e carente e voce devia me agradecer por isso,pois a verdade não esta ai para ser agradável e desculpe eu estar te parafraseando.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
salgueiro disse:
Ayya, eu dou um imenso valor a bons ensinamentos venham eles de onde vierem só não tenho o gene da fanzoca, a necessidade de reverenciar seja lá o que for, de alçar aquilo que aprendo para poder me alçar junto e ser 'a' cara. Acho isso infantilidade, pelo menos nesse aspecto já cresci.

Boa! partidarismo e parcialidade fecham portas a novos conhecimentos.
·  1500 Comentários sorted by Votes Date Added
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Não sou contra a doutrina, mais do que seria contra qualquer outra religião. Pelo contrário, se eu tivesse o poder de extirpar a religião do mundo, o espiritismo seria uma das últimas de minha lista. O grande diferencial, entre nós dois, é que você acha que existem bons ensinamentos nessa religião.

O conhecimento espírita chegou na hora certa para mim, depois de quase vinte anos me aprofundando em conhecer o ser humano e ter a capacidade de entendë-lo foi a doutrina que conseguiu dar o complemento a bagagem que eu adquiri, só não fiquei restrita a ela fui xeretar o conhecimento oriental para dar uma aprofundada. Infelizmente a minha alergia a religião fez com que eu interrompesse o aprofundamento.

E sim, a doutrina espírita é repleta de bons ensinamentos.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: não se iluda! eu não estou disposto alimentar esse seu ego mimado e carente e voce devia me agradecer por isso,

Sua capacidade intelectual é tão incrivelmente limitada, que você não entende uma frase simples como aquela. Vou ser mais claro: Sua presença neste site me faz perder o interesse pelo debate, e eu QUERO desistir dos debates. Portanto, você já está me fazendo um favor.
CRIATURO disse: pois a verdade não esta ai para ser agradável e desculpe eu estar te parafraseando.

Quando você entender o que isso significa, eu te desculpo.
·  Ayyavazhi Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: E sim, a doutrina espírita é repleta de bons ensinamentos.

A tabuada também é um bom ensinamento. O mundo está repleto de bons ensinamentos.
·  salgueiro Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: A tabuada também é um bom ensinamento. O mundo está repleto de bons ensinamentos.

Com certeza, cabe a quem se interessa buscá-los e melhor ainda pö-los em prática, rs.

Na verdade, nem precisam muitos, poucos vividos em sua plenitude já estaria de bom tamanho, o problema é que só existe a retórica ou a crítica, ação que é bom, necas.
Post edited by salgueiro on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse:
Jesus foi alem ensinando na pratica que devemos dar mais que a outra face, devemos dar a nossa vida pelo outro, ta lembrado: "quem tentar conservar sua vida ira perde-la quem se doar ao outro ira´recupera-la com abundancia, porque não existe amor maior do que este."
Criaturo, esse ensinamento citado não guarda relação com dar a vida pelo outro, nesse trecho ele simplesmente fala sobre desapego. Cristo prediz o que ira ocorrer com ele e Pedro temendo diz que tamanho mal não se abaterá sobre ele.
Cristo então ensina que o caminho para Deus é de renuncia que nada na vida importa sem a "alma" e que temer pela própria vida é um erro.

Isso aqui trata da desistência completa da vida, algo que você tanto é contra.

Mateus 16:24-26
Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;
Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.
Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?

Todos os Budas ensinaram a mesma coisa NA PRATICA, levando uma vida acética e não fugindo de nenhuma dificuldade por temor pela própria vida.
CRIATURO disse: nem todos são vitimas nem inocente e voce tambem não esta com essa "pureza" toda, apenas tenta acusar Deus de ser injusto.

Cada vez que alguém sofre a injustiça causada por outro, ainda que tenha feito outras coisas, é inocente naquela questão.
E como já vimos mil vezes, alguém tem que ter cometido o primeiro erro, assim como se pagamos e aprendemos, para termos livre-arbítrio, continuamos sujeitos a sofrer com o erro alheio, ainda que já tenhamos pago por qualquer coisa que nós mesmos fizemos.

É você quem insiste em tapar o Sol com a peneira, para continuar cultuando um falso deus feito a sua própria imagem e semelhança.
CRIATURO disse:
sybok disse: E?
Está certo ele, o agressor bateu numa projeção de sua própria mente.

não! bateram no Buda porque pensaram que ele era um ateu, segundo o Buda : é um ateu, um homem perigoso, que tira as pessoas do bom caminho, um revolucionário, um corruptor”

Não Criaturo, leia novamente o texto e interprete direito o que está escrito.
As pessoas devem ter falado alguma coisa a meu respeito, que "aquele homem é um ateu, um homem perigoso, que tira as pessoas do bom caminho, um revolucionário, um corruptor". Ele deve ter ouvido algo sobre mim e formou um conceito, uma idéia. Ele bateu nessa idéia.
Ele não diz que foi isso o que ocorreu, ele somente conjectura isso hipoteticamente, dizendo que seja lá qual for a razão, ela é fruto da MENTE do próprio sujeito, da FALSA IDEIA que ele próprio "imaginou" e que na verdade ele bateu nessa IDEIA.

A moral da historia é que o sujeito não bateu no Buda, mas em uma ideia irreal e que tanto o homem que bateu, quanto o que apanhou, já não existem mais, foram-se ambos como as águas de um rio sempre a correr, então nem o homem deve pedir desculpas pelo que fez no passado (deve perdoar a si mesmo e não se reconhecer como o agente da ação), nem o agredido deve se sentir como a vitima, pois ele também já não mais está ali.
CRIATURO disse:
sybok disse O que não existe é uma perfeição determinista capaz de resolver magicamente todos os problemas da existência do mal no mundo.

óbvio

Se fosse assim tão óbvio pra você, não continuaria acusando as vitimas de merecerem tais injustiças.
CRIATURO disse: Jó afirma ser inocente porem desconhece a eternidade de sua alma , ou seja nesta vida atual ele se considera integro mas, desconhece as ações passadas da sua alma, antes desta vida,mas não sabia que você tinha esta visão de céu e inferno.
Não tenho essa visão de céu e inferno, Judeus e cristãos são quem a tem, eu somente citei a interpretação DELES, não o que eu penso sobre o assunto.
Você continua com dificuldades em interpretar textos corretamente, confundindo argumentos sobre interpretações especificas, com a opinião do interlocutor.
CRIATURO disse: Jó afirma ser inocente porem desconhece a eternidade de sua alma , ou seja nesta vida atual ele se considera integro mas, desconhece as ações passadas da sua alma, antes desta vida,mas não sabia que voce tinha esta visão de céu e inferno.
Não me lembro dessa passagem, cite onde para eu ver o contexto e se ali existe a possibilidade de se interpretar isso dessa forma.
CRIATURO disse: um exemplo para cada possibilidade para os que tem ouvidos, ja ta de bom tamanho , né?
Para cristãos espiritas sim, o problema é que também é possível interpretar isso de outras formas.
Seria ilógico se a interpretação ou o conceito, contrariassem o que é dito, existindo uma interpretação "possível", a teoria se torna plausível e em acordo com aquilo, o que infelizmente não elimina outras interpretações igualmente possíveis.

Mas o ponto não é esse, o ponto é que você tentou forçar uma passagem do AT que falava sobre punir os filhos pelos crimes dos pais (algo bárbaro e injusto), como se isso se relacionasse a sua noção de carma e de pessoas reencarnando e pagando pelo que fizeram na vida anterior e tentou dar uma corroboração bíblica a isso citando tal passagem, o que não procede.
"eu sou o deus de israel e faço justiça até a terceira e quarta geração ( ou seria reencarnação ? )"
Isso em nada sugere a reencarnação ou a sua noção de carma, isso ai é só uma das passagens barbaras da bíblia que mostram como os livros que compõe essa "coleção", não foram todos escritos por grandes mestres, ou sobre os ensinamentos deles, alguns dos livros foram escritos por pessoas podres, atrasadas e sem nenhum entendimento.
CRIATURO disse: AT: médium de Endor incorporar espirito do profeta Samuel.
NT: Jesus conversa com os espíritos de Elias e Moisés no moente da transfiguração com testemunhas dos seus discípulos.
Mediunidade não é reencarnação.
CRIATURO disse: Quanto a crença dos judeus eles citavam a reencarnação como ressuscitação:
"quem dizem os judeus serem o filho do homem, dizem ser joão batista ou alguns dos antigos profetas ressuscitado." todos sabiam que jesus era filho de josé e maria e não uma múmia de milhares de anos ressuscitada, ou se achavam que João havia ressuscitado com cara de Jesus isso para mim é reencarnação ou no minimo incorporação.
O conceito de ressurreição é distinto, Cristo por exemplo ressuscita, não "reencarna".
Quanto a crença popular, ou achismo do povo, o que dizem ou conjecturam, isso não faz parte da religião Judaica em si.
No caso do cristianismo sim isso é relevante, justamente pelo caso João Batista/Elias, mas ainda assim existem interpretações possíveis, a "incorporação" citada por você é uma delas.
É por isso que a reencarnação faz parte da doutrina espirita, mas não do cristianismo em si e de suas seitas, já que essa interpretação especifica de Elias reencarnado não tem sido feita por eles.
CRIATURO disse: ok então como ela seria possível ?
Eu fiz um post sobre isso lá a trás no tópico.

Basicamente injustiças precisam continuar sendo possíveis, a isabela Nardoni poderia estar em sua ultima vida aqui, já tendo pago todo o seu carma, mas reencarnou somente para resolver uma pendencia menor com sua mãe, mas acabou sendo vitimada e sofrendo o que não merecia e o que não tinha carma que justificasse.

Isso significa que nunca seria possível saber se algo que ocorre é fruto de carma, ou uma injustiça fruto do erro alheio e que agora cria um carma novo para o agressor, ao fazer uma vitima inocente que não merecia isso, sofrer tal injustiça.
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Prezado amigo sybok não consegui quotar

___________________________________________
===========================================
+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
0000000000000000000000000000000000000000000


Se a interpretação contraria o que a própria biblia diz, então está errada ou fora de contexto.
===============================
===============================
Não sei se é simples assim não. Já li teólogos que debatem com outros teólogos e usam texto e contexto em suas argumentações e suas conclusões são diferentes e conflitantes .
===============================
===============================


Você pode citar qualquer parte onde Cristo diz ser o verbo e o que mais for, que isso não contraria a
interpretação de "unidade" entre Cristo e Deus, muito pelo contrario, isso apenas corrobora o ponto.
=================================
=================================
A unidade de Cristo e Deus é uma questão de fé, a Trindade .Mas há quem não aceite isso e usam a Bíblia.
A maioria dos Cristãos acredita assim, baseado em muitas passagens inclusive Gênesis:
Gênesis 1:26: então Deus disse: "façamos o homem á nossa imagem e semelhança". Também :
"Senhor, mostra-nos o Pai, isso nos basta". E Jesus responde a Filipe: "Há tanto tempo estou convosco e não me conheces...?" Quem me viu, viu o Pai."
Afirmo novamente que debater a Bíblia é debater sexo dos anjos e eu não vou fazer isso.
=================================
=================================



Eis o problema de todo crente.
Como ter fé se a fé não é direcionada a verdade, mas se pauta na mentira?
Ter fé na mentira não é nada bom.
================================
=================================
Você é um crédulo como qualquer outro e acha que as suas interpretações da Bíblia e de Deus são as corretas igual a crentes que você critica.
=================================
=================================


Para ter fé na palavra de Deus, é preciso querer interpretar corretamente e ouvir a
VERDADEIRA palavra de Deus, não uma distorção qualquer, do contrario sua fé é
colocada não na palavra de Deus, mas em uma mentira qualquer.Ter fé na mentira e no engano é ter
fé no pai da mentira.Não se presta ao serviço de Deus quem se apega a mentira e foge da verdade
como o diabo da cruz.
================================
================================
Interpretar corretamente é = a interpretar como você considera correto ?
Amigo...Isso só mostra como minha afirmação de que você age como qualquer crente é correta.
================================
=================================



As únicas formas de se chegar verdadeira palavra de Deus e se livrar das distorções
e mentiras sempre travestidas como sendo a palavra dele, são através da pratica dos
ensinamentos e do uso da razão.
Raciocinar para compreender o que é ensinado e dito, pois se nos foi dito o foi justamente
para que pudéssemos compreender e por em pratica, é parte do dever de todo cristão.
A fé na verdade necessita de entendimento e discernimento entre o que é verdade
e o que é mentira, pra isso temos a razão.
===================================
===================================
As distorções e uso da razão segundo suas interpretações. Em que você se acha diferente de qualquer crédulo ?
Acha que tantos teólogos Cristãos estão errados e você certo , presume que você estudou mais que eles e que você é que tem a explicação racional ?
====================================
====================================



O diabo é o funcionamento da mente e dos sistemas humanos, é a origem do erro,
da mentira e da ilusão, não é um "ser" real, mas uma analogia a um processo que
existe dentro e fora de nós.
====================================
====================================
Afirmação de fé e pura fé sua , mais uma vez você interpreta Bíblia como lhe convém. Jesus por exemplo, tratou o diabo como uma entidade real ,mas você trata/interpreta isso como te é conveniente .Como é isso amigo ? Quando devemos ser literais e quando não devemos ser literais ?
=======================================
=======================================



Eu cheguei a Deus e não foi através do cristianismo, muito embora após me tornar teísta
(pois era ateu quando comecei a estudar religião e cheguei a Deus) também estudei o
cristianismo e encontrei em Cristo mais do mesmo, o que ele diz e o caminho que ele mostra
não é novo, é uma variação das mesmas coisas que caras como Krishna na India e Lao Tsé na
China já diziam e ensinavam.
Todos falam sobre o mesmo Deus e apresentam O MESMO CAMINHO até ele, muito embora cada um
tenha um "método" de ensino e faça uso de analogias e historinhas diferentes.
Em grandes religiões como Cristianismo, Budismo, Hinduísmo e Taoismo, existem caras como
Cristo, que são "um" com Deus e ensinam o caminho para que sejamos todos "um" com Deus
assim como eles eram.
========================================
========================================
Já que você encontrou deus por via racional,ótima oportunidade,aproveite que estamos no religião é veneno e nos mostre como se faz isso meu caro amigo .
========================================



E não Emmcri, religião NÃO é matéria de fé, é a metodologia cristã que se apega a fé,
no budismo, por exemplo, o caminho é bem mais racional e a fé é praticamente desprezada.
Ou seja, o que eu estou dizendo é que da mesma forma que matemáticos, sejam eles chineses
ou brasileiros, quando falam sobre matemática falam sobre a mesma matemática, caras como
Cristo e Lao Tsé quando falam sobre Deus estão falando sobre o mesmo Deus e ensinam
basicamente o mesmo caminho até ele.Pra vocês cristãos, Cristo era único e especial, mas isso não é verdade,
por exemplo, se formos usar as definições do budismo Cristo era só um Buda, mais um dentre outros Budas
que já existiram, sendo que todos nós podemos nos tornar budas.
Buda é um titulo usado para descrever alguém que atingiu a iluminação, ou em linguagem cristã,
alguém que se uniu a Deus como Cristo e está no reino dos céus.
=========================================
=========================================
Aqui você tem uma ótima oportunidade de nos provar a existência de Deus e que ele se manifesta através destes que você sita , seria muito bom ver essas metodologias e estudos que te levaram a isso.O seu uso da razão.
==========================================
==========================================



Na sua crença Cristo é o único caminho, mas você não conhece os "outros" caminhos,
nem o que ensinam os outros Budas, para saber se eles não estão na verdade é ensinando
o mesmo que Cristo.
==========================================
==========================================
Repito , minha experiência foi com Jesus e seria um absurdo eu achar que foi com outro deus.Quanto a vários caminhos, não entendo como pegando um avião pra São Paulo eu chegaria até a China. Caminho pra são Paulo é um e pra China é outro.
Respeito a sua visão de deus mas tenho as minha baseadas em minhas experiências.
Aguardo ansiosamente a sua explicação racional de Deus.
Por favor não peça para eu ler de novo este tópico, pois só vi argumentos de fé.
===========================================
===========================================



Por isso questionamos suas crenças, por que você tem por certo coisas que não são tão
certas quanto pensa e que não guardam de fato nenhuma relação com o fato de Deus existir
e de você ter descoberto isso através de uma experiencia numa igreja cristã.
============================================
============================================
Você questiona as minhas experiências e eu questiono as suas e é só isso ,
mas se você me provar racionalmente a existência de deus você cala a minha fé,ou alia ela com a razão...(não estou afirmando que minha fé não tem nenhuma aliança com a razão,visto que não seria racional eu não considerar acontecimentos/fatos que ocorreram na minha vida)
Abraços,
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:14

Post edited by emmcri on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Fernando_Silva disse: Você pode citar um monte de passagens que diz alguma coisa e ignorar o monte de passagens que diz o contrário.
Certamente.


Fernando_Silva disse: Krishna disse algo parecido. Também disse: "Ninguém vai ao Pai senão por mim" e "Eu sou o início, o fim e o meio".

Sim... e daí ?
Em que isso torna falso ou verdadeiro o que ambos falaram ?
Post edited by emmcri on julho 2013
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
Ayyavazhi disse: CRIATURO disse: não se iluda! eu não estou disposto alimentar esse seu ego mimado e carente e voce devia me agradecer por isso,

Sua capacidade intelectual é tão incrivelmente limitada, que você não entende uma frase simples como aquela. Vou ser mais claro: Sua presença neste site me faz perder o interesse pelo debate, e eu QUERO desistir dos debates. Portanto, você já está me fazendo um favor.

entendi muito bem, voce que parece não ter entendido a resposta, voce ainda não percebeu que os mais chatos são os últimos a irem embora?quanto a sua desistência a minha divergência não é o motivo principal dela, então estimo dias melhores.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: problema é que só existe a retórica ou a crítica, ação que é bom, necas.

sim, muitos pastores e poucos trabalhadores.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: sim, muitos pastores e poucos trabalhadores.

Nem é só isso Criaturo, é o nível de cegueira em que as pessoas se acomodam.
·  Percival Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: problema é que só existe a retórica ou a crítica, ação que é bom, necas.

Principalmente de quem abraça certas doutrinas.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Percival disse: Principalmente de quem abraça certas doutrinas.

Meu comentário é para o ser humano em geral. A cegueira infelizmente atinge todos, sem preconceito.
·  Percival Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Meu comentário é para o ser humano em geral. A cegueira infelizmente atinge todos, sem preconceito.

Às vezes as pessoas acusam os outros de cego porque não enxergam da maneira como eu vejo ou mesmo tem uma visão que não condiz com o observado.

E eu sou misantropo.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Percival disse: Às vezes as pessoas acusam os outros de cego porque não enxergam da maneira como eu vejo ou mesmo tem uma visão que não condiz com o observado.

Isso não seria cegueira e sim arrogäncia.
Percival disse: E eu sou misantropo.

Sou justo o oposto, rs
·  Percival Membro
julho 2013 0



salgueiro disse: Isso não seria cegueira e sim arrogäncia.

Nem sempre. É algo como isso:

http://razaoxfe.blogspot.com.br/2012/11/a-ignorancia-explicada.html






·  Percival Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Sou justo o oposto, rs

Para adquirir confiança em algo é preciso de muita análise por minha parte.
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
emmcri disse:
Fernando_Silva escreveu:
Krishna disse algo parecido. Também disse: "Ninguém vai ao Pai senão por mim" e "Eu sou o início, o fim e o meio".
Sim... e daí ?
Em que isso torna falso ou verdadeiro o que ambos falaram ?
Não. Apenas nos faz suspeitar de que foram pessoas como nós que inventaram tudo isso.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Percival disse: Nem sempre. É algo como isso:

http://razaoxfe.blogspot.com.br/2012/11/a-ignorancia-explicada.html

Ah se fosse simples assim ...
·  Percival Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Ah se fosse simples assim ...

É tão linear e óbvio.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 0
sybok disse: Criaturo, esse ensinamento citado não guarda relação com dar a vida pelo outro, nesse trecho ele simplesmente fala sobre desapego. Cristo prediz o que ira ocorrer com ele e Pedro temendo diz que tamanho mal não se abaterá sobre ele.
Cristo então ensina que o caminho para Deus é de renuncia que nada na vida importa sem a "alma" e que temer pela própria vida é um erro.

interpretamos conforme nossas afinidades, espiritas ,evangélicos e você um iniciado monge tende adaptar os ensinamentos cristãos conforme sua visão de libertação dando sentido a vida, ou seja: O de dominar e não ser dominado pelo seu ego mecânico, Já como espirita eu interpreto que Jesus dedicou-se a praticar e ensinar que o sentido da vida é doa-la em favor dos outros, é se fazendo inexistir que passaremos a existir com consciência plena.
sua visão é desapegar-se da vida apegando-se na conquista do domínio do eu"mecânico"
ja eu penso que apegar-se na ideia de se fazer o bem, sempre será a melhor vida.
sybok disse: Isso aqui trata da desistência completa da vida, algo que você tanto é contra.

até concordo com isso: "amar a Deus sobre todas as coisas",mas para mim continua difícil acreditar que estamos aqui exclusivamente com a missão de aprender dominarmos um eu mecânico, quando penso que amar a Deus sob todas as coisas é o mesmo que amar ao próximo como se fosse nós mesmos.
sybok disse: Cada vez que alguém sofre a injustiça causada por outro, ainda que tenha feito outras coisas, é inocente naquela questão.

sim, tipo Abel que embora não tivesse matado nenhum homem ja havia matado um animal, então podemos considera-lo "inocente", por que matar um ser indefeso não ha mal algum, não é mesmo ?
Apesar de na realidade dessas histórias biblicas, acredito que algumas morais delas são validas de acordo com a interpretação que se tem .
sybok disse: É você quem insiste em tapar o Sol com a peneira, para continuar cultuando um falso deus feito a sua própria imagem e semelhança.

quem me dera praticar aquilo que eu prego.
sybok disse: Não Criaturo, leia novamente o texto e interprete direito o que está escrito.
As pessoas devem ter falado alguma coisa a meu respeito, que "aquele homem é um ateu, um homem perigoso, que tira as pessoas do bom caminho, um revolucionário, um corruptor". Ele deve ter ouvido algo sobre mim e formou um conceito, uma idéia. Ele bateu nessa idéia.

ok, digamos que tudo isso não passou de um achismo do buda e que se ele tivesse perguntado ao homem por qual motivo apanhou poderia passar ter passado um moral da historia mais consistente.
obs. perdoe a minha chatice.
sybok disse: Se fosse assim tão óbvio pra você, não continuaria acusando as vitimas de merecerem tais injustiças.

melhor existir tentativas de justiças humanas, do que um acaso sem juizo algum.
sybok disse: Você continua com dificuldades em interpretar textos corretamente, confundindo argumentos sobre interpretações especificas, com a opinião do interlocutor.

o problema que quando convem argumenta com tanta convicção , que faz parecer crer naquilo que utiliza para argumentar
sybok disse: Não me lembro dessa passagem, cite onde para eu ver o contexto e se ali existe a possibilidade de se interpretar isso dessa forma.

existem varias versões a minha é: sociedade biblica do brasil 1969 joão almeida

jó:
20 ainda que seja justo a minha boca me condenará, embora seja eu integro ele me terá por culpado.
21 eu sou integro , não levo em conta a minha alma
sybok disse: É por isso que a reencarnação faz parte da doutrina espirita, mas não do cristianismo em si e de suas seitas, já que essa interpretação especifica de Elias reencarnado não tem sido feita por eles.

cada um interpreta conforme o seu entendimento ou afinidade
sybok disse: Para cristãos espiritas sim, o problema é que também é possível interpretar isso de outras formas.

infelizmente sim,mas quando estamos apegados a crenças pessoais ja enraizadas, criamos explicações e tentamos justificar com absurdos mas o interessante que tanto a biblia quanto fenômenos naturais espirituais sempre deixam portas abertas para duvidas, talvez haja a manutenção de uma ignorância proposital neste sentido
sybok disse: Mas o ponto não é esse, o ponto é que você tentou forçar uma passagem do AT que falava sobre punir os filhos pelos crimes dos pais (algo bárbaro e injusto), como se isso se relacionasse a sua noção de carma e de pessoas reencarnando e pagando pelo que fizeram na vida anterior e tentou dar uma corroboração bíblica a isso citando tal passagem, o que não procede.

Sim! mandar uma vovó parea prisão porque seu filho não pagou a pensão do neto é uma realidade atual de uma injustiça humana que não deve ser transferida a Deus.
Mas onde esta a injustiça de: "Aqui se faz aqui se paga, ou melhor dizendo : aqui erramos aqui devemos a aprendemos fazer o certo. " ?
Erre hoje, amadureça e aprenda amanhã em vidas futuras
Hoje através do egoismo fazemos um mundo pior a maioria acredita que ficaram impunes apenas "lamentam-se" pela gerações futura que herdarão nossas cagadas atuais, infelizmente o pensamento é esse "viver o melhor possível enquanto puder, quem vier após a mim que se danem."
Fazem isso por não creem na possibilidade de nascerem de novo herdando no futuro suas próprias cagadas feitas no passado.
suponhamos que eu cause de alguma forma a perda da razão de outra pessoa,nada mais justo que esta pessoa nasça como meu filho em outra vida, para que eu aprenda ama-lo e me sentir responsável em trabalhar para recuperar e devolver a razão dele é lógico que tal processo entre a perda e a recuperação da razão é muito lento e pode necessitar de varias vidas .
sybok disse: alguns dos livros foram escritos por pessoas podres, atrasadas e sem nenhum entendimento.

fruto da cultura da época tambem como de uma espiritualidade mais primitiva ou imatura.
sybok disse: Isso significa que nunca seria possível saber se algo que ocorre é fruto de carma, ou uma injustiça fruto do erro alheio e que agora cria um carma novo para o agressor, ao fazer uma vitima inocente que não merecia isso, sofrer tal injustiça.

considerando que pessoas ainda mortas possam influenciar nas ações dos vivos, se foi permitido que ela passasse por tal situação desagradável alguma razão existe.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
Ayyavazhi disse: Criaturo, o único benefício que vejo em sua presença neste fórum, é que estou cada vez mais desinteressado nesses debates. Talvez, de onde parecia mais improvável, eu receba um favor valioso.

em um forum de discussões falamos e escutamos coisas desagradáveis, isto faz parte do aprendizado pela divergência portanto a tolerância é necessária.
mas respeito a sua sensibilidade atual e reitero meus sentimentos de dias melhores.
Post edited by CRIATURO on julho 2013
·  emmcri Membro
julho 2013 0
Fernando_Silva disse: Não. Apenas nos faz suspeitar de que foram pessoas como nós que inventaram tudo isso.

Entendo perfeitamente esta suspeita.
·  Azathoth Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
DeiseGarcia disse: Na DE aprendemos que somos espíritos encarnados ou desencarnados. Quando morremos, na qualidade de espírito e sendo responsável por todos nossos atos, temos oportunidade de avaliar melhor onde fracassamos ou acertamos porque fora da matéria temos mais sutileza de julgamento dos nossos atos. Não vamos para o céu ou inferno, mas ficamos aguardando oportunidade para nova encarnação.
Se consideramos que o espírito é imortal, infinito também é o ciclo de mortes e reencarnação, porquanto nunca aprendemos tudo ainda que tendo oportunidade de muitas vidas. Porém, quando o espírito se torna elevado ele pode continuar atuando sem a necessidade de encarnar.

Agora chegamos onde eu queria: a principal diferença entre nós, ateus, e vocês que creem numa "vida espiritual" qualquer, é a NÃO EXISTÊNCIA de uma alma/espírito/corpo astral. O que nos diferencia dos outros animais é a consciência, que é produzida pelo nosso cérebro (reações químicas e impulsos elétricos). Quando o cérebro morre, a consciência desaparece. Senão, o médico que desligasse os aparelhos, com a permissão da família, no caso de um doente com "morte cerebral", estaria cometendo assassinato. Se somos críticos e céticos acerca de Deus, devemos ser também com relação à alma: sem evidência, sem crença!
Post edited by Azathoth on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 0
emmcri disse: Prezado amigo sybok não consegui quotar

Sem problemas, do modo que você fez ficou bom.
emmcri disse: Não sei se é simples assim não. Já li teólogos que debatem com outros teólogos e usam texto e contexto em suas argumentações e suas conclusões são diferentes e conflitantes .

Muitas vezes devido a erro de um deles, ou aos limites do uso da razão pura.
O fato é, algumas passagens estão sujeitas a muitas interpretações possíveis, outras não.
A interpretação não precisa levar sozinha exatamente "a verdade", só não pode ser incoerente com o que diz a própria biblia.

Se ambos os teólogos interpretam de modo distinto uma passagem, e nesse caso ambos fazem interpretações "possíveis", isso não é um problema, pois é a prática quem levará eles a verdade, o problema esta em fazer interpretações errôneas e contraditórias.

A interpretação de textos segue as regras estritas da logica e muitas interpretações errôneas são facilmente refutadas com base na própria biblia.

Você só tem a ganhar com um debate do gênero.
emmcri disse: A unidade de Cristo e Deus é uma questão de fé, a Trindade .Mas há quem não aceite isso e usam a Bíblia.

Não, isso não é tão simples assim.
Veja que Cristo clama para que todos possam ser "um" com Deus assim como ele, assim como outros Budas ensinam que é possivel ao homem atingir essa unidade com Deus.

Se isso é verdade, então não é matéria de fé, é na verdade uma questão de buscar os meios de realizar essa união descrita por eles e descobrir na prática se ela é possivel de fato ou não.
emmcri disse: Você é um crédulo como qualquer outro e acha que as suas interpretações da Bíblia e de Deus são as corretas igual a crentes que você critica.
Não creio em nada, me baseio na logica e tenho qualquer interpretação sempre aberta a refutação de qualquer lado, cristão ou não e não, não me baseio em interpretações de textos de nenhuma religião, busco a interpretação correta para tomar o texto como base para investigar os FATOS descritos pelos textos, me pauto nos fatos e não nos textos.
Os textos são meros guias para me levar aos fatos, de modo que eu possa analisar os fatos.

Não é necessario fé para fazer isso.
emmcri disse: Interpretar corretamente é = a interpretar como você considera correto ?
Amigo...Isso só mostra como minha afirmação de que você age como qualquer crente é correta.

Não amigo, interpretar correto significa que a interpretação obrigatoriamente segue as regras da logica de modo que não pode contrariar o próprio texto.
Por isso debates com argumentação e refutação são importantes para se chegar a interpretação correta do texto, pois as vezes somos míopes, achamos ter interpretado direito, mas alguém vem e nos refuta, nos mostrando uma contradição entre o que achamos e o que o texto de fato diz.

A interpretação correta também depende de prática, depende de ao invés de crer e de usar da razão pura para analisar o texto de modo puramente abstrato, entender que o texto na verdade trata de fatos observáveis e que para melhor compreende-lo, precisamos olhar no mundo real os fatos a que o texto se refere e tenta apontar.
" />
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:15

emmcri disse:
sybok disse: As únicas formas de se chegar verdadeira palavra de Deus e se livrar das distorções e mentiras sempre travestidas como sendo a palavra dele, são através da pratica dos ensinamentos e do uso da razão.
Raciocinar para compreender o que é ensinado e dito, pois se nos foi dito o foi justamente
para que pudéssemos compreender e por em pratica, é parte do dever de todo cristão.
A fé na verdade necessita de entendimento e discernimento entre o que é verdade e o que é mentira, pra isso temos a razão.

As distorções e uso da razão segundo suas interpretações. Em que você se acha diferente de qualquer crédulo ?
Acha que tantos teólogos Cristãos estão errados e você certo , presume que você estudou mais que eles e que você é que tem a explicação racional ?

Em nenhum momento citei minhas interpretações, citei somente o necessario para se livrar das mentirar, de modo a não ter fé nelas.
A fé por si só não é ruim, mas a fé sem razão, como sinônimo de apreço a crença pura em simples, é muito perigosa, pois na imensa maioria das vezes leva simplesmente a crença apegada na mentira, algo que nos afasta da verdade e nos impede de chegar até ela.

Eu tenho lá meus estudos de religião comparada, mas nunca me pautei por eles, mas tão somente pelos fatos aos quais os textos se referem.
A diferença entre eu e um crente em uma interpretação qualquer é essa, eles se pautam na crença em uma interpretação qualquer, eu me pauto na divida e no questionamento dos fatos que observo.
emmcri disse: Afirmação de fé e pura fé sua , mais uma vez você interpreta Bíblia como lhe convém. Jesus por exemplo, tratou o diabo como uma entidade real ,mas você trata/interpreta isso como te é conveniente .Como é isso amigo ? Quando devemos ser literais e quando não devemos ser literais ?
Não tratou não, essa é apenas a sua interpretação, nesse caso uma interpretação "plausível" e de acordo com o texto bíblico, mas não a única interpretação possivel.
E já adianto, a forma correta de "interpretar" e de escolher entre as interpretações "plausíveis" concorrentes, é observar qual delas está de acordo com os fatos observáveis.

Mas isso é de fato irrelevante frente aos fatos, já que são os fatos em si que importam, e as vezes os fatos contrariam a biblia em si.
São os fatos que importam, não as "interpretações".
emmcri disse: Já que você encontrou deus por via racional,ótima oportunidade,aproveite que estamos no religião é veneno e nos mostre como se faz isso meu caro amigo .
Já apresentei o problema e os meios de resolver tal problema em outros tópicos faz muito tempo, quanto meu nick ainda era NadaSei.
Se quer conhecer, pegue ai os textos das quatro nobres verdade do Budismo e do caminho Óctuplo, que vai ver um caminho que não depende de fé.
[url="
http://pt.wikipedia.org/wiki/Quatro_Nobres_Verdades"]
http://pt.wikipedia.org/wiki/Quatro_Nobres_Verdades[/url]
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nobre_Caminho_%C3%93ctuplo

Um caminho não depender de fé, e algo poder ser descoberto e comprovado por um individuo, obviamente não significa que isso posso ser provado a terceiros.
No caminho para Deus, todos tem que ser "São Tomés", precisam ver pessoalmente para comprovar.
emmcri disse: Aqui você tem uma ótima oportunidade de nos provar a existência de Deus e que ele se manifesta através destes que você sita , seria muito bom ver essas metodologias e estudos que te levaram a isso.O seu uso da razão.

Algo poder ser comprovado pessoalmente por qualquer um, não significa que possa ser demonstrado a terceiros não interessados em olhar para onde apontamos.
É como provar que Netuno existe, para fazer isso precisamos esperar a época certa no ano em que ele está visível no céu, depois precisamos de um telescópio e precisamos saber para onde no céu aponta-lo, por fim, somente aqueles dispostos a olhar no telescópio serão capazes de comprovar que Netuno existe.

Qualquer um pode praticar jejum, celibato, meditação, etc, e levar a mente até o estado desperto onde Deus é perceptível, mas para isso é preciso interesse em olhar pelo "telescópio" da mente desperta e só quem se propor a fazer isso pessoalmente, poderá comprovar esse fato que não depende de fé, mas de observação.
emmcri disse: Repito , minha experiência foi com Jesus e seria um absurdo eu achar que foi com outro deus.Quanto a vários caminhos, não entendo como pegando um avião pra São Paulo eu chegaria até a China. Caminho pra são Paulo é um e pra China é outro.
Respeito a sua visão de deus mas tenho as minha baseadas em minhas experiências.

Se você pegar um avião na china e outro nos EUA, pode chegar a São Paulo em ambos os casos sem problemas.
Mas volto a repetir o que eu já disse:

Todos falam sobre o mesmo Deus e apresentam O MESMO CAMINHO até ele, muito embora cada um tenha um "método" de ensino e faça uso de analogias e historinhas diferentes.

Estamos então falando sobre o mesmo caminho, não sobre caminhos distintos, falamos somente por pessoas diferentes falando sobre o MESMO caminho, cada uma a seu modo e com suas próprias explicações, mas falando sobre o mesmo Deus e sobre o mesmo caminho.
emmcri disse: Aguardo ansiosamente a sua explicação racional de Deus.
Por favor não peça para eu ler de novo este tópico, pois só vi argumentos de fé.

Ou talvez você só tenha visto o que queria ver.

Deixa eu te dar uma noção racional básica da teoria vista dum ponto de vista racional e que não depende da fé.
Basicamente o ser humano está em um estado mental de meio-sono, está num tipo de transe.
A mente oscila entre diferentes estados, o sono-REM onde ocorrem os sonhos é um deles, o sono-NREM é outro, é quando dormimos sem sonhar, a chamada vigília, que é o estado em que estamos quando acordados é outro estado mental.
O ser humano acredita que durante a vigília ele está completamente desperto, mas não está, está na verdade em um tipo de meio-sono ou transe, no qual sua mente criativa distorce a realidade e onde embora não estejamos dormindo e sonhando, filtramos criativamente a realidade e a distorcemos com nossa imaginação, a ponto de não sermos capazes de perceber coisas que poderíamos perceber num estado mais desperto do que a vigília.

Deus está dentro de nós, ele já é "um" com nós, mas no nosso atual estado mental de transe, não percebemos esse fato.
É por isso que na musica do Raul Seixas "gita" (baseada no Bhagavad-Gita dos hindus) um dos trechos diz "mas saiba que eu estou em você, mas você não esta em mim".

Deus está em nós, mas devido ao nosso estado mental distorcido, nós não estamos nele, não somos capazes de percebe-lo, nem de perceber a "unidade" de tudo e todos.

Através de um conjunto de práticas que incluem dar a outra face, se fazer o menor de todos os homens, meditar (ou rezar o terço), praticar jejum, celibato e outras coisas mais, podemos aprender a nos conhecer e a controlar os desejos e impulsos que escravizam nossa mente e a mentem nesse estado de transe.
Controlando a mente podemos leva-la a um estado mais desperto, onde se desfaz o véu que cobre de nossos olhos a unidade entre Deus e nós, assim nos tornamos "um" com Deus e atingimos a iluminação ou adentramos o "reino dos céus".

Saímos do estado de transe e atingimos o estado verdadeiramente desperto.

Nada disso depende de fé, é tudo "verificavel" por qualquer um, desde o fato de que nosso atual estado mental, a vigília, é um estado onde a mente distorce a realidade, quanto a existência de um outro estado mental mais desperto.
Tudo isso pode ser investigado de modo cético e racional e em nenhum momento depende da crença ou da fé, tanto é assim que comecei a investigar isso quando eu era ateu.
·  sybok Membro
julho 2013 0
Percival disse:
Nem sempre. É algo como isso:

http://razaoxfe.blogspot.com.br/2012/11/a-ignorancia-explicada.html

Putz isso é muito legal e os bichinhos são bonitinhos.
·  sybok Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: interpretamos conforme nossas afinidades, espiritas ,evangélicos e você um iniciado monge tende adaptar os ensinamentos cristãos conforme sua visão de libertação dando sentido a vida, ou seja: O de dominar e não ser dominado pelo seu ego mecânico, Já como espirita eu interpreto que Jesus dedicou-se a praticar e ensinar que o sentido da vida é doa-la em favor dos outros, é se fazendo inexistir que passaremos a existir com consciência plena.
sua visão é desapegar-se da vida apegando-se na conquista do domínio do eu"mecânico"
ja eu penso que apegar-se na ideia de se fazer o bem, sempre será a melhor vida.

O problema é que esse ensinamento vai de encontro como todos os outros ensinamentos de Cristo, desde de o sujeito que precisa enterrar a própria mãe e Cristo dizendo para deixar os mortos enterrarem os mortos, até o que ele manda os sujeito abandonar o trabalho e a pesca, e o outro abandonar a riqueza, etc...
Coloque isso junto com a vida ascética vivida por eles e pelos religiosos Judeus e Católicos, que você vai ver que tudo segue na mesma direção.

Aquele que se apegar a vida irá perde-la, aqueles que dela desistir, acha-la-a.
CRIATURO disse: até concordo com isso: "amar a Deus sobre todas as coisas",mas para mim continua difícil acreditar que estamos aqui exclusivamente com a missão de aprender dominarmos um eu mecânico, quando penso que amar a Deus sob todas as coisas é o mesmo que amar ao próximo como se fosse nós mesmos.

Interprete isso como quiser Criaturo, mas o fato é que a nossa missão segundo tudo o que mostram as práticas religiosas ensinadas, como jejum, celibato, desapego, clausura, etc... é que temos que nos conhecer a nós mesmo e aprender a nos controlar e mudar.
É inegável que o foco do ensinamento religioso se refere ao próprio individuo e ao controle mental e emocional deste.

A religião em geral repudia os prazeres da vida e a obtenção de gratificação pessoal, nos dizendo para negarmos a nos mesmos, seja dando a outra face, seja esquecendo o pranto de nossos entes recém falecidos, o que importa é negar nossos quereres e percorrer o caminho.
CRIATURO disse:
existem varias versões a minha é: sociedade biblica do brasil 1969 joão almeida

jó:
20 ainda que seja justo a minha boca me condenará, embora seja eu integro ele me terá por culpado.
21 eu sou integro , não levo em conta a minha alma

O próprio contexto da sua versão já mostra que a interpretação está incorreta.
Mas vou postar outra versão, para facilitar pra você ver o contexto. Ai "não levo em conta" tem o mesmo significado de "não estimo" e o contexto mostra isso, em especial o que ele diz em seguida "não estimo minha vida".
Ele não estima nem a vida nem a alma.

A historia de Jó conta a historia de um homem justo e correto que é acusado por Satanas de somente ser servo fiel, por viver na bonança. Deus então passa a tomar sem de Jó tudo o que ele tem, sem culpar alguma ou carma algum que justificassem que tamanho infortúnio se abatesse por ele, que perde tudo o que tem, incluindo o filhos e a saúde.
Jó então começa a se lamentar por ter nascido e por estar sendo tão cruelmente atacado por Deus sem razão de ser.

Quando questionado por outros ele discute, o trecho que cita é o trecho dessa discussão, onde ele argumenta que mesmo sendo inocente, deus é todo poderoso e com ele não se discute: "Embora seja integro, ele me terá por culpado, ainda que seja justo, minha boca me condenará".

Em nenhum momento da discussão ou do lamento ele afirma que não sabe o que fez no passado e que talvez seja culpado, ele apenas fala sobre o poder de Deus e sobre não se discutir ou questionar as decisões dele.

Vejamos um trecho mais abrangente:

Na verdade sei que assim é; porque, como se justificaria o homem para com Deus?
Se quiser contender com ele, nem a uma de mil coisas lhe poderá responder.
Ele é sábio de coração, e forte em poder; quem se endureceu contra ele, e teve paz?
Ele é o que remove os montes, sem que o saibam, e o que os transtorna no seu furor.
O que sacode a terra do seu lugar, e as suas colunas estremecem.
O que fala ao sol, e ele não nasce, e sela as estrelas.
O que sozinho estende os céus, e anda sobre os altos do mar.
O que fez a Ursa, o Órion, e o Sete-estrelo, e as recâmaras do sul.
O que faz coisas grandes e inescrutáveis; e maravilhas sem número.
Eis que ele passa por diante de mim, e não o vejo; e torna a passar perante mim, e não o sinto.
Eis que arrebata a presa; quem lha fará restituir? Quem lhe dirá: Que é o que fazes?
Deus não revogará a sua ira; debaixo dele se encurvam os auxiliadores soberbos.
Quanto menos lhe responderia eu, ou escolheria diante dele as minhas palavras!
Porque, ainda que eu fosse justo, não lhe responderia; antes ao meu Juiz pediria misericórdia.
Ainda que chamasse, e ele me respondesse, nem por isso creria que desse ouvidos à minha voz.
Porque me quebranta com uma tempestade, e multiplica as minhas chagas sem causa.
Não me permite respirar, antes me farta de amarguras.
Quanto às forças, eis que ele é o forte; e, quanto ao juízo, quem me citará com ele?

Se eu me justificar, a minha boca me condenará; se for perfeito, então ela me declarará perverso.
Se for perfeito, não estimo a minha alma; desprezo a minha vida.
A coisa é esta; por isso eu digo que ele consome ao perfeito e ao ímpio.
Quando o açoite mata de repente, então ele zomba da prova dos inocentes.


Jó 9:5-24

Como se vê nesse caso o contexto é tudo.
CRIATURO disse: Erre hoje, amadureça e aprenda amanhã em vidas futuras
Hoje através do egoismo fazemos um mundo pior a maioria acredita que ficaram impunes apenas "lamentam-se" pela gerações futura que herdarão nossas cagadas atuais, infelizmente o pensamento é esse "viver o melhor possível enquanto puder, quem vier após a mim que se danem."
Fazem isso por não creem na possibilidade de nascerem de novo herdando no futuro suas próprias cagadas feitas no passado.

O problema é que isso não evita que outros pagem pelos seus atos.
Se hoje eu derrubo a democracia para virar o tirano ditador supremo e escravizar todos vocês, eu posso morrer e nascer na sequencia sendo escravizado pelo meu sucessor no poder, mas a madre Tereza e o Chico Xavier que morreram antes de mim e não tem o mesmo carma que eu, também vão nascer no mesmo mundo agora sem democracia e serem vitimas inocentes dos MEUS ATOS.

O problema não está na noção de que muitas vezes colhemos o que plantamos, está na noção de que SEMPRE colhemos o que plantamos e nunca colhemos o plantio alheio, o que é absolutamente falso.
Nossas ações afetam não só nossas vidas, mas também a vida alheia, o que significa que somos afetados não só pelos nossos atos, mas também pelos atos alheios.
CRIATURO disse:
fruto da cultura da época tambem como de uma espiritualidade mais primitiva ou imatura.

Sim.
Concordamos em fim.
CRIATURO disse: considerando que pessoas ainda mortas possam influenciar nas ações dos vivos, se foi permitido que ela passasse por tal situação desagradável alguma razão existe.

Sim o nome dessa razão é livre-arbítrio, estamos sujeitos ao livre-arbítrio alheio, o resultado disso é que podemos ser vitimados ainda que sejamos inocentes.
Do contrario sua teoria entre em conflito com o livre-arbítrio.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
sybok disse: O problema é que esse ensinamento vai de encontro como todos os outros ensinamentos de Cristo, desde de o sujeito que precisa enterrar a própria mãe e Cristo dizendo para deixar os mortos enterrarem os mortos, até o que ele manda os sujeito abandonar o trabalho e a pesca, e o outro abandonar a riqueza, etc...
Coloque isso junto com a vida ascética vivida por eles e pelos religiosos Judeus e Católicos, que você vai ver que tudo segue na mesma direção.

Aquele que se apegar a vida irá perde-la, aqueles que dela desistir, acha-la-a

O que sempre foi um sinal de alerta para mim Sybok é que Jesus fala através de parábolas e seguir ao pé da letra acaba levando a posições radicais. Mesmo a vida ascética dele não pode ser usada como caminho pois estava em missão aqui com tempo pré determinado. A postura de se afastar do mundo de muitos religiosos contraria em tudo os ensinamentos básicos dele, como se pode amar o próximo como a si mesmo se não houver proximidade, convivëncia, o aprendizado dessa máxima? E o próprio fato de sermos colocados juntos num planeta, rs. O caminho do meio Sybok, sempre o caminho do meio.
sybok disse: Aquele que se apegar a vida irá perde-la, aqueles que dela desistir, acha-la-a

Esse é um exemplo claro do perigo de ser levada ao pé da letra, alguém pode facilmente usá-la para fazer apologia ao suicídio.
·  emmcri Membro
julho 2013 0
sybok disse: Nada disso depende de fé, é tudo "verificavel" por qualquer um, desde o fato de que nosso atual estado mental, a vigília, é um estado onde a mente distorce a realidade, quanto a existência de um outro estado mental mais desperto.
Tudo isso pode ser investigado de modo cético e racional e em nenhum momento depende da crença ou da fé, tanto é assim que comecei a investigar isso quando eu era ateu.

Prezado amigo sybok , antes de tudo quero que saiba o respeito e carinho que tenho por você e suas posições sempre coerentes.
Não quero dar continuidade a este diálogo cometendo a indelicadeza de não ler o que você me recomendou.
Como ando além de ocupado com sérias limitações cognitivas devido o uso de psicotrópicos, devo demorar a te responder.Tenha um pouco de paciência .
Abraços.
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
sybok disse: Interprete isso como quiser Criaturo, mas o fato é que a nossa missão segundo tudo o que mostram as práticas religiosas ensinadas, como jejum, celibato, desapego, clausura, etc... é que temos que nos conhecer a nós mesmo e aprender a nos controlar e mudar.
É inegável que o foco do ensinamento religioso se refere ao próprio individuo e ao controle mental e emocional deste.

O foco é esse mesmo, o desenvolvimento do ser. O caminho a ser seguido é que discordo de vc. O caminho do meio jamais me abandona, é um norte poderoso para mim.
sybok disse: A religião em geral repudia os prazeres da vida e a obtenção de gratificação pessoal, nos dizendo para negarmos a nos mesmos, seja dando a outra face, seja esquecendo o pranto de nossos entes recém falecidos, o que importa é negar nossos quereres e percorrer o caminho.

Essa é uma visão radical, dar a outra face nada mais é do que retribuir o mal recebido com o bem, a outra face é o outro lado no caso o mal x o bem. Entregar os nossos mortos aos mortos é inclusive usado pelo espiritismo para apoiar a explicação de que a morte é só uma passagem e os já mortos, rs, receberão os nossos mortos significando que tem quem cuide deles no outro lado, que não é preciso lágrimas porque a vida continua do outro lado da passagem.

Não é negar nossos quereres é saber lidar com eles, é o caminho do meio, o equilíbrio. Vc consegue imaginar Jesus dizendo para não amar? Que amar é proibido? Não se pode confundir desapego com falta de amor, o caminho é aprender a amar sem possuir e não, não amar.
·  salgueiro Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: Sim o nome dessa razão é livre-arbítrio, estamos sujeitos ao livre-arbítrio alheio, o resultado disso é que podemos ser vitimados ainda que sejamos inocentes.
Do contrario sua teoria entre em conflito com o livre-arbítrio.

A grande questão para a compreensão das chamadas vítimas inocentes é pensar que se nunca dei um tapa na cara de ninguém jamais levarei um de volta, é se apegar ao detalhe do tipo ação por ação. É ser literalista e associar um mau resultado a uma má pessoa, existe centenas de razões possíveis para cada fato acontecido e por isso a máxima do 'não julgueis'. Posso morrer de bala perdida sem jamis ter matado alguém, é só uma morte rápida e uma 'boa morte' sem grande sofrimento físico.

Quando apontamos, como espíritas, a falta de inocëncia básica dos espíritos encarnados aqui é somente isso, basicamente não somos inocentes pois a propensão para fazermos o mal é enorme, por isso sempre uso a análise dos atos das boas pessoas como forma de se entender essa questão.

Editando para complementar. Existe ainda, sempre uma leva de espíritos que não necessitam mais encarnar nesse tipo de planeta (de provas e expiações) mas se voluntariam a vir. Como não vem a passeio e sim para educar, servir de exemplo, tem vidas muitas das vezes miseráveis passando por toda sorte de dificuldades. A primeira vista, na análise superficial vai se dizer que o cara deve ser muito filho da puta ´para ter que passar por todas aquelas dificuldades quando na verdade é já um espírito desenvolvido que vem servir de exemplo de como se encarar as dificuldades. Por isso, de novo, o não julgueis
·  1500 Comentários sorted by Votes Date Added
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
salgueiro disse:
O que sempre foi um sinal de alerta para mim Sybok é que Jesus fala através de parábolas e seguir ao pé da letra acaba levando a posições radicais. Mesmo a vida ascética dele não pode ser usada como caminho pois estava em missão aqui com tempo pré determinado. A postura de se afastar do mundo de muitos religiosos contraria em tudo os ensinamentos básicos dele, como se pode amar o próximo como a si mesmo se não houver proximidade, convivëncia, o aprendizado dessa máxima? E o próprio fato de sermos colocados juntos num planeta, rs. O caminho do meio Sybok, sempre o caminho do meio.

O caminho do meio Salgueiro, é como chamam os budistas o caminho acético, sem os extremos de seitas hinduístas que fazem jejum até a morte e praticam a mortificação do corpo, nem a vida comum em sociedade na busca dos prazeres sensoriais.
Entre os dois extremos o meio é justamente a vida acética.

Não há como negar o próprio exemplo de vida de quem não só ensina o desapego como ele ensinou, como ainda diz, "carreguem a sua própria cruz e me sigam", deixando claro que deveríamos seguir seu exemplo de vida.
Amar o próximo não depende de viver a vida comum em sociedade, nem monges num mosteiros vivem sozinhos.
Retirar-se da vida comum em sociedade é como a pratica do jejum, tem a função de ensinar o autocontrole e eliminar as dependências que uns tens pelos outros, onde vivem relações muitas vezes distorcidas, onde ou veem o outro como propriedade, ou amam o outro mais do que a si próprios.

Mais importante, quem não se conhece, não pode se amar, ou amar ao próximo.
salgueiro disse: O foco é esse mesmo, o desenvolvimento do ser. O caminho a ser seguido é que discordo de vc. O caminho do meio jamais me abandona, é um norte poderoso para mim.
O que você chama de caminho do meio, os budistas chamariam de vida em busca dos prazeres sensoriais, um dos extremos a ser evitado.
Obviamente que no caminho do meio existe um espaço grande, onde podemos nos aproximar mais da vida sensorial ou mais da vida monástica radical.
O problema é o foco, se não há entendimento sobre a necessidade real do abandono da própria vida e dos próprios desejos, é muito difícil uma pessoa conseguir se manter mais próxima a vida dos prazeres, mas ainda estando nos limites do caminho do meio.

Na verdade é tão difícil as pessoas entenderem direito o que é necessário fazer e o que é abandonar a própria vida, que eu conheço monges e freiras que em vão abandonaram a vida em sociedade e buscaram a clausura em conventos e mosteiros, mas que de modo algum desistiram da própria vida, assim como existem caras como eu, que não vivo em um mosteiro e continuo vivendo em sociedade, mas abandonei minha própria vida.

Abandonar a vida em sociedade e abandonar a própria vida, estão longe de ser a mesma coisa.
Infelizmente a maioria ainda confunde necessidade prática focada a um objetivo especifico, com filosofia de vida, com modo "correto" de se viver.
A vida dum monge não é um "modo de vida", é um trabalho com um objetivo.

A vida em si é feita para o convívio e para os prazeres, mas nós ainda não estamos prontos para a vida e temos uma obrigação, o trabalho chato e temporário de nos prepararmos para a vida, desistindo dela.
salgueiro disse: Entregar os nossos mortos aos mortos é inclusive usado pelo espiritismo para apoiar a explicação de que a morte é só uma passagem e os já mortos, rs

Pois é, essa é uma interpretação espirita que eu já vi outros fazendo, inclusive o Criaturo, mas na passagem que diz Cristo não diz "deixe que os mortos RECEBAM os mortos", ele diz "deixe que os mortos ENTERREM os mortos", se referindo as pessoas na vida comum, as pessoas preocupadas com as coisas da vida, com enterros, com trabalho, etc. Ele se refere a elas, como sendo os "mortos", fazendo alusão ao fato de que o cidadão comum que vive a vida, não tem vida real e está morto.

Veja que a noção de que os "mortos" recebem os "mortos" no além vida, se quer é uma noção judaico-cristã. Para judeus e cristãos após a morte seremos ressuscitados.

Repare que o contexto dessa passagem, é justamente aquela em que ele encontra diversas pessoas e as manda abandonar a vida e o que estão fazendo, para segui-lo e para seguir o exemplo dele, mas todos se recusam a ir com ele, por estarem ocupados com alguma coisa "importante" da vida, seja o trabalho, seja o enterro de um ente querido.

Essa é outra passagem que vai de encontro a noção de que "Aquele que se apegar a vida irá perde-la, aqueles que dela desistir, acha-la-a", em especial essa passagem que você citou, pois ele se refere a essas pessoas na vida como sendo os "mortos".
salgueiro disse: Não é negar nossos quereres é saber lidar com eles, é o caminho do meio, o equilíbrio.


Todo mundo sempre se acha equilibrado e acha que sabe "lidar" com os próprios desejos.
A verdade é que se uma pessoa não é capaz de se abster de algo, então ela não tem controle próprio e depende desse algo.
A única prova que você pode ter que tem controle sobre si e que não depende da satisfação dos desejos ou da satisfação de certas carências através do convívio com os outros, é sendo capaz de se contentar consigo própria e sendo capaz de se abster de todo o resto pelo tempo que for necessário.

Se você não pode se abster de algo, então depende disso.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:15

salgueiro disse: Vc consegue imaginar Jesus dizendo para não amar? Que amar é proibido? Não se pode confundir desapego com falta de amor, o caminho é aprender a amar sem possuir e não, não amar.
Não se pode confundir autocontrole e independência com falta de amor.
Um filho não sai de casa por não amar sua mãe, ele sai para crescer e buscar independência, do mesmo modo uma pessoa não se retira da sociedade por falta de amor, mas para buscar independência.
Post edited by sybok on julho 2013
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Esse é o grande barato da vida, a diferença entre as pessoas, rs.
sybok disse: O caminho do meio Salgueiro, é como chamam os budistas o caminho acético, sem os extremos de seitas hinduístas que fazem jejum até a morte e praticam a mortificação do corpo, nem a vida comum em sociedade na busca dos prazeres sensoriais.
Entre os dois extremos o meio é justamente a vida acética.

Pensar o ascetismo como um caminho de equilíbrio (que é o que entendi como o caminho do meio) a meu ver é tudo o que ele não é. Pode não ser tão extremo como o adotado pelos hinduístas mas ainda é extremista.
sybok disse: Não há como negar o próprio exemplo de vida de quem não só ensina o desapego como ele ensinou, como ainda diz, "carreguem a sua própria cruz e me sigam", deixando claro que deveríamos seguir seu exemplo de vida.

É o problema do literalismo, a cruz é carregar vc mesmo pela vida e seguí-lo seria aos seus ensinamentos. Jesus falava por parábolas!!!

Além do que não podemos esquecer ao analisar a Bíblia, é que os evangelhos foram escritos décadas depois de sua morte. Sem deixar de lado as traduções, a falta de palavras de um idioma para o outro e o tempo decorrido desde o Concílio de Nicéia até hoje. Cuidado pouco não é bobagem, rs, principalmente se for levar no literalismo.
sybok disse: Amar o próximo não depende de viver a vida comum em sociedade, nem monges num mosteiros vivem sozinhos.

Mas não se isola para não criar vínculos? Compreende que o isolamento é um chamado ao não amar?
sybok disse: Retirar-se da vida comum em sociedade é como a pratica do jejum, tem a função de ensinar o autocontrole e eliminar as dependências que uns tens pelos outros, onde vivem relações muitas vezes distorcidas, onde ou veem o outro como propriedade, ou amam o outro mais do que a si próprios.

Desculpe Sybok mas jejum é a negação da vida, tem a função de provavelmente acabar com a saúde do praticante e nem vou citar o Setealgumacoisa e viver de luz.

O equilíbrio é para ser conseguido em meio as pessoas aprendendo a lidar com os vínculos. Como aprender a amar com desapego se o praticante não ama?
sybok disse: O problema é o foco, se não há entendimento sobre a necessidade real do abandono da própria vida e dos próprios desejos, é muito difícil uma pessoa conseguir se manter mais próxima a vida dos prazeres, mas ainda estando nos limites do caminho do meio

Então vc recebe o dom da vida e tem de abandoná-la? Ou tem que aprender a vivë-la?

Continuo a afirmar que o aprendizado deve ser feito em meio aos demais e pode ser feito. Da outra forma forma, sinto muito, mas não será de verdade.
sybok disse: A vida em si é feita para o convívio e para os prazeres, mas nós ainda não estamos prontos para a vida e temos uma obrigação, o trabalho chato e temporário de nos prepararmos para a vida, desistindo dela.

Num tem jeito, eu entendi todos esses ensinamentos de uma forma totalmente diferente de vc, rs
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
sybok disse: Pois é, essa é uma interpretação espirita que eu já vi outros fazendo, inclusive o Criaturo, mas na passagem que diz Cristo não diz "deixe que os mortos RECEBAM os mortos", ele diz "deixe que os mortos ENTERREM os mortos", se referindo as pessoas na vida comum, as pessoas preocupadas com as coisas da vida, com enterros, com trabalho, etc. Ele se refere a elas, como sendo os "mortos", fazendo alusão ao fato de que o cidadão comum que vive a vida, não tem vida real e está morto.

Viu como é que cada um interpreta do seu jeito, rs, eu não vejo necessidade da mudança do verbo desse jeito mesmo a interpretação do espírito está valendo. Lembra de que é parábola e não ao pé da letra?
sybok disse: Veja que a noção de que os "mortos" recebem os "mortos" no além vida, se quer é uma noção judaico-cristã. Para judeus e cristãos após a morte seremos ressuscitados.

E teria que ser? Reencarnação assusta o homem desde sempre, ressuscitar é mais prazeroso, rs.
sybok disse: A verdade é que se uma pessoa não é capaz de se abster de algo, então ela não tem controle próprio e depende desse algo

Vejo isso como a negação total de se estar em um corpo físico. Viver como espírito estando encarnado é violar as leis da vida.
·  sybok Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
salgueiro disse: Pensar o ascetismo como um caminho de equilíbrio (que é o que entendi como o caminho do meio) a meu ver é tudo o que ele não é. Pode não ser tão extremo como o adotado pelos hinduístas mas ainda é extremista.
O meio termo entre a vida sensorial e a morte é justamente a vida acética.
A vida acética é a vida de quem busca o autocontrole através da abstenção, pratica necessária a qualquer viciado sem controle de si.

Pode um viciado dizer que vai dar só um cheiradinha vez ou outra, ou um alcoólatra dizer que vai continuar bebendo socialmente?
A completa abstenção é o necessário para que eles adquiram o autocontrole que não possuem.
salgueiro disse: É o problema do literalismo, a cruz é carregar vc mesmo pela vida e seguí-lo seria aos seus ensinamentos. Jesus falava por parábolas!!!
Mas não só por parábolas.

O ensinamento de abandonar o trabalho ou deixar para lá o enterro do ente querido, se quer é uma parábola contada por Cristo, é um relato dos discípulos contando o que Cristo fez quando andavam todos juntos, chamando as pessoas para abandonar a própria vida e os próprios afazeres, para se juntar a eles.

Os exemplos usados nessas passagens visam justamente ser bem claros no sentido de explicar que não existe NADA mais importante na vida, nem o trabalho, nem mesmo o enterro do próprio pai, nem se despedir dos que estão em casa, antes de partir.

Vejamos o inegável contexto no qual se da tal ensinamento:

Lucas 9:57-62

"E aconteceu que, indo eles pelo caminho, lhe disse um: Senhor, seguir-te-ei para onde quer que fores.
E disse-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.
E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor, deixa que primeiro eu vá a enterrar meu pai.
Mas Jesus lhe observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o reino de Deus.
Disse também outro: Senhor, eu te seguirei, mas deixa-me despedir primeiro dos que estão em minha casa.
E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus."

O ensinamento descrito é bem claro, quem olha pra trás (para a vida que deixa), não é apto para o reino de Deus.

O ensinamento de Cristo a todo momento lida com esse nível de seriedade, não sei da onde vocês tiram qualquer interpretação de que ele não queria que as coisas fossem assim tão "difíceis" e que devemos continuar levando a vida numa boa.

Ao contrario, a todo momento ele deixa claro que nada é mais importante do que seguir o
caminho difícil e que "o filho do homem não tem descanso" e que por tanto para segui-lo é preciso abandonar os confortos da vida, deixar para lá as pessoas que ama em sua casa, esquecer até de se preocupar com o enterro do próprio pai.
salgueiro disse: Além do que não podemos esquecer ao analisar a Bíblia, é que os evangelhos foram escritos décadas depois de sua morte. Sem deixar de lado as traduções, a falta de palavras de um idioma para o outro e o tempo decorrido desde o Concílio de Nicéia até hoje. Cuidado pouco não é bobagem, rs, principalmente se for levar no literalismo.

Por isso mesmo eu prefiro a religião comparada e o estudo do que os muitos mestres dizem sobre esse assunto. Esses ensinamentos não são únicos de Cristo, muitos outros Budas, muitos outros mestres, ensinam a mesma coisa, sempre relacionado a uma vida acética.

O mais importante é que o ensinamento em si não passa de um texto dizendo o que devemos fazer, mas a prática dessas coisas leva a um resultado mental observável, que independe da interpretação de qualquer texto.
Leve uma vida acética e você vai ver que ela leva a efeitos observáveis relacionados ao estado mental humano, sendo assim poderá ver na prática a razão da vida acética ser necessária, ao conhecer os resultados reais de tais práticas.

Da mesma forma que quando se fuma um baseado, se bebe um litro de pinga, ou se cheira uma carreira de pó, isso tem um efeito INEGÁVEL na percepção e na mente, do mesmo modo a prática da vida acética tem o mesmo efeito inegável e observável na mente de quem prática.
salgueiro disse:
Mas não se isola para não criar vínculos? Compreende que o isolamento é um chamado ao não amar?
O isolamento é um chamado a independência, as pessoas se vão, todas elas se vão com a morte ou pela eternidade e não podemos ser dependentes uns dos outros.

Quem ama deixa livre, hoje as pessoas são tão apegadas que confundem amor com exclusividade e exigem fidelidade de seus parceiros, como se fossem donos deles e como se um fulano se divertir com ciclano trocando caricias, fosse da conta de beltrano que se sente "traído".

Não que a promiscuidade seja o ideal, mas o sentimento de posse do outro, que é a origem do contrato de fidelidade, é um bom exemplo de distorção nas relações entre as pessoas.
Um individuo não pode se sentir mal pelo que outros dois indivíduos fazem, em especial quando a troca de carinho entre eles, não tem nada de ruim, muito pelo contrario, é como dito, uma troca de carinho entre duas pessoas que se gostam.

As pessoas não tem esse tipo de desprendimento, nem exigem fidelidade por outra razão que não o próprio descontrole e a própria carência afetiva.

O isolamento tem por função remover esse tipo de carência, para que os atos se pautem nas razões e não em sentimentos confusos e descontrolados fruto dessas carências, e, isso independe da questão de qual o comportamento correto, se a fidelidade ou a promiscuidade.

Vocês olham a questão tentando definir comportamentos, tentando julgar eles como corretos ou incorretos, enquanto que as praticas religiosas não tem nada a ver com isso, são simplesmente exercícios focados a nos permitir identificar o que nos move e no que baseamos nosso comportamento, de modo a nos dar controle do comportamento em si.
salgueiro disse: Desculpe Sybok mas jejum é a negação da vida, tem a função de provavelmente acabar com a saúde do praticante e nem vou citar o Setealgumacoisa e viver de luz.

Não Salgueiro, o jejum tem a mesma função do celibato, do isolamento, da meditação e de todo o resto, nos ensinar sobre nós mesmos e nos permitir identificar o que nos move de modo que possamos nos libertar.
"Conheceis a verdade e ela vos libertará".
"Quem peca não é livre, é escravo do pecado".

O ser humano se pensa livre, mas não é, ele está em desequilíbrio e isso se reflete inclusive nas nossas relações sociais, por isso a democracia não passa de um sonho, algo que não foi plenamente atingido em parte alguma.
salgueiro disse: Então vc recebe o dom da vida e tem de abandoná-la? Ou tem que aprender a vivë-la?

Continuo a afirmar que o aprendizado deve ser feito em meio aos demais e pode ser feito. Da outra forma forma, sinto muito, mas não será de verdade.

Nossas relações sociais são saldáveis?
Vivemos em harmonia e liberdade uns com os outros?
Não sabemos viver juntos direito Salgueiro, isso é inegável, basta olhar em volta.

Para saber viver com o outro, antes de tudo precisamos saber como viver com nós mesmo.
salgueiro disse: Vejo isso como a negação total de se estar em um corpo físico. Viver como espírito estando encarnado é violar as leis da vida.

Viver no corpo e saber controlar o corpo são coisas distintas.
O corpo é o presente dado a nosso espirito, é seu veiculo com o qual ele experimenta a vida, mas se o espirito não sabe como dirigi-lo, termina escravizado por ele, deixando de viver a vida e assistindo o corpo viver a vida por ele.
Post edited by sybok on julho 2013
·  salgueiro Membro
julho 2013 0
Infelizmente não posso rebater o seu conhecimento bíblico com o meu porque ele é praticamente inexistente mas pela minha experiëncia acredito que existam passagens que mostrem as nuances e um outro rumo na análise.
sybok disse: Esses ensinamentos não são únicos de Cristo, muitos outros Budas, muitos outros mestres, ensinam a mesma coisa, sempre relacionado a uma vida acética.

Não acredito no ascetismo, honestamente não consigo ver como uma vida em isolamento traga algum aprendizado, desculpe não quero ofender mas sempre me pareceu que é dar uma de avestruz e enterrar a cabeça na areia, no máximo poderia entender que alguém que já percorreu a maior parte do caminho do aprendizado faça-o como um último degrau.
sybok disse: Leve uma vida acética e você vai ver que ela leva a efeitos observáveis relacionados ao estado mental humano, sendo assim poderá ver na prática a razão da vida acética ser necessária, ao conhecer os resultados reais de tais práticas.

Da mesma forma que quando se fuma um baseado, se bebe um litro de pinga, ou se cheira uma carreira de pó, isso tem um efeito INEGÁVEL na percepção e na mente, do mesmo modo a prática da vida acética tem o mesmo efeito inegável e observável na mente de quem prática.

Seria um estado alterado da mente, ok, a pergunta que fica é, uma boa idéia?
sybok disse: O isolamento é um chamado a independência, as pessoas se vão, todas elas se vão com a morte ou pela eternidade e não podemos ser dependentes uns dos outros.

Será? A independëncia ou o desapego é para ser conquistada com vínculos Sybok.
sybok disse: Quem ama deixa livre, hoje as pessoas são tão apegadas que confundem amor com exclusividade e exigem fidelidade de seus parceiros, como se fossem donos deles e como se um fulano se divertir com ciclano trocando caricias, fosse da conta de beltrano que se sente "traído"

Vamos com calma, vc dar espaço para um filho crescer e bater asas é uma coisa, um relacionamento casual ou que os dois desejem a porta aberta a outros parceiros é outra e um relacionamento em que toparam se relacionar com exclusividade é outra, hoje as pessoas tem escolhas. O que não vale é trair o compromisso assumido seja ele qual for. É a falta de controle que entraria em cena.
sybok disse: As pessoas não tem esse tipo de desprendimento, nem exigem fidelidade por outra razão que não o próprio descontrole e a própria carência afetiva.

Deixa eu te contar uma coisa, existem pessoas que nascem fiéis, é da natureza delas, rs, e homens inclusive,
sybok disse: Não Salgueiro, o jejum tem a mesma função do celibato, do isolamento, da meditação e de todo o resto, nos ensinar sobre nós mesmos e nos permitir identificar o que nos move de modo que possamos nos libertar.
"Conheceis a verdade e ela vos libertará".
"Quem peca não é livre, é escravo do pecado".

Vou ser chata e repetir, isso pode ser feito em meio a vida normal.
sybok disse: Nossas relações sociais são saldáveis?
Vivemos em harmonia e liberdade uns com os outros?
Não sabemos viver juntos direito Salgueiro, isso é inegável, basta olhar em volta

Nós não somos saudáveis, estamos aqui para aprender a së-lo.
sybok disse: Para saber viver com o outro, antes de tudo precisamos saber como viver com nós mesmo

hahaha, meu temperamento solitário vai ficar calado nessa, rs, nem tem graça se eu concordar. Vivo muito bem sozinha então .... rs
sybok disse: Viver no corpo e saber controlar o corpo são coisas distintas.
O corpo é o presente dado a nosso espirito, é seu veiculo com o qual ele experimenta a vida, mas se o espirito não sabe como dirigi-lo, termina escravizado por ele, deixando de viver a vida e assistindo o corpo viver a vida por ele.

Concordo plenamente, a nossa divergëncia está no caminho a ser seguido.
·  Fernando_Silva Administrador, Moderador
julho 2013 0
sybok disse: Disse também outro: Senhor, eu te seguirei, mas deixa-me despedir primeiro dos que estão em minha casa.
E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus."

O ensinamento descrito é bem claro, quem olha pra trás (para a vida que deixa), não é apto para o reino de Deus.
Exigência de fanatismo.
·  CRIATURO Membro
julho 2013 edited julho 2013 0
sybok disse: O problema é que esse ensinamento vai de encontro como todos os outros ensinamentos de Cristo, desde de o sujeito que precisa enterrar a própria mãe e Cristo dizendo para deixar os mortos enterrarem os mortos, até o que ele manda os sujeito abandonar o trabalho e a pesca, e o outro abandonar a riqueza, etc...


Ai, Jesus! mais interpretações conforme nossa afinidade veja a minha:
Deixar que os mortos enterrem seus mortos, poderia ser:
Deixem que de fato os mortos recebam os seus mortos no mundo espiritual.
pois mais importante do que uma despedida é uma recepção a partir de um recomeço.
E Sim, amar a Deus sobre todas as coisas,mas sem o trabalho fisico a vida neste mundo tona-se impossível, alem do que se estamos aqui é porque de alguma forma necessitamos estar aqui, se o objetivo da vida é o controle do eu mecanico, poderíamos conseguir isso no seu mundo virtual didático, sem o conhecimento da dor.

Então o que voce prefere:

A possibilidade de viver em um mundo onde existe dor, ou a inexistência de uma vida sem dor ?
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:16

sybok disse: Aquele que se apegar a vida irá perde-la, aqueles que dela desistir, acha-la-a.

eu acho que a melhor forma de doar sua vida é sacrifica-la para amenizar a dor do outro.
é deixar de existir para fazer o outro existir .
a exemplo de uma mãe.
sybok disse: 21 eu sou integro , não levo em conta a minha alma

O próprio contexto da sua versão já mostra que a interpretação está incorreta.
Mas vou postar outra versão, para facilitar pra você ver o contexto. Ai "não levo em conta" tem o mesmo significado de "não estimo" e o contexto mostra isso, em especial o que ele diz em seguida "não estimo minha vida".
Ele não estima nem a vida nem a alma.
a biblia sempre deixa portas abertas para no minimo duas interpretações,neste caso:
considera-se integro:
1)por não considerar eternidade da sua alma em outras vidas, é comum inconscientemente falamos verdades.
2) porem não levo em conta minha vida "injustiçada" por Deus

essa história passa a ideia de um deus injusto castigando inocentes Dai vem a sua afinidade com ela mas, temos tambem os amigos de jó acusando de ser um pecador hipócrita.
e a experiência nos dize que muito provavelmente Jó assim como todos os humanos são de fatos hipócritas querendo se passar por inocentes.

E sim existem uma passagem em que ele diz: nós nada sabemos então consultem as gerações passadas
sybok disse: Como se vê nesse caso o contexto é tudo.

afinidades tambem
sybok disse: O problema é que isso não evita que outros pagem pelos seus atos.
Se hoje eu derrubo a democracia para virar o tirano ditador supremo e escravizar todos vocês, eu posso morrer e nascer na sequencia sendo escravizado pelo meu sucessor no poder, mas a madre Tereza e o Chico Xavier que morreram antes de mim e não tem o mesmo carma que eu, também vão nascer no mesmo mundo agora sem democracia e serem vitimas inocentes dos MEUS ATOS.

e isto faria dessa ideia uma ilógica injustiça não é ?
Mas é voce quem esta dizendo que pessoas pagam pelo erros dos outros, eu digo que a necessidade de certo aprendizado ocorrem com as pessoas certas , no lugar certo e no momento propicio a obter um maior aproveitamento possível.
Se considerarmos a vida eterna não podemos deixarmos de considerar esta possibilidade.
Post edited by CRIATURO on julho 2013
·  sybok Membro
julho 2013 0
CRIATURO disse: Ai, Jesus! mais interpretações conforme nossa afinidade veja a minha:
Deixar que os mortos enterrem seus mortos, poderia ser:
Deixem que de fato os mortos recebam os seus mortos no mundo espiritual.
pois mais importante do que uma despedida é uma recepção a partir de um recomeço.
E Sim, amar a Deus sobre todas as coisas,mas sem o trabalho fisico a vida neste mundo tona-se impossível, alem do que se estamos aqui é porque de alguma forma necessitamos estar aqui, se o objetivo da vida é o controle do eu mecanico, poderíamos conseguir isso no seu mundo virtual didático, sem o conhecimento da dor.

Então o que voce prefere:

A possibilidade de viver em um mundo onde existe dor, ou a inexistência de uma vida sem dor ?

A sua interpretação não só muda o significado da letra escrita, tentando dizer que "enterrem os mortos" na verdade significa "recebam os mortos", como contraria os exemplos das outras passagens que vem antes e depois dessa.

Vejamos o quadro completo:


Lucas 9: 23-25 / 57-62

"E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.
Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará.
Porque, que aproveita ao homem granjear o mundo todo, perdendo-se ou prejudicando-se a si mesmo?

E aconteceu que, indo eles pelo caminho, lhe disse um: Senhor, seguir-te-ei para onde quer que fores.
E disse-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.
E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor, deixa que primeiro eu vá a enterrar meu pai.
Mas Jesus lhe observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o reino de Deus.
Disse também outro: Senhor, eu te seguirei, mas deixa-me despedir primeiro dos que estão em minha casa.
E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus."


Basta ver a interpretação que eu dei e ver como ela está de acordo com os outros exemplos, incluído os que vem antes e depois na mesma sequencia, e depois interpretar do seu jeito e ver como o texto simplesmente perde a coerência e a citação fica simplesmente sem contexto.
CRIATURO disse:
sybok disse: O problema é que isso não evita que outros pagem pelos seus atos.
Se hoje eu derrubo a democracia para virar o tirano ditador supremo e escravizar todos vocês, eu posso morrer e nascer na sequencia sendo escravizado pelo meu sucessor no poder, mas a madre Tereza e o Chico Xavier que morreram antes de mim e não tem o mesmo carma que eu, também vão nascer no mesmo mundo agora sem democracia e serem vitimas inocentes dos MEUS ATOS.


e isto faria dessa ideia uma ilógica injustiça não é ?

Não tem nada de ilógico no fato auto evidente de que se vivemos em sociedade, nossos atos não afetam somente a nós mesmos, mas também aos outros, assim como nossas vidas não são afetadas somente por nossas escolhas, mas também pela dos outros.

Por isso a injustiça existe e pode inegavelmente ser vista em toda parte.
CRIATURO disse:
Mas é voce quem esta dizendo que pessoas pagam pelo erros dos outros, eu digo que a necessidade de certo aprendizado ocorrem com as pessoas certas , no lugar certo e no momento propicio a obter um maior aproveitamento possível.
Se considerarmos a vida eterna não podemos deixarmos de considerar esta possibilidade.
Ao introduzir o conceito de livre arbítrio isso que você chama de "possibilidade a ser considerada", é na verdade contraditório.
E sem o livre arbítrio simplesmente não faria qualquer sentido.

Isso significa que a sua teoria é logicamente impossível, ela se baseia em erros de raciocínio já identificados e apontados, nesse caso a incompatibilidade de tal sistema com o livre arbítrio.

Para que sua teoria faça sentido e tenha lógica ela OBRIGATORIAMENTE deve abrir as portas para a existência de injustiças e de pessoas inocentes sendo vitimadas pelos atos alheios.
·  sybok Membro
julho 2013 0
salgueiro disse: Infelizmente não posso rebater o seu conhecimento bíblico com o meu porque ele é praticamente inexistente mas pela minha experiëncia acredito que existam passagens que mostrem as nuances e um outro rumo na análise.

E eu serei obrigado a discordar de você mais uma vez, passagens ensinando maior suavidade eu não conheço, conheço sim são passagens mais pesadas, algumas em parábolas que obviamente não devem ser levadas ao pé da letra, mas que ilustram a seriedade com que Cristo trata do assunto:

Mateus 18:7-9

Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa!
Por isso, se tua mão ou teu pé te fazem cair em pecado, corta-os e lança-os longe de ti: é melhor para ti entrares na vida coxo ou manco que, tendo dois pés e duas mãos, seres lançado no fogo eterno.
Se teu olho te leva ao pecado, arranca-o e lança-o longe de ti: é melhor para ti entrares na vida cego de um olho que seres jogado com teus dois olhos no fogo da geena.

Jejum, celibato e abandono da vida, também são ensinados no novo testamento por Cristo.

Mateus 19:29

"E todo aquele que deixar casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou campos por amor de meu nome, receberá cem vezes mais e possuirá a vida eterna."

Mateus 9:14-15

"Então os discípulos de João vieram perguntar-lhe: "Por que nós e os fariseus jejuamos, mas os teus discípulos não?"
Jesus respondeu: "Como podem os convidados do noivo ficar de luto enquanto o noivo está com eles? Virão dias quando o noivo lhes será tirado; então jejuarão."

Mateus 19:12

"Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar.
Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido.
Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos, por causa do reino dos céus. Quem pode receber isto, receba-o."


Religião do ponto de vista monástico e como ensinada por esses "mestres" é coisa muito séria, existe sempre um sentido extremo de urgência e dificuldade.
salgueiro disse: Não acredito no ascetismo, honestamente não consigo ver como uma vida em isolamento traga algum aprendizado, desculpe não quero ofender mas sempre me pareceu que é dar uma de avestruz e enterrar a cabeça na areia, no máximo poderia entender que alguém que já percorreu a maior parte do caminho do aprendizado faça-o como um último degrau.

Talvez seja um ultimo degrau, mas os efeitos do ascetismo, como dito, são para quem o prática da forma correta, com o correto abandono de si mesmo (pois não basta a clausura o jejum e o celibato), tão perceptíveis quanto o uso de uma droga pesada.

Os efeitos mentais são inegáveis.
salgueiro disse: Seria um estado alterado da mente, ok, a pergunta que fica é, uma boa idéia?

Segundo ensinam Cristo, Buda, Lao Tsé e tantos outros, sim. Aliás segundo eles péssima ideia e continuar na vida dos "mortos".
Segundo o que eu mesmo posso atestar, o resultado prometido por eles é real, mas eu juro que preferia nunca ter me deparado com isso e preferia não saber o que sei sobre o assunto.

Infelizmente é um caminho sem volta, uma vez que se tenha olhado a vida através desse estado mental, tornasse IMPOSSÍVEL voltar a normalidade.
Os efeitos são irreversíveis a tal ponto que só resta como alternativa continuar no mesmo caminho.
salgueiro disse: Vou ser chata e repetir, isso pode ser feito em meio a vida normal.

"Em meio a vida normal" é como eu faço, não estou na clausura de um convento, mas se você se refere a "sem uma vida acética", talvez parte do trabalho sim, o Ayya mesmo percorreu um caminho distinto do meu e não leva uma vida acética como a minha, mas demonstra contato com coisas que eu só pude chegar por meio da vida acética.
Mas se é possivel chegar aos "finalmentes", ao objetivo final dessas práticas, sem o ascetismo, eu realmente duvido, e, nenhum dos mestres citados ensina um caminho que não passe pela vida acética.
Mas tudo é sempre "possivel", mesmo quando pouco provável.

Repare que tudo na vida exige um pouco disso.
Para ser um grande artista e um grande cientista, é preciso deixar de ir brincar com os amigos e ter disciplina para ficar estudando.
Os que atingem grandes feitos são sempre os preparados para se abster da diversão e se concentrar no trabalho.

O religioso só pega isso e leva a um outro nível, com um objetivo mais profundo no nível de resultado mental pretendido, de modo que isso exige um nível distinto de abstenção e concentração.
O fazer no entanto é análogo ao de um militar, cientista, artista, esportista, etc...
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
sybok disse: A sua interpretação não só muda o significado da letra escrita, tentando dizer que "enterrem os mortos" na verdade significa "recebam os mortos", como contraria os exemplos das outras passagens que vem antes e depois dessa.

Jesus baseado no seu "quem tiver ouvidos para ouvir que ouçam" propositalmente não revelava a algumas coisas claramente, primeiro arava a mente das pessoas depois plantava semente para germinarem no tempo certo.
Veja que talvez seria melhor as pessoas continuarem pensando que todo morram e ficam dormindo a espera de um julgamento final , pois provavelmente as pessoas ainda não estivessem preparadas para aceitar a continuação da vida imediatamente após a morte, nem a atuação dos mortos influenciando as suas vidas, exatamente como ainda é nos dias atuais.
sybok disse: Por isso a injustiça existe e pode inegavelmente ser vista em toda parte.


finalmente sou obrigado a concordar com voce:

"a injustiça existe, porque neste mundo não ha nenhum justo" simples assim!

inocência e culpa estão intrínsecas em um mesmo individuo

pensemos assim: a criação possui uma parte mecânica e outra inteligente esta tenta manipular a outra conforme suas vontade e necessidade,mas nem sempre isto é possível.
suponhamos que que a matéria seja burra estando sujeita manipulação e ao domínio inteligente do espirito.
Que constrói com ela uma maquina capaz de se auto reproduzir após uma certa evolução ele finalmente pode entrar dentro dessa maquina embutindo nela o verdadeiro principio inteligente da vida esta seria a inteiração entre criadores e suas criações.
de qualquer forma antes e depois da maquina adquirir um principio inteligente seus criadores são responsáveis por suas ações principalmente após ele mesmo ser o principio inteligente das suas criações.
considerando o planeta terra como uma criação mecânica, naturalmente criada para proporcionar prazeres e sofrimentos e que por mais que os princípios inteligentes trabalhem para evitar sofrimentos injustos nem sempre isto é possível, logo o criador do planeta terra é responsável por tais injustiças assim também pelos prazeres proporcionados.
Apesar de Deus permitir todas essas criações sendo o grande responsável por elas, ele mesmo pode não ser o criador direto do planeta terra.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:18

·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: Posso morrer de bala perdida sem jamis ter matado alguém, é só uma morte rápida e uma 'boa morte' sem grande sofrimento físico.

concordo, não se pode querer padronizar regras para seres diferentes pois cada um age conforme sua vontade, mas exatamente por existirem seres livres e inteligentes interagindo entre si é que também não podemos pensar em resumir tudo ao simples acaso.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: E eu serei obrigado a discordar de você mais uma vez, passagens ensinando maior suavidade eu não conheço, conheço sim são passagens mais pesadas, algumas em parábolas que obviamente não devem ser levadas ao pé da letra, mas que ilustram a seriedade com que Cristo trata do assunto:

É que lemos de forma diferente, ou melhor, nosso entendimento do que é dito é diferente, eu consigo ler caso me force com o seu entendimento só que ele não é o meu. Por isso eu te entendo mas não concordo.

Toda a minha vivëncia mostra que posturas radicais não funcionam ou não terminam bem, então a experiëncia prática acaba formando um filtro e é por esse filtro que qualquer interpretação minha vai passar, entre outros é claro.
sybok disse: Talvez seja um ultimo degrau, mas os efeitos do ascetismo, como dito, são para quem o prática da forma correta, com o correto abandono de si mesmo (pois não basta a clausura o jejum e o celibato), tão perceptíveis quanto o uso de uma droga pesada.

Os efeitos mentais são inegáveis

Pois é, esse tipo de comparação só faz com que afaste a idéia de ser algo bom, uma maior lucidez, um enxergar mais profundo não poderia nunca ser associada ao efeito de uma droga pesada. Fica claro que detesto drogas, rs.
sybok disse: Segundo ensinam Cristo, Buda, Lao Tsé e tantos outros, sim. Aliás segundo eles péssima ideia e continuar na vida dos "mortos".

Apesar de não concordar com esse uso dos 'mortos' naquela passagem que comentamos, entendo o conceito dos mortos em vida mas não da mesma forma que vc, a minha versão segue a minha visão ou mesmo de princípios diferentes.
sybok disse: Infelizmente é um caminho sem volta, uma vez que se tenha olhado a vida através desse estado mental, tornasse IMPOSSÍVEL voltar a normalidade.
Os efeitos são irreversíveis a tal ponto que só resta como alternativa continuar no mesmo caminho.

Não tenho nem como comentar por não ter a menor idéia do que seja.
sybok disse: "Em meio a vida normal" é como eu faço, não estou na clausura de um convento, mas se você se refere a "sem uma vida acética", talvez parte do trabalho sim, o Ayya mesmo percorreu um caminho distinto do meu e não leva uma vida acética como a minha, mas demonstra contato com coisas que eu só pude chegar por meio da vida acética.

Como não tenho a menor idéia do que seja não posso nem tentar fazer uma correlação com o tipo de caminho que segui ou daquilo que conheço .
sybok disse: Mas se é possivel chegar aos "finalmentes", ao objetivo final dessas práticas, sem o ascetismo, eu realmente duvido, e, nenhum dos mestres citados ensina um caminho que não passe pela vida acética.
Mas tudo é sempre "possivel", mesmo quando pouco provável.

Duvido que haja um único caminho.
sybok disse: O religioso só pega isso e leva a um outro nível, com um objetivo mais profundo no nível de resultado mental pretendido, de modo que isso exige um nível distinto de abstenção e concentração.
O fazer no entanto é análogo ao de um militar, cientista, artista, esportista, etc..

Que não vai ser dado de bandeja a ninguém disso não tenho dúvidas mas daí partir para uma solução radical são outros quinhentos.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: concordo, não se pode querer padronizar regras para seres diferentes pois cada um age conforme sua vontade, mas exatamente por existirem seres livres e inteligentes interagindo entre si é que também não podemos pensar em resumir tudo ao simples acaso

Acaso não existe, rs. Sei que enxergar a teia em que estamos é complicado, rs.
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
salgueiro disse: Desculpe Sybok mas jejum é a negação da vida, tem a função de provavelmente acabar com a saúde do praticante e nem vou citar o Setealgumacoisa e viver de luz.

não! é antes uma pratica do desapego a matéria, o próprio Jesus jejuou e ensinou a jejuar, vejo no jejum uma porta conectando ao mundo espiritual pois, normalmente sofrendo necessidades, as dificuldades nos tornam mais lúcidos e amadurecidos,mas é logico que se voce tentar dar uma de jesus cristo jejuando por 40 dias poderá se conectar permanentemente ao mundo espiritual e ai adios muthatia, as té la vista.
A pratica religiosa moderada é de fato salutar, mas o apego extremista no controle do eu mecânico me parece mais uma questão pessoal do que o único caminho para humanidade.
sybok disse: A vida em si é feita para o convívio e para os prazeres, mas nós ainda não estamos prontos para a vida e temos uma obrigação, o trabalho chato e temporário de nos prepararmos para a vida, desistindo dela.

a vida a partir do nascimento esta destinada ao convívio social, trabalho prazer e sofrimento e querer fugir disso tentando entrar em uma redoma virtual espiritual ,não me parece algo muito natural.
pode até ser um desapego a vida social,mas pode ser também um apego a si mesmo, ou seja querer amar a si mesmo sob todas as coisas.
sybok disse: salgueiro disse: Não é negar nossos quereres é saber lidar com eles, é o caminho do meio, o equilíbrio.

Todo mundo sempre se acha equilibrado e acha que sabe "lidar" com os próprios desejos.
A verdade é que se uma pessoa não é capaz de se abster de algo, então ela não tem controle próprio e depende desse algo.
A única prova que você pode ter que tem controle sobre si e que não depende da satisfação dos desejos ou da satisfação de certas carências através do convívio com os outros, é sendo capaz de se contentar consigo própria e sendo capaz de se abster de todo o resto pelo tempo que for necessário.

Se você não pode se abster de algo, então depende disso.

isso graças a Deus! Jesus ensinou com simplicidade o caminho da pratica do bem sentindo-se como um irmão da humanidade" quem são meus irmãos , quem são meus pais ?" todos aqueles que agirem como filhos de um único Pai, portanto todos como irmãos e irmãs.
Mas voce possui uma tendencia em querer desvirtuar a criação, insinuando que um Deus sádico nos fez quase cegos iludidos por infintas imposições de vidas, quando na verdade todas elas não levam a lugar nenhum, pois não passam de ilusões criadas pelo ego, assim acusa Deus de ser um sacana nos impondo infinitas opções de portas ilusórias quando na verdade só existe uma unica porta real que conduz ao verdadeiro paraíso perdido onde o ego ja ta dominado.
Assim para encontramos uma unica porta teríamos que aprender a fechar infinitas outras ilusórias.
Assim também é justo pensar que esta sua porta no controle do eu mecânico, também não seja a unica, nem a ultima que antecede ao paraíso da consciência perdida, ou seja ela tambem continua fazendo parte da infinitas ilusões criadas por Deus .
Mas talvez talvez a unica realidade existente seja apenas os caminhos do meio e acreditar que exista um final, seja de fato a grande ilusão que mantem e impulsiona a vida humana.
sybok disse: O ensinamento de Cristo a todo momento lida com esse nível de seriedade, não sei da onde vocês tiram qualquer interpretação de que ele não queria que as coisas fossem assim tão "difíceis" e que devemos continuar levando a vida numa boa.

fio! só se for voce que ta levando a vida numa boa, a vida é cruel pois todos são cruéis apesar de acreditarmos ao contrario como voce mesmo afirma haver "inocentes".

inocentes quando sofremos ações alheias e culpados quando impomos sofrimentos a outros inocentes.
sybok disse: Da mesma forma que quando se fuma um baseado, se bebe um litro de pinga, ou se cheira uma carreira de pó, isso tem um efeito INEGÁVEL na percepção e na mente, do mesmo modo a prática da vida acética tem o mesmo efeito inegável e observável na mente de quem prática.

ai não! voce ta desvirtuando as pratica religiosas igualando seus efeitos as drogas, a droga não liberta apenas escraviza ao corpo e provavelmente se persistir poderá aprisionar o espirito a falta de razão.
Pratica religiosas despertam a consciência do ser enquanto drogas as iludem levando a demência espiritual e física.
para com isso...he..he..he..he
sybok disse: O isolamento é um chamado a independência, as pessoas se vão, todas elas se vão com a morte ou pela eternidade e não podemos ser dependentes uns dos outros.

ilusão! todos nascem dependentes e serão sempre dependentes, todos nascem ignorantes e sempre estarão prisioneiros dentro de um certo nível de ignorância.
mas o grande prazer da vida é sentir o infinito caminho a busca da liberdade impossível, pois ninguém conseguirá ser aparte de Deus.
sybok disse: Um individuo não pode se sentir mal pelo que outros dois indivíduos fazem, em especial quando a troca de carinho entre eles, não tem nada de ruim, muito pelo contrario, é como dito, uma troca de carinho entre duas pessoas que se gostam.

As pessoas não tem esse tipo de desprendimento, nem exigem fidelidade por outra razão que não o próprio descontrole e a própria carência afetiva.

aceitar-se um corno compreensivo tornaria a instituição familiar sem sentido.
Não foi este tipo de amor que jesus ensinou voce esta confundindo prazer sexual com amor, voce é livre para sentir e dar prazer a quem voce quiser,desde que antes não tenha assumido uma responsabilidade familiar.
Post edited by CRIATURO on agosto 2013
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: não! é antes uma pratica do desapego a matéria, o próprio Jesus jejuou e ensinou a jejuar, vejo no jejum uma porta conectando ao mundo espiritual pois, normalmente sofrendo necessidades, as dificuldades nos tornam mais lúcidos e amadurecidos,mas é logico que se voce tentar dar uma de jesus cristo jejuando por 40 dias poderá se conectar permanentemente ao mundo espiritual e ai adios muthatia, as té la vista.
A pratica religiosa moderada é de fato salutar, mas o apego extremista no controle do eu mecânico me parece mais uma questão pessoal do que o único caminho para humanidade.

Né por nada não Criaturo, diante de tantas dificuldades que temos, jejuar para mim já é masoquismo, rs. Magrela já sou, tudo que não preciso é passar fome, rs.
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
salgueiro disse: Né por nada não Criaturo, diante de tantas dificuldades que temos, jejuar para mim já é masoquismo, rs. Magrela já sou, tudo que não preciso é passar fome, rs.

Disseram seus discípulos a Jesus: "mestre trouxemos-lhe o que comer" respondeu Jesus: "tenho um alimento o qual voces ainda não conhecem"
pois nem só de pão viverá o homem.
disseram os escribas a Jesus : Bem sabemos que Moisés deu o pão do céu para nossos pais comerem,mas e voce qual sinal nos apresenta para podermos crer?

Seus pais comeram maná no deserto e morreram com seus pecados
, porque o verdadeiro pão que desceu do céu não foi moisés que vos deu(verdadeira doutrina)Eu sou o pão que desceu do céu quem comer da minha carne (doutrina) terá a vida eterna, quem beber da minha fonte nunca mais terá sede, pois eu sou a fonte da vida.
Desculpe citar passagens,mas algumas delas se encaixam tão bem no debate que eu não resisto.
Se ainda não fez experimente isso te fara refletir mais sobre a vida.
Post edited by CRIATURO on agosto 2013
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: Disseram seus discípulos a Jesus: "mestre trouxemos-lhe o que comer" respondeu Jesus: "tenho um alimento o qual voces ainda não conhecem"
pois nem só de pão viverá o homem

Ok, entendi sobre o alimento do espírito, mas aqui não se fala no jejum, fome física, rs.
CRIATURO disse: Desculpe citar passagens,mas algumas delas se encaixam tão bem no debate que eu não resisto.
Se ainda não fez experimente isso te fara refletir mais sobre a vida

Não gosto de parábolas, sou objetiva demais para gostar do enrolado.

Se refletir mais, a cuca funde, rs
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
sybok disse: Os exemplos usados nessas passagens visam justamente ser bem claros no sentido de explicar que não existe NADA mais importante na vida, nem o trabalho, nem mesmo o enterro do próprio pai, nem se despedir dos que estão em casa, antes de partir.

amaras teu Deus sob todas as coisas,mas isso não significa entrar num casulo acreditando que sairá de la uma linda borboleta fazendo uso apenas do pensamento, provavelmente sairá de lá atrofiado, se não fisicamente, mentalmente.
sybok disse: Nossas relações sociais são saldáveis?

sim! pois um dia todos nós teremos que pagar por nossos erros!

he...he...he...he..he.... desculpe-me mas, não resisti!
sybok disse: Não sabemos viver juntos direito Salgueiro, isso é inegável, basta olhar em volta.

e voce acha que a convivência em uma sociedade nata nos é imposta por qual motivo?
sybok disse: Para saber viver com o outro, antes de tudo precisamos saber como viver com nós mesmo.


voce não diz que o mundo externo é o nosso reflexo, basta observarmos os outros e saberemos exatamente como devemos agir.
mas isolados não teremos referencia alguma alem da exclusiva.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:20

salgueiro disse: Deixa eu te contar uma coisa, existem pessoas que nascem fiéis, é da natureza delas, rs, e homens inclusive,

sem contar inumeros animais fieis até que a morte os separe, isso me fez lembrar de um casal de rolinha que fizeram seu ninho de amor no quintal da minha casa, tiveram dois filhotes os quais criavam em comum obrigação, mas um dia todos haviam sumido, quando reparei os restos mortais de um dos filhotes caído ao chão,pensei um gato subiu na arvore e levou os filhotes para jantar,mas para minha alegria um deles ainda vagava por entre a vegetação, percebendo que ele estava ja quase voando, desejei que ele aprendesse a voar antes do gato voltar para jantar novamente,mas no outro dia tive uma agradável surpresa os pais que haviam sumidos voltaram para procura-lo e estavam mãe de um lado e pai do outro os dois abraçavam e beijavam seu filhote como se tivessem resgatado o bem mais precioso das suas vidas, agraciados por uma chuva, protegiam seu filho debaixo das suas asas.
Post edited by CRIATURO on agosto 2013
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: hahaha, meu temperamento solitário vai ficar calado nessa, rs, nem tem graça se eu concordar. Vivo muito bem sozinha então .... rs
tambem sou do tipo não sociável, ou ainda muito seletivo,mas tudo depende do grau da solidão, normalmente pessoas solitárias quando encontram um bom ouvido não param mais de falar.
sybok disse:
Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa!
Por isso, se tua mão ou teu pé te fazem cair em pecado, corta-os e lança-os longe de ti: é melhor para ti entrares na vida coxo ou manco que, tendo dois pés e duas mãos, seres lançado no fogo eterno.
Se teu olho te leva ao pecado, arranca-o e lança-o longe de ti: é melhor para ti entrares na vida cego de um olho que seres jogado com teus dois olhos no fogo da geena.

reencarnação e carma
sybok disse: Infelizmente é um caminho sem volta, uma vez que se tenha olhado a vida através desse estado mental, tornasse IMPOSSÍVEL voltar a normalidade.

he...he...he..he..he.. desculpe-me de novo mas, ficou engraçado.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: tambem sou do tipo não sociável, ou ainda muito seletivo,mas tudo depende do grau da solidão, normalmente pessoas solitárias quando encontram um bom ouvido não param mais de falar.

hahaha, Criaturo eu sou uma figura, rs, sou totalmente sociável, tenho uma facilidade danada de cativar as pessoas graças a minha capacidade de entendë-las. Só que sou uma criatura mental, preciso de muito tempo para pensar e ler, e adoro a minha própria companhia então acabo sendo uma rata caseira, rs.
·  sybok Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
salgueiro disse: Toda a minha vivëncia mostra que posturas radicais não funcionam ou não terminam bem, então a experiëncia prática acaba formando um filtro e é por esse filtro que qualquer interpretação minha vai passar, entre outros é claro.

Tá Salgueiro, mas dai você tem uma visão própria de religiosidade e discorda de parte do que Cristo ensina.
Não há como negar que ele claramente defende o jejum, o celibato, o abandono da vida comum e prega uma vida mais acética como caminho a Deus, talvez você considere que esse não é o único caminho e que embora ele tenha razão em outros pontos, está errado nesse.

Pra você então Cristo não é tão sábio assim nesses pontos, mas não ha como negar que isso faz parte do que ele ensina.
salgueiro disse: Pois é, esse tipo de comparação só faz com que afaste a idéia de ser algo bom, uma maior lucidez, um enxergar mais profundo não poderia nunca ser associada ao efeito de uma droga pesada. Fica claro que detesto drogas, rs.
CRIATURO disse:
ai não! voce ta desvirtuando as pratica religiosas igualando seus efeitos as drogas, a droga não liberta apenas escraviza ao corpo e provavelmente se persistir poderá aprisionar o espirito a falta de razão.
Pratica religiosas despertam a consciência do ser enquanto drogas as iludem levando a demência espiritual e física.
para com isso...he..he..he..he

Nesse caso Salgueiro e Criaturo, a comparação real é entre o que vocês entendem como "estado normal", com as drogas pesadas.
Nosso atual estado é semelhante a estar pesadamente drogado.

Atingir esse outro estado, trata-se justamente de sair do atual estado de chapação em que estamos, a pratica visa nos libertar dessa "droga" chamada estado de vigília.
O problema é que como a maioria das pessoas passaram a vida inteira dopadas, "acham" que estão "normais".

Estar no estado em que estamos não é nada bom mesmo, por isso a urgência e seriedade com a qual o assunto é tratado por esses mestres, onde nada é mais importante do que buscar ficar "sóbrio".
A droga "escraviza" mesmo, por isso Cristo diz que quem peca não é livre, mas escravo e por isso fala em verdade e liberdade.
salgueiro disse: Deixa eu te contar uma coisa, existem pessoas que nascem fiéis, é da natureza delas, rs, e homens inclusive,
Criaturo disse:
aceitar-se um corno compreensivo tornaria a instituição familiar sem sentido.
Não foi este tipo de amor que jesus ensinou voce esta confundindo prazer sexual com amor, voce é livre para sentir e dar prazer a quem voce quiser,desde que antes não tenha assumido uma responsabilidade familiar.
Pensei ter sido claro, não falei sobre a fidelidade em si e sobre se ela é certa ou errada.
Falei sobre os MOTIVADORES humanos, as razões que nos levam a "desejar" a fidelidade.
A prática visa levar ao entendimento daquilo que nos move, foca o entendimento do agente da escolha, porque e por quem a escolha é feita, para que pautemos nossas decisões não em carências afetivas e em sentimentos de "posse" do outro, mas em amor real e sincero pelo PRÓXIMO, não por nos mesmos e por nossos desejos egoístas.

E o que move o ser humano hoje em direção ao desejo de fidelidade, assim como o que nos faz nos sentirmos traídos com a troca de carinho entre outras duas pessoas, não é o amor, mas o egoismo.

PS. E não, perdoar uma traição mantém muitas famílias unidas e evita inúmeros divórcios.
Post edited by sybok on agosto 2013
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Tá Salgueiro, mas dai você tem uma visão própria de religiosidade e discorda de parte do que Cristo ensina.

Eu tenho uma visão própria de tudo Sybok, rs. Leio e interpreto o que Jesus disse de forma diferente de vc.
sybok disse: Não há como negar que ele claramente defende o jejum, o celibato, o abandono da vida comum e prega uma vida mais acética como caminho a Deus, talvez você considere que esse não é o único caminho e que embora ele tenha razão em outros pontos, está errado nesse

O que é claro para vc não o é para mim. Ok, vamos colocar em prática ou trazer para a realidade da vida esse caminho.O planeta estaria despovoado ou com a raça humana extinta, com alguns mosteiros espalhados com a subsistëncia ainda precária. O desenvolvimento da inteligëncia estagnado e por aí vai. Então na minha opinião esse não é o caminho.
sybok disse: Pra você então Cristo não é tão sábio assim nesses pontos, mas não ha como negar que isso faz parte do que ele ensina.

Não vejo essa clareza que vc enxerga Sybok, meu exemplo acima demonstra o porque, a aplicabilidade daquilo que vc considera ensinamento caso tivesse sido implementado desde longo tempo.
sybok disse: Nesse caso Salgueiro e Criaturo, a comparação real é entre o que vocês entendem como "estado normal", com as drogas pesadas.
Nosso atual estado é semelhante a estar pesadamente drogado.

Atingir esse outro estado, trata-se justamente de sair do atual estado de chapação em que estamos, a pratica visa nos libertar dessa "droga" chamada estado de vigília.
O problema é que como a maioria das pessoas passaram a vida inteira dopadas, "acham" que estão "normais".

É que o seu drogado é diferente do meu, rs. Talvez o melhor termo para eu usar seja lucidez e que não se precisa alterar a consciëncia e sim desenvolver ou aprofundar o ver, enxergar, o perceber.

Pode ser que realmente eu esteja nesse estado de dopada e não saiba, o que posso dizer é que desenvolvi um estado profundo de lucidez.
sybok disse: Estar no estado em que estamos não é nada bom mesmo, por isso a urgência e seriedade com a qual o assunto é tratado por esses mestres, onde nada é mais importante do que buscar ficar "sóbrio".
A droga "escraviza" mesmo, por isso Cristo diz que quem peca não é livre, mas escravo e por isso fala em verdade e liberdade

Também acho, tenho esses conceitos postos em prática só que vistos por outros ängulos, rs
·  salgueiro Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
sybok disse: Pensei ter sido claro, não falei sobre a fidelidade em si e sobre se ela é certa ou errada.
Falei sobre os MOTIVADORES humanos, as razões que nos levam a "desejar" a fidelidade.

Foi sim, eu entendi, só que até certo ponto vc foi parcial na sua colocação. Fidelidade é não necessitar de outrem.
sybok disse: Falei sobre os MOTIVADORES humanos, as razões que nos levam a "desejar" a fidelidade.
A prática visa levar ao entendimento daquilo que nos move, foca o entendimento do agente da escolha, porque e por quem a escolha é feita, para que pautemos nossas decisões não em carências afetivas e em sentimentos de "posse" do outro, mas em amor real e sincero pelo PRÓXIMO, não por nos mesmos e por nossos desejos egoístas.

E o que move o ser humano hoje em direção ao desejo de fidelidade, assim como o que nos faz nos sentirmos traídos com a troca de carinho entre outras duas pessoas, não é o amor, mas o egoismo.

PS. E não, perdoar uma traição mantém muitas famílias unidas e evita inúmeros divórcios.

Eu sei, rs.
Post edited by salgueiro on agosto 2013
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Nesse caso Salgueiro e Criaturo, a comparação real é entre o que vocês entendem como "estado normal", com as drogas pesadas.
Nosso atual estado é semelhante a estar pesadamente drogado.

Atingir esse outro estado, trata-se justamente de sair do atual estado de chapação em que estamos, a pratica visa nos libertar dessa "droga" chamada estado de vigília.
O problema é que como a maioria das pessoas passaram a vida inteira dopadas, "acham" que estão "normais".

tambem acho que ainda não gozamos de uma maior consciência e que de fato ela pode ser alcançada por estados físico e emocionais alterados .
sim vivemos numa especie de Matrix onde é possível sair de vez em quando,mas para maioria das pessoas isso torna-se mais difícil, eu mesmo tenho muita dificuldade em desligar o botão on-off da realidade da consciência terrena.
apenas passei por uma experiência onde uma fraqueza física me fez alterar o estado de consciência, embora por poucos minutos foi uma das melhores sensações que ja senti, manter a consciência fora da realidade terrestre.
sybok disse: Estar no estado em que estamos não é nada bom mesmo, por isso a urgência e seriedade com a qual o assunto é tratado por esses mestres, onde nada é mais importante do que buscar ficar "sóbrio".

podemos então concluir que quem nos colocou nesta situação ruim também não é bom ?
sybok disse: A droga "escraviza" mesmo, por isso Cristo diz que quem peca não é livre, mas escravo e por isso fala em verdade e liberdade.

insinua que Deus criou uma droga de vida ?
sybok disse: Pensei ter sido claro, não falei sobre a fidelidade em si e sobre se ela é certa ou errada.
Falei sobre os MOTIVADORES humanos, as razões que nos levam a "desejar" a fidelidade.
A prática visa levar ao entendimento daquilo que nos move, foca o entendimento do agente da escolha, porque e por quem a escolha é feita, para que pautemos nossas decisões não em carências afetivas e em sentimentos de "posse" do outro, mas em amor real e sincero pelo PRÓXIMO, não por nos mesmos e por nossos desejos egoístas.

excesso de liberdade pode se transformar na tirania que passa escravizar.
fidelidade para mim não significa egoismo ou possessividade escravizando ,pelo contrario é o desprendimento recusando o desejo sexual irracional sem nenhum compromisso social ou moral.
mais uma vez "amar ao próximo " não significa necessariamente ter que transar com os próximos.
Desejar o bem a todos é nossa obrigação,mas querer fazer da vida uma grande suruba é irracional, pois perturbaria os vínculos familiares e sociais ja compromissados anteriormente.

alem do mais eu não acho bonito o "ser corno"
sybok disse: PS. E não, perdoar uma traição mantém muitas famílias unidas e evita inúmeros divórcios.

só poderíamos perdoar o outro se ele fosse nossa propriedade e estivesse sujeito a nosssa vontade, podemos querer aceitar ou não as ações deles que reagem sentimentos em nós.
Não existi mais nenhuma união em uma traição ja que o outro manifestou o seu desejo de liberdade.
o que existe ai é apenas a troca do verdadeiro amor no desejo do querer ficar junto, pelas conveniências em comuns.
Sim exitem casamentos de almas e apenas casamentos sociais defendendo interesses em comum.
No casamento voluntario de almas onde o amor é verdadeiro a intenção é fazer o outro feliz , é deixar " doar a sua vida para construir a felicidade do próximo" a exemplo de um passarinho que deixa de engolir o alimento ja na sua boca , para alimentar o seu filhote.
E quando todos possuírem este nível de "irracionalidade", seremos todos mais racionais.
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: Pode ser que realmente eu esteja nesse estado de dopada e não saiba, o que posso dizer é que desenvolvi um estado profundo de lucidez.

isso é o que todos dizem,mas o Sybok afirma que isto só é possível no momento que despertamos da Matrix
salgueiro disse:
É que o seu drogado é diferente do meu, rs. Talvez o melhor termo para eu usar seja lucidez e que não se precisa alterar a consciëncia e sim desenvolver ou aprofundar o ver, enxergar, o perceber.

isto não seria a mesma coisa ? Desenvolvida por métodos ou caminhos diferentes ?
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: sso é o que todos dizem,mas o Sybok afirma que isto só é possível no momento que despertamos da Matrix

Tenho sérias dificuldades de entender o que seria sair dessa Matriz de forma 'real', inclusive fisicamente falando, dentro da realidade. Tem horas que fico com a impressão que essa alteração seria como rodar um dial de um momento para o outro e mudar tudo. Pá e bola.

A minha analogia é com o teatro, eu vejo claramente as pessoas atuando, escondendo quem verdadeiramente são inclusive de si próprias, e quanto maior conhecimento ou percepção do ser humano tenho mais enxergo o teatro em seus mínimos detalhes. Vejo todas as distrações em que adentram fugindo da 'verdadeira realidade'.
CRIATURO disse: isto não seria a mesma coisa ? Desenvolvida por métodos ou caminhos diferentes ?

Não sei se seria a mesma coisa. Talvez o ponto de chegada dele, de forma prática, seja diferente do meu porque não sei onde ele pretende chegar ou alcançar. Não consigo entender 'o pulo do gato' dele
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: Tenho sérias dificuldades de entender o que seria sair dessa Matriz de forma 'real', inclusive fisicamente falando, dentro da realidade. É que o seu drogado é diferente do meu, rs. Talvez o melhor termo para eu usar seja lucidez e que não se precisa alterar a consciëncia e sim desenvolver ou aprofundar o ver, enxergar, o perceber.

quando voce afirmar saber ver ,enxergar e perceber, refere-se apenas as informações captadas pelo seu corpo material ,portanto menos eficientes do que os seus sentidos espirituais despertos fora da Matrix, ou em outro estado de consciência, com certeza neste estado voce vera o mundo literalmente com outros olhos, ou melhor dizendo sem eles.
salgueiro disse: A minha analogia é com o teatro, eu vejo claramente as pessoas atuando, escondendo quem verdadeiramente são inclusive de si próprias, e quanto maior conhecimento ou percepção do ser humano tenho mais enxergo o teatro em seus mínimos detalhes. Vejo todas as distrações em que adentram fugindo da 'verdadeira realidade'.

penso que a psicologia também seja um caminho alternativo para se conhecer a alma ,mas apenas teoricamente.
salgueiro disse:
Não sei se seria a mesma coisa. Talvez o ponto de chegada dele, de forma prática, seja diferente do meu porque não sei onde ele pretende chegar ou alcançar. Não consigo entender 'o pulo do gato' dele

a vida seria uma ilusão imposta por Deus como ele mesmo disse, somos todos drogados natos, como diz o Zé Ramalho: "cegos procurando pela luz dentro da imensidão do paraíso" uma sacanagem divina e para percebemos o paraíso é necessário abrir nossos próprios olhos enxergando o eu "mecânico" e finalmente se libertando da escravidão da ilusão que ele nos impõe através dos seus personagens humanos.
por isso ele usa alusão Da Matrix onde a mente humana foi dominada pelas maquinas que os iludiam com programas de diversos personagens, na nossa matrix Deus teria criado um cérebro que estaria escravizando o nosso eu verdadeiro fazendo-o acreditar ser vários personagens ilusórios.
e voce ja acompanhou nossa longa discussão a esse respeito.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: quando voce afirmar saber ver ,enxergar e perceber, refere-se apenas as informações captadas pelo seu corpo material ,portanto menos eficientes do que os seus sentidos espirituais despertos fora da Matrix, ou em outro estado de consciência, com certeza neste estado voce vera o mundo literalmente com outros olhos, ou melhor dizendo sem eles

Eu não posso me referir a outra coisa, meu corpo físico é fato, posso sim desenvolver minha espiritualidade mesmo encapsulada no corpo mas tudo, absolutamente tudo, vai passar por esse corpo. E a tarefa é essa. Não dá para viver como espírito dentro de um corpo. Nem volitar se consegue, rs.

Não tenho dúvidas que o ver como espírito é diferente do físico só não confundo as estações.
CRIATURO disse: a vida seria uma ilusão imposta por Deus como ele mesmo disse, somos todos drogados natos, como diz o Zé Ramalho: "cegos procurando pela luz dentro da imensidão do paraíso" uma sacanagem divina e para percebemos o paraíso é necessário abrir nossos próprios olhos enxergando o eu "mecânico" e finalmente se libertando da escravidão da ilusão que ele nos impõe através dos seus personagens humanos

Em relação ao eu mecänico já tenho Phd, sem ser besta, trabalho com isso há quase trinta anos com seriedade. Sei o que isso significa só não sei é se terá alguma modificação clara ao término desse desenvolvimento até por ser um trabalho longo e o passo é de tartaruga mesmo.
CRIATURO disse: por isso ele usa alusão Da Matrix onde a mente humana foi dominada pelas maquinas que os iludiam com programas de diversos personagens, na nossa matrix Deus teria criado um cérebro que estaria escravizando o nosso eu verdadeiro fazendo-o acreditar ser vários personagens ilusórios.
e voce ja acompanhou nossa longa discussão a esse respeito.

A minha dificuldade é entender o ponto de chegada ao ver dele, o meu eu sei ou acho que sei, rs, não o entendimento do caminho dele, como se dá de forma prática Criaturo. Sou uma pessoa prática, que qualquer ensinamento vai necessariamente ser projetado dentro da nossa realidade evitando exatamente a ilusão ou os enganos, por mais que isso seja complicado.
·  sybok Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
salgueiro disse: Eu tenho uma visão própria de tudo Sybok, rs. Leio e interpreto o que Jesus disse de forma diferente de vc.

Só que mesmo interpretações tem certos limites.
O ascetismo já era prática corrente entre os clérigos judeus da época, Jesus não só fala uma linha contra tais práticas, como ao contrario, as recomenda explicitamente, como quando questionado sobre a razão dos discípulos não jejuarem, ele justifica a razão de não o fazerem no momento e diz que depois que ele se for, os discípulos jejuarão.

Como você interpreta e justifica as passagens que eu já postei?
Vou botar aqui novamente e gostaria que você desse essa interpretação "alternativa".

Mateus 19:29

"E todo aquele que deixar casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou campos por amor de meu nome, receberá cem vezes mais e possuirá a vida eterna."

Mateus 9:14-15

"Então os discípulos de João vieram perguntar-lhe: "Por que nós e os fariseus jejuamos, mas os teus discípulos não?"
Jesus respondeu: "Como podem os convidados do noivo ficar de luto enquanto o noivo está com eles? Virão dias quando o noivo lhes será tirado; então jejuarão."

Mateus 19:12

"Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar.
Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido.
Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos, por causa do reino dos céus. Quem pode receber isto, receba-o."
salgueiro disse: O que é claro para vc não o é para mim. Ok, vamos colocar em prática ou trazer para a realidade da vida esse caminho.O planeta estaria despovoado ou com a raça humana extinta, com alguns mosteiros espalhados com a subsistëncia ainda precária. O desenvolvimento da inteligëncia estagnado e por aí vai. Então na minha opinião esse não é o caminho.

Isso não procede por varias razões, primeiro por não ser uma filosofia de vida, um modo permanente de vida, ou seja, o sujeito vive uma vida ascética temporariamente e com um objetivo definido, atingir a iluminação, depois de feito isso ele pode fazer o que bem entender da vida, casar-se, montar uma empresa, etc...

Segundo que não ha de se pensar que viver em mosteiros seja necessario para abandonar a si próprio, muito embora para alguns isso seja a melhor alternativa, não é assim para todos, seria como dizer que por existirem alguns gays a humanidade vai se extinguir, como se todos fossem virar gays e ninguém se reproduzir.

E depois é preciso saber que a vida ascética é adotada muitas vezes aṕos a reprodução e formação de uma família, em especial antes da pilula onde as pessoas faziam filhos muito jovens e em grande quantidade, com até uns 15 ou 20 filhos por casal.
Se não fosse assim não se teria que "abandonar" o que já se construiu. Se 100 % das pessoas adotassem a vida ascética antes de construir qualquer coisa, não falariam tanto em abandono e desapego ao que se construiu e se pretende construir.

E por fim não existe relação nenhuma entre ascetismo e estagnação da inteligencia, grandes matemáticos e cientistas eram monges, a vida ascética ao contrario da ao individuo muito mais tempo ao estudo, eu mesmo passei o dia inteiro hoje estudando matemática (pois sou programador e estou precisando disso para um projeto meu), depois desenhando (pois estou estudando desenho).
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:20

salgueiro disse: Não vejo essa clareza que vc enxerga Sybok, meu exemplo acima demonstra o porque, a aplicabilidade daquilo que vc considera ensinamento caso tivesse sido implementado desde longo tempo.
Ou talvez você ainda esteja confundindo um trabalho com um objetivo definido, com uma condição de vida e um modo permanente de vida, como se esse ou aquele modo fosse o jeito "certo" de se viver.

Na vida só o ego pode construir qualquer coisa, o objetivo é permitir ao ego abandonar a vida, para que com ele saindo de cena, nós possamos finalmente viver, do contrario só ele viverá e nós permaneceremos como sempre. Mortos!

Vivendo na vida muitas vezes podemos dar ao ego espaço para que ele se perceba, o ego também pode perceber o ego dos outros e por analogia perceber a si próprio, mas saber que o ego existe não elimina o ego, não o faz sair do controle.
Para isso é preciso um pouco mais.

Feito isso, cada um pode fazer o que quiser da própria vida, mas sem isso, ninguém pode fazer nada, só quem pode fazer qualquer coisa é o ego.
salgueiro disse: Pode ser que realmente eu esteja nesse estado de dopada e não saiba, o que posso dizer é que desenvolvi um estado profundo de lucidez.

Essas palavras só me levam a crer que você desconhece a intensidade da ilusão que nos cerca. De fato parece desconhecer a ilusão a que me refiro.
Deixe eu dizer uma coisa, uso muitas vezes o termo "despertar" para me referir ao que eu mesmo vivenciei ou até a informação que eu tenho, como todo tipo de "conhecimento", quando comparado ao estado de "ignorância", é um tipo de "despertar", um sujeito estudado, racional e bem informado, está em algum nível mais "desperto" do que o completo ignorante que além de ignorante não tem um bom controle da própria razão.

Ainda assim eu jamais usaria a palavra "lucidez" ou "desperto" para me referir a mim mesmo, no sentido especifico em que você me pareceu usar esse termo.
O estado de cegueira em que nós nos encontramos é tão grande, mas tão grande, a ilusão que nos cerca é tão intensa, que chega a ser fisicamente sufocante.

Você, por exemplo, me parece realmente uma pessoa mais "lucida" do que muitos religiosos com quem eu já conversei, assim como muitos ateus aqui são muito mais "lúcidos" do que a maioria das pessoas, mas essa palavrinha tem aqui um significado bem distinto e definitivamente essa "lucides" não se refere a capacidade de se desvencilhar da ilusão a que me refiro.

A "viga" que temos diante de nossos olhos não nos permite essa outra lucidez.
Existe uma ilusão que cobre o mundo que é muito maior do que as pessoas podem sonhar. O filme Matrix não é nada comparado a nossa realidade, é só uma analogia boba e infantil quando comparada a ela.
Qualquer um que já tenha visto essa ilusão sabe que nossa lucidez beira o zero e percebe que estamos no mais profundo sono, mesmo quando fazemos os mais belos e racionais discursos, ditos como sendo muito "lúcidos".
Post edited by sybok on agosto 2013
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Só que mesmo interpretações tem certos limites.

O pior é que não tem, se tivesse as trocentas correntes não existiriam.
sybok disse: Como você interpreta e justifica as passagens que eu já postei?
Vou botar aqui novamente e gostaria que você desse essa interpretação "alternativa".

Não adianta eu fazer isso sem ter o contexto todo, além de ter que ler a Bíblia ainda teria que ler os evangelhos apócrifos para chegar a uma conclusão. Só faria isso se achasse que o ascetismo é um bom caminho, dentro da minha visão não é, a única vantagem que vejo no isolamento dentro de um processo espiritual é que no diminuir o contato humano vc tem menos 'ações' (não vou usar o termo carma, karma, rs)
sybok disse: Isso não procede por varias razões, primeiro por não ser uma filosofia de vida, um modo permanente de vida, ou seja, o sujeito vive uma vida ascética temporariamente e com um objetivo definido, atingir a iluminação, depois de feito isso ele pode fazer o que bem entender da vida, casar-se, montar uma empresa, etc...

Ah! Então numa única vida isso poderia ser feito. Tá. Morre o ego e o que fica? Existe algo 'pronto', já construído para se prosseguir vivendo?

Estou querendo entender. Não conheço a sua visão do que é o espiritualismo, parto do princípio que vc é um espiritualista, é?
sybok disse: Segundo que não ha de se pensar que viver em mosteiros seja necessario para abandonar a si próprio, muito embora para alguns isso seja a melhor alternativa, não é assim para todos, seria como dizer que por existirem alguns gays a humanidade vai se extinguir, como se todos fossem virar gays e ninguém se reproduzir.

Sybok, vamos lá, criei o cenário com 'todos' seguindo o caminho apontado por vc.
sybok disse: E depois é preciso saber que a vida ascética é adotada muitas vezes aṕos a reprodução e formação de uma família, em especial antes da pilula onde as pessoas faziam filhos muito jovens e em grande quantidade, com até uns 15 ou 20 filhos por casal.

Fica difícil enxergar nisso um bom caminho rapaz, então um chefe de família com uma penca de filhos vai se isolar para buscar a iluminação deixando a família à míngua? Entende como isso é difícil de ser aceito como 'bom'?
sybok disse: E por fim não existe relação nenhuma entre ascetismo e estagnação da inteligencia

Isolamento e jejum não contribuem em nada para o desenvolvimento da inteligëncia.
sybok disse: Ou talvez você ainda esteja confundindo um trabalho com um objetivo definido, com uma condição de vida e um modo permanente de vida, como se esse ou aquele modo fosse o jeito "certo" de se viver.

Não é questão de confundir e sim de ignoräncia do assunto mesmo, rs
sybok disse: Na vida só o ego pode construir qualquer coisa, o objetivo é permitir ao ego abandonar a vida, para que com ele saindo de cena, nós possamos finalmente viver, do contrario só ele viverá e nós permaneceremos como sempre. Mortos!

Pois é, aí é que mora o problema, morto o ego o que se tem? A meu ver é que enquanto o ego é 'morto' vc vai se construindo e tenho a impressão que para vc por trás dele já existe algo pronto que não tem necessidade da construção.
sybok disse: Feito isso, cada um pode fazer o que quiser da própria vida, mas sem isso, ninguém pode fazer nada, só quem pode fazer qualquer coisa é o ego

Realmente não sei o que seria isso.

agosto 2013 0
sybok disse: Essas palavras só me levam a crer que você desconhece a intensidade da ilusão que nos cerca. De fato parece desconhecer a ilusão a que me refiro.

Pelo visto a minha ilusão é diferente da sua, rs.
sybok disse: Essas palavras só me levam a crer que você desconhece a intensidade da ilusão que nos cerca. De fato parece desconhecer a ilusão a que me refiro.
Deixe eu dizer uma coisa, uso muitas vezes o termo "despertar" para me referir ao que eu mesmo vivenciei ou até a informação que eu tenho, como todo tipo de "conhecimento", quando comparado ao estado de "ignorância", é um tipo de "despertar", um sujeito estudado, racional e bem informado, está em algum nível mais "desperto" do que o completo ignorante que além de ignorante não tem um bom controle da própria razão.

Ok.
sybok disse: Ainda assim eu jamais usaria a palavra "lucidez" ou "desperto" para me referir a mim mesmo, no sentido especifico em que você me pareceu usar esse termo.
O estado de cegueira em que nós nos encontramos é tão grande, mas tão grande, a ilusão que nos cerca é tão intensa, que chega a ser fisicamente sufocante.

É complicado tentar entender alguém que fala daquilo que vc não experimentou, aqui não vai juízo de valor nenhum já estou escolada nesse assunto por falar de experiëncias espirituais com quem nunca teve nenhuma, perceber o que o outro vivencia sem ter experiëncia própria é difícil mesmo.
sybok disse: Você, por exemplo, me parece realmente uma pessoa mais "lucida" do que muitos religiosos com quem eu já conversei, assim como muitos ateus aqui são muito mais "lúcidos" do que a maioria das pessoas, mas essa palavrinha tem aqui um significado bem distinto e definitivamente essa "lucides" não se refere a capacidade de se desvencilhar da ilusão a que me refiro.

Vc fala de algo que não conheço.
sybok disse: A "viga" que temos diante de nossos olhos não nos permite essa outra lucidez.
Existe uma ilusão que cobre o mundo que é muito maior do que as pessoas podem sonhar. O filme Matrix não é nada comparado a nossa realidade, é só uma analogia boba e infantil quando comparada a ela.
Qualquer um que já tenha visto essa ilusão sabe que nossa lucidez beira o zero e percebe que estamos no mais profundo sono, mesmo quando fazemos os mais belos e racionais discursos, ditos como sendo muito "lúcidos".

Realmente a minha viga seria outra, rs.

Curiosidade. Um monge já iluminado atearia fogo ao seu corpo como forma de protestar sobre alguma coisa?

agosto 2013 0
salgueiro disse: Isolamento e jejum não contribuem em nada para o desenvolvimento da inteligëncia.
A inteligencia do Sybok evidencia ao contrario

agosto 2013 edited agosto 2013 0
CRIATURO disse: A inteligencia do Sybok evidencia ao contrario

Bobo, rs, o Sybok não vive em isolamento.

off - Criaturo não deixe de dar uma clicada nesse link aqui. Vc vai simplesmente adorar, sem brincadeira.
http://www.kabbalah.info/brazilkab/bibliotecaFrameset.htm
É uma das páginas de um link que a Silvana disponibilizou em outro tópico e estou xeretando.
Post edited by salgueiro on agosto 2013

agosto 2013 0
salgueiro disse: Bobo, rs, o Sybok não vive em isolamento.

off - Criaturo não deixe de dar uma clicada nesse link aqui. Vc vai simplesmente adorar, sem brincadeira.
http://www.kabbalah.info/brazilkab/bibliotecaFrameset.htm
É uma das páginas de um link que a Silvana disponibilizou em outro tópico e estou xeretando.
Postagem editada por s

então por que ele defende idéias que não pratica ?

vou dar uma zoiada.

agosto 2013 0
CRIATURO disse: então por que ele defende idéias que não pratica ?

Quem precisa ganhar o pão de cada dia não consegue viver em isolamento, o máximo que alcança é um determinado nível de afastamento isso comparado ao isolamento de um mosteiro no alto de alguma montanha, nada em comum com a cidade de SP.
CRIATURO disse: vou dar uma zoiada

Vc vai ser cativado, rs

agosto 2013 0
CRIATURO disse: salgueiro disse: Isolamento e jejum não contribuem em nada para o desenvolvimento da inteligëncia.

provavelmente ele pratique o jejum eu tambem de vez em quando é bom sentir necessidades, o desequilíbrio move ações.
no inicio o Todo era o Equilíbrio,ao dividir-se em potenciais diferentes gerou ações criadoras.

agosto 2013 0
salgueiro disse: Vc vai ser cativado, rs

procuro evitar pre conceitos a ideias novas, desconheço totalmente a cabala

agosto 2013 edited agosto 2013 0
CRIATURO disse: procuro evitar pre conceitos a ideias novas, desconheço totalmente a cabala

Estou achando muito interessante, vc vai encontrar identificação, no mínimo.
Post edited by salgueiro on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 0
salgueiro disse: Não adianta eu fazer isso sem ter o contexto todo, além de ter que ler a Bíblia ainda teria que ler os evangelhos apócrifos para chegar a uma conclusão. Só faria isso se achasse que o ascetismo é um bom caminho, dentro da minha visão não é, a única vantagem que vejo no isolamento dentro de um processo espiritual é que no diminuir o contato humano vc tem menos 'ações' (não vou usar o termo carma, karma, rs)

Eu li os apócrifos, gosto em especial do evangelho de Tomé, ele definitivamente deveria ser canônico, já a porcaria do apocalipse, que infelizmente é canônico, deveria ser jogado fora.

Mas vamos ao ponto, você então está apenas confirmando o que eu disse, você não "interpreta" essas passagens de outro modo, você tem outra visão do assunto e essa visão discorda de parte do que Cristo ensina.
salgueiro disse: Ah! Então numa única vida isso poderia ser feito. Tá. Morre o ego e o que fica? Existe algo 'pronto', já construído para se prosseguir vivendo?

Estou querendo entender. Não conheço a sua visão do que é o espiritualismo, parto do princípio que vc é um espiritualista, é?
Não, eu sou materialista, muito embora tenha uma visão própria da matéria.

Nós somos o que somos, e o que somos é um rio sempre em movimento que é parte do todo.
Não há como apontar para um bocado de água e dizer "Eis ali o rio", a água está sempre correndo, evaporando e recebendo chuva, um rio nunca é o "mesmo" rio.
Somos algo mutante em constante movimento a tal ponto que não podemos identificar um "eu" de fato.

Existe no entanto uma falsa identificação com o que supostamente seriamos, nossos gostos e preferencias, nossos medos, memorias, nossa razão, sentimentos, etc...
Isso tudo na verdade não nos define, são impressões físicas do corpo, projetadas na nossa consciência como os sons que ouvimos e as cores que vemos.
Não é o que nos "define" nem o que pode atuar como o nosso "motor".

Não tente entender o que realmente "somos" buscando um "eu" que possa ser apontado, isso realmente parece não existir. Só podemos descobrir o que não somos e apontar o que não é real, o nosso falso "eu".

Quando morre o ego se vai a ilusão, é quando deixamos de existir como indivíduos e nos "unimos" ao todo do qual nunca fomos separados se não de modo ilusório.
salgueiro disse: Sybok, vamos lá, criei o cenário com 'todos' seguindo o caminho apontado por vc.

Mas imaginou uma situação irreal onde todos estariam ao mesmo tempo enfornados em mosteiros.
Na vida real alguns ainda não teriam entrado, enquanto outros já teriam saído.

O cenário que você imaginou faz tanto sentido quanto argumentar que não devemos passar anos estudando em internatos, pois se assim for ninguém vai trabalhar nem produzir nada.
salgueiro disse: Fica difícil enxergar nisso um bom caminho rapaz, então um chefe de família com uma penca de filhos vai se isolar para buscar a iluminação deixando a família à míngua? Entende como isso é difícil de ser aceito como 'bom'?
Todo mundo é responsável pelas escolhas que faz Salgueiro.
Quem tem dependentes que não podem viver sem ele, tem que buscar o abandono de si, sem prejudicar os que dele dependem, tem que resolver essa pendencia antes, e, os dependentes, tem que trabalhar para não mais dependerem dele.

Seu exemplo é reducionista, tenta dar uma universalidade que é irreal, pois eu posso usar desse tipo de argumento contra qualquer coisa, ou te parece bom que um homem vá tentar vida nova em outra nação, abandonando a família que depende dele a minguá aqui no Brasil?
Será que isso prova que TODOS os que vivem fora do Brasil, buscando seus sonhos, estudando e trabalhando mundo a fora, estão cometendo um erro e fazendo algo errado?
Não, isso só prova que em alguns casos específicos o sujeito deveria resolver suas pendencias antes de querer seguir esse rumo.

Para qualquer escolha é possível apresentar cenários hipotéticos onde tal escolha no momento seria inapropriada para o sujeito em questão.
salgueiro disse: Isolamento e jejum não contribuem em nada para o desenvolvimento da inteligëncia.

Claro que contribuem, em especial o isolamento.
O isolamento da mais tempo para o estudo, pois sem namoro, sem baladas com os amigos e sem outras distrações análogas, sobra mais tempo para cultivar a mente.

E tem mais, as práticas em si, são por si só, uma forma de estudo e de treinamento mental.
Para fazer jejum e ser celibatário, é preciso autocontrole e conhecimento de si, isso é antes de tudo um fazer mental, onde o individuo luta contra os desejos que vem a sua mente.
O isolamento vem justamente para remover as distrações com "problemas" e "planos" que a vida cotidiana traz, para permitir o individuo se concentrar em observar a própria mente, vigiando pensamentos e sentimentos, para estar 100% focado e concentrado em manter o autocontrole e negar tais desejos, observando a origem deles, aprendendo a não se mover por eles, e observando eles se irem quando não alimentados.

Isso é justamente um estudo da própria mente.
Jejuar é estudar a si próprio.
salgueiro disse: Pois é, aí é que mora o problema, morto o ego o que se tem? A meu ver é que enquanto o ego é 'morto' vc vai se construindo e tenho a impressão que para vc por trás dele já existe algo pronto que não tem necessidade da construção.
O ego parece ter lá sua função, não exatamente de "construção" de algo, mas de preparação para a vida.
Ele é basicamente o nosso adversário e o nosso trabalho é eliminá-lo, é na luta contra ele que aprendemos sobre nós, mas podemos também aprender do modo difícil, que é deixando ele viver e nos fazer sofrer, nos levando a situações que deveríamos evitar.

O ego nos leva ao erro e ao sofrimento, pois ele busca a vida que não devemos viver nem desejar, se lutamos contra ele e aprendemos sobre nós com essa luta, podemos evitar seguir o caminho dele, que é o caminho do erro e do aprendizado doloroso.

Aprender com o ego é como aprender enfiando o dedo na tomada, isso além de levar muito mais tempo, não muda o fato de que um dia após aprender seguindo o ego, todos vão ter que se dar conta de que ele ensina através do errado e que está ali para ser vencido.
salgueiro disse: É complicado tentar entender alguém que fala daquilo que vc não experimentou, aqui não vai juízo de valor nenhum já estou escolada nesse assunto por falar de experiëncias espirituais com quem nunca teve nenhuma, perceber o que o outro vivencia sem ter experiëncia própria é difícil mesmo.


Sim, é difícil mesmo.
Mas é possível notar como certas culturas tem uma visão completamente distinta do mundo, tente imaginar a visão de mundo de um "tutsi" africano, ou um índio isolado no mato, ou ainda olhar para o passado e se colocar na pele dos que viviam sei lá, na idade média, ou como os antigos egípcios imaginavam o mundo e a vida.

Todos criamos "imagens" falsas da realidade, é mais fácil percebê-las olhando culturas distantes no tempo, mas todos temos "imagens" da realidade que são caricaturas cheias de distorções e são sempre únicas para cada individuo.
Não só isso, mas tudo o que "Vemos", "ouvimos" e "sentimos", nas verdade passa por um filtro, nossos próprios corpos com seus órgãos sensoriais "filtram" a informação a nossa volta, depois nosso cérebro limitado ainda "interpreta" essa informação, sendo que nessa interpretação distorções de todo tipo podem ser "pintadas" na imagem mental que vai se formar dentro de cada um.

Cada um de nós tem a sua própria Matrix, nossas mentes são o computador que cria um mundo falso e ilusório, não vemos a realidade como ela é, vemos somente a nossa própria criação da realidade, nossa própria matrix.
Cada um tem a sua e são todas diferentes.
A intensidade desse processo no entanto não pode ser descrita em palavras, ninguém pode te descrever o quão distorcida é a imagem do mundo criada por você, isso é algo que você precisa ver pessoalmente.

Pra isso é preciso desligar alguns dos processos que criam certos "filtros" e "distorções", para que vendo o mundo mais "concentrada" você tenha a noção real da ilusão e do problema.
Esses filtros e essas distorções são os desejos que agitam a mente e a fazem distorcer a realidade, tanto quanto se olhando do fundo de um lago, você visse o mundo através das ondas causadas pelo vento que sopra a água criando distorções na imagem.

Só vendo pessoalmente é possível saber o tamanho disso.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:21

salgueiro disse:
Curiosidade. Um monge já iluminado atearia fogo ao seu corpo como forma de protestar sobre alguma coisa?

Sinceramente imagino que não, muito embora seja preciso para isso muito conhecimento de si e autocontrole.
Mas jamais esperaria isso de um Buda, só posso imaginar monges não iluminados cometendo esse erro.
Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 0
CRIATURO disse: então por que ele defende idéias que não pratica ?

Eu vivo o isolamento que me é possível, mas percebo que viver num mosteiro seria melhor.
Não tenho namorada nem amigos, não saio de balada e tenho conseguido evitar trabalhar (fora de casa) regularmente, vivendo de bicos e trabalhando esporadicamente em empregos temporários para buscar dinheiro suficiente para me manter sem trabalho fixo durante outra parte do tempo. (no entanto trabalho e estudo todo santo dia, tenho um negocio de bijuterias artesanais e faço bicos como técnico de informática).

Como eu não tenho gastos com balada nem com quase mais nada supérfluo, qualquer dinheiro para o básico dura, nem roupas direito eu tenho, pois como não saio de casa, só preciso de roupas velhas pra não ficar pelado. E ainda me sobra grana para comprar joguinhos tipo StarCraft 2, Crysis 3 e Mortal Kombat 9. Já cortei o games uma época, mas voltei a poder ter uma diversão de uns dois anos pra cá.

Agora, isso é mais difícil do que viver num mosteiro, não estar mais isolado já me trouxe problemas, como num emprego que tive e que virou caso de policia.
Sem falar em outras coisas, como o assedio das meninas e meninos, algo que quem vive num mosteiro já evita mais facilmente. Aqui é foda, quando conto que sou celibatário acontece de tudo, uma menina já me beijou só por causa disso e ela era lésbica.

O distanciamento social é necessário, isso significa sem amigos, sem namorada, sem baladas, etc... Se isso será feito em um mosteiro ou não é outra historia.
E num mosteiro também existe convívio com outros monges, encontrar quem viva sozinho tipo um completo eremita é difícil e um eremita também tem que se manter. É com certeza ainda mais difícil do que o que eu faço.

Entendo então as facilidades que um mosteiro proporciona, preferiria viver em um se tivesse seguido um caminho diferente até aqui, só não busco um hoje por pensar que agora é tarde pra mim.
Estou entrando em outra etapa do processo, uma onde estou para largar o abandono da sociedade, mas mantendo o abandono pessoal aos meus próprios interesses.

agosto 2013 0
sybok disse: Mas vamos ao ponto, você então está apenas confirmando o que eu disse, você não "interpreta" essas passagens de outro modo, você tem outra visão do assunto e essa visão discorda de parte do que Cristo ensina.

Não estou confirmando não Sybok, é que aprendi ao estudar o espiritismo, a única religião que realmente estudei, que sem estudar o todo não se compreende corretamente cada ponto abordado.
sybok disse: Não, eu sou materialista, muito embora tenha uma visão própria da matéria.

Então é aqui o ponto onde bifurcamos, minhas experiëncias espirituais dão outra visão a qualquer coisa que venhamos a debater.
sybok disse: Somos algo mutante em constante movimento a tal ponto que não podemos identificar um "eu" de fato.

É aí que conceitos que a primeira vista poderíamos concordar, agora que sei que sua visão é materialista sei que vemos de formas diferentes.
sybok disse: Quando morre o ego se vai a ilusão, é quando deixamos de existir como indivíduos e nos "unimos" ao todo do qual nunca fomos separados se não de modo ilusório.

Ego, a meu ver, são as peças do nosso quebra-cabeças que ao serem encaixadas ou 'jogadas fora' vão num passo a passo formando o verdadeiro eu. Seria o eu facetado olhando de trás para frente.
sybok disse: Mas imaginou uma situação irreal onde todos estariam ao mesmo tempo enfornados em mosteiros

Se torna irreal se adotado como caminho para todos, esse é o ponto onde queria chegar. Quando analiso um caminho uso desse expediente, é uma forma de verificação da validade dele.

agosto 2013 edited agosto 2013 0
sybok disse: salgueiro disse: Isolamento e jejum não contribuem em nada para o desenvolvimento da inteligëncia.

Claro que contribuem, em especial o isolamento.
O isolamento da mais tempo para o estudo, pois sem namoro, sem baladas com os amigos e sem outras distrações análogas, sobra mais tempo para cultivar a mente.

Acho a troca, a convivëncia com outros seres humanos a melhor forma de desenvolver a inteligëncia.
sybok disse: O isolamento vem justamente para remover as distrações com "problemas" e "planos" que a vida cotidiana traz, para permitir o individuo se concentrar em observar a própria mente, vigiando pensamentos e sentimentos, para estar 100% focado e concentrado em manter o autocontrole e negar tais desejos, observando a origem deles, aprendendo a não se mover por eles, e observando eles se irem quando não alimentados

Faço isso há quase trinta anos, não dessa forma mas para o auto conhecimento e sempre fiz em meio a todos e criando filhos e posso dizer que em meio as pessoas reagindo as situações que se apresentam vc acaba se conhecendo de forma muito mais profunda que se tivesse me 'isolado'. Num exemplo banal, sou uma chocólatra que ingere no máximo umas 20 gramas de chocolate ao dia e que quando cismou ficou 2 anos sem por chocolate na boca.
sybok disse: Isso é justamente um estudo da própria mente.
Jejuar é estudar a si próprio.

Jejuar para mim não teria o menor sentido, como pouco e fico facilmente 8 horas sem comer nada.
sybok disse: O ego parece ter lá sua função, não exatamente de "construção" de algo, mas de preparação para a vida.
Ele é basicamente o nosso adversário e o nosso trabalho é eliminá-lo, é na luta contra ele que aprendemos sobre nós, mas podemos também aprender do modo difícil, que é deixando ele viver e nos fazer sofrer, nos levando a situações que deveríamos evitar

Nossa visões sobre o ego são irreconciliáveis, rs.

Nós somos o ego, ele é composto por nossas facetas que dão a impressão de serem várias personalidades, a nossa tarefa é desemaranhá-lo e formar uma unidade. De uma forma simplista usaria aquela famosa frase 'quem vc quer ser quando crescer?'
Post edited by salgueiro on agosto 2013

agosto 2013 0
sybok disse: Mas é possível notar como certas culturas tem uma visão completamente distinta do mundo, tente imaginar a visão de mundo de um "tutsi" africano, ou um índio isolado no mato, ou ainda olhar para o passado e se colocar na pele dos que viviam sei lá, na idade média, ou como os antigos egípcios imaginavam o mundo e a vida.

Como espiritualista que crë na reencarnação é fácil entender isso.
sybok disse: Esses filtros e essas distorções são os desejos que agitam a mente e a fazem distorcer a realidade, tanto quanto se olhando do fundo de um lago, você visse o mundo através das ondas causadas pelo vento que sopra a água criando distorções na imagem.

Só vendo pessoalmente é possível saber o tamanho disso.

A diferença entre nós é que vc crë que da morte do ego um novo ver, sentir e perceber vai surgir, eu acho que ao construir a unidade isso acontece naturalmente só que sem digamos uma diferenciação física dos sentidos.

agosto 2013 0
salgueiro disse: A diferença entre nós é que vc crë que da morte do ego um novo ver, sentir e perceber vai surgir, eu acho que ao construir a unidade isso acontece naturalmente só que sem digamos uma diferenciação física dos sentidos.

É porque você ainda confunde a si própria com o ego, ainda se define através dele achando que dali vai sair algo original seu.
Do ego não surge nada "nosso", não existem fragmentos nossos que estão presentes nele e que precisam ser unidos, o ego é somente um filtro que nos cola em um estado de sono e nos faz olhar a vida através de olhos que não são nossos e que não mostram a realidade como ela é.

Olhar o mundo com outros olhos nos permite algum aprendizado, mas esses olhos não são nossos, não são parte do que somos e não ensinam sobre o certo, mas sobre o errado.
O ego aparentemente tem como função nos fazer errar, para que vivendo o erro, possamos aprender a evitá-lo, desejando viver a vida que não devemos viver, possamos aprender a viver de fato.

Como eu disse, se ele tem alguma função é de aprendizado, mas ele certamente não nos define nem adquire "unidade", ele somente nos coloca num estado de transe onde passamos a sonhar acordados, onde sem liberdade, vivemos segundo os caprichos dele até aprendermos a olhar a verdade e nos libertar.
O ego é nossa prisão mental, ele é quem nos faz escravos.

agosto 2013 edited agosto 2013 0
sybok disse: É porque você ainda confunde a si própria com o ego, ainda se define através dele achando que dali vai sair algo original seu.
Do ego não surge nada "nosso", não existem fragmentos nossos que estão presentes nele e que precisam ser unidos, o ego é somente um filtro que nos cola em um estado de sono e nos faz olhar a vida através de olhos que não são nossos e que não mostram a realidade como ela é.

Olhar o mundo com outros olhos nos permite algum aprendizado, mas esses olhos não são nossos, não são parte do que somos e não ensinam sobre o certo, mas sobre o errado.
O ego aparentemente tem como função nos fazer errar, para que vivendo o erro, possamos aprender a evitá-lo, desejando viver a vida que não devemos viver, possamos aprender a viver de fato.

Como eu disse, se ele tem alguma função é de aprendizado, mas ele certamente não nos define nem adquire "unidade", ele somente nos coloca num estado de transe onde passamos a sonhar acordados, onde sem liberdade, vivemos segundo os caprichos dele até aprendermos a olhar a verdade e nos libertar.
O ego é nossa prisão mental, ele é quem nos faz escravos

Acho essas formas diferentes de interpretar a mesma coisa um barato. Sério.

Não adianta nada eu dizer que meu ego está 'morrendo' porque provavelmente vc vai me dizer o mesmo que o Ayya já disse, ele não está morrendo e sim te enganando e não tenho como 'provar' a ninguém, rs, partimos de visões diferentes e pelo visto são irreconciliáveis.
Post edited by salgueiro on agosto 2013

agosto 2013 0
salgueiro disse: Curiosidade. Um monge já iluminado atearia fogo ao seu corpo como forma de protestar sobre alguma coisa?

literalmente iluminado
sybok disse: Existe no entanto uma falsa identificação com o que supostamente seriamos, nossos gostos e preferencias, nossos medos, memorias, nossa razão, sentimentos, etc...
Isso tudo na verdade não nos define, são impressões físicas do corpo, projetadas na nossa consciência como os sons que ouvimos e as cores que vemos.
Não é o que nos "define" nem o que pode atuar como o nosso "motor".

o que nos define é a vontade própria, em condições adversas ela poderá ser subjugada pela necessidade mas, a vontade estará sempre presente na consciência do nosso ser
sybok disse: O isolamento da mais tempo para o estudo, pois sem namoro, sem baladas com os amigos e sem outras distrações análogas, sobra mais tempo para cultivar a mente.

o isolamento não seria apenas um fuga para vida social que não lhe agrada ou então não faz muito sentido?
tirando o sentimentos causados nas experiências próprias o trabalho e o aprendizado, não vejo outro sentido na vida, mas parece que voce ja encontrou o seu, talvez essa ilusão a qual voce deseja ser livrar seja um alimento do nosso ser.
Uma viciado não suportando a realidade usa drogas para tentar escapar dela, assim como outras a imaginação, talvez um meio termo oscilando entre a realidade e a ilusão seja o melhor equilíbrio e não extinguido totalmente a ilusão .

Vejo o desapego como a forma mais simples da felicidade.

agosto 2013 0
sybok disse: Eu vivo o isolamento que me é possível, mas percebo que viver num mosteiro seria melhor.
Não tenho namorada nem amigos, não saio de balada e tenho conseguido evitar trabalhar (fora de casa) regularmente, vivendo de bicos e trabalhando esporadicamente em empregos temporários para buscar dinheiro suficiente para me manter sem trabalho fixo durante outra parte do tempo. (no entanto trabalho e estudo todo santo dia, tenho um negocio de bijuterias artesanais e faço bicos como técnico de informática).
Eu sei o que te levou a fabricar bijuterias , ainda me lembro do seu sonho.
mas isso tambem me fez lembrar: que um homem disse ao seu medico doutor vivo a 80 anos sem beber, sem fumar , sem comer carne.... o medico respondeu: meu amigo então você deixou de viver por 80 anos.
por mera curiosidade você não seria do signo de escorpião ?
sybok disse: Como eu não tenho gastos com balada nem com quase mais nada supérfluo, qualquer dinheiro para o básico dura, nem roupas direito eu tenho, pois como não saio de casa, só preciso de roupas velhas pra não ficar pelado. E ainda me sobra grana para comprar joguinhos tipo StarCraft 2, Crysis 3 e Mortal Kombat 9. Já cortei o games uma época, mas voltei a poder ter uma diversão de uns dois anos pra cá.

oh dó! he...he..he..he..bom eu também não sou do tipo sociável detesto conversas frívolas e peco pelo excesso de sinceridade que as vezes me torna insensível, assim sou do tipo mais caseiro refletindo sempre sobre a vida.
Mas como disse um cara que após ter sofrido um ataque cardíaco se viu diante de uma forte luz que lhe disse: "voce poderia ter escolhido ser qualquer coisa ,mas escolheu ser o que foi, mas ainda vou te dar mais um tempo agora volte lá e decida-se."
mas algumas pessoas não precisaram morrer para falar com "Deus", "Ou voce trabalha para mim ou ....."
sybok disse: Aqui é foda, quando conto que sou celibatário acontece de tudo, uma menina já me beijou só por causa disso e ela era lésbica.

bem vindo a realidade humana, desde que voce não prejudique ninguém eu acho que toda experiência material é valida, voce não se diz um materialista, aproveita véio, até jesus participava de confraternização tomando vinho e alegrando-se com seus amigos.
sybok disse: O distanciamento social é necessário, isso significa sem amigos, sem namorada, sem baladas, etc... Se isso será feito em um mosteiro ou não é outra historia.

mesmo que voce consiga encontrar uma parte de Deus em voce , ainda restará parte dele na outras pessoas.
sybok disse: Estou entrando em outra etapa do processo, uma onde estou para largar o abandono da sociedade, mas mantendo o abandono pessoal aos meus próprios interesses.

pelo que entendi pretende exercer alguma atividade social desinteressadamente.

agosto 2013 0
salgueiro disse: Num exemplo banal, sou uma chocólatra que ingere no máximo umas 20 gramas de chocolate ao dia e que quando cismou ficou 2 anos sem por chocolate na boca.

oh dó! eu sou um viciado em doces e mantenho o meu vicio generosamente, quando cismo como 200gs de chocolate em alguns minutos,mas ja faz alguns anos que cortei alguns tipos de alimentos portanto se precisar sacrificar os meus docinhos eu sobrevivo.
salgueiro disse: 'quem vc quer ser quando crescer?'

um ego livre para voar...ha..ha..ha..ha

agosto 2013 0
CRIATURO disse: literalmente iluminado

Humor negro também é terapeutico, rs

agosto 2013 0
CRIATURO disse: salgueiro disse: 'quem vc quer ser quando crescer?'

um ego livre para voar...ha..ha..ha..ha

Querias ... rs

agosto 2013 0
salgueiro disse: CRIATURO disse: literalmente iluminado

Humor negro também é terapeutico, rs

não vejo sabedoria alguma no suicídio improdutivo, pelo contrario uma insanidade.

agosto 2013 0
CRIATURO disse: não vejo sabedoria alguma no suicídio improdutivo, pelo contrario uma insanidade

Não vejo o menor sentido em suicídio, é insanidade pelo menos temporária

agosto 2013 0
salgueiro disse: Acho essas formas diferentes de interpretar a mesma coisa um barato. Sério.

Não adianta nada eu dizer que meu ego está 'morrendo' porque provavelmente vc vai me dizer o mesmo que o Ayya já disse, ele não está morrendo e sim te enganando e não tenho como 'provar' a ninguém, rs, partimos de visões diferentes e pelo visto são irreconciliáveis.
Ou talvez não seja uma questão de visão e interpretação Salgueiro, mas de contato com certos fatos.
Os fatos costumam ser indiferentes a nossas visões e opiniões.

Nenhuma pessoa pode ter noção real da profundidade da escravidão do homem pelo próprio ego, até o dia em que finalmente possa calar o ego e olhar o mundo com os próprios olhos de modo que se desfaça a nossa identificação com ele.

agosto 2013 edited agosto 2013 0
CRIATURO disse: o que nos define é a vontade própria, em condições adversas ela poderá ser subjugada pela necessidade mas, a vontade estará sempre presente na consciência do nosso ser

Vontade própria sim, mas a vontade do ego não.
Enquanto não for capaz de distinguir a si próprio do ego, não pode fazer uso de sua vontade própria.
CRIATURO disse: o isolamento não seria apenas um fuga para vida social que não lhe agrada ou então não faz muito sentido?
tirando o sentimentos causados nas experiências próprias o trabalho e o aprendizado, não vejo outro sentido na vida, mas parece que voce ja encontrou o seu, talvez essa ilusão a qual voce deseja ser livrar seja um alimento do nosso ser.
Uma viciado não suportando a realidade usa drogas para tentar escapar dela, assim como outras a imaginação, talvez um meio termo oscilando entre a realidade e a ilusão seja o melhor equilíbrio e não extinguido totalmente a ilusão .

Vejo o desapego como a forma mais simples da felicidade.

Essas perguntas e esse "talvez" que você pondera são falseáveis, podem ser verificados.
Se você for procurar nos fatos a resposta a esses questionamentos, vai descobrir que não, que para viciados na própria rotina e no próprio transe, a abstenção é a única solução.

Um viciado em crack não pode só fumar umas pedrinhas do fim de semana, tem mesmo que se abster completamente.
O trabalho consiste em abster o ego da vida, para que assim ele desista de viver, dê a ele a possibilidade de viver um pouquinho nos fins de semana e ele continuará vivendo e te escravizando o quanto puder.
CRIATURO disse:
mas isso tambem me fez lembrar: que um homem disse ao seu medico doutor vivo a 80 anos sem beber, sem fumar , sem comer carne.... o medico respondeu: meu amigo então você deixou de viver por 80 anos.
por mera curiosidade você não seria do signo de escorpião ?

O objetivo é justamente deixar de viver.
Como já disse varias vezes, isso não se trata de uma "filosofia de vida", nem do modo correto de se "viver".
É uma obrigação temporária com um objetivo especifico de eliminar o ego do controle ao negar a ele o direito de viver.
Então é justamente isso mesmo, a pratica consiste em uma negação da vida, consiste em não viver voluntariamente para que o ego morra e desista de continuar lutando pela vida e pelo controle do corpo.

Sim, sou de escorpião... adivinhão!
Qual a razão da pergunta?
CRIATURO disse: mesmo que voce consiga encontrar uma parte de Deus em voce , ainda restará parte dele na outras pessoas.

Pate que só pode ser percebida e respeitada corretamente, quando eu me conhecer e estiver em contato com a parte presente em mim mesmo.
Enquanto eu não estiver "completo" em mim, não devo buscar me completar nos outros.
CRIATURO disse: pelo que entendi pretende exercer alguma atividade social desinteressadamente.

Sim ,mas não é bem o que você chamaria de atividade social, não tem no geral muita relação com a sua noção de "caridade".
Somos seres sociais e somos parte do mundo, mesmo quando vivendo num mosteiro ou isolado numa caverna, damos nossa contribuição para tudo o que está ai, tanto através da ação, quanto da omissão.
O processo que estou para entrar agora é de anular minhas próprias culpas para com tudo o que está ai.
Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 0
sybok disse:
Vontade própria sim, mas a vontade do ego não.
Enquanto não for capaz de distinguir a si próprio do ego, não pode fazer uso de sua vontade própria.

da maneira como voce fala seriamos um ser trial, uma personalidade mecânica do corpo e outra imaterial personificando o ser humano.
mas com a morte do corpo o eu mecânico morre e o ego permanece ?
ou acredita que sem corpo não ha consciência?

agosto 2013 edited agosto 2013 0
CRIATURO disse: da maneira como voce fala seriamos um ser trial, uma personalidade mecânica do corpo e outra imaterial personificando o ser humano.
mas com a morte do corpo o eu mecânico morre e o ego permanece ?
ou acredita que sem corpo não ha consciência?

Ego = Eu mecânico, não existe distinção entre os dois, eu uso as palavras como sinônimos.
O ego é fruto do corpo, é nossa razão, uma ferramenta do corpo com a qual nos confundimos.
Se existe consciência sem corpo eu não sei dizer, como disse, sou materialista e até onde eu sei ela só é possivel com um corpo, mas ela não precisa necessariamente se manifestar somente com o mesmo corpo.
Seria a consciência em si o seu equivalente a "alma".
Temos uma consciência e temos um ego, essas coisas são distintas e costumamos confundir uma com a outra, achando que somos o ego, quando somos a consciência.
Post edited by sybok on agosto 2013

agosto 2013 edited agosto 2013 0
sybok disse: Ou talvez não seja uma questão de visão e interpretação Salgueiro, mas de contato com certos fatos.
Os fatos costumam ser indiferentes a nossas visões e opiniões

Sei não Sybok, sei não. Não posso avaliar os seus fatos só os meus.
sybok disse: Nenhuma pessoa pode ter noção real da profundidade da escravidão do homem pelo próprio ego, até o dia em que finalmente possa calar o ego e olhar o mundo com os próprios olhos de modo que se desfaça a nossa identificação com ele.

Se vc concorda que existem muitos caminhos essa visão não se coaduna.
Post edited by salgueiro on agosto 2013


agosto 2013 0
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:22

sybok disse: É uma obrigação temporária com um objetivo especifico de eliminar o ego do controle ao negar a ele o direito de viver.
Então é justamente isso mesmo, a pratica consiste em uma negação da vida, consiste em não viver voluntariamente para que o ego morra e desista de continuar lutando pela vida e pelo controle do corpo.

conheço uma garota que tem como seu grande objetivo de vida se formar em medicina, ja prestou vários vestibulares e por alguns meses até chegou a cursar administração em uma escola publica,mas desistiu e voltou a estudar para passar em medicina.
muitas vezes a obstinação por algo nos deixa cegos a outros caminhos existentes talvez os que nos tornariam mais felizes.
sybok disse: Sim, sou de escorpião... adivinhão!
Qual a razão da pergunta?

ha...ha...ha...ha...ha..ha... na verdade não adivinhei apenas o identifiquei.
Sempre considerei horóscopos uma baboseira até um dia que me apresentaram o horóscopo chines o qual descrevia minha personalidade com perfeição de pronto me identifiquei:

Ser não muito sociável, reservado discreto, criativo, sincero,despreza a realeza, vingativo, muito ligado ao lado mistico da vida.

pesquise e também irá se identificar.

sou de 1 de novembro
sybok disse: O processo que estou para entrar agora é de anular minhas próprias culpas para com tudo o que está ai.

embora tente refutar sua visão da vida, tenho que admitir acreditar que em partes voce tem razão, pois de fato sofremos grande influencia da matéria que por vezes nos confunde a razão induzindo a erros.
Saindo do estado de vigília ja me peguei pensando coisas desconexas, penso que seja o cerebro mecânico agindo.
Admiro a sua determinação e até criatividade tentando desenvolver um método de auto reconhecer-se assumindo uma maior consciência da vida, pois não nego que apesar de intuir uma realidade mais consciente e normalmente desejar progredir descobrindo coisas, confesso que me acomodei apenas a reflexões poucas produtivas, enquanto voce decidiu trabalhar e lutar por uma maior consciência da vida.
Mas ja percebi que a vida é formada por ciclos ora ativos, ora passivos é neste período que a vida nos empurra por caminhos que não seguiríamos espontaneamente, então chegará a minha hora de despertar rindo ou chorando todos serão convidados ao progresso.
por enquanto deixa eu curtir minha preguiça assim quando tiver que trabalhar ja terei descansado muito, não tendo mais do que se queixar.
Digamos que voce seja o New em Matrix e eu o cara que desejou continuar se iludindo.

agosto 2013 0
sybok disse: Se existe consciência sem corpo eu não sei dizer, como disse, sou materialista e até onde eu sei ela só é possivel com um corpo, mas ela não precisa necessariamente se manifestar somente com o mesmo corpo.
Seria a consciência em si o seu equivalente a "alma".

ta confuso isto?
Se só existe consciência com o corpo , acabando corpo acaba a consciência então como uma mesma consciência poderia encarnar outro corpo ?
alem do mais se voce acredita no final da consciÊncia junto o seu corpo então por que se preocupa em desenvolve-la ?

agosto 2013 0
horóscopo chinës, só as qualidades esse site não veio com os contrapontos, rs
Personalidade: defensor das boas causas, é leal e ansioso. Injustiça e desonestidade são inaceitáveis para ele, que faz o que pode para ajudar os outros. Um pouco teimoso, ele diz com todas as letras aquilo que pensa. Embora seja um bom amigo, a vida social não é das mais badaladas, pois ele prefere uma reunião modesta em que se possa conversar que um grande evento
·  1500 Comentários sorted by Votes Date Added
·  sybok Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
salgueiro disse:


Se vc concorda que existem muitos caminhos essa visão não se coaduna.

Os muitos caminhos necessitam de coisas semelhantes.
Como eu já disse e até possivel classifica-los em dois grandes ramos, ainda assim a morte do ego é inevitável em todos os casos, sem ela não é possivel a união com Deus.
Post edited by sybok on agosto 2013
·  sybok Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
CRIATURO disse: conheço uma garota que tem como seu grande objetivo de vida se formar em medicina, ja prestou vários vestibulares e por alguns meses até chegou a cursar administração em uma escola publica,mas desistiu e voltou a estudar para passar em medicina.
muitas vezes a obstinação por algo nos deixa cegos a outros caminhos existentes talvez os que nos tornariam mais felizes.

E eu conheço um cara que tinha como grande objetivo de vida ser um tremendo profissional da informática com sua própria empresa, mas que descobriu que não poderia ser ninguém pois não era livre e teria que abandonar os próprios objetivos e sonhos.

O nome do cara começa com "S" e termina com "ybok"...
CRIATURO disse: sou de 1 de novembro

Sou do dia 19, dia da bandeira.

Não acredito em horoscopo, mas a historia dos "dons" de cada signo bate no meu caso.


"Naquela manhã, o Supremo Criador chamou para junto de Si suas Doze Crianças, para nelas implantar a semente da vida humana e conceder-lhes o divino dom que lhes caberia, segundo a incumbência de seu signo no Zodíaco". E assim cada criança celeste deu um passo à frente para receber o seu Dom:

A ti, Escorpião, darei a tarefa mais difícil. Terás habilidade de conhecer a mente dos homens, mas não te darei permissão de falar sobre o que apreenderes. Muitas vezes te sentirás ferido por aquilo que verás e em tua dor te voltarás contra Mim, esquecendo que não sou Eu, e sim a distorção da Minha Idéia que te faz sofrer. E experimentarás de tal modo a dor do ser humano, que chegarás a conhecer o homem enquanto animal, e lutarás tanto contra os instintos animais em ti mesmo, que poderás até extraviares no caminho. Mas, quando finalmente voltares a mim, Escorpião, terás para ti: 'O Dom da Suprema Finalidade'. E Escorpião retornou ao seu lugar.
CRIATURO disse: Saindo do estado de vigília ja me peguei pensando coisas desconexas, penso que seja o cerebro mecânico agindo.

Pois isso é uma grande evidencia do que eu digo sobre a mente racional.
Esse mesmo processo ocorre durante os sonhos, onde vemos a razão falando sozinha e quanto maior o nosso "sono", mas desconexo é o fluxo de pensamento.
Agora basta você observar o quão desconexa é a mente e os erros de raciocínio de algumas pessoas para você perceber que existe algum problema na razão.
CRIATURO disse: ta confuso isto?
Se só existe consciência com o corpo , acabando corpo acaba a consciência então como uma mesma consciência poderia encarnar outro corpo ?
alem do mais se voce acredita no final da consciÊncia junto o seu corpo então por que se preocupa em desenvolve-la ?

Eu disse que o ego morre com o corpo, não falei sobre a consciência.

Criaturo, eu não sei sobre nada além da vida para poder explicar isso de fato, mas especulando... pense na realidade como em um sonho, para estarmos conscientes e interagindo, precisamos de um corpo, durante um sonhos temos um corpo, mas quando acordamos ele desaparece.
Ainda assim continuamos existindo.

Se nossa vida for como um sonho, nosso corpo aqui é meio "virtual", toda a meteria seria meio virtual, existindo na mente quem sabe de Deus, ainda que para estarmos conscientes precisemos de um corpo, a consciência em si não depende dele para existir.
Poderíamos mudar de vida em vida tanto quanto mudamos de sonho em sonho.

O que eu disse sobre a consciência é que ela não se manifesta sem um corpo, para estarmos conscientes precisamos estar conscientes de algo e esse algo é fornecido sempre por um corpo.
Não acredito então em um espirito "vendo" e "ouvindo" sem um corpo, pois ver e ouvir é função dele... mas só estou especulando.
Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor.
Post edited by sybok on agosto 2013
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse:
Os muitos caminhos necessitam de coisas semelhantes.
Como eu já disse e até possivel classifica-los em dois grandes ramos, ainda assim a morte do ego é inevitável, sem ela não é possivel a união com Deus.

Pelo visto vc deve ser um teísta 'melhor' ou talvez mais bem direcionado que eu. Acredito que o ego acabe sim desaparecendo, só que não de uma hora para outra
·  Marcio Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor.

Eu ja imaginei que sem o corpo ficaríamos apenas conscientes de nós mesmos (eu sou), a falta dos sentidos nos mergulharia numa solidão aterradora (a caverna), sem sentidos não poderíamos interagir com as outras consciências.
Não seria uma total suspensão, não seria como um programa pausado.
Por isso que eu penso que o mundo material é tão somente um meio de nos por no "jogo", de nos conectar com as possibilidades.
Quem quiser fugir disso apenas se encontrará consigo mesmo e mais nada.
A eternidade é tempo demais para ficarmos sós. O sistema nos dá então as possibilidades, os inputs, os entrelaçamentos com outras consciências.
Somos repositórios de sensações e sentimentos. Essa é a nossa essência.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor

Não ficamos em pausa, minhas experiëncias e de tantos outros com o outro lado mostram justo o contrário.
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
sybok disse: CRIATURO disse: sou de 1 de novembro

Sou do dia 19, dia da bandeira.

nasci no dia 1,mas me registraram no dia 19 é o que consta nos meus documentos
sybok disse: Muitas vezes te sentirás ferido por aquilo que verás e em tua dor te voltarás contra Mim, esquecendo que não sou Eu, e sim a distorção da Minha Idéia que te faz sofrer.

ja tinha dado uma olhada neste texto,mas no neste caso ele se encaixa mais a voce.
não sei se voce leu os outros textos que confirmam os traços de personalidade que te passei, eles de fato coincidem com a personalidade do escorpião.
Eu tambem não acredito em horoscopo como previsão do futuro cor da sorte etc,mas no quesito personalidade ja observei que alguma coisa bate.
Acredito e não sei o porque a personalidade de um espirito faz com que ele nasça em determinada época do ano.
sybok disse: Eu disse que o ego morre com o corpo, não falei sobre a consciência.

ótimo! se o ego morre com o corpo , então por que se preocupar em domina-lo deixe o coitadinho ser feliz , para com essa repressão.
sybok disse:
Criaturo, eu não sei sobre nada além da vida para poder explicar isso de fato, mas especulando...
sybok disse: Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor.
veja um comentario ao Aza:
Azathoth disse: No sono, a pessoa perde a noção do tempo e da existência e não sabe nada do que acontece ao seu redor.
R: ja ouviu falar de sonhos lúcidos e viagem astral?
Sinceramente eu creio bem diferente da linha evangélica.
Quando alguém muito querido sofre e morre, "quase morremos juntos com ela, ou uma parte de nós de fato acaba morrendo com ela."
A perda e o sofrimento vivenciados podem gerar revoltas, falta de compreensão contra as injustiças da vida e contra o criador dela,mas não existe sofrimento que o tempo não possa curar.

Quando acontece um milagre de um desenganado pelos médicos, reaver sua vida recuperando sua saudê, seus entes queridos choram e comemoram com alegria indescritível como se tivesse ressuscitado uma pessoa muito querida.
Mas essa alegria não se compara a alegria dos que compartilharam sofrimentos na terra e viram suas esperanças se transformarem em frustrações levando a descrença e a indiferença com a vida, quando se verem vivos no mundo espiritual.
se tratando de seres inteligentes não podemos pensar em padronizar regras, certamente uma morte não sera igual a outra porque os sentimentos são diferentes e as situações tambem.
Creio que não haverá um um juízo final coletivo, muito menos feito com a volta de Jesus:
"aquele que não seguir meus ensinamentos ja esta julgado"
Jesus e Deus não julgam nem condenam, porem existem leis e reações mecânicas , e ainda temos nossa vontade subjugada por outras inteligencias, podemos ser adotados espiritualmente ou até perseguidos por espíritos que nos são antipáticos por alguma razão.
" de dinheiro ilícito fazeis muitos amigos por que na dor são eles que virão te socorrer"
"enquanto estiveres no mundo entre em acordo sem demora com seus adversários, por que se não eles te entregaram ao Juiz e este colocará numa prisão de onde só sairá quando tiver pago o ultimo centavo da sua divida."

Assim penso que o tempo para despertar do sono da morte pode variar conforme a pessoa e que tambem algumas pessoas principalmente as que não acreditam na continuação da vida , assim como as que acreditam que dormiram a espera por um julgamento final, neste caso o tempo para desperta a consciência para uma nova realidade poderá ser mais demorada em relação a mentes mais abertas.
Penso que na grande maioria dos casos a perda da consciência material leva ao espirito a um estado de pertubação natural muito parecido com sonhos, para consciências tranquilas bons sonhos do tipo revendo e conversando alegremente com entes queridos ja falecidos, ja para consciências perturbadas pesadelos do tipo perseguições de antigas vitimas ou memórias pelo simples remorso.
Com o tempo este estado de semi consciência espiritual tornará se lúcido cada vez mais, até o momento do despertar final para nova realidade espiritual que nos encontramos e este período poderá variar dias, meses e anos conforme a consciência de cada um.
por isso quando voce sonhar e cada vez mais o sonho ficar lucido, se tentar acordar e não conseguir provavelmente voce ja esta morto.
sybok disse: pense na realidade como em um sonho, para estarmos conscientes e interagindo, precisamos de um corpo, durante um sonhos temos um corpo, mas quando acordamos ele desaparece.

para interagirmos com a matéria precisamos de um corpo, mas para estarmos conscientes , não precisamos !
A não ser que voce esteja considerando que exista um corpo espiritual ainda material , ou seja espirito e material apesar de coisas distintas estarão eternamente atreladas ?
sybok disse: Poderíamos mudar de vida em vida tanto quanto mudamos de sonho em sonho.

num sonho mudamos de corpo e alteramos o personagem mas, nunca perdemos a nossa identidade


·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
Marcio disse:
Eu ja imaginei que sem o corpo ficaríamos apenas conscientes de nós mesmos (eu sou), a falta dos sentidos nos mergulharia numa solidão aterradora (a caverna), sem sentidos não poderíamos interagir com as outras consciências.
um unica vez que perdi os sentindo, por algum tempo fiquei sem interagir com outras consciências ,mas aos poucos fui retomando minha consciência de onde estava, primeiro me veio o sentido do tato observando uma temperatura agradabilíssima como se o meu corpo estivesse nu pairando no ar, depois a visão em um forte luz branca, então comecei a raciocinar a onde me encontrava, quando me fiz a pergunta "Será que o meu espirito saiu do corpo, será que morri ? " minha consciência retornou ao meu corpo que estava no chão amparado por uma enfermeira.
interessante! se esta experiência não passou de uma ilusão causada por um cerebro perturbado por uma doença, então por que a minha consciência não continuou perturbada pelo sofrimento que se encontrava o corpo ? Mas enquanto o corpo penava caído ao chão a consciência se regozijava as portas do paraíso, quando ouvi a enfermeira me chamando, me senti frustado como o esquilo da era do gelo no momento que finalmente iria conquistar a sua castanha gigante foi ressuscitado pelo bicho preguiça Sidynei, pô eu ja iria sair procurando por outras pessoas para especular onde estava, sacanagem agora vou ter que esperar pela morte definitiva ?
Marcio disse: Por isso que eu penso que o mundo material é tão somente um meio de nos por no "jogo", de nos conectar com as possibilidades.
Quem quiser fugir disso apenas se encontrará consigo mesmo e mais nada.

não creio que a interatividade de consciências só seja possível através de um corpo humano ou físicos como imaginamos e por que querer limitar a nossas consciências apenas a possibilidades conhecidas aos limites do nosso mundo?
Marcio disse: Somos repositórios de sensações e sentimentos. Essa é a nossa essência.

primeiro os sentimentos depois vem a consciência
·  Silvana Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
Saudações Inseto (Propositor do tema)

Saudações Salgueiro / Saudações Criaturo / Saudações Márcio / Saudações Sybok

Saudações aos demais

Desculpem entrar com tema já tão adiantado. Somente para colaboração.

Destaques interessantes:
Criaturo disse: (...)alem do mais se você acredita no final da consciÊncia junto o seu corpo então por que se preocupa em desenvolve-la ?

Sybok disse: Como eu já disse e até possível classifica-los em dois grandes ramos, ainda assim a morte do ego é inevitável em todos os casos, sem ela não é possível a união com Deus.

Márcio disse: (...) os inputs, os entrelaçamentos com outras consciências.Somos repositórios de sensações e sentimentos. Essa é a nossa essência.

Sybok disse: Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor.

Salgueiro disse: Não ficamos em pausa, minhas experiências e de tantos outros com o outro lado mostram justo o contrário.

Pessoal, a Blavatsky apresenta as ideias de vcs da seguinte forma:

“Dizemos(Teosofistas) que só permitimos a presença da irradiação do espírito(ou Atmã/Atman), na cápsula astral; e somente no que se refere aos resplendor espiritual. Dizemos que o homem e a alma terão que conquistar sua imortalidade por meio da ascensão até a unidade; que se tiverem êxito ficarão unidas no fim, e nelas finalmente absorvidas. A individualização do homem depois da morte depende do espírito e não de sua alma e corpo.

No sentido que em que se entende usualmente a “personalidade” é um absurdo se for aplicada literalmente a nossa essência imortal, pois sem dúvida ela é, como ego individual, uma entidade diferente, imortal e eterna per si.

concluindo os escritos dos Teosofistas, para essas dúvidas:
Se esta união entre os manas inferior ou pessoal, e o Ego individual que se reencarna não foi efetuada durante a vida, então o destino do primeiro será como o dos animais inferiores que gradualmente se dissolvem no éter e cuja personalidade é aniquilada; mas ainda assim é o Ego um ser individual. Nesse caso apenas perde um estado devakhânico(depois desta vida o que por certo é inútil), como personalidade idealizada; e se encarna imediatamente, depois de haver desfrutado um curto espaço de tempo de sua liberdade, como espírito planetário.

Fonte: A chave da Teosofia. Blavatsky
1973-p.111

Abraços fraternos a todos
Silvana
Post edited by Silvana on agosto 2013
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: Não ficamos em pausa, minhas experiëncias e de tantos outros com o outro lado mostram justo o contrário.

" o meu Pai trabalha até agora e eu tambem" justificou Jesus aos que queriam proibi-lo de continuar trabalhando no sábado.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
Olá Silvana! Fique a vontade, entrar e sair do debate de um tópico é o que mais se faz dependendo do rumo que toma, rs. Suas contribuições são bem vindas.

E obrigada pelo link para a Cabala que colocou no outro tópico, estou lendo e gostando.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse:
Não ficamos em pausa, minhas experiëncias e de tantos outros com o outro lado mostram justo o contrário.

Que outro lado? E essas experiencias foram SEM um corpo ou com um OUTRO corpo?
Como dito, mesmo dentro de um sonho temos um corpo no sonho.

Quando as pessoas se descrevem flutuando, em geral se descrevem com um outro corpo, até as imagens ilustrativas sempre mostram um corpo que eles chama de "corpo sutil", capaz de atravessar paredes.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Que outro lado?

Estou falando de experiëncias ou contatos com espíritos. Era do que vc falava, vc estava especulando sobre o pós morte, sobre como ficaria um espírito.
sybok disse: E essas experiencias foram SEM um corpo ou com um OUTRO corpo?

Eu ainda estou viva então tenho corpo físico, rs. Desculpe mas não dá para deixar de brincar
sybok disse: Quando as pessoas se descrevem flutuando, em geral se descrevem com um outro corpo, até as imagens ilustrativas sempre mostram um corpo que eles chama de "corpo sutil", capaz de atravessar paredes

Sim, espíritos possuem um corpo 'sutil'.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: ja tinha dado uma olhada neste texto,mas no neste caso ele se encaixa mais a voce.
não sei se voce leu os outros textos que confirmam os traços de personalidade que te passei, eles de fato coincidem com a personalidade do escorpião.

Não sei meu signo chines e sim a personalidade básica do signo bate no meu caso, mas acredito ser coincidência, já que no caso dos meus irmãos tal personalidade não bate.

Essas descrições são um tanto genéricas elas sempre vã ose encaixar para algumas pessoas, mas não para outras, por exemplo já vi descrições da personalidade de OUTROS signos que também batem comigo.
CRIATURO disse:
CRIATURO disse:sybok disse: Eu disse que o ego morre com o corpo, não falei sobre a consciência.
ótimo! se o ego morre com o corpo , então por que se preocupar em domina-lo deixe o coitadinho ser feliz , para com essa repressão.
O problema é que sempre temos um corpo, cada vez que acordamos em algum lugar temos um corpo e com ele um ego novo prontinho para nos dominar.
CRIATURO disse: para interagirmos com a matéria precisamos de um corpo, mas para estarmos conscientes , não precisamos !
A não ser que voce esteja considerando que exista um corpo espiritual ainda material , ou seja espirito e material apesar de coisas distintas estarão eternamente atreladas ?
Para estar conscientes, precisamos estar conscientes de algo.
A consciência em si é como uma tela em branco, se não existir nada para ser projetado na tela, então não existe nada do qual estaremos conscientes.

Isso inclui os pensamentos, já que a razão é um atributo do corpo, assim como os sentimentos e sensações, quando dizemos que estamos conscientes de "nós", na realidade nos referimos a esses objetos "internos" que são parte do corpo, sem o corpo eles também não existem, só existe a tela em branco que é um cinema vazio onde não está passando NADA.
Estar consciente somente do nada é igual a não estar consciente.
CRIATURO disse: num sonho mudamos de corpo e alteramos o personagem mas, nunca perdemos a nossa identidade

Perdemos sim, já tive sonhos onde eu era completamente diferente do que sou, já tive sonhos bem ao estilo RPG medieval, onde eu literalmente lutava contra bárbaros em defesa do meu rei, com uma personalidade completamente distinta da minha.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Ter Dez 12 2017, 10:23

·  sybok Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: Sim, espíritos possuem um corpo 'sutil'.
Ou seja, sempre temos um corpo, não conheço relatos de pessoas fazendo coisas sem um corpo.
Aparentemente é sempre necessário um veiculo, uma interface de interação com o mundo.

Por isso eu disse que: "Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de 'suspensão', ficamos em 'pausa' aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor".

Agora, nossa visão do "corpo" e da "matéria" é que tende a ser distorcida.
Num sonho também vemos um mundo "material" e temos um "corpo", ainda assim ninguém cria essa dicotomia corpo/espirito, mundo material X mundo espiritual.
Num sonho temos um espirito DENTRO de um corpo, ou todo o mundo dos sonhos é que esta na verdade dentro de nós?

Talvez simplesmente não exista diferença entre essas coisas e a matéria não seja exatamente como a imaginamos.
O nosso modo de "imaginar" como essas coisas funcionam tende a estar errado.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Perdemos sim, já tive sonhos onde eu era completamente diferente do que sou, já tive sonhos bem ao estilo RPG medieval, onde eu literalmente lutava contra bárbaros em defesa do meu rei, com uma personalidade completamente distinta da minha.

Interessante isso, sempre que lembro de um sonho sou sempre eu.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
Marcio disse: Eu ja imaginei que sem o corpo ficaríamos apenas conscientes de nós mesmos (eu sou), a falta dos sentidos nos mergulharia numa solidão aterradora (a caverna), sem sentidos não poderíamos interagir com as outras consciências.
Não seria uma total suspensão, não seria como um programa pausado.
Por isso que eu penso que o mundo material é tão somente um meio de nos por no "jogo", de nos conectar com as possibilidades.
Quem quiser fugir disso apenas se encontrará consigo mesmo e mais nada.
A eternidade é tempo demais para ficarmos sós. O sistema nos dá então as possibilidades, os inputs, os entrelaçamentos com outras consciências.
Somos repositórios de sensações e sentimentos. Essa é a nossa essência.

Eu separo a consciência em si de qualquer outra função humana.
Uma consciência por exemplo não pode pensar, a razão é um atributo distinto, assim como uma consciência não tem sentimentos.
Penso nela como uma tela em branco que só passa a estar "consciente" quando algo é projetado sobre ela.

Isso significa que não existe consciência individual, separada do resto, ela sempre depende da existência de um meio externo, de uma imagem que não faz parte dela e que projete coisas para que ela possa ter "consciência" dessas coisas.

Então qualquer dessas coisas que você chama de "nós mesmos" a qual a consciência poderia ter contato, é externo a consciência em si.
Digamos que a consciência seja uma peça e qualquer outra peça separada dela, é como dito, uma OUTRA peça e não a consciência.
Só estamos conscientes quando ao menos duas peças se juntam, a consciência e alguma coisa que ao ser projetada na consciência a permita estar "consciente" de algo.

É a tela e o projeto, existindo na dependência um do outro.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Por isso eu disse que: "Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de 'suspensão', ficamos em 'pausa' aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor".

Digamos que quando vivos temos dois corpos e ao morrermos ficamos com um então vc adentra ao mundo espiritual com um corpo
sybok disse: Agora, nossa visão do "corpo" e da "matéria" é que tende a ser distorcida.

Depois que aprendi que nosso físico não é tão sólido como o percebemos estou em stand by com isso. Esse é um aprendizado da Física.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse:
Interessante isso, sempre que lembro de um sonho sou sempre eu.

Eu tenho alguns sonhos que são simplesmente idênticos a uma partida de video game, onde eu mato pessoas ou fujo de alguma coisa, muitas vezes em cenários completamente distintos, em geral existe a busca de algum objetivo.

Já tive sonhos futuristas também, com imagens incríveis de um transito de carros voadores, coisa impressionante de se ver em "primeira pessoa", me deu vontade até de poder fazer um filme com tais cenas, para mostra ao pessoal de hollywood como é que uma cidade com carros voadores deve ser.

Os sonhos são um mistério pra mim, principalmente pela variedade de tipos que tem, alguns parecem até vidas paralelas, tão reais quanto aqui, outros parecem jogos e outros são completamente sem sentido, com pensamentos e questionamentos que quando acordamos percebemos que eram absurdos e sem logica nenhuma, como a mente falando sozinha de modo completamente aleatório.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
Silvana disse: Pessoal, a Blavatsky apresenta as ideias de vcs da seguinte forma:

Eles claramente trabalham com uma definição distinta dos conceitos como os tratamos aqui até o momento.
Eles tratam do ego como o "eu imortal" aquilo que realmente somos, não é o caso como o termo foi tratado aqui, eles ainda parecem diferenciar alma e espirito.
Silvana disse: Se esta união entre os manas inferior ou pessoal, e o Ego individual que se reencarna não foi efetuada durante a vida, então o destino do primeiro será como o dos animais inferiores que gradualmente se dissolvem no éter e cuja personalidade é aniquilada; mas ainda assim é o Ego um ser individual.

O interessante é que eles parecem apresentar a eternidade somente como uma possibilidade e não como uma certeza, onde os indivíduos tem a oportunidade de atingirem a união e assim se manterem eternos, sem conquistar tal união a personalidade é aniquilada e dissolvida no "éter".
·  Silvana Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
Saudações Salgueiro / Saudações Sybok

Saudações aos demais participantes


Salgueiro disse: E obrigada pelo link para a Cabala que colocou no outro tópico, estou lendo e gostando.

Por nada. Que bom que gostou.
Sybok disse: Eles tratam do ego como o "eu imortal" aquilo que realmente somos, não é o caso como o termo foi tratado aqui, eles ainda parecem diferenciar alma e espírito.

Sim, vc está certo, eles diferenciam alma de espírito.
Sybok disse: O interessante é que eles parecem apresentar a eternidade somente como uma possibilidade e não como uma certeza, onde os indivíduos tem a oportunidade de atingirem a união e assim se manterem eternos, sem conquistar tal união a personalidade é aniquilada e dissolvida no "éter".

Sim. O que sempre me chamou a atenção nos textos dela foi justamente isso, por isso.

Quando citei a Teosofia, foi somente a título de fornecer a incerteza da possibilidade no caso da uma falta de progresso do Ego. Entendes?!


Abraços fraternos a todos
Silvana
Post edited by Silvana on agosto 2013
·  Marcio Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Eu separo a consciência em si de qualquer outra função humana.
Uma consciência por exemplo não pode pensar, a razão é um atributo distinto, assim como uma consciência não tem sentimentos.
Penso nela como uma tela em branco que só passa a estar "consciente" quando algo é projetado sobre ela.

Bom! As vezes até eu me confundo com as palavras "consciência" e "mente". Até uso o termo "consciência" no lugar de "mente", sem querer. Me perdoe.

"Consciência" é uma propriedade que faz com que a mente tenha contato com alguma informação, ou várias.
Dizemos: " a mente consciente", "a mente está consciente", há até o contrário: " a mente está inconsciente".
Logo podemos inferir que "consciência" não é a "mente", é algo ocorre com a mente.

Então vamos falar de um "eu" fundamental, ou mente fundamental. Imagine isso totalmente desconectado dos outros domínios. É uma existência mental fundamental e eterna.
Este é o verdadeiro "eu", o restante são complementos conectados.

A sua tela em branco parece ser uma analogia para a entrada de inputs através dos sentidos providos pelos "avatares"(me permita usar esse termo) interagindo dentro do cenário do "jogo".
A diferença é que você intuiu que o "eu" fundamental quando desconectado fica inerte e desligado, eu já acho que não, eu acho que ele fica consigo mesmo, só, ávido por mais conexões.
sybok disse: Isso significa que não existe consciência individual, separada do resto, ela sempre depende da existência de um meio externo, de uma imagem que não faz parte dela e que projete coisas para que ela possa ter "consciência" dessas coisas.

Mente fundamental, no caso. Sim ela depende dos meios ditos materiais (avatares e cenários) para ter inputs sensoriais, terá contato com eles por meio da consciência.
Eu acho que sem esses inputs externos a mente não ficaria sem consciência, como você crê, ficaria apenas ciente de sí mesma e só.
sybok disse: Então qualquer dessas coisas que você chama de "nós mesmos" a qual a consciência poderia ter contato, é externo a consciência em si.

O "nós", o "eu", é a mente mais fundamental, é o que realmente pode absorver, sentir, se alimentar de informações externas.
sybok disse: Digamos que a consciência seja uma peça e qualquer outra peça separada dela, é como dito, uma OUTRA peça e não a consciência.

Consciência é só uma propriedade da mente mais fundamental que a coloca em contato com as informações geradas pelo sistema.
sybok disse: Só estamos conscientes quando ao menos duas peças se juntam, a consciência e alguma coisa que ao ser projetada na consciência a permita estar "consciente" de algo.

Acho eu que a mente mais fundamental sempre estará consciente, ou de si mesma(quando desconectada), ou do jogo (quando conectada), já que é uma existência dinâmica e eterna.
sybok disse: É a tela e o projeto, existindo na dependência um do outro.

A tela é a consciência, o projeto é o jogo de ilusões. A mente sou "eu" e é "você".
·  Marcio Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Eles claramente trabalham com uma definição distinta dos conceitos como os tratamos aqui até o momento.
Eles tratam do ego como o "eu imortal" aquilo que realmente somos, não é o caso como o termo foi tratado aqui, eles ainda parecem diferenciar alma e espirito.

No meu caso eu defino a "mente (ou o "eu") fundamental" como aquilo que somos essencialmente. A "consciência" como uma propriedade da mente. O tal "ego mecânico" são as propriedades, as características dos "avatares", programas residentes nas máquinas orgânicas que habitamos para poder "jogar".
Fica assim: "eu" me conecto ao "avatar" e por meio dele tenho consciência do jogo que me proporciona inputs sensoriais.
sybok disse: O interessante é que eles parecem apresentar a eternidade somente como uma possibilidade e não como uma certeza, onde os indivíduos tem a oportunidade de atingirem a união e assim se manterem eternos, sem conquistar tal união a personalidade é aniquilada e dissolvida no "éter".

A eternidade da existência fundamental é algo absolutamente lógico, tenho certeza dela. As coisas não se desintegram e se tornam "nada", elas apenas mudam de configuração.
Mentes eternas precisam de cenários diferentes que lhe apresentem possibilidades infinitas.

Confesso uma coisa aqui: Não sei dizer se a mente mais fundamental seria também uma mera configuração efêmera gerada e suportada pela (e na) existência fundamental aleatoriamente.
Isso me tira o sono! Rsrsrs!
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
sybok disse: O problema é que sempre temos um corpo, cada vez que acordamos em algum lugar temos um corpo e com ele um ego novo prontinho para nos dominar.

se é assim vivendo vários personagens não possuiremos nenhuma identidade própria ? ou a consciência manterá traços do eu verdadeiro?
sybok disse: A consciência em si é como uma tela em branco, se não existir nada para ser projetado na tela, então não existe nada do qual estaremos conscientes.

interessante nossa visão tem sentidos contrários, pois eu acredito mais que a matéria é formada a partir de uma consciência, de fato considerando que nossos inputs fossem desabilitados, creio que ainda sim teríamos consciência da nossa existência.
sybok disse: Perdemos sim, já tive sonhos onde eu era completamente diferente do que sou, já tive sonhos bem ao estilo RPG medieval, onde eu literalmente lutava contra bárbaros em defesa do meu rei, com uma personalidade completamente distinta da minha.

bom é inegável que o tempo posa transformar nosso ser e as nossas vontades, talvez tenha visto uma das suas vidas passadas, considerando esta possibilidade ninguém poderia considerar-se justo a ponto de dar a primeira pedrada.
·  Marcio Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: um unica vez que perdi os sentindo, por algum tempo fiquei sem interagir com outras consciências ,mas aos poucos fui retomando minha consciência de onde estava, primeiro me veio o sentido do tato observando uma temperatura agradabilíssima como se o meu corpo estivesse nu pairando no ar, depois a visão em um forte luz branca, então comecei a raciocinar a onde me encontrava, quando me fiz a pergunta "Será que o meu espirito saiu do corpo, será que morri ? " minha consciência retornou ao meu corpo que estava no chão amparado por uma enfermeira.
interessante! se esta experiência não passou de uma ilusão causada por um cerebro perturbado por uma doença, então por que a minha consciência não continuou perturbada pelo sofrimento que se encontrava o corpo ? Mas enquanto o corpo penava caído ao chão a consciência se regozijava as portas do paraíso, quando ouvi a enfermeira me chamando, me senti frustado como o esquilo da era do gelo no momento que finalmente iria conquistar a sua castanha gigante foi ressuscitado pelo bicho preguiça Sidynei, pô eu ja iria sair procurando por outras pessoas para especular onde estava, sacanagem agora vou ter que esperar pela morte definitiva ?

Você ficou contente por estar se reconectando ao corpo. Aos sensores da sua máquina orgânica.
CRIATURO disse: não creio que a interatividade de consciências só seja possível através de um corpo humano ou físicos como imaginamos e por que querer limitar a nossas consciências apenas a possibilidades conhecidas aos limites do nosso mundo?

Aí é que está! Veja que a mente fundamental está limitada à ela mesma, assim não pode interagir com as outras, ela se encontra no "casulo" do "eu".
Pelos limites do mundo do jogo universal é que as possibilidades se apresentam através da conexão com o "avatar". Os limites da máquina mecânica, e do cenário, é que criam as emoções.
CRIATURO disse: primeiro os sentimentos depois vem a consciência

A consciência é a propriedade da mente fundamental que a coloca em contato com os sentidos gerando sentimentos.
·  Marcio Membro
agosto 2013 0
Silvana disse: Pessoal, a Blavatsky apresenta as ideias de vcs da seguinte forma:

“Dizemos(Teosofistas) que só permitimos a presença da irradiação do espírito(ou Atmã/Atman), na cápsula astral; e somente no que se refere aos resplendor espiritual. Dizemos que o homem e a alma terão que conquistar sua imortalidade por meio da ascensão até a unidade; que se tiverem êxito ficarão unidas no fim, e nelas finalmente absorvidas. A individualização do homem depois da morte depende do espírito e não de sua alma e corpo.

Salve Silvana!

Uma ascensão até a unidade é o fim da individualidade, é a "morte" do indivíduo.
Talvez todos queiram na verdade "fugir" disso.
Quem é que deseja realmente o "deixar de ser eu"?
Parece muito romântico dizer coisas sobre mentes unidas numa só, mas ninguém pensa realmente nas implicações terríveis dessa possibilidade.
Muitos geram mais possibilidades dinâmicas do que um só. Isso parece óbvio.
Silvana disse: No sentido que em que se entende usualmente a “personalidade” é um absurdo se for aplicada literalmente a nossa essência imortal, pois sem dúvida ela é, como ego individual, uma entidade diferente, imortal e eterna per si.

Pois que assim seja de fato, imortal e eternamente individual.
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: sybok disse: Perdemos sim, já tive sonhos onde eu era completamente diferente do que sou, já tive sonhos bem ao estilo RPG medieval, onde eu literalmente lutava contra bárbaros em defesa do meu rei, com uma personalidade completamente distinta da minha.
salgueiro disse: Interessante isso, sempre que lembro de um sonho sou sempre eu.

sim sabemos que somos nós, mas também nos vemos fazendo coisas que hoje nos seriam repulsivas
sybok disse: Uma consciência por exemplo não pode pensar, a razão é um atributo distinto, assim como uma consciência não tem sentimentos.

a consciência seria o que um mero emulador de personagens alimentada por inputs do corpo ?
Se a consciência é o que sobrevive ao corpo mas, não raciocina , não possui sentimentos um quadro em branco, isto não passa de uma falta de consciência.
eu quero saber onde fica o eu verdadeiro nessa teoria onde não existe consciência fora da matéria ?
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: salgueiro disse: Interessante isso, sempre que lembro de um sonho sou sempre eu.

sim sabemos que somos nós, mas também nos vemos fazendo coisas que hoje nos seriam repulsivas

Criaturo, sou 'certinha' inclusive nos sonhos, então nada de repulsivo, rs
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: Criaturo, sou 'certinha' inclusive nos sonhos, então nada de repulsivo, rs

que inveja
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
Marcio disse: Uma ascensão até a unidade é o fim da individualidade, é a "morte" do indivíduo.
Talvez todos queiram na verdade "fugir" disso.
Quem é que deseja realmente o "deixar de ser eu"?

opa! tô reconhecendo essa teoria!
e os direitos autorais ?
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: algueiro disse: Criaturo, sou 'certinha' inclusive nos sonhos, então nada de repulsivo, rs

que inveja

Por ser certinha ou por não ter sonhos repulsivos?
·  1500 Comentários sorted by Votes Date Added
·  sybok Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
salgueiro disse:


Se vc concorda que existem muitos caminhos essa visão não se coaduna.

Os muitos caminhos necessitam de coisas semelhantes.
Como eu já disse e até possivel classifica-los em dois grandes ramos, ainda assim a morte do ego é inevitável em todos os casos, sem ela não é possivel a união com Deus.
Post edited by sybok on agosto 2013
·  sybok Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
CRIATURO disse: conheço uma garota que tem como seu grande objetivo de vida se formar em medicina, ja prestou vários vestibulares e por alguns meses até chegou a cursar administração em uma escola publica,mas desistiu e voltou a estudar para passar em medicina.
muitas vezes a obstinação por algo nos deixa cegos a outros caminhos existentes talvez os que nos tornariam mais felizes.

E eu conheço um cara que tinha como grande objetivo de vida ser um tremendo profissional da informática com sua própria empresa, mas que descobriu que não poderia ser ninguém pois não era livre e teria que abandonar os próprios objetivos e sonhos.

O nome do cara começa com "S" e termina com "ybok"...
CRIATURO disse: sou de 1 de novembro

Sou do dia 19, dia da bandeira.

Não acredito em horoscopo, mas a historia dos "dons" de cada signo bate no meu caso.


"Naquela manhã, o Supremo Criador chamou para junto de Si suas Doze Crianças, para nelas implantar a semente da vida humana e conceder-lhes o divino dom que lhes caberia, segundo a incumbência de seu signo no Zodíaco". E assim cada criança celeste deu um passo à frente para receber o seu Dom:

A ti, Escorpião, darei a tarefa mais difícil. Terás habilidade de conhecer a mente dos homens, mas não te darei permissão de falar sobre o que apreenderes. Muitas vezes te sentirás ferido por aquilo que verás e em tua dor te voltarás contra Mim, esquecendo que não sou Eu, e sim a distorção da Minha Idéia que te faz sofrer. E experimentarás de tal modo a dor do ser humano, que chegarás a conhecer o homem enquanto animal, e lutarás tanto contra os instintos animais em ti mesmo, que poderás até extraviares no caminho. Mas, quando finalmente voltares a mim, Escorpião, terás para ti: 'O Dom da Suprema Finalidade'. E Escorpião retornou ao seu lugar.
CRIATURO disse: Saindo do estado de vigília ja me peguei pensando coisas desconexas, penso que seja o cerebro mecânico agindo.

Pois isso é uma grande evidencia do que eu digo sobre a mente racional.
Esse mesmo processo ocorre durante os sonhos, onde vemos a razão falando sozinha e quanto maior o nosso "sono", mas desconexo é o fluxo de pensamento.
Agora basta você observar o quão desconexa é a mente e os erros de raciocínio de algumas pessoas para você perceber que existe algum problema na razão.
CRIATURO disse: ta confuso isto?
Se só existe consciência com o corpo , acabando corpo acaba a consciência então como uma mesma consciência poderia encarnar outro corpo ?
alem do mais se voce acredita no final da consciÊncia junto o seu corpo então por que se preocupa em desenvolve-la ?

Eu disse que o ego morre com o corpo, não falei sobre a consciência.

Criaturo, eu não sei sobre nada além da vida para poder explicar isso de fato, mas especulando... pense na realidade como em um sonho, para estarmos conscientes e interagindo, precisamos de um corpo, durante um sonhos temos um corpo, mas quando acordamos ele desaparece.
Ainda assim continuamos existindo.

Se nossa vida for como um sonho, nosso corpo aqui é meio "virtual", toda a meteria seria meio virtual, existindo na mente quem sabe de Deus, ainda que para estarmos conscientes precisemos de um corpo, a consciência em si não depende dele para existir.
Poderíamos mudar de vida em vida tanto quanto mudamos de sonho em sonho.

O que eu disse sobre a consciência é que ela não se manifesta sem um corpo, para estarmos conscientes precisamos estar conscientes de algo e esse algo é fornecido sempre por um corpo.
Não acredito então em um espirito "vendo" e "ouvindo" sem um corpo, pois ver e ouvir é função dele... mas só estou especulando.
Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor.

Post edited by sybok on agosto 2013
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qua Dez 13 2017, 09:17

·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse:
Os muitos caminhos necessitam de coisas semelhantes.
Como eu já disse e até possivel classifica-los em dois grandes ramos, ainda assim a morte do ego é inevitável, sem ela não é possivel a união com Deus.

Pelo visto vc deve ser um teísta 'melhor' ou talvez mais bem direcionado que eu. Acredito que o ego acabe sim desaparecendo, só que não de uma hora para outra
·  Marcio Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor.

Eu ja imaginei que sem o corpo ficaríamos apenas conscientes de nós mesmos (eu sou), a falta dos sentidos nos mergulharia numa solidão aterradora (a caverna), sem sentidos não poderíamos interagir com as outras consciências.
Não seria uma total suspensão, não seria como um programa pausado.
Por isso que eu penso que o mundo material é tão somente um meio de nos por no "jogo", de nos conectar com as possibilidades.
Quem quiser fugir disso apenas se encontrará consigo mesmo e mais nada.
A eternidade é tempo demais para ficarmos sós. O sistema nos dá então as possibilidades, os inputs, os entrelaçamentos com outras consciências.
Somos repositórios de sensações e sentimentos. Essa é a nossa essência.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor

Não ficamos em pausa, minhas experiëncias e de tantos outros com o outro lado mostram justo o contrário.
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
sybok disse: CRIATURO disse: sou de 1 de novembro

Sou do dia 19, dia da bandeira.

nasci no dia 1,mas me registraram no dia 19 é o que consta nos meus documentos
sybok disse: Muitas vezes te sentirás ferido por aquilo que verás e em tua dor te voltarás contra Mim, esquecendo que não sou Eu, e sim a distorção da Minha Idéia que te faz sofrer.

ja tinha dado uma olhada neste texto,mas no neste caso ele se encaixa mais a voce.
não sei se voce leu os outros textos que confirmam os traços de personalidade que te passei, eles de fato coincidem com a personalidade do escorpião.
Eu tambem não acredito em horoscopo como previsão do futuro cor da sorte etc,mas no quesito personalidade ja observei que alguma coisa bate.
Acredito e não sei o porque a personalidade de um espirito faz com que ele nasça em determinada época do ano.
sybok disse: Eu disse que o ego morre com o corpo, não falei sobre a consciência.

ótimo! se o ego morre com o corpo , então por que se preocupar em domina-lo deixe o coitadinho ser feliz , para com essa repressão.
sybok disse:
Criaturo, eu não sei sobre nada além da vida para poder explicar isso de fato, mas especulando...
sybok disse: Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor.
veja um comentario ao Aza:
Azathoth disse: No sono, a pessoa perde a noção do tempo e da existência e não sabe nada do que acontece ao seu redor.
R: ja ouviu falar de sonhos lúcidos e viagem astral?
Sinceramente eu creio bem diferente da linha evangélica.
Quando alguém muito querido sofre e morre, "quase morremos juntos com ela, ou uma parte de nós de fato acaba morrendo com ela."
A perda e o sofrimento vivenciados podem gerar revoltas, falta de compreensão contra as injustiças da vida e contra o criador dela,mas não existe sofrimento que o tempo não possa curar.

Quando acontece um milagre de um desenganado pelos médicos, reaver sua vida recuperando sua saudê, seus entes queridos choram e comemoram com alegria indescritível como se tivesse ressuscitado uma pessoa muito querida.
Mas essa alegria não se compara a alegria dos que compartilharam sofrimentos na terra e viram suas esperanças se transformarem em frustrações levando a descrença e a indiferença com a vida, quando se verem vivos no mundo espiritual.
se tratando de seres inteligentes não podemos pensar em padronizar regras, certamente uma morte não sera igual a outra porque os sentimentos são diferentes e as situações tambem.
Creio que não haverá um um juízo final coletivo, muito menos feito com a volta de Jesus:
"aquele que não seguir meus ensinamentos ja esta julgado"
Jesus e Deus não julgam nem condenam, porem existem leis e reações mecânicas , e ainda temos nossa vontade subjugada por outras inteligencias, podemos ser adotados espiritualmente ou até perseguidos por espíritos que nos são antipáticos por alguma razão.
" de dinheiro ilícito fazeis muitos amigos por que na dor são eles que virão te socorrer"
"enquanto estiveres no mundo entre em acordo sem demora com seus adversários, por que se não eles te entregaram ao Juiz e este colocará numa prisão de onde só sairá quando tiver pago o ultimo centavo da sua divida."

Assim penso que o tempo para despertar do sono da morte pode variar conforme a pessoa e que tambem algumas pessoas principalmente as que não acreditam na continuação da vida , assim como as que acreditam que dormiram a espera por um julgamento final, neste caso o tempo para desperta a consciência para uma nova realidade poderá ser mais demorada em relação a mentes mais abertas.
Penso que na grande maioria dos casos a perda da consciência material leva ao espirito a um estado de pertubação natural muito parecido com sonhos, para consciências tranquilas bons sonhos do tipo revendo e conversando alegremente com entes queridos ja falecidos, ja para consciências perturbadas pesadelos do tipo perseguições de antigas vitimas ou memórias pelo simples remorso.
Com o tempo este estado de semi consciência espiritual tornará se lúcido cada vez mais, até o momento do despertar final para nova realidade espiritual que nos encontramos e este período poderá variar dias, meses e anos conforme a consciência de cada um.
por isso quando voce sonhar e cada vez mais o sonho ficar lucido, se tentar acordar e não conseguir provavelmente voce ja esta morto.
sybok disse: pense na realidade como em um sonho, para estarmos conscientes e interagindo, precisamos de um corpo, durante um sonhos temos um corpo, mas quando acordamos ele desaparece.

para interagirmos com a matéria precisamos de um corpo, mas para estarmos conscientes , não precisamos !
A não ser que voce esteja considerando que exista um corpo espiritual ainda material , ou seja espirito e material apesar de coisas distintas estarão eternamente atreladas ?
sybok disse: Poderíamos mudar de vida em vida tanto quanto mudamos de sonho em sonho.

num sonho mudamos de corpo e alteramos o personagem mas, nunca perdemos a nossa identidade


·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
Marcio disse:
Eu ja imaginei que sem o corpo ficaríamos apenas conscientes de nós mesmos (eu sou), a falta dos sentidos nos mergulharia numa solidão aterradora (a caverna), sem sentidos não poderíamos interagir com as outras consciências.
um unica vez que perdi os sentindo, por algum tempo fiquei sem interagir com outras consciências ,mas aos poucos fui retomando minha consciência de onde estava, primeiro me veio o sentido do tato observando uma temperatura agradabilíssima como se o meu corpo estivesse nu pairando no ar, depois a visão em um forte luz branca, então comecei a raciocinar a onde me encontrava, quando me fiz a pergunta "Será que o meu espirito saiu do corpo, será que morri ? " minha consciência retornou ao meu corpo que estava no chão amparado por uma enfermeira.
interessante! se esta experiência não passou de uma ilusão causada por um cerebro perturbado por uma doença, então por que a minha consciência não continuou perturbada pelo sofrimento que se encontrava o corpo ? Mas enquanto o corpo penava caído ao chão a consciência se regozijava as portas do paraíso, quando ouvi a enfermeira me chamando, me senti frustado como o esquilo da era do gelo no momento que finalmente iria conquistar a sua castanha gigante foi ressuscitado pelo bicho preguiça Sidynei, pô eu ja iria sair procurando por outras pessoas para especular onde estava, sacanagem agora vou ter que esperar pela morte definitiva ?
Marcio disse: Por isso que eu penso que o mundo material é tão somente um meio de nos por no "jogo", de nos conectar com as possibilidades.
Quem quiser fugir disso apenas se encontrará consigo mesmo e mais nada.

não creio que a interatividade de consciências só seja possível através de um corpo humano ou físicos como imaginamos e por que querer limitar a nossas consciências apenas a possibilidades conhecidas aos limites do nosso mundo?
Marcio disse: Somos repositórios de sensações e sentimentos. Essa é a nossa essência.

primeiro os sentimentos depois vem a consciência
·  Silvana Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
Saudações Inseto (Propositor do tema)

Saudações Salgueiro / Saudações Criaturo / Saudações Márcio / Saudações Sybok

Saudações aos demais

Desculpem entrar com tema já tão adiantado. Somente para colaboração.

Destaques interessantes:
Criaturo disse: (...)alem do mais se você acredita no final da consciÊncia junto o seu corpo então por que se preocupa em desenvolve-la ?

Sybok disse: Como eu já disse e até possível classifica-los em dois grandes ramos, ainda assim a morte do ego é inevitável em todos os casos, sem ela não é possível a união com Deus.

Márcio disse: (...) os inputs, os entrelaçamentos com outras consciências.Somos repositórios de sensações e sentimentos. Essa é a nossa essência.

Sybok disse: Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de "suspensão", ficamos em "pausa" aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor.

Salgueiro disse: Não ficamos em pausa, minhas experiências e de tantos outros com o outro lado mostram justo o contrário.

Pessoal, a Blavatsky apresenta as ideias de vcs da seguinte forma:

“Dizemos(Teosofistas) que só permitimos a presença da irradiação do espírito(ou Atmã/Atman), na cápsula astral; e somente no que se refere aos resplendor espiritual. Dizemos que o homem e a alma terão que conquistar sua imortalidade por meio da ascensão até a unidade; que se tiverem êxito ficarão unidas no fim, e nelas finalmente absorvidas. A individualização do homem depois da morte depende do espírito e não de sua alma e corpo.

No sentido que em que se entende usualmente a “personalidade” é um absurdo se for aplicada literalmente a nossa essência imortal, pois sem dúvida ela é, como ego individual, uma entidade diferente, imortal e eterna per si.

concluindo os escritos dos Teosofistas, para essas dúvidas:
Se esta união entre os manas inferior ou pessoal, e o Ego individual que se reencarna não foi efetuada durante a vida, então o destino do primeiro será como o dos animais inferiores que gradualmente se dissolvem no éter e cuja personalidade é aniquilada; mas ainda assim é o Ego um ser individual. Nesse caso apenas perde um estado devakhânico(depois desta vida o que por certo é inútil), como personalidade idealizada; e se encarna imediatamente, depois de haver desfrutado um curto espaço de tempo de sua liberdade, como espírito planetário.

Fonte: A chave da Teosofia. Blavatsky
1973-p.111

Abraços fraternos a todos
Silvana
Post edited by Silvana on agosto 2013
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: Não ficamos em pausa, minhas experiëncias e de tantos outros com o outro lado mostram justo o contrário.

" o meu Pai trabalha até agora e eu tambem" justificou Jesus aos que queriam proibi-lo de continuar trabalhando no sábado.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
Olá Silvana! Fique a vontade, entrar e sair do debate de um tópico é o que mais se faz dependendo do rumo que toma, rs. Suas contribuições são bem vindas.

E obrigada pelo link para a Cabala que colocou no outro tópico, estou lendo e gostando.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse:
Não ficamos em pausa, minhas experiëncias e de tantos outros com o outro lado mostram justo o contrário.

Que outro lado? E essas experiencias foram SEM um corpo ou com um OUTRO corpo?
Como dito, mesmo dentro de um sonho temos um corpo no sonho.

Quando as pessoas se descrevem flutuando, em geral se descrevem com um outro corpo, até as imagens ilustrativas sempre mostram um corpo que eles chama de "corpo sutil", capaz de atravessar paredes.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Que outro lado?

Estou falando de experiëncias ou contatos com espíritos. Era do que vc falava, vc estava especulando sobre o pós morte, sobre como ficaria um espírito.
sybok disse: E essas experiencias foram SEM um corpo ou com um OUTRO corpo?

Eu ainda estou viva então tenho corpo físico, rs. Desculpe mas não dá para deixar de brincar
sybok disse: Quando as pessoas se descrevem flutuando, em geral se descrevem com um outro corpo, até as imagens ilustrativas sempre mostram um corpo que eles chama de "corpo sutil", capaz de atravessar paredes

Sim, espíritos possuem um corpo 'sutil'.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Admin em Qua Dez 13 2017, 09:20

·  sybok Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: ja tinha dado uma olhada neste texto,mas no neste caso ele se encaixa mais a voce.
não sei se voce leu os outros textos que confirmam os traços de personalidade que te passei, eles de fato coincidem com a personalidade do escorpião.

Não sei meu signo chines e sim a personalidade básica do signo bate no meu caso, mas acredito ser coincidência, já que no caso dos meus irmãos tal personalidade não bate.

Essas descrições são um tanto genéricas elas sempre vã ose encaixar para algumas pessoas, mas não para outras, por exemplo já vi descrições da personalidade de OUTROS signos que também batem comigo.
CRIATURO disse:
CRIATURO disse:sybok disse: Eu disse que o ego morre com o corpo, não falei sobre a consciência.
ótimo! se o ego morre com o corpo , então por que se preocupar em domina-lo deixe o coitadinho ser feliz , para com essa repressão.
O problema é que sempre temos um corpo, cada vez que acordamos em algum lugar temos um corpo e com ele um ego novo prontinho para nos dominar.
CRIATURO disse: para interagirmos com a matéria precisamos de um corpo, mas para estarmos conscientes , não precisamos !
A não ser que voce esteja considerando que exista um corpo espiritual ainda material , ou seja espirito e material apesar de coisas distintas estarão eternamente atreladas ?
Para estar conscientes, precisamos estar conscientes de algo.
A consciência em si é como uma tela em branco, se não existir nada para ser projetado na tela, então não existe nada do qual estaremos conscientes.

Isso inclui os pensamentos, já que a razão é um atributo do corpo, assim como os sentimentos e sensações, quando dizemos que estamos conscientes de "nós", na realidade nos referimos a esses objetos "internos" que são parte do corpo, sem o corpo eles também não existem, só existe a tela em branco que é um cinema vazio onde não está passando NADA.
Estar consciente somente do nada é igual a não estar consciente.
CRIATURO disse: num sonho mudamos de corpo e alteramos o personagem mas, nunca perdemos a nossa identidade
Perdemos sim, já tive sonhos onde eu era completamente diferente do que sou, já tive sonhos bem ao estilo RPG medieval, onde eu literalmente lutava contra bárbaros em defesa do meu rei, com uma personalidade completamente distinta da minha.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse: Sim, espíritos possuem um corpo 'sutil'.
Ou seja, sempre temos um corpo, não conheço relatos de pessoas fazendo coisas sem um corpo.
Aparentemente é sempre necessário um veiculo, uma interface de interação com o mundo.

Por isso eu disse que: "Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de 'suspensão', ficamos em 'pausa' aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor".

Agora, nossa visão do "corpo" e da "matéria" é que tende a ser distorcida.
Num sonho também vemos um mundo "material" e temos um "corpo", ainda assim ninguém cria essa dicotomia corpo/espirito, mundo material X mundo espiritual.
Num sonho temos um espirito DENTRO de um corpo, ou todo o mundo dos sonhos é que esta na verdade dentro de nós?

Talvez simplesmente não exista diferença entre essas coisas e a matéria não seja exatamente como a imaginamos.
O nosso modo de "imaginar" como essas coisas funcionam tende a estar errado.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Perdemos sim, já tive sonhos onde eu era completamente diferente do que sou, já tive sonhos bem ao estilo RPG medieval, onde eu literalmente lutava contra bárbaros em defesa do meu rei, com uma personalidade completamente distinta da minha.

Interessante isso, sempre que lembro de um sonho sou sempre eu.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
Marcio disse: Eu ja imaginei que sem o corpo ficaríamos apenas conscientes de nós mesmos (eu sou), a falta dos sentidos nos mergulharia numa solidão aterradora (a caverna), sem sentidos não poderíamos interagir com as outras consciências.
Não seria uma total suspensão, não seria como um programa pausado.
Por isso que eu penso que o mundo material é tão somente um meio de nos por no "jogo", de nos conectar com as possibilidades.
Quem quiser fugir disso apenas se encontrará consigo mesmo e mais nada.
A eternidade é tempo demais para ficarmos sós. O sistema nos dá então as possibilidades, os inputs, os entrelaçamentos com outras consciências.
Somos repositórios de sensações e sentimentos. Essa é a nossa essência.

Eu separo a consciência em si de qualquer outra função humana.
Uma consciência por exemplo não pode pensar, a razão é um atributo distinto, assim como uma consciência não tem sentimentos.
Penso nela como uma tela em branco que só passa a estar "consciente" quando algo é projetado sobre ela.

Isso significa que não existe consciência individual, separada do resto, ela sempre depende da existência de um meio externo, de uma imagem que não faz parte dela e que projete coisas para que ela possa ter "consciência" dessas coisas.

Então qualquer dessas coisas que você chama de "nós mesmos" a qual a consciência poderia ter contato, é externo a consciência em si.
Digamos que a consciência seja uma peça e qualquer outra peça separada dela, é como dito, uma OUTRA peça e não a consciência.
Só estamos conscientes quando ao menos duas peças se juntam, a consciência e alguma coisa que ao ser projetada na consciência a permita estar "consciente" de algo.

É a tela e o projeto, existindo na dependência um do outro.
·  salgueiro Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Por isso eu disse que: "Sem um corpo provavelmente ficamos em um estado de 'suspensão', ficamos em 'pausa' aguardando um corpo que possa fornecer dados que nos permitam ficar conscientes do mundo ao nosso redor".

Digamos que quando vivos temos dois corpos e ao morrermos ficamos com um então vc adentra ao mundo espiritual com um corpo
sybok disse: Agora, nossa visão do "corpo" e da "matéria" é que tende a ser distorcida.

Depois que aprendi que nosso físico não é tão sólido como o percebemos estou em stand by com isso. Esse é um aprendizado da Física.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
salgueiro disse:
Interessante isso, sempre que lembro de um sonho sou sempre eu.

Eu tenho alguns sonhos que são simplesmente idênticos a uma partida de video game, onde eu mato pessoas ou fujo de alguma coisa, muitas vezes em cenários completamente distintos, em geral existe a busca de algum objetivo.

Já tive sonhos futuristas também, com imagens incríveis de um transito de carros voadores, coisa impressionante de se ver em "primeira pessoa", me deu vontade até de poder fazer um filme com tais cenas, para mostra ao pessoal de hollywood como é que uma cidade com carros voadores deve ser.

Os sonhos são um mistério pra mim, principalmente pela variedade de tipos que tem, alguns parecem até vidas paralelas, tão reais quanto aqui, outros parecem jogos e outros são completamente sem sentido, com pensamentos e questionamentos que quando acordamos percebemos que eram absurdos e sem logica nenhuma, como a mente falando sozinha de modo completamente aleatório.
·  sybok Membro
agosto 2013 0
Silvana disse: Pessoal, a Blavatsky apresenta as ideias de vcs da seguinte forma:

Eles claramente trabalham com uma definição distinta dos conceitos como os tratamos aqui até o momento.
Eles tratam do ego como o "eu imortal" aquilo que realmente somos, não é o caso como o termo foi tratado aqui, eles ainda parecem diferenciar alma e espirito.
Silvana disse: Se esta união entre os manas inferior ou pessoal, e o Ego individual que se reencarna não foi efetuada durante a vida, então o destino do primeiro será como o dos animais inferiores que gradualmente se dissolvem no éter e cuja personalidade é aniquilada; mas ainda assim é o Ego um ser individual.

O interessante é que eles parecem apresentar a eternidade somente como uma possibilidade e não como uma certeza, onde os indivíduos tem a oportunidade de atingirem a união e assim se manterem eternos, sem conquistar tal união a personalidade é aniquilada e dissolvida no "éter".
·  Silvana Membro
agosto 2013 edited agosto 2013 0
Saudações Salgueiro / Saudações Sybok

Saudações aos demais participantes


Salgueiro disse: E obrigada pelo link para a Cabala que colocou no outro tópico, estou lendo e gostando.

Por nada. Que bom que gostou.
Sybok disse: Eles tratam do ego como o "eu imortal" aquilo que realmente somos, não é o caso como o termo foi tratado aqui, eles ainda parecem diferenciar alma e espírito.

Sim, vc está certo, eles diferenciam alma de espírito.
Sybok disse: O interessante é que eles parecem apresentar a eternidade somente como uma possibilidade e não como uma certeza, onde os indivíduos tem a oportunidade de atingirem a união e assim se manterem eternos, sem conquistar tal união a personalidade é aniquilada e dissolvida no "éter".

Sim. O que sempre me chamou a atenção nos textos dela foi justamente isso, por isso.

Quando citei a Teosofia, foi somente a título de fornecer a incerteza da possibilidade no caso da uma falta de progresso do Ego. Entendes?!


Abraços fraternos a todos
Silvana
Post edited by Silvana on agosto 2013
·  Marcio Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Eu separo a consciência em si de qualquer outra função humana.
Uma consciência por exemplo não pode pensar, a razão é um atributo distinto, assim como uma consciência não tem sentimentos.
Penso nela como uma tela em branco que só passa a estar "consciente" quando algo é projetado sobre ela.

Bom! As vezes até eu me confundo com as palavras "consciência" e "mente". Até uso o termo "consciência" no lugar de "mente", sem querer. Me perdoe.

"Consciência" é uma propriedade que faz com que a mente tenha contato com alguma informação, ou várias.
Dizemos: " a mente consciente", "a mente está consciente", há até o contrário: " a mente está inconsciente".
Logo podemos inferir que "consciência" não é a "mente", é algo ocorre com a mente.

Então vamos falar de um "eu" fundamental, ou mente fundamental. Imagine isso totalmente desconectado dos outros domínios. É uma existência mental fundamental e eterna.
Este é o verdadeiro "eu", o restante são complementos conectados.

A sua tela em branco parece ser uma analogia para a entrada de inputs através dos sentidos providos pelos "avatares"(me permita usar esse termo) interagindo dentro do cenário do "jogo".
A diferença é que você intuiu que o "eu" fundamental quando desconectado fica inerte e desligado, eu já acho que não, eu acho que ele fica consigo mesmo, só, ávido por mais conexões.
sybok disse: Isso significa que não existe consciência individual, separada do resto, ela sempre depende da existência de um meio externo, de uma imagem que não faz parte dela e que projete coisas para que ela possa ter "consciência" dessas coisas.

Mente fundamental, no caso. Sim ela depende dos meios ditos materiais (avatares e cenários) para ter inputs sensoriais, terá contato com eles por meio da consciência.
Eu acho que sem esses inputs externos a mente não ficaria sem consciência, como você crê, ficaria apenas ciente de sí mesma e só.
sybok disse: Então qualquer dessas coisas que você chama de "nós mesmos" a qual a consciência poderia ter contato, é externo a consciência em si.

O "nós", o "eu", é a mente mais fundamental, é o que realmente pode absorver, sentir, se alimentar de informações externas.
sybok disse: Digamos que a consciência seja uma peça e qualquer outra peça separada dela, é como dito, uma OUTRA peça e não a consciência.

Consciência é só uma propriedade da mente mais fundamental que a coloca em contato com as informações geradas pelo sistema.
sybok disse: Só estamos conscientes quando ao menos duas peças se juntam, a consciência e alguma coisa que ao ser projetada na consciência a permita estar "consciente" de algo.

Acho eu que a mente mais fundamental sempre estará consciente, ou de si mesma(quando desconectada), ou do jogo (quando conectada), já que é uma existência dinâmica e eterna.
sybok disse: É a tela e o projeto, existindo na dependência um do outro.

A tela é a consciência, o projeto é o jogo de ilusões. A mente sou "eu" e é "você".
·  Marcio Membro
agosto 2013 0
sybok disse: Eles claramente trabalham com uma definição distinta dos conceitos como os tratamos aqui até o momento.
Eles tratam do ego como o "eu imortal" aquilo que realmente somos, não é o caso como o termo foi tratado aqui, eles ainda parecem diferenciar alma e espirito.

No meu caso eu defino a "mente (ou o "eu") fundamental" como aquilo que somos essencialmente. A "consciência" como uma propriedade da mente. O tal "ego mecânico" são as propriedades, as características dos "avatares", programas residentes nas máquinas orgânicas que habitamos para poder "jogar".
Fica assim: "eu" me conecto ao "avatar" e por meio dele tenho consciência do jogo que me proporciona inputs sensoriais.
sybok disse: O interessante é que eles parecem apresentar a eternidade somente como uma possibilidade e não como uma certeza, onde os indivíduos tem a oportunidade de atingirem a união e assim se manterem eternos, sem conquistar tal união a personalidade é aniquilada e dissolvida no "éter".

A eternidade da existência fundamental é algo absolutamente lógico, tenho certeza dela. As coisas não se desintegram e se tornam "nada", elas apenas mudam de configuração.
Mentes eternas precisam de cenários diferentes que lhe apresentem possibilidades infinitas.

Confesso uma coisa aqui: Não sei dizer se a mente mais fundamental seria também uma mera configuração efêmera gerada e suportada pela (e na) existência fundamental aleatoriamente.
Isso me tira o sono! Rsrsrs!
·  CRIATURO Membro
agosto 2013 0
sybok disse: O problema é que sempre temos um corpo, cada vez que acordamos em algum lugar temos um corpo e com ele um ego novo prontinho para nos dominar.

se é assim vivendo vários personagens não possuiremos nenhuma identidade própria ? ou a consciência manterá traços do eu verdadeiro?
sybok disse: A consciência em si é como uma tela em branco, se não existir nada para ser projetado na tela, então não existe nada do qual estaremos conscientes.

interessante nossa visão tem sentidos contrários, pois eu acredito mais que a matéria é formada a partir de uma consciência, de fato considerando que nossos inputs fossem desabilitados, creio que ainda sim teríamos consciência da nossa existência.
sybok disse: Perdemos sim, já tive sonhos onde eu era completamente diferente do que sou, já tive sonhos bem ao estilo RPG medieval, onde eu literalmente lutava contra bárbaros em defesa do meu rei, com uma personalidade completamente distinta da minha.

bom é inegável que o tempo posa transformar nosso ser e as nossas vontades, talvez tenha visto uma das suas vidas passadas, considerando esta possibilidade ninguém poderia considerar-se justo a ponto de dar a primeira pedrada.
·  Marcio Membro
agosto 2013 0
CRIATURO disse: um unica vez que perdi os sentindo, por algum tempo fiquei sem interagir com outras consciências ,mas aos poucos fui retomando minha consciência de onde estava, primeiro me veio o sentido do tato observando uma temperatura agradabilíssima como se o meu corpo estivesse nu pairando no ar, depois a visão em um forte luz branca, então comecei a raciocinar a onde me encontrava, quando me fiz a pergunta "Será que o meu espirito saiu do corpo, será que morri ? " minha consciência retornou ao meu corpo que estava no chão amparado por uma enfermeira.
interessante! se esta experiência não passou de uma ilusão causada por um cerebro perturbado por uma doença, então por que a minha consciência não continuou perturbada pelo sofrimento que se encontrava o corpo ? Mas enquanto o corpo penava caído ao chão a consciência se regozijava as portas do paraíso, quando ouvi a enfermeira me chamando, me senti frustado como o esquilo da era do gelo no momento que finalmente iria conquistar a sua castanha gigante foi ressuscitado pelo bicho preguiça Sidynei, pô eu ja iria sair procurando por outras pessoas para especular onde estava, sacanagem agora vou ter que esperar pela morte definitiva ?

Você ficou contente por estar se reconectando ao corpo. Aos sensores da sua máquina orgânica.
CRIATURO disse: não creio que a interatividade de consciências só seja possível através de um corpo humano ou físicos como imaginamos e por que querer limitar a nossas consciências apenas a possibilidades conhecidas aos limites do nosso mundo?


Aí é que está! Veja que a mente fundamental está limitada à ela mesma, assim não pode interagir com as outras, ela se encontra no "casulo" do "eu".
Pelos limites do mundo do jogo universal é que as possibilidades se apresentam através da conexão com o "avatar". Os limites da máquina mecânica, e do cenário, é que criam as emoções.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 1652
Data de inscrição : 14/06/2017

Ver perfil do usuário http://ateusxcrentes.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Reencarnação: o mal nunca é uma escolha

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum